Todos os posts de carmenguaresemin

Sobre carmenguaresemin

Libriana, jornalista, escritora, assessora de imprensa, amante da natureza, em especial dos animais e, mais especialmente ainda, de gatos. Como é difícil encarar a chegada dos 50 anos, resolvi criar um espaço onde possa espantar meus fantasmas (e das amigas e leitoras também) e dar dicas de beleza, saúde, sustentabilidade, enfim, o que pintar.

Queda das sobrancelhas pode ser provocada por doenças

Produtos à base de vitaminas do complexo B e aminoácidos ajudam a deixar os pelos mais fortes e saudáveis

As sobrancelhas têm papel importante no design do rosto, afinal, são responsáveis pela harmonia dos traços. Mas, algumas vezes, elas podem ser acometidas pela queda demasiada dos pelos e, dessa forma, trazendo mudanças que comprometem a aparência e abalam a autoestima.

Primeiramente, é importante ressaltar que, todos os dias, alguns pelinhos são perdidos e isso faz parte do processo natural. Segundo o médico dermatologista Amilton Macedo, quando esse fator ocorre é que os fios estão em um período de renovação, ou seja, enquanto alguns estão crescendo e outros estabilizados, uns começam a cair para que surjam novos.

Contudo, é preciso se atentar a situações nas quais as quedas são em excesso. “Nem toda falha tem a mesma causa, ou seja, os motivos variam de pessoa para pessoa. Há quem apresente a perda em decorrência de males como hipotireoidismo, sífilis, hanseníase, dermatite ou psoríase. Outras, no entanto, exibem devido às doenças que atingem, especificamente, os pelos, como alopecia, líquen plano pilar e muitas outras”, afirma Macedo.

Nestas situações em que as sobrancelhas ficam mais finas e expõem falhas é essencial realizar uma consulta com o médico para investigar as causas e iniciar o tratamento. “É feita uma análise da pele local, dos fios e, se necessário, exames complementares para a identificação das causas o mais breve possível e, assim, com a indicação do melhor tratamento”, acrescenta.

Para quem tem poucos fios naturalmente, uma recomendação é o uso de produto que estimula o crescimento. “Existem produtos com princípios ativos que fazem com que os pelos cresçam e se regenerem de forma saudável”, conclui Amilton.

Durante o período de tratamento, para disfarçar as falhas causadas pela queda em excesso, a dica é recorrer ao emprego de maquiagens formuladas especificamente para a região.

“Entre os best sellers está o Duo Corretivo para Sobrancelhas, com dois tons de sombras que corrigem falhas, definindo o traçado. Já o Corretivo Líquido para Sobrancelhas proporciona uma aplicação com traços precisos e controlados (fio a fio), não borra e nem mancha, pois sua secagem é rápida, resistente à água e dura pelo menos 12 horas”, sugere Fernanda Barriviera, diretora técnica do Grupo Sobrancelhas Design.

Corretivo para Sobrancelhas DUO - 300dpi.png

Corretor liquido - DeepCorretor liquido - MediumCorretor liquido - Light

Ela também recomenda a utilização de dermocosméticos especialmente elaborados para estimular o crescimento dos fios e, assim, corrigir naturalmente o traçado comprometido, como o Sérum Nutritivo para sobrancelhas e cílios, que contém diversos ativos, vitaminas e aminoácidos que estimulam a restauração e saúde do pelo.

Novo Serum Plus

Informações: Sobrancelhas Design

 

Liquidação de Inverno 2017 da Antix

A Antix, marca desejada por suas estampas divertidas e que trouxe um inverno inspirado na Casa da Árvore, dá start à sua esperada liquidação, com descontos de 20% em peças selecionadas.

Entram na promoção os desejados vestidos, longos e mídi, que trazem prints florais, que contracenam com os bichos da mata, muitos bordados e que fazem desta coleção, uma das mais femininas e delicadas da Antix.

AF_miolo_casa_arvore_antix_2017-12AF_miolo_casa_arvore_antix_2017-10AF_miolo_casa_arvore_antix_2017-09AF_miolo_casa_arvore_antix_2017-18

As peças estão disponíveis apenas nas lojas físicas da marca e no e-commerce, e a liquidação é válida até o fim do estoque.

antix

Denise Steiner indica tratamentos para serem feitos no inverno

É comum que a pele fique mais sensível e ressecada nas estações mais frias do ano. Quando o corpo precisa equilibrar a temperatura, naturalmente perde-se água e, por esse motivo, a hidratação deve ser intensificada. Em alguns casos, o ressecamento da pele pode até evidenciar as rugas. A boa notícia é que a época também é favorável para alguns tratamentos rejuvenescedores.

Segundo a dermatologista Denise Steiner, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a procura pelo procedimento de toxina botulínica A e pelo preenchimento de ácido hialurônico costuma aumentar durante o período. Isso acontece porque os pacientes costumam ter menos compromissos. além de fatores como a baixa exposição solar beneficiarem os resultados.

“Em geral, não existem contraindicações para realizar qualquer tipo de tratamento nessa época, deve-se evitar apenas procedimentos que costumam deixar a pele muito exposta e tendem a aumentar a sensibilidade, como exemplo: esfoliações”, ressalta a médica.

tratamento botox

Sobre o fato das rugas ficarem mais evidentes, a dermatologista esclarece: “A falta de hidratação, faz com que algumas áreas da face percam o volume e, dessa forma, os sinais ficam mais visíveis”. Nesse caso, o preenchimento de ácido hialurônico é o mais indicado, tendo em vista que, além de dar volume, a substância é responsável por deixar a pele lisa e hidratada.

Os procedimentos são feitos no próprio consultório e sua duração varia de 12 a 24 meses, de acordo com o metabolismo do paciente e da área tratada. Ambos os procedimentos são minimamente invasivos e possibilitam que pacientes voltem para quase todas as suas atividades no mesmo dia.

278346_586614_dicas_de_como_cuidar_de_uma_pele_seca_web_

Para evitar a pele seca e esbranquiçada, a hidratação diária é essencial. A dermatologista recomenda o uso de um sabonete e loção indicados para cada tipo pele. Pessoas com pele oleosas e predisposições à acne devem evitar produtos comedogênicos, que possam bloquear os poros e piorar o aspecto da derme.

O uso de protetor solar é indispensável em qualquer época do ano, pois, apesar do sol aparecer com menor frequência, as radiações continuam sendo prejudiciais.

Informações: Além da Beleza

 

 

Paris Et Moi, aroma parisiense no ar

A Jafra Cosméticos lança sua nova fragrância, Paris Et Moi. Sua essência simboliza todo o charme e a singularidade de Paris, com uma família olfativa floral frutada, notas de saída de um um delicioso aroma da sobremesa típica parisiense fraises des bois – feita com morangos silvestres, massa fina folhada e creme de baunilha -, acordes especiais e tangerina.

No corpo, jasmim sambac, jasmim de Grasse e rosa de mai trazem um toque de feminilidade, abrindo espaço para as notas de base, compostas por madeiras sedosas, âmbar branco, cedro e patchuli, que entregam toda a elegância e a sofisticação que remetem à cidade luz.

Aqueles que comparecerem, serão presenteados com um macaron, card perfumado, flores e uma foto impressa com o tema de Paris et Moi, guiado por toda sofisticação e pelo romantismo da capital francesa.

paris.jpg

Deo Parfum Paris Et Moi ( 50 ml) – Preço: R$ 169,00
Notas de saída: sobremesa típica parisiense fraise de bois, acordes especiais e tangerina
Notas de corpo: jasmim sambac, jasmim de grasse e rosa de mai
Notas de fundo: madeira sedosa, âmbar branco, cedro e patchuli

Informações: Jafra

Riviera dos Cães: creche e hotel para cachorros na zona oeste de São Paulo

Local tem 700 m² e foi especialmente construído para comportar cachorros de diferentes portes e níveis de energia

A Riviera dos Cães, localizada na zona oeste de São Paulo, é reconhecida pelos tutores como o paraíso dos pets. Os cães podem frequentar diariamente a creche e também pernoitar no hotelzinho, sempre com acompanhamento veterinário.

O espaço oferece uma ampla estrutura de dois andares, com capacidade de divisão em cinco áreas independentes, todas separadas por rampas e grades. A área interna do local comporta sala de banho seco e molhado, sala de alimentação com baias individuais, corredor de segurança, onde são guardados os pertences dos pets, como coleiras, alimentos, roupinhas, etc. e um amplo salão interno, onde os cães podem brincar em dias de chuva, descansar e relaxar após o almoço com cromoterapia e dormir acompanhados de seus amigos.

creche cachorro

Segundo a proprietária da Riviera, a veterinária Flavia Engles, o local foi construído especificamente para esta finalidade. “Em vez de uma casa adaptada, tudo foi minuciosamente planejado, sendo este um grande diferencial. Todas as tomadas elétricas foram estrategicamente posicionadas em altura acima do convencional. O local não possui nenhuma escada, apenas rampas para fácil acessibilidade e conforto dos cães. Os ambientes foram estruturados para possibilitar uma adequada e constante higienização. A área ao ar livre foi priorizada para que os cães, acostumados ao confinamento de um apartamento, possam desfrutar de muito sol, sombra e água fresca”, explica.

Piscina cachorros

Há também ambientes com diferentes tipos de pisos para aguçar o sensorial dos animais e uma “prainha” adaptada, com 10 cm de água, para que eles se refresquem nos dias mais quentes. Algumas datas comemorativas, como Páscoa, Natal e Carnaval são sempre festejadas com brincadeiras e petiscos diferentes.

As atividades diárias, divididas entre brincadeiras de alta intensidade, adestramento básico e jogos de enriquecimento cognitivo, começam às 7h e terminam às 17h com um caprichado banho a seco. Cada cão possui seu kit individual de higiene, composto de toalhas, rasqueadeira, escova de dentes e pente.

recreação cachorros

Para frequentar o local são realizados exames admissionais, onde os profissionais da Riviera verificam se as vacinas e o antipulga dos cães estão em dia, se eles foram vermifugados e se o exame Elisa para giárdia foi realizado. “Não são aceitos cães adoentados, idosos ou agressivos, fêmeas no período do cio e machos não castrados, com o objetivo de manter a segurança da matilha. Antes da socialização, os cachorros passam por um período de adaptação que varia de um a três dias. A adaptação serve para preparar os cães para a separação provisória entre eles e seus tutores. Com ela, eles associam que seus tutores voltarão para pegá-los”, destaca Flávia.

Somente cães matriculados na creche podem utilizar os serviços de acompanhamento veterinário do local, para que não haja transmissão de doenças infectocontagiosas provenientes de cães que não passaram pelo rigoroso processo de admissão.

espaço

Riviera dos Cães – Rua Brentano, 321 – Vila Leopoldina

Informações e agendamento de visitas – Tel.: (11) 3641-9521 ou Cel.: (11) 94365-4321

 

 

Viagem com os pets: como reduzir o estresse e facilitar a adaptação*

E julho chegou, tempo das férias do meio do ano. Viajar é sempre bom, mas a experiência é ainda melhor se estivermos em boas companhias. E para quem tem cães ou gatos em casa, a parceria do amigo de quatro patas é fundamental em todas as horas, ainda mais em um lugar distante.

Alguns têm receio de sair de férias com os pets, preferindo deixá-los em um hotel próprio ou sob os cuidados de alguém de confiança. Tudo para evitar “situações de estresse”. O raciocínio de preservar os animais é totalmente correto, porém, com algumas precauções, é possível mudar de ambiente e causar o mínimo possível de desconforto, levando seu amigo com você nas viagens.

gato-caixa-transporte

A primeira preocupação deve ser com o transporte. Se a viagem for de avião, é importante planejar vacinas e providenciar os atestados de saúde e segurança exigidos pelas companhias aéreas. Nesses casos, cada uma delas tem a sua cartilha e vale conferir os antecedentes desses vôos – há histórias lamentáveis de animais perdidos ou maltratados por empresas de aviação e por isso é essencial se informar antes de comprar as passagens. Se o destino for outro país, é provável que existam regras de quarentena e necessidade de uma série de exames. Um processo muito longo e desgastante só pode ser feito se for inevitável, pensando na saúde do pet.

Quando o percurso é realizado de automóvel, o conforto é igualmente uma questão delicada (inclusive, uma pesquisa feita no Reino Unido indicou que 89% dos motoristas aceitariam comprar carros adaptados para seus pets). O bichinho deve contar com uma caixa de transporte e estar sempre protegido por um cinto de segurança, afinal ver cães ou gatos soltos, com a cabeça para fora de um carro, é até bonitinho, mas aumenta o risco de acidentes e representa uma infração de trânsito. Além desses cuidados, é recomendável que se faça uma parada a cada duas horas para descanso. Mas, pelo risco de enjoos, água e alimentos devem ser oferecidos com moderação – o ideal é fazer um planejamento para que o animal não consuma nada algumas horas antes de sair de casa até a chegada ao destino.

Dog sitting in his transporter

Ao chegar ao destino, a alimentação normal deve ser retomada. Uma boa dica para ajudar na adaptação é espalhar brinquedos e objetos conhecidos, a fim de passar uma sensação maior de segurança. O ambiente pouco familiar tende a causar ansiedade e pode levar a possíveis problemas gastrointestinais, como diarreias. Pensando nisso, a mala ideal para confortar o pet deve conter também itens como: comedouro próprio; vasilha para água própria; roupas e mantas; protetor solar e bags para coletar fezes; entre outros artigos específicos para cada raça.

Cães ou gatos podem se irritar muito saindo de casa, mas não devemos, de forma alguma, medicá-los com calmantes sem a orientação de um médico veterinário. Para deixá-los mais tranquilos, uma boa opção é caminhar com eles algumas horas antes, um hábito que sempre ajuda a relaxar o animal. A própria caixa de transporte pode ser encarada como uma experiência menos traumática se os pets forem acostumados com elas desde novo.

Felinos, com maior frequência, tendem a ficar agitados quando mudam de rotina ou chegam a um lugar novo. Para amenizar o sofrimento, existe no mercado a opção de feromônio de ambiente, um produto concebido para esse tipo de situação. Outra possibilidade é levar objetos com o cheiro do animal ou, ainda, esfregar suavemente uma toalhinha em todo o rosto do gatinho, para em seguida, passar nos objetos, móveis e paredes.

cachoro-gato-viagem

Por último, mas não menos importante, um alerta deve ser feito: algumas regiões do Brasil são endêmicas de dirofilariose (doença conhecida como “verme do coração”, que pode levar o pet à morte). Se esse for o caso do seu destino de viagem, é preciso providenciar uma medicação prévia. Afinal cada pequeno detalhe deve ser levado em conta para assegurar que nossos amigos também aproveitarão – sem traumas – esse momento especial.

*Mariana Martins é especialista da Magnus, uma das principais fabricantes de alimentos para cães e gatos do país

Especialista alerta: nem todo psicólogo tem capacitação para tratar criança autista

Entenda a importância da especialização na área da Análise do Comportamento Aplicada no momento de buscar tratamento para a criança com TEA (Transtorno do Espectro Autista)

É de conhecimento geral da população que um médico cardiologista, oftalmologista, ginecologista, ou de qualquer outra especialidade tenha formação nas áreas de atuação. Não basta ele apenas ser médico, precisa de uma pós-graduação, se aprofundar na técnica, teoria para depois buscar experiência na prática, para então, estar apto a atender na especialidade.

Você sabia que na psicologia funciona da mesma forma? Todo o profissional que deseja tratar de crianças autistas e aplicar a terapia chamada ABA (Análise do Comportamento Aplicada), deve passar por um curso de especialização, após a formação acadêmica na área.

Se estivéssemos diante de um conselho médico e fosse relatado que um paciente passou por uma cirurgia cardíaca realizada por um clínico geral a comoção, sem dúvida, seria generalizada. Na Psicologia, entretanto, isso tem se tornado comum e, o que é mais grave, com pacientes altamente vulneráveis e que necessitam do tratamento correto e intensivo para que possam ter um melhor prognóstico no futuro.

Infelizmente, muitos profissionais de psicologia não seguem o importante pré-requisito e têm oferecido o tratamento em ABA, sem ao menos ter o conhecimento profundo na área. Motivo para os pais ficarem atentos. Afinal, entregam o bem mais preciso que são os filhos, para serem tratados da melhor maneira por um profissional capacitado.

menino criança

Atualmente, tem crescido no país o número de casos de crianças e adolescentes diagnosticados com TEA (Transtorno do Espectro do Autismo). Por consequência, muitos pais têm procurado o tratamento a seus filhos e, muitas vezes, buscado judicialmente que o Estado ou planos de saúde custeiem o tratamento em ABA, prescrito pelo médico. Com a demanda crescente para Analistas do Comportamento Aplicados ao campo do Autismo, e a ampla oferta de psicólogos no mercado, cada vez mais, profissionais que não possuem qualquer titulação de pós-graduação ou experiência comprovada de atuação sob supervisão em Análise do Comportamento Aplicada, atuam com ABA ao autismo.

“ABA é um Ciência aplicada do comportamento que pode ser utilizada para trazer soluções de problemas a fenômenos de relevância social, entre eles, o autismo. O clássico livro americano ‘Applied Behavior Analysis’ de Cooper, Haron e Heward (2007), descreve cerca de 95 habilidades necessárias para a prática de tal profissional. Tais habilidades vão desde a realização de uma análise funcional apurada, passando por procedimentos de ensino e de mudança de comportamentos, até a forma de registro e avaliação de resultados. Portanto, o aprendizado de uma ciência além de complexo, tem de ser contínuo. A quem deseja atuar em uma ciência natural que se propõe a predizer comportamento e desenvolver repertórios comportamentais, cabe o enfrentamento de anos de estudo e dedicação que nunca devem se exaurir. Além disso, a atuação de modo competente é também resultado da experiência do profissional sob supervisão de um analista do comportamento experiente e esse quesito deve, também, ser considerado”, afirma a especialista em neuropsicologia e Analista do Comportamento Aplicada ao Autismo do Grupo Conduzir, Renata Michel.

Nos Estados Unidos, país com maior número de analistas do comportamento do mundo, foi criado há cerca de 30 anos a certificação denominada BCBA (Behavior Analyst Certification Board). Para obter esse certificado é exigido mestrado, horas de experiência (cerca de 1500), e, ao final, aprovação em um exame. O título do BCBA é reconhecido internacionalmente e tais critérios evidenciam a especificidade de conhecimentos necessários ao Analista do Comportamento. A adoção de um critério similar na realidade do nosso país faz-se cada vez mais necessária.

Tendo isso em vista, associações como a ABPMC (Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental), ACBr (Associação Brasileira de Análise do Comportamento) e o LAHMIEI (Laboratório de Aprendizagem Humana), inserido na estrutura administrativa do Departamento de Psicologia da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) recomendam na procura do Analista do Comportamento o nível de pós-graduação, o que pode mais claramente atestar sua qualificação profissional para atuação.

“Como se trata de uma ciência, com produção de conhecimento ininterrupta, é também necessário que o Analista de Comportamento se mantenha constantemente atualizado. A Análise de Comportamento Aplicada (ABA) é a base para os tratamentos mais indicados para o TEA, segundo a Organização Mundial de Saúde. As mudanças recorrentes no campo da Educação Especial, principalmente a partir da década de 90, através das políticas de inclusão, deveriam fazer com que todos os profissionais refletissem sobre suas práticas e buscassem capacitação. É condição Sine Qua Non que os governos apoiem tais profissionais e auxiliem e oportunizem essas capacitações, pois não existe inclusão sem especialização”, afirma a Profa. Dra. Giovana Escobal, vice-coordenadora do Instituto LAHMIEI, da UFSCar.

grupo conduzir
Paciente do Grupo Conduzir durante terapia em ABA com sua terapeuta.

Celso Goyos, cordenador do Instituto LAHMIEI, da UFSCar, afirma: “O melhor tratamento para o TEA, baseado em ABA, implica em início precoce, duração mínima de dois anos, intensidade de 30 a 40 horas por semana, e supervisão de um analista de comportamento capacitado e experiente. O tratamento é altamente complexo e exige uma integração dos recursos, envolvendo aplicadores (técnicos e profissionais da área da saúde ou educação), escolas e pais, e exige a supervisão capacitada e experiente”.

Rosane Cardoso Lacerda, administradora de empresas, tem um filho de 4 anos, que é tratado pela abordagem ABA há um ano. Ela comenta que chegou a procurar por tratamento em vários locais, que diziam ter a especialização na área, mas que na verdade não possuíam habilitação. Ela decidiu, então, pesquisar a fundo, exigir comprovação até encontrar o lugar ideal para o tratamento do filho: “O progresso no meu filho só se deu após ingressarmos no tratamento correto, em um local verdadeiramente especializado em ABA. Após isso, a evolução foi notória, tanto na postura dele, quanto na linguagem. Sem contar que ele adora as terapeutas, já criou um vínculo e afinidade por todo o carinho dedicado a ele ao longo do tempo.”

Por isso é importante que os pais estejam atentos. Procure apenas profissionais que tenham a especialização ou supervisão e um especialista em ABA. Dessa maneira, a evolução no tratamento da criança com TEA pode ser realmente vista nos resultados apresentados.

Fonte: Grupo Conduzir

 

Inverno, a estação da rinite

Não sei se você é como eu, e sofre com a rinite, especialmente quando o tempo fica seco, como está aqui na cidade de São Paulo hoje. Resultado: espirros, dor de cabeça, voz anasalada, vários lenços de papel pela casa…

O importante é saber lidar com o problema, pois mudanças bruscas de temperatura e baixa umidade do ar são características do inverno. Nesta época do ano é comum ambientes fechados, pouco arejados e com grande volume de pessoas, o que contribui para proliferação de doenças respiratórias como a rinite.

Maura Neves, otorrinolaringologista da Clinica MedPrimus em São Paulo, explica que a rinite é uma inflamação da mucosa nasal que pode ser alérgica ou não alérgica (irritativo, gestacional, senil) e pode ser intermitente (sintomas por menos de 4 dias na semana) ou perene (sintomas em mais de 4 dias da semana por mais de 1 mês). A rinite se manifesta por coriza, congestão com obstrução ou semiobstrução nasal, prurido (coceira), espirros, ardor ou irritação nasal.

A rinite alérgica atinge de 15% a 30% da população. É geralmente causada por alérgenos inalatórios, como ácaros da poeira doméstica, mofo, pólen e pelos de animais domésticos. E agentes irritantes, como fumaça de cigarro, poluição ambiental e odores fortes (perfumes, produtos de limpeza etc).

Ela aumenta a frequência de infecções respiratórias bacterianas (otite, sinusite, faringites) e viroses respiratórias (como gripes e resfriados). Isso ocorre porque a inflamação nasal causada pela rinite diminui a eficácia das defesas nasais. Maura Neves elenca os principais sinais e sintomas:

mulher gripe

• Coriza e secreção nasal intensa;
• Obstrução e congestão nasal;
• Espirros frequentes;
• Piora noturna da dificuldade para respirar;
• Dor de cabeça;
• Perda do olfato;
• Voz anasalada;
• Irritação nos olhos.

O tratamento pode ser medicamentoso mas segundo a médica é importante seguir algumas orientações:
· Controle ambiental e dos ácaros;
· Manter o ambiente ventilado e realizar limpeza frequente com pano úmido;
· Encapar colchões e usar revestimento impermeáveis (corino, corvim, napa etc.) em estofados e almofadas, evitar tapetes grandes e carpetes, pelúcias, pilhas de jornais e revistas, madeiras e outros itens que retém poeira e mofo;
· Trocar e lavar a roupa de cama com água quente pelo menos a cada duas semanas;
· O travesseiro deve ser colocado no sol várias vezes por semana e trocado por um novo com frequência. Deve ser realizada a aspiração do pó de colchão, cortinas, tapetes e estofados semanalmente;

limpeza
· Manter animais fora de casa ou, pelo menos, fora do quarto de dormir. Lavar as mãos após contatos com animais. Cães devem tomar banho com frequência;
· As janelas devem ficar abertas e o ambiente bem ventilado nos casos relacionados a ácaros e mofo e devem ficar fechadas (ou bloqueadas com tecido grosso) nos casos relacionados a pólen de gramíneas e árvores na época de polinização.

Entre as medidas de suporte para os sintomas, estão:

– Aplicar solução fisiológica no nariz em forma de aerossol ou spray, ou com o auxílio de uma seringa, ajuda a aliviar os sintomas e a congestão nasal através da hidratação e fluidificação das vias aéreas;

– Para amenizar os desconfortos respiratórios, uma opção são os umidificadores de ar, especialmente em dias com umidade relativa do ar mais baixa. Mas, é preciso ficar atento para não deixá-lo ligado por períodos longos, uma vez que o excesso de umidade pode colaborar com a proliferação de fungos e bactérias. “O ideal é manter o aparelho ligado em uma intensidade baixa e uma porta ou janela aberta para escape e por períodos curtos”, completa Maura.

umidificador

-Outra medida mais econômica e efetiva é colocar uma toalha de rosto úmida no quarto de dormir, perto da cama. Já as bacias não são efetivas porque a superfície e evaporação são pequenas;

– Não esquecer da recomendação universal que é a hidratação, ou seja, ingerir bastante água.

mulher bebendo água ibbl

Fonte: Clínica Medprimus

 

Receita de Arroz Doce com café para as festas juninas

Um dos pratos típicos das festas juninas no Brasil é o Arroz Doce. E, para inovar a tradicional receita do prato, que tal acrescentar um bom café – também brasileiríssimo – aos ingredientes? O Café Brasileiro criou uma receita especial e ensina como preparar.

Ingredientes

1 xícara de chá (14 g) de arroz;
1 litro de leite;
1 xícara de chá (100 ml) de Café Brasileiro Tradicional coado;
1 lata de leite condensado,
Canela em pó a gosto.

Modo de preparo

Primeiro passo é cozinhar o arroz de modo diferente, no leite. Quando estiver quase seco, acrescente o leite condensado e o café coado. Cozinhe mexendo de vez em quando até engrossar um pouco. E finalize com canela em pó por cima.

arroz doce com café.jpg

Fonte: Café Brasileiro

Conheça cinco gorduras que podem melhorar sua saúde

Médico Theo Webert elenca os alimentos que, aliados a uma dieta equilibrada, podem ajudar no funcionamento de órgãos, como o cérebro e o coração

O termo “gordura”, apesar de hoje ser reconhecido também em contextos saudáveis, ainda carrega o peso de ser relacionado aos problemas de saúde. No entanto, há sim as gorduras boas que ajudam numa dieta equilibrada e no reequilíbrio do organismo. A informação é do médico Theo Webert, que atua em nutrologia e em qualidade de vida. Segundo ele, a gordura boa é necessária para a função cerebral, a produção de hormônios, metabolismo, perda de peso, energia, função imune e resposta inflamatória.

“Praticamente, 60% do cérebro são constituídos por gordura. A gordura que comemos literalmente alimenta o nosso cérebro, ajudando nossas funções neurológicas e a clareza mental que nos permite viver de forma saudável”, afirma o especialista.

O médico explica que os efeitos de obtenção de gordura boa na alimentação equilibrada pode melhorar radicalmente a energia, estabilizado os hormônios e alimentando o sistema nervoso. “O óleo de coco é geralmente a melhor gordura para se usar na cozinha, porque a sua integridade nutricional permanece estável, mesmo em altas temperaturas”, informa.

Segundo Theo Webert, é fundamental a ingestão de ômega-3, essenciais para o metabolismo, saúde mental e cardiovascular, além de atuar como anti-inflamatório. “Eles também ajudam a prevenir distúrbios relacionados ao desenvolvimento de câncer e podem ser encontrados em vegetais de folhas verdes, algas, sementes de chia, sementes de linhaça, nozes, morango e até no kiwi”, diz.

O médico elenca cinco fontes naturais de gorduras consideradas boas para o organismo. “É claro que o seu consumo deve ser orientado e observado por um especialista. Qualquer excesso pode ser prejudicial ao nosso corpo”, ressalta.

1. Abacate

abacate.jpg

O abacate é dos principais alimentos ricos em gordura positiva. “Se embrulhado como um burrito em uma folha de nori (alga japonesa), com brotos e verduras cultivadas, pode ser uma boa opção e fonte de nutrientes. Por ser de rápido consumo, pode ainda ser descascado, picado e armazenado no congelador. Antes de consumido, pode ser batido no liquidificador com cacau e ate mesmo leite de amêndoas. Fica delicioso”, sugere.

2. Ghee

Ghee2
Foto: WhatsCookingAmerica

Conhecido como manteiga caseira, na verdade trata-se de um óleo purificado da própria manteiga, onde toda a água e os elementos sólidos e toxinas da gordura do leite e lactose são completamente removidos. “Embora seja inteiramente preparado a partir da manteiga, suas propriedades diferem muito da manteiga em si. Ghee é um óleo de cozinha maravilhoso, que suporta o calor, mas pode ser usado também em um misto de chá, onde utilizamos tulsi (erva medicinal), adicionando uma colher de ghee, água de rosas, mel ou estévia”, ensina.

3. Óleo de coco

oleo de coco

O óleo de coco é excelente para cozinhar, uma vez que também pode suportar o calor. “Há quem utilize o óleo também nas receitas de uma barra de chocolate energético. Ele se une ao cacau, cogumelo reishi, cordyceps (fungo que com propriedades de combater o câncer) e um toque de mel. Para muitos, este é o impulso diário de energia”.

4. Nozes e sementes

nozes

As sementes de cânhamo, amêndoas, sementes de abóbora, castanha do Pará, semente de linhaça, castanhas, sementes de gergelim, avelãs, nozes, macadâmia e sementes de chia compõem uma boa parte de uma dieta equilibrada, ao lado de vegetais verdes. “Leites produzidos a partir destas nozes, castanhas e sementes podem ser grandes fontes nutritivas numa alimentação balanceada. Há também como usar para receitas com panquecas, purê cremoso de batatas-doces, pudim de chia, macarrão e até queijo… as possibilidades são infinitas”, afirma Theo Webert.

5. Azeitonas e azeite de oliva

azeite-de-oliva

As azeitonas e, obviamente, o azeite de oliva são uma excelente fonte de gorduras boas. “Os ácidos gordos monoinsaturados presentes no Azeite de Oliva ajudam na redução do colesterol mau (LDL) no corpo, reduzindo assim o bloqueio de artérias e formação praga. Ele também ajuda na redução da coagulação do sangue, além de ser também uma boa fonte de antioxidantes como fenóis e Vitamina E, que ajudam a manter o coração forte e funcionando corretamente”. Umas das maneiras de consumo do azeite pode ser por meio de molhos. ”Um dos favoritos é aquele que mistura azeite, limão e sal marinho. Você pode fazer alguém feliz com qualquer prato de legumes rápido e saboroso com esse simples molho”, finaliza.