Arquivo da categoria: cachorro

Curitiba: eventos sobre lhasa apso e shih tzu e adoção de pets no fim de semana

Eventos das raças lhasa apso e shih tzu, palestras sobre saúde animal, desfiles e encontro de adoção de cães e gatos prometem agitar o fim de semana

Quem não se encanta com a beleza dos cães da raça lhasa apso e shih tzu? Pois esses pequenos peludos de origem tibetana, muitas vezes confundidos por sua aparência parecida, são mesmo encantadores e prometem animar Curitiba neste fim de semana. Eles estarão em mais dois eventos promovidos pelo pet center HiperZoo. No sábado (23) acontece o 1º Encontro Lhasa Apso e no domingo (24) o 1º Encontro Shih Tzu.

“Os eventos de raças têm sido um sucesso e reunido cada vez mais tutores. É uma oportunidade única para as pessoas que adoram a mesma raça interagirem e trocarem experiências”, revela Patrícia Maeoka, sócia-proprietária do HiperZoo. “Também contamos com a presença de pets famosos nas redes sociais, o que alegra ainda mais os encontros”, completa.

Outra atração dos eventos será o desfile de cães promovido pela marca Jingles Moda pet, que acontece no sábado e domingo às 15h. Durante o desfile, aberto a todos os clientes, uma comissão julgadora seleciona o cachorro mais parecido com o tutor, o mais fashion e o mais simpático. Ainda no domingo, os participantes podem aproveitar a variedade gastronômica dos foods trucks presentes no evento.

Para quem não resiste à personalidade forte, sensível e afetuosa do desconfiado Lhasa Apso ou ao charme do meigo, companheiro e simpático Shih Tzu, a programação está garantida. A entrada para os encontros é gratuita e os cães também podem se divertir num espaço seguro para eles com direito a piscina de bolinhas.

Saúde Animal

E o fim de semana não é só de diversão, mas também de aprender como cuidar dos animais de estimação. Para isso, o pet center promove duas palestras sobre saúde canina. No sábado o tema será a Leishmaniose, uma das doenças que mais afeta os cães no Brasil, e que pode causar problemas dermatológicos, crescimento anormal das unhas, emagrecimento progressivo, anorexia e pode, até mesmo, levar o animal a óbito, dependendo das complicações.

Já no domingo, os assuntos serão as verminoses e seus riscos. Embora seja uma patologia muito comum em pets, a verminose pode causar sérios problemas e chegar a colocar a vida do animal em risco. Anemia, vômito, diarreia, convulsões, pneumonias, emagrecimento, menor absorção e digestão de nutrientes, perda de sangue e proteínas são alguns dos danos causados pelos vermes. Por isso conhecimento e prevenção são tão importantes.

“Outra proposta da nossa loja é oferecer conhecimento aos clientes, por isso buscamos trazer especialistas nos mais diversos temas para um bate-papo. Adestramento, comportamento animal e saúde são os mais solicitados”, comenta Patrícia.

Encontro de Adoção

cachorro e gato adoção.jpg

E ainda, quem quiser, pode aproveitar o fim de semana para adotar um cão ou gato. No sábado (23) acontece mais um encontro de adoção com a ONG Amigo Animal e Beco da Esperança. Para adotar um pet, o interessado deve ter mais de 21 anos, responder a uma entrevista sobre os motivos de adoção, aceitar receber a visita de um voluntário da ONG participante e apresentar RG, CPF e comprovante de endereço para assinar o termo de adoção. Para quem deseja ter um gato como animal de estimação é necessário ter caixa de transporte e possuir telas de proteção nas janelas de casa.

Serviço

Encontro de Adoção com Amigo Animal e Beco da Esperança
Quando: sábado, 23 de setembro das 10h às 17h

Famille de Lhassa apso cte  cte diffrents

Encontro de Lhasa Apso HiperZoo
Quando: sábado, 23 de setembro, das 12h às 17h
Entrada: gratuita

Palestra “Leishmaniose não tem cura. Saiba como prevenir”, com a médica veterinária Priscila Pereira
Quando: sábado, 23 de setembro, às 14h
Entrada: gratuita

Desfile de cães HiperZoo e Jingles Pet
Quando: sábado, 23 de setembro, às 15h
Inscrição: gratuita durante o evento

Shih tzu dog portrait at studio

Encontro de Shih Tzu HiperZoo e Food Trucks
Quando: domingo, 24 de setembro, das 12h às 17h
Entrada: gratuita

Palestra “Verminoses e seus riscos”, com a médica veterinária Ana Caroline Garcia
Quando: domingo, 24 de setembro, às 14h
Entrada: gratuita

Desfile de cães HiperZoo e Jingles Pet
Quando: domingo, 24 de setembro, às 15h
Inscrição: gratuita durante o evento

HiperZoo – Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba/PR

 

Anúncios

Cães, gatos e a hora do banho

Até mesmo na estação mais quente do ano alguns cuidados precisam ser tomados durante o banho de cães e gatos. O médico veterinário da Max Cat e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado dá algumas dicas, confira:

gato banho molhado

Banho: o ideal é que no verão os animais sejam banhados de 15 em 15 dias – mesmo que seja refrescante, o excesso de banho retira a proteção natural da pele, expondo-o mais facilmente a alergias, fungos e doenças dermatológicas. Atenção também para não molhar os ouvidos do pet, coloque algodão para evitar umidade.

gato tomando banho pinterest

Temperatura da água: nada de banhos frios, mesmo em dias quentes, a temperatura da água deve ser morna para fria. Realize o banho num lugar sem vento e, de preferência, num dia de sol.

cachorro-banho-star-grooming

Raças peludas: cães e gatos com pelos longos podem tomar banho uma vez por semana no verão e precisam ser secos cuidadosamente.

escovando cachorro

Escovação dos pelos: escove o pet regularmente, isso ajuda muito na saúde da pele, pois remove as células mortas e mantém a pelagem sempre bonita.

Hora do Banho cachorro gato pets

Secar: use uma toalha felpuda; no caso de animais peludos, utilize um secador, mas deixe o aparelho distante da pele do animal para evitar queimaduras. Cuide das dobrinhas: em cães como os da raça sharpei, passe um óleo específico para evitar umidade entre as rugas. Os ouvidos também precisam de atenção, durante o banho coloque um pouco de algodão no ouvido do animal para ajudar a não entrar água.

Fonte: Total Alimentos

 

Petz oferece nova vacina contra o verme do coração em cães

Medicamento previne a dirofilariose, doença transmitida por mosquito e provocada por um verme que se aloja no coração do pet; a incidência é maior no litoral, mas há casos também em outras regiões

Quando começa a esquentar o tempo, as famílias viajam mais com os pets para a praia. Mas é justamente nesta época mais quente que aumentam os casos de dirofilariose, uma doença provocada por um verme que se aloja no coração dos pets, transmitida por mosquito nas regiões litorâneas. Para proteger os bichinhos de estimação, a Petz oferece uma nova vacina que previne contra o parasita dirofilária, causador da doença.

“O melhor remédio é a prevenção. Basta uma dose por ano, para proteger os bichinhos de estimação. Apesar de a doença também afetar os gatos, o medicamento é indicado apenas para cães a partir de nove meses de idade”, explica o veterinário da Petz Felipi Bruno Espada. Antes, a única forma de prevenção era a aplicação mensal de vermífugos ou de medicamentos específicos para dirofilariose. A incidência da doença é maior no litoral, mas há casos também em outras regiões.

Sinais

Apatia, tosse, falta de ar, perda de peso, cansaço e dificuldade para se exercitar são alguns dos sinais da doença, que vem se espalhando de forma silenciosa. “Pode ser detectada com um simples teste de sangue e, caso seja diagnosticada cedo, as chances de recuperação são maiores”, explica o veterinário. Quando instalada, a dirofilariose reduz expectativa de vida, pode deixar sequelas graves e até matar por insuficiência cardíaca súbita.

Cuidados com o coração do pet cachorro

Como tratar

O tratamento é voltado para acabar com as microfilárias (vermes jovens), evitando que novos parasitas cheguem à fase adulta e, com isso, se reproduzam e ocupem mais espaço no coração e nos vasos sanguíneos no pet. “É importante, além da prevenção, fazer check-up antes e depois das viagens, para obter informações com os veterinários sobre a melhor forma de proteger e tratar dos pets”, orienta o veterinário.

Fonte: Petz

Alimentação vegetariana sem supervisão para pets pode causar doenças graves

Uma nova tendência no mundo pet tem chamado atenção de veterinários: a alimentação vegetariana para cães e gatos. Muitos tutores têm estendido seu estilo de alimentação para os animais e, de acordo com a professora de Medicina Veterinária da Unime, Aline Quintela, a mudança da dieta dos pets precisa ser acompanhada por um médico veterinário ou nutrólogo de animais, para que as exigências nutricionais sejam supridas e evite problemas mais graves.

“Qualquer alteração na alimentação de cães e gatos deve ser lenta e gradual. Cães e gatos que são submetidos a uma dieta vegetariana demonstram precocemente sinais de deficiência nutricional, como pelos opacos e quebradiços e menor disposição para brincadeiras e exercícios. Com o passar do tempo, estes animais podem demonstrar sinais clínicos mais graves, como anemia, hipoproteinemia e edema de membros”, alerta Aline.

cachorro simple dog comida

Ainda de acordo com a médica veterinária, que também é professora de Clínica Médica de Pequenos Animais, Oftalmologia Veterinária e Reprodução Animal na Unime, alimentação ideal para oferecer aos animais deve ser balanceada e de qualidade, já que cães e gatos foram ‘fabricados’ para uma dieta rica em carnes. Fibras vegetais devem fazer parte da dieta, mas jamais como componente exclusivo ou principal. “Temos muitas rações comerciais disponíveis no mercado que são completas”, afirma.

Para os tutores que pretendem fazer a transição de ração e alimentos processados para a alimentação natural, a especialista faz mais um alerta: “jamais retire ou substitua ingredientes sem orientação profissional. O acompanhamento clínico e a realização de exames são essenciais, pelo menos semestralmente”.

gato comendo legumes

A especialista complementa que, se a opção do tutor for a dieta caseira, esta deve ser prescrita por um médico veterinário: “A prescrição é baseada no estilo de vida do cão ou gato. Se é sedentário ou faz exercícios, se é castrado, se vive sozinho, dentre outras características, e deve conter os nutrientes essenciais a sua boa nutrição. O tutor deve ter em mente que, apesar de ser mais natural por não conter corantes e conservantes e ser mais atrativa para os animais, a dieta caseira tem que ser preparada diariamente, o que demanda tempo para comprar ingredientes e preparar a refeição. O preço costuma ser mais alto e há necessidade de suplementação com vitaminas, além de ser necessário acompanhamento veterinário constante”.

Fonte: Unime

Curitiba tem fim de semana com programação especial para pet lovers

HiperZoo promove mostra de gatos no sábado (16) e encontro de Spitz Alemão no domingo (17)

Em 2013 eles já eram mais de 22,1 milhões, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Inteligentes, misteriosos e muito atraentes, os gatos vêm conquistando cada vez mais espaço nos lares brasileiros. Por isso, com o objetivo de reunir os cat lovers curitibanos, o HiperZoo promove, neste sábado (16), a 2ª Mostra de Gatos em parceria com o Clube do Gato do Paraná e a marca de rações Premier.

A primeira edição do evento, realizada em fevereiro deste ano, reuniu mais de 2.000 visitantes que puderam conhecer os mais belos felinos dos criadores que compõem o Clube do Gato do Paraná, uma instituição filiada a The Internacional Cat Association (TICA) que tem como objetivos providenciar o registro de filhotes, promover encontros e mostras. Nessa edição, os visitantes poderão ver de perto as raças Persa, Maine Coon, Exótico, Himalaio, American Shorthair, Ragdoll e Sphynx.

“O objetivo dessa mostra é aproximar o público dos principais criadores de gatos do nosso estado, para que possam esclarecer suas dúvidas e conhecer as características dessas raças tão encantadoras”, explica Patrícia Maeoka, sócia-proprietária do HiperZoo.

A raça Sphynx, por exemplo, é muito conhecida por parecer não possuir pelos, na verdade possuem uma pequena pelugem, mas poucas pessoas sabem o quanto esses felinos são inteligentes, curiosos e muito carinhosos.

Afetuosos também são os gatos da raça Ragdoll, tanto que são indicados para o convívio com crianças. Com pelagem longa, porte grande e lindos olhos azuis, a raça ganhou o nome de “boneca de pano” como referência a sua capacidade de relaxar quando está no colo.

gato ragdoll
Gato da raça ragdoll

Outro gigante que estará presente é o Maine Coon, famoso pelo seu porte, eterno comportamento de filhote, inteligência e temperamento extremamente doce e carinhoso. Um macho adulto castrado pode chegar a pesar até 10kg (sem ser obeso) e a medir 1,20m.

maine-coon-baby-and-mom
Foto: mainecoon.org

Já o atlético American Shorthair possui pelos curtos, temperamento quieto e destaca-se pela longevidade, saúde e docilidade com crianças e cães. O Persa também promete atrair o olhar dos visitantes por sua pelagem longa e focinho curto que conferem um ar doce a esta raça quieta, educada e que adora a companhia dos seus tutores.

american shorthair on green artificial grass

Outras duas raças muito parecidas com o persa são o Exótico e o Himalaio. O primeiro tem o focinho como do persa, porém os pelos são curtos e com aspecto de pelúcia. Seu temperamento é carinhoso, alegre e brincalhão. O Exótico ficou muito famoso devido ao personagem Garfield. Já o Himalaio, uma raça criada a partir do cruzamento do Persa com o Siamês, adora brincadeiras e estímulos. Possui os olhos azuis e tem a pelagem longa mas na coloração do gato siamês, a colourpoint.

No mesmo dia também serão realizadas duas palestras dirigidas aos tutores de gatos. A primeira, sobre cuidados na nutrição dos gatos, acontece às 14h e será ministrada pela médica veterinária Amanda Cristina Reguim de Paulo. A segunda palestra, realizada pelo adestrador Rafael Wisneski, acontece às 15h e apresentará o tema “Adequando o ambiente e a rotina para ter um gato feliz”. A entrada para as duas palestras é gratuita. Para apreciar a mostra basta doar 1kg de ração. Cada quilo de ração dá direito a 4 ingressos e as doações serão encaminhadas para a ONG Amigo Animal.

Encontro de Spitz Alemão

Fluffy Cute White Pomeranian Spitz Dog Standing, Curiously Looking isolated

Já no domingo (17) as estrelas serão os cães da raça Spitz Alemão. Trata-se do 1º Encontro de Spitz Alemão no HiperZoo, um evento que contará com espaço seguro para os cães brincarem livremente e uma piscina de bolinhas. Para os tutores, diversos food trucks participarão do evento garantindo a diversão gastronômica.

O Spitz Alemão é conhecido por seu temperamento brincalhão, ativo, inteligente, curioso e aventureiro. É muito apegado ao tutor e à família, porém essa fofura de pequeno porte e pelagem muito macia, que mais parece um bichinho de pelúcia, não é muito chegado a estranhos. É um cão com instinto protetor muito forte e sempre tenta proteger seus tutores de outros cães e pessoas desconhecidas. Por isso é muito importante socializá-lo desde filhote.

Para falar sobre o comportamento do Spitz Alemão, o pet center convidou o adestrador Rafael Wisneski, que ministrará a palestra “Os principais problemas de comportamento do Spitz e como resolvê-los” a partir das 15h. A entrada também é gratuita.

Serviço
2ª Mostra de Gatos no HiperZoo
Quando: sábado, 16 de setembro, das 10h às 16h
Entrada: 1kg de ração – 4 ingressos para a mostra

Palestra “Cuidados na nutrição dos gatos”, com a médica veterinária Amanda Cristina Reguim de Paulo
Quando: sábado, 16 de setembro, às 14h
Entrada: gratuita

Palestra “Adequando o ambiente e a rotina para ter um gato feliz”, com o adestrador Rafael Wisneski
Quando: sábado, 16 de setembro, às 15h
Entrada: gratuita

Encontro de Spitz Alemão
Quando: domingo, 17 de setembro, das 12h às 18h
Entrada: gratuita

Palestra “Os principais problemas de comportamento do Spitz e como resolvê-los”, com o adestrador Rafael Wisneski
Quando: domingo, 17 de setembro, às 15h
Entrada: gratuita

hiper

Hiperzoo – Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba/PR

 

 

 

Cachorro também tem medo de ficar sozinho

Entenda como a Síndrome de Ansiedade da Separação afeta os cães

A correria de nossa rotina faz com que tenhamos pouco tempo livre e, infelizmente, o fiel companheiro é um dos primeiros a sentir isso. É fundamental antes de escolher um pet levar em consideração o tempo que gastará para garantir a felicidade dele.

Algumas raças são mais independentes do que outras. Elas tendem a se adaptarem melhor às horas de solidão, o que pode ser uma boa escolha para aqueles que não param em casa. Isso não significa que não sintam a ausência do tutor. Nem mesmo as espécies mais desprendidas da presença do dono estão imunes à Síndrome de Ansiedade da Separação, a SAS.

“Essa Síndrome é caracterizada pelo conjunto de sinais clínicos demonstrados pelos cães quando deixados sozinhos ou afastados da pessoa que eles têm como referência. Dentre esses sinais, podem ser citados: uivos, choro ou latidos em excesso, comportamento destrutivo (como roer, rasgar objetos e roupas, por vezes da pessoa de referência), micção e defecação em locais inapropriados”, explica a professora Angélica Silva, do Curso de Medicina Veterinária da UNG Universidade.

Os motivos que despertam a SAS no animal são diversos, passando pela morte de outro animal da casa, mudança de residência, insegurança ao estar só ou até mesmo por apego excessivo ao dono. Filhotes, em geral, costumam ser excessivamente dependentes e afetuosos por serem gregários – animais que vivem em bandos. Essa característica torna a família o grupo do cão e alterações como a ausência do dono podem desencadear a SAS.

cachorro latindo uivando clker free vector images2

Cães que vivem exclusivamente dentro de casa, sem passeios ao ar livre ou outras atividades lúdicas podem ser mais propensos ao problema, segundo Angélica. A professora explica que animais que têm comportamentos disfuncionais, como seguir o dono pela casa o tempo todo ou levar mais de dois minutos ao saudá-lo quando chega em casa, tem três a cinco vezes mais chances de desenvolver a patologia. Por isso, preste atenção para identificar os sinais que o seu animalzinho transmite.

O problema deve ser tratado de acordo com a origem do trauma. Em casos de medo, deve-se focar na superação do trauma com o manejo do ambiente. A dica é retirar possíveis fatores que provoquem essa fobia e mostrar que a situação não é temerosa. Se a SAS é decorrente da morte de um animal próximo, o recomendado é que consiga outra companhia.

Para aqueles que sofrem de hiperapego, o tutor deve reduzir a dependência afetiva, reforçando os comportamentos de calma e obediência, mostrando os limites por meio de afagos. Angélica sugere condicioná-lo a ficar em um local confortável com brinquedos ou uma peça de roupa do dono em alguns períodos do dia, quando o tutor estiver presente. Após algumas repetições desse processo, deve-se colocá-lo neste mesmo local um pouco antes de sair. E quando voltar, se ele estiver tranquilo, soltá-lo e brincar com o bichano. A conscientização do proprietário é fundamental de que atenção em excesso pode ser prejudicial.

mulher e cão

Apesar das dicas, a professora reforça a necessidade da visita ao médico veterinário, caso haja mudança de comportamento, pois somente o profissional conseguirá diagnosticar com propriedade o caso e instruir conforme as necessidades específicas de seu animalzinho.

Pensando nos cuidados com os pets, a Clínica Escola de Medicina Veterinária da UNG Universidade realiza agendamento de consultas nas áreas clínicas e cirúrgicas para animais domésticos de grande e pequeno porte, além de silvestres. O atendimento no hospital é aberto a toda sociedade, as consultas e cirurgias têm um custo mais baixo do que em clínicas particulares, tonando o serviço mais acessível.

Pessoas interessados devem entrar em contato pelo telefone: (11) 2423-7601.

Clínica Escola Veterinária Universidade UNG
Local: Prédio H da Unidade Guarulhos – Dutra
Endereço: Rua Anthon Philips, 446 – Vila Herminia, Guarulhos
Atendimento: de Segunda a sexta-feira, das 8h30 às 20h30;
Agendamento: (11) 2423-7601

 

Vira-lata é o cão preferido dos lares brasileiros

Entre aqueles que possuem cachorros, 41% têm um ‘sem raça definida’, de acordo com o Instituto QualiBest, que ouviu 7.084 pessoas donas de PET, em todo o Brasil. Poodles, Pinschers, Labradores, Pit Bulls e Lhasa Apsos completam o ranking

Se você é tutor de um simpático vira-lata, pode comemorar. O seu pet é não somente o mais popular entre os brasileiros, como é aquele que menos apresenta problemas de saúde, com apenas 15% de incidência. Já se você mora com um Lhasa Apso ou um Poodle, prepare o bolso: em ambos os casos, os exemplares da raça não costumam consumir menos do que cinco serviços a cada ida ao pet shop.

Os dados figuram em uma pesquisa online inédita realizada pelo Instituto QualiBest, de São Paulo, que ouviu 7.084 homens e mulheres, de 18 anos ou mais, das classes A, B, C, D, E, de todas as regiões do país. A margem de confiança da pesquisa é de 95%.

Entre os entrevistados que possuem e são responsáveis por pets soma-se 65%, desses 79% têm cães, 39% gatos, 19% aves e 10% peixes.

Depois do vira-lata, presente em 41% dos lares, vêm as raças Poodle (11%), Pinscher (7%), Labrador (5%), Pit Bull (3%) e Lhasa Apso (3%).

Além de ser o mais saudável, o vira-lata é o cão mais presente nas casas das classes C e D e 33% deles foram encontrados abandonados nas ruas.

cachorro lhasa

Os Lhasa Apsos, por sua vez, são os que mais viajam com seus donos (26%) e aqueles que mais dormem com eles na cama (52%).

“Nós estamos sempre de olho nas tendências do mercado para realizar estudos de opinião pública. Nunca vimos tanto lançamento de serviços para o mundo PET e era um assunto que nunca havíamos investigado por conta própria. Tinha também poucos dados de pesquisas disponíveis”, diz Daniela Chammas Daud Malouf, diretora-geral do Instituto.

“Foi a primeira vez que pesquisamos este mercado por conta própria e ficamos impressionados com a adesão.”

cachorro e mulher

Curiosidades

  • 30% dos cães brasileiros têm porte pequeno (5kg a 10kg)
  • 93% dos labradores são criados em casa (apenas 2% em apartamento)
  • 62% dos pit bulls presentes nos lares brasileiros são machos
  • 37% dos donos de lhasa afirmam que sempre comemoram o aniversário do cão
  • 34% dos donos de poodle ganharam o pet de alguém

“Graças à internet, conseguimos obter um valor competitivo. Queríamos lançar algo especial, que nem mesmo os fabricantes de rações encomendariam. Iniciamos a pesquisa com 14.000 internautas e chegamos a uma amostra robusta de 7.000 donos de pet, amostra essa que possibilitou entender os hábitos dos donos de PET em todo o Brasil, incluindo o interior de cada Estado, e com um olhar especial por raça”, complementa Daniela.

golden-cachorro

Quem ama cuida

A comida é outro fator destaque no levantamento: 12% dos cães que figuram na pesquisa comem a mesma comida que é preparada para o dono/outras pessoas da casa; 32% ingerem ração comum e, 38%, ração específica para seu porte.

Em média, os animais são alimentados de duas a três vezes ao dia.

Surpreendentemente, 80% dos cães de estimação não apresentam nenhum problema de saúde. Entre aqueles que os têm, as doenças mais comuns são alergia cutânea, dermatite, catarata, sobrepeso e otite.

cachorro simple dog comida

Como quem ama cuida, a pesquisa revela que 56% dos entrevistados levam seus cães para vacinação de uma a duas vezes ao ano; 58% levam para o banho de uma a duas vezes ao mês; 34% levam para a tosa uma vez ao mês e 44% compram produtos de higiene uma vez ao mês.

Tutores de pets que “sentem falta de algum produto ou serviço no mercado” alcançam 61% e algumas queixas são: falta de alimentos isentos de conservantes, corantes, sabores artificiais e subprodutos; inovação em produtos e serviços; falta de soluções em diversão e relaxamento; e aplicativos específicos para seus pets.

Fonte: Instituto Qualibest

Dicas de como aproximar cães e gatos

A maioria dos cães, especialmente os mais jovens, prefere brincar com outros animais ao invés de atacá-los. Embora alguns considerem cães e gatos como inimigos naturais, há muitos casos nos quais eles se tornam grandes amigos.

Permitir a esses animais estabelecer limites seguros, limitar o acesso entre eles e trabalhar em etapas para controlar a agressão do seu cão são as chaves para impedir um cão de atacar um gato. Listamos abaixo seis passos:

filhote gato e cachorro

-Apresente o cão para o gato bem cedo — quando ainda são filhotes, se possível. Dê aos animas a oportunidade de se conhecerem na sua presença, independente da idade do cachorro. Permita ao gato gradualmente ficar à vontade perto do cão, o que o tornará menos propenso a atacar.

-A castração pode ser útil na redução do comportamento agressivo em relação aos gatos e também a outros cães.

mulher cachorro passeio caminhada

-Passeie com seu cão com frequência e brinque o máximo possível para manter os níveis de energia do cão mais baixos quando ele interagir com o gato mais tarde.

-Leve o cão para um treinamento de obediência realizado por um treinador profissional. Estabeleça uma série de comandos a serem seguidos pelo cão, assim, mesmo que haja um ataque iminente, você estará preparado para impedi-lo com as vozes de comando praticadas.

menina com gato e cachorro

-Fique no ambiente quando os animais estiverem juntos. Repreenda o animal a qualquer sinal de agressão. Sinais de agressão incluem mostrar os dentes, rosnar e assumir uma postura rígida.

gato-no-sofa

-Mantenha áreas separadas em sua casa para cada animal, se possível. Mantenha-os separados sempre que você não estiver por perto para monitorá-los. Deixe os cobertorzinhos ou caminhas de um animal com o outro em áreas separadas, assim eles se acostumam com o cheiro um do outro.

cachorro e gato comendo.png

Dicas e Alertas: nunca tente separar fisicamente uma briga entre seu cão e seu gato, pois você pode ser acidentalmente arranhado ou mordido.

Fonte: Marcello Machado, médico veterinário da Max e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos

Dog protection influencer ensina como ajudar cães abandonados

Vivi Machado, influenciadora e facilitadora de cuidados para cães, lança e-book “8 Maneiras de Ajudar Cães Abandonados”. Objetivo é empoderar cidadãos quanto aos procedimentos adequados no trato de animais de rua

Se você é uma pessoa engajada na causa animal – ou ao menos se preocupa com o bem-estar dos bichos -, é possível que já tenha experimentado uma sensação de desconforto ao avistar um cachorro abandonado, doente ou maltratado nas ruas. No entanto, por não saber como ajudar, nada ou pouco pôde fazer.

Foi pensando em auxiliar esses cidadãos – e, claro, a população de cães abandonados em todo o Brasil – que a influenciadora Vivi Machado escreveu o e-book “8 Maneiras de Ajudar Cães Abandonados”, disponível gratuitamente na web, para download, a partir desta semana.

capa livro.png

O objetivo do material é dar dicas simples e objetivas a qualquer pessoa que queira minimizar o sofrimento dos cachorros de rua sem depender de terceiros.

Entre outras sugestões, a especialista indica o compartilhamento de publicações de ONGs e protetores independentes em mídias sociais; a doação de rações, medicações e outros materiais e o apadrinhamento de cães resgatados.

Não há estatísticas oficiais sobre o número de cachorros abandonados no Brasil, mas algumas entidades do setor pet estimam que esse total possa chegar a 20 milhões. “Pretendo oferecer a qualquer cidadão que se entristeça com essa situação a oportunidade de colaborar para a mudança de quadro, independentemente de como e da dimensão da colaboração”, explica Vivi Machado. “O importante é contribuir para a causa.”

Quem é Vivi Machado

vivi machado

Vivi Machado é comunicadora, Relações Públicas, palestrante e apaixonada por cachorros. Gaúcha radicada em Florianópolis (SC), atua como dog protection influencer (influenciadora na proteção de cães) e facilitadora on-line e off-line de cuidados para cães. É, ainda, a idealizadora da marca social Bendito Cão, criada em 2015.

A Bendito Cão é uma plataforma de conexão multidisciplinar cujo objetivo é unir pessoas em prol da proteção e bem-estar de cães, bem como servir de elo entre os diversos integrantes da cadeia pet, por meio de ações que gerem impacto positivo na vida dos cachorros.

vacina-da-Rubi-860x675.jpg

A atuação da Bendito Cão baseia-se em três pilares:

1. realização de palestras de conscientização social em eventos, instituições de ensino, e empresas, com ênfase no esclarecimento sobre como ajudar cães abandonados, guarda responsável, bem-estar e outros temas;
2. promoção do voluntariado em favor da causa canina, voltado a pessoas físicas e jurídicas; e
3. fomento a iniciativas específicas baseadas na missão da marca, a partir da criação do Programa Movimento Bendito Cão, que prevê a formação de grupos de cidadãos e especialistas, os chamados “Embaixadores Bendito Cão”, para a realização de “castrações sociais” de cães abandonados, entre outras ações.

Informações: Bendito Cão

Alimentação natural oferece todos os nutrientes necessários para os cães

A qualidade da alimentação influencia diretamente na saúde e na expectativa de vida dos animais

A alimentação é muito importante para a saúde do pet. Cada vez mais as pessoas estão questionando se a melhor opção é dar ração ou comida. Estudos científicos baseados em grupos controle e observações empíricas, concluíram que, fisiologicamente, a alimentação natural seria mais saudável para os cães.

Segundo Flávia Engles, veterinária e proprietária da Riviera dos Cães, uma dieta caseira oferece diversos benefícios, dentre eles a maior presença de água (umidade), o que facilita a digestão dos alimentos, o trabalho dos rins, do intestino e, com isso, estudos apontam um aumento na longevidade dos cães.

A ração contém aditivos químicos, como conservantes, palatabilizantes, corantes, aglutinantes, entre outros. “Muitos desses aditivos são prejudiciais à imunidade, à função hormonal, além de estarem associados a alergias e tumores”, destaca Flávia. Já a alimentação natural é bem mais atraente ao paladar dos cães, por ser úmida, cozida e fresca, preserva o sabor de cada alimento, como também, a inclusão regular de alimentos diferentes reduz o risco de intolerância e alergia alimentar, associadas à oferta de dietas sem variação de ingredientes”, explica a profissional.

Outro benefício garantido pela alimentação natural é a presença de proteína animal de excelente valor nutricional, combinada com ótimos níveis de minerais e ácidos graxos, que reduzem a queda de pelos e tornam a pelagem mais macia e brilhante.

Pet_ Alimentação

A alimentação natural melhora a saúde de maneira geral, dando mais disposição para o animal, além de aumentar a resistência natural a parasitas, doenças e ainda produz uma diminuição sensível em quadros de vômitos, diarreia, otites e alergias quando causados por consumo de ração seca.

“Além de sabermos, exatamente, quais alimentos estão presentes na alimentação do pet, com relação ao pequeno risco de transmissão de parasitas, a alimentação natural cozida é considerada mais segura que a alimentação natural crua, podendo ser oferecida com segurança até mesmo a cães com a imunidade comprometida”, destaca a veterinária.

Existe uma quantidade ideal de comida para cada pet, baseada no peso, nível de atividade física (atleta, sedentário etc.), condição fisiológica (prenhez, lactação etc.), idade (filhote, adulto ou idoso) e doenças pré-existentes. Por isso, antes de iniciar uma alimentação natural é importante entrar em contato com um veterinário nutricionista para calcular a quantidade de nutrientes, vitaminas e minerais. Cabe lembrar, que cada animal tem uma necessidade calórica diferente e a adaptação de cada cão a essa mudança, varia.

Além dos alimentos permitidos, é preciso ficar atento às restrições, como por exemplo, chocolate, macadâmia, frutas cítricas, carambola, massas cruas, cebola, alho, uva, passas, sementes de maçã e pera. “Outros alimentos potencialmente perigosos são: alimentos açucarados, frituras, osso de ave cozido (o cozimento altera a estrutura molecular do colágeno do osso, tornando-o mais rígido ao ser partido e com isso há o risco de perfuração gastrointestinal) e o “Osso” de couro branco (esses couros frequentemente são tratados com alvejantes como a soda cáustica para agradar aos nossos olhos) ”, finaliza Flávia.

Pet Alimentação 2

Sobre a Riviera dos Cães

Localizada na zona oeste de São Paulo, é reconhecida pelos tutores como o paraíso dos pets. Os cães podem frequentar diariamente a creche e também pernoitar no hotelzinho, sempre com acompanhamento veterinário. O espaço especialmente construído para comportar cachorros de diferentes portes e níveis de energia, tem 700 m² e oferece uma ampla estrutura de dois andares, com capacidade de divisão em cinco áreas independentes, todas separadas por rampas e grades.

Informações: Riviera dos Cães