Arquivo da categoria: criança

Por que a perda do animal de estimação pode ser tão difícil de suportar?

Para algumas pessoas, a morte de um animal de estimação pode ser mais difícil do que a perda de um parente. Aqui está o porquê.

Quem disse que os diamantes são o melhor amigo de uma garota nunca possuiu um cachorro ou gato. Se você já perdeu um amado animal de estimação, sabe o quanto esse velho ditado é verdadeiro.

De cães a gatos, de canários a lagartos, nós humanos formamos ligações inquebráveis com nossos amigos peludos, emplumados e escamados. De certa forma, quase todos os pets são animais de terapia. Eles podem não ter certificados ou usar coletes especiais que lhes dão status de assento autorizado em aviões, mas eles melhoram muito nossas vidas de várias maneiras.

Numerosos estudos mostraram evidências de que os animais de estimação não apenas proporcionam companhia e trazem alegria, mas também ajudam as pessoas a se recuperarem ou lidarem melhor com uma ampla gama de problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas, câncer e distúrbios mentais.

E quando um animal de estimação morre, pode ser uma experiência emocionalmente devastadora que pode ter um impacto negativo em nossa saúde mental e física.

cachorro foto saudade getty images
Getty Images

Na verdade, o New England Journal of Medicine relata que uma mulher de 61 anos começou a sentir fortes dores no peito após a morte de seu cão. Ela foi internada no pronto-socorro, onde os médicos a diagnosticaram com Cardiomiopatia Takotsubo – também conhecida como “síndrome do coração partido” – uma condição com sintomas que imitam um ataque cardíaco.

Depois de ser tratada com medicamentos, ela finalmente se recuperou, mas a morte de seu Yorkshire Terrier literalmente quebrou seu coração. A perda de um animal de estimação pode ser tão difícil quanto perder uma pessoa – ou, em alguns casos, até pior.

Pesquisadores descobriram que o apoio social é essencial para a recuperação durante o processo de luto. No entanto, enquanto outros são rápidos em ajudar a confortar uma pessoa que está sofrendo com a perda de outra pessoa, a atitude da sociedade em relação à perda de pet é muito diferente.

As pessoas geralmente não recebem apoio suficiente após a morte de um animal de estimação, o que pode aumentar o sofrimento emocional e levar a sentimentos de vergonha e isolamento. Isso pode ser particularmente difícil para as crianças que estão experimentando a perda de um animal de estimação pela primeira vez.

A perda de animais de estimação pode ser especialmente difícil para as crianças

gato-e-menina

Leah Carson, agora uma jovem adulta, lembra seu primeiro animal de estimação. Era uma cachorra mix de Golden Retriever chamada Sandy.

“Nós crescemos juntas e ela fez tudo com a nossa família. Lembro-me de brincar na neve, fazer caminhadas e [momentos doces como] Sandy me seguindo até o meu quarto quando cheguei da escola ”, diz Leah.  “Quando eu tinha 11 anos de idade, Sandy teve câncer e nós tivemos que colocá-la para dormir. Eu chorei uma tonelada. Eu estava tão triste e confusa. Foi a primeira vez que perdi alguém que amava. Depois, houve muito silêncio em sua ausência”.

As memórias que Leah tem de Sandy são ao mesmo tempo animadoras e dolorosas, especialmente para aqueles que experimentaram pessoalmente uma perda semelhante em uma idade jovem.

Roxanne Hawn, autora de “Heart Dog: Surviving the Loss of Your Canine Soul Mate” (coração de cachorro: sobrevivendo à perda de sua alma gêmea canina, em tradução livre) entende que as crianças são especialmente vulneráveis ​​a mal-entendidos e luto após a morte de um animal de estimação. Ela aponta que há uma variedade de maneiras pelas quais pais e adultos podem ajudar as crianças durante o processo de luto.

“Eu sugiro participar de projetos memoriais para focar sua dor e a tristeza de seus filhos de maneiras produtivas”, diz ela, acrescentando: “É melhor abraçar a dor por meio da ação do que ignorá-la.”

Roxanne diz que o luto como família pode ajudar as crianças a processar melhor a perda, e sugere atividades nas quais cada membro da família pode participar quando sentir a necessidade.

“Peça a todos que escrevam quantas lembranças felizes puderem em pedaços coloridos de papel e coloquem todos esses bons pensamentos em uma tigela bonita”, diz ela, oferecendo um exemplo. “Sempre que alguém experimentar um surto de pesar, pode pegar um desses pedaços de papel e, pelo menos por um instante, lembrar de um momento mais feliz. As crianças que ainda não sabem escrever ou soletrar podem contribuir com desenhos de seus animais de estimação. ”

Ela também sugere permitir que as crianças mantenham alguma lembrança de um animal de estimação com elas, como uma coleira ou um brinquedo favorito – especialmente durante os dias imediatamente após a perda -, pois isso pode ajudar.

A idade não facilita

mulher senhora idosa gato pexels matthias zomer

Com uma vida inteira de experiências, os idosos podem parecer estar melhor equipados para lidar com a perda de um animal de estimação, mas o oposto geralmente é verdadeiro.

“Perder um animal de estimação é extremamente difícil para os idosos. É mais do que o sofrimento normal ”, diz Lisa Frankel, PhD, psicoterapeuta de Los Angeles. “Os idosos já lidaram com tantas perdas: amigos, família, estrutura de vida, esperança, contato físico, comunidade”.

Ela acrescenta: “Animais de estimação, especialmente cães, dão a eles um propósito, companheirismo, uma razão para se exercitar e socializar. Quando um cachorro morre, tudo isso se vai”.

Na prática, Lisa trabalha com muitos pacientes que estão sofrendo de profunda tristeza pela perda de um animal de estimação. Ela aponta como sentimentos de culpa e vergonha muitas vezes podem complicar o processo de luto. Ela cita exemplos de pessoas que perderam seu animal de estimação quando atacaram coiotes ou porque foram atropelados por um carro, elas dizem que sentem que poderiam ter feito mais para salvar seu animal de estimação. Além disso, ela aponta outros que tomaram a difícil decisão de sacrificar o animal de estimação e que são assombrados pela decisão.

Ela insiste que as pessoas que perderam um animal de estimação nessas circunstâncias sejam compassivas e perdoem a si mesmas, além de passar tempo com outras pessoas que entendam seus sentimentos. Ela também sugere organizações como grupos de apoio a luto de animais de estimação, o que pode ser um grande conforto para alguns.

“A terapia individual pode ser útil também”, diz Lisa. “Muitas pessoas têm dificuldade em se abrir em grupos e se saem melhor com o aconselhamento individual. Se a terapia desencadear outras perdas ou traumas, essas perdas também podem ter que ser analisadas. O sofrimento que é realmente debilitante ou dura excepcionalmente por muito tempo pode ser complicado pela associação a outras perdas e traumas. A terapia individual pode ser realmente importante para entender essa conexão e trabalhar com ela.”

Como lidar

gato cachorro ceu lovethispic
Ilustração: LoveThisPic

Embora nenhuma abordagem ao enfrentamento funcione para todas as pessoas que perderam um animal de estimação, há muitas opções e recursos disponíveis para ajudar.

Além das sugestões oferecidas por Lisa, ela também recomenda dois livros, “How to ROAR: Pet Loss Grief Recovery” (como rugir: a recuperação do sofrimento da perda do animal de estimação) de Robin Jean Brown, e “The Loss of a Pet: A Guide to Coping with the Grieving Process When a Pet Dies” (a perda de um animal de estimação: um guia para lidar com o processo de luto quando um animal de estimação morre”) por Wallace Sife, fundador da Association for Pet Loss and Bereavement. Nenhum deles publicado no Brasil.

O blog Pet Loss Help publicou uma extensa lista de recursos de luto que inclui várias linhas diretas de suporte para perda de animais de estimação e informações sobre grupos de apoio em diferentes estados nos Estados Unidos, além de recursos online adicionais.

Você deveria adotar outro animal de estimação?

abrigo animais
Foto: Hamia

Nunca haverá outro animal de estimação como o que você perdeu, e o pensamento de adotar outro pode parecer desleal, mas não é. Animais de estimação enriquecem nossas vidas e nós, por outro lado, enriquecemos às deles.

Há muito a ganhar permitindo-se amar novamente e os tutores de animais de estimação têm muito amor para dar. Adotar um novo animal de estimação pode ser exatamente o que o médico pediu para ajudar a consertar um coração partido.

Fonte: HealthLine

Anúncios

Dicas para cuidar de crianças com problemas respiratórios

Pediatra dá algumas dicas especiais para driblar os sintomas em épocas de baixa humidade relativa do ar

Muitas cidades brasileiras sofrem com a baixa umidade relativa do ar, e isso afeta principalmente pessoas com problemas respiratórios. A capital do país Brasília, por exemplo, já chegou a registrar 10% de umidade do ar, quando o nível aceitável é de 30% segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Para piorar, quem tende a sofrer ainda mais com o problema são as crianças.

Mesmo com todo o sofrimento, algumas dicas básicas podem aliviar os sintomas. Segundo Priscilla Moraes, pediatra e alergista do Docway, apesar de muitos pais usarem umidificadores de ar para ajudar nessa tarefa, ele nem sempre é eficaz. “Se usado corretamente, ajuda. Caso contrário, piora. A umidade do ambiente, quando excessiva, aumenta a proliferação de fungos e ácaros”, explica.

umidificador 1

Esse tipo de aparelho requer alguns cuidados especiais para ter eficácia. A médica aconselha usá-lo por períodos curtos. “Ele não pode ficar ligado a noite inteira. Além disso, a umidade do ar deve se manter em no máximo 60% para evitar a proliferação de fungos e ácaros no ambiente. O fluxo do vapor deve estar sempre voltado para o lado oposto da cama da criança. A manutenção e higienização devem ser realizadas com frequência”, detalha a especialista.

Outra opção caso os pais não tenham o umidificador do ar, é a utilização de uma tolha molhada no quarto dos pequenos. “O umidificador de ar pode ser substituído por uma toalha molhada ou por uma bacia com água próximas à cama”, explica. Ainda segundo a pediatra, existem coisas simples que podem ser feitas para evitar complicações como manter o ambiente limpo, arejado e com boa exposição solar.

Para completar, Priscila sugere a higienização das narinas com soro fisiológico várias vezes ao dia. Além de limpar as vias respiratórias, o soro age como um fluidificante e descongestionante nasal.

menino espirro gripe crianca

“É bom evitar, também, contato direto das crianças com pessoas que estejam com alguma doença infecciosa respiratória e aglomeração de pessoas. E por último, mas não menos importante, mantenha a vacinação dos pequenos em dia, assim eles estarão protegidos e livres de complicações”, finaliza.

Fonte: Docway

Festa Junina: maquiagem em crianças pode causar reações alérgicas

Pele dos pequenos é mais sensível, sendo assim mais suscetível a irritações e dermatites. Saiba que cuidados tomar para evitar estas complicações

Cuidado com a temporada de festas juninas e a hora de preparar o seu caipirinha para dançar a quadrilha. Bigodes nos meninos e a bochechas pintadas nas meninas são marcas registradas dessa época, mas, segundo a dermatologista Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (AAD), é importante que os pais fiquem alerta na hora de maquiar seus filhos.

“A pele das crianças é mais sensível e fina e, por esse motivo, as substâncias químicas presentes nas maquiagens cosméticas são absorvidas com maior intensidade”, explica. De acordo com a especialista, ao utilizar maquiagem comum ou produtos não apropriados para crianças, o maior risco é o dos pequenos desenvolverem algum tipo de irritação ou reação alérgica, que podem aparecer em até 24h depois da exposição ao produto.

“Já que não existe maquiagem 100% segura para as crianças, o recomendado para proteger a pele dos pequenos é a utilização de produtos hipoalergênicos, com baixa concentração de álcool e que podem ser retirados facilmente”, destaca. “Além disso, opte por maquiagens aprovadas dermatologicamente e sempre observe a validade dos produtos”, completa.

E os cuidados devem ir além da escolha dos produtos. Antes da maquiagem, por exemplo, o ideal é proteger a pele das crianças com um hidratante também hipoalergênico. “Na hora de maquiar, utilize esponjas e pincéis macios, para não machucar os pequenos, e evite as áreas muito próximas aos olhos, que são mais sensíveis. Depois da festa, realize a higienização da pele assim que possível, utilizando demaquilantes cremosos que sejam oil free, hipoalergênicos e não contenham álcool em sua composição”, aconselha a dermatologista.

maquiagem_crianca

Quanto mais cedo a criança entra em contato com esses produtos químicos, maiores são as chances de o organismo se sensibilizar e desenvolver alergias. Por isso, se seu filho já apresenta alguma sensibilidade, não insista na aplicação da maquiagem. “Caso você note alguma alteração na pele dos pequenos, interrompa imediatamente o uso do produto e consulte um dermatologista para que ele indique o tratamento adequado, evitando assim maiores complicações”, finaliza Valéria.

Fonte: Valéria Marcondes é Dermatologista da Clínica de Dermatologia Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia com título de especialista e da Academia Americana de Dermatologia. Foi fundadora e é membro da Sociedade de Laser

Encontros Graacc estreia com Mario Sergio Cortella

Público pode assistir a palestra do filósofo e escritor sobre coragem e apoiar o Graacc no combate ao câncer infantojuvenil

Todos nós temos medo de mudanças. Mas, para um dos maiores pensadores da atualidade, Mario Sergio Cortella, a coragem não é a ausência do medo, mas a capacidade de enfrentá-lo.

E é para falar sobre o tema “Da oportunidade ao êxito: Mudar é complicado? Acomodar é perecer!” que o Graacc convidou Cortella para estrear o I Encontros Graacc. O evento acontece no próximo dia 17 de abril, às 20 horas, no auditório da FAM (Faculdade das Américas) Unidade Paulista, na Rua Augusta, 973, com ingressos a R$ 100,00.

O encontro faz parte de uma série de palestras promovidas pela instituição com o objetivo de reunir grandes personalidades e seus públicos em prol do combate ao câncer infantojuvenil. “O palestrante doa o que que tem de mais precioso, que é seu tempo e conhecimento, e o público, ao participar, além de sair com mais conhecimento, ainda ajuda o Graacc a proporcionar todas as possibilidades de cura a milhares de pacientes”, explica Tammy Allersdorfer, superintendente de Desenvolvimento Institucional do Graacc.

Cortella doou seu cachê e a FAM toda a estrutura para que o evento acontecesse. Toda a renda arrecadada com a palestra será revertida ao Hospital do Graacc. As vagas são limitadas e as reservas podem ser feitas por meio do site, clicando aqui.

cortella graacc.JPG

Encontros Graacc com Mario Sergio Cortella

Tema: Da oportunidade ao êxito: Mudar é complicado? Acomodar é perecer!
Data: 17 de abril | terça-feira
Horário: 20h
Local: Auditório da FAM Unidade Paulista
Endereço: Rua Augusta, 1508.
Investimento: R$ 100,00
Informações e reservas

 

Autismo: atividades online e offline auxiliam no desenvolvimento cognitivo de crianças

Cada criança tem suas necessidades e características próprias, que devem ser respeitadas e compreendidas por todos ao seu redor. O pequeno com Transtorno do Espectro Autista (TEA) não foge dessa regra. Porém, antes de trabalhar temas como aceitação e inclusão, é necessário entender o que é o autismo.

O denominado Transtorno do Espectro Autista (TEA), engloba diversos aspectos do desenvolvimento infantil, podendo se dar em maior ou menor grau. De acordo com Lílian Kuhn, em Autismo: O que é e quais são os sinais do TEA, existem três quadros clínicos que englobam o diagnóstico, são eles: autismo clássico (tipo mais conhecido, em que há um comprometimento nas áreas de interação, comportamento e linguagem, além de relevante déficit cognitivo), o Autismo de Alto funcionamento (ou Síndrome de Asperger: os portadores conseguem se expressar por meio da fala e são muito inteligentes, acima da média da população) e Distúrbio Global do Desenvolvimento (tem características do TEA, como alteração de interação e comportamento, mas não há um diagnóstico fechado).

Pais e cuidadores podem se atentar a alguns sintomas característicos que podem ser divididos da seguinte forma:

– Interação social: ausência ou baixa frequência de contato visual, sem interação espontânea com adultos e crianças.

– Comportamento: repetitivo, estereotipado (dar pulos, chacoalhar as mãos ou se balançar). Ter interesse restrito em temas e brinquedos específicos.

– Linguagem: ausência ou atraso significativo do desenvolvimento de linguagem oral (compreensão e expressão) e alteração em diversas habilidades linguísticas.

Entender o que é o TEA é também um primeiro passo para desmistificar o transtorno. Existem alguns mitos que permeiam os sintomas do autismo, inibindo a possibilidade de diagnósticos de pequenos que não apresentam claramente estes sintomas. Por isso a busca por especialistas é tão importante para adquirir informações confiáveis o mais cedo possível.

Uma das ferramentas que podem ser utilizadas em prol do desenvolvimento infantil, e que pode auxiliar no tratamento de crianças com autismo, é a tecnologia. ” Os vídeos e desenhos infantis, por serem atrativos aos pequenos, podem ser um meio de aproximar pais e filhos, desde que eles assistam juntos, comentando e compartilhando suas impressões sobre o conteúdo. Ou seja, os meios digitais, assim como outras brincadeiras, devem sempre promover momentos em família, de trocas, em que a relação interpessoal é privilegiada sempre”, explica Sarah Helena, formada em psicologia, curadora na PlayKids.

Já os livros continuam sendo uma ferramenta importante para explicar o significado de ser autista e todo o universo que permeia essa condição. “A literatura vem abordando o autismo de forma suave e compreensível para aqueles que se enquadram no espectro, para quem conhece ou até mesmo para quem nunca ouviu falar sobre o TEA. As obras destinadas à temática mostram as características presentes no autismo e apresentam formas de conviver com elas, destinadas a qualquer pessoa que tenha interesse sobre o assunto”, finaliza.

Em homenagem ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, celebrado hoje, 2 de abril, a PlayKids, uma das líderes globais em conteúdo educativo para as famílias, preparou uma lista de atividades para estimular os pequenos diagnosticados com TEA. A proposta também de apresentar o tema, para que todos pequenos e adultos entendam um pouquinho mais sobre o mundo azul. Confira:

Livros

o menino sóescova de dente azul

Na coleção Mundo Azul, criada pela Leiturinha, maior clube de assinaturas de livros infantis do Brasil, o tema autismo é abordado em todos os livros. No kit, os assinantes recebem os livros A Escova de Dentes Azul (do autor Marcos Mion) e O Menino Só (escrito por Andrea Viviana Taubman) que juntos auxiliam no entendimento e compreensão sobre o autismo, além de mostrar as características presentes no transtorno e apresentar formas de conviver em harmonia com os pequenos.

Atividades online

Hora de Escovar os dentes, ABC’s, conteúdo original da PlayKids

A maioria dos dentistas recomenda que todos deveriam escovar os dentes por pelo menos dois minutos, três vezes ao dia. Para algumas crianças pode ser difícil saber o equivalente a dois minutos. Essa música vai ajudar o pequeno a descobrir o quanto ele deve esperar enquanto escova os dentes junto com Junior.

Não sinto mais tanto medo assim, Eu Amo Aprender, conteúdo original da PlayKids

Ter medo do escuro é uma questão comum entre as crianças. Mesmo para o Theo, a tartaruguinha mais esperta que eu conheço, tem medo do escuro. Chamem as crianças para assistir como o Theo superou esse medo!

Quando eu Durmo, Eu Amo Aprender, conteúdo original da PlayKids

Dormir bem depois de um longo dia de aprendizado é uma das coisas mais importantes que você pode fazer para deixar seu cérebro saudável e feliz! Esse vídeo da PlayKids é o jeito perfeito de mostrar para as crianças todas as coisas maravilhosas que acontecem no seu corpo enquanto você dorme.

Informações: PlayKids / Leiturinha

 

 

Graacc faz encontro de familiares de pacientes com câncer infantil

Evento reúne pais e especialistas para compartilhar experiências e conhecimento sobre a importância da família durante o tratamento

Ficar hospitalizado pode ser uma vivência bastante desagradável, principalmente se o paciente for uma criança ou adolescentes. Além de ficar afastado do convívio familiar e social, o paciente pediátrico tem toda a sua rotina alterada com horários rígidos para a realização de refeições, higiene, visitas, exames e procedimentos.

É neste ambiente que pais e familiares precisam garantir o bem-estar de seus filhos, acolhendo e cuidando neste momento de fragilidade. Mas quem cuida dos cuidadores? É para refletir sobre esta questão que o Graacc promove, no dia 16 de março, em São Paulo, o I Encontro Latinoamericano de Familiares de Pacientes com Câncer Infantil.

O evento, que faz parte do Congresso da SLAOP 2018, é gratuito e contará com palestras de especialistas, que que são referências no assunto, e dos fundadores da instituição que oferece tratamento para o combate do câncer infantojuvenil desde 1991. As inscrições podem ser feitas pelo site do GRAACC, clicando aqui.

Uma das palestrantes será Ana Claudia Quintana, médica geriatra, especialista em Cuidados Paliativos e uma das autoras do livro ‘Cuidando de Quem Cuida’, que falará sobre a importância do bem-estar do cuidador durante o processo de hospitalização do paciente. Para ela, o cuidar, assim como o curar, também faz parte da medicina.

Outro palestrante será Wellington Nogueira, fundador e coordenador geral da ONG Doutores da Alegria, que trará para o público a importância da alegria na rotina estressante do hospital.

O encontro contará ainda com a participação de Gustavo Gitti, professor de TaKeTiNa, que explicará como a compaixão pode ser princípio orientador da vida, dos fundadores do GRAACC, Sérgio Petrilli, superintendente médico da instituição, Jacinto Guidolin, vice-presidente, e Lea Della Casa Mingione, superintendente emérita do voluntariado do GRAACC, além de outros palestrantes.

As inscrições são limitadas e destinadas, prioritariamente, para pais e acompanhantes de crianças e adolescentes hospitalizados.

dados-atendimento graacc

Programação do evento

8h: Recepção

8h35: A importância do envolvimento de pais de pacientes na estruturação de serviços de atendimento a crianças e adolescentes com câncer – Dr. Jacinto Guidolin, fundador e vice-presidente do GRAACC

A importância da Casa da Família para hospedar pacientes moradores de fora dos grandes centros – Lea Della Casa Mingione, fundadora e superindentende emérita do voluntariado do GRAACC

A importância da parceria na relação médico paciente – Prof. Dr. Sérgio Petrilli, fundador e superintendente médico do GRAACC

9h45: Intervalo

10h15: Cuidando do Cuidador – Nely Aparecida Guernellio Nucci, Psicóloga formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUC, Mestre em Psicologia Escolar pela PUC Campinas, Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo – USP, Especialista em Psicologia Clínica

11h: A morte ensina a viver – Dra. Ana Claudia Quintana, médica geriatra formada pela USP e especialista em Cuidados Paliativos

12h: Almoço com visita monitorada na Casa Ronald McDonald

13h30: Compaixão como princípio orientador da vida – Gustavo Gitti, Professor de TaKeTiNa, colunista da revista Vida Simples e coordenador do olugar.ogr

14h30: A importância do atendimento pedagógico para crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer – Professora Amalia Covic, coordenadora da Escola Móvel do Hospital do GRAACC

15h15: A importância da alegria –Thais Ferrara, Diretora de Formação da ONG Doutores da Alegria

Serviço – Encontro de Pais do GRAACC
Data: 16 de março
Horário: das 8h às 16h15
Local: Casa Ronald McDonald São Paulo
Endereço: Alameda dos Uapés, 690 – Planalto Paulista

 

 

Ano de Copa do Mundo: como o futebol pode ajudar as crianças na escola?

Não é segredo que a criançada ama futebol e quase todos eles sonham em ser um grande jogador. O desafio é aproveitar essa paixão para dentro das salas de aula, inclusive nas aulas de matemática.

Certa vez, um famoso professor disse que o brasileiro está no século XXI, mas que nossas escolas ainda estão presas ao século XIX, defasadas em técnicas de ensino e conteúdo que desperta pouco interesse dos alunos.

De fato, a sociedade mudou muito de meados dos anos 1800 até os dias atuais. Passamos por duas Revoluções Industriais, pelo fim da escravidão, o Brasil deixou de ser uma monarquia e transformou-se em República; tivemos ainda, o Estado Novo, os anos de chumbo da ditadura militar, a volta do processo democrático e das liberdades individuais mas, a escola continua presa aos moldes de dois séculos atrás.

O formato das aulas – cansativamente expositivas, sem participação ativa do aluno que, é meramente tido como um receptor-passivo – pouco desperta interesse e, frequentemente, o aluno tem sua atenção voltada para atividades paralelas (em geral brincadeiras). Por muitas vezes cessa o equilíbrio da sala de aula, exigindo do professor a interrupção da aula até voltar a ter o controle sobre a classe.  Aí, o tempo de aula que já é curto (40 minutos), pode cair para apenas 20, dependendo de cada caso.

É preciso que a escola atualize seu modo de ensinar (também das matérias) para ir além de criar interesse em sala de aula, mas engajamento entre os estudantes e o conteúdo. Mas, como isso pode ser feito?

Uma abordagem que surte muitos resultados é a chamada “gameficação” (do termo em inglês gamefication, que quer dizer inserir o conteúdo de jogo em atividades cotidianas), que desperta maior interesse e envolve a todos pela motivação de participar ativamente.

robo infantil
Robi – Robô Infantil, que tem sido uma ferramenta de suporte à sala de aula eficiente no aprendizado dos alunos do ensino infantil e fundamental – Foto: Divulgação

Indo neste propósito de tornar as aulas mais divertidas e proveitosas, uma startup dedicada ao desenvolvimento de jogos educativos, a Roblocks, tem se destacado nas escolas infantis e de ensino fundamental por meio da plataforma Robi (acrônimo para robô infantil). Robi é um simpático robô que é programado pela criança para cumprir determinadas “missões” que estão diretamente vinculadas ao conteúdo ensinado em aula.

“Um dos propósitos do robi é tornar as aulas mais interessantes e fazer com que os alunos retenham até 90% do conteúdo ensinado porque se motivaram e participaram ativamente da atividade”, destaca o neuropsicopedagogo Wilson Bueno que é o criador da solução.

Usando o Futebol Como Estímulo

Este ano, além dos habituais torneios estaduais, Brasileirão e Libertadores, teremos a Copa do Mundo na Rússia. E o selecionado brasileiro estará em campo, com seus ícones mundialmente conhecidos e tudo isso aguça ainda mais o interesse das crianças pelo tema futebol.

Pensando nisso, a Roblocks desenvolveu um interessante estratagema para a sala de aula. Aproveitando toda essa vontade pelo esporte, a Roblocks criou um tapete lúdico da temática futebolística para ser jogado com dois robôs programáveis entre oito crianças (quatro em cada time), orientadas por um professor.

Tapete - Futebol - AMOSTRA
Tapete lúdico com a temática futebolista que tem encantado as crianças e animado as aulas. Foto: Divulgação

A dinâmica do jogo é que o robô tem de tocar a bola e conduzi-la em direção ao gol. Ganha a partida quem marcar o maior número de gols. Até aí, não há nenhuma novidade, mas a graça está na condição de que cada jogador só pode realizar o movimento após responder corretamente à pergunta do professor. Aí, a situação muda de figura.

Os alunos desejam controlar o robô e querem ganhar a disputa do jogo, mas, para isso, devem resolver problemas matemáticos e acertar. “O envolvimento do time é total. Todos ajudam na resolução do problema em uma verdadeira esfera de colaboracionismo, enquanto o outro time (que aguarda sua vez) analisa atentamente e discute entre si a resolução do exercício, antecipando para si o resultado, caso eles errem, vão até o quadro” – explica Bueno.

Errar a resposta, significa perder a vez no jogo e dar duas chances de sucesso ao grupo adversário, o que não é admitido por ninguém. E nessa atmosfera de gincana do conhecimento, fazendo uso de um recurso tecnológico que trabalha as funções executivas cerebrais, além da resolução do problema, desenvolvem-se aprimoramento de habilidades de raciocínio, lógica computacional, pensamento crítico, dentre outros aspectos importantes para o desenvolvimento da criança.

alunos brincam
Alunos desenvolvem atividades de sala de aula com o Robi, estratégia de gameficação da Roblocks – Foto: Divulgação

A estratégia da gameficação em sala de aula tem sido uma estratégia pedagógica adotada por inúmeros colégios da Região Metropolitana de Campinas, colecionando importantes resultados no desenvolvimento e rendimento escolar dos alunos do ensino infantil e fundamental.

“Está na hora das escolas entrarem definitivamente no Século XXI e integrarem a tecnologia como ferramenta ativa no desenvolvimento educacional”, finaliza.

Sobre a Roblocks

A Roblocks é uma startup de tecnologia, localizada em Americana-SP (RMC), desenvolvedora de jogos educacionais e tecnologia assistiva. Congressista da Campus Party em 3 edições, é a criadora da Robótica Infantil e Robótica Inclusiva.
Wilson Bueno é neuropsicopedagogo, analista de sistemas e especialista em robótica. Fundou a Roblocks em 2015 e lançou-a comercialmente em abril de 2017, tendo coletado diversos casos de sucesso no uso do Robi em escolas de educação infantil, APAEs, colégios e consultórios de psicologia, psicopedagogia, neuropsicopedagogia, pedagogia, fonoaudiologia e terapia ocupacional.

 

Ressaca de Carnaval do Iguatemi Alphaville: muita música e diversão para famílias

Fevereiro é mês de alegria com as comemorações do Carnaval. No Iguatemi Alphaville a diversão continua, com um evento exclusivo no dia 24, sábado, a partir das 14 horas. Realizada na Doca 2, a Ressaca de Carnaval do shopping envolverá foliões de todas as idades com a animação de um bloco de carnaval, trio elétrico e as comidinhas e bebidas do Pirajá.

Com entrada franca, o evento terá atividades gratuitas para as crianças, como as pinturas de rosto e penteados infantis realizados pela equipe da Glitz Mania e Vila Animada. Os especialistas da Sephora também farão retoques nas maquiagens do público feminino. Os quitutes e bebidas servidos figuram entre os mais pedidos do cardápio do Pirajá e serão cobrados à parte durante a folia, que contará também com um Food Bike da Le Botteghe Di Leonardo para venda de sorvetes.

“Vamos proporcionar uma experiência totalmente diferenciada e única para os visitantes em um ambiente animado, seguro e aconchegante. O evento é voltado para as famílias da região e atende diferentes idades”, explica a Supervisora de Marketing do Iguatemi Alphaville, Amanda Zeni.

crianças carnaval.png

Serviço
Ressaca de Carnaval
Quando: 24 de fevereiro
Horários: das 14h às 20h
Onde: Doca 2 do Shopping Iguatemi Alphaville (Alameda Rio Negro, 111 – Alphaville – Barueri, SP)

 

 

Férias de verão: nutricionista dá dicas de alimentação saudável para crianças

Verão pede alimentos leves e ricos em água. Tentar manter a rotina na hora da alimentação, mesmo em período de férias escolares, é um desafio que os pais devem enfrentar. Prestando um pouco de atenção no prato, dá para aproveitar o clima quente ao máximo, com muita energia

Como alimentar as crianças na época mais quente do ano? Os cuidados com a alimentação dos pequenos neste período é tão importante quanto a qualidade do sono e a prática de atividade física. Durante o verão, as crianças costumam brincar mais do que o normal, e elas gastam mais energia e aproveitam cada instante dessa estação. Mas há um detalhe do qual os pais não podem descuidar: a alimentação dos pequenos, pois os resultados podem ser prejudiciais.

De acordo com a nutricionista da Cardiopediatria do HCor (Hospital do Coração), Natane Souza, com as férias de verão, é possível realizar vários passeios e, a tão sonhada viagem de férias. Seja qual for o passeio, ou até em casa, é muito importante que os pais se preocupem com a alimentação de seus filhos, pois durante o verão há a elevação da temperatura do ambiente e, consequentemente, elevação da temperatura corporal.

Quando a temperatura do nosso corpo aumenta, aumenta também a transpiração, que tem como objetivo resfriar o corpo, mantendo-o na temperatura adequada para o seu funcionamento. O problema é que ao transpirarmos, água e sais minerais são perdidos com o suor, o que poderá ocasionar um quadro de desidratação.

menina criança praia boné píxabay
Pixabay

“A desidratação ocorre quando o corpo tem menos água do que necessita, e geralmente vem acompanhada de sintomas como boca seca, fraqueza, tontura, dores de cabeça, urina escura e escassa. A desidratação pode trazer muitas complicações, principalmente para crianças, por isso é muito importante tomar alguns cuidados com a alimentação dos nossos filhos nesta época do ano, a fim de prevenirmos esse quadro”, explica a nutricionista do HCor.

No dia em que a programação dos pequenos incluir passeios longos, o almoço sempre fica para mais tarde. Então, a dica é levar um lanchinho na bolsa para enganar a fome, por exemplo, uma fruta. E, na hora do almoço, não deixe a criança abusar na quantidade e a estimule para que mastigue bem a comida.

Hidratar os pequenos, sempre!

menina tomando suco criança pixabay
Pixabay

Durante o dia, vale a pena oferecer muito líquido para hidratar as crianças. Use e abuse de água e sucos naturais. Água de coco é uma ótima alternativa para eliminar os refrigerantes e refrescos em pó do cardápio. “Evite oferecer alimentos e guloseimas a todo o instante para as crianças. Estipule um intervalo de três a quatro horas entre as refeições. No caso da criança acordar mais tarde, não faça do almoço sua primeira refeição. É importante ingerir algum alimento leve antes (frutas ou suco natural) e depois siga o fracionamento adequado de três a quatro horas”, sugere Natane Souza.

Em geral, o verão pede alimentos leves e ricos em água. Tentar manter a rotina na hora da alimentação, mesmo em período de férias escolares, é um desafio que os pais devem enfrentar. Prestando um pouco de atenção no prato, dá para aproveitar o clima quente ao máximo, com muita energia e sem ficar doente.

salada-de-fruta-pinterest
Pinterest

A refeição dos pequenos será fora de casa? Leve frutas em uma bolsa térmica: uvas, maçã, pera, banana, laranja, melão e manga, pois além de hidratarem, fornecem vitaminas, minerais e energia na forma de frutose. Para maior praticidade, deixe as frutas já picadas. Também podem ser levados biscoitos (doces ou salgados) à base de farinhas integrais, bolo caseiro simples (embalados fatia a fatia, se já for levar cortado), minissanduíches com queijo branco ou pastas de ricota e sucos naturais.

“A dica é ler o rótulo para evitar aqueles com grande quantidade de açúcar e corantes. O primeiro ingrediente que aparece no rótulo geralmente é o está presente em maior quantidade, então fuja do açúcar”, recomenda.

milho alvimann
Foto: Alvimann/Morguefile

Se for comprar algo de última hora para dar à criança, prefira milho cozido, picolés de fruta, sucos e água de coco. Lembre-se também de evitar os alimentos vendidos na praia, como cachorro quente, sanduíches e preparações em geral que tenham maionese e camarão, além de salada de frutas, sucos que não sejam industrializados, entre outros. Há grande risco de contaminação no consumo desses produtos, desencadeando uma intoxicação alimentar na criança”, alerta a nutricionista.

Cuidados com os alimentos industrializados

Evite que seu filho beba refrigerante e outras bebidas gaseificadas, pois elas favorecem a desidratação e a eliminação de sais minerais pela urina. Prefira as comidas feitas em casa, mas se durante o passeio resolver comer fora, evite frituras e comidas muito gordurosas. Evite alimentos processados, enlatados, congelados e condimentados.

fast food

“Muita atenção com os alimentos preparados em barraquinhas na praia ou em lanchonetes móveis, pois estes alimentos podem ficar expostos ao sol e estragarem com maior rapidez. No almoço e jantar prefira um cardápio mais leve, com verduras e legumes, prato principal assado ou grelhado que garantem uma digestão fácil e maior disponibilidade de nutrientes. Não esqueça dos alimentos que nos dão energia, que são aqueles fonte de carboidratos como massas, arroz, feijão, batatas etc”, aconselha a nutricionista do HCor.

Frutas, verduras e legumes bem fresquinhos

alimentação
Foto: SDRandCo/Morguefile

Consuma à vontade legumes, verduras e frutas, por serem opções para a obtenção de energia de forma leve e saudável, além de terem vitaminas e minerais, importantes para a prática de exercícios. “As saladas devem ser temperadas com azeite, vinagre e limão. Também é importante lembrar que a maionese pode ser perigosa nessa época do ano, pois contêm ovos crus que aumentam risco de contaminação, e favorecem a ocorrência de diarreia. Seguindo todos os cuidados com a alimentação dos pequenos, com certeza os dias de folga serão recheados de alegria, saúde e muita disposição”, finaliza.

Aprenda a preparar receitas que as crianças vão adorar

Férias escolares e um dia chuvoso pedem receitas especiais para agradar aos paladares infantis. Seja um prato doce ou salgado. Aproveite o fim de semana para preparar uma ou mais dessas quatro receitas irresistíveis de Becel, Maizena, Hellmann’s e AdeS.

As sugestões vão de tradicionais pãezinhos de queijo a sanduíche em formato de carrinho. Para quem vai preparar um doce, tem muffin recheado de morango e cobertura de chocolate e sorbet de morango com banana. Anote as dicas e mãos à massa:

Pãezinhos de queijo

PAEZINHOS_DE_QUEIJO_baixa161006_152555.jpg

Ingredientes

2 xícaras (chá) de polvilho doce
meia xícara (chá) de leite desnatado
meia xícara (chá) de creme vegetal Becel
meia colher (chá) de sal
1 ovo
100 g de queijo minas padrão ralado
Becel para untar
Farinha para untar

Modo de preparo

Pré-aqueça o forno em temperatura média (180° C). Unte e enfarinhe 12 fôrmas pequenas (7 cm de diâmetro). Reserve. Em uma tigela média, coloque o polvilho e reserve. Em uma panela, junte o leite, o creme vegetal Becel e o sal. Leve ao fogo médio, mexendo sempre até o creme vegetal Becel derreter e a mistura começar e ferver. Despeje a mistura fervente sobre o polvilho reservado e misture até ficar homogêneo. Junte o ovo e o queijo, e misture delicadamente até obter uma massa levemente pastosa; coloque porções de massa nas fôrmas reservadas, sem encher muito. Leve ao forno por 20 minutos, ou até dourar. Desenforme ainda quentes com cuidado. Sirva quente ou morno.

Rendimento: 12 porções
Tempo de preparo: 1 hora

Muffin de morango com cobertura de chocolate

muffin_de_chocolate_com_morango_baixa161006_152555

Ingredientes

Massa
2 ovos
4 colheres (sopa) de margarina
4 colheres (sopa) de açúcar
1 e meia xícara (chá) de farinha de trigo
meia xícara (chá) de amido de milho Maizena
meia xícara (chá) de leite
1 colher (chá) de fermento em pó
10 morangos inteiros

Cobertura
2 colheres (sopa) de amido de milho Maizena
1 xícara (chá) de leite
6 colheres (sopa) de açúcar
6 colheres (sopa) de chocolate em pó
2 colheres (sopa) margarina

#DicadoChef Se desejar, substitua meia xícara (chá) da farinha de trigo por meia xícara (chá) de chocolate em pó na massa.

Modo de preparo

Massa
Unte e enfarinhe 10 fôrmas pequenas (6,5 cm de diâmetro). Reserve. Preaqueça o forno em temperatura média (180° C). Em uma tigela, misture o ovo, a margarina e o açúcar até ficar cremoso. Junte a farinha e a amido de milho Maizena, intercalando com o leite, e misture até obter uma massa pastosa. Misture delicadamente o fermento.
Distribua uma pequena porção de massa nas forminhas e coloque um morango no centro de cada uma. Cubra com o restante da massa. Coloque as fôrmas em uma assadeira grande (40 x 28 cm) e leve ao forno por 20 minutos ou até que um palito, depois de espetado na massa, saia limpo.

Cobertura
Dissolva o amido de milho Maizena no leite. Junte o açúcar e o chocolate e leve ao fogo, mexendo sempre, até engrossar. Retire do fogo, acrescente a margarina e misture rapidamente. Reserve. Desenforme os muffins e espalhe a cobertura. Coloque-os nas forminhas de papel e arrume-as em uma travessa. Sirva em seguida.

Sanduíche carrinho

HLM_carrinho_baixa161006_152555

Ingredientes

2 xicaras (chá) de água fervente
1 cubo de caldo de galinha Knorr Balance
1 peito de frango pequeno, sem pele e sem osso (600 g)
1 embalagem pequena de maionese Hellmann´s (250 g)
4 cenouras médias
12 fatias de queijo muçarela
6 folhas de alface-americana rasgadas
12 pães tipo bisnaguinha integral, cortados ao meio
2 tomates cortados em rodelas e ao meio

Modo de preparo
Em uma panela de pressão, coloque a água e o cubo de caldo de galinha Knorr Balance, e misture até dissolver. Junte o peito de frango, feche a panela e deixe cozinhar por 20 minutos após o início da fervura. Espere a pressão ceder, abra a panela e retire o frango. Espere amornar e desfiando-o grosseiramente. Em uma tigela, coloque o frango desfiado e metade da maionese Hellmann´s, e misturar até ficar homogêneo. Reserve. Descasque as cenouras, corte 48 rodelas para formar as rodinhas e rale o restante. Disponha as fatias de muçarela numa tábua, distribua a cenoura ralada e enrole cada fatia, fechando-as bem para a cenoura não cair. Espalhe 1 colher (sopa) de maionese Hellmann´s pelo interior de cada pão, recheio-os com o patê de frango reservado, e por cima, disponha a alface e o tomate. Finalize com os rolinhos de queijo com cenoura e feche os pães.  Prenda as rodelas de cenoura em cada ponto dos palitos e disponha nas superfícies dos pães, formando as rodinhas dos carrinhos. Sirva a seguir.

Rendimento: 12 porções
Tempo de preparo: 40 minutos

Sorbet de Morango com Banana

SORBET_DE_MORANGO_baixa161006_152555

Ingredientes

1 xícara (chá) de AdeS Vitamina de Morango (250 ml)
meia banana-nanica picada (40 g)
meia xícara (chá) de morango picado

Modo de Preparo
Disponha o AdeS Vitamina de Morango em forminhas de gelo e leve ao congelador por cerca de 3 horas, ou até endurecer; transfira para o copo do liquidificador ou processador, junte a banana e bata, aos poucos, no modo pulsar, até obter uma mistura homogênea; distribua o morango em taças individuais e cubra com o sorbet. Sirva imediatamente.

Rendimento: 2 porções
Tempo de preparo: 20 minutos
Tempo de congelador: 3 horas
Tempo total: 3 horas e 20 minutos