Arquivo da categoria: alergia

Pets: novo medicamento trata infecções da pele, respiratórias e do trato urinário

Vetoquinol lança Marbocyl P, moderno antibiótico para cães e gatos à base de marbofloxacina

A Vetoquinol, um dos dez maiores laboratórios veterinários do mundo dedicados à saúde animal, amplia no Brasil a sua linha pet, com o lançamento do Marbocyl P, antibiótico para cães e gatos indicado no tratamento de um amplo espectro de infecções.

Marbocyl P é uma fluoroquinolona de terceira geração, altamente eficaz e palatável, resultado da expertise da Vetoquinol na pesquisa e desenvolvimento da marbofloxacina.

Marbocyl P é indicado no tratamento de:

Gatos

gato-cocando-os-olhos-warren-photographic

-Infecções cutâneas e subcutâneas (feridas, abscessos e flegmões) ;
– Infecções do trato respiratório superior.

Cães

cachorro doente

– Infecções da pele e tecidos moles (pioderma cutânea, impetigo, foliculite, furunculose, celulite);
– Infecções do trato urinário (ITU), associadas ou não à prostatite e/ou epididimite;
– Infecções do trato respiratório.

O medicamento pode ser administrado em cães e gatos a partir de 2,5kg, na dose de 2mg/kg uma única vez ao dia, sendo possível a utilização em tratamentos prolongados. O produto está disponível em três diferentes apresentações: 5mg, 20mg e 80mg, facilitando a prescrição pelo médico veterinário de acordo com o peso do paciente avaliado.

Fonte: Vetoquinol

Verão: tempo de cuidar ainda mais dos olhos

Época é propícia ao aparecimento de diversas doenças oculares, como conjuntivite, ceratites e alergias. Especialista do Hospital CEMA explica por que isso ocorre e como se prevenir

O verão traz muitas coisas boas: praia, férias, lazer. No entanto, pode também ser um fator de risco para alguns problemas de saúde. A aglomeração, o descuido, a exposição à radiação solar, todos esses fatores favorecem o aparecimento de doenças oculares, como a conjuntivite, ceratites, alergias, catarata precoce, DMRI (Degeneração Macular Relacionada à Idade), tumores, pterígio, entre outras.

“Dessas enfermidades, a mais comum é a conjuntivite, que pode aparecer por alguns fatores, como água poluída, fatores alérgicos e descuidos com a higiene das mãos”, explica o oftalmologista do Hospital CEMA, Omar Assae.

Nesta época, os casos de conjuntivite, por exemplo, podem aumentar até 80%. A doença ocorre quando há uma inflamação da conjuntiva, membrana que recobre o olho. A mais comum delas, a infecciosa, pode ser bacteriana ou viral, e é altamente contagiosa. Além dessas, há também a alérgica, fúngica e a tóxica. Já a ceratite acontece quando há inflamação da córnea, e o pterígio quando há crescimento anormal do tecido corneano. Ambas as doenças podem aparecer mais facilmente no verão por causa da exposição maior aos raios solares.

Porém, a ideia não é estragar a diversão de ninguém com medidas radicais, por isso é importante atentar aos principais cuidados a serem adotados nesta época. O especialista do Hospital CEMA lista abaixo algumas medidas para evitar complicações oculares:

mulher na praia1

– É importante, durante a exposição solar, utilizar óculos escuros de qualidade, certificado por profissionais. Só assim é possível proteger a visão com segurança. Óculos de procedência duvidosa podem causar o efeito contrário, e prejudicar ainda mais os olhos;

thumbnail coceira olhos
Thumbnail

– Evite coçar os olhos, principalmente se as mãos estiverem sujas, ou caso esteja em ambientes aglomerados. Esse hábito simples é capaz de prevenir boa parte dos casos de conjuntivites e outras infecções;

mulher cabelo ashley frogley
Foto: Ashley Frogley/MorgueFile

– O uso de chapéu, em conjunto com os óculos escuros, melhora ainda mais a proteção ocular, principalmente nos casos de pessoas que ficam muito tempo expostas ao sol;

piscina mulher nadando
Foto: Beglib/MorgueFile

– O cloro e o sal do mar podem irritar os olhos, mas não chegam a causar doenças. De todo modo, todo cuidado é pouco para possíveis alergias ou irritações que não melhoram;

OFTALMOLOGISTA OLHOS EXAME

– Evite tratamentos “caseiros”, pois o problema pode se agravar. Basta lembrar que os olhos são um dos órgãos mais sensíveis. Caso desconfie de alguma doença ocular, consulte sempre um especialista.

Fonte: CEMA

Frutos do mar estão entre os alimentos que mais causam alergias

Calor, praia e frutos do mar são a combinação perfeita para aproveitar o verão. Mas é preciso ficar atento, pois o camarão está entre os principais alimentos causadores de alergias. Mesmo a pessoa que nunca apresentou nenhuma reação pode se tornar alérgica. As alergias são imprevisíveis e podem ocorrer em qualquer fase da vida.

No Brasil não há estatísticas oficiais, porém, a prevalência parece se assemelhar com a literatura internacional, que mostra cerca de 8% das crianças, com até dois anos de idade, e 2% dos adultos com algum tipo de alergia alimentar.

camarão

“O fato de já ter comido camarão e nunca ter apresentado reação não significa que, em algum momento da vida, a pessoa não possa ter alergia por este alimento. Indivíduos com asma, rinite e dermatite atópica são um pouco mais predispostos do que a população geral, mas isso não é uma regra”, alerta Renata Cocco, Coordenadora do Departamento Científico de Alergia Alimentar da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai).

A anafilaxia é a reação alérgica mais grave e pode ser fatal, caso a pessoa não seja imediatamente tratada com adrenalina. Vários fatores podem desencadear uma crise de anafilaxia, entre elas ferroadas de inseto, alimentos, medicamentos, exposição ao látex etc.

anafilaxia alergia

Os sintomas da anafilaxia são urticária gigante, geralmente acompanhada de angioedema (inchaço), comprometimento respiratório (como falta de ar, chegando à insuficiência respiratória), sintomas gastrointestinais (cólicas, vômitos e diarreia agudos) e comprometimento cardiocirculatório, com hipotensão e choque, sendo que em questão de minutos o paciente pode evoluir para morte.

“Quem já teve qualquer tipo de reação alérgica pode apresentar outra crise ainda mais grave em uma outra exposição e o uso de anti-histamínicos ou corticoide prévios não previne o aparecimento de sintomas”, comenta a especialista da ASBAI, que aponta abaixo algumas dicas que ajudam na prevenção de uma possível reação alérgica causada por alimentos:

mulher checando embalagem rotulo

– Para quem já sabe que é alérgico a determinado alimento, a regra é evitá-lo.
– Leia os rótulos de produtos industrializados (alimentares ou não) para ter certeza se os ingredientes não contêm a substância que causa a alergia.
– Cuidado com restaurantes, especialmente os por quilo, pois há muita contaminação cruzada (ex.: arroz mexido com a mesma colher do camarão).
– O consumo de frutos do mar com álcool (ex: a “caipirinha na praia”) pode aumentar a absorção intestinal e o risco de reações.
– Para quem já apresentou reações graves anteriormente, tenha sempre por perto a adrenalina autoinjetável, já que pode acontecer exposição acidental.

Primeiros-socorros no caso de anafilaxia

A única forma de salvar uma pessoa em crise de anafilaxia é com a aplicação da adrenalina autoinjetável.

“Aplique a medicação e, em seguida, corra para o hospital mais próximo. A aplicação da adrenalina autoinjetável é simples e mesmo pessoas não habilitadas conseguem utilizar a medicação com segurança”, explica a médica.

adrenalina autoinjetavel newsmedicalnet
NewsMedicalNet

O dispositivo usado para a aplicação da adrenalina ainda não é comercializado no Brasil e só pode ser obtido via importação ou nos prontos-socorros.

Fonte: Associação Brasileira de Alergia e Imunologia

Doenças respiratórias surgem também no verão

As doenças respiratórias, todos sabem, não têm hora para chegar. Podem ocorrer em diferentes estações do ano. No entanto, o verão e o clima seco são facilitadores para o aumento de alguns problemas evitáveis ou contornáveis, conforme informa o otorrinolaringologista Edson Ibrahim Mitre, ex-presidente do Departamento Científico de Otorrinolaringologia da Associação Paulista de Medicina e Secretário-Geral da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial. É o caso, por exemplo, da rinite alérgica.

Com o clima quente, também cresce a procura por postos de saúde e hospitais em virtude de complicações pulmonares, como a asma. Por diversas vezes, episódios alérgicos são desencadeados por substâncias inalantes: poeira, ácaros, fungos, insetos, perfumes e materiais de limpeza.

asma bombinha

Mas há outras causas corriqueiras, a exemplo da ingestão de alimentos com corantes ou de frutos do mar de procedência e validade desconhecidas. Mitre argumenta que crianças e idosos, em regra, são mais propensos a manifestar fragilidade em seus sistemas imunológicos. Consequentemente, apresentando maior vulnerabilidade a males inflamatórios e infecciosos respiratórios. Os quadros alérgicos não sofrem influência da idade.

Em termos de prevenção, a melhor dica é manter o asseio dos ambientes fechados. Conservar a casa limpa, retirar tapetes e cortinas são cuidados capazes de evitar a proliferação de fungos, principalmente em cidades litorâneas.

É aconselhável não abusar do uso de ar-condicionado para não desencadear complicações respiratórias com a secura do ar, já que esses aparelhos sugam a umidade do ambiente.

Os ventiladores representam risco menor, mas há de se atentar para que permaneçam sem acúmulo de poeira. Também é essencial se manter hidratado por via oral sempre que permanecer em espaços com ar condicionado, além, é claro, de realizar manutenção correta com a higienização periódica de filtros, arma eficiente contra a disseminação de ácaros, fungos e bactérias no ar.

mulher gripe nariz espirro

“O acúmulo de pó favorece o desencadeamento de crises de rinite alérgica e asma, além de elevar o risco de infecções respiratórias, como sinusite e pneumonia”, pontua Mitre.

Para pessoas com complicações crônicas de respiração, o ar-condicionado tem de ser evitado ao máximo e a hidratação reforçada. Promover a higiene nasal frequente, com soro fisiológico em temperatura ambiente, é de muita valia, mas não deixe jamais o recipiente aberto, pois representa perigo de contaminação. O ideal são frascos de uso único, ou sprays pressurizados.

Fonte: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial

Domindo com o inimigo: há mais de 1,5 milhão de seres invisíveis no seu colchão

A limpeza deve ser feita a cada seis meses e evita problemas respiratórios, além de prolongar a vida útil do colchão

Dormir bem depende de vários fatores: silêncio, pouca iluminação, temperatura agradável e, principalmente, um bom colchão. No entanto, além de adquirir um produto de boa qualidade, também é necessário investir na sua manutenção, se não quiser acabar dormindo com os inimigos – os ácaros.

Com o passar dos anos o colchão pode até dobrar de peso. Isso ocorre porque os ácaros podem estar vivendo e se proliferando no objeto. De acordo com pesquisadores da Unicamp, em 1 grama de poeira podem ser encontrados até 40 mil desses organismos. Em dois anos de uso, um colchão pode estar recheado com 1,5 milhão de ácaros. Mas como acabar com esses parasitas, responsáveis por doenças respiratórias e dermatológicas?

“Especialistas indicam a higienização dos colchões, pelo menos uma vez a cada seis meses, afinal, é em cima deste objeto que passamos cerca de oito horas do nosso dia”, explica Gerson Marçal, CEO da indústria alemã Pro-Aqua, que trouxe para o Brasil o smartcleaner Vivenso, um aspirador de pó capaz de remover 99% dos ácaros, fungos e bactérias do ambiente, incluindo em estofados. O produto não só é capaz de realizar uma limpeza profunda em colchões e almofadas, mas também permite que o usuário realize a purificação de estofados quantas vezes quiser, sem depender de terceiros.

smartcleaner vivenso limpeza

“Devido ao seu tamanho e fácil manuseio, o Vivenso pode ser facilmente incorporado à faxina da casa”, comenta Marçal. “Toda limpeza é feita a seco, evitando assim que a cama e travesseiros fiquem úmidos e acumulem novas bactérias e fungos”, finaliza.

Fonte: Pro-Aqua

 

Verão: cães e gatos precisam de mais cuidados com alergias e hidratação

Os dias muito quentes já começaram e os cães e gatos sofrem com as temperaturas elevadas. É nesta época do ano que incidências, como doenças dermatológicas e alergias, aumentam consideravelmente.

Alguns cuidados especiais precisam ser tomados para que seu pet não sofra com o calor, por isso, o médico veterinário e gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado, dá algumas orientações.
1. Alimentação

gato comendo pixabay

No verão, o metabolismo dos pets fica mais lento e ele gasta menos energia para o funcionamento do organismo. Logo, cães e gatos tendem a comer menos no calor. Mas não é só isso: os cães e gatos procuram as horas mais frescas do dia para se alimentar, por isso o ideal é que o tutor forneça o alimento pela manhã ou à noite.

Algumas pessoas, principalmente as que têm gatos, acreditam que o pet não está se alimentando, mas na verdade o gatinho está comendo durante a madrugada, pois tem hábitos noturnos e também prefere a temperatura mais baixa da noite para comer.
“É importante lembrar que, incentivar a alimentação não significa deixar a ração do pet disponível a todo o momento. O alimento exposto pode oxidar, por causa do calor e da umidade, e ficar rançoso”, orienta Machado.

2. Banho

cachorro banho amanda cullingford pixabay
Foto: Amanda Cullingford/Pixabay

No verão, o ideal é que o tutor dê banhos nos cães de 15 em 15 dias. Mesmo que seja refrescante, o excesso de banho retira a proteção natural da pele e os expõe à alergias, fungos e doenças dermatológicas, que são ainda mais frequentes nos períodos quentes. Se o animal estiver com mau odor, o banho até pode ser realizado semanalmente, mas é importante lembrar dos cuidados, como manter a água morna a fria, realizar num local sem vento e de preferência em dia de sol.

Já os gatos fazem a auto-higiene por meio de várias lambidas pelo corpo. “O que pouca gente sabe é que, ao lamber-se, os gatos também regulam a temperatura corporal. O problema é que este comportamento causa o acúmulo de pelos no trato digestivo, causando as bolas de pelos. A dica no calor é escovar mais o gato, para que ele evite ingerir tantos pelos ao lamber-se”, completa o médico veterinário.

3. Hidratação

ringo agua fonte

Cães e gatos precisam ter sempre água fresca. Os felinos precisam de mais atenção, pois, naturalmente ingerem menos água e são mais caprichosos. “Manter as vasilhas limpas, colocar gelo na água e oferecer água corrente são dicas importantes para atrair o seu animal de estimação e incentivá-lo a tomar água”, aconselha Marcello.

4. Exposição ao sol

cachorro jardim verao

Assim como os humanos, os pets não podem ficar expostos durante os horários mais quentes do dia. “O cuidado deve ser redobrado para animais de pelagem branca, clara ou sem pelo, pois, infelizmente, os raios ultravioletas também causam câncer de pele nos pets. Geralmente, a lesão ocorre nas áreas sem pelo, como barriga, ponta de orelhas, focinho e ao redor dos olhos”, explica Marcello.

Passear por um tempo prolongado e em horários quentes pode causar queimaduras sérias nos coxins de cães e gatos. O asfalto e calçadas são vilões, então, leve seu amigo para passear em gramados e evite sair entre às 10 e 16 horas. “Se perceber que os coxins ficaram vermelhos ou com bolhas, procure imediatamente um médico veterinário, pois esse quadro é doloroso para os pets. Uma dica é, antes de sair com o cão no asfalto, verifique com a mão qual é a temperatura do solo”, conclui o médico veterinário.

5. Alergias

gato coceira coçando

Alergias são causadas por vários motivos, principalmente por picada de pulgas e carrapatos, que são parasitas que ficam no ambiente durante bastante tempo. Se não forem controlados adequadamente, hibernam no inverno e no verão se multiplicam rapidamente atacando os pets.

Coceira e lambidas excessivas são os sinais mais frequentes, ao percebê-los o tutor precisar procurar um médico veterinário para que ele indique o melhor tratamento. “O especialista também pode indicar um produto para o ambiente: algumas fórmulas precisam ser pulverizadas no quintal ou na casa para pôr fim à infestação”, esclarece Machado.

No caso das alergias alimentares, os cães podem apresentar intolerância a algum tipo de proteína e precisar de alimentos específicos, coadjuvantes no tratamento de dermatopatias, mas só o médico veterinário poderá analisar o quadro para diagnosticar a causa da alergia.

Fonte: Total Alimentos

Quatro doenças causadas pelo ar condicionado sujo

Pouco tempo se passou desde o início do verão e os brasileiros já estão sentindo na pele o calor intenso e as altas temperaturas registradas nos termômetros. Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC-Inpe) e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet-Mapa), a temperatura média entre entre dezembro, janeiro e fevereiro no Brasil deve ser superior aos 31,5ºC.

No carro, em casa ou no trabalho, um item ajuda a população a amenizar o calor: o ar-condicionado. “Quando utilizado com frequência, o aparelho deve ser higienizado de maneira adequada e periodicamente. Caso contrário, pode causar danos à saúde”, comenta o médico microbiologista André Mário Doi.

“Um dos principais motivos que podem levar a agravos de saúde, principalmente doenças respiratórias, é o acúmulo de poeira, ácaros, fungos e algumas bactérias que podem se acumular nos filtros”, complementa o médico.

Confira algumas complicações à saúde que podem ser causadas pelo uso de ar-condicionado sem a correta higienização:

asma pulmão

Ressecamento do muco pulmonar – a mucosa nasal é revestida por cílios vibrantes, responsáveis por expulsar bactérias, fungos e vírus que entram no organismo pelo ar respirado. Como há o ressecamento da região, a chance de contrair infecções aumenta.

ar condicionado aparelho.jpg

Doença do Legionário – essa doença é ocasionada por uma bactéria (Legionella pneumophila), que pode se alocar nos dutos e filtros de equipamentos de ar-condicionado mal-higienizados. “A exposição a essas bactérias leva a um quadro respiratório de pneumonia grave. O diagnóstico precoce permite terapia antimicrobiana específica, reduzindo a gravidade e complicações do quadro”, menciona o médico.

usando bombinha asma mulher

Asma – alergias respiratórias, como a asma, são doenças inflamatórias crônicas que acometem as vias respiratória. A doença se manifesta clinicamente por crises de falta de ar ou cansaço, chiado e sensação de aperto no peito, geralmente acompanhadas de tosse. O médico alerta que cerca de 80% dos pacientes que têm asma apresentam também rinite. “A exposição aos alérgenos inalantes, como ácaros da poeira de casa, fungos, pelos de animais, baratas, bactérias e pólens, é o principal fator das crises de asma e rinite”, diz o especialista.

gripe espirro rinite

Rinite alérgica –  é uma infecção que ocorre na membrana nasal. É caracterizada por espirros repetidos, coriza líquida e abundante, olhos lacrimejantes, coceira (em nariz, olhos, garganta e ouvidos), congestão nasal, alteração do olfato e do paladar, olhos avermelhados e irritados.

 

Aspirador promete eliminar ácaros e dar mais qualidade de vida a alérgicos

Com tecnologia alemã, o limpador inteligente Vivenso remove os principais vilões das doenças alérgicas, como ácaros, fungos e bactérias

De acordo com uma pesquisa revelada pelo Ibope, cerca de 44% dos brasileiros afirmaram sofrer com condições como asma, bronquite, sinusite e rinite, sendo as duas primeiras as mais comuns. A maioria dos entrevistados revelam que o impacto desses males no dia a dia é significativamente negativo, causando desde indisposição para a prática de exercícios físicos, até dificuldade de respirar e dormir.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), se essas enfermidades não forem devidamente tratadas, agravam-se para um quadro crônico, quando não há mais cura, e podem comprometer as vias respiratórias.

Embora existam vários fatores que contribuem para os problemas respiratórios, o principal deles é, sem dúvida, os ácaros, seres microscópicos que vivem em locais úmidos e pouco arejados, como colchões, almofadas e travesseiros. E como se atacar as vias que levam ar aos pulmões fosse pouco, eles também são responsáveis por alergias cutâneas, como a dermatite atópica.

vivenso

Para evitar todos estes transtornos, a solução, então, é investir na limpeza profunda de móveis e objetos que servem como habitat para os micro-organismos. Foi pensando nisso que a empresa alemã Pro-Aqua trouxe para o Brasil o limpador inteligente Vivenso, um aspirador de pó que remove 99% das bactérias, fungos e ácaros dos ambientes.

A tecnologia do smartcleaner possibilita a limpeza de toda a casa com a utilização de apenas três litros de água e é capaz de higienizar estofados, colchões e cortinas, além de remover sujeiras e impurezas de paredes, vidros e pisos. Apesar de não ser de conhecimento geral, a utilização de aspirador de pó comum desencadeia o efeito contrário do que se espera.

No método convencional, a poeira é atraída pela diferença de pressão que ocorre dentro do aparelho quando ligado à corrente elétrica, mas que não é suficientemente capaz de reter no filtro cheio de poros todas as partículas, principalmente as menores, que são as mais nocivas à saúde. Também remove do ambiente todo os pelos do seu bichinho de estimação, já purificando e aromatizando.

vivenso 2

“Vivenso, com tecnologia de limpeza a vácuo que utiliza água como filtro, contém um separador de partículas que faz com que o pó e a sujeira aspirada sejam aprisionados na água e não voltem ao local higienizado. O ar sai lavado e purificado do aparelho. É como respirar o ar após a chuva”, afirma Gerson Marçal, CEO da Vivenso Brasil.

Com essa tecnologia, é possível não apenas aposentar o antigo aspirador de pó, como também todo o arsenal da limpeza, como vassouras, rodos, panos de chão e produtos químicos.

“Desenvolvemos um aparelho que supera as expectativas de quem faz a limpeza, já que também possibilita tirar manchas de estofados e até mesmo desentupir a pia. Além disso, também conta com a função de ‘purificação do ar’; função esta que permite utilizar fragrâncias naturais enriquecidas com florais, aromatizando os cômodos”, finaliza o executivo.

O Vivenso pode ser adquirido pelo site pelo valor de R$ 5.990,00

 

 

As causas mais frequentes das alergias crônicas

Sabe aquela alergia que já parece de estimação, que você trata, trata e que continua aparecendo? Pois as causas dela podem ser bem mais profundas do que você imagina. E só curando essas causas é que ela tende a desaparecer.

Viver sem alergia é um sonho, certo? Errado! Segundo o fisioterapeuta com foco em saúde integrativa Sergio Bastos Jr, é possível viver com menos reações alérgicas e até zerar a doença, e essa realidade está mais perto do seu alcance do que você imagina. “Geralmente, as causas das alergias crônicas estão muito mais relacionadas ao histórico emocional da pessoa do que a um processo clínico. E encontrar essas causas, e ajudar a eliminá-las, pode ser a melhor forma de levar a uma realidade saudável”, explica o especialista.

Segundo ele, as alergias, no geral, estão ligadas a conflitos de separação, ao medo de se separar de quem é importante para você. Entretanto, alergias em diferentes partes do corpo e com diferentes sintomas podem ter diferentes causas: “para entender de onde vem a alergia, é preciso trilhar o caminho do conflito, entender qual é a causa primordial e a quem ou a que situações ela está conectada. Aí, sim, é possível gerar um tratamento que tenda a fazer os sintomas desaparecerem. Muitas vezes, por completo”, enfatiza.

O médico revela que casos específicos de alergias podem ter causas diferentes, embora sempre conectadas ao conflito de separação:

gripe espirro rinite

Rinite – relacionada à ideia de farejar o perigo;

Brônquios – vontade de gritar e espantar o perigo;

Pulmão – muito relacionada ao medo da morte;

dermatite_atopica

Dermatite – relaciona a contato-separação de alguém com que tenho contato físico e me separei ou quero me separar, mas não tenho coragem. Geralmente, a dermatite, nesse último caso, aparece onde eu tenho mais contato com a pessoa.

“Para entendermos a complexidade das conexões da alergia, podemos citar exemplos de pessoas que têm rinite em um determinado local, por exemplo, a casa dos pais, mas não têm em outros locais que, em um primeiro momento, poderiam ser acusados de grandes causadores de alegrias. Uma casa com poeira, por exemplo, tapetes, cortinas, que poderiam causar uma rinite fortíssima, mas onde isso não acontece. Podemos presumir que a causa não está ali, mas na casa dos pais. O problema não são os ácaros, mas, sim, o conflito”, explica o fisioterapeuta.

E é preciso entender, em casos como esses, se o medo é da separação dos próprios pais, de ser separado, de ser julgado e de, portanto, ser considerado diferente (o que seria uma separação).

“As possibilidades são muitas e, ao mesmo tempo, únicas, porque conectadas com a realidade da pessoa. Por isso, o tratamento precisa ser personalizado, especial e pode, sim, reverter até os casos mais graves de alergias”, finaliza Sergio.

Fonte: Biointegral Saúde

Nebulizador ajuda a driblar problemas respiratórios

Estamos na primavera e logo chegará o verão. Épocas de problemas respiratórios. Para minimizar esses incômodos, a G-Tech apresenta um novo aliado da saúde nesse período: o Nebulizador G-Tech Nebmesh1.

Durante a primavera, segundo o clínico geral Alexander Gomes de Azevedo, as pessoas podem apresentar um aumento dos sintomas de vários tipos de doenças respiratórias, pois estão mais sensíveis ao pólen. Alterações climáticas que acontecem na passagem do inverno para a primavera são fatores que também desencadeiam crises respiratórias.

“Podemos citar casos como rinite alérgica, asma, conjuntivite alérgica, entre outras doenças respiratórias. Uma boa saída, nessa época, principalmente para quem tem problemas respiratórios, é o uso de um nebulizador” destaca o especialista.

Mas o que esse produto traz de diferente?

nebulizador 2.png

O Sistema Mesh ou de Rede Vibratória é o que há de mais avançado em tecnologia de nebulização, pois gera uma finíssima névoa, que penetra mais profundamente nos pulmões, aumentando a eficácia do tratamento.

Com zero ruído de funcionamento, a novidade, que funciona com apenas duas pilhas (alcalinas), promove um melhor aproveitamento do medicamento. E mais: não necessita de copinho, é extremamente portátil, fácil de utilizar e ainda vem com máscaras macias (adulto e infantil), que realizam uma melhor vedação e menor incômodo ao usuário.

O Nebulizador G-Tech Nebmesh1 tem a tela em liga de paládio, mais resistente e com maior capacidade de gerar partículas uniformes. Além disso, permite a nebulização em diversas posições, dispensando o uso de cabos ou tubos.

nebulizador.png

A linha de produtos G-Tech pode ser encontrada nas maiores redes farmacêuticas, lojas especializadas em material médico e em lojas de departamento como Casa&Video e Lojas Americanas, além das grandes redes de e-commerce do país.

Informações: Accumed