SII: tudo o que você precisa saber sobre a dieta low fodmap

Estudos têm demonstrado que dietas low fodmap podem ajudar a melhorar os sintomas da síndrome do intestino irritável

Fodmap significa alimentos “oligossacarídeos, dissacáridos, monossacarídeos e polióis fermentáveis”. Os alimentos fodmap são tipos de carboidratos, incluindo açúcares, que inflamam facilmente o sistema digestivo, e aqueles que são mal absorvidos no intestino.

A síndrome do intestino irritável (SII) é uma desordem gastrointestinal generalizada que afeta 11% da população mundial, de acordo com um relatório da Clinical Epidemiology.

Fatos rápidos sobre alimentos fodmap e SII:

-A dieta é a melhor maneira de gerenciar os sintomas.
-Alimentos low e high Fodmap incluem muitos tipos de vegetais, carnes, peixes, cereais, grãos e ovos.
-Conhecer a diferença torna mais fácil seguir uma dieta baixa em Fodmap e aliviar os sintomas.

O que é SII?

De acordo com o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e de Rim dos EUA, cerca de 10% a 15% dos adultos nos Estados Unidos são afetados pela SII. Desse número, menos de 7% receberão um diagnóstico de SII , seja porque o médico não tem certeza do diagnóstico, seja porque o indivíduo não está buscando ajuda. Parece que as mulheres são mais afetadas que os homens.

SII causa os seguintes sintomas:

mulher dor sii

Desconforto abdominal; dor no abdômen; inchaço e gases; sentir movimentos intestinais incompletos; incapacidade de esvaziar intestino; muco branco nas fezes; prisão de ventre; diarreia; indigestão e náusea.

A causa exata da SII é desconhecida. Pessoas podem encontrar alívio dos sintomas com mudanças de dieta, medicação, gerenciamento de estresse, terapia comportamental e várias terapias alternativas.

As dietas low fodmap têm se mostrado promissoras no gerenciamento da síndrome.

O que é uma dieta low fodmap?

A dieta fodmap foi desenvolvida por uma equipe de pesquisadores da Monash University, de Melbourne, Austrália. A equipe, liderada por Peter Gibson, foi a primeira a provar que as dietas low fodmap melhoraram os sintomas da SII. Os alimentos fodmap são classificados como “high, medium and low” (altos, médios e baixos). O importante da dieta é que aqueles com SII devem evitar alimentos altos em fodmap, comer alguns alimentos de médio fodmap e se fixarem nos alimentos de baixo fodmap.

Alimentos low fodmap (para comer livremente) incluem:

berinjelas
Pixabay

-Legumes: alface, cebolinha, pepino, erva-doce, berinjela, brócolis e baby espinafre.

mirtilo blueberrie morango framboesa frutas vermelhas
-Frutas: mirtilos, framboesas, morangos, abacaxi, uvas e kiwis.

freegreatpicture-frango
-Carnes: frango, carne, peru, cortes frios e cordeiro.

tataki de atum
-Peixe: caranguejo, lagosta, salmão, atum e camarão.

amendoim s pixabay
-Gorduras: óleos, sementes, manteiga, amendoim e nozes.

PIPOCA
-Amidos, cereais e grãos: batatas, pão sem glúten, quinoa, arroz integral, tortilhas e pipoca.

Alimentos high fodmap (a serem evitados) incluem:

-Legumes: alho, aspargos, cebolas, cogumelos, feijão preto e cebolas.
-Frutas: amoras, melancias, ameixas, pêssegos, tâmaras e abacates.
-Carnes: salsichas, carnes empanadas, carnes maltratadas, carnes servidas com molhos e enchimentos a base de alho ou cebola.
-Peixe: peixe à milanesa, peixe maltratado, peixe servido com molho à base de alho ou cebola.
-Gorduras: amêndoas, castanha de caju, pistache, abacate.
-Amidos, cereais e grãos: feijão, lentilhas, trigo e pão à base de glúten, centeio, muffins, pastel e macarrão.

Conhecer a diferença entre alimentos altos, médios e baixos fodmap torna simples incorporá-los em uma dieta.

É importante conversar com um médico ou nutricionista antes de iniciar uma dieta low fodmap. Ela geralmente não é recomendada para o uso em longo prazo, porque elimina alguns alimentos essenciais e ricos em nutrientes, e isso pode reduzir significativamente as bactérias intestinais saudáveis. Muitos fodmaps são prebióticos, o que significa que dão suporte às boas bactérias intestinais.

Qualquer pessoa com SII que esteja experimentando os sintomas abaixo pode considerar uma dieta low fodmap:

– sintomas contínuos do intestino, apesar das mudanças de estilo de vida e dieta
– nenhuma resposta às práticas de gestão do estresse
– sem alívio de sintomas, mesmo depois de remover alimentos desencadeantes, como café, álcool e aqueles picantes.

nutritionista e paciente.jpg

O que os estudos dizem?

Enquanto os dados sobre dietas sem glúten e SII são insuficientes, existem evidências que sustentam as dietas low fodmap para o gerenciamento de sintomas.

Um estudo clínico de 2014, que comparou os efeitos das dietas low fodmap em pessoas com e sem SII, descobriu que os sintomas da SII melhoraram em até 50% dentro de uma semana de implementação da dieta. As pessoas viram melhorias na dor abdominal, inchaço, consistência de fezes e flatulência.

Um relatório de 2016 da Clinical and Experimental Gastroenterology descobriu que até 86% das pessoas com SII viram melhorias em seus sintomas ao fazerem a dieta low fodmap. Já um relatório de 2017 do King’s College de Londres, Reino Unido, descobriu que os alimentos low fodmap são benéficos para pessoas com SII e que outras dietas, incluindo as sem glúten, nem chegam perto de oferecer benefícios positivos semelhantes.

Em outra revisão de 2017, esta da Universidade de L’Aquila, na Itália, os pesquisadores concluíram similarmente que as dietas low fodmap oferecem resultados favoráveis para os sintomas da SII, mas não chegaram a concluir que elas sejam superiores às dietas convencionais.

Como funciona uma dieta fodmap?

É importante frisar que as dietas low fodmap são restritivas e devem ser temporárias. Isso ocorre porque reduzem muitos alimentos ricos em nutrientes.

Uma dieta baixa de fodmap envolve três fases:

Shutterstok mulher alimentação
Foto: Shutterstock

Eliminação: nessa fase, que pode durar de 3 a 8 semanas, dependendo da resposta, uma pessoa elimina todos os fodmaps elevados de sua dieta.
Reintrodução: uma vez que a fase de eliminação acabou, os indivíduos podem começar a reintroduzir os tipos de fodmap em sua dieta, um por vez, aproximadamente a cada 3 a 7 dias, para ver quais alimentos desencadeiam seus sintomas.
Manutenção: a fase de manutenção envolve voltar a comer o mais normal possível, limitando os alimentos fodmap que causam sintomas da SII e mantendo esta prática. Eventualmente, algumas pessoas podem ser capazes de incorporar todos ou a maioria dos fodmap de volta à sua dieta sem sintomas.

Os estudos mostram que a melhora dos sintomas pode continuar após a redução dos fodmaps na dieta e por um longo período depois, desde que evitem aqueles que desencadeiam seus sintomas.

Um recurso util para dietas low fodmap e alimentos específicos para incluir e remover é o app criado pela International Foundation for Functional Gastrointestinal Disorders and the Monash University.

Para inspiração de receitas de fodmap, veja o blog da dietista Kate Scarlata, For A Digestive Peace of Mind.

Importante

Uma dieta low fodmap pode ajudar a melhorar os sintomas da SII, mas nem todos responderão bem a ela. Portanto, qualquer pessoa interessada em seguir essa dieta deve conversar com seu médico ou nutricionista com relação aos benefícios e riscos.

Fonte: MedicalNewsToday

Anúncios

2 comentários sobre “SII: tudo o que você precisa saber sobre a dieta low fodmap

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s