Arquivo da categoria: câncer de mama

Outubro Rosa Animal alerta para o tumor mamário em cadelas e gatas

Campanha com ações gratuitas é promovida pela Associação Natureza em Forma

Outubro é o mês de conscientização do câncer de mama, um mal que pode atingir inclusive nossos animais de estimação. Por isso, é fundamental o trabalho de prevenção para cadelas e gatas. Com o intuito de informar os tutores sobre esses cuidados, a ONG de proteção animal Associação Natureza em Forma realizará no próximo domingo (29) o Outubro Rosa Animal, com aconselhamento sobre exames preventivos, triagem e encaminhamento de casos suspeitos para acompanhamento oncológico e outras orientações gratuitas.

divulgacao_naturezaemforma

Castração é a melhor prevenção

Entre as formas de prevenção de tumores mamários em fêmeas, a mais recomendada ainda é a castração. “A cirurgia de castração antes do primeiro cio é o melhor método preventivo para cadelas e gatas. O uso de anticoncepcionais não é indicado para essas espécies, pois pode favorecer o surgimento de tumores”, alerta Carolina Vieira, veterinária oncologista voluntária da ONG.

divulgacao_naturezaemforma_2

A Associação Natureza em Forma também conta com um centro cirúrgico solidário que, além de realizar cirurgias de castração, dá suporte ao tratamento oncológico veterinário.

outubro-rosa.jpg

Outubro Rosa Animal
Quando: 29 de outubro (domingo), das 12h às 18h
Local: Associação Natureza em Forma
Endereço: R. General Jardim, 234/240 – República – São Paulo/SP
Tel: (11) 3151-2536 / 3151-4885

 

Anúncios

Caminhada de conscientização encerra campanha Outubro Rosa

A GE Healthcare, em parceria com o Sport Club Corinthians Paulista, Lavoisier Laboratório e Imagem, Hospital Santa Marcelina, Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo e a Smart Fit estão realizando uma campanha de conscientização e prevenção do câncer de mama ao longo do mês de outubro.

No dia 29 de outubro (domingo), será realizada a II Caminhada pela Conscientização do diagnóstico precoce do Câncer de Mama. O aquecimento será em frente ao Hospital Santa Marcelina, em Itaquera, para caminhar em direção à Arena Corinthians, onde serão feitas aulas de alongamento e dança com os professores da Smart Fit, aferição de pressão e testes de glicemia gratuitos com o Lavoisier, além de aprender mais sobre a importância da realização regular de exames preventivos. Mulheres, homens e crianças são bem-vindos para participar das atividades.

Ao longo do mês de Outubro, mais de mil mamografias serão realizadas no estacionamento da Ala Leste da Arena Corinthians, pelo Programa Mulheres de Peito, mantido pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo. Com uma carreta equipada com um mamógrafo da GE Healthcare, as mulheres inscritas e sorteadas para a iniciativa realizam a mamografia e, em caso de necessidade, serão encaminhadas para consulta no Hospital Santa Marcelina.

Para as interessadas em fazer o exame e que não forem sorteadas nesse primeiro momento na Arena Corinthians, haverá um outro sorteio para realização das mamografias de forma gratuita no laboratório Lavoisier, que disponibilizará mais 200 exames em quatro de suas unidades da Zona Leste.

lavoisier

O que: II Caminhada pela Conscientização do diagnóstico precoce do Câncer de Mama
Quando: 29 de outubro, às 8h
Local: Rua Santa Marcelina, 177, São Paulo

 

Outubro Rosa: ainda dá tempo de degustar vinhos por uma causa social

Em outubro, todos os rosés vendidos na Grand Cru terão parte do valor da venda revertido à Fundação Laço Rosa

Com o objetivo de chamar a atenção para a causa do câncer de mama, a Grand Cru, maior rede de lojas de vinhos do Brasil, apresenta a campanha Outubro Rosé. Até o final deste mês, todos os vinhos rosés vendidos nas lojas físicas, e-commerce e televendas terão parte da verba revertida à Fundação Laço Rosa, instituição que, além de disseminar informação de qualidade e de resgatar a autoestima de pacientes com projetos como o Força na Peruca, hoje influencia políticas públicas para o câncer de mama no Brasil.

logos_grand_cru___derivados_app_19

“A Grand Cru se sente honrada em contribuir para a prevenção do câncer de mama, através da parceria com uma entidade tão séria como a Fundação Laço Rosa. Entendemos que é nosso papel como empresa de alcance nacional, apoiar a conscientização e prevenção da doença, de forma clara em nossas vitrines e contribuindo financeiramente. De Manaus a Porto Alegre, uniremos nossa rede com mais de 50 lojas em prol desta causa fundamental para o bem das mulheres”, declara o CEO da Grand Cru Luciano Kleiman

Estilo de vinho muito apreciado nos países do Hemisfério Norte e que tem conquistado cada vez mais consumidores brasileiros, os rosés apresentam estrutura dos tintos, mas sem deixar de lado a leveza dos brancos. O estilo é tão impressionante que dois rosés já figuram entre os 10 vinhos mais vendidos da importadora. “É fácil degustar o frescor e a acidez típicas deste vinho, em qualquer ocasião do ano. Os aromas vão desde cerejas, framboesas e morangos até especiarias e flores. Quanto mais escura a coloração, mais intensos são os aromas e sabores”, explica o sommelier Massimo Leoncini.

Com produtos que variam entre R$ 44,00 a R$ 500,00 é possível encontrar rótulos como o português Terra de Lobos 2015, da Quinta do Casal Branco, por R$ 59,00; e o francês Romance Côtes de Provence 2016, da Château de Berne, por R$ 99,00.

Veja abaixo mais algumas opções:

romance_cA_tes_de_provence_2015_r__99

Romance Côtes de Provence 2015 R$ 99,00 – Château de Berne 

Wellington Nemeth - Fotografo

Rivarose Brut Rosé Provence R$ 99,00 – André Delorme 

Wellington Nemeth - Fotografo

Terres de Berne Côtes de Provence 2015 R$ 129,00 – Château de Berne 

Wellington Nemeth - Fotografo

Berne IGP Esprit di Méditerranée 2016 – R$ 69 – Château de Berne 

Wellington Nemeth - Fotografo

Victoria Geisse Vintage Rosé 12 Meses R$ 69 – Cave Geisse 

Informações: Grand Cru

Pilates contribui para reabilitação depois do câncer de mama

Graças a movimentos como o Outubro Rosa, muitas mulheres conseguem detectar e tratar o câncer de mama de forma precoce. Entretanto, os tratamentos para combater a doença causam diversos efeitos colaterais que diminuem a qualidade de vida. Dor, ganho de peso, atrofia muscular, perda óssea precoce e linfedema são algumas consequências das terapias para o câncer de mama.

Segundo a fisioterapeuta e especialista em Pilates, Walkiria Brunetti, esta atividade é uma excelente maneira de reabilitar a mulher depois de um câncer de mama, independentemente do tipo de tratamento ao qual foi submetida.

“Entre os efeitos colaterais dos tratamentos podemos citar fadiga, dor, inchaço, aumento da rigidez das articulações, diminuição da amplitude de movimento, fibrose no local da cirurgia e o mais temido de todos, o linfedema. Qualquer atividade sempre precisará ser liberada pelo médico que acompanha a mulher”, explica Walkiria.

pilates

Um dos tratamentos mais indicados para o linfedema é a drenagem linfática, que pode ser feita sozinha ou ainda em conjunto com o Pilates, sendo o Pilates benéfico para aliviar a maioria dos sintomas causados pelo tratamento pelo câncer de mama.

Estudos reforçam benefícios do Pilates

Um estudo realizado na Austrália, em 2013, com mulheres que passaram por um tratamento para o câncer de mama mostrou que o Pilates melhorou de forma importante a resistência muscular. Outro estudo, feito em 2016, e realizado na Turquia, mostrou que o as mulheres que fizeram Pilates apresentaram melhora da dor e dos os movimentos do ombro, assim como ganho de força na região.

“O Pilates, desde que feito por fisioterapeutas capacitados, é uma alternativa para reabilitar as mulheres que passam por um tratamento de câncer de mama. Estes dois estudos mostraram que o método apresenta melhores resultados quando comparado aos exercícios realizados em casa. Isso reforça a importância do acompanhamento especializado na reabilitação”, explica Walkiria.

pilates walkiria brunetti.jpg

Veja agora uma lista dos principais benefícios do Pilates na reabilitação de mulheres pós-tratamento do câncer de mama:

-Melhora da amplitude de movimento; 
-Aumento da força e resistência muscular;
-Melhora da dor;
-Opção para tratar as disfunções de membro superior devido ao câncer de mama.

“Outro benefício do Pilates é que pode ser feito em aulas individuais e isso pode ser particularmente importante em alguns casos, como nas mulheres que estão com a imunidade baixa ou ainda para aquelas que se sentem desconfortáveis com o ganho de peso, perda dos cabelos, entre outros aspectos que podem interferir na autoimagem”, comenta Walkiria.

O diagnóstico precoce aumenta muito a chance de cura do câncer de mama. Porém, é preciso oferecer à mulher ferramentas para melhorar sua qualidade de vida global e o Pilates é uma delas.

Informações: Walkiria Brunetti

Outubro Rosa: seis opções da Giuliana Flores para apoiar a causa

Criado em 1990, o Outubro Rosa começou em Nova York com o intuito de conscientizar as mulheres sobre a importância do autoexame e acompanhamento médico na luta pelo combate ao Câncer de Mama. No Brasil, a ação já iluminou diversos pontos turísticos com a cor rosa, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo. A Giuliana Flores, maior floricultura on-line do Brasil, abraça essa causa e traz uma seleção de arranjos com a nuance que representa o movimento. Confira as sugestões:

giuliana1

As violetas florescem durante o ano inteiro e deixam qualquer ambiente mais bonito. Por R$ 57,10

giuliana 2

Conhecido também como flor dos deuses, o cravo é uma espécie exótica e que agrada as mulheres que têm personalidade forte. O vaso com oito unidades está disponível por R$ 131,50.

giuliana3

O delicado coração repleto de rosas pinks é uma ótima forma de lembrar as mulheres que você ama sobre essa causa tão importante. Por R$ 85,70

giuliana 4

A caixa sublime premium recheada com rosas mescladas de tons magenta e branco impressionam e agradam todos os gostos. Por R$ 228,30

giuliana 5

Como resistir à beleza de gérberas pinks combinado com um kit todo especial da Natura Tododia de sabonetes com aroma de orquídea? Por R$ 77,90 giulina 6

Não existe idade para ser surpreendida com um ursinho de pelúcia. Ainda mais quando vem acompanhado de um belo buquê de flores nobres. Por R$ 129,90

Informações: Giuliana Flores

Reconstrução imediata da mama garante melhor qualidade de vida

Outubro rosa é um movimento importante para conscientizar, de forma exaustiva, os meios de prevenir e diagnosticar precocemente o câncer de mamas. “Com os recursos da medicina moderna, grande parte dos tumores são curáveis desde que diagnosticados precocemente”, analisa a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Isaps (International Society of Aesthetic Plastic Surgery).

“No caso das mamas, elas representam a feminilidade, conferindo contorno ao corpo da mulher ao mesmo tempo em que produz leite e aplaca a fome do filho. A retirada da mama implica na perda destas sensações e, consequentemente, de parte do poder feminino. A cirurgia de reconstrução de mamas devolve a anatomia, restabelece o contorno reabilitando a forma feminina da mulher e melhora a autoestima após a mutilação necessária para o tratamento do câncer”, acrescenta a médica.

De acordo com a especialista, estudos mostram que a sobrevida e a qualidade de vida da paciente são melhores quando a reconstrução é imediata, ou seja, quando é feita na mesma cirurgia da retirada da mama. “Porém, em alguns casos isso não é possível por estadiamento do tumor, ou condições clínicas da paciente para enfrentar cirurgia maior. A decisão é feita pela equipe médica visando o melhor à paciente”, comenta.

A médica argumenta que a simples retirada do tumor pode ser suficiente e, dependendo das células envolvidas, mesmo em tumores pequenos a retirada de toda a mama é necessária, ou ainda deve ser complementada com radioterapia, quimioterapia ou ainda hormonoterapia.

“Tumores maiores, diagnosticados mais tardiamente requerem tratamentos mais amplos, demorados e mais agressivos”, afirma. Como a mama não é um órgão vital, é possível viver funcionalmente sem mamas. Muitas pacientes, de acordo com a médica, optam por não reconstruir as mamas após o câncer, com medo da cirurgia, felicidade por ter sobrevivido e ou até mesmo por considerar as marcas da cirurgia como um troféu por terem sobrevivido à doença. “O que importa é a mulher sentir-se bem e feliz consigo mesma após o câncer de mama”, diz.

Para quem decide optar pela cirurgia,  Beatriz afirma que a reconstrução de mamas deve ser muito bem discutida e decidida em conjunto entre a equipe de mastologia, cirurgia plástica e a própria paciente. “Todos os riscos, expectativas, opções de tratamento precisam estar bem explicados para o sucesso do tratamento.”

auto-exame-cancer-de-mama-ibcc-diante-do-espelho-chuveiro-ou-deitada

Opções de reconstrução das mamas

A especialista diz que tudo depende da quantidade de pele, gordura e glândula que precisou ser retirada na cirurgia. “O mastologista retira a quantidade de tecidos necessária para garantir a extirpação total do tumor com segurança. Se diagnosticado precocemente, um tumor pequeno e com diagnóstico histológico favorável, é feita retirada somente da parte afetada da mama – o que chamamos de quadrantectomia. Nestes casos uma cirurgia de modelagem da mama, com ou sem colocação de prótese mamária, deixando simétrica com o outro lado pode ser suficiente, ou então podemos reduzir a outra mama”, diz a médica.

Já em casos mais avançados, onde a mama toda é retirada, o nome do procedimento é mastectomia. “Se for possível preservar pele e músculo, uma prótese é colocada sob o músculo peitoral, se não há espaço suficiente, podemos colocar um expansor, que é uma prótese que será preenchida de soro, aos poucos, no consultório do cirurgião plástico para expandir gradualmente os tecidos e permitir a colocação de prótese de silicone com consistência e formato muito próximos ao de uma mama normal em outra cirurgia posteriormente”, conta.

O expansor pode também ser colocado se for necessária radioterapia pós-operatória. A radioterapia altera e deixa a pele muito frágil – e aumentam os riscos de complicações com as próteses.

Quando a retirada da pele também é necessária, é necessário utilizar tecidos de outros lugares para tratar. “Pode ser utilizada pele da região lateral do tórax, pele e músculo grande dorsal da região das costas, ou ainda pele da região inferior do abdome. A decisão vai depender levando em consideração a quantidade e qualidade dos tecidos da paciente associadas ao tamanho do tecido retirado pelo mastologista”, conta. “As opções são várias e o cirurgião plástico sempre vai optar pelo melhor possível a oferecer ao paciente. Muito difícil se obter um resultado ideal em apenas um procedimento, normalmente são necessárias duas ou mais cirurgias”, argumenta.

cancer de mama

As mamas ficam como eram antes?

“É muito importante discutir as expectativas. Nas mastectomias, a mama será substituída por prótese de silicone ou músculo ou tecido de outra parte do corpo. Nunca será como a mama anterior, composta de glândula e tecido gorduroso. Por mais que as próteses de silicone tenham evoluído e conferem aspecto o mais natural possível, sempre serão mais consistentes que a mama original. Além disso, não é possível preservar a sensibilidade da mama”, explica.

No caso da aréola e do mamilo, eles podem ser reconstruídos após obtido aspecto final das mamas. “Uma grande opção para restaurar a aréola é a pigmentação ou tatuagem na mesma cor e tamanho da aréola contralateral. O mamilo pode ser reconstruído com pele do próprio local ou enxerto de outras áreas como parte do mamilo da outra mama, pele da vulva ou região da virilha. Importante lembrar que a sensibilidade não é restabelecida.”

Existem riscos?

Os riscos são como qualquer outra cirurgia, de acordo com a médica: pré-operatório rigoroso com exames de sangue e avaliação cardíaca são importantes para minimizar esses riscos. Em relação ao local a ser operado, vai depender da técnica utilizada, importante discutir os riscos com o cirurgião. O importante é enfrentar o câncer de mama com a certeza que tudo vai dar certo, a equipe de médicos deverá estar sempre junto apoiando e garantindo que o melhor foi feito para que a paciente saia restabelecida e viva feliz.

outubro_rosa_60

Prevenção do câncer de mamas

A médica diz algumas medidas podem ajudar a prevenir o câncer de mamas, baseado em importantes estudos científicos:

– Dieta balanceada: rica em frutas e vegetais e com pouca gordura;

– Evitar sobrepeso: obesidade está relacionada ao aumento do risco de vários canceres, incluindo o de mamas;

– Atividades físicas regulares: 1 hora, 3 dias por semana;

– Quando amamentar: fazê-lo pelo maior número de meses possível;

– Evitar: ingestão alcoólica excessiva.

“O diagnóstico de câncer, em qualquer origem ou local assusta e coloca o paciente numa sensação de impotência e fragilidade. É onde se dá conta que realmente somos mortais e não temos ninguém a quem culpar. Simplesmente aconteceu. O câncer de mama, em virtude de ser um órgão externo é de diagnóstico fácil. A simples palpação pela mulher na hora do banho ou ao se trocar, como amplamente divulgado por orientações do autoexame, é capaz de acender uma luz de alerta”, diz. Por fim, a médica reforça a importância de procurar regularmente o ginecologista para exames de prevenção como mamografia, ultrassonografia ou ressonância nuclear magnética de mamas.

Fonte: Beatriz Lassance é cirurgiã plástica formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery (ASPS)

 

 

Sociedade Brasileira de Cancerologia dá dicas de prevenção do câncer de mama

O movimento Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990, nos Estados Unidos, e logo ganhou notoriedade em todo mundo, por meio da promoção de diversas ações de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, que é o segundo de maior incidência no mundo e o primeiro no sexo feminino. De acordo com estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2017 surgirão 57.960 novos casos de câncer de mama.

“O Ministério da Saúde recomenda a realização anual da mamografia a partir dos 50 anos. Em mulheres com histórico familiar de câncer de mama deve ser a partir dos 40 anos. A ultrassonografia também é um recurso eficiente para investigar a doença. Mas um exame simples, atemporal, que auxilia na detecção de nódulos é o autoexame, que pode ser realizado ainda na adolescência. São métodos que contribuem muito para que o tratamento tenha êxito, desde que o câncer seja descoberto em sua fase inicial”, explica Ricardo César Pinto Antunes, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC).

Alguns dos principais fatores de risco que podem indicar relação com o surgimento do câncer de mama são: primeira menstruação precoce (antes dos 12 anos), menopausa tardia (após os 55 anos), primeira gravidez após os 30 anos, não ter filhos (nuliparidade) e reposição hormonal por tempo prolongado pós-menopausa. Além de histórico familiar, tabagismo, consumo excessivo de álcool, sobrepeso e obesidade.

“Visitas regulares ao médico e a realização do exame de mamografia, uma vez ao ano, a ultrassonografia, o autoexame e o exame clínico contribuem com a cura de cerca de 90% dos casos de câncer de mama”, comenta o vice-presidente da SBC.

auto-exame-cancer-de-mama-ibcc-diante-do-espelho-chuveiro-ou-deitada

Câncer de mama em homens

O câncer de mama não atinge somente as mulheres. A doença pode se desenvolver também no sexo masculino. A incidência, porém, é considerada baixa com cerca de 1% dos casos. Ou seja, cerca de 580 eventos, conforme número oficial do Inca.

“Nos homens o câncer se manifesta após os 50 anos e, na grande maioria dos casos, em apenas uma mama. Pode ser percebido com um simples toque e por meio de um exame de ultrassonografia”, acrescenta Ricardo.

Dicas de Prevenção

salto de cordas exercicio

· Realizar, pelo menos, 15 minutos de atividade física por dia (caminhar, subir e descer escadas são ações simples e benéficas).

Hidratacao agua mulher

· Manter uma boa hidratação (ingerir pelo menos 1,5 litro de água por dia).

salmão pixabay
Pixabay

· Dar preferência às carnes brancas (peixes são mais recomendados).

istock_13038119-can-vegetables-nrdc_-owns_-it_
Foto: iStock

· Consumir vegetais de todas as cores.

agriao

· Dar preferência ao consumo de vegetais crucíferos, que ajudam na prevenção (couve flor e de Bruxelas, espinafre, rúcula, brócolis, agrião, por exemplo).

dia mundial sem tabaco2

· Abandonar o tabaco e não exagerar no consumo de álcool.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC) 

Projeto Mechas de Amor ajuda mulheres em fase de quimioterapia

Visando apoiar mulheres em fase de quimioterapia ou alopécia, evento contou com o apoio da rede Lúcio Matias e presença de personalidades

Mulheres em fase de quimioterapia ou alopécia, tiveram uma tarde de diva, usufruindo dos serviços de cabeleireiro, maquiagem, esmaltação, reiki, entre outros. A iniciativa da Rede Lúcio Matias em parceria com o Projeto Mechas de Amor, também ofereceu cortes de cabelo gratuitos, que foram doados para confecção de perucas, destinadas a pacientes que passam pelo tratamento de câncer.

No local, elas ainda puderam desfrutar de um show com a cantora Paulah Gauss. Entre os presentes, estavam Marly Lamarca, Vera Tabach, presidente da ABIME, Bruna Brito, Miss Teen 2017, Patrícia Fernandes, jornalista, as blogueiras e digital influencers, Izabela Toledo e Daniele Penariol.

“O objetivo da ação é apoiar mulheres que estejam em fase de quimioterapia ou alopécia, que tenham perdido os cabelos em decorrência do tratamento, ajudando a recuperar a autoestima e qualidade de vida”, declarou Lúcio Matias, hair stylist, influencer de beleza e padrinho do projeto.

A ação ocorre continuamente e quem tiver interesse em participar, pode doar mechas de cabelos enviando diretamente para a Caixa Postal 78304 – CEP 01504-970
São Paulo – SP

mechas

Informações: Projeto Mechas de Amor

 

 

Duloren mergulha de peito no Outubro Rosa

A Duloren é uma empresa focada na mulher, que desde seu nascimento sempre enalteceu todas as conquistas femininas e está sempre empoderando e dando voz a todas as mulheres, não poderia deixar um assunto tão importante de lado. O movimento Outubro Rosa propõe falar da realidade atual do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce.

duloren.png

Para abraçar a causa, a Duloren realizará uma doação à Fundação Laço Rosa e ainda está convocando as clientes a participarem. A cada compra de lingerie feita pelo e-commerce da marca até o final de outubro, R$ 4,00 serão revertidos para o instituto e serão somados ao valor que a marca doará.

Outubro Rosa

 

 

Outubro Rosa: previna o câncer de mama em cães e gatos

Galeria de fotos com cachorros e gatos faz alerta para prevenção da doença, que também atinge o mundo animal

Prevenção do câncer de mama em cachorros e gatos também é destaque de uma campanha realizada pela Pet Model Brasil – agência de modelos pets presente no mercado nacional.

Para alertar tutores sobre a importância da prevenção do câncer de mama em cachorros e gatos, a agência preparou uma galeria de fotos com os pets e faz um alerta. “A doença é tão presente em cães e gatos quanto em humanos”, explica a médica veterinária parceira da Pet Model Brasil Carolina Rodriguez.

Em homenagem ao Outubro Rosa, a Pet Model Brasil preparou a campanha para conscientizar os tutores sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. Além disso, separou algumas informações importantes que vão ajudar na prevenção. Confira:

Você sabia?

– O câncer de mama não surge apenas em fêmeas. Mesmo que elas sejam as principais atingidas, os machos também podem sofrer com a doença.

– A doença surge, com mais frequência, em animais de 7 a 12 anos. “É importante ficar atento aos sintomas em qualquer idade, pois existem casos de cadelas, por exemplo, com menos de dois anos que sofreram com a doença”, alerta a veterinária.

cachorra outubro rosa 3

– O câncer atinge principalmente as animais de raça pura, enquanto a miscigenação presente nos pets sem raça definida diminui a chance de desenvolver a doença.

– A castração pode reduzir o risco de desenvolver câncer para até 0,5%. “Castrar é um ato de amor! Além de diminuir o grande número de animais abandonados, diminui muito o risco de câncer de mama e de suas consequências”, afirma Carolina Rodriguez.

– É mito que se deve cruzar o animal caso não seja castrado. Estudos provam que não existe correlação da procriação com a diminuição da incidência do câncer de mama.

cachorra outubro rosa 2

“Considerando que os hormônios sexuais aumentam o fator de risco, o cio acaba estimulando. Então, enquanto as cadelas têm um cio a cada seis meses em média, as gatas têm o cio estimulado pela presença do macho, ou seja, com muito mais frequência, aumentando seu risco. Quanto mais vezes ela entrar no cio, maior o risco. Por isso o aparecimento é mais comum em cadelas e gatas a partir dos nove anos de idade”, explica Carolina.

Prevenções contra a doença

Prevenir é sempre a melhor opção quando se tem um animal de estimação em casa. Abaixo, conheça algumas dicas para ajudar a cuidar do seu bichinho:

Castração precoce: castrar o animal é sinônimo de redução nas chances de desenvolvimento da doença. Por isso, o quanto antes o tutor decidir pela castração, melhor.

cachorra outubro rosa 1

Exames em casa: esteja sempre atento. A maioria dos animais gosta de receber carinho na barriga. Este momento é bom para examinar cada mama (10 nas cadelas e de 8 a 10 nas gatas) e sentindo qualquer alteração, procure imediatamente seu veterinário de confiança.

cachorra outubro rosa 4

Anticoncepcionais: não caia em recomendações que só vão prejudicar o pet. “É extremamente perigoso submeter pets, como cães e gatos, a tratamentos com bombas de hormônio”, explica Carolina.

Primeiros indícios e tratamento

gata outubro rosa

Os animais, quando estão com alguma doença, ficam acima de tudo quietos. Fique de olhos nos seguintes sintomas: caroços, inchaços na mama e ao redor, desconforto abdominal, cheiro forte e desagradável nas secreções, perda de apetite, vômito e febre.

Normalmente, o tratamento para o câncer de mama é a remoção cirúrgica da mama afetada ou de toda a cadeia de mamas, como prevenção ou consequência de metástases. Posteriormente à cirurgia, de acordo com o tipo de câncer, pode ser necessário realizar quimioterapia e/ou radioterapia.

“Com o avanço da oncologia veterinária, hoje a chance de cura é muito alta, principalmente se for diagnosticado em estágio inicial”, explica Carolina.

Fonte: Pet Model Brasil