Arquivo da categoria: literatura

Quase Vegetariano: para quem quer adotar alimentação com menos carne

Uma pesquisa realizada pelo Ibope em parceria com a Sociedade Vegetariana Brasileira apontou que 14% da população – quase 30 milhões de pessoas – se declaram vegetarianas. Esse índice surpreendente aponta que cada vez mais pessoas buscam uma alimentação mais sustentável. O livro Quase Vegetariano chega justamente para quem quer diminuir o consumo de carne e aumentar o consumo de verduras, legumes, grãos e cereais.

Com mais de 100 receitas, a obra ricamente ilustrada é indicada para todo mundo que quer comer bem, desde o vegetariano de carteirinha até os chamados “flexitarianos”, pessoas que são vegetarianas na maior parte do tempo, mas comem um pouquinho de carne de vez em quando.

O livro ainda traz receitas caseiras para caldos, leite de avelã, iogurte de castanhas e maionese de amêndoas – todas com dicas para variar o sabor – e também ensina como utilizar talos e folhas, combinar temperos e especiarias, aproveitar as sobras, incrementar saladas e diversificar o preparo dos legumes.

As receitas estão divididas em capítulos como:

· Quase vegetariano: receitas que dão mais destaques a vegetais e levam pouca carne branca – a maioria aves –, com algumas sugestões de substituição para obter opções vegetarianas ou veganas

· Para os pescetarianos: receitas com peixes e frutos do mar, com algumas opções de substituição

· Segunda sem carne: receitas que usualmente levam carne, mas no livro foram preparadas só com vegetais

· Vegetariano todo dia: receitas que levam ovo, leite e/ou queijos

· Vegano todo dia: só receitas vegetarianas estritas, inclusive com 5 opções de doces

Quase Vegetariano traz pratos que privilegiam ingredientes frescos e naturais, combinando-os em preparações modernas e criativas – nelas, os vegetais são o centro das atrações e carnes brancas (como aves, peixes e frutos do mar) são coadjuvantes.

Capa-QuaseVegetariano-Alta.jpg

Título: Quase Vegetariano
Subtítulo: Receitas criativas para quem quer comer menos carne e mais vegetais
Editora: Alaúde
Formato: 21,5 x 26,7 cm
Nº de Páginas: 240
Acabamento: brochura com orelhas, miolo colorido
Preço: R$ 69,90

 

Anúncios

Whiskas lança o primeiro livro do mundo para ler com os gatos

Inspirado em fatos reais, “O Gato Mais Curioso do Mundo”traz uma surpresa em cada página para estimular a curiosidade dos felinos

O Gato Mais Curioso do Mundo

Livros sempre despertaram a curiosidade das pessoas. Todos querem saber o que vai acontecer na próxima página ou no capítulo seguinte. Este foi o ponto de partida do projeto que Whiskas está lançando, com criação da AlmapBBDO. Dando continuidade ao posicionamento “Alimente a Curiosidade”, a marca desenvolveu um livro baseado na história real de um gatinho que fugiu da sua caixa de viagem durante um voo para Londres. Escondido no avião, ele só foi encontrado 52 dias e 960.000 km depois, o suficiente para dar 24 voltas ao redor do mundo.

O Gato Mais Curioso do Mundo_3

Este fato inspirou a criação do primeiro livro do mundo para ler com os felinos “O Gato Mais Curioso do Mundo”, que conta a história da gatinha mais curiosa do mundo, Issy (uma brincadeira com a pergunta que ela sempre se fazia: “E se…?”). A cada página, Issy visita um lugar diferente ao redor do planeta. A medida que as páginas são folheadas surgem as impressões da personagem sobre um país ou cidade que são representadas por pequenos brinquedos dentro do livro – em diferentes formas, cores e texturas – que despertam a curiosidade natural dos felinos.

Do fio do macarrão italiano à pena do pássaro brasileiro. Do tubo nas ondas australianas às luzes dos cassinos de Las Vegas. Da areia do deserto mexicano à pescaria com os esquimós. São 16 destinos lindamente ilustrados para celebrar e estimular a curiosidade dos felinos.

O Gato Mais Curioso do Mundo_1

“Os gatos são animais curiosos por natureza e queremos, cada vez mais, inspirar os tutores a cultivarem essa característica de seus bichanos em momentos do dia a dia. Por isso, criamos o primeiro livro do mundo para ler com os gatos. Além do livro físico, estamos lançando ‘O Gato Mais Curioso do Mundo’ em formato de audiolivro para estimular os felinos por meio de sons específicos a interagirem com essa história ao lado de seus tutores”, conta Roberto Valdrighi, Gerente de Marketing de Whiskas.

O Gato Mais Curioso do Mundo_4

É possível conhecer gratuitamente a versão em audiolivro por meio de várias plataformas de streaming de música. Para levar a experiência do livro físico para o áudio, trilhas e paisagens sonoras foram desenvolvidas a partir de estudos neurológicos sobre estímulos sonoros específicos para gatos. Juntando notas graves e agudas com sons familiares para os felinos, como ronronar, mamada e outros animais como pássaros e ratos, o resultado é um audiolivro incrível.

O Gato Mais Curioso do Mundo_2

Os gatos, instintivamente, ouvem atentamente cada faixa do álbum, compostas com instrumentos típicos dos destinos retratados, como o Guzheng na China e o Baglama Saz na Turquia. As edições do livro são limitadas e, por enquanto, não estão à venda. Em breve, os gateiros poderão conferir novidades sobre o livro físico na página de Whiskas no Facebook.

o-gato-mais-curioso-do-mundo-feat-punch-audio-2018

Ficou curioso? O audiolivro “O Gato Mais Curioso do Mundo” já está disponível no Spotify, Deezer, Apple Music e Amazon Music.

 

Livro Flor de Sal apresenta releitura vegana e sem glúten de receitas clássicas

Autora faz parte da geração de jovens preocupados com uma alimentação saudável e consciente, e acredita que comer é um ato revolucionário

“Precisamos rever nossas escolhas, nos reconectar com a origem do que consumimos nos responsabilizar pelo impacto da sua trajetória e nos preocupar com o destino final de nossos produtos depois de utilizados. Comer é um ato político, social, histórico, geográfico, religioso, econômico e cultural e, portanto, revolucionário, sim (e muito)”

Foto de Iuri Poletti
Foto: Iuri Poletti

Idealizado por Gabi Mahamud, Flor de Sal é um verdadeiro achado para quem quer reproduzir receitas sem glúten e sem ingredientes de origem animal. A obra reúne mais de 60 sugestões que vão agradar tanto ao paladar tanto de veganos quanto de quem sofre de alguma alergia a glúten ou intolerância a ovos, leite e outros laticínios. Além disso, a autora deu preferência para ingredientes nacionais e acessíveis de forma a tornar as receitas fáceis de reproduzir por todos.

Com sugestões para todas as ocasiões, o segredo da Gabi é combinar sabor e memórias afetivas em pratos saudáveis (e algumas gordices também!). São tortas, massas, salgadinhos, doces, bolos, lanches e bebidas, além de versões vegetais de maionese, requeijão e queijo. Sempre com bom humor e simplicidade, o livro ainda traz dicas contra o desperdício e técnicas para trazer um toque contemporâneo à comidinha caseira.

Para encher o estômago e os olhos, cada capítulo é ilustrado com aquarelas desenvolvidas pela própria autora. Os leitores ainda contam com conteúdo digital que pode ser acessado por meio de QR Codes que indicam variações na receita ou mostram etapas do preparo através de imagens.

Gabi não é apenas uma ótima cozinheira, ela acredita que podemos ser agentes de transformação do mundo por meio da alimentação.

Sobre a autora

Gabi-Mahamud-Flor-de-Sal

Gabi Mahamud é arquiteta de formação, cozinheira por paixão e ativista por convicção. Quando criança, queria ser presidente e mudar o mundo; mais tarde, encontrou no urbanismo um jeito de melhorar a qualidade de vida das pessoas, mas ainda não era suficiente.

Foi na culinária que encontrou a sua vocação. Criou o blog Flor de Sal em 2016, onde compartilha receitas para uma alimentação natural e consciente, sem produtos de origem animal, preparadas com ingredientes locais e orgânicos. Dessa forma, ela ensina seus milhares de seguidores a combater o desperdício de alimentos e a ter mais consciência na hora de consumir.

A partir de então, muitas outras portas se abriram, inclusive as de um food truck cheio de boas intenções, o Good Truck. O projeto – apadrinhado pela renomada chef paranaense Manu Buffara – recolhe frutas, legumes e verduras que seriam descartados por fornecedores e prepara refeições saudáveis para pessoas carentes. Em agosto de 2017, Gabi foi convidada a apresentar o projeto no Unleash Lab, iniciativa da ONU voltada para o desenvolvimento de projetos na área da sustentabilidade, realizado em Copenhague, Dinamarca. Gabi também é membro do Global Shapers e do movimento Slow Food.

Capa_Flor de Sal.png

Título: Flor de Sal – O livro de receitas do blog para uma alimentação mais natural e consciente
Autor: Gabi Mahamud
Editora: Alaúde
Formato: 16 X 22 cm
Nº de Páginas: 144
Acabamento: brochura, miolo colorido
Preço: R$ 35,00

Vegetariano há 25 anos, jornalista analisa a relação cruel entre humanos e animais

O jornalista Matthew Scully é vegetariano há 25 anos e no livro “Domínio”, que chega às livrarias este mês, pela Civilização Brasileira, narra algumas das lições que aprendeu ao longo desse tempo no que diz respeito às relações entre seres humanos e animais. Em mais de 500 páginas, e sob o subtítulo “O poder do ser humano, o sofrimento dos animais e um pedido de misericórdia”, o autor faz um apelo ao leitor ao explicar as razões pelas quais é preciso tratar os animais com mais consideração e sem crueldade.

Os argumentos de Scully são essencialmente morais – e ele defende que se perde um tanto da nossa humanidade ao não tratar os bichos com o devido respeito. Mas ele também recheia seu apelo com informações, dados e pesquisas. Para ilustrar seu discurso, ele descreve, por exemplo, o funcionamento dos “ranchos de safári”, locais onde animais são criados apenas para serem caçados – e onde paga-se muito dinheiro por essa “diversão”. Scully narra também o teor de uma das conferências anuais da Comissão Baleeira Internacional, cujo foco está em desenvolver métodos mais letais de obter “recursos marinhos vivos”.

Os trechos mais impressionantes, no entanto, são os que ele relata o cotidiano das fazendas industriais. Ali, os animais são tratados como meros produtos e podem passar a vida inteira em condições precárias de encarceramento, sem jamais chegar a ver a luz do sol ou ter contato com um ser humano. Tão assustadoras quando as descrições são algumas das declarações de administradores deste tipo de negócio, citadas pelo autor. Eles argumentam, inclusive, que os animais gostam do confinamento e que têm uma vida melhor do que se estivessem ao ar livre.

Scully cita ainda as pesquisas que detectaram emoções e temperamento em animais – como, por exemplo, as da celebrada pesquisadora Temple Grandin, cuja vida foi até transformada em minissérie – ; e as fazendas menores e orgânicas, que operam de forma mais humana em relação aos bichos.

Trechos

“Quando 250 mil pássaros estão espremidos num viveiro e incapazes até de esticar suas asas; quando mais de um milhão de porcos sobrevive em apenas uma área de chiqueiros, sem jamais pisar em algum lugar a céu aberto; quando a cada ano dez milhões de criaturas seguem para o abate sem ter contato com a menor demonstração de bondade humana – é tempo de repensar preceitos antigos e perguntar o que estamos fazendo e o que nos move.”

“Cerca de 80 milhões dos 95 milhões de porcos abatidos por ano nos Estados Unidos são da pecuária intensiva, segundo o Conselho Nacional de Produtores de Suínos. São criados em fazendas de confinamento em massa e em nenhum momento durante sua vida veem a terra de verdade ou o sol. Geneticamente modificados por máquinas, inseminados por máquinas, alimentados por máquinas, arrebanhados, monitorados, eletrocutados, golpeados, limpados, cortados e empacotados por máquinas – eles mesmos tratados como máquinas, do “nascimento ao bacon” –, essas criaturas, quando comidas, raramente foram tocadas por humanos.”

O autor

Matthew Scully é jornalista. Foi editor literário da National Review e colaborou para o New York Times, Wall Street Journal, Washington Post, Los Angeles Times, Atlantic Monthly, entre outros. Este é seu primeiro livro publicado no Brasil.

Scully

Domínio (Dominion)
Matthew Scully
Tradutora: Catharina Epprecht
Páginas: 546
Preço: R$ 79,90
Editora: Civilização Brasileira | Grupo Editorial Record

Legumes Vira-Latas: nabo, rabanete e acelga de uma maneira que você nunca viu

De vira-lata eles não têm nada. Nabo, rabanete e acelga de uma maneira que você nunca viu

Alguns legumes são desvalorizados e há quem torça o nariz para eles à mesa ou na feira. Para acabar com o estigma de vira-lata do nabo, rabanete, acelga, entre outros, a cozinheira britânica Anna Jones, autora do livro “Um jeito moderno de comer”, lançamento da Editora Alaúde, dá dicas para transformá-los em surpreendentes pratos.

livro moderno de comer

Confira abaixo as dicas para começar a incluir de uma nova maneira esses legumes na lista do supermercado.

Nabo

nabos pixabay
Pixabay

Vai bem com…
tomilho, alecrim, louro, alho, salsinha, agrião, cenouras, alho-poró, queijo cheddar, batatas, queijos azuis

– Na salada: se desejar uma salada original, corte o mininabo em fatias finas e tempere com limão siciliano e azeite.

– Na sopa: descasque e prepare uma sopa com ele, mais alho-poró, tomilho e louro, finalize com salsinha e gorgonzola.

– Assado: descasque e corte em pedaços iguais, asse com sal, pimenta-do-reino, azeite, alho e limão-siciliano por 45 minutos a 180 ˚C.

Picles: corte em fatias finas e deixe curtir com vinho branco, vinagre, sementes de erva-doce e um bom jato de mel.

*Dica: os nabos mais velhos precisam ser descascados, os mais novos podem ser comidos com casca e crus.

Acelga

acelga organic facts
Foto: Organic Facts

Vai bem com…
feijão branco, lentilha, massas, alho, tomilho, limão-siciliano, cominho, noz-moscada, vinagre, tahine, queijo parmesão

– Salteado: separe talos e folhas – salteie os talos com alho e azeite por 3 minutos, junte as folhas, tempere e sirva.

– Sopa: adicione a qualquer sopa, mais para o final do cozimento, como faria com o espinafre – os talos precisam de mais tempo do que as folhas.

– Apenas os talos: corte em pedaços de 8 cm de comprimento, branqueie por 4 minutos então tempere com 2 colheres (sopa) de tahine e suco de ½ limão-siciliano.

– Frituras: junte as folhas e talos branqueados com as sobras de purê e forme pequenos croquetes, fritando-os de ambos os lados – sirva com iogurte e limão-siciliano.

*Dica: Os talos e folhas precisam ser preparados separadamente, pois as folhas cozinham mais rapidamente

Rabanete

legumes

Vai bem com…
pão, manteiga, sal, tomilho, vinagre, gergelim, pimentadedo-de-moça, soja, sementes

– Salada: misture fatias finas de rabanetes, nabos e cenouras e tempere com limão-siciliano, endro ou cebolinha.

– Em um prato de primavera: acrescente alguns rabanetes cortados em quatro nos últimos minutos de cozimento de ervilhas, tempere com azeite e sirva com hortelã, sal e pimenta-do-reino.

– Com salada de repolho: misture-os a com uma salada de repolho, maçã e cenoura, finalize com limão e coentro.

– Utilizando as folhas: salteie as folhas com alho, sal e pimenta-do-reino e junte azeite de oliva para valorizar cada bocado.

*Dica: escolha os rabanetes menores. Eles serão mais adocicados.

Dia Mundial do Livro: livrarias oferecem descontos de até 70% nas lojas online

Saraiva, Livraria Cultura e Fnac oferecem cupons de descontos e promoções para o Dia Mundial do Livro

Hoje, dia 23 de abril, é comemorado o Dia Mundial do Livro. Para celebrar a data, livrarias e lojas online como Saraiva, Livraria Cultura e Fnac oferecem diversas promoções e brindes para os consumidores.

O Cuponomia, portal que reúne ofertas e cupons de desconto para compras no e-commerce, selecionou os principais descontos e códigos promocionais para economizar na data. De acordo com o site, no Dia Mundial do Livro, é possível encontrar livros e e-books até 70% mais baratos nas lojas online. Confira!

Livraria Cultura

A Livraria Cultura oferece um cupom exclusivo de 25% de desconto para compra de livros no site. A promoção será ativada através da aplicação do cupom na loja online, na opção de código promocional.

Fnac

A Fnac disponibiliza cupom de 30% de desconto para compra de livros, válido em todas as categorias do site.

Submarino

Em homenagem ao Dia Mundial do Livro, o Submarino oferece cupom de 20% de desconto na compra de livros. O frete é gratuito para o Sul e Sudeste nas compras acima de R$99 e para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste nas compras acima de R$139.

Saraiva

A loja online da Saraiva oferece, até o dia 23 de abril, descontos de até 70% nos livros, além de cupom com 20% de desconto extra para utilizar em livros nacionais, importados, e em boxes. Livros digitais também têm código promocional de 25% de desconto pelo site.

dia-mundial-do-livro_livros

Os cupons de desconto para o Dia Mundial do Livro estão disponíveis no site do Cuponomia. Os códigos promocionais estão sujeitos a expiração sem aviso prévio.

Fonte: Cuponomia

Livrarias Curitiba oferece descontos de até 70%

Mais de 200 títulos de livros estão com valores reduzidos; Obras saem a partir de R$ 5,90

A promoção “Leia Mais Por Menos” está agitando as duas lojas da Livrarias Curitiba de São Paulo-capital, que ficam no Shopping Leste Aricanduva e Shopping Metrô Tucuruvi.

Nessa ação que começou em março e continua até 30 de abril ou enquanto durarem os estoques nos pontos de vendas, mais de 200 títulos estão com descontos de até 70% e saem com valores a partir de R$ 5,90. Até agora já foram comercializados – nas 29 lojas da rede que ficam no Paraná, Santa Catarina e São Paulo – 77 mil exemplares de diferentes categorias.

Os dez livros campeões de vendas são “Harry Potter e A Criança Amaldiçoada – Capa Dura” de J.K. Rowling (ed. Rocco, R$ 9,90),

Harry Potter e a Crianca Amaldicoada - capa 3

“Grandes Frases” de Zibia Gasparetto (ed. Vida e Consciência, R$ 8,90),

Grandes Frases - capa

“Contos de 5 Minutos” de Ana Serna Vara (ed. Girassol, R$ 12,90), “Imperfeitos” de Cecelia Ahern (ed. Novo Conceito, R$ 11,90), “Drácula – edição Bolso de Luxo” de Bran Stoker (ed. Zahar, R$ 17,90),

Contos_de_1_Minuto_1

“Contos de 1 Minuto” Juan José Gutierrez de (ed. Girassol, R$ 12,90),

D Leopoldina - capa

“D. Leopoldina A História Não Contada” de Paulo Rezzutti (ed. LeYa, R$ 18,90), “O Amigo Alemão” de Adam Makos (ed. Geração, R$ 17,90) e “Provence” de Bridget Asher (ed. Novo Conceito, R$ 19,90).

Informações: Livrarias Curitiba

 

Tudo na vida tem o devido lugar; você sabe encontrá-lo?

Organizar os lares, as agendas, as vidas das pessoas, esta é a rotina da Personal Organizer, Tati Godoy que lança o livro: Diário de Uma Organizadora Compulsiva

Organizar um guarda-roupa é quase um trabalho de Hércules para muitas pessoas, mas e organizar ambientes inteiros como uma casa, um escritório ou mesmo uma vida? Esta é a missão da Tati Godoy, personal organizer e especialista em interiores (residenciais e  pessoais).

A correria da vida cotidiana, muitas vezes, tira-nos a atenção aos detalhes, desloca nossa vontade e percepção e quando voltamos a nos dar conta, observa-se um verdadeiro caos e tudo acaba vindo em consequência: o desânimo, a tristeza, a angústia e também a depressão. Ter ambientes organizados é antes de qualquer coisa, um cuidado com o interior pessoal, com a vida e com a autoestima.

“Quando se vê, já se passaram anos, perdemos o amor que estava ao nosso lado, deixamos de fazer as coisas que amamos por falta de tempo. É preciso ser feliz hoje, agora, mesmo que esse hoje seja segunda-feira,” enfatiza.

Está em moda falar em ‘desapego’, em deixar para trás aquilo que já foi importante na vida, mas que hoje entulha em algum canto da casa, acumulando poeira, objetos e sendo um sinônimo de desperdício. “O desapego é um mito para quem quer ser organizado, não precisa se cobrar, ter coisas não é errado, desde que elas tenham sentido. Não precisamos sofrer para nos organizarmos, nem precisamos nos desfazer das coisas”, pondera Tati Godoy, acrescentando: “(…)em primeiro lugar me fortaleço, acho um teto para cada objeto, um lugar para cada sentimento, depois o que sobra e com o tempo vou deixando pelo caminho, sem culpa nem sofrimento”.

De fato, organizar é uma arte e que tem metodologias e sistemas, treinar um olhar clínico e crítico. Saber encontrar o equilíbrio para chegar à harmonia. É isso o que Tati ensina no livro “Diário de Uma Organizadora Compulsiva” (Editora Baraúna), lançado neste mês de março. “É um sentimento semelhante em ver um filho nascer, uma emoção inenarrável”, comenta com entusiasmo.

Como a autora e Personal Organizer bem diz, a organização é um habito e um estilo de vida, assim como a alimentação correta e a atividade física. “A busca da organização sempre tem um sentido, geralmente é nosso interior que pede mudanças”.

guarda roupa pinterest
Pinterest

Quando organizamos nosso armário ou nossa casa, ganhamos tempo e produzimos mais. A vida ganha mais sabor e tudo fica mais colorido, o sorriso volta a fazer parte do cotidiano, a alegria brota, o espaço físico e o emocional aumentam. Nossa mão se abre para dar, outra se abre para receber, há trocas, o tempo volta a ser nosso maior aliado e ganhamos força, resiliência, aumentamos nosso poder de persuasão e toda essa mudança subjetiva é pelo simples fato de colocar cada coisa em seu lugar.

“Diário de Uma Organizadora Compulsiva” é, antes de um livro, o relato de alguém que se transmutou de uma carreira muito promissora, mas que se encontrava sem motivação e sem alegria pela vida, para uma vida plena, realizada e inspiradora.

Este livro é recomendado para toda pessoa, seja homem ou mulher, em qualquer ocupação profissional que deseja encontrar o equilíbrio entre a vida, o trabalho, a inspiração e a alegria de acordar todo dia ansioso por encontrar algo incrível a realizar. Tati Godoy, mais do que ensinar uma carreira, ensina os caminhos para uma vida feliz e plena.

Sobre a Autora

Tati Godoy é paranaense, esposa, mãe, arquiteta e urbanista, corretora de imóveis, designer de interiores e coach de carreira entre outras diversas habilidades. É especialista no mercado institucional de higiene e limpeza no qual atua como empresária do ramo. Personal Organizer filiada à NAPO (National Association of Productivity and Organizing Professionals) integrante do Golden Circle Committes, terapeuta holística e acadêmica do curso de Psicologia.

Tati Godoy - Livro - Capa.png

Diário de Uma Organizadora Compulsiva
Autora: Tati Godoy
Editora: Baraúna
Páginas: 178
Formato: 14×21
Preço: R$ 42,00

Obra feminista-vegetariana relaciona consumo de carne com violência contra mulher

A política sexual da carne relaciona o consumo de carne e a matança de animais com a violência contra a mulher; Carol J. Adams aborda a semelhança entre o abuso de mulheres e a exploração dos animais em uma sociedade patriarcal

A Editora Alaúde lança a segunda edição, revista e ampliada, do best-seller A política sexual da carne, no qual a autora Carol J. Adams apresenta as estreitas ligações entre os movimentos sociais feministas e as práticas vegetarianas, temas que têm conquistado cada vez mais a atenção e o interesse do público em geral. Na obra, Carol mostra que, ao compreendermos a existência dos pontos de intersecção entre a forma com que as sociedades patriarcais tratam a mulher e os animais, perceberemos também que combater a violência praticada contra esses dois grupos é o único caminho para uma sociedade mais igualitária.

A nova edição traz um posfácio comemorativo do 25º aniversário de lançamento da obra com imagens de propagandas e outras ilustrações, muitas delas enviadas por antigos leitores da obra, que ajudam a sustentar a ideia defendida por Carol, à qual é impossível ficar indiferente!

O livro leva o leitor a avaliar situações comuns no dia a dia que mascaram certos preconceitos contra a mulher e contra o corpo feminino. Fazer associações entre a masculinidade e o consumo de carne e reforçar a tese de que verduras e legumes, considerados “sem graça”, seriam comida de mulher são, para Carol, formas clássicas utilizadas pela sociedade patriarcal para subjugar mulheres e animais.

Amparada por pesquisas de renomados estudiosos sobre o tema, entre eles a feminista e também vegetariana Agnes Ryan, a autora desenvolve ampla discussão sobre o que exatamente vem a ser a política sexual da carne. Segundo a estudiosa, trata-se de um comportamento que reúne todas e quaisquer atitudes que, direta ou indiretamente, animalizam mulheres e, ao mesmo tempo, sexualizam e efeminam os animais. Ainda de acordo com Carol, tal cultura também resulta na forma arrogante com a qual os homens costumam encarar sua necessidade de comer carne.

Para a autora, a dominância masculina é exatamente um dos pontos-chave das questões ligadas a um comportamento que estimula o culto à carne de forma geral. “Em todo o mundo, ser homem é algo que está ligado a identidades que os próprios homens reivindicam ou negam. Os questionamentos são diversos: como se comporta um homem ‘verdadeiro’? O que ele faz ou não? O que ele come? Há, por exemplo, um mito de que um homem ‘de verdade’ não come quiche. Não se trata de uma questão de privilégio; é uma questão de simbolismo. Em parte, a masculinidade é construída por uma cultura que incentiva o consumo de carne e pelo controle masculino em relação a outros corpos”, argumenta a autora.

Obra referência para a compreensão das influências da sociedade patriarcal no comportamento humano, A política sexual da carne instiga e provoca o leitor a refletir e a considerar que a relação entre a matança de animais e a violência contra a mulher estão mais intrinsecamente ligadas do que se imagina.

Sobre a autora

Carol J. Adams é ativista, autora também de The Pornography of Meat e Living Among Meat Eaters, inéditos no Brasil. Palestrante de renome nos Estados Unidos e na Europa, já foi convidada a falar em mais de cem universidades sobre a teoria crítica apresentada neste A política sexual da carne, em palestras atualizadas constantemente para incluir representações culturais contemporâneas.

capa a politica sexual da carne.jpg

Título: A política sexual da carne
Autor: Carol J. Adams
Editora: Alaúde
Formato: 14 x 21 cm
Nº de Páginas: 352
Acabamento: brochura
Preço: R$ 44,90

Luisa Mell lança “Como os Animais Salvaram a Minha Vida” hoje em SP

A ativista Luisa Mell lançará nesta segunda feira, 19 de março, o livro “ Como os Animais Salvaram a Minha Vida” . O livro relata, sem meias palavras, como os animais a tiraram de uma depressão profunda, sobre seu estilo de vida vegano, sua luta contra rodeios, vaquejadas, testes em animais, maus-tratos e abandono.

Luisa detalha como, ao ajudar os animais, se curou, se salvou e revela toda a sua verdade nesta obra – escrita por ela com todo seu coração, como tudo o que faz na vida.

“Esta é a história de uma mulher brasileira que, ao socorrer animais, foi sendo salva por eles”, escreve a cantora Rita Lee no prefácio.

Capa do Livro Luisa Mell.jpg

Serviço:
Dia: 19/03
Local: Livraria Saraiva do Shopping Pátio Paulista
Endereço: Rua Treze de Maio, 1947 – Loja 4011/4012 – Sala 2 – Bela Vista – São Paulo
Horário: 18 horas

Dia: 20/ 03
Local: Livraria Saraiva do New York City Center
Endereço: Av. das Américas, 5000 – Loja 103 – Piso térreo – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro
Horário: 18 horas