Arquivo da categoria: criança

Férias de verão: nutricionista dá dicas de alimentação saudável para crianças

Verão pede alimentos leves e ricos em água. Tentar manter a rotina na hora da alimentação, mesmo em período de férias escolares, é um desafio que os pais devem enfrentar. Prestando um pouco de atenção no prato, dá para aproveitar o clima quente ao máximo, com muita energia

Como alimentar as crianças na época mais quente do ano? Os cuidados com a alimentação dos pequenos neste período é tão importante quanto a qualidade do sono e a prática de atividade física. Durante o verão, as crianças costumam brincar mais do que o normal, e elas gastam mais energia e aproveitam cada instante dessa estação. Mas há um detalhe do qual os pais não podem descuidar: a alimentação dos pequenos, pois os resultados podem ser prejudiciais.

De acordo com a nutricionista da Cardiopediatria do HCor (Hospital do Coração), Natane Souza, com as férias de verão, é possível realizar vários passeios e, a tão sonhada viagem de férias. Seja qual for o passeio, ou até em casa, é muito importante que os pais se preocupem com a alimentação de seus filhos, pois durante o verão há a elevação da temperatura do ambiente e, consequentemente, elevação da temperatura corporal.

Quando a temperatura do nosso corpo aumenta, aumenta também a transpiração, que tem como objetivo resfriar o corpo, mantendo-o na temperatura adequada para o seu funcionamento. O problema é que ao transpirarmos, água e sais minerais são perdidos com o suor, o que poderá ocasionar um quadro de desidratação.

menina criança praia boné píxabay
Pixabay

“A desidratação ocorre quando o corpo tem menos água do que necessita, e geralmente vem acompanhada de sintomas como boca seca, fraqueza, tontura, dores de cabeça, urina escura e escassa. A desidratação pode trazer muitas complicações, principalmente para crianças, por isso é muito importante tomar alguns cuidados com a alimentação dos nossos filhos nesta época do ano, a fim de prevenirmos esse quadro”, explica a nutricionista do HCor.

No dia em que a programação dos pequenos incluir passeios longos, o almoço sempre fica para mais tarde. Então, a dica é levar um lanchinho na bolsa para enganar a fome, por exemplo, uma fruta. E, na hora do almoço, não deixe a criança abusar na quantidade e a estimule para que mastigue bem a comida.

Hidratar os pequenos, sempre!

menina tomando suco criança pixabay
Pixabay

Durante o dia, vale a pena oferecer muito líquido para hidratar as crianças. Use e abuse de água e sucos naturais. Água de coco é uma ótima alternativa para eliminar os refrigerantes e refrescos em pó do cardápio. “Evite oferecer alimentos e guloseimas a todo o instante para as crianças. Estipule um intervalo de três a quatro horas entre as refeições. No caso da criança acordar mais tarde, não faça do almoço sua primeira refeição. É importante ingerir algum alimento leve antes (frutas ou suco natural) e depois siga o fracionamento adequado de três a quatro horas”, sugere Natane Souza.

Em geral, o verão pede alimentos leves e ricos em água. Tentar manter a rotina na hora da alimentação, mesmo em período de férias escolares, é um desafio que os pais devem enfrentar. Prestando um pouco de atenção no prato, dá para aproveitar o clima quente ao máximo, com muita energia e sem ficar doente.

salada-de-fruta-pinterest
Pinterest

A refeição dos pequenos será fora de casa? Leve frutas em uma bolsa térmica: uvas, maçã, pera, banana, laranja, melão e manga, pois além de hidratarem, fornecem vitaminas, minerais e energia na forma de frutose. Para maior praticidade, deixe as frutas já picadas. Também podem ser levados biscoitos (doces ou salgados) à base de farinhas integrais, bolo caseiro simples (embalados fatia a fatia, se já for levar cortado), minissanduíches com queijo branco ou pastas de ricota e sucos naturais.

“A dica é ler o rótulo para evitar aqueles com grande quantidade de açúcar e corantes. O primeiro ingrediente que aparece no rótulo geralmente é o está presente em maior quantidade, então fuja do açúcar”, recomenda.

milho alvimann
Foto: Alvimann/Morguefile

Se for comprar algo de última hora para dar à criança, prefira milho cozido, picolés de fruta, sucos e água de coco. Lembre-se também de evitar os alimentos vendidos na praia, como cachorro quente, sanduíches e preparações em geral que tenham maionese e camarão, além de salada de frutas, sucos que não sejam industrializados, entre outros. Há grande risco de contaminação no consumo desses produtos, desencadeando uma intoxicação alimentar na criança”, alerta a nutricionista.

Cuidados com os alimentos industrializados

Evite que seu filho beba refrigerante e outras bebidas gaseificadas, pois elas favorecem a desidratação e a eliminação de sais minerais pela urina. Prefira as comidas feitas em casa, mas se durante o passeio resolver comer fora, evite frituras e comidas muito gordurosas. Evite alimentos processados, enlatados, congelados e condimentados.

fast food

“Muita atenção com os alimentos preparados em barraquinhas na praia ou em lanchonetes móveis, pois estes alimentos podem ficar expostos ao sol e estragarem com maior rapidez. No almoço e jantar prefira um cardápio mais leve, com verduras e legumes, prato principal assado ou grelhado que garantem uma digestão fácil e maior disponibilidade de nutrientes. Não esqueça dos alimentos que nos dão energia, que são aqueles fonte de carboidratos como massas, arroz, feijão, batatas etc”, aconselha a nutricionista do HCor.

Frutas, verduras e legumes bem fresquinhos

alimentação
Foto: SDRandCo/Morguefile

Consuma à vontade legumes, verduras e frutas, por serem opções para a obtenção de energia de forma leve e saudável, além de terem vitaminas e minerais, importantes para a prática de exercícios. “As saladas devem ser temperadas com azeite, vinagre e limão. Também é importante lembrar que a maionese pode ser perigosa nessa época do ano, pois contêm ovos crus que aumentam risco de contaminação, e favorecem a ocorrência de diarreia. Seguindo todos os cuidados com a alimentação dos pequenos, com certeza os dias de folga serão recheados de alegria, saúde e muita disposição”, finaliza.

Anúncios

Aprenda a preparar receitas que as crianças vão adorar

Férias escolares e um dia chuvoso pedem receitas especiais para agradar aos paladares infantis. Seja um prato doce ou salgado. Aproveite o fim de semana para preparar uma ou mais dessas quatro receitas irresistíveis de Becel, Maizena, Hellmann’s e AdeS.

As sugestões vão de tradicionais pãezinhos de queijo a sanduíche em formato de carrinho. Para quem vai preparar um doce, tem muffin recheado de morango e cobertura de chocolate e sorbet de morango com banana. Anote as dicas e mãos à massa:

Pãezinhos de queijo

PAEZINHOS_DE_QUEIJO_baixa161006_152555.jpg

Ingredientes

2 xícaras (chá) de polvilho doce
meia xícara (chá) de leite desnatado
meia xícara (chá) de creme vegetal Becel
meia colher (chá) de sal
1 ovo
100 g de queijo minas padrão ralado
Becel para untar
Farinha para untar

Modo de preparo

Pré-aqueça o forno em temperatura média (180° C). Unte e enfarinhe 12 fôrmas pequenas (7 cm de diâmetro). Reserve. Em uma tigela média, coloque o polvilho e reserve. Em uma panela, junte o leite, o creme vegetal Becel e o sal. Leve ao fogo médio, mexendo sempre até o creme vegetal Becel derreter e a mistura começar e ferver. Despeje a mistura fervente sobre o polvilho reservado e misture até ficar homogêneo. Junte o ovo e o queijo, e misture delicadamente até obter uma massa levemente pastosa; coloque porções de massa nas fôrmas reservadas, sem encher muito. Leve ao forno por 20 minutos, ou até dourar. Desenforme ainda quentes com cuidado. Sirva quente ou morno.

Rendimento: 12 porções
Tempo de preparo: 1 hora

Muffin de morango com cobertura de chocolate

muffin_de_chocolate_com_morango_baixa161006_152555

Ingredientes

Massa
2 ovos
4 colheres (sopa) de margarina
4 colheres (sopa) de açúcar
1 e meia xícara (chá) de farinha de trigo
meia xícara (chá) de amido de milho Maizena
meia xícara (chá) de leite
1 colher (chá) de fermento em pó
10 morangos inteiros

Cobertura
2 colheres (sopa) de amido de milho Maizena
1 xícara (chá) de leite
6 colheres (sopa) de açúcar
6 colheres (sopa) de chocolate em pó
2 colheres (sopa) margarina

#DicadoChef Se desejar, substitua meia xícara (chá) da farinha de trigo por meia xícara (chá) de chocolate em pó na massa.

Modo de preparo

Massa
Unte e enfarinhe 10 fôrmas pequenas (6,5 cm de diâmetro). Reserve. Preaqueça o forno em temperatura média (180° C). Em uma tigela, misture o ovo, a margarina e o açúcar até ficar cremoso. Junte a farinha e a amido de milho Maizena, intercalando com o leite, e misture até obter uma massa pastosa. Misture delicadamente o fermento.
Distribua uma pequena porção de massa nas forminhas e coloque um morango no centro de cada uma. Cubra com o restante da massa. Coloque as fôrmas em uma assadeira grande (40 x 28 cm) e leve ao forno por 20 minutos ou até que um palito, depois de espetado na massa, saia limpo.

Cobertura
Dissolva o amido de milho Maizena no leite. Junte o açúcar e o chocolate e leve ao fogo, mexendo sempre, até engrossar. Retire do fogo, acrescente a margarina e misture rapidamente. Reserve. Desenforme os muffins e espalhe a cobertura. Coloque-os nas forminhas de papel e arrume-as em uma travessa. Sirva em seguida.

Sanduíche carrinho

HLM_carrinho_baixa161006_152555

Ingredientes

2 xicaras (chá) de água fervente
1 cubo de caldo de galinha Knorr Balance
1 peito de frango pequeno, sem pele e sem osso (600 g)
1 embalagem pequena de maionese Hellmann´s (250 g)
4 cenouras médias
12 fatias de queijo muçarela
6 folhas de alface-americana rasgadas
12 pães tipo bisnaguinha integral, cortados ao meio
2 tomates cortados em rodelas e ao meio

Modo de preparo
Em uma panela de pressão, coloque a água e o cubo de caldo de galinha Knorr Balance, e misture até dissolver. Junte o peito de frango, feche a panela e deixe cozinhar por 20 minutos após o início da fervura. Espere a pressão ceder, abra a panela e retire o frango. Espere amornar e desfiando-o grosseiramente. Em uma tigela, coloque o frango desfiado e metade da maionese Hellmann´s, e misturar até ficar homogêneo. Reserve. Descasque as cenouras, corte 48 rodelas para formar as rodinhas e rale o restante. Disponha as fatias de muçarela numa tábua, distribua a cenoura ralada e enrole cada fatia, fechando-as bem para a cenoura não cair. Espalhe 1 colher (sopa) de maionese Hellmann´s pelo interior de cada pão, recheio-os com o patê de frango reservado, e por cima, disponha a alface e o tomate. Finalize com os rolinhos de queijo com cenoura e feche os pães.  Prenda as rodelas de cenoura em cada ponto dos palitos e disponha nas superfícies dos pães, formando as rodinhas dos carrinhos. Sirva a seguir.

Rendimento: 12 porções
Tempo de preparo: 40 minutos

Sorbet de Morango com Banana

SORBET_DE_MORANGO_baixa161006_152555

Ingredientes

1 xícara (chá) de AdeS Vitamina de Morango (250 ml)
meia banana-nanica picada (40 g)
meia xícara (chá) de morango picado

Modo de Preparo
Disponha o AdeS Vitamina de Morango em forminhas de gelo e leve ao congelador por cerca de 3 horas, ou até endurecer; transfira para o copo do liquidificador ou processador, junte a banana e bata, aos poucos, no modo pulsar, até obter uma mistura homogênea; distribua o morango em taças individuais e cubra com o sorbet. Sirva imediatamente.

Rendimento: 2 porções
Tempo de preparo: 20 minutos
Tempo de congelador: 3 horas
Tempo total: 3 horas e 20 minutos

 

 

Ecofit Club tem programação especial para as férias de crianças e adolescentes

Ecofit Club, primeira academia ecológica do Brasil, preparou uma programação especial para crianças e adolescentes não deixarem de se mexer neste período de férias escolares. Até 26 de janeiro, os clientes de 3 a 16 anos contarão com uma grade de aulas diferente, com atividades lúdicas e modalidades esportivas, pensada especialmente para eles.

“Vamos dividi-los em turmas conforme a faixa etária: 3-4 anos, 5-6, 7-9, 10-13 e 14-16. Teremos atividades em dois períodos. O da manhã, começando às 8h30, e o da tarde, a partir das 14h30. Os participantes dos dois turnos poderão tomar um lanchinho no meio do período”, explica Amanda Monteiro, coordenadora de Kids, Teens e Masters da Ecofit Club.

A programação das crianças, até 9 anos, contará com atividades recreativas, jogos divertidos e modalidades como natação, ballet, judô, capoeira, yoga, futsal e Eco Dance. Já os adolescentes poderão praticar, também, Muay Thai, BalletFit, Video Dance, Urban Dance, Bike, EcoVibe, Ginástica Postural, Hip Hop, Body Pump e Power Jump, além de participar de jogos cooperativos e de uma aula especial de condicionamento físico.

crianças exercícios ginástica clker-free pixabay
Ilustração: clker-free pixabay

Ecofit Aclimação

A Ecofit Aclimação organizou o Clube de Férias HollyEcoWood, também até 26 de janeiro. O Programa Kids da academia vai seguir com sua programação normal. Porém, durante as aulas, os professores vão inserir atividades relacionadas a um grande sucesso do cinema, que os alunos poderão assistir.

Na primeira semana de 2018 o escolhido é o vencedor do Oscar Procurando Nemo. De 8 a 12 de janeiro, os alunos poderão assistir a Os Incríveis. De 15 a 19, Toy Story e, para fechar as sessões especiais, de 22 a 26, A Fantástica Fábrica de Chocolate.

Na Ecofit Aclimação, crianças e adolescentes também são divididos por faixa etária, 3-4 anos, 5-6, 7-9 e 10-13. A programação é voltada especificamente para cada turma.

ecofit kids.png

Férias na Ecofit Club

Programação especial para Kids e Teens
Quando: até 26 de janeiro, em dois períodos (manhã e tarde)
Onde: Rua Cerro Corá, 580, Alto de Pinheiros.
Mais informações: Tel.: 11-2148-4000

Clube de Férias Ecofit Aclimação
HollyEcoWood
Quando: até 26 de janeiro
Onde: Rua Pires da Mota, 762, Aclimação.
Mais informações: Tel.: 11-3271-1888

Final de ano requer cuidados com as crianças, por Priscila Zanotti Stagliorio*

Daqui a pouco termina o ano, mas antes teremos festas e muitos momentos intensos que precisam de atenção especialmente para as crianças

Mais um ano finaliza e parece que foi ontem que tudo começou. Já estamos no período de férias escolares e com elas grandes emoções e, também, possíveis machucados, acidentes domésticos e idas ao pronto socorro de hospitais. Falarei a respeito de alguns cuidados básicos para evitar transtornos nas férias e garantir somente momentos bons, ao lado dos filhos e filhas, assim como durante as festas de natal e ano novo. Vejam as minhas dicas:

Cuidado com dias quentes

menina tomando suco criança pixabay
Pixabay

A partir de agora é comum os dias serem mais quentes e até escaldantes dependendo da região do país. O mais importante é sempre manter as crianças hidratadas com água, sucos naturais ou água de coco, oferecer alimentação balanceada com comidas mais leves como, por exemplo, legumes, carnes magras, saladas bem lavadas e até lanches naturais e repouso para recompor as energias quando necessário. Prefira a exposição ao sol entre os horários das 7 às 10 horas da manhã e após às 16 horas, quando o sol está menos agressivo – porém, vale ressaltar que é importante o bom senso dos pais e cuidadores, pois, no verão, há dias que o sol queima bastante entre esses horários.

Uso de filtro solar

menino criança praia protetor solar inspiredmagazine
Foto: InspiredMagazine

O uso de filtro solar é necessário em todas as estações do ano, independentemente de ter sol forte ou não. Os raios UVA e UVB afetam a nossa pele até em dias nublados, por isso a importância de nos proteger todos dias. No verão, o uso deve ser mais intenso, com aplicações a cada duas ou três horas quando exposto ao sol, praia e piscina. Também é importante dizer que esses produtos podem causar irritação na pele das crianças e é recomendável a indicação do pediatra para a compra de um protetor solar adequado para cada faixa etária. Menores de seis meses não podem usar filtro solar, somente com recomendação do pediatra. Para esses casos existem roupas protetoras com bloqueio das ações nocivas do sol. Também, é importante preservar a saúde e o corpo dos bebês e das crianças da exposição direta ao sol ou de locais muito quentes e ou abafados.

Uso de repelentes em crianças

menina repelente pernas pixabay
Pixabay

A temporada de dengue, zika vírus, febre amarela e chikungunya está chegando e para evitar o contágio é importante usarmos repelentes e eliminar possíveis criadouros de mosquitos transmissores. Recomendo aos pais e mães que fiquem atentos quanto às marcas e recomendações de aplicação e reaplicação dos produtos que prometem evitar as maldosas picadas de insetos, que além da doença, causam coceiras e lesões na pele. A maioria das marcas de repelentes não protege pelo tempo indicado nos rótulos, e vamos combinar que as crianças se sujam, entram e saem da água minimizando a proteção prolongada. Fale com o pediatra para a compra correta do produto e evite reações alérgicas nas crianças.

Uso de roupas e acessórios no verão e para passeios

menina criança praia boné píxabay
Pixabay

Não existem regras básicas para o uso de roupas em crianças, mas recomendações de serem de tecidos mais leves, fáceis de arejar a pele para evitar assaduras ou alergias conhecidas como dermatites. Nos dias mais quentes, tons muito escuros favorecem o superaquecimento, assim como a sudorese e, consequentemente, a desidratação na criança se colocada em risco com exposição ao sol e ou em locais abafados.
Os acessórios são bem-vindos desde que confortáveis para as crianças como, por exemplo, bonés e viseiras para proteger os olhos. Para passeios, prefira os looks mais versáteis com sandálias abertas para que os pés possam “respirar”.

Cuidados com viagens longas

crianças

Para algumas famílias é inevitável sair de férias em viagens nas quais o uso do carro (de passeio ou ônibus) é necessário. Com a demanda e o trânsito intenso, muitas viagens podem demorar mais do que o esperado e isso pode provocar estresse nas crianças, assim como desidratação, fraqueza, dor no corpo e outros sintomas inconvenientes. Como recomendação, faça paradas a cada duas horas de percurso e permita que a criança se estique, beba água e se alimente se estiver com fome. O conforto e a segurança são imprescindíveis para garantir o sucesso da viagem. Use sempre as cadeirinhas para crianças menores de sete anos e o cinto de segurança para os maiores.

Evite locais barulhentos e com muita luz

menina criança chorando píxabay
Pixabay

Bebês e crianças são sensíveis ao som alto e luzes fortes, por isso é importante resguardá-las de ambientes que não respeitem o limite de cada uma delas. Nas festas de final de ano, quando há grandes reuniões familiares, som alto e luzes decorativas, permita que a criança demonstre suas preferências e no caso de não gostar, não a force a ficar e tão pouco ensine na “marra” que é assim para sempre. Som alto pode afetar os tímpanos e causar lesões importantes, assim como as luzes que diretamente nos olhos pode causar distúrbios oculares temporais e ou efetivos. O limite e sensibilidade são demonstrados com o tempo pela criança e, geralmente, os cuidadores (pais e mães) sabem identificar quais são.

Acidentes domésticos

crianca-cozinha.png

Acidentes domésticos são comuns nas férias e podem acontecer em um piscar de olhos – seja uma queda, uma intoxicação alimentar ou até mesmo algo inusitado como quebrar um dente abrindo uma garrafa. As crianças são capazes de fazer feitos indescritíveis e o cuidado e segurança delas devem estar em primeiro lugar sempre. Quando os pais não podem cuidar diretamente de seus filhos, recomendo que vejam a possibilidade de um familiar ou amigo (maior de idade) se responsabilizar pela segurança e bem-estar dos pequenos, assim como observar possíveis sintomas de doenças que causam febre, dor, vômito e ou diarreia, além das quedas. Para todos os casos é importante o atendimento presencial do médico pediatra.

Seguindo algumas dessas dicas, as férias podem render momentos divertidos e inesquecíveis para todos.

*Priscila Zanotti Stagliorio é  médica pediatra há mais de dez anos, atua na zona norte de São Paulo, em consultório particular, no Pronto Socorro do Hospital São Camilo – unidade Santana, e na rede Dr. Consulta – unidades Tucuruvi e Santana. Em seu currículo possui diversas participações em congressos, cursos de especialização e atuações em prontos socorros, clinicas e ambulatórios médicos da grande São Paulo – Capital. Oferece curso personalizado para gestantes e mamães com recém-nascidos.

 

Mundo virtual: é preciso proteger crianças e adolescentes

Em um mundo no qual a inclusão digital se dá cada vez mais cedo e para um número cada vez maior de crianças, os pais e responsáveis precisam estar sempre atentos aos passos dos menores no ambiente virtual. Para a consultora de Direito Digital do Sistema Positivo de Ensino, Patrícia Peck, a internet é uma rua gigantesca de mais de 5 bilhões de pessoas que traz excessos e perigos.

“A negligência, neste caso, quase sempre gera danos – alguns deles irreversíveis. É preciso um controle rigoroso para impedir que nossos filhos acabem se tornando ‘menores abandonados digitais’, sujeitos à própria sorte”, afirma a especialista. A consultora dá algumas dicas que podem ajudar nessa era digital:

1. Estabeleça regras claras (o que pode ou não fazer).

2. Vigilância dos pais é um dever – realize inspeção e monitoramento.

crianças computador

3. Crie perfis de acordo com a idade dos filhos, separando principalmente criança (até 12 anos) de adolescente (maior de 13 anos) em serviços como Netflix e em grupos de WhatsApp.

4. Habilite o controle de segurança no YouTube – via browser – e dê preferência por utilizar o YouTube Kids, se for criança.

5. Defina um horário limite para o uso da internet, para fechar a “porta da casa digital” na hora de dormir.

Female hand holding a mobile phone

6. Monitore a privacidade da família, digitando os nomes dos filhos em buscadores – e veja o que aparece.

7. Ensine os filhos a proteger as informações da família (não exponha rotina, trajetos, horários, informações de viagens, quanto os pais ganham, onde trabalham).

8. Instale ferramentas protetivas antes de dar o dispositivo à criança (antivírus e software de controle dos pais).

9. Sempre leia os termos de uso, verificando a idade mínima dos serviços.

garota adolescente menina celular

10. Acompanhe quem são os amigos digitais de seu filho (jogos em rede, grupos de WhatsApp e outras redes sociais).

Fonte: Editora Positivo

Acidentes envolvendo os olhos aumentam durante as férias escolares

Especialista reforça importância dos pais na prevenção de acidentes e ensina o que fazer em casos graves

Todos os anos, cerca de 250 mil crianças com menos de 15 anos sofrem algum tipo de acidente envolvendo os olhos – principalmente durante o período de férias escolares e feriados prolongados. De acordo com a Academia Americana de Oftalmologia, 41% dessas ocorrências acontecem entre 10 e 14 anos – como resultado de brincadeiras com armas de brinquedo, flechas, bastões e bolas.

“Qualquer coisa que puder atingir os olhos, certamente vai atingir os olhos. Não dá para obrigarmos as crianças a usar capacetes de motociclista o tempo todo”, diz David Hunter, médico oftalmologista e porta-voz da instituição.

menino brincando pixabay
Pixabay

O médico comenta que até mesmo uma aparente simples brincadeira de “guerra de toalhas” pode resultar numa catástrofe se uma das pontas atingir a córnea. Acidentes envolvendo espadas, tacos e bastões também ocorrem bastante. Apesar de graves, esses exemplos nem são os mais comuns quando comparados aos acidentes com produtos de limpeza – que queimam, ardem, agridem, irritam e cortam os olhos das crianças. Hunter diz que nas salas de emergência ocular é muito comum encontrar como causa do acidente lençóis, garrafas, cintos, livros, vassouras, pauzinhos, luzes de árvore de Natal, lápis, chaves, clipes, grampeadores, zíperes etc.

De acordo com Renato Neves, cirurgião-oftalmologista e presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, é preciso que os pais estejam mais bem informados sobre os riscos escondidos dentro de casa e imponham limites de acordo com a faixa etária da criança. “O bom senso é o melhor dos professores. Ou seja, se acha que determinada brincadeira pode acabar mal, é porque pode mesmo. Os brinquedos de propulsão, como as armas de ar, de água ou até mesmo aquelas de jato de tinta, oferecem risco grande de dar errado. Abrasão da córnea, aumento da pressão ocular e até mesmo uma catarata traumática podem resultar desse tipo de acidente”, diz o médico.

crianças brincando pixabay

O especialista afirma que a própria agressividade de crianças entre seis e dez anos de idade pode elevar a ocorrência de acidentes. Nestes casos, os pais devem procurar com urgência um serviço especializado, a fim de que os olhos da criança sejam examinados com mais detalhes e tratados sem perda de tempo – o que, em alguns casos, pode significar a preservação do sentido. “Enquanto o paciente é levado ao médico, é recomendável usar compressas geladas no local contundido, sem massagear ou esfregar. Já em caso de perfurações, o ideal é colocar uma proteção ao redor dos olhos, como um copo plástico, sem fazer pressão no olho afetado”.

Neves alerta, também, que os olhos costumam ser muito afetados nos acidentes com aerossol, quando a criança está tentando utilizar ou brincar com desodorantes, perfumes, protetor solar, repelente, produtos de limpeza, tintas etc.

menino tinta brincando rrsilvestre pixabay
Pixabay

“Quando a criança aponta o spray em sua própria direção, as irritações são as consequências mais frequentes, seguidas de queimaduras químicas, arranhões e ferimentos no globo ocular provocados por coceira. Os danos dependem do produto borrifado nos olhos. Por isso, dependendo da gravidade, é importante enxaguar bem os olhos da vítima e seguir sem demora até uma clínica oftalmológica, tomando o cuidado de levar a embalagem do produto para que o médico saiba exatamente que medida tomar”.

Fonte: Renato Neves, cirurgião oftalmologista, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos

Cuidados com as crianças no verão

Já dando os seus primeiros sinais, o verão, que começa oficialmente em dezembro, traz com ele o sol escaldante e as altas temperaturas, que podem trazer sérias complicações à saúde como desidratação, queimaduras e envelhecimento precoce, além de provocar o câncer de pele. Com o período de férias escolares nessa estação, as crianças ficam mais expostas a esses riscos e os cuidados precisam ser redobrados em relação à hidratação, à alimentação, ao vestuário e ao tempo para ficar ao ar livre.

As brincadeiras debaixo do sol devem ser realizadas em horários específicos, evitando os momentos de pico. Também é importante um equilíbrio entre a alta temperatura externa e o ar condicionado dos ambientes fechados.

menina criança praia pixabay
Foto: Pixabay

“A exposição solar deve ser evitada entre 10h e 16h. Nesse período, predomina a radiação ultravioleta-B, que é responsável pelo desenvolvimento do câncer da pele. Até às 10h e após às 16h, a exposição solar pode ser feita, mas sempre com o uso do filtro solar, roupa apropriada e chapéu. E, nas crianças maiores, óculos de sol. O ar condicionado deve ser utilizado com cuidado, principalmente se a criança ficar entrando e saindo do ambiente refrigerado”, alerta a professora doutora Silmara Cestari, docente da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); médica do Corpo Clínico e coordenadora da Residência Médica em Dermatologia do Hospital Sírio Libanês, e presidente do Departamento Científico de Dermatologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP).

Além da desidratação e da diarreia, os problemas mais frequentes em crianças durante o verão, também é comum o surgimento de doenças de pele como miliária (a popular brotoeja), decorrente do suor, micoses devido à exposição mais frequente aos fungos, larva migrans (conhecida como bicho-geográfico), ocasionada pela penetração na pele de vermes vindos das fezes de cachorros e gatos em terrenos arenosos, e reações de hipersensibilidade a picadas de insetos.

Para que esses efeitos nocivos e doenças sejam evitados, é ideal a ingestão sistemática de água e sucos, o consumo de alimentos leves como verduras e frutas, o uso de roupas com tecidos finos de algodão e cores claras, que armazenam menos calor, além do cuidado frequente da pele com o uso do filtro solar.

crianca-protetor-praia

“O protetor deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição solar, para que possa penetrar e agir adequadamente, e deve ser reaplicado a cada duas horas e sempre que a criança sair do mar ou da piscina”, orienta a dermatologista.

Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP)

 

Oficinas Infantis garantem a diversão da garotada no Natal do Iguatemi Alphaville

Papai Noel já está no shopping para receber as cartinhas com os pedidos de natal

Para aproximar as crianças da magia do final de ano, o shopping Iguatemi Alphaville preparou uma programação especial com atividades recreativas e brinquedos em meio aos encantadores cenários da decoração. Todas as atrações são gratuitas!

As crianças têm diversão garantida nas Oficinas localizadas no piso Tocantins. Até o dia 24 de dezembro, das 12h às 20h, a garotada poderá preparar as cartinhas para o Papai Noel, produzir com feltros e levar para casa, graciosos enfeites para árvore de natal. As atividades são auxiliadas por monitores.

of_1

No piso Xingu, um divertido trenzinho leva os pequenos a um passeio em uma ambientação encantadora com a Banda de Ursos no centro, que garante a trilha sonora na estação de embarque do brinquedo. Em seu confortável trono no piso Tocantins, o Papai Noel recepciona os pequenos até a véspera do Natal, tirando muitas fotos e distribuindo balas e pirulitos. No mesmo piso, para as crianças que gostam do clima de aventura, a dica é o animado Brinquedo de Tina.

of_3

Serviços:
Trenzinho: Piso Xingu
Brinquedo de Tina: Piso Tocantins
Trono do Papai Noel: Piso Tocantins
Até dia 24, das 12 às 18 horas

Oficinas Recreativas: Piso Tocantins
Até dia 24, das 12 às 20 horas

 

Meu filho repetiu de ano. E agora?

O ano letivo acabou e agora chegou o momento em que alguns pais irão se deparar com uma notícia não muito boa: a reprovação do filho na escola. Como agir em uma situação dessa? Os pais devem castigar ou consolar a criança? Como superar este momento difícil?

Uma reprovação nunca é uma notícia que pega a família desprevenida. Hoje, graças à tecnologia, a comunicação entre a família e a escola acontece em tempo real. Muitas escolas usam aplicativos, e-mail, mensagens e reuniões para se comunicar com os pais.

Portanto, ao longo do ano letivo, é perfeitamente possível ter um cenário do que vai acontecer no final das aulas. Mas, de qualquer maneira, quando a notícia vem, muitos pais podem ter dificuldade em gerenciar a situação.

Depositphotos criança desenhando

O lado cheio do copo

Segundo a neuropsicopedagoga, Viviani Zumpano, parceira da NeuroKinder, a reprovação pode ser negativa ou positiva, depende da maneira como é vista, tanto pelos pais como pelos educadores.

“Eu, como educadora, vejo a reprovação como uma oportunidade de resgatar conteúdos não aprendidos de anos anteriores, é uma chance de amadurecimento e fortalecimento da autoestima, já que este aluno será o mais forte entre os que estão chegando. Então, tudo depende do significado que se dá, tanto da parte da escola como da família”, afirma Viviani.

Quanto ao castigo, Viviani comenta que a reprovação é o castigo suficiente para o aprendizado do aluno sobre as consequências de não ter se dedicado aos estudos: “Reprovar significa que a criança ou o adolescente não tem os requisitos básicos para passar para o ano seguinte, portanto, o aspecto negativo a criança já tem. Brigar, ofender e agredir, seja verbalmente ou fisicamente, não tem nenhuma valia neste momento”.

E a especialista completa: “É preciso entender que a reprovação é o resultado final de um processo e não está ligada apenas às notas, nem ao último mês de aulas, está ligada à jornada deste aluno e aos seus comportamentos também”.

Segundo Viviani, os pais devem procurar trazer o que é positivo desta experiência reforçando que será uma nova chance de fazer tudo melhor, com mais dedicação e empenho. O novo ano será útil para a reafirmação e a sistematização do conhecimento. Os pais devem acolher o filho e empoderá-lo para enfrentar o ano seguinte.

menino criança

Reter pode ser inevitável

É possível evitar a reprovação? Para a especialista, o mais importante é que tanto a escola quanto os pais percebam a tempo os problemas na aprendizagem. “Se o aluno tem dificuldade em algumas matérias, por exemplo, o ideal é estabelecer estratégias para resgatar ou reforçar os conteúdos não aprendidos em sala de aula. Os pais podem procurar tutores, neuropsicopedagogos ou ainda professores particulares para isso”.

Por outro lado, a reprovação muitas vezes é inevitável. “A partir do segundo ano, o aluno é reprovado por notas. O reforço escolar para melhorar seu desempenho pode evitar retê-lo. Porém, na educação infantil e no primeiro ano, reprovar o aluno é algo discutido com a família. Isso porque é nestas séries que o aluno faz a consolidação do processo de alfabetização. Algumas crianças, por imaturidade, não conseguem alcançar a prontidão para a leitura e para a escrita. Portanto, avançar para a série seguinte só causará sofrimento”, explica Viviani.

Anos difíceis

A probabilidade de reprovação é maior nas viradas de ciclo. “Quando o aluno vai para o sexto ano passará por uma adaptação. Além de ter mais professores, o conteúdo será novo, é uma nova rotina e um novo ritmo de estudo. O mesmo acontece na entrada para o ensino médio. Então, estes são anos em que percebemos um maior número de alunos retidos, devido à dificuldade de adaptação. Assim, a recomendação é que os pais fiquem ainda mais atentos nessas séries para evitar a reprovação”, comenta a neuropsicopedagoga.

aula adolescente celular professor pixabay
Pixabay

Perfil do aluno x perfil da escola

Outro ponto é que uma das primeiras ideias dos pais é trocar a criança de escola depois de uma reprovação. Viviani comenta que os pais devem fazer a avaliação com calma. “Muitas crianças pedem para mudar de escola, mas antes de tomar essa decisão os pais precisam avaliar se o pedido não está por trás do medo de enfrentar situações desafiadoras, por exemplo. A criança precisa aprender a lidar com a frustração e a se esforçar para ter um bom desempenho, não podemos ceder apenas por conta da criança querer as coisas de modo mais fácil”.

Claro que é importante que a escola se enquadre no perfil da criança. Cada pessoa tem um perfil e isto impacta diretamente no aprendizado. “Se a criança é mais criativa e mais agitada, por exemplo, e estuda numa escola tradicional, pode enfrentar mais dificuldade no aprendizado. Uma investigação junto a um neuropediatra e a um neuropsicólogo pode ser útil para descartar transtornos do neurodesenvovimento ou de aprendizagem ou ainda para ajudar os pais na escolha da escola”, reflete Viviani.

Para finalizar, a especialista aconselha: “Os anos escolares são fundamentais na formação do ser humano. É essencial encontrar uma escola que seja adequada ao perfil do aluno e também aos valores da família. A parceria com os professores e coordenadores pedagógicos, a presença dos pais nas reuniões e o acompanhamento do desempenho ao longo do ano são estratégias preciosas para evitar a reprovação. Mas, se ela aconteceu, o que se pode fazer é incentivar a criança a ter bom ano por meio de dedicação e mudança de comportamento”.

Fonte: Neurokinder

Crianças com câncer pedem doação de material pedagógico

A Associação Projeto Crescer do ABC, administradora da Casa Ronald McDonald ABC por meio do Rotary Club Santo André, está promovendo uma campanha para arrecadar mobília, material escolar e pedagógico para que possa implantar em suas dependências uma sala de aula – classe hospitalar. Este projeto visa aplicar o direito à educação dos hóspedes, conforme determina o Artigo 53 do Estatuto da Criança e Adolescente.

Segundo Nelson Tadeu, presidente da Casa Ronald McDonald ABC, é comum que uma criança ou adolescente em tratamento de câncer fique até quatro anos hospedada e, nesse período, muitos acabam abandonando a escola. Para que não haja essa evasão escolar o MEC – Ministério da Educação e Cultura regulamenta a atividade.

Vanderlei - classe hospitalar.png

“A solicitação para funcionamento da classe hospitalar e de um professor para ministrar as aulas já foi feita junto ao Governo do Estado e para tornar possível os estudos dos nossos hóspedes, precisaremos do apoio e envolvimento de toda a sociedade”, explica Nelson Tadeu.

O espaço para instalação da classe hospitalar está inserido no projeto de revitalização da Casa Ronald McDonald ABC, que está sob os cuidados do Club & Casa Design, o qual todos os anos adota uma instituição para revitalização completa. Participam da parceria cerca de 80 lojas do segmento de decoração e arquitetura do Grande ABC e São Paulo – e 30 escritórios de arquitetura e design de interiores. A entrega da reforma está prevista para janeiro de 2018.

Jacielly - classe hospitalar.png

Informações: Casa Ronald McDonald ABC