Lactobacilos reduzem sintomas de alergias na pele

Relacionados geralmente à melhora da flora intestinal, os lactobacilos agora têm uma nova – e importante – aplicação: combater os sintomas de alergias na pele. “O número de pacientes com alergias como a dermatite atópica vem aumentando. Muitos deles ainda sofrem com experiências adicionais como dores de cabeça, indisposição, insônia, frustração e ansiedade. Isso resulta em redução da qualidade de vida e tem se tornado um grande problema social”, afirma o pesquisador em Cosmetologia Lucas Portilho, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma.

“Mas recentes estudos têm indicado que uma classe específica de lactobacilos pode reduzir esses sintomas das alergias, sem os efeitos colaterais indesejados dos tratamentos convencionais”, acrescenta.

De acordo com o especialista, o uso de alimentos funcionais com a bactéria láctica Lactobacillus plantarum tem chamado atenção, pelos seus efeitos imunomodulatórios. “Em culturas celulares, a Lactobacillus plantarum demonstrou induzir IL-10, um mensageiro anti-inflamatório e em modelos animais demonstrou efeitos antialérgicos. Em humanos,  demonstrou aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida de pacientes com alergias, como a polinose do cedro japonês (alergia ao pólen de cedro)”, explica.

Estudos

lactobacilos

De acordo com o estudo japonês, a ingestão diária de um suco cítrico contendo Lactobacillus plantarum alivia os sintomas da dermatite atópica. “Foram avaliados homens e mulheres com idades entre 18 e 77 anos apresentando dermatite atópica leve à moderada que receberam garrafa de suco fermentado com a bactéria. O líquido deveria ser consumido pela manhã após o café da manhã”, conta. “As imagens comparativas demonstraram que quase todos os pacientes obtiveram uma melhora significativa das lesões cutâneas após o tratamento”, acrescenta.

Lucas explica que os resultados sugerem que a ingestão diária da bebida fermentada contendo Lactobacillus plantarum apresenta efeitos benéficos sobre os sintomas e qualidade de vida de pacientes com dermatite atópica leve a moderada através de um efeito imunomodulatório via atenuação da proteína catiônica do eosinófilo (ECP) e imunoglobulina E total (IgE) nos níveis sanguíneos.

Tratamentos Convencionais

De acordo com o pesquisador, o ingrediente é uma grande esperança, pois, no geral, medicamentos antialérgicos como anti-histamínicos, esteroides e imunossupressores têm alto custo e por longos períodos resultam em efeitos adversos. “Alternativas na dermatite atópica como o uso dos lactobacilos são urgentemente necessárias”, diz.

Fonte: Lucas Portilho é consultor e pesquisador em cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma. Especialista em formulações dermocosméticas e em filtros solares. Diretor das Pós-Graduações do IPUPO Educacional, Hi Nutrition Educacional e Departamento de Desenvolvimento de Formulações do IPUPO

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s