Arquivo da categoria: gatos

Alopecia em gato: o que é?

Não é todo tipo de queda de pelo que representa um problema de saúde. A alopecia em gatos caracteriza-se por uma perda excessiva de pelos que deixa falhas na pelagem e deve ser investigada, uma vez que esse quadro é visto como sintoma de um problema maior.

A queda de pelos ou alopecia em gatos pode ter diversas causas, que vão desde as mais comuns até as que necessitam mais atenção e tratamento. A médica veterinária da Equilíbrio e Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos, Bárbara Benitez, listou algumas causas com informações sobre os sintomas e tratamentos para o tutor ficar de olho na saúde do seu animal.

Causas da alopecia em gatos

Dermatite de contato

A dermatite em gatos é uma reação alérgica e irritante de contato. Pode ser causada por aplicação de antibióticos, contato com materiais como plástico, borracha, lã, produtos químicos, entre outros. Quando se manifesta, a pele fica irritada e vermelha, surgem bolhas ou saliências em partes do corpo com menos pelagem, coceira e queda de pelos. O diagnóstico é realizado por meio de teste de contato e o de exclusão que devem ser feitos por um veterinário. E, assim que constatado o objeto causador, o animal deve ser privado do contato com ele.

Atopia (dermatite alérgica inalante)

A alopecia em gatos pode aparecer em função de uma reação alérgica a algo que o animal inalou, como pó, pólen, mofo, ácaros, entre outros. Felinos com esse problema apresentam sintomas como: vermelhidão, perda de pelos, comichões, orelhas inflamadas e, muitas vezes, o quadro pode ser acompanhado por uma infecção. Após os devidos testes e constatações, o gato deve ser privado do contato com o que lhe causa a alergia e o veterinário irá ministrar um medicamento apropriado, se necessário.

gato-se-lambendo

Hipotricose congênita

A hipotricose congênita pode fazer com que alguns felinos nasçam com pouco ou nenhum pelo. Em outros casos, o quadro de queda excessiva de pelo acontece até os 4 meses de idade. Uma biópsia pode constatar se esse é o problema com os pelos do seu gato e, em caso positivo, não tem tratamento, já que se trata de uma doença congênita e o animal sempre terá pouca ou nenhuma pelagem. Converse com seu veterinário, pois essa peculiaridade, apesar de não ter cura, não impede que o animal tenha uma vida saudável e feliz com alguns cuidados extras.

Alopecia facial (pré-auricular)

A alopecia facial é a perda normal de pelo entre o olho e a orelha do animal. Começa entre os 14 e 20 meses de idade e é mais comum em gatos com pelagem escura e curta. A não ser que venha acompanhada de vermelhidão, pele irritada, escamação ou erupções, é normal e não tem tratamento, sendo associada ao tempo de vida do animal e, em geral, apresenta melhora posterior.

Foliculite

É causada por fatores externos, como alergias, e podem desencadear uma infecção nos folículos, geralmente na face, na cabeça e no pescoço dos animais. A causa deve ser descoberta por um veterinário, que normalmente realiza a raspagem de pelos e a biópsia para apontar a origem do problema. Dessa maneira, o médico veterinário pode estudar um tratamento e a perda de pelos cessará.

Alergias alimentares

Algo na dieta pode causar reação alérgica nos felinos. Os sintomas da alergia alimentar são praticamente os mesmos das demais alergias, porém, nesse caso, o gato costuma rejeitar a ração ou apresentar piora nos períodos próximos às refeições. O teste para diagnóstico é o de eliminação alérgico. O animal deve evitar ingerir os alimentos que causam a reação alérgica e a principal forma de combater é mudando a dieta.

Perda de pelo durante a gravidez e amamentação

Essa condição pode ocorrer também em outras circunstâncias estressantes, tais como doença, cirurgia e mudanças bruscas que causam estresse, desconforto ou tristeza ao animal. É uma perda de pelo generalizada, sem concentração em qualquer área específica e aparece de forma súbita. Geralmente é diagnosticada observando o estado do animal, os sinais clínicos e o histórico. Tratar a condição subjacente que esteja causando esse e quaisquer outros incômodos resolverá o problema.

gato coçando emmi p

Dermatoses solares

As dermatoses, ou queimaduras causadas pelo sol, são comuns em animais com orelhas brancas ou pelagem inteira clara. Causam vermelhidão, perda de pelos, descamamento e podem até causar úlceras. O tratamento é medicinal, por meio da recomendação de um veterinário. A prevenção pode ser feita evitando a exposição excessiva ao sol, especialmente em horários de pico, como entre as 9 e 15 horas. Também recomenda-se o uso de protetor solar para gato, quando indicado pelo veterinário.

Cuidados para evitar alopecia em gatos

gato coceira coçando

Essas são algumas das causas mais comuns da alopecia, mas existem diversos motivos e, por isso, o ideal é ficar sempre de olho no animal e, ao perceber qualquer sintoma incomum, levá-lo ao veterinário.

Também é importante levá-lo para consultas rotineiras e alimentá-lo com rações para gatos de qualidade, como as da linha Equilíbrio Super Premium ou Equilíbrio Veterinary. “Os produtos são desenvolvidos com proteínas de fonte nobre, o que proporciona melhor digestibilidade e aproveitamento nutricional. Além disso, o felino pode contar com todas as vitaminas e sais minerais essenciais ao seu desenvolvimento”, finaliza Bárbara.

Fonte: Total Alimentos

 

 

Anúncios

Campanha em defesa dos gatos ganha apoio de ocultistas

Ação inclui conscientização sobre maus tratos e até magia para procurar
animais perdidos; um bom tema para reflexão nesta sexta-feira 13

O combate aos maus-tratos de animais domésticos, em especial dos gatos, acaba de ganhar um reforço especial. Com o apoio da astróloga, taróloga e coach holística Virginia Gaia, a nova campanha inclui a disseminação de informações embasadas sobre a simbologia associada aos gatos em diversas mitologias e culturas ao longo da história.

 

bast
A deusa Bast

“No início de sua domesticação, os gatos eram considerados protetores mágicos. Foi só na Idade Média que essa crença de que podem dar azar apareceu”, explica Virginia. A especialista cita o exemplo da deusa egípcia Bast, representada por um gato preto, para explicar que, no Egito Antigo, os gatos eram considerados sagrados, em parte, por manterem os alimentos estocados livres de ratos e demais pragas. Em outra porção do globo, e em um contexto histórico bastante diferente, há outro exemplo de como os gatos aparecem ligados à ideia de magia e proteção: com o mito de Freya, deusa nórdica da fertilidade. De acordo com a tradição, Freya tinha uma carruagem mágica que era puxada por gatos.

freya e cats
Freya e seus gatos

Na Idade Média, com a estigmatização do paganismo, é que os gatos passaram a ser vistos de forma pejorativa. Com a popularização dos grimórios, textos de autoria duvidosa que propagavam ideias distorcidas do senso comum sobre práticas mágicas, surgiram rituais que propunham o sacrifício de gatos. “Essas práticas não têm fundamento nenhum”, pontua Virgínia.

Magia para localizar gatos perdidos

Foi a partir da história de um gato preto salvo dos maus-tratos com a ajuda de ferramentas mágicas que surgiu o ZesKia – O Procurador de Gatos. O gato Zé frequentava as dependências de uma casa onde funcionava um estúdio coletivo de arte, no Rio de Janeiro. O mesmo local abrigava as aulas de tarô do professor e praticante de ocultismo Pedro Pietroluongo, que colocou em prática seus conhecimentos mágicos, depois de o gato estar desaparecido há três semanas.

O gatinho Zé reapareceu com marcas de agressão, teve que ser internado para receber tratamento veterinário, mas recuperou-se perfeitamente e, hoje, vive em um ambiente seguro e cheio de amor para ele.

A receita para usar o ZesKia é bem simples: basta energizar a imagem gráfica, concebida com base nas técnicas de sigilização mágica propostas pelo ocultista inglês Austin Osman Spare, que ele ajuda a encontrar gatos perdidos de qualquer cor de pelagem, raça ou gênero.

“O Zeskia funciona independente de religião e tem índices de sucesso altíssimos”, diz. Dado o seu sucesso, o ZesKia ganhou recentemente uma fan page e um perfil no Instagram para que sua magia possa ajudar mais e mais gatinhos a voltar para casa.

Zeskia2

Facebook: Zeskia
Instagram

Perfil

Virginia Gaia é astróloga, taróloga e estudiosa de mitologia e religião comparada há mais de 15 anos. Tem um quadro no programa A Tarde É Show com Nani Venâncio (Rede Brasil de Televisão) e leva o conhecimento que acumulou nas Ciências Herméticas para os mais diversos públicos. Propagadora do Vama Marga Tantra, foi iniciada no Vajrayana – o chamado Budismo Tântrico ou Budismo Tibetano –, além de ter sido integrante de ordens iniciáticas e ocultistas. Com base na certificação de Capacitação em Sexualidade que obteve pela Abeme (Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual), é também educadora sexual, ministrando cursos e palestras sobre o amor e os relacionamentos que abordam o estreito vínculo entre sexualidade, afetividade e espiritualidade.

 

Dez sinais de câncer em gatos

O câncer em gatos é um problema grave que possui tratamento invasivo e, se não diagnosticado a tempo, pode ser fatal. O quanto antes essa doença felina for identificada, maior a probabilidade de cura e menos agressivo será o tratamento.

“A doença caracteriza-se pela reprodução exacerbada de células que levam à formação de corpo estranho – o tumor. O câncer atinge muitos gatos e uma das causas mais comuns de óbito ou de sequelas sérias deixadas pela doença é a negligência com os sintomas apresentados”, explica a médica veterinária da Equilíbrio e Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos, Bárbara Benitez.

Apenas um veterinário pode fazer o diagnóstico do câncer e, para isso, aplicam-se exames clínicos e laboratoriais. Entretanto, você pode detectar sinais quando o animal apresenta alguma mudança de comportamento.

Gatos doentes apresentam sinais de que existe algo fora do normal no funcionamento do organismo, por isso, esteja atento ao comportamento dos felinos. Existem alguns sinais e sintomas simples que podem ajudar a identificar a doença, segundo os veterinários especializados.

Porém, é sempre bom lembrar que o ideal é manter o check-up do seu pet em dia e levá-lo para fazer exames prontamente, caso note qualquer sintoma.

Confira abaixo os sinais indicados pela médica veterinária:

1. Inchaços persistentes ou crescentes
Em muitos casos, os inchaços são notados quando fazemos carinhos no gato. Eles sentem-se incomodados quando tocados e podem até ter dor na região do tumor. Qualquer inchaço, caroço ou saliência fora do normal é um bom motivo para visitar um veterinário.

2. Perda de peso
A perda de peso, especialmente se for repentina, pode ser um alerta importante.

gato branco

3. Sangramento, presença de muco ou corrimento
Sangrar ou expelir qualquer anormalidade pelos orifícios é um sinal de que algo precisa ser consultado.

4. Perda de apetite
Recusar a comida ou vomitar imediatamente é preocupante. Se notar que o gato não quer comer, busque a orientação de um veterinário, pois existe algo fora do normal.

5. Feridas e falta de cicatrização
Feridas e cicatrização mais lenta – ou até mesmo inexistente – podem ser sintomas de câncer em gatos. Por isso, diariamente, dedique um tempo para observar o seu animal de estimação, para verificar alterações no o comportamento dele e de seu organismo.

6. Dificuldade de engolir
Demonstrar dor ao engolir ou regurgitar a comida em seguida, sem realmente digerir, também pode ser um sinal de que algo não vai bem. Pode ser que a falta de apetite e o emagrecimento tenham relação com esse desconforto durante a alimentação do gato.

gato frio

7. Odores incomuns
Odores incomuns e fortes podem sinalizar mudanças na saúde do seu gato.

8. Indisposição
Hesitar para brincar, para fazer exercícios ou passear, pode ser preocupante. Sabemos que o comportamento dos gatos revela animais independentes e com personalidade forte, mas isso não significa que são antissociais e nunca interagem. Eles gostam e precisam de brincadeira e atividade física para se desenvolverem com saúde, por isso a falta de energia persistente indica que algo está errado.

9. Dor ou dificuldade ao urinar ou defecar
Queixas, sangramentos e demora para urinar ou defecar podem denunciar o problema.

10. Respiração com dificuldade
Respiração audível, engasgos, fadiga ou falta de fôlego são alertas para câncer em gatos.

“Lembre-se de que um sintoma isolado, ou mesmo vários, não significam, necessariamente, que seu animal está com câncer. Contudo, é importante observá-lo e levá-lo ao médico veterinário imediatamente se qualquer coisa incomum surgir, bem como fazer exames de rotina que previnem e detectam doenças com antecedência”, orienta a médica veterinária da Equilíbrio.

Cat Lying On Floor
Foto: Andrei Puzakov/Getty Images

Afinal, quanto antes uma patologia for identificada, maiores são as chances de o tratamento gerar efeito e seu gato superar os problemas de saúde. O câncer em gatos pode começar em uma determinada parte do corpo e se espalhar rapidamente, por isso é fundamental que o diagnóstico seja rápido.

Fonte: Equilíbrio

 

 

Festival Mexicano Vegano vai ajudar a alimentar mais de 150 animais carentes

A festa, promovida por entidade de proteção animal, oferece cardápio mexicano sem produtos de origem animal e com renda revertida para o cuidado com gatos e cães resgatados das ruas.

A ONG Confraria dos Miados e Latidos realizará, no próximo domingo 8 de abril, a primeira edição do Festival Mexicano Vegano, confraternização que reúne os apaixonados por animais em um farto almoço com receitas veganas inspiradas na culinária mexicana tradicional e tex-mex: chili, tacos, burritos, churros, flan e drinks típicos como a tradicional margarita e a exótica água de jamaica.

Por que um evento vegano?

“Nossa organização muitas vezes é questionada por não atingirmos um número maior de pessoas, promovendo um evento com pratos ‘convencionais’” – explica Adriana Tschernev, Vice Presidente da instituição. “Mas nós devolvemos o questionamento: como poderíamos levantar fundos para ajudar uma ou duas espécies de animais, explorando a morte e o sofrimento de outras tantas espécies?” – pondera. “Além disso, é uma oportunidade para que as pessoas descubram novos sabores. É possível ter prazer ao comer sem consumir produtos de origem animal”.

Todas as funções no evento são desempenhadas pelo corpo de voluntários da ONG – por um dia, jornalistas, professores, médicos, empresários e profissionais das mais diversas origens vestem seus aventais e assumem a cozinha e o serviço no salão.

Para Tatiana Sales, Presidente da ONG, esse é o principal diferencial dos eventos. “Tudo é feito com muito amor. Essas pessoas poderiam fazer o que quisessem com seu tempo e talentos – mas escolheram estar aqui, cozinhando e servindo aqueles que fazem nosso trabalho possível, apoiando a ONG financeiramente.”

A renda do evento será revertida para o cuidado com cães e gatos resgatados da rua pela instituição. O ingresso beneficente custará R$ 60, valor que apadrinha as despesas de um bichinho por um mês. O encontro ocorrerá no Pitanga Espaço Gastronômico, próximo ao Metrô Vila Madalena e contará também com a venda de produtos artesanais e de uma camiseta com estampa exclusiva. Vale destacar que doações de sacos de ração, brinquedinhos, remédios e outros mimos para os gatinhos serão muito bem-vindas!

Os ingressos podem ser adquiridos no dia do evento ou, antecipadamente, na lojinha virtual da ONG.

mexicano.png

Serviço
I Festival Mexicano Vegano
8 de Abril | das 12 às 17 horas
Pitanga Espaço Gastronômico – Rua Original 162
Próximo ao Metrô Vila Madalena
Ingresso: R$ 60,00

Informações: e-mail adriana@miadoselatidos.org.br ou pelo Tel./WhatsApp (11) 99197-7550

Curitiba tem feira de adoção, aula de adestramento e encontro de animais exóticos

Curiosos e apaixonados por animais não-convencionais têm programação garantida no próximo domingo (8) – o pet center HiperZoo realiza mais um Encontro de Animais Exóticos e Silvestres. Já os fãs de cães e gatos podem participar da aula de adestramento e do encontro de adoção que acontecem no sábado (7).

Tutores que sofrem com problemas de ansiedade e estresse de seus cães terão a oportunidade de aprender a lidar com a situação em mais uma aula de adestramento do HiperZoo. Trata-se do programa de adestramento coletivo promovido pelo pet center em parceria com o adestrador Rafael Wisneski, da Meu Cão Companheiro.

dtq_adestramento

O programa contempla as principais dificuldades enfrentadas na educação dos cães e tem apoio das marcas Purina, Kong, Petmais, Virbac e Ferplast. As vagas são limitadas e para participar os interessados devem se inscrever apresentando cupom fiscal de compras realizadas no HiperZoo, contendo um produto dos parceiros.

Ainda no sábado, a ONG Beco da Esperança participa da feirinha de adoção com pets que estão buscando um novo lar. Para adotar, o interessado deve ter mais de 21 anos, responder a uma entrevista sobre os motivos de adoção, aceitar receber a visita de um voluntário da ONG participante, e apresentar RG, CPF e comprovante de endereço para assinar o termo de adoção. Para quem deseja ter um gato como amigo, ainda é necessário ter caixa de transporte e possuir telas de proteção nas janelas de casa.

Encontro de exóticos e silvestres

jiboia-constritoracommon barn owl ( Tyto albahead ) close upCockatoo

O domingo no pet center será animado com a presença de cacatuas, jiboias, corujas e outras espécies dos tutores do Grupo Exotic World. Das 12h às 16h, o grupo apresenta seus animais e conversa com o público interessado. Os visitantes também podem desfrutar do evento em companhia de seus pets e aproveitar as delícias gastronômicas dos food trucks presentes no evento.

“O objetivo do evento é unir o público e os tutores desses animais promovendo a troca de informações. É uma oportunidade única de conhecer diversas espécies”, comenta Patrícia Maeoka, sócia-proprietária do HiperZoo. “Quem está pensando em criar um animal exótico ou silvestre tem a chance de conversar com tutores experientes e profissionais da área. Sem falar, é claro, que é uma atração especial para as crianças”, complementa. O pet center promove ainda uma palestra sobre manejo de répteis, com o médico veterinário responsável pelo atendimento de animais selvagens e pets não-convencionais nos consultórios do HiperZoo, Marcelo Rocha Carneiro.

O HiperZoo é o único estabelecimento de Curitiba autorizado, pelos órgãos competentes, a comercializar animais silvestres e exóticos. Por isso, vem buscando atender às necessidades dos tutores, oferecendo serviços como corte de asas e unhas, banhos e atendimento veterinário especializado. A loja disponibiliza também consultoria técnica para orientar os interessados sobre o manejo e cuidados necessários com essas espécies.

Serviço
Aulas de adestramento com Rafael Wisneski
Quando: Sábado, 7 de abril, das 10h às 11h – Tema: “Controle da ansiedade e stress”
Sábado, 14 de abril, das 10h às 11h – Tema: “Controle da ansiedade e stress”
Sábado, 21 de abril, das 10h às 11h – Tema: “Passeando corretamente com seu cão (uso de coleira, peitorais e guia)”
Sábado, 28 de abril, das 10h às 11h – Tema: “Comandos senta, deita e fica”
Entrada: apresentação de cupom fiscal do HiperZoo contendo um produto dos parceiros Kong, Virbac, Ferplast, Petmais ou Purina.

Angora cat portraits were relaxing on the floor

Feirinha de adoção com ONG Beco da Esperança
Quando: Sábado, 7 de abril, das 10h às 17h

Encontro de Animais Exóticos e Silvestres com o Grupo Exotic World
Quando: Domingo, 8 de abril, das 12h às 16h

Palestra “Manejo de Répteis” com Marcelo Rocha Carneiro
Quando: Domingo, 8 de abril, às 15h
Entrada: gratuita

HiperZoo – Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba-PR

Cobasi faz evento de adoção em Sorocaba e PetExpo em Brasília

Passeio acontece no dia 8 de abril, às 8h, no parque Águas Claras

Nos dias 7 e 8 de abril, acontece na faculdade Uniplan, em Brasília, o primeiro PetExpo Brasília, evento organizado pelo grupo Mães Amigas com mais de 74 mil membros. Durante todo fim de semana acontecerá diversas atrações: feira pet, encontro de raças, palestras, café da manhã pet, espaço pet play, desfiles de cães e adoções.

A Cobasi apoia o evento com a CaminhAUda Cobasi, uma atração que acontece no domingo, 8 de abril, a partir das 8h da manhã, no parque Águas Claras (em frente a Uniplan). Na caminhAUda serão distribuídos kits exclusivos Cobasi e balões.

A organização estima que 20 mil pessoas participarão do evento o qual a entrada custa R$ 1,00 (Um real) + 1 kg de alimento ou ração.

gato e cachorro filhotes amigos

Serviço:
PetExpo Brasília
Local: UNIPLAN – Av. Pau Brasil, Lote 2, Águas Claras
Data: 7 e 8 de abril
Horário: das 8 às 20h

CaminhAUda Cobasi
Local: Parque Águas Claras
Data: 8 de abril
Horário: 8h (concentração para caminhada será às 7h30)

Evento de Adoção de cães e gatos em Sorocaba em parceria com ONG Anjos e Protetores 

 

gato e cachorro earth porm
Foto: EarthPorm

A partir do sábado, 7 de abril, a Cobasi em parceria com a ONG Anjos e Protetores irá realizar um evento de adoção de cães e gatos nas dependências da loja localizada na Rod. Raposo Tavares, km 99, Vila Artura, Sorocaba – SP.

O evento será realizado das 10h às 18h e para adotar um dos animais é necessário ser maior de 18 anos, portar o documento de identidade, ler e assinar o termo de adoção. Todos os animais disponíveis para adoção estão castrados, vacinados e vermifugados.

O evento acontecerá todos os sábados, no mesmo horário por tempo indeterminado. Essa ação faz parte das ações de incentivo a adoção da Cobasi que tem dois centros de adoções na cidade de São Paulo em parceria com ONGs locais e realização de eventos de adoção em parceria com instituições de proteção animal em diferentes cidades do Brasil.

Serviço
Evento de adoção de cães e gatos
Realização: Cobasi e Anjo e Protetores
Local: Cobasi Sorocaba – Rod. Raposo Tavares, km 99, Vila Artura, Sorocaba – SP
Data: Todos os sábados a partir do dia 07/03.
Horário: das 10h às 18h

A importância de vacinar os animais de estimação

Assim como os humanos, os bichinhos de estimação estão suscetíveis a dezenas de doenças que podem ser facilmente prevenidas com algumas vacinas de reforço anual.
A imunização deve ser iniciada o quanto antes, logo quando o pet é filhote ou assim que é adotado na fase adulta.

O que são vacinas?

Vacinas são imunizações permanentes ou temporárias contra doenças bacterianas, virais, entre outras. Sua função é auxiliar na criação de anticorpos pelo organismo, para que o sistema imunológico esteja preparado para combater doenças antes de o indivíduo entrar em contato com os micro-organismos causadores. Entenda melhor a virose em cães.

Sua matéria-prima é o próprio organismo causador da enfermidade, mas de uma forma enfraquecida ou inativada. Com isso, ocorre uma reação imunológica do corpo que recebe essa quantidade de vírus ou bactéria e são criadas defesas específicas para combater esse respectivo agente infeccioso.

Qual a importância da vacinação para pets?

Em cães, a vacina previne doenças como:

cinomose;
coronavirose;
hepatite infecciosa;
leishmaniose visceral;
leptospirose;
parvovirose;
parainfluenza e Adenovírus Tipo 2;
raiva.

Já em gatos, as principais doenças são:

calicivirose;
clamidiose;
leucemia viral felina (FeLV);
panleucopenia felina;
raiva;
rinotraqueíte.

Alguma dessas doenças — como a cinomose — possuem taxas de contágio e de mortalidade altíssimas e, inclusive, algumas são zoonoses — como a raiva — e, portanto, podem passar para os seres humanos.

Como a imunização deve ser feita?

O correto é sempre checar com o médico veterinário para ele passar o protocolo adequado para o animal, já que não se pode vacinar animais com a saúde debilitada, ou que estejam passando por estresse, afirma o veterinário Cauê Toscano do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Em cachorros, as principais vacinas são as polivalentes, que podem cobrir 8 (V8), 10 (V10) ou 11 (V11) doenças. Elas incluem doenças como cinomose, coronavirose, hepatite infecciosa, parvovirose, leptospirose (de 2 a 5 tipos), parainfluenza e adenovírus tipo 2.

cachorro-vacina-doglistener

Em cães filhotes recomenda-se que a vacinação seja assim:

6 a 8 semanas de vida — primeira dose da Polivalente;
10 a 12 semanas — segunda dose da Polivalente;
14 a 16 semanas — terceira dose da Polivalente;
a partir de 120 dias de vida — primeira dose da vacina anti-rábica;
o reforço deverá ser anual para a Polivalente e para a anti-rábica;

Em adultos ou cães que nunca foram vacinados:

mais de 12 semanas de vida — primeira dose da Polivalente e da vacina anti-rábica;
21 a 30 dias após a primeira dose da polivalente, aplicar a segunda dose;
o reforço de ambas vacinas será anual.

gato veterinario pixabay
Foto: Pixabay

Em gatos filhotes o esquema de vacinação é assim:

60 dias de vida — primeira dose da Múltipla;
90 dias de vida — segunda dose da Múltipla;
120 dias de vida — primeira dose da anti-rábica;
o reforço das duas será todo ano.

Em gatos adultos ou que não foram vacinados ainda:

mais de 120 dias de vida — primeira dose da Múltipla e da anti-rábica;
21 a 30 dias após a primeira dose — aplicar a segunda dose da Múltipla;
o reforço deverá ser anual para ambas.
A vacina Múltipla dos gatos inclui doenças como Rinotraqueíte, Clamidiose (Tríplice, Quádrupla e Quíntupla), Calicivirose, Panleucopenia e Leucemia Felina.

Confira a carteira de vacinas de seu cão ou gato e agende uma consulta com o veterinário o quanto antes para deixar tudo em dia.

Fonte: Vet Quality

Colite crônica em gatos

O veterinário da Total Alimentos, Marcello Machado, explica os sintomas e o alimento indicado para essa afecção

A colite crônica é um problema intestinal que afeta o intestino grosso e tem como principal causador o Tritrichomonas foetus, um protozoário bastante resistente e, por isso, ainda não foi desenvolvido um medicamento capaz de acabar com essa enfermidade. Em geral, os animais mais afetados são os jovens com menos de um ano e, apesar de ser uma doença crônica, a colite pode ser controlada com medicamentos e alimentação específica.

Medicamentos-e-Gato2

Seu gato com colite crônica pode ter uma vida normal se receber os cuidados adequados. Buscar orientações de veterinários é importante para garantir um diagnóstico preciso e tratamento eficaz que proporcione uma vida mais saudável ao animal.

“Em alguns casos, a doença pode aparecer discretamente com sangue nas fezes ou com um quadro de diarreia. Por isso, tenha o cuidado de acompanhar o dia a dia do seu gato de estimação para identificar o sintomas assim que aparecerem”, declara o médico veterinário da Equilíbrio e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado.

Além do sangue nas fezes, outros sintomas podem indicar a presença do protozoário Tritrichomonas foetus no organismo felino.

Kitten stretched out on carpet

Sintomas 

Os sintomas podem variar conforme o caso, entretanto os mais frequentes são:

sangue nas fezes;
muco nas fezes;
dor no abdômen;
vômitos;
diarreia.

“O diagnóstico é feito por meio de análises de fezes, urina, sangue, raio-x, biópsia e ultrassom abdominal. O veterinário fará uma avaliação do caso e indicará os exames que achar pertinente para identificação da doença”, explica Machado.

Como saber qual a melhor ração para colite crônica em gatos?

IN gatos.png

Cuidar da alimentação do gato com colite crônica é fundamental para que ele tenha uma vida saudável. A ração intestinal é indicada para esses casos, por ter alta digestibilidade, o que evita uma sobrecarga do intestino e do estômago.

“Equilíbrio Veterinary Intestinal Gatos é desenvolvida com proteína vegetal hidrolisada, que facilita a digestão, e é enriquecida com prebióticos FOS e MOS para cuidar da saúde intestinal. Outro componente importante da melhor ração para colite crônica é a glutamina, um aminoácido que contribui para o fortalecimento do sistema imunológico”, indica o médico veterinário.

Fonte: Equilíbrio

 

Páscoa: chocolate pode levar cães e gatos à morte

Páscoa é tempo de se reunir com a família e se deliciar com muito chocolate. Quem tem pet em casa, pode cair na tentação de querer agradar os peludos. No entanto, isso pode transformar essa época doce em uma experiência nada agradável.

Julia Oliveira de Camargo, médica veterinária do Hospital Veterinário Dog Saúde, afirma que o chocolate é extremamente tóxico aos animais por conta da metilxantina, uma substância alcaloide com alto poder estimulador do sistema nervoso central. Segundo a especialista, o chocolate possui um dos tipos mais comuns: a teobromina.

“A absorção da teobromina é muito rápida pelo estômago e intestino, quase 100% é absorvida e unicamente metabolizada pelo fígado”, explica. A veterinária conta que a substância pode permanecer por até seis dias dentro do organismo do animal.

Como é uma das atrações da Páscoa é comum que vários ovos de chocolate fiquem espalhados pela casa. Mas é preciso redobrar o cuidado para que não fiquem ao alcance dos cães e gatos. O veterinário da Petz Italo Cássio alerta: “Se for consumido em grande quantidade, o produto pode causar vômito, sangramentos, alterações cardíacas e levar à morte”.

Ele orienta que todos da família sejam informados sobre os riscos e que mantenham os ovos bem guardados. “Há casos de acidentes em que os pets pegam o doce que foi deixado em local de fácil acesso e chegam a clínica com um grau de intoxicação bem alto”, afirma o veterinário.

gato chocolate

“Muito cuidado com os chocolates! Fique atento ao lugar onde você coloca e nem pense na frase ‘vou apenas dar um pedacinho’”, enfatiza Julia.

Outras reações que o pet pode ter: o animal intoxicado poderá ficar ofegante, ter reações de excitação, tremor e incontinência urinária. Júlia afirma que em alguns casos, pode ocorrer inclusive taquicardia, junto de arritmias e salivação excessiva.

“Ao observar alterações como essas, leve o seu pet imediatamente ao hospital veterinário para medicações”, frisa a veterinária.

Quantidade tóxica

Quanto mais cacau presente no chocolate, maior vai ser a quantidade dessa substância e, consequentemente, maior o risco de intoxicação. Chocolates mais escuros e amargos, que contêm maior percentual de cacau, são os mais tóxicos para os animais.

No entanto, o chocolate ao leite e o chocolate branco também fazem mal e não devem ser oferecidos aos pets. Pois há o risco do açúcar e das gorduras, por causa do diabetes e obesidade, como também por formação de tártaro, cáries e até perda do dente.

Outro problema é a lactose, substância presente no leite que nem sempre é bem tolerada por cães e gatos, podendo provocar manifestações alérgicas na pele, vômitos e diarreia. O acúmulo de açúcar pode levar a diabetes, catarata diabetogênica, pancreatite, problemas nervosos e problemas dentários.

Uma dose tóxica está em torno de 100 miligramas por quilo de peso do animal. Por exemplo, se o pet pesa dois quilos, 13 gramas de chocolate já podem causar uma grave intoxicação. Caso pese mais de 30 kg, 200 gramas já são suficientes para ter problemas.

cachorro e chocolate.jpg

Sinais de alerta

O agravante, segundo Cássio, é que a teobromina fica presente no organismo, dificultando o início do tratamento. “Como não há uma medicação que tenha função de antídoto, muitos pets precisam de suporte e internação”.

Os sinais clínicos variam bastante, mas vômito e diarreia são os mais comuns. Além de beber bastante água e fazer muito xixi, como foi dito, podem ter arritmia cardíaca. Caso observe qualquer desses sinais, procure o médico veterinário imediatamente.

“Apesar dos casos letais serem raros, existe alta incidência de indisposições gastrointestinais, especialmente em animais pequenos e jovens, devido à quantidade de toxina em relação ao peso do pet. Além do risco de intoxicação e do mal-estar, o chocolate pode acarretar em outros males ao organismo do animal, como a obesidade e suas complicações”, lembra a médica veterinária da PremieRpet, Keila Regina de Godoy:.

Keila lembra de outro ponto além de ficar atento e não deixar ovos e bombons em locais acessíveis a cães e gatos, que podem se sentir atraídos pelo cheiro, pela embalagem e “roubar” sem que os donos percebam: “Também é fundamental não ceder aos olhares de súplica dos pets e orientar as crianças para que não ofereçam a guloseima”.

puppy cachorro filhote

Dicas 

=Caso o seu pet coma uma grande quantidade de chocolate, ainda mais com alto índice cacau (como é o caso do chocolate de 70%), ele corre o risco de sofrer uma intoxicação de alto grau. Leve-o urgentemente ao hospital veterinário para que as medicações sejam feitas o mais rápido possível.

=Mesmo que seja um chocolate com menor teor de teobromina, como é o caso do chocolate branco, lembre-se que chocolate não é um alimento para animais. Além dessa substância tóxica, ele possui alto teor de lipídeos, que podem causar outras doenças sérias ao seu animal; como problemas de pele, diabetes e sobrepeso.

=Em caso de ingestão acidental, o animal deve ser avaliado por um médico veterinário imediatamente.

gato chocolate

Fórmula especial

Para quem quer brincar e comemorar a Páscoa com os bichinhos de estimação, a Petz oferece ovos especiais próprios para bichinhos de estimação. Feito à base de lecitina de soja, o produto possui o aroma da guloseima, mas não o princípio ativo do cacau. O preço é R$ 14,99, na embalagem de 50 gramas.

Fontes: Petz, PremierPet e Hospital Veterinário Dog Saúde

Dicas para fazer seu gatinho tomar mais água

Quem conhece bem os gatinhos sabe como é difícil fazer com que tomem água frequentemente. A falta de água no organismo dos gatos pode fazer com que sofram sérios problemas de saúde, entre os eventuais problemas que surgem com a desidratação, estão as infecções urinárias, cálculos renais, entre outras enfermidades nos rins e na bexiga.

Uma certeza é a de que os gatos são bastante seletivos com a água que bebem, por serem animais extremamente limpos e sistemáticos com a limpeza ao seu redor. Se a água não for trocada constantemente, deixa de ser atrativa para eles.

Quer saber como fazer com que o seu gatinho beba mais água? O médico veterinário da Max Cat, Marcello Machado, separou algumas dicas que podem ajudar os tutores.

Deixe a água longe da caixinha de areia!

gato-caixa-de-areia
Um dos motivos que fazem com que o felino não tome água é o local onde fica o recipiente. Se estiver próximo da caixinha de areia, procure fazer uma mudança e deixe distante, valendo também para a ração. Gatos não gostam de misturar o universo da higiene com o momento de comer e/ou beber água.

Água fresca? Sempre!

seu-gato-de-estimacao-nao-bebe-agua-saiba-o-que-fazer-770x691
Recomendamos que troque frequentemente a água do potinho, mesmo que cheio, pois os felinos gostam que esteja sempre fresca. Faça isso, ao menos, uma vez ao dia.
Já em relação ao recipiente, é importante que seja sempre lavado, caso acumule algum tipo de cheiro, pode afastar o animal, reduzindo as chances de fazer com que tome água.

Já tentou a água corrente?

ringo-agua-fonte pq
O método é uma das boas pedidas para estimular os gatos, mas todo cuidado é pouco para evitar o desperdício deixando a água correr diretamente da torneira! Uma solução bem propícia é a fonte.

Mais de um potinho pela casa: pode funcionar!

gato bebendo agua fonte Icon Home Design
Foto: Icon Home Design

Procure colocar recipientes com água por locais onde o gatinho costuma circular, assim, durante a passagem, ele pode lembrar que precisa tomar água.

Tigela fora de casa? Cuidado!

gato água
Existem gatinhos que costumam ficar no quintal de casa, por isso, os potinhos também ficam na área externa, mas eis um cuidado importante: o sol!

Formato e material do potinho!

gato-bebendo-agua
Foto: FoodfurLife

Por serem extremamente sensíveis, o bigode pode ser um fator fundamental para a escolha do potinho ideal, pois não gostam que molhem ou encoste na beira do recipiente. Experimente alguns modelos e veja qual o lindinho se adapta melhor.
Já em relação ao material, procure por um de porcelana ou vidro, estes podem ser mais atrativos.

Cubinhos de gelo? Sim, senhor!

gelo na água bowl science buddies
Foto: Science Buddies

Um cubinho de gelo flutuando na vasilha pode ser tudo para um gato. Experimente colocar um e deixar com que ele brinque, assim, tomar água pode se tornar ainda mais divertido para ele.

Fonte: Max Cat