Aumento dos nódulos na tireoide é indicação cirúrgica?

O diagnóstico de doenças da glândula tireoide tem aumentado consideravelmente. A glândula tireoide é um órgão importante, pois possui a capacidade única de captar o iodo ingerido dos alimentos e o reutilizar para produzir o famoso hormônio da tireoide. As alterações estruturais da tireoide consistem nos nódulos que a glândula pode apresentar. Murilo Neves, cirurgião cabeça e pescoço da Clinica MedPrimus São Paulo, explica que descobrir nódulos na tireoide é sempre uma causa de estresse e preocupação. Mas, vale lembrar que aproximadamente 85% das vezes os nódulos são benignos.

O mau funcionamento da glândula elevará o valor do TSH (estimulante natural da tireoide). Da mesma forma, se a tireoide funcionar normalmente menor será o valor do TSH. Dessa maneira, a tireoide doente produz pouco hormônio T4 (hormônio produzido pela tireoide controlado pelos níveis de TSH) e a hipófise passa a produzir muito TSH, na tentativa de reverter a situação. Condição clinica chamada de hipotireoidismo. Quando a tireoide produz muito hormônio significa que T4 livre estará alto e o TSH resultante baixo. Esse estado é chamado de hipertireoidismo .

Entre essas duas situações o hipotireoidismo é o mais comum. Em que os sintomas mais frequentes são: cansaço e fadiga, dor muscular, cabelos e unhas fracas, ganho de peso e dificuldade de perder peso, intolerância aofrio. No hipertireoidismo os sintomas são inversos: perda de peso, calor e sudorese, palpitação do coração, tremores e ansiedade.

“Entre os dois diagnósticos o hipertireoidismo exige um tratamento mais complexo. Inicialmente envolve controle medicamentoso da função da glândula. As medicações utilizadas reduzem a produção e secreção do hormônio da tireoide, no entanto, não tratam o problema que causa a hiperfunção, além disso agridem o fígado e a medula óssea. Sendo assim, a utilização destas medicações deve ser restrita a um período não superior a 2 anos ou como preparação para o tratamento definitivo”, explica Murilo Neves.

miolo_tireoide
Ilustração: SBEM

Atualmente existem duas opções de tratamento definitivo nos casos de hipertireoidismo: a cirurgia ou a iodoterapia. Ambas apresentam vantagens e desvantagens. A decisão entre elas deve ser tomada em conjunto com o médico.

A cirurgia esta indicada nos seguintes casos:

-Nódulos malignos ou suspeitos de serem malignos na biópsia;

-Nódulos que apresentam uma velocidade de crescimento rápida;

-Nódulos grandes e que avançam em direção ao tórax ou que causam sintomas compressivos no pescoço;

-Os nódulos grandes, mas que não causem sintomas ou nódulos associados a hipertireoidismo podem ser operados ou tratados clinicamente.

Sendo assim, nem sempre um nódulo de tireoide deverá ser tratado com cirurgia obrigatoriamente.

murilo neves.png

Fonte: Murilo Neves é especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço.  Formação: Medicina pela Universidade de São Paulo – USP. Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital das Clinicas Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP . Residência médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP. Título de especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço – SBCCP. Pós-graduando em Doutorado pelo Departamento de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s