Arquivo da categoria: Alimentação saudável

Conheça cinco gorduras que podem melhorar sua saúde

Médico Theo Webert elenca os alimentos que, aliados a uma dieta equilibrada, podem ajudar no funcionamento de órgãos, como o cérebro e o coração

O termo “gordura”, apesar de hoje ser reconhecido também em contextos saudáveis, ainda carrega o peso de ser relacionado aos problemas de saúde. No entanto, há sim as gorduras boas que ajudam numa dieta equilibrada e no reequilíbrio do organismo. A informação é do médico Theo Webert, que atua em nutrologia e em qualidade de vida. Segundo ele, a gordura boa é necessária para a função cerebral, a produção de hormônios, metabolismo, perda de peso, energia, função imune e resposta inflamatória.

“Praticamente, 60% do cérebro são constituídos por gordura. A gordura que comemos literalmente alimenta o nosso cérebro, ajudando nossas funções neurológicas e a clareza mental que nos permite viver de forma saudável”, afirma o especialista.

O médico explica que os efeitos de obtenção de gordura boa na alimentação equilibrada pode melhorar radicalmente a energia, estabilizado os hormônios e alimentando o sistema nervoso. “O óleo de coco é geralmente a melhor gordura para se usar na cozinha, porque a sua integridade nutricional permanece estável, mesmo em altas temperaturas”, informa.

Segundo Theo Webert, é fundamental a ingestão de ômega-3, essenciais para o metabolismo, saúde mental e cardiovascular, além de atuar como anti-inflamatório. “Eles também ajudam a prevenir distúrbios relacionados ao desenvolvimento de câncer e podem ser encontrados em vegetais de folhas verdes, algas, sementes de chia, sementes de linhaça, nozes, morango e até no kiwi”, diz.

O médico elenca cinco fontes naturais de gorduras consideradas boas para o organismo. “É claro que o seu consumo deve ser orientado e observado por um especialista. Qualquer excesso pode ser prejudicial ao nosso corpo”, ressalta.

1. Abacate

abacate.jpg

O abacate é dos principais alimentos ricos em gordura positiva. “Se embrulhado como um burrito em uma folha de nori (alga japonesa), com brotos e verduras cultivadas, pode ser uma boa opção e fonte de nutrientes. Por ser de rápido consumo, pode ainda ser descascado, picado e armazenado no congelador. Antes de consumido, pode ser batido no liquidificador com cacau e ate mesmo leite de amêndoas. Fica delicioso”, sugere.

2. Ghee

Ghee2
Foto: WhatsCookingAmerica

Conhecido como manteiga caseira, na verdade trata-se de um óleo purificado da própria manteiga, onde toda a água e os elementos sólidos e toxinas da gordura do leite e lactose são completamente removidos. “Embora seja inteiramente preparado a partir da manteiga, suas propriedades diferem muito da manteiga em si. Ghee é um óleo de cozinha maravilhoso, que suporta o calor, mas pode ser usado também em um misto de chá, onde utilizamos tulsi (erva medicinal), adicionando uma colher de ghee, água de rosas, mel ou estévia”, ensina.

3. Óleo de coco

oleo de coco

O óleo de coco é excelente para cozinhar, uma vez que também pode suportar o calor. “Há quem utilize o óleo também nas receitas de uma barra de chocolate energético. Ele se une ao cacau, cogumelo reishi, cordyceps (fungo que com propriedades de combater o câncer) e um toque de mel. Para muitos, este é o impulso diário de energia”.

4. Nozes e sementes

nozes

As sementes de cânhamo, amêndoas, sementes de abóbora, castanha do Pará, semente de linhaça, castanhas, sementes de gergelim, avelãs, nozes, macadâmia e sementes de chia compõem uma boa parte de uma dieta equilibrada, ao lado de vegetais verdes. “Leites produzidos a partir destas nozes, castanhas e sementes podem ser grandes fontes nutritivas numa alimentação balanceada. Há também como usar para receitas com panquecas, purê cremoso de batatas-doces, pudim de chia, macarrão e até queijo… as possibilidades são infinitas”, afirma Theo Webert.

5. Azeitonas e azeite de oliva

azeite-de-oliva

As azeitonas e, obviamente, o azeite de oliva são uma excelente fonte de gorduras boas. “Os ácidos gordos monoinsaturados presentes no Azeite de Oliva ajudam na redução do colesterol mau (LDL) no corpo, reduzindo assim o bloqueio de artérias e formação praga. Ele também ajuda na redução da coagulação do sangue, além de ser também uma boa fonte de antioxidantes como fenóis e Vitamina E, que ajudam a manter o coração forte e funcionando corretamente”. Umas das maneiras de consumo do azeite pode ser por meio de molhos. ”Um dos favoritos é aquele que mistura azeite, limão e sal marinho. Você pode fazer alguém feliz com qualquer prato de legumes rápido e saboroso com esse simples molho”, finaliza.
 

Gatos: alimentação correta previne formação de bolas de pelo

O indicado é escolher alimentos que contenham óleo mineral e fibras, que estimulam a regulação intestinal e ajudam a evitar bolas de pelo

Os gatos são animais extremamente limpos e fazem sua higiene com sucessivas lambidas pelo corpo. Os gatos se lambem para se limpar e para remover pelos mortos, o único problema é que esses pelos viram uma bola de pelo depois que eles engolem.

As bolas de pelo formam o que se chama de tricobezoar, que além do pelo contém secreções gástricas, isto é o que o gato costuma vomitar, que foi se acumulando no sistema digestivo, formando as famosas bolas.

“Em alguns casos, quando o felino não as expele, pode ocorrer até obstrução intestinal e a necessidade de uma intervenção cirúrgica”, explica a Coordenadora da Comunicação Científica da Equilíbrio e médica veterinária Bárbara Benitez.

Para o gato, expelir essas bolas de pelo por meio do vômito é melhor do que defecá-las, entretanto, se ele tiver dificuldades em vomitá-las, deverá ser da segunda forma, pois o importante é eliminar o problema.

“Os gatos costumam passar até duas horas diariamente se lambendo, então você pode imaginar a quantidade de pelo que ele acaba ingerindo”, complementa a médica veterinária. Os mais afetados são os gatos de pelos longos, como os persas. Por isso é fundamental que o tutor escolha um alimento específico para eles. “Uma dica é escolher alimentos que contenham óleo mineral e fibras, que estimulam a regulação intestinal e ajudam a evitar bolas de pelos”, explica Bárbara.

gato

A linha Super Premium da Total Alimentos, Equilíbrio, possui produtos indicados para prevenção das “Hair balls”. “Esses produtos são feitos especialmente para ajudar a lidar com esse hábito tão comum, mas que pode ser problemático, dos gatos”, finaliza Bárbara.

 

Informações: Total Alimentos

Mais dicas de pratos saudáveis para as festas juninas

Estamos em uma época de muitas delícias típicas: as festas juninas. Mas, será que é possível aproveitar todas as opções sem sobrecarregar o organismo ou prejudicar o comportamento gastrointestinal? A resposta é sim.

Seja milho verde, amendoim, arroz doce ou bolos, é possível aproveitar a ocasião e se cuidar ao mesmo tempo. “Neste período é comum muita gente consumir alimentos diferentes dos que ingere no dia a dia. Isto é ótimo, pois com equilíbrio pode-se aproveitar a grande diversidade culinária dessa festa”, afirma Karin Sedó Sarkis, nutricionista do Fleury Medicina e Saúde. No entanto, vale seguir algumas recomendações para preparar a culinária típica do festejo sem deixar a saúde de lado.

– Milho: cozido, assado ou grelhado é uma boa pedida. Aproveite para fazer um sal de ervas misturando a mesma proporção de sal com uma ou mais de ervas que te agradam, por exemplo, sal com orégano, e salpique sobre o milho. Outra opção é usar somente as ervas, também fica uma delícia. Se quiser dê um toque com manteiga e aproveite!

Corn on the cob

– Pamonha ou curau de milho verde? Preparações com milho, o curau pode ser feito com leite desnatado. Caso haja necessidade ambos podem ser adoçados com menos açúcar ou pode-se utilizar o açúcar light ou adoçante culinário para diabéticos.

pamonha

– Pipoca: lembre que é hora de cozinhar, use a panela e não o micro-ondas. A pipoca não precisa de muito óleo ou manteiga para estourar. Se interessar dá até pra fazer a pipoca sem nenhum tipo de gordura. Para isto você deve esquentar muito bem a panela, colocar o milho e mexer bem para que ela estoure sem grudar. Outra dica é maneirar no uso do sal, aqui também vale fazer uso do sal de ervas e/ou das ervas propriamente ditas, bem como de especiarias (curry, cúrcuma, páprica picante, pimenta do reino, dentre outras).

pipoca xandert
Foto: Xandert/Morguefile

– Mungunzá e outros doces: nesses preparos também podemos substituir o leite integral por leite desnatado. Dê preferência às versões light de creme de leite e leite condensado. O arroz doce, por exemplo, pode ser feito com o grão integral. As dicas em relação ao açúcar se adequam aqui também.

arroz doce tape

– Bolos: além das dicas acima, tire proveito de ingredientes naturais, como a mandioca e o milho, de preferência o natural. Com ingredientes in natura eles ficam mais saudáveis e saborosos.

Bolo de mandioca

– Amendoim: cozido, assado ou como base no preparo de outros pratos. É rico em gordura de boa qualidade, sendo ótimo para quem quer repor a energia após as danças juninas. Caso opte pela versão cozida, uma preparação tradicional, tenha atenção para o modo de conservação. Certifique-se da qualidade da água usada para cozinhar o amendoim. Depois, conserve em geladeira por no máximo três dias. Tenha atenção na procedência do amendoim, pois caso haja umidade na pós-colheita ou dependendo da forma de armazenamento, pode haver a formação de um fungo que produz uma substância chamada aflatoxina, que é maléfica ao organismo.

Paçoca-659x371

– Cuscuz: vale adicionar legumes, como cenoura ralada e abobrinha, e deixar de lado ervilha e milho enlatados, bem como outros produtos industrializados. Prefira os legumes e vegetais frescos. Dessa forma, adicionamos fibras e reduzimos a quantidade de sódio e conservantes.

minicuscuz

– Licores: quer seguir a tradição e degustar um licor de jenipapo? Apenas fique atento à quantidade, devido ao alto teor alcoólico e grande concentração de açúcar. Por isso, devem ser consumidos com moderação.

licor
Foto: jenipapodo7c.blogspot.com.br

Fonte: Fleury Medicina e Saúde

Fibras promovem bem-estar e auxiliam a regular a mobilidade intestinal

A Magry Leve, divisão da Apisnutri de produtos para promover a saúde e bem-estar da mulher, lança a linha Multifibras elaborada com cereais integrais, fibras, vegetais, proteínas e minerais provenientes de 20 ingredientes selecionados que favorecem a motilidade intestinal e proporcionam diversos benefícios ao organismo.

Disponível em potes de 300 gramas nos sabores Natural, Morango, Laranja e Mamão e Banana e Maçã, a linha Multifibras não contém açúcares, é fonte de Ômega 3 e pode ser consumida como shake (batida com leite) ou acrescida à sucos e frutas.

Além das opções doces, a Magry Leve também oferece o exclusivo Multifibras Farofa, primeiro produto salgado dessa categoria disponível no mercado.

Na versão Tempero Suave, a novidade possui a mesma composição do Multifibras, acrescido de temperos e especiarias, sendo ideal para acompanhar as principais refeições.

Combinando farelo de trigo, fibras de aveia e trigo e as farinhas de linhaça dourada, casca de maracujá, banana verde, feijão branco e berinjela, os produtos também levam em sua composição germe de trigo, extrato de soja, gengibre, amaranto, chia, quinoa, guaraná e cacau, entre outros ingredientes.

Todas essas fibras resistem à ação das enzimas digestivas, chegando intactas ao cólon, onde são parcialmente hidrolisadas e fermentadas pela flora intestinal proporcionando sensação de saciedade e favorecendo a perda de peso.

Elas também regulam o trânsito intestinal, atrasando o esvaziamento gástrico, a digestão e absorção, favorecem a evacuação e a manutenção da flora intestinal, tornam mais lenta a absorção da glicose e reduzem a absorção de lipídeos (gorduras).

A linha Multifibras e outros produtos da marca Magry Leve estão disponíveis em lojas de produtos naturais.

Informações: Apinustri

Consumo moderado de café protege contra doenças cardiovasculares

Puro ou com leite, expresso ou coado, café mantém concentração de substâncias cardioprotetoras

Por Ivanir Ferreira – Editorias: Ciências da Saúde – Jornal da USP

coffee usp
O efeito ocorre apenas para os que têm uma ingestão moderada da bebida – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Estudos epidemiológicos mostram que o consumo de uma xícara de café por dia pode ser suficiente para trazer benefícios ao coração. O efeito protetor contra fatores de riscos para doenças cardiovasculares vem dos compostos fenólicos encontrados em quantidade razoável na bebida mais tradicional do desjejum dos brasileiros. Os resultados fazem parte de uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP com 550 pessoas que vivem na capital paulistana.

As doenças cardiovasculares são consideradas a principal causa de morte entre a população mundial. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que se não forem bem trabalhadas as políticas públicas de saúde e de prevenção, a estatística de mortalidade que hoje é de 17,3 milhões de pessoas passará para mais de 23,6 milhões em 2030.

As causas são multifatoriais e incluem as não modificáveis, como a hereditariedade e a idade, por exemplo, e as relacionadas ao comportamento do indivíduo, que podem ser alteradas, como o tabagismo, o sedentarismo e o consumo de alimentos com alto teor de sal, gordura e açúcares que estão associados ao aumento da obesidade. Já a ingestão de café, frutas e verduras, ricos em polifenóis, entram na contramão dos vilões do coração.

As razões que levaram a autora da pesquisa, Andreia Miranda, doutoranda da FSP, a escolher o café como objeto de sua pesquisa foram o fato de o café ter grande presença no dia a dia das pessoas. “Embora tenha teor semelhante de polifenóis ao das frutas e verduras, a bebida acaba tendo maior contribuição nutricional porque o consumo diário dele é mais frequente. Cerca de 70% dos polifenóis ingeridos dos alimentos pelos paulistanos têm como fonte o café.”

Como foi feita a pesquisa

Com dados obtidos do Inquérito de Saúde do Município de São Paulo (ISA-Capital 2008/09), estudo ligado à prefeitura da capital, o consumo diário de café e a ingestão de seus polifenóis foram avaliados em homens e mulheres com idade acima de 20 anos.

café usp
Uma a três xícaras de café por dia é considerado um consumo moderado – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Além da dieta, o questionário aplicado aos entrevistados considerou informações sociodemográficas e de estilo de vida (idade, sexo, raça, renda familiar per capita, atividade física e tabagismo). Houve também coleta de sangue para referências bioquímicas (glicose, triglicérides, colesterol total, HDL e LDL, e a homocisteína, um aminoácido presente no sangue que está relacionado a riscos de eventos cardiovasculares), além de medição antropométrica (peso e altura) e aferição da pressão arterial.

O consumo de café foi dividido em três grupos: quem bebia menos de uma xícara de café por dia; os que tomavam de uma a três; e os que ingeriam três ou mais xícaras diariamente. Os indivíduos que consumiram de uma a três xícaras de café por dia reduziram em 55% a chance de ter pressão alta sistólica e em 56% pressão alta diastólica quando comparados aos indivíduos que consumiram menos de uma xícara. O mesmo se verificou com a homocisteína: houve uma redução em 68% de chance de ter níveis aumentados de homocisteína no sangue. O mesmo resultado não foi observado naqueles indivíduos que consumiram mais de três xícaras de café por dia.

Dessa forma, ficou demonstrado que o efeito protetor do café para o coração ocorreu apenas para aqueles que tiveram um consumo moderado, afirmou a pesquisadora. E independentemente da forma como é consumido (com leite, chá, ser expresso ou coado), as concentrações de polifenóis na bebida são mantidas.

Polifenóis 

andreia miranda
“Cerca de 70% dos polifenóis ingeridos nos alimentos pelos paulistanos têm como fonte o café”, relata a pesquisadora Andreia Miranda – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Os compostos fenólicos estão presentes nos alimentos de origem vegetal em geral – verduras, legumes, frutas, cereais e leguminosas, nas bebidas alcoólicas (vinho e cerveja) e não alcoólicas (chás, café, cacau, suco de frutas e de soja). Os polifenóis têm demonstrado ação protetora na prevenção de várias doenças crônicas como as cardiovasculares, alguns tipos de cânceres, osteoporose, doenças neurodegenerativas e diabetes mellitus.

O artigo Association between coffee consumption and its polyphenols with cardiovascular risk factors: a population – based study foi publicado em janeiro na revista Nutrients Open Access Human Nutrition Journal, Basel, da Suíça.

 

Simple Dog e Woof Classic fazem parceria para alegria dos pets

Simple Dog e Woof Classic se uniram em uma parceria inédita, pois, a melhor alimentação natural precisa ser servida no melhor comedouro. A partir deste mês, por meio do e-commerce, clientes de todo o Brasil terão acesso a esta novidade.

Uma linha, exclusiva, de comedouros em porcelana branca no tamanho P (serve em média 500g), com estampas gráficas. O modelo exclusivo traz cartela de cores em tons cinza e amarelo, com versões pinceladas de verde e rosa. Detalhes como friso e os logos Simple Dog e Woof Classic, surgem no dourado.

Comedouros em cerâmica garantem uma melhor higienização além de ser um item maravilhoso de decoração.

“Sinto que esta parceria entre Simple Dog e a Woof Classic tem uma sinergia incrível. Ambas as marcas são modernas e estão sempre na constante busca pelo inovador e inédito. Com certeza, nasce aqui, um produto de alta qualidade, que serve de base para apresentar ao público consumidor uma experiência que une a saúde ao design”, comenta Fernanda Miné, da Simple Dog.

simple dog.JPG

Simple Dog é uma inovação no mercado nacional, uma alimentação 100% natural, completa, balanceada e desidratada – que une saúde a praticidade e um único produto.

No mercado há mais de sete anos, a WOOF, marca premium de acessórios pet fundada por Luis e Rodrigo Guido, nasceu com o intuito de oferecer produtos de altíssima qualidade para os cães de donos exigentes e antenados.

Combine chá e café para turbinar a queima de gordura

Um chá quentinho vai bem em diversas ocasiões, mas geralmente as pessoas recorrem e eles quando estão resfriadas, em dias frios ou, até mesmo, para relaxar e aliviar a tensão após um dia cheio. Porém, são poucos que conhecem e fazem uso das opções funcionais, especialmente os termogênicos, que garantem mais energia e disposição e ainda contribuem para a boa forma, acelerando o metabolismo.

Assim como os chás, é difícil encontrar alguém que não se sinta atraído pelo aroma e sabor marcantes do café, no entanto, na mesma proporção, as pessoas desconhecem seu efeito poderoso, não só para a saúde em geral, mas também na redução e manutenção de medidas. É possível alinhar o consumo tanto de chás como do bom e velho cafezinho a um cardápio balanceado e obter todos os efeitos benéficos desses estimulantes para potencializar a saúde e ainda impulsionar o emagrecimento.

O segredo está na cafeína

O Brasil é, sem dúvidas, a terra do café. A bebida já conduziu a economia nacional e está enraizada em nossa história e cultura. Muitos brasileiros são amantes do grão e não abrem mão de apreciar um café fresquinho antes de começar o dia. No entanto, seu principal componente: a cafeína, já foi taxada como uma vilã da saúde por muito tempo. Porém, atualmente, estudos estão sendo conduzidos para desvendar seus benefícios e derrubar esses mitos acerca da substância que, se usada corretamente, não só não é prejudicial como também pode prevenir e, até mesmo, combater diversas doenças.

Principais efeitos

A substância ativa regiões importantes no cérebro e seu efeito estimulante está associado a potencialização do sistema cognitivo, ela também é capaz de melhorar o desempenho físico, pois diminui a percepção de esforço ao praticar um exercício, dessa forma a atividade parece mais fácil do que realmente é. A cafeína ainda poupa os estoques de glicogênio muscular e retarda a fadiga, por isso, seu consumo, associado a uma dieta balanceada, contribui para acelerar a queima de gordura e está se tornado cada vez mais popular para a perda de peso.

barriga emagrecer

Sabor e saúde

A melhor notícia é que, ao contrário do que se acreditava, o consumo regular de cafeína não está relacionado a doenças cardíacas e ainda traz uma série de benefícios ao organismo. Além do café, no qual está presente em maior quantidade, a substância também é encontrada naturalmente em alguns alimentos como o cacau, o guaraná e chás como o de erva-mate, mas, especialmente, o chá preto e o chá verde. Além disso há alguns produtos como refrigerantes, energéticos e, até mesmo, medicações que possuem cafeína adicionada artificialmente.

Segundo a nutricionista Sinara Menezes é possível alternar o consumo de alimentos fontes da substância para obter todos os seus benefícios: “Para aqueles que já apreciam o café é interessante aliar o consumo com os chás para potencializar seus efeitos, já no caso de quem possui algum problema gastrointestinal, como azia, gastrite ou refluxo, a melhor opção pode ser a ingestão dos chás, que são uma versão mais suave com a mesma eficiência, principalmente no caso do chá verde e o chá preto, que possuem mais propriedades terapêuticas do que outras infusões de ervas” – explica a profissional da Nature Center.

Termogênicos poderosos

café

Para metabolizar os alimentos ingeridos, o corpo demanda de certa quantidade de energia, que varia de acordo com a complexidade do processo. Alguns demoram mais que outros, especialmente os termogênicos, por isso eles, consequentemente, gastam mais calorias e auxiliam no processo de queima de gordura. Eles são capazes de elevar a temperatura interna do corpo, assim, a queima de lipídios aumenta para tentar estabilizar esses níveis, isso induz o metabolismo a trabalhar num ritmo acelerado por mais tempo.

Portanto, alimentos termogênicos como o café, o chá verde e o chá preto são grandes aliados na luta contra a balança e podem ser consumidos ao longo do dia para obter mais disposição e energia para enfrentar a rotina de trabalho, estudos e academia.

Chás com propriedades terapêuticas

chá verde

Uma planta chamada Camellia sinensis dá origem a dois chás muito conhecidos e amplamente consumidos no mundo todo, o chá verde e o chá preto. Essas duas bebidas se destacam entre os melhores termogênicos naturais, e ainda têm propriedades antioxidantes e funções diuréticas, que diminuem o inchaço do corpo e combatem a retenção de líquidos. Sinara explica que esses chás podem ser encontrados nas versões em pó solúvel, sachê ou cápsulas (esta última no caso do chá verde) e possuem uma ação estimulante sobre todos os órgãos do corpo.

“Sua alta concentração de flavonoides, além de combater os radicais livres, também ajuda a prevenir o envelhecimento celular. O chá verde, por exemplo, ainda contribui para o emagrecimento, devido a sua alta concentração de cafeína e catequina, substâncias capazes de acelerar o metabolismo, e elevar o gasto calórico”, diz ela.

O sucesso do café verde

cafeina-cafe-verde-dieta

Uma versão menos popular do amado cafezinho é o green coffee, que está, aos poucos, se tornando famoso e conquistando adeptos até entre as celebridades e estrelas de Hollywood, isso graças a sua concentração de nutrientes mais elevada que a do café tradicional. O grão do café que estamos costumados a consumir, pelo processo de torrefação, confere a cor preta da bebida e serve para amenizar seu gosto amargo, tornando-a agradável ao paladar.

Já o café verde, comercializado geralmente na forma de cápsulas, não passa por esse processo, portanto tem suas propriedades naturais preservadas em níveis muito maiores. Assim, a especialista afirma que no café verde os principais nutrientes como a cafeína e o ácido clorogênico, que é uma substância responsável por estimular os neurotransmissores, favorecendo a quebra do tecido de gordura, permanecem no grão e potencializam seus efeitos benéficos ao nosso organismo.

Propriedades antioxidantes

Cha -e- cafe -verde- emagrecimento.jpeg

É comum ouvir falar a respeito de antioxidantes e seus benefícios ao organismo, porém poucas pessoas sabem de fato como essas moléculas agem e porque seu consumo é tão recomendado. Eles são compostos de vitaminas, minerais e outras substâncias químicas capazes de evitar a oxidação da estrutura celular e atuam no processo interno de limpeza do corpo, prevenindo diversas patologias, como derrames, envelhecimento precoce e problemas cardiovasculares, além disso, eles também são fundamentais para proteger células saudáveis de danos no DNA.

Há uma grande variedade de alimentos ricos em antioxidantes como vegetais, frutas, grãos e cereais, eles também podem ser encontrados em suplementos e produtos cosméticos. “Uma alimentação balanceada fornece uma grande quantidade e variedade de antioxidantes, contribuindo para aumentar a defesa imunológica” – explica a nutricionista.

Ela também afirma que os ácidos clorogênicos presentes no café, especialmente no grão verde, são responsáveis por boa parte da ação antioxidante da bebida, já no caso dos chás são os flavonoides que carregam essa função: “Isso contribui para inibir infecções e ainda reduz o risco de doenças inflamatórias, por exemplo, além de colaborar para a saúde cardíaca”.

A suplementação pode facilitar o dia a dia

greencapsules
Foto: Parmentier.de

Para os amantes do cafezinho, a bebida já faz parte do cardápio matinal e pode ser incluída facilmente após o almoço ou no período da tarde. Porém, para aqueles que não apreciam tanto, ou que, pela correria do dia a dia, não costumam consumir, a suplementação é a forma mais prática para aproveitar todos os benefícios, especialmente no caso do café verde. Por se tratar de um composto feito puramente à base de cafeína concentrada, é mais indicado ingerir a substância por meio de pílulas de extrato do nutriente, que oferecem os mesmo resultados sem a necessidade de consumir bebidas que geralmente contém açúcar e outros aditivos químicos ou calóricos na composição.

Já em relação aos chás termogênicos, a especialista explica que é possível encontrá-los no comércio em diversas formas, desde as folhas secas para o preparo de infusão a pílulas mais práticas que já contêm a dosagem certa:

“Fica a critério de cada um verificar o que se adapta melhor de acordo com a rotina diária, mas é fundamental buscar fontes seguras para alcançar todos os benefícios que o nutriente pode oferecer. Em geral, é recomendável que a ingestão seja feita durante o dia, antes das principais refeições e do treino, para otimizar o rendimento das atividades físicas. Além disso é preciso evitar o exagero para o efeito estimulante não prejudique o sono”.

Sinara também alerta sobre a importância de ter o acompanhamento de um profissional da saúde para controlar as porções ingeridas, especialmente no caso de gestantes, nutrizes e pessoas com problemas crônicos.

Fonte: Nature Center

Cuidados na hora do desmame de cães

Eles são pequenos, frágeis e precisam de bons alimentos para crescer fortes e saudáveis. Os filhotes exigem muito cuidado e dedicação do tutor: “Os filhotes recém-nascidos precisam de alimentos ricos em cálcio, fósforo, proteínas e gorduras para que tenham o desenvolvimento ósseo adequado e cresçam com saúde”, afirma o médico veterinário da Max e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado.

O desmame

O leite materno e o contato com a mãe são fundamentais para o filhote nos primeiros meses de vida, mas após 28 dias do nascimento o pet precisa ingerir outro tipo de alimento. “Filhotes de quatro a oito semanas de vida já precisam se habituar, gradativamente, a uma nova forma de comer, por isso é indicada a papinha de desmame, um alimento semissólido que serve como transição do alimento úmido para o seco”, pontua o médico veterinário.

cão milk

Substituindo o leite materno

Se o pet provém de grandes ninhadas, está em recuperação ou perdeu a mãe, pode precisar substituir o leite materno. “O ideal é que, quando há necessidade, o leite da mãe seja substituído por outro com concentrações similares ao da cadela”, afirma Marcello. De acordo com a veterinário, oferecer leite de vaca para cães pode causar diarreia: “Cães têm dificuldade para digerir lactose, oferecer leite comum pode causar bastante mal-estar a eles”.

Sugestão de produtos:

Max Milk – substituto do leite materno

max milk_dir
Rico em proteínas e gorduras para satisfazer as necessidades energéticas nessa importante fase;
Com probiótico para uma melhor saúde intestinal dos filhotes;
Ótimo nível de cálcio e fósforo para um desenvolvimento ósseo;
Sem lactose par auxiliar na redução do risco de diarreias;
Substitui o leite materno;
Rico em vitaminas A, D, E, minerais quelatados, antioxidantes naturais.

Max Papinha Desmame

max papinha_dir
Perfeito equilíbrio de cálcio e fósforo muito importante para o desenvolvimento dos ossos;
Excelente palatabilidade fácil aceitação dos filhotes;
Com probióticos para melhor saúde intestinal dos filhotes;
Enriquecido com vitaminas A, D e E;
Faz a transição do leite para o alimento seco;
Preparo instantâneo.

Fonte: Max – Total Alimentos

Dieta japonesa vira modelo para o mundo

A rede de supermercados Hirota promove o estilo de vida japonês em ações para desmistificar o preparo das receitas, divulgar os benefícios dos alimentos e com espaço especial para os produtos orientais, em um mix de mais de mil itens. Para confirmar essa tendência, a Organização das Nações Unidas elegeu recentemente o Japão como modelo global de dieta saudável.

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, disse que o país asiático tem “o nível mais baixo de obesidade entre as nações desenvolvidas, menos de 4%”. “ É uma cultura alimentar única e saudável que inclui vegetais, frutas e peixes”, afirmou. O objetivo da ONU é usar o exemplo japonês no combate a dietas inadequadas, que têm uma ligação direta com doenças crônicas como diabetes, câncer e ataques do coração e derrames.

Jeito japonês

“No Hirota, trabalhamos para divulgar os produtos, mostrando como consumir, como fazer as preparações e os benefícios nutricionais. A gente quer quebrar o tabu de que a comida japonesa é complicada. Muita gente acha que é difícil, mas não é, é muito simples, além de ser ótima para a saúde”, afirma Adriana Miyuki Koizumi, nutricionista da rede.

A maioria dos produtos orientais fica em uma gôndola do programa Muito Mais Vida, lançado pela empresa para promover o bem-estar entre os clientes. Baseado no jeito japonês de viver, que inclui uma série de práticas associadas à longevidade, qualidade de vida, equilíbrio e disposição, o Muito Mais Vida também oferece workshops e ações de saúde nas lojas. “Devemos aprender com eles, principalmente, como equilibrar a alimentação com a nossa rotina (trabalho, atividade física, estresse), a disciplina do equilíbrio da vida”, orienta Adriana.

Dicas orientais

1 – Equilíbrio nutricional: dieta à base de vegetais (ricos em fibras e antioxidantes), arroz (excelente fonte de carboidratos), peixes e soja (grande fonte de proteína).

sushi

2 – Variação: consumo com preparações diversificadas (cozidos, ensopados, refogados, fritos, no vapor e cru) e variedade de alimentos (muitas frutas, legumes e verduras).

3 – Moderação: muitos usam a técnica chamada hara hachi bunme, que consiste em parar de comer quando estiver 80% satisfeito e não até ficar com a barriga estufada. Segundo estudos, o cérebro demora cerca de 20 minutos para registrar que o estômago está cheio.

freegreatpicture-sushi
Foto: FreeGreatPicture

4 – Pequenas porções: alimentos servidos em pequenas porções ficam mais bonitos à mesa e evitam a ingestão de grandes quantidades.

5 – Experiência alimentar: refeições devem ser coloridas e agradáveis para proporcionar um momento de prazer.

sushi

Fonte: Hirota

 

Saiba quais são as alternativas saudáveis para as comidas típicas das festas juninas

As comidas típicas das festas juninas podem ser deliciosas, mas é preciso estar atento ao consumo de sódio, açúcar e gordura. Pensando nisso, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo recomenda alguns cuidados para consumir as receitas – e aproveitar melhor as festividades.

De acordo com Etelma Maria Mendes Rosa, nutricionista da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), o consumo desses pratos típicos deve ser moderado devido à quantidade calórica das preparações. “É preciso fazer uma restrição de consumo ou, se houver possibilidade, preparar as receitas em casa, reduzindo a quantidade de açúcar, de sal ou até mesmo de gordura, dependendo da preparação”, enfatizou.

Alternativas para preparações mais saudáveis e nutritivas:

Milho Verde: cereal fonte de carboidrato contém grande quantidade de fibras, vitaminas e minerais. Procure consumir com pouco sal e pouca manteiga.

milho alvimann
Foto: Alvimann/Morguefile

Pinhão: rico em fibras e minerais como cobre, zinco, manganês, ferro, magnésio, cálcio e fósforo. Possui também ácidos graxos como ômega 6 e 9. Além de ser naturalmente muito saudável, deve ser cozido somente em água.

Pinhao cunha tur
Foto: Cinha Tur

Cuscuz: preparado com farinha de milho, pode ser feito com legumes, ovos, atum, tornando-se um prato bastante nutritivo.

Cuscuz-Paulista2-659x371

Pipoca: cereal integral que, sem excesso de sal ou gordura, é rico em fibras, possui vitaminas E, B1, B2 e os carotenoides, considerados antioxidantes. Além disso, contém minerais como cálcio, sódio, iodo, ferro, zinco, manganês, cobre, selênio, crômio, cobalto, cádmio e fósforo. Em casa, prepare-o no micro-ondas para evitar o uso de óleo; coloque o milho da pipoca dentro de um refratário; leve ao micro-ondas com a tampa própria do aparelho doméstico; deixe de 2 a 4 minutos em potência alta; acrescente pouca quantidade de sal.

PIPOCA

Batata doce: fonte de carboidratos contém magnésio, fósforo, potássio e vitaminas A, B, C, K e E. Pode ser assada no forno, basta embrulhá-la, depois de lavada inteira e com casca, em papel alumínio e levá-la para assar por 50 minutos aproximadamente.

batata doce szafirek
Foto: Szafirek/Morguefile

Arroz doce e Canjica: cereais com fonte de carboidrato. Se preparados com menos açúcar e sem leite condensado, são bem nutritivos. Algumas alternativas para conferir mais sabor são queimar o açúcar no momento do preparo e adicionar raspas de laranja ou canela.

arroz doce tape

Curau e pamonha: fontes de carboidratos. Normalmente levam na composição leite e açúcar. Evite incluir no preparo manteiga, gordura vegetal e leite de coco, pois deixam a preparação ainda mais calórica.

pamonha

Bolo de milho: fonte de carboidrato, leva na composição ingredientes proteicos como leite e ovos. No caso de preparações caseiras, experimente prepará-lo com metade do açúcar da receita e utilize óleos vegetais no lugar da gordura vegetal, da margarina ou mesmo da manteiga.

Receita-Bolo-de-Milho

Vinho quente e quentão: são calóricos por conter álcool e grande quantidade de açúcar, por isso, vale a pena moderar o consumo. Nos preparos caseiros, existem opções sem álcool, utilizando gengibre, casca de laranja, sucos de frutas como laranja, maçã, abacaxi, maracujá, suco de uva integral e as especiarias como, canela e cravo-da-índia.

vinho quente sem vinho

Por Larissa Vidal – Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo