Arquivo da categoria: cultura

Biguaçu recebe feira ecossolidária no Campus da Univali

Hoje, 20 de setembro, a Universidade do Vale do Itajaí (Univali) recebe, em Biguaçu, artesãos e produtores de alimentos veganos e orgânicos para a realização da edição de setembro da Feira Universidade EcoSolidária. O encontro ocorre, entre 15 e 21 horas, no corredor térreo do bloco 1, do Campus localizado às margens da BR 101, em Biguaçu.

O encontro, que marca a chegada da primavera e integra a programação do 14º Festival Cultural da Univali, contará com a participação de empreendedores solidários da região. No local, além da comercialização de produtos, a feirinha oferecerá uma programação diversificada com apresentações culturais que iniciarão às 18 horas.

feira ecossolidaria univali.png

A atividade, organizada pela Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP), da Univali, em parceria com os Fóruns Regionais de Economia Solidária Litorâneo e de Florianópolis, tem como foco a promoção de alternativas para geração de renda e inclusão social. A participação é gratuita e aberta ao público.

Fonte: Univali

Anúncios

Caiçaras, Caipiras e Tropeiros de volta à Capital Paulista

Os sabores, aromas e fazeres de cerca de 140 municípios invadem São Paulo, de 19 a 23 de setembro, durante a 21ª edição do maior evento de cultura tradicional do Estado

O Revelando São Paulo chega a sua 21ª edição, trazendo para a capital paulista as tradições que fazem a diversidade e pluralidade do Estado de São Paulo, com a participação de culinaristas, artesãos, violeiros e dançantes de diversos municípios do Interior e Litoral. De 19 a 23 de setembro, o Parque do Trote/Mart Center irá se transformar em um grande espaço de celebração multicultural.

O festival, realizado desde 1997, dispõe de espaços de culinária e ranchos tropeiros de diferentes regiões do estado, com culinaristas produzindo os doces caseiros, bolinhos caipira, broas, pamonhas, bolos, café caipira, virados, afogados, galinhadas, feijão tropeiro, farinha de mandioca, peixes e moquecas, entre outras iguarias que compõe a “Mesa Paulista”. Nos espaços de artesanato, artesãos de diversas regiões produzem palha de milho, folha de bananeira, cipó, madeira, ferro, cerâmica, crochê e bordado, entre outros materiais, com técnicas passada através de gerações da família.

O público poderá ainda conhecer manifestações culturais e artísticas de diferentes regiões do Estado. A cada dia, o Revelando apresenta uma programação diversificadas, como catira, folia de reis, grupos de congadas e moçambiques, batuque e violeiros.

A edição desse ano também comemora também os 70 anos da Comissão Paulista e Nacional de Folclore.

Com a realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, o Revelando São Paulo – Festival da Cultura Paulista é um evento gratuito, que acontece das 9h às 21h.

Programação
Programação Permanente das 9 às 21h
Artesanato – Exposição e comercialização de produtos artesanais de tradição, bem como demonstração dos misteres dos artesãos.
Comensalidade – Os humanos se encontram, compartilham ideias e sentimentos. Celebram o encontro e a sintonia compartilhando a mesa, o comer e beber juntos.
Culinária – Preparo e consumo de iguarias da culinária paulista tradicional.
Em Torno do Barro – Espaço concebido para a reunião de arteceramistas tradicionais e o compartilhamento de saberes e conhecimentos nas artes do fogo e do barro.
Homem do Realejo Presença dos homens do Realejo durante o festival.
Espaço Interétnico – Indígenas do estado de São Paulo, com sua musicalidade, seu artesanato e outras práticas culturais.
Comunidades de Ciganos, convivência e compartilhamento de músicas, danças e outros elementos culturais identitários.
Recitação do Rosário – Todos os dias às 8h na Capela e às 9h no Quintal de São Benedito.
Comemoração CPF – Celebração dos 70 anos da Comissão Paulista de Folclore, com exposição fotográfica sobre a cultura tradicional Paulista obra dos fotógrafos; Reinaldo Meneguim, Diego Dionisio, Flavio Pilege, César Dinis e Leonil.

artesanato foto reinaldo maneguim
Foto: Reinaldo Maneguim

20 de Setembro – Quinta – Feira – Vila + (antigo Mart Center)
09h- Abertura de Palco: Banda Municipal de Jacupiranga; Banda Marcial Municipal de São Sebastião
XIX Encontro de Violeiros: Grupo Raízes Viola Caipira – Atibaia; Denirval e Davi – Atibaia; Rubens e Fabinho- Atibaia; Tomás e Romancito – Atibaia; Vanderley e Waldir – Atibaia; Claudinei e Pires – Violeiros – Guarulhos; Vera Bianca e Guaru – Guarulhos; Grupo de Violeiros Som das Dez – Guarulhos; Toshio e Luiz – Violeiros – Guarulhos; Quesia Ribeiro – Guarulhos; Cesar Viola e Cuiabá – Iporanga; Violeiros Itaóca; Paco e Thiago – Pedra Bela; Raízes do Ribeira
Os Rouxinóis – Dupla de Violeiros – São Paulo; Tropeirinhos Rancho da Viola Catira – Tatuí
17h – Tarde Seresteira: Seresteiro da viola – São Caetano do Sul; Seresteiros com Ternura – Tatuí; Gabiroba Congo Capixaba – São Paulo – Rancho Tropeiro; 18h XIX Encontro de Orquestra de Viola; Camerata de Viola Caipira SLP – São Luiz do Paraitinga; Orquestra de Violeiros – Taboão da Serra; Conjunto de Música Sertaneja de Raiz – Várzea Paulista; Grupo de Viola Caipira São Gonçalo – Votorantim
20h Encerramento: Orquestra de Viola de Guarulhos.

SONY DSC
Foto: Rafael Leitão

21 de Setembro – Sexta – Feira – Vila + (antigo Mart Center)
09h – Abertura do Palco: Trança fitas – Itaóca; Adoradores da Santa Cruz – Mirim – Embu das Artes
XIX Encontro de Fandango: Fandango de Tamanco – Itaóca; Fandango do Cuitelo – Ribeirão Grande
XIX Encontro de Catira: Grupo de Catira de Monteiro Lobato; Rainhas do Catira – Hortolândia;
Cururueiros – Tatuí; Dança do Barro – Apiaí
XIX Encontro de São Gonçalo: São Gonçalo – Atibaia; São Gonçalo – Jarinu; Grupo de Dança de São Gonçalo de Pardinho
13h – Encontro de Orquestra: Orquestra de Violeiros de Descalvado; Orquestra de Violeiros e Cantores Ouro na Serra – Guapiara; Orquestra de Violeiros Coração da Viola – Guarulhos; Orquestra de Viola Matutos da Mantiqueira – Joanópolis; Orquestra Torrinhense de Viola Caipira
18h Comemoração do Dia internacional da Paz e Conexão de Cura
Grupo Orgulho Caipira – Dança do Sabão – Lagoinha
20h X Noite de São João: Quadrilha Terceira Idade Juventude Imaculada – Cruzeiro;
Encerramento: Bonecões da Mantiqueira – Caçapava

SONY DSC
Foto: Rafael Leitão

22 de Setembro – Sábado – Vila + (antigo Mart Center)
9h Cortejo – XXIII Festival de Bonecos de Rua e Cabeções: Bloco da Vaca – Artur Nogueira; Bonecões Caçapava; Bonecões Gigantes Pereirões – Monteiro Lobato; Bloco Zé Pereira – São Bento do Sapucaí; Bonecões Torrinha; Banda Waldemar Tedeshi – Torrinha; Cia Caracaxa – São Paulo
9h – Palco – Encontro de Reiada: Folia de Reis Luz Divina – Artur Nogueira; Cia. Ases do Brasil – Folia de Reis – Campinas; Grupo de Folia de Reis de Santo Antonio do Bairro Tinga – Caraguatatuba; Folia de Reis Paróquia de Nossa Senhora da Boa Esperança – Caçapava; Folia de Reis de Cândido Mota; Folia de Reis – Embu das Artes; Folia de Reis Estrela Guia de Guarulhos; Folia de Reis de Pedra D’Alva de Guarulhos; Folia de Reis de Palmital; Folia de Reis Morro do Abrigo – São Sebastião; Cia. de Reis Litoral – São Sebastião; Grupo Folia de Reis da Vila Formosa – Sorocaba; Folia de Reis de Torrinha; Companhia de Santos Reis – Várzea Paulista; Divino Espírito Santo da Rainha da Paz do Julio Mesquita – Sorocaba; Confraria do Divino Espírito Santo _ Joanópolis; Folia de Reis do Pontal Cruz – São Sebastião; Moçambique da Vila Tesouro – São José dos Campos
13h – Dança da Santa Cruz – Carapicuíba; Grupo Sarabaque – Carapicuíba
– XVII Festival da Amizade – Devi – Dança Indiana – Atibaia; Grupo Cheiro de Mate – Capão Bonito; Reisado Sergipano e Bumba meu Boi do Guarujá; Grupo Folklorístico Stella Bianca – Jarinu; Coral Guarani da Aldeia Araça-Mirim – Pariquera Açu; Grupo de Danças Gaúchas Tropeiros da Nascente – Pilar do Sul
Rancho Folclórico Típico Madeirense do Morro do São Bento – Santos; Mi Vejo Simón – São Paulo; San Simón – São Paulo; Grupo de Danças Parafolclóricas de Pirassununga; Associação Cultural Anástasis – Olímpia; Ribeira Ryofu Daiko – Registro; Grupo Apolo de Danças Gregas – São Paulo; Folclore e Etnografia Região Autónoma da Madeira – São Paulo; Ballet Folclórico Boliviano – Guarulhos
15h Mesa de Cosme e Damião – No Saguão
19h XVII Noite dos Tambores – Grupo Baobá de Melê – Coco de Pisada – Peruíbe; Grupo de Jongo Filhos da Semente – Indaiatuba
20h Encerramento: Grupo Samba Lenço – Mauá; Jongo Quilombolas do Tamandaré Guaratinguetá

café caipira reinaldo maneguim
Foto: Reinaldo Maneguim

23 de Setembro – Domingo – Vila + (antigo Mart Center)
9h Palco – BAMUC – Banda Municipal de Cajati; Corporação Musical Maestro Custódio Possidônio Martin – Apiaí; Associação Cultural Som & Arte – Peruíbe
12h – Cortejo – Entrada no Recinto – XX Congado Paulista – Congada Rosa – Atibaia; Congada Verde – Atibaia; Cia. de Moçambique de Caraguatatuba; Cortejo do Divino de Itanhaém; Congada de São Benedito e Nossa Senhora da Conceição – Lagoinha; Grupo Folclórico e Religioso Moçambique de São Benedito de Lorena; Moçambique Esperança – Monteiro Lobato; Congada Santa Ifigênia – Mogi das Cruzes; Congada Batalhão Nossa Senhora de Aparecida – Mogi das Cruzes; Congada do Divino Espírito Santo – Mogi das Cruzes; Congada Preto e Branco – Nazaré Paulista; Congada São Benedito – Pindamonhangaba; Grupo de Moçambique Leal Bahia – Piraju; Congada Terno de Sainha Irmãos Paiva – Santo Antônio da Alegria; Congada São Benedito – São Sebastião; Congada de São Benedito e do Divino Espírito Santo – Socorro; Bandeira do Divino Espírito Santo – Votorantim; Irmandade do Divino da Paróquia Nossa Senhora do Ó – São Paulo; Caminheiros de Santo Expedito – Mairiporã; Irmandade de Moçambique Vila do Tesouro – São José dos Campos Caiapó de Piracaia; Afoxé Filhos do Cacique – São Paulo
18 h : Encerramento: The Sun – Orchuestra – São Paulo

doces

21º Revelando São Paulo
De 19 a 23 de setembro, das 9h às 21H
Local: Mart Center – Vila Maria/Vila Guilherme.
Entrada gratuita

 

Festival da Coreia tem atrações gratuitas

A 12ª edição do Festival da Coreia começa hoje(10) e vai até domingo (12), na Praça Coronel Fernando Prestes, em São Paulo (SP), contando com diversas atrações, que marcam a comemoração do 55º aniversário da migração coreana. O Festival é considerado um evento multicultural, com entrada gratuita, organizado pela Associação Brasileira dos Coreanos (entidade oficial e representativa da comunidade coreana), que terá muitas atrações para o público.

“Serão shows de grupos vindos da Coreia, apresentações de Taekwondo, dança tradicional coreana, grupos de canto e percussão tradicional coreana, exposições e oficinas de arte, roupas e jogos típicos, atividades culturais, grupos covers de K-pop, concursos e (muita, mas muita) comida típica coreana, na Praça Coronel Fernando Prestes, localizada no bairro do Bom Retiro, que certamente é o pedaço mais multicultural da cidade”, explicou Yeo Jin Kim, presidente da Associação Brasileira dos Coreanos.

Entre as principais atrações estão, o cantor Juliano Son, grande nome da música gospel, e o conceituado ilusionista Pyong Lee. “Juliano Son, Pyong Lee, comidas típicas coreanas, artes e muitas outras atividades, além daquele congraçamento salutar entre os coreanos que residem em São Paulo e região. A data comemora o aniversário da imigração coreana no Brasil, por isso, estamos fazendo esse megaevento, que será extremamente atrativo também para os visitantes de outras nacionalidades”, acrescentou.

De acordo com Yeo Jin Kim, a estimativa é de um público rotativo de cerca de 30 mil pessoas por dia. “Temos essa expectativa, pois o evento comemorativo ganhou mais um dia, em relação ao realizado no ano passado, por isso, esperamos um público maior, com cerca de 30 mil visitantes por dia, pois não há custo de entrada – apenas as comidas típicas serão vendidas a preços variados. Outro ponto importante a se destacar é a programação variada, com muita qualidade, contando com shows expressivos, artes e a culinária coreana, entre outras coisas”, relatou.

festival_03

A festividade coincide com o 55° ano do início oficial da imigração coreana no Brasil; atualmente cerca de 50.000 imigrantes e descendentes vivem em harmonia com os demais povos que fazem do Brasil um país multicultural. “E boa parte da comunidade coreana vive ou trabalha no bairro do Bom Retiro, misturada em harmonia com portugueses, judeus, italianos, bolivianos e tantos outros povos que ali se estabeleceram”, comentou Yeo Jin.

A cultura coreana, atualmente, está bastante difundida no Brasil, com novelas (K-dramas) e a música pop (K-pop), elementos que fazem parte da “Onda Hallyu” (cultura coreana em geral), são bastante apreciados. Este fenômeno fez com que muitos brasileiros procurassem escolas de língua coreana ou mesmo cursos de graduação e pós-graduação na Coreia, por onde passaram mais de mil estudantes universitários em intercâmbio internacional.

“Além do já conhecido polo de moda feminina, o bairro do Bom Retiro abriga dezenas de restaurantes, cafeterias, lojas de produtos coreanos e mercearias que atraem cada vez mais interessados na cultura coreana, fazendo dele um pedacinho da Coreia no Brasil”, complementou Kim.

12° Festival da Cultura Coreana
Datas: 10, 11 e 12 de agosto de 2018
Local: Praça Coronel Fernando Prestes, no Bom Retiro, em São Paulo (SP) – acesso direto pela estação Tiradentes do Metrô, na Linha Azul
Entrada: gratuita, com comidas típicas à venda a preços variados
Fotos: Divulgação/ABC

Projeto Difusão chega a 23ª edição

Com o apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura, o Projeto Difusão chega a 23ª edição que ocorrerá no próximo dia 1º de março, a partir das 21 horas, no Jai Club, Rua Vergueiro 2676, trazendo bandas autorais de diversos estilos, como forró, rock, reggae, hip hop etc.

As bandas participantes serão Aloha Session, Tripper, com o convidado especial PH Moraes e Projeto Acaso. Na abertura, intervalos e fechamento do festival, o público irá curtir a discotecagem do DJ Andi Vannelli, tocando os maiores sucessos, de todos os tempos.

Os ingressos custam R$ 20,00 inteira ou R$ 10,00 meia entrada, para quem levar um quilo de alimento não perecível. Quem chegar antes das 22 horas, terá entrada vip. Todos os alimentos arrecadados serão doados para instituições de caridade.

▽Entrada somente com documento original
▽Proibida a entrada de menores de 18 anos

4a2005bd-66dd-457b-b434-415147a9d805

Informações pela página do evento, clicando aqui.

Patrocínio: 51
Realização: Proac SP
Produção: Playlive

São Paulo 464 anos: obras-primas que podem ser vistas nos museus da capital

Considerada uma das cidades mais culturais do planeta, São Paulo tem mais de 150 museus, onde estão expostos quadros de alguns dos maiores pintores da história, como os brasileiros Cândido Portinari e Tarsila do Amaral, o espanhol Pablo Picasso e o francês Auguste Renoir.

Uma boa dica para curtir o aniversário de 464 anos da cidade, comemorado nesta quinta-feira (25), é conhecer algumas dessas obras-primas. Para ajudar a planejar esse tour, o Stoodi – cursinho à distância com foco em Enem e pré-vestibular -, reuniu informações de serviços e detalhes de 5 pinturas famosas que podem ser vistas nos museus da capital paulista.

1) Mestiço – Cândido Portinari

mestiço - candido portinari

Pintada em 1934 e disponível para visitação na Pinacoteca, a obra “Mestiço” é a mais conhecida de Cândido Portinari, e mostra um trabalhador de braços fortes em frente a plantações de café e de banana. Os traços corporais do homem denotam a origem miscigenada da população brasileira, enquanto as grandes proporções da cabeça e das mãos indicam a exaltação da classe operária. Paulista nascido na pequena cidade de Brodowski, na região de Ribeirão Preto, Portinari foi um dos grandes representantes do Modernismo e o pintor brasileiro que alcançou maior prestígio internacional, tendo produzido em sua vida mais de cinco mil obras.

Endereço Pinacoteca: Praça da Luz, 2 – Luz – Telefone: (11) 3324-1000
Horário de funcionamento: De quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30, com permanência até as 18h. Possui bicicletário e estacionamento gratuito. Fechada às terças-feiras.
Entrada: Gratuita aos sábados. Nos demais dias, R$ 6,00 (com meia-entrada para estudantes com carteirinha). Menores de 10 anos e maiores de 60 são isentos de pagamento.

2) Estrada de Ferro Central do Brasil – Tarsila do Amaral

estrada de ferro central do brasil tarsila do amaral

Também modernista, a paulista Tarsila do Amaral sempre esteve muito à frente de seu tempo. Pintada em 1924, a tela “Estrada de Ferro Central do Brasil” tornou-se um ícone do Manifesto e Movimento Pau-Brasil, contrapondo uma paisagem rural ao progresso representado pela estrada de ferro. Com cores fortes, o quadro mostra uma composição geométrica influenciada por Fernand Léger, artista que colocou em prática um cubismo mais flexível que aquele feito por Picasso e foi professor de Tarsila no período em que ela morou na França. Ao lado de “Abaporu”, “Antropofagia”, “Operários” e “A Negra”, está entre as grandes obras da artista e pode ser visitada gratuitamente no Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo (USP).

Endereço MAC: Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301 – Vila Mariana-Telefone: (11) 2648-0254 -Horário de funcionamento: Aberto às terças-feiras, das 10h às 21h, de quarta a domingo, das 10h às 18h e fechado às segundas-feiras.
Entrada: Gratuita

3) Figuras – Pablo Picasso

PabloPicasso

Também pertencente ao acervo permanente do Museu de Arte Contemporânea, a tela “Figuras” foi pintada no ano de 1945 pelo pintor espanhol Pablo Picasso e apresenta dois rostos convergindo. A obra, cujas formas remetem ao símbolo pelo qual o ying-yang é caracterizado, mescla características surrealistas (mais predominantes) e elementos cubistas (como a perspectiva angulada e geometrização).

Endereço MAC: Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301 – Vila Mariana-Telefone: (11) 2648-0254- Horário de funcionamento: Aberto às terças-feiras, das 10h às 21h, de quarta a domingo, das 10h às 18h e fechado às segundas-feiras.
Entrada: Gratuita

4) Meninas Cahen d’Anvers – Auguste Renoir

Renoir_Mlles_Cahen_d_Anvers

Também conhecida como “Rosa e Azul”, essa pintura a óleo do impressionista Auguste Renoir pode ser apreciada em uma visita ao MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. Pintado em 1881, o quadro exibe as irmãs Elizabeth e Alice Cahen d’Anvers, integrantes de uma família aristocrática da cidade italiana de Trieste. Renoir foi contratado pelo pai para fazer o retrato das meninas, mas não gostou do resultado e o deixou esquecido por décadas em uma das casas da família. A gravura contém as principais técnicas utilizadas por Renoir, incluindo suas cores preferidas: rosa e azul.

Endereço MASP: Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista-Telefone: (11) 3149-5959
Horário de funcionamento: Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30). Às quintas-feiras, das 10h às 20h (bilheteria aberta até as 19h30). Fechado às segundas-feiras.
Entrada: Gratuita às terças-feiras. Nos demais dias, R$ 30,00 (com meia entrada para estudantes, professores e maiores de 60 anos). Crianças até 10 anos não pagam.

5) Anunciação – El Greco

El_Greco_-_Anunciação

O tema da “Anunciação” é recorrente na obra do pintor e escultor grego Doménikos Theotokópoulos, conhecido como El Greco. O quadro exposto no MASP, representação de um trecho do Evangelho de São Lucas, traz a Virgem Maria, o anjo Gabriel e uma pomba branca. Representante da renascença espanhola (pois morou a maior parte da vida na Espanha), El Greco é considerado um dos precursores de outros dois movimentos: expressionismo e cubismo.

Endereço MASP: Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista-Telefone: (11) 3149-5959
Horário de funcionamento: Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30). Às quintas-feiras, das 10h às 20h (bilheteria aberta até as 19h30). Fechado às segundas-feiras.
Entrada: Gratuita às terças-feiras. Nos demais dias, R$ 30,00 (com meia entrada para estudantes, professores e maiores de 60 anos). Crianças até 10 anos não pagam.

Fonte: Stoodi

 

 

 

Finados: dia triste para alguns e de festa para outros

Dois de novembro: uma data que, no Brasil, remete a orações silenciosas e certa tristeza ao relembrarmos os que já se foram, o Dia de Finados é também motivo de festa e comemoração em outras partes do mundo.

Inúmeros países celebram o Dia de Finados e cada cultura tem o seu jeito próprio de fazer isso. A data é bastante valorizada nos países latino-americanos e também nos Estados Unidos, mas é no México que se encontra uma das principais celebrações aos mortos.

Segundo a Britannica Digital Learning, o “Dia de los muertos”, como é conhecido por lá, é derivado dos rituais de antepassados que viveram no México há milhares de anos. Sua celebração, que durava um mês, era liderada pela deusa Mictecacihuatl, conhecida como “Senhora dos Mortos”.

Bonecos feitos de papel e cerâmica para o Dia de los Muertos Oaxaca, 1960 Girard Foundation Britannica
Bonecos feitos de papel e cerâmica para o Dia de los Muertos Oaxaca, 1960 – Girard Foundation/Britannica

Com a chegada dos espanhóis ao México e a conversão dos povos nativos para o catolicismo romano, a comemoração mudou de data para coincidir com a celebração do Dia de todos os santos (1º de novembro) e Dia de todas as almas (2 de novembro).

Atualmente, as formas de se festejar o feriado variam de região para região. Em algumas áreas rurais, as famílias adornam locais de sepultura com velas e os alimentos favoritos dos parentes falecidos, na tentativa de persuadir os entes queridos a retornar para uma reunião familiar.

Casal mexicano comemorando o Dia de los Muertos Elizabeth Ruiz Britannica
Casal mexicano comemorando o Dia de los Muertos – Foto: Elizabeth Ruiz/Britannica

Nas áreas urbanas, as pessoas saem às ruas para celebrações festivas e se dedicam ao consumo de alimentos e álcool. Alguns usam máscaras de crânio de madeira conhecidas como calacas. Muitas famílias criam altares em suas casas, como se fossem oferendas, decorando-os com fotos, velas, flores e alimentos. Brinquedos e itens alimentares, incluindo pães e doces, são criados sob a forma de símbolos da morte, como crânios e esqueletos.

Fonte: Britannica Digital Learning

Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes tem concurso de queijos

Evento, que faz 20 anos em 2017, vai até o dia 27 de agosto

O Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes continua a todo vapor. Desde a última sexta-feira (18), o evento, que em 2017 faz 20 anos de história e presta homenagem ao estado de Minas Gerais, vem promovendo aulas de culinária com chefs renomados, restaurantes na praça, atrações artísticas e culturais pela cidade histórica mineira. No próximo final de semana a programação segue com as atividades, que são gratuitas.

No sábado, acontece a final do Concurso Queijo Minas Artesanal. A competição, que chega a sua 10ª edição, vai eleger os melhores queijos das sete regiões produtoras do estado: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. O julgamento será às 10 horas no Espaço Degustação da Praça Senac do Conhecimento e os vencedores serão premiados às 17 horas, no palco da Praça da Rodoviária.

No Espaço Cozinha ao Vivo, na Praça SESC Campo das Vertentes, o chef Rodolfo Mayer, do restaurante Angatu, de Tiradentes, ensina sua receita de Arroz de Pato. Já no Espaço Interativo, onde o público pode colocar a mão na massa com a orientação dos profissionais, Rafael Pires, do Pacco & Bacco, mostra como se prepara seu Pastel de Angu.

concurso-do-queijo-minas-artesanal-integra-o-festival-de-gastronomia-de-tiradentes

Outros nomes que darão aulas durante o Festival são Rafael Tocchetto, do Campagne Restaurante (Macacos – MG), Gabriel Valadão, da Queijaria Bem Mineiro (Casa Branca – MG), Isabela Peregrino, da Epamig, falando sobre vinhos mineiros.

Para animar ainda mais o Festival, peças de teatro e atrações musicais acontecem na Praça da Rodoviária e na Praça SESC Campo da Vertentes. No sábado, a cantora Fernanda Takai se apresenta às 21 horas.

rodrigo_img_2787

O Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes faz parte do calendário do Fartura – Comidas do Brasil, um dos maiores projetos de gastronomia do país. No final de semana passado, o evento atraiu 22 mil pessoas para a cidade histórica mineira. Entre os destaques, o chef Rodrigo Zarife, do restaurante Ro.Za, de Belo Horizonte, ensinou a fazer uma paella gigante, no espaço Cozinha ao Vivo.

Parque da Água Branca promove Feira Mística com “Especial Dia dos Pais”

A magia vai dominar o Parque da Água Branca nos dias 12 e 13 de agosto, das 9h às 19h. A Feira Mística trará muitas atrações do universo esotérico com a apresentação de diversos tipos de danças, produtos e serviços do segmento. E em comemoração ao dia dos pais, o evento contará com uma oficina exclusiva, cheia de novidades, dedicada aos nossos heróis.

Os organizadores da feira, Sandra e Carlos Cardim, comemoram o sucesso do evento, que já vem de outras edições. “As pessoas gostam desse tema e dessa vez faremos uma oficina especial dedicada aos pais. Além disso, no evento haverá também sessões de oraculistas com bola de cristal, tendas místicas de vidência, runas, cartomância, baralhos ciganos, tarot, entre outros. Vale ressaltar que todos os serviços possuem preços acessíveis”, destacam.

feira mistica 1

A diversão no passeio está garantida para toda a família, inclusive para os pequenos que terão no espaço kids diversas brincadeiras e oficinas gratuitas, inclusive uma rotulada como varinha mágica. Os brinquedos infláveis também serão uma ótima opção para quem quer gastar pouco dinheiro e muita energia.

Feira mistica 4

Além do pavilhão com o melhor da culinária, haverá apresentação de flamenco, dança do ventre e danças ciganas. Os artigos esotéricos serão encontrados no bazar com artesanato, mandalas, pedras, bijuterias, roupas e acessórios. Na Árvore da Prosperidade, os visitantes poderão deixar os seus desejos, sonhos e agradecimentos.

O acesso é fácil: o parque fica a 800 metros da Estação Palmeiras-Barra Funda do metrô e, para quem prefere ir de carro, o local tem estacionamento na portaria da Rua Dona Ana Pimentel, s/nº e custa R$ 10,00 por 12 horas.

feira-mistica

Feira Mística – Magia no Parque
Data: 12 e 13 de agosto, das 9h às 19h
Local: Parque da Água Branca
Avenida Francisco Matarazzo, 455 – Barra Funda
Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 455 – 800 metros da Estação Barra Funda do Metrô
Entrada gratuita. Estacionamento no local com custo de R$10,00 por 12 horas

 

11º Festival da Cultura Coreana acontece em São Paulo nos dias 12 e 13

Evento gratuito reunirá shows de grupos da Coreia, exposições de arte, jogos, atividades culturais, concursos e comida típica em fim de semana no Bom Retiro

Nos dias 12 e 13 de agosto, a Praça Coronel Fernando Prestes, no Bom Retiro, em São Paulo vai ser o palco do 11º Festival da Cultura Coreana. Promovido pela comunidade coreana, o evento, com entrada franca, terá uma programação intensa com diversas atrações para divulgar a cultura coreana e fortalecer o elo entre a Coreia do Sul e o Brasil.

Com o tema “Eis Sua Majestade”, o Festival terá início com a visita do rei pelo bairro revivendo uma antiga tradição onde ele, acompanhado de uma grande comitiva, fazia uma peregrinação pelos vilarejos para visitar seus súditos. Na tarde do dia 12, mais de 150 pessoas vestidas com trajes típicos irão recriar esse momento cheio de pompa, acompanhando o rei e a rainha em uma caminhada pelas ruas que irá terminar na praça, onde o evento será aberto oficialmente.

A partir daí o público poderá conferir Exposições de Caligrafia, Pintura Tradicional, Artes Plásticas, Cerâmica, Fotografia e Moda, além de conhecer as Bonecas Dakjongie, a ou Hanbok, roupa tradicional coreana, e o Jogakbo.

coreanos

As pessoas também poderão participar de diversas Oficinas onde irão aprender a pintar com Lee Chan Jae, fazer Flores de Lotus, bater Ttadji, participar de jogos de computador, fazer fotos usando roupas típicas e também aproveitar sessões de acupuntura e massagem.

Já, as crianças poderão se divertir jogando Peteca e Tuho (jogo coreano com potes e flechas), fazendo esculturas com balões, pintura no rosto e dobraduras. No espaço também haverá diversas barracas onde serão comercializados pratos da culinária tradicional e produtos coreanos.

culinaria_coreana_web_

Além da programação de atividades, também haverá Concursos de Luta Livre Coreana, de Desfile de Hanbok e de Arco e Flecha e também uma Competição de Covers de K-pop que ocorrerá nos dois dias, sendo no primeiro dia semifinal e no segundo, a final com horário previsto das 14h às 16h em ambos os dias.

festival_cultura_coreana_web_

11º Festival da Cultura Coreana
Dias 12 e 13 de agosto
Horário: das 11h às 21h
Local: Praça Coronel Fernando Prestes – Bairro Bom Retiro – São Paulo
Entrada franca

Projeto inspirado na cultura Aborígene Australiana chega ao Brasil para o SPFW

Como uma de suas premissas, a Swarovski busca apoiar iniciativas e incentivar talentos emergentes a conquistarem visibilidade em seu universo de trabalho. Desta vez, a marca apoia a brasileira radicada na Austrália, Vanessa Moe, com seu projeto Circles – união de um desfile de moda e uma exposição de arte inspirados na cultura Aborígene Australiana – que será apresentado no São Paulo Fashion Week em agosto.

O nome Circles (círculos) faz referência aos desenhos cheios de significado presentes nos corpos dos aborígenes, que, além de inspiração, foram participantes ativos no processo de criação da coleção. O projeto irá apresentar 12 peças únicas de alta costura criadas com a orientação e o apoio de organizações aborígenes. O casting contará com a participação de 11 modelos aborígenes e da Miss NAIDOC 2016 – Comitê Nacional de Observação dos Aborígenes e dos Insulares Merinda Dryden.

Vanessa Moe_Projeto CirclesVanessa Moe_Projeto Circles (2)Vanessa Moe_Projeto Circles (3)

Tendo como principal objetivo explorar o potencial de colaboração entre estilistas da Austrália e do Brasil, Circles foi criado com o intuito de fortalecer a cooperação cultural entre os dois países. Mais do que um projeto de moda, é oportunidade única para promover a aproximação entre as indústrias criativas do Brasil e da Austrália.

Sobre Vanessa Moe

Vanessa Moe_Projeto Circles (4)

Brasileira radicada na Austrália, Vanessa Moe é formada em Fashion Design em umas das melhores faculdades de moda da Austrália e está traçando uma carreira de sucesso. Em 2015, foi a primeira estilista brasileira a apresentar uma coleção no Mercedes Benz Fashion Week Australia. O desfile rendeu um reconhecimento mundial e artigos foram publicados em mais de 40 veículos de comunicação impressos e on-line, incluindo Huffington Post – Reino Unido, Daily Telegraph – Austrália e O Globo – Brasil.

VanesaMoe&Leon Burchill
Vanessa ao lado do ator aborígene Leon Burchill

Para atender um público requintado e que valoriza a originalidade, suas roupas têm uma característica única. Cada coleção da fashion designer acompanha uma história. Suas peças são exclusivas e artísticas, representando um encontro da arte com a moda.