Arquivo da categoria: Alimentação saudável

Dia Mundial do Veganismo: é possível adaptar uma dieta vegana para crianças?

Professor de nutrição do Ceunsp explica quais são os alimentos indispensáveis durante a fase de crescimento

Com cerca de 5 milhões de adeptos no Brasil, o veganismo vem se popularizando e ganhando cada vez mais espaço entre homens e mulheres que buscam um estilo de vida livre de qualquer exploração animal. No entanto, ainda existem muitos estigmas em torno das famílias cujas crianças também são adeptas da alimentação vegana. Afinal, é possível adaptar uma dieta sem quaisquer alimentos de origem animal para uma criança em fase de crescimento?

O nutricionista André Freitas, professor do curso de nutrição do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (Ceunsp), explica o que é o veganismo e quais são os alimentos indispensáveis para uma alimentação saudável para crianças:

cruelty-free-grey820

O que é o veganismo?
O veganismo é um estilo de vida, que se opõe a qualquer forma de abuso ou exploração animal. Por isso, ser vegano vai muito além da alimentação, já que a pessoa não consume alimentos de origem animal e também se recusa a usufruir de materiais que tenham sido fabricados por meio da exploração de animais, como couro, lã e seda. Ou ainda produtos que são testados em animais, como cosméticos e produtos de limpeza.

criança comendo

O que é a alimentação vegana?
A dieta vegana é aquela em que são excluídos quaisquer alimentos de origem animal, ou ainda que passem por qualquer tipo de contato ou uso de produtos animais. Ou seja, não se consome carnes, laticínios, ovos, mel, açúcar (pois é utilizado o sebo de boi para o refinamento do açúcar). Uma dieta vegetariana é mais amena, já que a pessoa consome alimentos de origem animal, desde que não tenham sido submetidos ao ato do abate, ou seja, consomem laticínios e ovos.

criança comida alimento

É recomendado que uma criança siga uma dieta vegana?
Recomendação propriamente dita não existe, pois o veganismo é determinado por traços que vão muito além da comida. É um estilo de vida e guiado por vários fatores, desde política até a ética biológica e meio ambiente. Muitas crianças, inclusive, iniciam por conta própria a dieta alimentar vegana por compaixão aos animais. Nesse caso, tudo depende da ideologia da família, que é o contato mais íntimo e a real formadora de opinião da criança.

consulta medico crianca

É necessário o acompanhamento de um médico especialista ou nutricionista para que a criança siga essa dieta?
Com certeza. O profissional capacitado neste assunto é o nutricionista. Melhor ainda quando esse acompanhamento é feito com um especialista em veganismo. Apenas este profissional consegue fazer as combinações necessárias e é capaz de detectar os sinais clínicos de deficiência nutricional de risco do vegano, conseguindo então tomar a medida corretiva para a situação, seja pela forma alimentar ou mesmo suplementação.

barrinha cereais

Existem vitaminas ou outros nutrientes, essenciais para o desenvolvimento da criança, que sejam encontrados apenas em alimentos derivados de animais?
Existe apenas um único nutriente que é encontrado apenas em alimentos animais cárneos, que é a vitamina B12. Ela está presente no ovo também, em pequeníssimas quantidades, o que não faz dele então um alimento fonte. Vale ressaltar que existem outros nutrientes que são encontrados em alimentos de origem animal e em menores quantidades nos vegetais, como ferro, zinco e vitamina A, que são importantes para a renovação celular, a imunidade e a produção de hormônios sexuais, fundamentais para o crescimento e desenvolvimento da criança. Estes nutrientes podem ser encontrados em alimentos vegetais, como cereais, grãos, sementes e alimentos alaranjados. Ainda assim, a quantidade destes nutrientes é menor quando comparado com os de origem animal, o que requer atenção nas porções e frequência de consumo.

folhas verdes salada kariatx
Foto: Kariatx/Morguefile

Quais alimentos são indispensáveis para uma criança vegana?
Os alimentos que não podem faltar em uma dieta vegana, são os alimentos chave de valor nutricional. Entre eles temos folhas verde-escuras, principalmente, espinafre, alimentos alaranjados, como abóbora, cenoura, mamão e feijões. Sendo completamente inviável uma dieta vegetariana sem qualquer um destes alimentos.
Sementes, grãos germinados e abacate também são alimentos muito importantes para uma alimentação equilibrada.

Mengonsumsi-Sayuran criança comendo mae

Quais os benefícios de uma dieta vegana para a criança?
Do ponto de vista nutricional a dieta vegana proporciona um excelente consumo de fibras e vitaminas antioxidantes. Outro benefício é que, ao se consumir alimentos vegetais em maior quantidade, é possível diminuir o consumo de alimentos processados, que são altamente ricos em gorduras, principalmente saturadas, açúcar e sal.

crianças e mae no supermercado The Yummy Mummy Club
Foto: The Yummy Mummy Club

Quais dicas você daria para os pais que desejam adaptar uma alimentação vegana e saudável para seus filhos?
É fundamental se atentar ao valor nutricional dos alimentos e não confundir alimentos e produtos alimentícios. Uma alimentação vegana para crianças é possível, desde que haja organização para consumir os alimentos certos, que possuam os mesmos nutrientes encontrados nos alimentos de origem animal.

Sobre o Ceunsp

Com mais de 50 anos de tradição e dois campi – Itu e Salto –, o Ceunsp é reconhecido por seu ensino de qualidade, com ótimos indicadores comprovados pelo MEC, Enade e Guia do Estudante. Oferece cursos de graduação e pós-graduação em diversas áreas do conhecimento e conta com mais de 14 mil alunos.

A Instituição integra o grupo Cruzeiro do Sul Educacional, um dos mais representativos do país, que reúne instituições academicamente relevantes e marcas reconhecidas em seus respectivos mercados, como Universidade Cruzeiro do Sul e Universidade Cidade de São Paulo (São Paulo/SP), Universidade de Franca (Franca/SP), Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), Faculdade São Sebastião – FASS (São Sebastião/SP), Centro Universitário Módulo e Faculdade Caraguá – FAC (Caraguatatuba – SP), Faculdade Cesuca (Cachoeirinha – RS), Centro Universitário FSG (Bento Gonçalves e Caxias do Sul – RS) e Centro Universitário de João Pessoa – Unipê (João Pessoa – PB), além de colégios de educação básica e ensino técnico.

Anúncios

Hoje é o Dia Mundial do Veganismo

Em celebração à data, nutricionista esclarece dúvidas sobre a transição alimentar e sobre o estilo de vida

Comemorado em várias partes do mundo, 1º de novembro é dedicado ao Dia Mundial do Veganismo, estilo de vida que exclui o consumo de qualquer produto de origem animal. No Brasil, 55% da população têm interesse em consumir mais produtos veganos, de acordo com pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência e encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB).

Além da mudança de hábitos relacionada ao consumo de roupas, acessórios e cosméticos, por exemplo, a transição da alimentação também requer cuidado e atenção, para que o organismo se adapte ao novo cardápio.

Segundo Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, é fundamental que essa mudança seja feita de forma gradual, eliminando os produtos de origem animal das refeições em um dia da semana e depois, estender para outros dias aos poucos.

Confira abaixo mais cinco dicas que podem facilitar o processo de transição:

nutritionista e paciente

Orientação profissional: a especialista pontua que é importante procurar avaliação médica e realizar exames periódicos, além de consultar sobre como fazer as substituições corretas e evitar deficiência nutricional. “A vitamina B12, por exemplo, é encontrada em carnes, ovos e laticínios, e sua ausência pode causar anemia e distúrbios sanguíneos, por isso é importante consumir diariamente outros alimentos que possuem essa vitamina como cereais integrais e proteínas à base de soja e de ervilha”, explica.

mulher alimentação 2

Substituições: além de incluir alimentos ricos em nutrientes como feijão, lentilha e grão-de-bico nas principais refeições, a nutricionista aponta que também é válido procurar por snacks saudáveis e sem insumos de origem animal, como uma solução para aquela fome repentina.

alimentação-saciedade
Foto: Shutterstock

Fazer as próprias refeições: uma maneira de se adaptar ao novo hábito alimentar é preparar as refeições, aprendendo a ter ideias de pratos veganos e saudáveis, para diversificar o cardápio, redescobrir o próprio paladar e ainda ter um controle maior da qualidade dos alimentos consumidos. “Outro ponto essencial é que os pratos saciem a fome. Assim, é possível evitar a vontade por mais comida logo após as refeições”, indica.

hamburguer vegano

Escolher comércios veganos: com o aumento da procura por comidas veganas, tem crescido o número de restaurantes, padarias e cafés que possuem opções saudáveis voltadas para esse público, principalmente nas grandes cidades. Por isso, a dica é procurar por lugares que ofereçam essas alternativas no cardápio.

Depositphotos mulher cama celular
Foto: Depositphotos

Compartilhar ideias: “Há muitos grupos nas redes sociais e sites dedicados ao universo vegano que fornecem dicas de receitas, produtos, lugares e eventos. Essas notícias são extremamente úteis para auxiliar na transição. Até mesmo compartilhar a própria experiência de mudança com outras pessoas pode contribuir na otimização do processo e encontrar amigos que compartilham do mesmo estilo de vida”, conclui.

Fonte: Superbom

Biscoitos com grãos integrais e fibras podem ser bons aliados da alimentação

Na hora que bate aquela fome no meio da manhã ou da tarde, tudo o que a gente quer é comer um biscoito ou cookie crocante, doce ou salgado, acompanhado de uma xícara de chá, café ou um suco de frutas naturais.

Para quem ainda sente culpa em desfrutar de uma pausa relaxante e cheia de sabor, a nutricionista Jaqueline Matias, da Equilibrium, consultoria nutricional da Adria, dá a dica: “Os lanches intermediários entre as principais refeições são importantes para manter o bom funcionamento do organismo. Uma excelente opção é buscar as versões integrais, que são ricas em fibras e ajudam na saciedade”, ela explica.

De acordo com a nutricionista, os grãos integrais são aqueles que não passaram pelo processo de refino, preservando as qualidades nutricionais. O grão integral é formado por três elementos: o farelo, que contém fibras, vitaminas e minerais; o gérmen, que é fonte de gorduras, proteínas e vitaminas; e, finalmente, o endosperma, a camada intermediária do grão que fornece amido e proteínas. No processo de refino, o farelo e o gérmen são retirados, sendo que o consumidor se beneficiará apenas dos nutrientes encontrados no endosperma.

cereal.jpg

A farinha de trigo integral é obtida a partir da moagem do trigo inteiro, ou seja, oferece 100% da taxa de extração do grão. Já a farinha de trigo fortificada, também conhecida como farinha branca, é resultado da moagem dos grãos sem o farelo e o gérmen. Desde 2004, por resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a farinha de trigo deve ser enriquecida com ferro e ácido fólico. Já a farinha integral não precisa ser enriquecida, pois não perdeu nutrientes no processo de refino.

Mas como saber se o biscoito, o cookie ou os bits de cereais que você está levando para casa são realmente integrais? “A melhor forma de identificar se um produto é, de fato, integral é lendo a lista de ingredientes. Essa lista é feita em ordem decrescente, ou seja, o primeiro ingrediente está presente em maior quantidade e assim sucessivamente”, esclarece Jaqueline Mathias. Assim, para um biscoito ou cookie ser integral, o produto deve ter como primeiro ingrediente da lista farinha de trigo integral, aveia integral, flocos de arroz integral ou outro cereal integral.

Veja algumas sugestões de lanches intermediários elaborados com biscoitos doces, salgados, cookies e bits de cereais integrais:

Lanche da manhã:

1 pacote (26g) Biscoito Integral Salgado Adria Plus Life (2,8g de fibras) + queijo cottage
½ manga (70g) + 2 unidades de Biscoito Cookie Granola e Mel Adria Plus Life (3,5g de fibras)

Lanche da tarde:

Iogurte natural (120g) + 6 Biscoitos Integral Aveia e Mel Adria Plus Life
6 unidades de Bits de Cereais Cacau e Castanhas Adria Plus Life (1,2g de fibras)

Fonte: Adria

As dietas da moda: saiba os riscos e os cuidados

Em busca de soluções imediatistas, quase que milagrosas para a conquista “do corpo perfeito” (perda de peso), muitas pessoas optam por fazer as famosas “dietas da moda”. Essas dietas não respeitam a individualidade nutricional e prometem resultados rápidos com restrições alimentares que podem ser perigosas para a saúde.

Todas as pessoas têm a mesma necessidade nutricional? Adotar essas “modinhas” é seguro? Até que ponto a saúde pode ser afetada? “A saúde atrelada a uma dieta saudável, balanceada e diversificada é algo que não sai de moda”, esclarece Ana Paula Del’Arco, nutricionista e consultora da Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos).

Modismos à mesa

alimentos dieta prato fita metrica

As dietas da moda quase sempre recomendam a exclusão de algum grupo alimentar e, consequentemente, de nutrientes, o que fatalmente afeta o desempenho do organismo, que necessita de todos os nutrientes em equilíbrio para o seu adequado funcionamento.

Sem lactose

sem lactose

Modismo que já teve mais adeptos, retirar a lactose da dieta não emagrece, explica Ana Paula. A lactose é um nutriente, é o açúcar do leite, que deve fazer parte de uma dieta balanceada. A lactose não traz nenhum malefício para a saúde, salvo para aquelas pessoas com intolerância à lactose diagnosticada.

Os principais atributos nutricionais do leite e seus derivados se destacam por estes alimentos serem fontes importantes de proteína de alto valor biológico, por serem a principal fonte de cálcio na alimentação, além de conterem minerais e vitaminas em abundância.

Dentro de uma dieta balanceada, os lácteos contribuem para a manutenção do peso saudável, sendo seu consumo recomendado para todas as fases da vida do ser humano, desde crianças, adolescentes, adultos, praticantes de atividade física, gestantes, lactantes e idosos.

Gluten Free

gluten free sem

Nos últimos anos, levadas por noções equivocadas, relatos de celebridades ou simplesmente por modinha do momento, muitas pessoas passaram a excluir glúten da sua alimentação.

O glúten é a fração proteica do trigo e não faz nenhum mal para a saúde, exceto para aqueles com doença celíaca. Remover ou reduzir drasticamente o glúten da dieta para quem não tem doença celíaca é incorrer no erro de fazer substituições que podem prejudicar a saúde, além de desenvolver uma sensibilidade antes inexistente.

Low Carb

verduras legumes frutas

As dietas de emagrecimento rápido são os modismos mais frequentes e a queridinha da vez é a Low Carb, a famosa dieta de Atkins, agora repaginada, onde frutas e legumes são bem-vindos e representam as únicas fontes de carboidratos da dieta. “Nesta dieta a monotonia alimentar é bastante forte, acarretando na privação de diversos nutrientes para o adequado funcionamento do corpo”, alerta Ana Paula.

Sucos detox

suco-detox

Os sucos detox já estiveram mais em alta, mas ainda são adotados por muitas pessoas no intuito de desintoxicar, desinchar ou de “purificar o organismo”. Entretanto, a privação de nutrientes e de fontes consistentes de energia para o corpo, acabam intoxicando ainda mais o organismo, dado que o corpo aumenta a produção de hormônios relacionados ao estresse quando está em estado de privação energética. E os efeitos não param por aí, tomar apenas sucos por 2 ou 3 dias, diminui a frequência intestinal, aumentando o acúmulo de toxinas no intestino, prejudicando a frequência de evacuação.

Realizar dietas de emagrecimento ou para ganho de peso, sem a devida orientação, pode causar sérias complicação para o organismo. Cada pessoa tem necessidades específicas e individuais, e por isso, o acompanhamento de um nutricionista é fundamental. “A exclusão e/ou a restrição de grupos alimentares da dieta afeta diretamente a saúde. O equilíbrio e a variedade na dieta são fundamentais para garantir a adequada nutrição do organismo, sem deficiências e sem excessos nutricionais”, finaliza Ana Paula.

Fonte: Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos)

Cinco benefícios da aveia que você precisa conhecer

Viver com mais qualidade. Nunca se almejou tanto esse objetivo como nos dias de hoje. E isso é um reflexo da mudança de costumes de muitas pessoas que perceberam que “mens sana in corpore sano” só é possível a partir da adoção de hábitos que vão desde a prática do exercício físico até a escolha por uma alimentação mais saudável. E comer bem faz toda a diferença.

A ideia de que alimentos saudáveis custam caro ou não são saborosos está sendo desmistificada. Hoje, é possível se alimentar bem gastando pouco. Um exemplo disso é a utilização de aveia na dieta, em receitas ou in natura.

Além de ser um dos poucos produtos que é integral por natureza, os grãos que chegam à mesa do consumidor têm exatamente a mesma composição da variedade original, porque no processamento nada é tirado, perdido ou adicionado ao cereal, no caso de flocos.

Funcional, a aveia é o mais nutritivo de todos os cereais. Rica em proteínas de alto valor biológico e bom balanceamento de aminoácidos, é rica, ainda, em fibras solúveis e insolúveis, sais minerais e vitaminas. Além de ter baixo custo, oferece importantes benefícios para quem a consome diariamente, seguindo a orientação de profissionais qualificados, como, por exemplos, médicos e nutricionistas.

Conheça alguns deles:

aveia

1. Auxilia na prevenção do câncer
Apresenta em sua composição flavonoides (avenantramidas), que atuam na prevenção do câncer e envelhecimento celular, pois auxiliam na eliminação dos radicais livres.

2. Controla o colesterol
É responsável pela diminuição do colesterol ruim. Suas fibras solúveis, as betaglucanas, auxiliam na redução do risco de doenças cardiovasculares.

aveia iogurte frutas pixabay
Pixabay

3. Regula o intestino
Suas fibras insolúveis aceleram os movimentos peristálticos do intestino, fazendo com que o bolo fecal permaneça menos tempo nele, facilitando o trânsito intestinal;

4. Auxilia no controle da hipertensão
Fonte de fibras, ao ajudar no controle do colesterol, auxilia na estabilidade da pressão arterial.

Crédito Divulgação Naturale Aveia
Divulgação Naturale

5. Controla níveis de açúcar no sangue
A aveia mantém os níveis de açúcar no sangue sob controle, pois as fibras permitem que a glicose seja absorvida de maneira lenta e gradual, regulando a liberação de insulina e reduzindo picos de glicemia.

De acordo com o diretor comercial da empresa especializada na fabricação de produtos com aveia, a Naturale, Cristiano Cunha Dolzan, a cada dia se reconhece mais o valor deste grão para a saúde.

“Antigamente, se tinha a ideia de que aveia era para mingau de criança ou idosos. Hoje, mudou. As pessoas buscam mais informações sobre alimentação saudável e isso as faz conhecer a qualidade deste cereal, tanto como alimento saboroso como pela funcionalidade, na prevenção de doenças”, afirma o executivo, que completa: “Os benefícios citados são apenas alguns dos ganhos que quem busca qualidade de vida tem ao adicionar este rico alimento na dieta diária”.

Fonte: Naturale

Salvar

Seis frutas típicas da primavera que só fazem bem

Confira quais frutos estão em alta durante os próximos meses e os benefícios para o organismo

É primavera! Além das flores e do clima mais quente, a estação mais florida do ano representa também a temporada de muitos frutos como a jabuticaba, a manga e a ameixa. Cada um apresenta diferentes benefícios para o organismo e podem ser aproveitados em várias receitas nutritivas e balanceadas.

Para explorar ao máximo o sabor e as funcionalidades que os alimentos da época trazem, Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, elenca abaixo seis frutas e os respectivos benefícios:

jabuticaba pixabay
Pixabay

Jabuticaba: por possuir propriedades antioxidantes a fruta 100% brasileira auxilia no combate à inflamações, favorece a desintoxicação do organismo, é antioxidante e contribui até para a prevenção de doenças como o câncer. “A jabuticaba é muito versátil e pode ser aproveitada de várias formas como em sucos, smothies, doces, sorvete e até molho para acompanhar carnes”, indica.

caju pixabay
Foto: Giovanni42/Pixabay

Caju: é um forte aliado na perda de peso por ter poucas calorias e gorduras boas que aceleram o metabolismo. A nutricionista aponta que ajuda a reduzir a vontade por doces, sem alto ganho de calorias. Além disso, é rico em vitamina C, melhorando a imunidade e saúde da pele.

manga
Manga: devido a presença de fibras, seu principal benefício é a melhora da digestão, auxiliando na regulação do intestino. Pode ser consumida desde a fruta in natura a ingrediente de mousses, sucos e saladas. “Porém, por ser muito doce, pessoas com diabetes precisam evitar o consumo exagerado”, alerta.

abacaxi pippalou - morguefile
Abacaxi Pérola: a ação mais conhecida é a de eliminar toxinas do organismo que favorecem o inchaço e o acúmulo de gorduras ruins, por isso é bastante usada nos populares sucos detox. Além dessa vantagem, o abacaxi é rico em vitamina C, que contribui para o fortalecimento da imunidade.

ameixa max straeten 2
Ameixa: além de favorecer o funcionamento do intestino, esta fruta também apresenta vantagens para quem pretende perder peso porque tem baixo teor calórico, traz uma sensação de saciedade maior e ajuda a regular o nível de glicose no sangue. “Muitos consomem somente a fruta in natura ou seca, mas pode ser utilizada em receitas de sobremesas como pavês, manjar, mousses e tortinhas”, pontua.

nectarina-max-straeten
Foto: Max Straeten/Morguefile

Nectarina: auxilia no combate à obesidade devido a presença de substâncias como ácido clorogênico, antocianinas e catequina, que contribuem para regular doenças associadas à obesidade como colesterol ruim, diabetes e alguns problemas cardíacos.

Sugestão de produtos

Sucos Frutt’s Superbom

Suco_Frutts_de_Manga_1_L.jpg

Suco de manga produzido com frutas selecionadas para manter o sabor e a qualidade, com alto teor de polpa da fruta, sendo uma excelente opção para hidratar o corpo, sem conservantes ou corantes artificiais e livre de glúten.

Fonte: Superbom

Seis dicas para quem come fora de casa

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o brasileiro gasta atualmente cerca de 25% de sua renda com alimentação fora de casa. Comer fora é mais fácil e rápido, mas é preciso ficar atento para o local escolhido para fazer as refeições, as condições de higiene dos utensílios e a conduta dos funcionários que manipulam o alimento. Isso porque o número de doenças transmitidas por alimentos (DTAs) ainda é alto no Brasil e, segundo especialistas, subnotificado.

A nutricionista e doutoranda em Ciência dos Alimentos pela USP, Jéssica Aragão, ligada ao Centro de Pesquisa em Alimentos (FoRC), elenca seis cuidados para quem se alimenta fora de casa:

Restaurante Cascudo (2)

• Prefira locais limpos e arejados;
• Verifique o estado de conservação dos utensílios (pratos, talheres, copos) e do ambiente de modo geral.

749_buffet-feijoada-no-restaurante-ccultura-caseira
• Nos restaurantes com buffet montado, verifique se os pratos quentes estão em balcão térmico e se os pratos frios estão em balcão refrigerado. Os alimentos frios como saladas, molhos caseiros, sushi e queijos devem estar em balcões refrigerados à temperatura abaixo de 10ºC e os alimentos quentes devem estar em balcões aquecidos à temperatura acima de 60ºC.
• Também nos estabelecimentos com buffet montado, repare se há anteparos de vidro sobre os pratos. Eles ajudam a proteger o alimento contra eventuais descuidos de quem está se servindo (espirros, tosses e saliva).
• Verifique a higiene dos funcionários e o cuidado de higiene que os mesmos possuem ao manipular o alimento. Durante o desempenho de suas atividades, os funcionários não devem fumar, falar desnecessariamente, cantar, assobiar, espirrar, cuspir, tossir, comer, manipular dinheiro ou outros atos que possam contaminar o alimento.

validade
• Observe o prazo de validade de itens como azeite, pimenta e sachês de molhos. Esses produtos, por terem validade longa, costumam ser negligenciados.

Doenças alimentares

493ss_getty_rm_intestinal_bacteria
Getty Images

Dados do Ministério da Saúde apontam que em 2017 foram registrados 598 surtos de DTAs com 9.320 doentes e 12 óbitos. Os agentes mais envolvidos nos surtos são as bactérias Salmonella spp., Escherichia coli (espécies patogênicas) e Staphylococcus aureus.

“O número de casos reportados costuma ser muito aquém da realidade devido à subnotificação. O que é mostrado nas estatísticas de DTAs representa apenas a ponta do iceberg, justamente porque temos a noção de que a real dimensão dos casos é muito maior”, afirma Uelinton Pinto, professor da Faculdade de Ciência Farmacêuticas da USP e integrante do FoRC.

“A ingestão de alimentos contaminados com essas bactérias pode levar à ocorrência de gastroenterites, cujos sintomas mais comuns incluem náusea, vômito, febre, diarreia e cólicas abdominais. Em alguns casos, os sintomas podem ser mais graves e até fatais. Vale destacar que, no caso da intoxicação por Staphylococcus aureus, a enfermidade ocorre devido à ingestão de alimentos contaminados com a toxina produzida pela bactéria, durante sua multiplicação nos alimentos”, explica Jéssica.

culinaria cozinha ingredientes

Segundo ela, os erros mais frequentes que comprometem a segurança dos alimentos preparados pelos restaurantes e estabelecimentos similares são: manutenção dos alimentos em temperaturas impróprias, presença de vetores e pragas urbanas; alimentos fora do prazo de validade; armazenamento inadequado das matérias-primas; contaminação cruzada; alimentos impróprios para consumo sem procedência e identificação, higiene inadequada do local e dos utensílios e reaproveitamento inadequado dos alimentos.

Sobre o FoRC

Criado em 2013, o FoRC é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) apoiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Reúne equipes multidisciplinares de diferentes instituições de pesquisa do Estado de São Paulo: USP, UNICAMP, UNESP, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) e Instituto Mauá de Tecnologia (IMT). Suas linhas de pesquisa estão estruturadas em quatro pilares: Carboidratos, Alimentos e Saúde; Biodiversidade Alimentar, Compostos Bioativos e Saúde; Micróbios nos Alimentos: riscos e benefícios; e Tabela Brasileira de Composição Alimentar. Além de realizar pesquisas e promover a transferência de tecnologias e novos conhecimentos para a sociedade, o FoRC também realiza atividade de difusão do conhecimento científico.

 

 

Veja como a alimentação pode influenciar na saúde da pele, unhas e cabelos

Além da dieta, os ingredientes também são usados como princípio ativo em diversos cosméticos naturais, confira as vantagens

O segredo para ter uma pele perfeita começa na mesa. Ao contrário do que muitos pensam, uma alimentação natural e nutritiva é o método mais eficaz de garantir a saúde e beleza da cútis. Além de ser muito mais seguro e econômico do que investir em tratamentos estéticos caros e, muitas vezes, invasivos. Um cardápio saudável pode ajudar a reduzir a oleosidade e deixar a pele bonita, hidratada, livre de manchas, acnes e, até mesmo, ruguinhas e marcas de expressão.

Basta observar os rótulos dos principais cremes e cosméticos para notar que suas fórmulas contam com componentes antioxidantes, além de vitaminas e minerais. E esses nutrientes são extraídos, justamente, dos alimentos. Essas substâncias são a base da construção dos nossos tecidos, por isso, nada melhor do que suprir essa necessidade de dentro para fora antes de recorrer a métodos mais extremos para melhorar a aparência da pele.

Além de saborosos, alguns alimentos também são funcionais. Conhecidos também como superalimentos, eles possuem propriedades que ajudam a ativar a circulação sanguínea, combatem inflamações e ainda são fontes de vitaminas que estimulam a renovação da pele.

Beleza de dentro para fora

mulher comendo peixe

Pode se preparar para dar uma passada na feira porque o tratamento de beleza mais indicado pelos médicos vem diretamente da cozinha. A médica Maria Clara Couto, especialista em dermatologia e consultora do portal Use Orgânico afirma: “Uma dieta balanceada, que prioriza ingredientes naturais, é capaz de fornecer todo o aporte nutricional que o organismo precisa para se manter saudável, e isso também se reflete na aparência da pele, unhas e cabelos. Por isso, um cardápio rico em substâncias antioxidantes, fibras, citrinos, vitaminas e sais minerais é fundamental para a saúde das células e tecidos”.

Segundo ela, essas substâncias são responsáveis pela maciez e o brilho natural da pele, fortalecimento das unhas e, até mesmo o crescimento capilar.

De olho na composição

mulher frutas maçã

Sabe aquelas receitas da vovó, cheias de ingredientes caseiros e naturais? Elas voltaram com tudo e estão em alta no mundo da beleza. Inclusive, os alimentos também invadiram o setor de cosméticos. Atualmente as marcas investem cada vez mais nessa matéria prima em detrimento de substâncias geneticamente modificadas, componentes sintéticos e aditivos químicos.

Além de nutrir de dentro para fora, as propriedades benéficas desses ingredientes também podem ser aproveitadas no uso tópico, como é o caso de muitos produtos para o cabelo, pele e unhas que encontramos no mercado. A proposta é nutrir, potencializar a saúde, prevenir os danos externos e minimizar a ação do tempo.

Para garantir um tratamento ainda mais eficaz e completo a especialista afirma que é possível aliar uma alimentação saudável ao uso desses cosméticos naturais. Por isso, vale a pena, além da dieta, ficar de olho na composição dos seus produtos de beleza.

Confira a seguir alguns dos principais ingredientes que devem estar regularmente em seu cardápio e na fórmula dos seus cosméticos para potencializar ainda mais sua saúde e beleza.

Óleo de coco:

oleo de coco

Além de delicioso, o coco rende dois derivados muito famosos, tanto na culinária brasileira quanto no ramo dos cosméticos: o leite e o óleo de coco. Entre os óleos vegetais, o do coco especificamente é, sem dúvida, o queridinho de quem busca uma rotina mais saudável. Consumido em receitas doces, salgadas ou em substituição do óleo comum em preparações mais leves, esse ingrediente é rico em ácidos graxos essenciais e vitamina E, ideais para manter a pele hidratada, macia e longe das rugas, por isso é muito comum encontrá-lo na composição de cosméticos hidratantes para a pele e cabelos. Além disso ele contém ácido láurico, um agente antibacteriano e antiviral poderoso, capaz de proteger o corpo contra vírus, infecções e inflamações.

Leite de coco

leite de coco lisa redfern pixabay
Foto: Lisa Redfern/Pixabay

Já o seu leite, além de substituir o leite de vaca para aqueles que sofrem com intolerância à lactose, também é muito usado em sobremesas e receitas. Rico em vitamina C, B1, B3, B5 e B6, além de sais minerais essenciais como cálcio, selênio, magnésio, fósforo, ferro, potássio, cobre, zinco e manganês, o leite de coco ajuda a proteger contra os efeitos nocivos da radiação ultravioleta do sol e promove uma pele e um cabelo mais saudáveis​​. Ele também é eficaz no tratamento de queimaduras solares, no uso tópico, reduzindo a vermelhidão e restaurando a umidade da pele, além de suavizar e prevenir o ressecamento e a descamação.

Abacate

abacate
Rico em óleos que restauram a hidratação natural da pele e dos cabelos, o abacate pode ser usado in natura diretamente sobre a área tratada. Mas, atualmente, também é possível encontrar diversos cremes e produtos capilares com o óleo da fruta como princípio ativo e, além da hidratação, um de seus efeitos mais notáveis é o brilho que ele confere às madeixas. Para ficar ainda melhor, ele pode ser aplicado em qualquer tipo de pele ou cabelo, pois não provoca oleosidade excessiva, pelo contrário, suas gorduras boas são importantes para garantir mais elasticidade. O abacate também é uma ótima fonte de vitaminas A, D e E, e o uso tópico é indicado à vontade, no entanto, como alimento, a fruta deve ser consumida com moderação, já que, em excesso, pode colaborar para o ganho de peso.

Frutas cítricas

citricos citricas nicole franzen
Foto: Nicole Franzen

A vitamina C presente nessas frutas ajuda a proteger a pele dos danos solares e ainda contribui para a formação do colágeno. Além de consumir a fruta in natura ou em receitas mais elaboradas, também é possível aplicar diretamente na pele ou misturar com outros ingredientes e cremes para potencializar os efeitos. Esse nutriente, além de ser um poderoso antioxidante, ainda tem a função de uniformizar o tom da pele. Por isso, inclua na sua rotina frutas como limão, acerola, laranja, kiwi, morango entre outras frutas.

Cenoura
Esse alimento é muito famoso no verão, já que age turbinando o bronzeado, mas os seus benefícios não param por aí. O ácido lipóico, presente na cenoura, é capaz de revitalizar a pele do rosto e, de quebra, ainda ajuda a combater os radicais livres, prevenindo contra o aparecimento das rugas e o envelhecimento precoce da pele, graças às suas propriedades antioxidantes. Ela também concentra uma boa quantidade de vitamina A, graças aos seus betacarotenos, que são precursores desse nutriente, por isso ela é muito eficaz no tratamento de acne e peles oleosas. E ela ainda atua na síntese do colágeno, proteína que garante mais firmeza à pele.

Mel

mel
Além de ser delicioso e amplamente usado na culinária, esse ingrediente natural possui imensa versatilidade quando a receita é voltada para a beleza. Aplicado na pele ou nos cabelos, o mel tem a função de esfoliar o corpo, quando misturado a algum agente, hidratar lábios ressecados, clarear manchas, aliviar queimaduras provocadas pelo sol e tratar os cabelos. Ele contém ácido glucônico, que ajuda na remoção de células mortas, promovendo o aspecto saudável na pele. Sua composição é rica em água, minerais, aminoácidos e vitaminas do complexo B, C, D e E, por isso ele não pode ficar de fora da sua rotina de cuidados com a pele e cabelos.

Ovo

ovos cozidos stocksy
Stocksy

Esse superalimento já sofreu com uma injusta fama, mas, nos últimos tempos a ciência provou que, além de ser um ingrediente do bem, ele também é fundamental para a nossa saúde, por isso não pode ficar de fora da dieta. Mas a proteína do ovo tem um potencial ainda maior, por isso, é cada vez mais comum encontrar receitas caseiras que incluam o ingrediente e, até mesmo, diversos cosméticos que já exploram seus benefícios em suas fórmulas. Graças ao seu alto teor de minerais, como o enxofre, além das vitaminas A, B, D e E, o ovo atua no fortalecimento capilar, promovendo o crescimento saudável dos fios. E seus benefícios se estendem também para as unhas e pele. A albumina, presente em grande quantidade no alimento, é uma proteína poderosa com poder cicatrizante e efeito tensor que ajuda a deixar a pele mais lisa e minimizar a flacidez.

Quanto mais natural melhor

FreeGreatPicture compras supermercado
FreeGreatPicture

Para potencializar ainda mais os efeitos da alimentação e dos cosméticos a dica da especialista é apostar em ingredientes naturais e marcas confiáveis: “A alimentação correta pode fazer toda a diferença em um tratamento para a pele, seja ele estético ou dermatológico. É possível aliar a dieta a receitas caseiras para o uso tópico e produtos cosméticos funcionais. Além disso, é importante buscar a orientação de um especialista para verificar o que é mais adequando ao seu tipo de pele. Para quem deseja extrair o máximo de benefícios com segurança, o ideal é investir em produtos que priorizem os ativos da natureza, reduzindo a quantidade de substâncias sintéticas e aditivos químicos, que podem causar danos a longo prazo. Por isso, investir no natural não é só mais saudável, como também é uma forma de prevenção” – finaliza a especialista.

Fonte: Use Orgânico

Dicas para preparar chá de diversas formas

Uma bebida saborosa para todos os momentos do dia, os chás para infusão são uma boa pedida para qualquer ocasião. No entanto, nem sempre os consumidores sabem a melhor maneira de preparar ou todas as possibilidades para consumir essa bebida milenar.

Sinônimo da categoria de chás no Brasil e líder de mercado, a Leão convidou a chamelier Dani Lieuthier para dar sugestões de preparação e de combinação dos dois recém-lançados blends da linha Leão Senses, Laranja, Gengibre & Pimenta Rosa e Papaia, Cenoura & Laranja.

“A combinação de ingredientes traz um equilíbrio de sabor interessante para os novos blends de Leão Senses. A harmonização dos sabores opostos, doce e ácido, é muito agradável ao paladar do brasileiro”, explica a chamelier Dani Lieuthier.

Confira algumas dicas que podem fazer toda a diferença na hora de preparar os novos sabores dos chás Leão Senses:

Temperatura ideal

bule chá agua pixabay
Pixabay

Para o melhor equilíbrio de sabor (doce e ácido), a recomendação é que a infusão do sachê seja feita em água com temperatura entre 80 e 90 graus, com tempo não acima de 5 minutos. É importante lembrar que se a infusão for superior a 5 minutos e a temperatura da água maior que 90 graus, o sabor da estévia se potencializa.

Combinações perfeitas

bolo e chá

Chás e infusões aromatizados costumam ser consumidos com doces ou pães, itens tradicionais do chá da tarde ou ainda de “chá da manhã”. O blend de Laranja, Gengibre e Pimenta Rosa, por apresentar bastante picância e acidez (o sabor “azedinho” da laranja) combina muito bem com tortas e bolos cítricos, ou ainda com receitas com chocolate. Já o blend de Papaia, Laranja e Cenoura, por ser mais doce, combina também com tortas e bolos cítricos. Ou ainda com bolos de ingredientes presentes no blend, como bolo de laranja ou bolo de cenoura.

Sucos com chás

chás gelados st. box

Bastante populares entre os nutricionistas, os suchás são receitas de suco de fruta batido com chás ou infusão. O blend de Laranja, Gengibre e Pimenta Rosa pode ser utilizado em um suchá termogênico, por exemplo, em que o gengibre é sempre utilizado nesse tipo de preparação.

Chá Gelado

chá gelado2

Para o preparo gelado, a sugestão é que seja feita a infusão concentrada (1 sachê de chá Leão Senses com meio copo de água quente), e depois batida com gelo para completar o copo. O consumidor pode ainda decorar com pedaços de frutas. É sempre bacana trabalhar com ingredientes que já estão na receita como, por exemplo, rodelas de laranja. Assim como no preparo quente, as notas de sabor no preparo gelado também ficam bem intensas.

Picolés naturais

picole de chá
Foto: TheViewFromGreatIsland

Outra dica é o preparo concentrado de Leão Senses para congelar e preparar picolés refrescantes.

Chá à noite

chá branco pixabay

Como nenhuma das novas composições possui ingredientes estimulantes, não há restrições para o consumo dos novos sabores de Leão Senses à noite, em preparações quentes ou geladas.

Fonte: Leão

Confira alguns alimentos antienvelhecimento

Alimentos anti-idade são aqueles que possuem compostos bioativos que auxiliam a combater o envelhecimento precoce. A nutricionista Paula Castilho, da Rede Nação Verde, explica quais alimentos são excelentes antioxidantes e ativam as células do rejuvenescimento. É claro que uma dieta balanceada, aliada a uma vida mais saudável e à prática de exercícios aumenta os benefícios. Logo, devemos mudar o estilo de vida e evitar todas as atitudes que aumentam o processo de envelhecimento.

Alimentos e hábitos que potencializam o efeito de envelhecimento

carne de porco gordura pixabay
Pixabay

Carboidratos alto índice glicêmico: pães, biscoitos, arroz, batata, pizza, cerveja etc.
Gorduras saturadas e trans: alimentos industrializados, sanduíches, coco, óleos de soja, milho, girassol, queijos amarelos e carnes gordurosas entre outros.
Deficiência de Vitamina D: ausência de exposição ao sol, peixes.
Escassez de Fitoquímicos e antioxidantes: ausência de ingestão de verduras, vegetais e frutas.
Ingestão de alergênicos alimentares e alimentos diet e light: diet, light, leite, trigo, ovos, manteiga, chocolate.
Estilo de vida: ingestão de álcool, fumo, sedentarismo, estresse.

Lista de alimentos que devem ser proibidos

o-que-e-gordura-trans-600x300

Açúcar, mel, geleia, compota, marmelada, produtos de confeitaria e pastelaria, chocolates, fruta em calda, refrigerantes e outras bebidas açucaradas, folhados, natas, salgadinhos, enchidos e fumados, conservas e enlatados (exceto atum na água bem escorrido), fritos, assados com gordura, molhos com gordura, caldos concentrados de gordura, bebidas alcoólicas.

No topo da lista estão os alimentos com alto índice glicêmico

massas-3

 

– Açúcar – doces todos os tipos.
– Pães – os piores são os doces, depois o famoso pão de sal comum, os toleráveis são os integrais.
– Massas – dentre as opções de carboidratos é uma boa opção desde que usada com moderação.
– Arroz – sempre consumir junto com o feijão, prefira o integral.
– Batata – deve ser evitada ao máximo.
– Álcool – principalmente a cerveja que deve ser eliminada completamente da dieta de qualquer pessoa.
– Leite – deve ser evitado por muitas pessoas que possuem intolerância à lactose assim como todos os alimentos industrializados , como refrigerantes light ou diet além de outras substâncias dietéticas.

Esses alimentos, no momento em que caem no estômago, são transformados em glicose, aumentando a taxa de açúcar no sangue em um piscar de olhos, o que faz disparar a produção de insulina. Esse hormônio é responsável em transportar o açúcar circulante para dentro das células. Mas, liberado depressa demais, tem efeito inflamatório, além de fazer o organismo estocar gordura. Então estabelece o ciclo vicioso inflamatório.

A gordura corporal, principalmente aquela acumulada na barriga, estimula a produção de radicais livres, também consideradas substâncias inflamatórias. A situação é ainda mais grave se você come fritura e comida rica em gordura saturada ou trans.

Reverter o quadro e manter as células saudáveis é fácil. Os alimentos anti-inflamatórios são grandes aliados na batalha contra a obesidade e a pele desvitalizada.

Os principais alimentos com efeito anti-idade  são:

oleaginosas castanhas
Pixabay

– Frutas vermelhas
– Castanhas
– Peixes de água geladas
– Folhas verdes escura
– Farinha de linhaça

Para completar seu programa antioxidante, evite o excesso de sol, fuja de ambientes muito poluídos e se empenhe, de fato, em controlar o estresse do dia a dia, além de fazer atividade física pelo menos três vezes por semana. O consumo de alimentos anti-inflamatórios, deve se tornar um hábito diário.

Fonte: Rede Nação Verde