Arquivo da categoria: Alimentação saudável

Proteína da ervilha é nova opção para vegetarianos e veganos

Apesar do Brasil ainda ser um dos grandes consumidores de carne, o número de adeptos do vegetarianismo e do flexitarianismo, dieta que apenas reduz a ingestão de alimentos derivados de animais, não para de crescer. Segundo o estudo Alimentação Saudável – Tendências 2017, realizado pela Mintel – fornecedora global de pesquisa de mercado, 37% dos entrevistados tentam limitar a quantidade de carne consumida. Diante desse cenário, produtos à base de vegetais ganham espaço como alternativas mais saudáveis.

No caso dos alimentos sem proteína animal, elaborados em grande escala pelas indústrias, os insumos que substituem a carne são, geralmente, derivados da soja. Para atender às expectativas de consumidores que buscam variações em seus cardápios, o setor alimentício passou a pesquisar fontes alternativas à proteína de soja. O avanço dos estudos resultou no desenvolvimento de concentrados proteicos à base de ervilha.

“Enxergamos uma lacuna no mercado brasileiro, uma vez que, notamos haver apenas opções com proteína de soja disponíveis nas prateleiras do país, o que nos fez investir em pesquisa para entender como deveria ser esse novo produto. Foram dois anos de estudos e testes até chegarmos nessa alternativa inovadora para substituição da carne animal”, explica David Oliveira, diretor de marketing da Superbom, empresa que lançou recentemente uma nova linha de substitutos feita com proteína da ervilha.

Benefícios da ervilha

ervilha dmedina
Foto: D.Medina/Morguefile

Segundo Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, a ervilha é uma das melhores fontes proteicas do universo vegetal. “Muitos associam proteína apenas às fontes animais, e esquecem que existe uma gama de outros alimentos cheios dessa propriedade, como é o caso dessa leguminosa, que além de conter quase o dobro de proteínas da maioria dos vegetais, também possui muitas outras vantagens nutricionais, como auxílio na prevenção da diabetes, no fortalecimento dos ossos e na digestão”.

A ervilha é rica em arginina, um aminoácido que melhora a circulação sanguínea, reduz o risco de arteriosclerose, ataques cardíacos, diminui o colesterol ruim, previne hipertensão, entre outros benefícios. É constituída de carboidratos complexos, ou seja, sua absorção é mais lenta, não causa picos de insulina, o que resulta em níveis menores de glicemia no sangue.

Outra característica importante do tipo de carboidrato presente nesse vegetal é que a saciedade dura mais tempo. Em outras palavras, essa leguminosa e sua proteína, que pode ser isolada, são opções funcionais nas dietas para manutenção ou perda moderada de peso. Além de possuir uma quantidade considerável de amido resistente, cujas propriedades assemelham-se às fibras, fator relevante para o controle de glicose.

“As fibras alimentares também estão presentes na ervilha. Elas não só contribuem para a redução dos níveis de colesterol no sangue e melhoram a glicemia em pacientes com diabetes, como auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares, AVC’s e doenças vasculares periféricas, se consumidas regularmente”, finaliza a especialista.

Sugestões de Produtos

Linha de proteínas à base de ervilha

superbom 1.jpg

A nova linha de proteínas congeladas e resfriadas da Superbom é mais moderna e muito saborosa. Ao todo, são dez opções ovolactovegetarinas, como linguiças, salsichas, mortadelas, mini empanados, hambúrgueres e o Filé de Frango em pedaços, e três produtos para o público vegano: Miniempanado multigrãos sabor legumes, Burguer de quinoa e Steak multigrãos sabor legumes. Todos contam com a proteína isolada da ervilha.

Fonte: Superbom

Anúncios

Pinheiros ganha o primeiro Café Le Manjue

Referência em gastronomia saudável com uso de ingredientes orgânicos, Pinheiros ganhou o primeiro Café Le Manjue em abril. Localizado no Civi-co, um co-working voltado para empreendedores cívico-sociais, cujos projetos geram transformações positivas para sociedade, o novo espaço serve criações assinadas pelo chef Renato Caleffi, que desde 2007 está à frente do restaurante.

O menu do café Le Manjue traz receitas exclusivas, como a Coxinha Fit, preparada com mandioca orgânica, frango natural, cúrcuma, farinha de arroz e flocos de amaranto (R$ 10,00); o Kibe de Painço, feito com cereal ancestral, limão, biomassa de banana verde, tomate, cebola, azeite, hortelã e especiarias (R$13,00); oTostex de Pesto de manjericão, muçarela de búfala e geleia de tomate (R$ 19,50); e a Torta de palmito com azeitonas e tomate, que leva massa de grão de bico, tahine com recheio de creme de palmito, leite de castanha de caju e biomassa de banana verde (R$20,00).

www.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bruwww.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bruwww.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bru

Há ainda pratos já conhecidos do público, como a Cestinha de frango thai, cuja porção é formada por 6 cestinhas de massa de harumaki assada com recheio de frango moído, pimenta, milho, leite de coco, shoyu e mascavo (R$ 20,00) e a Salada com de folhas e legumes da estação orgânica salpicada de sementes, muçarela de búfala e molho de mostarda dijon, vinagre de maçã e azeite,servida com acompanhamento de escolha do cliente (R$ 36,00). Entre os doces, os bolos que fazem sucesso na matriz, aparecem em versões naked (sem coberturas e acompanhamentos) e os sabores variam diariamente.

www.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bruwww.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Brunelli
ATENCAO: Toda foto deve ser publicada com o credito do autor, na sua integra sem cortes ou modificacoes, de acordo com a Lei Nº 9.610 de 19/02/1998.

Para completar, a casa firmou parcerias com fornecedores de excelência. O pão de queijo (R$ 6,00), por exemplo, é da Quem Quer Pão 75 e é feito a partir de queijo curado e polvilhos mineiros, enquanto o café espresso é orgânico, fruto de uma parceria com a Três Corações; e o café coado é assinado pelo Café Dom Viçoso, que criará diferentes blends para a casa mensalmente.

As bebidas, aliás, merecem uma atenção à parte. Destacam-se na carta o Capunache, feito com café, leite de castanha de caju, creme de chocolate e canela (R$ 12,00) e o Chai Latte, com leite de castanha de caju, chá preto, especiarias. Receitas tradicionais, como Machiatto (R$ 5,50 / R$ 8,50) e Cappuccino (R$ 8,50), podem ser feitas com leite integral ou leite de castanhas. Aqueles em busca de refrescância também encontram sucos de frutas orgânicas prensadas a frio (R$ 13,00), kombuchas assinadas pelo próprio Le Manjue, criadas com a Puro Verde Sucos (R$ 15, 00) e a cerveja UMA, de autoria própria, artesanal, sem glúten e com capim-limão (R$ 16,00).

Assim como o restaurante que lhe deu origem, o Café Le Manjue tem projeto arquitetônico assinado pela arquiteta Flávia Machado, especialista em construções sustentáveis. Nessa empreitada, temperos e outras plantas aparecem suspensas, enquanto o mobiliário privilegiou fornecedores da região.

Le Manjue: Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 – Pinheiros – Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 9 às 19 horas

 

Receitas para eliminar toxinas e nutrir o corpo sem radicalismo

Desânimo, inchaço, pele e cabelo sem vida são alguns dos sinais de que seu organismo está com excesso de toxinas. Para reverter esse quadro, apostar em um programa de alimentação desintoxicante é um caminho eficiente para recuperar o organismo de excessos.

“Durante o tratamento de desintoxicação, a alimentação deve ser rica em alimentos que alcalizam o organismo (mínimo 60% da dieta) e reduzida em alimentos e bebidas que acidifiquem o organismo (máximo 40% da dieta)”, sinaliza Michelle Mileto Troitinho, nutricionista do Kurotel – Centro Médico de Longevidade & Spa de Gramado (RS).

Confira, a seguir, práticas para adotar uma filosofia de alimentação mais saudável e focada na desintoxicação:

=Reduza o consumo de café, sal refinado, açúcar branco, carne vermelha, frango de granja, queijos, leite de vaca, farinha de trigo branca (e seus derivados), frituras, embutidos e bebidas alcoólicas por serem considerados alimentos ácidos e proteínas alergênicas mal digeridas pelo organismo. “Todas as vezes que comemos esses alimentos em excesso, desencadeamos uma resposta inflamatória, induzindo a produção de mediadores inflamatórios, que causam um aumento da produção de radicais livres, gerando danos aos hepatócitos”, explica a especialista em nutrição.

=Evite o consumo de qualquer alimento industrializado, que seja cheio de aditivos alimentares, como os que contêm na lista de ingredientes o glutamato monossódico, adoçantes artificiais (sacarina, aspartame), corantes, aromatizantes, estabilizantes e excesso de conservantes, já que são substâncias que podem se acumular no organismo, quando consumidas em demasia, causando toxicidade. “Elas modificam funções e bloqueiam reações metabólicas. O fígado também fica sobrecarregado, pois é o responsável pela produção das enzimas que metabolizaram estas substâncias até serem eliminadas no processo de desintoxicação”, complementa Michelle.

=Deixe de lado frituras e carnes em geral com gordura aparente e aposte diariamente em uma pequena porção de amêndoas, castanhas sem sal, nozes, azeite de oliva, sementes de gergelim, abóbora e girassol, que têm gorduras essenciais e nutrientes antioxidantes como selênio, cobre, zinco e vitamina E, que reduzem inflamação e melhoram a desintoxicação.

organicos

=Substitua o que for possível por alimentos de cultivo orgânico a fim de minimizar a exposição a pesticidas, herbicidas, hormônios e antibióticos. Use frango e ovos caipiras e aumente o consumo de peixes brancos e sardinha fresca (evite salmão de cativeiro e atum em lata, que podem conter metais pesados).

=Dê preferência a alimentos alcalinos, que auxiliam no processo de desintoxicação, como frutas e vegetais em geral, mas, principalmente, brotos, brócolis, couve, alho, amora, mirtilo, lima, limão, laranja, toranja, maçã, alecrim, manjericão, aipo, salsinha, gengibre, orégano, hortelã e açafrão da terra.

=Aumente o consumo de peixes ricos em ômega- 3, como o bacalhau, pirarucu, cavala, salmão selvagem, atum e sardinha frescos. Para complementar a alimentação, inclua ovos caipiras, oleaginosas (castanhas e nozes), aveia, linhaça, chia, feijões, arroz integral, quinoa, batata doce, batata baroa, mandioca, lentilha, grão de bico e kefir.

=Mantenha a hidratação, ingerindo mínimo dois litros deágua dia. Evite o consumo de refrigerantes, sucos em caixinha ou lata, mate, águas saborizadas industrializadas (mesmo as versões dietéticas), pois todos são produtos industrializados cheios de aditivos químicos

Receitas

Salada Antioxidante com Queijo de Búfala e Vinagrete de Frutas Vermelhas

salada desintoxicante.jpg

Ingredientes para o vinagrete
½ xícara (chá) de framboesa (pode usar polpa congelada)
½ xícara (chá) de amora (pode usar polpa congelada)
1 colher (sopa) de aceto balsâmico
1 colher (sopa) de azeite de oliva extravirgem
1 colher (café) de sal marinho não refinado
3 unidades de cebola em conserva
1 colher (sobremesa) de mel (ou calda de agave)

Ingredientes para a salada
8 unidades de morangos
8 unidades de queijo de búfala em bolas
Folhas verdes

Modo de preparo

No liquidificador ou processador, bata todos os ingredientes do vinagrete até obter uma mistura homogênea. Reserve. Corte o morango em quatro partes e corte o queijo de búfala em fatias. Em uma travessa, disponha as folhas, em seguida salpique os morangos e o queijo. Despeje o vinagrete de frutas vermelhas e sirva em seguida. Se desejar, também pode servir o vinagrete em uma louça a parte, em porções individuais.

Rendimento: 4 porções

Sopa de Cebola com Ricota

sopa de cebola.jpg

Ingredientes

4 xícaras (chá) de cebola picada grossamente
1 xícara (chá) de chuchu picado
2 dentes de alho picados
1 colher (café) sal marinho não refinado
1 colher (sopa) de óleo vegetal
2 litros de caldos de legumes caseiro
1 unidade de anis estrelado
3 folhas de louro
4 colheres de sopa de ricota ralada
Tempero verde a gosto (salsinha, cebolinha)

Modo de preparo

Coloque o óleo em uma panela aquecida e refogue primeiramente o alho, depois a cebola. Deixe refogar até ao ponto de a cebola ficar bem dourada, escura, mas sem queimar. Acrescente o chuchu, o caldo de legumes, o sal, o anis e o louro e ferva por 20 minutos, até que a cebola esteja quase desmanchando. Deixe esfriar, retire as especiarias, liquidifique a sopa e volte para a panela até ferver novamente, deixe adquirir a consistência desejada. À parte, misture o tempero verde picado com a ricota ralada e acrescente na sopa na hora de servir.

Rendimento: 6 porções

Suchá de Abacaxi e Erva-doce

sucha

Ingredientes

200 ml de chá de erva-doce
1 rodela de abacaxi
3 folhas de hortelã

Modo de preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva em seguida.

Rendimento: 2 porções

Suco Verde

Suco verde banco de imagem

Ingredientes

200 ml de água de coco
½ maçã
1 lasquinha de gengibre
10 folhas de hortelã
1 folha de couve (com talo)

Modo de preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva em seguida.

Rendimento: 2 porções

Fonte: Kurotel

 

Alimentação adequada evita o refluxo gastroesofágico

Nutricionista do Hospital Dom Alvarenga dá dicas importantes para evitar que o estômago produza suco gástrico em excesso

Queimação, azia, dor ao engolir, regurgitação e ardor na garganta e boca são os principais sintomas da doença do refluxo em adultos. Já nas crianças a doença pode causar sono agitado, vômitos constantes, dificuldade para mamar, irritação e choro excessivo, rouquidão – a laringe inflama devido à acidez do estômago – , dificuldade para ganhar peso e inflamações frequentes nos ouvidos.

De acordo com Evelyn Teixeira, nutricionista do Hospital Dom Alvarenga, a alimentação adequada é recomendável, porque evita que o refluxo aconteça, poupando que o estômago produza suco gástrico em excesso. “Para quem tem refluxo, deve-se aumentar a ingestão de fibras, apoiar bactérias saudáveis com alimentos ricos em probióticos, além da proteína de alta qualidade que também ajuda a proteger o trato digestivo. Esses nutrientes reduzem fatores de risco como inflamação, obesidade e complicações ligadas a doenças crônicas graves”, explica a nutricionista.

“Quando for comer, evite alimentos pesados ou gordurosos e nunca faça isso com roupas apertadas demais. Além disso, como qualquer tabela nutricional, é mais viável comer em pequenas porções e com mais frequência do que o inverso”, alerta Evelyn.

Confira abaixo algumas dicas importantes para evitar o refluxo.

Cuidados essenciais:

comer-mastigar-boca-garfo-mulher

Comer em menores quantidades a cada 2 ou 3 horas;
Aumentar o consumo de frutas e legumes;
Aumentar o consumo de produtos integrais, ricos em fibras;
Preferir carnes magras, peixes, leite e derivados desnatados;
Evitar beber líquidos durante as refeições;
Evitar comer de 2 a 3 horas antes de se deitar;
Evitar deitar ou fazer exercícios logo após as refeições.

Os alimentos que devem ser evitados na dieta para refluxo são:

pimenta

Gordura: frituras, carnes vermelhas, salsicha, linguiça e bacon, pois o excesso de gordura faz com que a comida fique mais tempo no estômago, aumentando a chance de refluxo;
Cafeína: café, chás e chocolate, pois estimulam o estômago, favorecendo o refluxo;
Bebidas alcoólicas: irritam o estômago e aumentam o refluxo;
Bebidas gaseificadas: refrigerantes e água com gás, pois aumentam a pressão dentro do estômago;
Pimenta: irrita o estômago e aumenta a acidez;
Carboidratos simples: farinha, macarrão e pão, pois diminuem a força do esfíncter que fecha a passagem entre o estômago e o esôfago.

Frutas cítricas

frutas-citricas-limao-laranja

O consumo de frutas cítricas deve ser evitado (uva, abacaxi, laranja, limão etc.), a acidez dessas frutas pode aumentar o pH do suco gástrico do estômago.

Hábitos que precisam ser evitados

chiclete goma de mascar desenho

Adultos
Fumar: a nicotina relaxa o músculo do esôfago, o que se torna um grande problema.
Consumo de chicletes e doces duros pode aumentar a quantidade de ar que entra no estômago, por isso, não são recomendados.
Comer e logo após deitar, não é um hábito saudável, esperar em torno de 2h após a refeição para se deitar.
Sobre uma noite de sono, o mais aconselhável é que se eleve a cabeceira da cama em 15 centímetros para uma melhor qualidade do sono e de preferência dormir do lado esquerdo, onde está o estômago, pode trazer alívios.
Uso de cintos e roupas apertados também deve ser evitados.

Crianças
Colocar o bebê na vertical após a mamada.
Deitar o bebê de barriga para cima com a cabeceira do berço levantada.
Evitar balançar o bebê após a mamada.
Evitar vestir roupas apertadas.

Para finalizar, a nutricionista reforça que a obesidade amplia as possibilidades da pessoa ter refluxo, por aumentar a pressão abdominal. “Toda condição que aumente a pressão abdominal, aumenta a possibilidade da ocorrência do refluxo do conteúdo do estômago para o esôfago”.

Fonte: Hospital Dom Alvarenga 

Saiba quais são os alimentos que ajudam no ganho de massa muscular

Segundo nutricionista do Clinic Check-up do HCor, adotar uma dieta equilibrada melhora o preparo físico e ainda ajuda o corpo a se recuperar depois da prática de musculação e na preservação dos músculos

A prática de atividade física é essencial para quem quer perder peso e ter um estilo de vida mais saudável. Mas engana-se quem acredita que o resultado pode ser obtido, apenas, ao se exercitar, e descuidar da alimentação. Uma dieta equilibrada faz toda a diferença. Estar bem nutrido é essencial para garantir o máximo de aproveitamento da malhação.

É importante ter em mente que sem uma alimentação adequada, o organismo não tem energia para praticar a atividade. “Alimentar-se corretamente antes e depois dos exercícios ajuda na redução da fadiga, na preservação e ganho de massa muscular, na recuperação do organismo como um todo, elevando a eficácia do treino, além de potencializar a perda de gordura extra”, informa Maria Fernanda D’Ottavio, nutricionista do Clinic Check-up do HCor – Hospital do Coração. “É importante frisar que a alimentação atua de forma diferente para cada pessoa. A única regra é que a dieta deve ser leve e balanceada”, completa.

Mas afinal, o que comer antes e depois dos treinos para garantir ganho de massa e melhor rendimento? Confira alguns dos nutrientes mais relevantes para uma boa performance e resultados nos exercícios.

mulher bebendo água ibbl

Água: a hidratação é um fator importante para o desempenho da atividade física. É fundamental se manter hidratado antes, durante e depois do treino. Por isso, tenha uma garrafinha sempre à disposição para evitar a desidratação e o comprometimento do desempenho físico.

biscoito_integral_de_gergelim_com_linhaça_recepedia

Carboidrato: quanto maior a intensidade dos exercícios, maior será a participação dos carboidratos como fornecedores de energia. Para uma melhor performance, é essencial consumi-los no pré-treino. Eles são ótimos também no pós-treino, pois ajudam a otimizar a recuperação muscular. Batata doce, pães e biscoitos integrais são boas fontes de energia.

café

Cafeína: apesar da contraditória eficácia da utilização de cafeína, essa substância é conhecida como por potencializar o desempenho físico, quando ingerida antes do treino. No entanto, é importante frisar que em excesso pode causar efeitos colaterais e prejudicar a saúde. Além do café, é possível encontrar quantidades significativas de cafeína no chá preto e no chá verde, por exemplo.

separated-egg-white-and-yolk ovo

Proteína: é considerada essencial no reparo de micro lesões musculares decorrentes da prática esportiva e para o ganho de massa muscular. Exercícios de força exigem maior consumo de proteína, mas a ingestão excessiva não garante aumento adicional de massa magra. Boas fontes alimentares são: frango, carne vermelha (cortes magros, como patinho e músculo), peixe e ovos.

lombo-de-peixe-grelhado-ao-molho-de-peixe-acompanhado-de-tagliolini-de-rucula-na-manteiga-e-salvia_03bx

Creatina: especialmente para praticantes de exercícios de força e potência, a creatina é associada ao aumento da massa magra, à melhora da recuperação e ao retardo do processo de fadiga, o que permite maior carga de treinamento e adaptações. São facilmente encontradas em carnes magras e peixes.

Fonte: HCor

 

Dez alimentos antienvelhecimento que vão além da beleza

A pele bonita e brilhante começa com a forma como comemos, mas esses alimentos antienvelhecimento também podem ajudar com mais do que isso.

Quando nós embalamos nossa dieta com alimentos vibrantes carregados com antioxidantes, gorduras saudáveis, água e nutrientes essenciais, nosso corpo mostra apreciação por meio de seu maior órgão: nossa pele. Afinal de contas, a pele costuma ser a primeira parte do nosso corpo a mostrar problemas internos, e há muito o que loções, cremes, máscaras e soros podem fazer antes de precisarmos dar uma olhada no que está nos alimentando.

Pesquisadores concluíram que comer frutas e legumes é a maneira mais segura e saudável de combater a pele sem brilho e as linhas finas. Pronta para brilhar? Aqui estão 10 dos melhores alimentos antienvelhecimento para nutrir seu corpo para um brilho que vem de dentro.

1. Agrião

agriao

Os benefícios do agrião para a saúde não decepcionam. Este nutriente verde frondoso hidratante e denso é uma excelente fonte de:

cálcio
potássio
manganês
fósforo
vitaminas A, C, K, B-1 e B-2

Agrião age como um antisséptico interno da pele, aumenta a circulação e entrega minerais para todas as células do corpo, resultando em maior oxigenação da pele. Embalado com vitaminas A e C, os antioxidantes presentes no agrião podem neutralizar os radicais livres nocivos, ajudando a manter linhas finas e rugas afastadas.

Para experimentar: adicione um punhado desse verde saboroso à sua salada hoje para obter uma pele brilhante e melhorar a saúde em geral.

2. Pimentão vermelho

pimentao vermelho pixabay
Pixabay

Pimentões vermelhos são carregados com antioxidantes que reinam supremos quando se trata de antienvelhecimento. Além de seu alto teor de vitamina C – o que é bom para a produção de colágeno – os pimentões vermelhos contêm poderosos antioxidantes chamados carotenoides. Estes são pigmentos vegetais responsáveis pelas cores vermelho, amarelo e laranja que você vê em muitas frutas e vegetais. Eles têm uma variedade de propriedades anti-inflamatórias e podem ajudar a proteger a pele dos danos causados pelo sol, poluição e toxinas ambientais.

Para experimentar: corte os pimentões e mergulhe-os em homus como um lanche, adicione-os em uma salada crua ou cozinhe-os em uma frigideira.

3. Mamão

mamaão papaia xenia2

Este superalimento delicioso é rico em uma variedade de antioxidantes, vitaminas e minerais que podem ajudar a melhorar a elasticidade da pele e minimizar a aparência de linhas finas e rugas:

vitaminas A, C, K e E
cálcio
potássio
magnésio
fósforo
vitaminas do complexo B

A ampla gama de antioxidantes no mamão ajuda a combater os danos dos radicais livres e pode atrasar os sinais de envelhecimento. O mamão também contém uma enzima chamada papaína, que proporciona benefícios adicionais contra o envelhecimento, trabalhando como um dos melhores agentes anti-inflamatórios da natureza. Também é encontrado em muitos produtos esfoliantes. Então, sim, comer mamão (ou usar produtos contendo papaína) pode ajudar seu corpo a eliminar células mortas da pele, deixando você com uma pele brilhante e vibrante!

Para experimentar: regue o suco de limão fresco sobre um prato grande de mamão como parte de seu café da manhã ou faça uma máscara de mamão em casa para a sua próxima noite.

4. Mirtilos

blueberries

Mirtilos são ricos em vitaminas A e C, bem como de um antioxidante antienvelhecimento chamado antocianina, que dá aos mirtilos sua cor azul profunda e bonita. Esses poderosos antioxidantes podem ajudar a proteger a pele contra danos causados pelo sol, estresse e poluição, moderando a resposta inflamatória e evitando a perda de colágeno.

Para experimentar: jogue essa deliciosa fruta com baixo teor de açúcar em um smoothie matinal ou em uma tigela com outras frutas, e deixe-a fornecer um punch embelezador.

5. Brócolis

brocolis

O brócolis é uma potência anti-inflamatória e antienvelhecimento repleta de:

vitaminas C e K
uma variedade de antioxidantes
fibra
folato
luteína
cálcio

Seu corpo precisa de vitamina C para a produção de colágeno, a principal proteína da pele que lhe dá força e elasticidade.

Para experimentar: você pode comer brócolis cru para um lanche rápido, mas se você tiver tempo, cozinhe-o delicadamente no vapor antes de comer. De aperitivo grelhado a molho de pesto, cozinhar brócolis realmente ajuda a liberar mais benefícios à saúde do seu corpo.

6. Espinafre

espinafre

O espinafre é super-hidratante e repleto de antioxidantes que ajudam a oxigenar e repor todo o corpo. Também é rico em:

vitaminas A, C, E e K
magnésio
ferro heme à base de plantas
luteína

O alto teor de vitamina C desta versátil folhagem verde aumenta a produção de colágeno para manter a pele firme e macia. Mas isso não é tudo. A vitamina A que ela fornece pode resultar em um cabelo forte e brilhante, enquanto a vitamina K ajuda a reduzir a inflamação nas células.

Para experimentar: adicione punhados de espinafre a um smoothie, salada ou refogado. Mais ideias? Chips de espinafre e hambúrgueres de queijo com espinafre.

7. Nozes

nozes

Muitas nozes (especialmente amêndoas) são ótimas fontes de vitamina E, que pode ajudar a reparar o tecido e reter a umidade da pele, além de proteger a pele dos raios UV prejudiciais. As nozes ainda contêm ácidos graxos ômega-3 anti-inflamatórios que podem ajudar a:

fortalecer membranas celulares da pele
proteger contra danos causados pelo sol
dar à pele um brilho bonito preservando sua barreira natural de óleo

Para experimentar: polvilhe uma mistura de nozes em cima de suas saladas, ou coma um punhado como um lanche. Não remova a pele, pois estudos mostram que 50% ou mais dos antioxidantes são perdidos sem a pele.

8. Abacate

abacate szafirek
Foto: Szafirek/Morguefile

Abacates são ricos em ácidos graxos que combatem a inflamação e promovem uma pele macia e suave. Eles também contêm uma variedade de nutrientes essenciais que podem prevenir os efeitos negativos do envelhecimento, incluindo:

vitaminas K, C, E e A
Vitaminas do complexo B
potássio

O alto teor de vitamina A nos abacates pode nos ajudar a liberar as células mortas da pele, deixando-nos com uma pele linda e brilhante. Seu conteúdo de carotenoides também pode auxiliar no bloqueio de toxinas e danos causados pelos raios do sol e também ajudar a proteger contra o câncer de pele.

Para experimentar: jogue um pouco de abacate em uma salada, batido ou apenas coma com uma colher. Você também pode tentar topicamente como uma incrível máscara hidratante para combater a inflamação, reduzir a vermelhidão e ajudar a prevenir rugas!

9. Batata-doce

batata doce szafirek
Foto: Szafirek/Morguefile

A cor laranja da batata-doce vem de um antioxidante chamado betacaroteno que é convertido em vitamina A, que pode ajudar a restaurar a elasticidade da pele, promover a renovação celular e, finalmente, contribuir para a pele macia e jovem. Esta deliciosa raiz vegetal também é uma grande fonte de vitaminas C e E – ambas podem proteger nossa pele dos radicais livres nocivos e manter nossa pele radiante.

Para experimentar: prepare torradas de batata-doce, que deixarão o seu café da manhã ou lanche como nenhum outro.

10. Sementes de romã

roma-cafe-fernando
Foto: Café Fernando

Romã tem sido usada há séculos como fruta medicinal curativa. Com bastante vitamina C e uma variedade de antioxidantes potentes, romãs podem proteger nosso corpo dos danos dos radicais livres e reduzir os níveis de inflamação em nosso sistema. Também contêm um composto chamado punicalagina, que pode ajudar a preservar o colágeno na pele, retardando os sinais de envelhecimento.

Para experimentar: polvilhe essas pequenas e doces joias em uma salada de nozes e espinafre para um tratamento antienvelhecimento!

Inunde seu corpo com nutrientes poderosos

mulher-comendo-saladaactivelife

Nutrindo-nos com esses alimentos antienvelhecimento, podemos ganhar combustível para aparentar e sentir o nosso melhor. Se você está procurando por mais opções deliciosas para experimentar, escolha frutas e legumes em cores profundas. Os tons ricos são geralmente um sinal de habilidades mais fortes para lutar contra radicais e para manter a pele saudável e vibrante. Quanto mais cores você colocar no seu prato, melhor. É hora de desacelerar os sinais de envelhecimento e realmente brilhar de dentro para fora.

Fonte: Health Line

Dez alimentos para turbinar o cérebro

Você sabia que o ovo pode fazer bem para a memória? Confira os nutrientes que você deve incluir na dieta para manter mente e corpo saudáveis

Diariamente os jornais, revistas e programas de televisão anunciam as orientações de especialistas da área da saúde para a manutenção de uma vida saudável. Falam sobre exercícios físicos, alimentação saudável… E o cérebro?

Este poderoso órgão possui uma capacidade de armazenamento e aprendizado incrível. O cérebro precisa de energia para funcionar e consome 20% da energia de todo nosso corpo. Podemos, inclusive, gastar 30 calorias por hora somente pensando! Mas para que ele funcione no máximo de sua potencialidade, é preciso receber alguns cuidados.

cerebro e comida

Além de exercitar o cérebro, praticar atividades físicas, ter boas noites de sono e interações sociais de qualidade, a alimentação também contribui para o seu bom funcionamento e pode até ajudar a estimular determinadas habilidades.

“Algumas substâncias que estão presentes nos alimentos, como Ômega3 e licopeno, favorecem a cognição e são muito importantes para o aprendizado. Essas substâncias estão presentes nas frutas, verduras, legumes, peixe, ovos, azeite de oliva”, conta a nutricionista clínica Silvia Calil, especializada em alimentos para o cérebro e consultora do Método Supera.

O licopeno é uma substância carotenoide caracterizada pela cor avermelhada e, portanto, está presente no tomate, na melancia, morango entre outros vegetais sendo que, quanto mais intensa for a cor vermelha, maior a quantidade da substância. O que chama atenção é que é um antioxidante que combate os radicais livres e retarda o envelhecimento.

“O ovo, que por muito tempo foi visto como um vilão da dieta, é essencial para manter o funcionamento da memória, por meio da colina, nutriente presente na gema”, complementa a especialista.

Adotar uma dieta saudável ajuda a prevenir desde pequenos lapsos de memória até graves doenças neurológicas degenerativas.

Confira abaixo uma lista de alimentos com nutrientes que fazem bem para o cérebro:

sardinha em oleo
Foto: Max Straeten / Morguefile

1) Peixes – principalmente os de água fria (salmão, anchova, sardinha, atum, arenque), são fontes de ácidos graxos ômega 3, poderoso antioxidante.

manga

2) Frutas e vegetais amarelos – mamão, manga, pêssego, cenoura, abóbora. São alimentos fontes de betacaroteno, antioxidante que combate o envelhecimento celular.

Morangos

3) Frutas vermelhas – morango, cereja, framboesa, amora, pitanga, melancia e tomate, também possuem pigmentos antioxidantes que combate os radicais livres e ajudam a memória.

oleaginosas castanhas
Pixabay

4) Oleaginosas – castanhas, nozes, amêndoas, avelãs, amendoim. Ricas em vitamina E e selênio, também fontes de antioxidantes.

CampCarne

5) Carnes, aves, grãos integrais, leguminosas, leite e derivados – esses alimentos são fontes de vitaminas do complexo B. Ajudam a regular a transmissão entre os neurônios. Na carne vermelha você encontra também o ferro que pode colaborar com a boa memória.

blueberry-mirtilo

6) Blueberry – ameniza os efeitos de doenças do cérebro relacionadas à idade, melhora a capacidade de aprendizagem, melhora a memória e a concentração, estimula o fluxo de sangue e oxigênio para o cérebro.

banana

7) Banana – fornece energia e eletrólitos para o cérebro, melhora as funções cognitivas, protege o cérebro de danos oxidativos, ajudam a melhorar o humor e a manter o equilíbrio.

amendoas-jasongillman

8) Amêndoa – ajuda a prevenir declínio cognitivo relacionado à idade, melhora a memória e o aprendizado, aumenta a atenção.

canela jmiltenburg
Foto: J.Milternburg / Morguefile

9) Canela – aumenta a atividade do cérebro, alivia a tensão nervosa e evita perda de memória, reduz riscos de doença do Alzheimer.

linhaça

10) Linhaça – rica em gorduras do cérebro saudável, constrói e protege os neurônios, regula o ambiente do cérebro, e melhora as funções cognitivas.

Fonte: Método Supera

Dia Mundial do Chocolate: dependendo do tipo, ele pode ser benéfico ou maléfico

É possível aproveitar o Dia Mundial do Chocolate, comemorado hoje, 7 de julho, com boas escolhas para sua pele: enquanto o chocolate ao leite e o branco podem piorar inflamação da acne, opções mais amargas, que trazem alta concentração de cacau, têm efeito anti-idade

Sempre quando falamos de chocolate surgem dúvidas quanto aos benefícios ou malefícios do cacau à pele. “Eficaz contra o mau humor, além de trazer sensação de bem-estar, o chocolate deve ser consumido com parcimônia; as versões brancas e ao leite devem ser evitadas, por conta da quantidade de açúcar e gordura presente nesses produtos, que podem favorecer a inflamação e envelhecer a pele. Enquanto o chocolate amargo é uma excelente opção para oferecer benefícios antioxidantes”, afirma a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da American Academy of Dermatology.

Chocolate e acne

mulher jovem acne espinha

A principal dúvida com relação aos chocolates é se eles causam ou não acne. De acordo com a médica, o cacau em si é um alimento extremamente benéfico e a sua concentração não está relacionada ao surgimento ou piora da acne, pelo contrário: esse ingrediente é um aliado da saúde e da pele.

“Ele é um poderoso antioxidante e ajuda a promover luminosidade e hidratação. O cacau contém flavonoides, que são fitonutrientes com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Eles [flavonoides] auxiliam na proteção aos danos dos raios UV, prevenindo as rugas e combatendo os radicais livres que ajudam a deixar a pele mais brilhante e saudável”, afirma a dermatologista.

Portanto, que fique bem claro: o cacau não causa espinhas. O problema está no açúcar e nas gorduras. “Alimentos com gorduras, açúcares e hidratos de carbono, como os chocolates ao leite e branco, têm alto índice glicêmico. Muitos estudos sugerem que a alta carga glicêmica na dieta habitual está envolvida com a ocorrência e gravidade da acne vulgar em pacientes predispostos, na medida em que favorece a hiperinsulinemia que, em consequência, influencia no crescimento epitelial folicular, na queratinização e, também, na secreção sebácea e desenvolvimento de acne. A gordura e o leite presente em chocolates podem colaborar também para o agravamento do quadro”, explica a dermatologista.

Estudos realizados pela Universidade de Miller School of Medicine, em Miami (EUA), mostraram que as pessoas que comeram mais chocolate (branco e ao leite) tiveram aumento de acne e da inflamação na pele.

Chocolate amargo

chocolate amargo cacau elsenaju

Chocolates com mais de 50% de cacau e o padrão ouro (com mais de 70%) fornecem os benefícios antioxidantes dos flavonoides do cacau e podem ser ricos em vitamina C, vitamina E, cálcio, fósforo, ferro, potássio e sódio.

“De forma geral, o chocolate amargo tende a ser uma boa opção – com menos quantidade de carboidratos e açúcar, pois ele ajuda a combater doenças cardiovasculares, tem ação antioxidante e anti-inflamatória. Além disso, as versões deste chocolate com oleaginosas trazem mais benefícios e nutrientes, principalmente para pacientes com pele seca”, diz. Mas atenção à dose: 30 gramas ao dia é o recomendado – portanto uma barra de chocolate pode ser consumida, em média, em uma semana.

Chocolates não recomendáveis

“O ideal é evitar os chocolates ao leite e branco, que possuem mais gordura e açúcar, ambos envolvidos com o processo de inflamação e aceleração do envelhecimento da pele”, explica. Pacientes de pele oleosa devem evitar esse tipo de chocolate principalmente se ele ainda tiver amendoim e castanhas, que trazem mais gorduras saturadas (e muitas vezes mais açúcar) para a pele e as glândulas serão as responsáveis por excretar este acúmulo de gordura.

“Além disso, sabemos que alimentos com alto índice glicêmico são mais inflamatórios levando ao estresse oxidativo e glicação”, finaliza a médica.

Fonte: Claudia Marçal é dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School

Feira de Orgânicos Terra Madre oferece produtos frescos e naturais

Iniciativa reúne mix com cerca de 80 itens desde a abertura da primeira loja da marca

Com 15 unidades em operação nos estados de Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão, Distrito Federal, Minas Gerais e Ceará, a rede Terra Madre – Orgânicos e Saudáveis – empório focado no fornecimento de produtos saudáveis para todas as necessidades, do emagrecimento ao ganho de massa muscular, fundada em 2014 e que cresce através do formato de franquias – visa oferecer aos seus clientes e consumidores o que há de melhor e mais diferenciado dentro do mercado de produtos orgânicos e naturais a fim de garantir uma vida equilibrada e pautada pelo bem-estar.

Justamente por esse objetivo, as lojas da marca fundada pela empresária Leila Oda, contam, desde a primeira unidade, com uma Feira de Orgânicos, promovida diariamente – e abastecida duas vezes por semana – que reúne produtos orgânicos frescos.

Diferente das feiras livres tradicionais, na Feira de Orgânicos da Terra Madre o cliente encontra maior variedade de produtos e, além disso, tem acesso à diversos itens, encontrados apenas em estações específicas, logo que o período se inicia. Na gama de produtos orgânicos estão desde alface até a pinha, passando por uma enorme variedade de frutas e verduras. São cerca de 80 itens disponibilizados a preços que variam de R$ 3,90 até R$ 21,00.

Foto Feira de Orgânico - Terra Madre Orgânicos Saudáveis.jpg

“É uma ideia interessante e nossos clientes gostam muito, pois os produtos orgânicos nem sempre são encontrados em abundância. Além de incentivarmos, através da feira de orgânicos da Terra Madre, que as pessoas tenham uma alimentação livre de agrotóxicos e adubo químico, algo que faz parte da nossa missão de levar saúde à mesa das pessoas, a feirinha também promove a ideia de reviver o ato, muito comum entre nossos pais e avós, de irem até a feira para comprar os alimentos”, conta Leila

“Com a feirinha acredito ser possível resgatar muitas coisas que nos trazem saúde e que ficaram esquecidas no passado, entre elas, a convivência e o bate-papo saudável que acontece com os clientes e entre os clientes”, completa a fundadora da Terra Madre – Orgânicos e Saudáveis.

Informações: Terra Madre

Saiba quando os pets precisam de suplemento

Olá, escrevo antes da matéria para avisar que criei um novo blog para tratar apenas dos temas pets, animais de estimação, natureza, meio ambiente, comportamento: Se meu pet falasse. Vou passar a postar esses assuntos por lá, portanto, se tiver interesse neste assunto, comece a seguir clicando aqui. Os demais assuntos continuam por aqui. Obrigada.

Por causa de tratamento, doença ou em alguma fase da vida, quando os nutrientes das rações não são suficientes para suprir as necessidades dos pets, os complementos alimentares podem entrar em ação. “Há vários tipos de suplementos que são usados desde o desenvolvimento, quando o pet ainda é filhote, até em algumas patologias depois de velhinho”, afirma o veterinário da Petz Felipi Bruno Espada.

Mas ele adverte: apenas o veterinário pode orientar que suplemento deve ser dado ou não. Acrescentar vitaminas ou suplementos desnecessários à dieta do pet pode causar desequilíbrio e prejudicar a saúde.

“É preciso entender o estilo de vida, saber como está a saúde do pet, para indicar o tipo de alimentação e o que é legal suplementar ou não”, explica Espada. Os produtos são encontrados em cápsulas, em pó ou na formulação da ração. No caso dos gatos, tem inclusive em pasta, para colocar nas patinhas e eles lamberem.

Reposição de nutrientes

Os suplementos são selecionados para garantir a reposição de nutrientes e ajudam em diferentes funções do corpo: mantém o sistema imune forte, a visão funcionando bem, aliviam dores em juntas e quadril, melhoram a digestão e a pelagem, auxiliam sistema cardíaco e combatem a alergia, por exemplo.

Filhotes, grávidas ou lactantes muitas vezes necessitam de suplementos para atender necessidades únicas dessas fases. “Assim como nos humanos, os cães têm apresentando muitas alterações cardíacas. Para esses casos, os suplementos ajudam a diminuir inflamação dos vasos e a minimizar sintomas causados por problemas cardíacos.”

A ação dos suplementos

Condroprotetores – favorecem a hidratação e nutrição da cartilagem articular. Indicados nos casos de problemas ósseos e articulares, pois ajudam a prevenir artropatias.

Vitamina A – fundamental para as células da pele e dos folículos capilares dos pets.

filhotes vetnil

Biotina – vitaminas do complexo B ajudam a promover um crescimento saudável de tecidos. A deficiência é mais comum em filhotes que apresentam crescimento acelerado, causando pelos frágeis, pele ressecada e perda da coloração normal da pelagem.

Vitamina C – com ação antioxidante, fortalece o sistema imunológico.

Vitamina E – antioxidante e protege as células contra os radicais livres.

gato e cachorro deitados

Ômega 3 e Ômega 6 – auxiliam na elasticidade da pele, no brilho da pelagem e em toda a nutrição dos animais. O ômega 3 é importante também no tratamento de doenças cardiovasculares – diminuição de arritmias, por exemplo.

Zinco – antioxidante, combate radicais e age retardando o envelhecimento celular. Ajuda na prevenção de coceiras, inflamações e até infecções causadas por fungos e bactérias.

gato e cachorro 2

Cobre – auxilia na manutenção da cor da pelagem, prevenindo a queda dos pelos e os mantendo macios e brilhantes.

Ferro – auxilia na recuperação de pets com algum tipo de anemia.

Fonte: Petz