Arquivo da categoria: peixe

Sommelier dá dicas de harmonização para a Páscoa

Um dos pratos mais emblemáticos da Páscoa é o bacalhau. Versátil, o peixe dessalgado pode ser combinado a diversos ingredientes e para cada receita, um vinho diferente. E para ajudar na escolha, o sommelier executivo da Grand Cru, Massimo Leoncini, elegeu os melhores vinhos para nessa harmonização.

“O bacalhau é melhor harmonizado com um vinho branco. Dependendo dos ingredientes, variamos a potência do vinho entre leves e encorpados. Para quem não abre mão de um bom vinho tinto, dá para apreciar o prato com uma opção mais leve”, explica Leoncini.

Veja abaixo as sugestões:

Bacalhau

333623_774996_grand_cru___meio_queijo_douro_tinto_2014

Bacalhau à moda portuguesa
A receita leva bacalhau dessalgado com batatas, cebola, alho, ovo e azeitona. A sugestão é o Meio Queijo Douro Tinto 2014 (R$ 69,00)

333623_774990_grand_cru___van_zellers_alentejano_tinto_2015__r_64_

Bacalhau confit
A receita é feita com lombo de bacalhau dessalgado em confit de azeite, acompanhada por tomate, cebola e ervas frescas. A escolha é o Van Zellers Alentejano Tinto 2015 (R$ 64,00).

333623_774995_grand_cru___adega_guimarA_es_vinho_verde__r_59_

Bacalhau à lagareiro
A receita é feita com a posta de bacalhau passada em ovo e farinha e cozido. Normalmente acompanha batatas aos murros, cebola e brócolis. A sugestão é o Adega Guimarães Vinho Verde (R$ 59,00)

333623_774992_grand_cru___van_zellers_douro_branco_2015__r_99_
Bacalhau às natas
A receita é feita com bacalhau dessalgado com batatas cortadas em pequenos cubos fritas, cebola e ervas frescas e finalizada no molho bechamel, natas, farinha de pão e queijo ralado. Para esse prato, o melhor é o Van Zellers Douro Branco 2015 (R$ 99,00).

333623_774994_grand_cru___churchilla__s_estate_douro_branco_2016__r_123_

Bacalhau à brás
A receita é feita com bacalhau dessalgado, cebola, alho, azeite, ervas frescas, ovo e finalizada com batata palha. A sugestão é o Churchill’s Estate Douro Branco 2016 (R$ 123,00).

Chocolate

“Para harmonizar o chocolate, é preciso prestar atenção na quantidade de gordura proveniente da manteiga de cacau e do leite. Para equilibrar essa balança, precisamos de um Vinho do Porto ou de sobremesa que seja encorpado, ou seja, um vinho que tenha força para quebrar a gordura no paladar” ressalta Massimo. Veja abaixo os vinhos escolhidos.

333623_774993_grand_cru___vinho_do_porto_tinto_churchill_s_ruby_reserva__r_134_

Chocolate ao leite
Vinho do Porto Tinto Churchill’s Ruby Reserva (R$ 134,00)

333623_774989_grand_cru___san_marzano_passito_11_filari_primitivo_manduria_dolce_2014

Chocolate meio amargo
Vinho Tinto San Marzano Passito 11 Filari Primitivo Manduria Dolce 2014 500 Ml (R$ 149,00)

333623_774997_grand_cru___vinho_do_porto_tinto_churchill_s_tawny_10_anos

Chocolate amargo
Vinho Do Porto Tinto Churchill’s Tawny 10 Anos 500 Ml (R$ 259,00)

333623_774991_grand_cru___vinho_do_porto_branco_churchill_s_dry_white_10_anos

Chocolate branco
Vinho Do Porto Branco Churchill’s Dry White 10 Anos 500 Ml (R$ 189,00)

Fonte: Grand Cru

Anúncios

Não gosta de bacalhau? Vá de salmão na Páscoa

Entra ano, sai ano, a opção é quase sempre a mesma quando se fala em receitas para a semana santa: bacalhau. Para quem é da turma que não gosta nem do cheiro ou não quer gastar horas na cozinha com o preparo do peixe, a solução é simples e saborosa: vá de salmão do Chile.

Ao forno, na churrasqueira, grelhado, cozido ou em receitas frias, o salmão tem preparo rápido, prático e resulta em receitas de encher os olhos – e o paladar. Ficou fácil trocar os intermináveis minutos em frente ao fogão por mais tempo junto com a família e os amigos. Versatilidade e sofisticação para surpreender na Semana Santa sem gastar muito tempo.

A bela e característica cor do salmão vai trazer mais alegria à mesa e seus sabores combinam perfeitamente com variados acompanhamentos: massa, arroz, cuscuz, saladas e molhos. Os preparos podem vir em forma de tortas, lasanhas, entradinhas e ceviche.

A textura do pescado, que é tenra, macia e sem espinhos, amplia o leque de opções na hora do escolher a receita. É possível fazer em cubinhos, espetinhos, o pescado inteiro no forno, desfiado em saladas e com crostas variadas. Chega de ouvir “não gosto de peixe!”: as crianças vão se deliciar com hambúrgueres de salmão (a receita está abaixo).

E dá para garantir, além de pratos lindos, criativos e saborosos, saúde: rico em Ômega 3, ácido graxo conhecido como “gordura do bem”, o salmão auxilia na redução dos níveis de colesterol, mantém as artérias mais flexíveis e a força do músculo cardíaco, prevenindo o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

“Fácil e rápido de preparar, o salmão é uma opção mais ‘democrática’ para o almoço da Sexta-feira Santa ou do domingo de Páscoa. É um ingrediente que agrada a variados paladares – incluindo as crianças – e que enche a mesa de cor e sabor”, explica Melanie Whatmore, da Salmón de Chile, associação que promove o consumo do salmão chileno no Brasil.

Para garantir um cardápio 100% aprovado na Semana Santa, confira as receitas abaixo. A lista de convidados é grande? Opte por um salmão fresco inteiro. Se família é pequena, a dica é comprar porções do pescado e preparar um salmão no forno com crosta de queijo. Para as crianças, hambúrguer. Confira as receitas:

Salmón de Chile Assado

salmao assado.png

Ingredientes
1 salmão chileno inteiro limpo
Sal a gosto
2 dentes grandes de alho picados
2 limões
1/2 xícara de chá de vinho branco seco
1/4 de xícara (chá) de azeite de oliva
Cheiro-verde picadinho e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo
Misture os temperos e o suco dos limões numa tigelinha e esfregue tudo no peixe, inclusive no lado de dentro. Forre uma assadeira grande com papel alumínio e ponha o peixe por cima, regue azeite sobre ele, de ponta a ponta. Leve o peixe ao forno por cerca de 1 hora, dependendo do tamanho do peixe, comece a mexê-lo com um garfo, por volta dos 40 minutos, para ver se já está quase macio, quando estiver quase macio regue com o vinho branco e deixe por mais 20 minutos ou até quando estiver bem macio.

Salmón de Chile no Forno com Crosta de Queijo

salmão

Ingredientes

2 postas do lombo de salmão chileno
3 colheres de sopa de queijo ralado (muçarela e emmental)
2 colheres de sopa de cebolinha picado
1 colher de sopa de pão ralado
1 colher de sopa de tomate seco em flocos
1/2 colher de chá de alho em pó
1 colher de azeite
1 lima-limão
Sal e pimenta-preta a gosto

Modo de preparo
Misturar o queijo com a cebolinha, o pão ralado, o tomate, o alho, o azeite e sal e pimenta-preta a gosto. Passar os lombos de salmão por papel absorvente de modo a diminuir a quantidade de água na sua superfície. Colocar a mistura de queijo por cima das postas de salmão. Colocar o salmão num recipiente de forno, com um fiozinho de azeite por baixo. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, durante 10 minutos. Ao servir, regar com um pouco de suco de lima. Acompanhe com legumes cozidos.

Hambúrguer de Salmón de Chile com Maionesa de Wassabi

hamburguer salmão

Ingredientes
400 g de salmão chileno limpo de peles e espinhas
30 g de cebola roxa em ‘brunoise’
40 g de dill picados finamente
100 g de panco
30 g de mostarda em grãos dijon
4 mini pães de brioche
4 folhas de acelga
50 ml de óleo de amendoim
Shoyu (a gosto)

Modo de preparo
Picar ou processar o salmão e reservar. Adicionar cebola picada, dill, mostarda, óleo de amendoim, shoyu e panco e misturar bastante até obter liga. Modelar o hambúrguer e reservar em refrigeração coberto de papel manteiga cortado em quadrados pequenos. Depois, é só grelhar.

Fonte: Salmón de Chile

 

 

Pátio SP tem sugestões de petiscos de peixes e frutos do mar para a semana santa

Na semana santa, muitas pessoas não comem carne vermelha. Quem for ao Pátio SP – bar localizado na Vila Madalena – para passar algumas horas descontraídas, não precisa se preocupar, irá encontrar várias opções de petiscos. Peixe e frutos do mar são os mais procurados nesta época.

Entre as sugestões do cardápio estão Tirinhas crocantes de Saint Peter (R$ 37,90), Bolinho de bacalhau genuíno português (8 un – R$ 34,90) e Lula crocante (R$ 36,90) para petiscar.

tirinhas crocantes de saint peter.png

Se der “aquela” fome de não querer dividir, a sugestão é o Filé de salmão ao toque de ervas – acompanha purê de mandioquinha e broto de alfafa (R$ 39,90).

filé se salmão

O bar estará aberto todos os dias, normalmente.

Patio SP Bar – Rua Mourato Coelho, 1.272, Vila Madalena, São Paulo

Fotos: Wellington Nemeth

Harmonização com bacalhau: vinho branco ou tinto?*

Primeiramente, saiba que você não é o único que tem esta dúvida, esse peixe, que tem estrutura firme e sabor persistente, confunde, principalmente por ter vários tipos e níveis de qualidade.

Em geral, por se tratar de um peixe com sabor e aromas intensos, os vinhos assumem uma posição intermediária entre não se sobrepor ao bacalhau e se posicionar no momento da degustação.

Os vinhos brancos são mais refrescantes e leves, nesse caso a intensidade do bacalhau compromete a degustação do vinho, já os taninos dos tintos, em sua versão mais encorpada, travam uma batalha como o sal do peixe, e se sobrepõem ao sabor. Vale lembrar que existem centenas de receitas de bacalhau ensopado e receitas que levam muito molho. Elas combinam com os vinhos brancos jovens. Já receitas que levam mais sal casam com os taninos dos tintos.

bacalhau com vinho branco

Portanto, antes de definir o tipo de vinho é importante saber a receita que será preparada. Assim, além de aproveitar o bacalhau didaticamente como teste em suas diversas composições, o vinho posteriormente escolhido pode servir de aprendizado e construção de um conceito, determinando uma combinação de prato e bebida.

*Fábio Goes é enólogo

 

13ª Santa Feira do Peixe já começou

Está procurando onde comprar o bacalhau ou outros pescados e frutos do mar para celebrar a Semana Santa? Então não deixe de vir para a 13ª Santa Feira do Peixe, que acontece de 26 a 29 de março no Pátio do Pescado do Frigorífico São Paulo (FRISP), dentro do Entreposto Terminal São Paulo (ETSP).

O evento, que já é uma tradição pré-Páscoa na capital paulista, promete trazer uma grande variedade de peixes e frutos do mar a preços bem convidativos.

Por exemplo, o cação será comercializado a R$ 13,99/kg, a cavalinha a R$ 5,49/kg e o tradicional Bacalhau do Porto a R$ 59,90/kg.

A 13ª Santa Feira do Peixe ainda alia qualidade e preço a comodidade, pois em um mesmo local, o consumidor poderá encontrar tudo o que ele precisa para comemorar essa data cristã de maneira saudável e saborosa, pois estarão presentes barracas de frutas, legumes, verduras, temperos e até panelas de barro e ovos de Páscoa.

Outro atrativo é a praça de alimentação, que este ano contará com barracas de acarajé, comida japonesa, paella gigante, crepe francês, sopas, espetinhos de carne, meca e frango, bolinhos de bacalhau e fritada de bacalhau, sorvetes, macarrão com camarões no parmesão, bebidas e um cardápio específico com os produtos em promoção.

Deixe marcado este evento na sua agenda e venha conferir tudo o que a 13ª Santa Feira do Peixe tem a oferecer.

bacalhau salgado

13ª Santa Feira do Peixe da CEAGESP
De 26 a 29 de março de 2018, das 12h às 21h
Entrada pelo portão 15 da Rua Xavier Kraus (esquina com Avenida Nações Unidas – Marginal Pinheiros).
Entrada gratuita. Estacionamento gratuito na área do evento (portão 15).

 

Mercado da Penha promove Feira do Peixe

Evento reúne iguarias e espaço gastronômico para degustação de pescados

Os comerciantes do Mercado Municipal da Penha, na zona leste da cidade, realizam Feira do Peixe, com preços promocionais, durante a Semana Santa. Até sexata-feira (30), o evento “Feira Santa do Peixe da Penha” oferece aos munícipes diferentes tipos de peixes, acompanhamentos e condimentos variados para tempero.

Os visitantes poderão experimentar e comprar pescados com uma promoção especial. A feira conta com barracas de pescado, bacalhau e azeite, verduras, legumes e temperos frescos. E tem também uma barraca de panelas de barro, própria para preparo dos peixes. Para os que querem provar deliciosas receitas, o espaço terá uma área gastronômica, com a oferta de pratos à base de pescado, e com preço acessível.

bacalhauu

O Mercado Municipal da Penha fica na Av. Gabriela Mistral, 160. Nos dias da Feira Santa do Peixe da Penha, o local funcionará em seu período normal, menos no sábado (30), quando abrirá das 8 às 16 horas.

Feira Santa do Peixe da Penha
Data: De 26 a 30/03
Local: Mercado Municipal da Penha – Av. Gabriela Mistral, 160
Horário: 8h às 19h e na sexta-feira, das 8h às 16h

Quaresma e Páscoa estimulam consumo de bacalhau, aponta pesquisa

Apesar de ser amado pelos brasileiros, o peixe ainda é visto como um prato sazonal devido aos preços altos

Depois do Carnaval a oferta de pescados no Brasil aumenta consideravelmente em vista do período de Quaresma, no qual, seja por questões religiosas ou simplesmente por hábito, muitas pessoas deixam de lado a carne vermelha e investem em peixes.

Nesta época do ano os supermercados e casas especializadas costumam criar espaços exclusivos para o bacalhau, um dos mais procurados pelos brasileiros. O peixe se popularizou no país após a chegada da corte portuguesa e já foi considerado um prato popular, mas, com os impostos de importação aplicados desde a década de 60, o preço passou a ser tão salgado quanto o próprio peixe e afastou o pescado do cardápio cotidiano.

Por isso, é comum ver a procura pelo peixe crescer somente em datas especiais como réveillon, Quaresma e, especialmente, a Páscoa, tornando o pescado um produto sazonal para a maioria das famílias. É o que comprova um levantamento exclusivo, realizado pela Banca do Ramon, um dos empórios mais tradicionais do Mercado Municipal de São Paulo, que ouviu 1.360 consumidores a fim de obter uma perspectiva da relação dos brasileiros com a alimentação e seus hábitos de consumo.

bacalhau com batatas pixabay

Tradição antiga favorece o consumo de pescados

O Brasil ainda é a maior nação católica do mundo, com 172,2 milhões de fiéis, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por isso, o período de Quaresma, que começa na Quarta-feira de Cinzas, estimula até os menos apegados a doutrina a trocarem o bife por um peixe.

Entre as tradições do período de 40 dias de preparação para a Páscoa, está a exclusão das carnes de animais de sangue quente – boi, porco e frango – durante as quartas e sextas-feiras, o que já contribui para aumentar significativamente a demanda por peixes. Mas nem todos os consumidores associam a compra à tradição religiosa, o aumento da oferta desses produtos no mercado também favorece a aquisição e incentiva o consumo, inclusive de espécies mais nobres, como o bacalhau, que é um prato bastante apreciado em datas especiais como essas, segundo o levantamento.

Sobre o estudo

A pesquisa “Do essencial ao Gourmet – O que os brasileiros pensam sobre alimentação saudável e produtos premium”, deixa evidente que, tratando-se de bacalhau, embora o peixe seja bastante apreciado pelos brasileiros – 50% afirma consumi-lo até três vezes ao ano, enquanto 39% o faz quatro ou mais vezes no mesmo período –, o prato ainda está restrito, em sua maioria, a datas específicas como a Páscoa e a Quaresma. A maioria dos entrevistados (51%) afirma que consome o peixe, geralmente, em ocasiões especiais. Por outro lado, 36,5% revela que o bacalhau está presente nas refeições do dia a dia. Quando questionados sobre a origem do melhor bacalhau, os campeões, de acordo com os entrevistados são: o bacalhau Norueguês (47,2%) e o Português (19,6%).

Alto valor nutricional

Para a nutricionista Juliana Tomandl, consultora da Banca do Ramon, o consumo de peixes deve fazer parte da rotina e não ficar restrito apenas a este período de Páscoa, inclusive, para uma dieta saudável, o pescado deve estar presente no cardápio semanal, em especial, o bacalhau e outros peixes de água salgada, que, além das inúmeras possibilidades de receitas, ainda podem trazer diversos benefícios para a saúde, graças ao alto valor nutritivo.

“Há outras opções saudáveis e que cabem no bolso, como o arenque, a sardinha, o salmão, o atum, o robalo e a merluza. Então é possível incluir essas opções para variar o cardápio, mas o bacalhau não deve ficar de fora, pois, seu valor nutricional é elevado e traz muitas vantagens ao nosso corpo” – explica Juliana.

Ela ainda afirma que além de possuir as vitaminas A, E e D, fundamentais para o organismo, o peixe ainda é rico em ferro, magnésio e fósforo e também pode auxiliar na prevenção e controle de problemas cardiovasculares, assim como doenças inflamatórias e autoimunes. De acordo com a nutricionista, o peixe contém gorduras saudáveis, como o ômega-3 e ômega-6, nutrientes importantes para regular o nível de colesterol, pois ajuda a diminuir o LDL (colesterol ruim) e triglicerídeos, e aumentar o HDL (colesterol bom).

bacalhau

Como escolher o melhor

Bacalhau é o nome dado a cinco peixes, após o processo de cura (salga e secagem), portanto, na hora de escolher um bom produto é preciso muita atenção. Quatro deles são do oceano Ártico (Noruega, Canadá, Rússia, Islândia e Finlândia) e o quinto é do Pacífico, ou Alasca. Confira as principais diferenças entre eles:

Gadus morhua, o tipo mais tradicional e mais consumido_ Créditos Divulgação
Gadus morhua, o mais consumido

Gadus morhua: o legítimo, conhecido tradicionalmente como bacalhau do porto, pescado em águas profundas do Atlântico Norte. Sua cor é mais amarelada quando seco e, após o preparo, torna-se mais branca e sua carne é mais nobre devido a alimentação disponível em seu habitat. Suas lascas são claras e tenras.

Gadus macrocephalus: pescado no oceano Pacífico Norte, esse peixe é mais fibroso e suas lascas não se soltam facilmente. Sua cor é branca, mesmo quando seco e seu sabor é característico.

Saithe: com uma cor mais escura e sabor intenso, esse peixe é considerado um primo mais barato. Sua carne desfia com facilidade quando cozido.

Ling: de cor branca, porém, com postas mais finas, que não desfiam facilmente, essa espécie é ideal para receitas grelhadas, pois é mais firme e não se desfaz.

Zarbo: um dos menores, e, por isso, com postas mais finas também, esse peixe de textura mais firma é muito utilizado na preparação de bolinhos e caldos.

Segundo a legislação apenas o Gadus morhua e o Gadus macrocephalus são considerados verdadeiros. No comércio ainda podem ser classificados nas seguintes categorias: Imperial, o mais nobre; Universal – com alguns defeitos pequenos que não comprometem a qualidade; e Popular – que contém falhas causadas no processo de pesca.

Dessalgar corretamente

A especialista ressalta que, apesar de todos os benefícios, a ingestão de bacalhau deve ser moderada, especialmente por pessoas que sofrem de hipertensão arterial, isso porque, devido à cura, o peixe é rico em sódio e, por isso, o processo de dessalga precisa ser feito adequadamente. “Quem tem pressão alta deve ficar de olho, não é preciso evitar o peixe, apenas fazer a retirada do sal de maneira mais atenta ainda para evitar que problemas de saúde se agravem”, alerta a especialista.

bacalhau salgado

Segundo ela, alguns cuidados são necessários para a dessalga do bacalhau: “É preciso deixar o peixe de molho, totalmente submerso, de um dia para o outro, lembrando de trocar a água várias vezes nesse período. É fundamental que o recipiente fique na geladeira durante o processo, para não correr o risco de o peixe estragar, já que o nosso clima é muito quente”.

O ideal é realizar esse processo apenas quando for preparo peixe para o consumir, afinal o sal é o melhor conservante e, se for mantido longe de umidade, o bacalhau pode durar vários meses. Para preservar melhor seus nutrientes, Juliana ainda recomenda que o alimento seja assado no forno, cozido ou grelhado.

Fonte: Banca do Ramon

 

Dez dicas valiosas para ter um peixe delicioso na sua Páscoa

A Páscoa vem chegando e com ela o consumo de pescado aumenta consideravelmente graças as tradições religiosas da Sexta-Feira Santa. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo se preocupa desde a qualidade do peixe aos consumidores até ideias de preparo para poder experimentar novas receitas além do tradicional bacalhau. O livro gratuito “Pescado: Saúde e Nutrição” traz todas as dicas que você precisa (baixe clicando aqui).

De acordo com a nutricionista Katlly Evillim Sousa, da Coordenaria de Desenvolvimento do Agronegócios (Codeagro) da Secretaria, trata-se de um alimento muito importante com baixo teor de gordura saturada e rico em ácido graxo poli-insaturado, o ômega-3, que auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares e com ação anti-inflamatória. Segundo ela, “o ideal é que o peixe esteja presente na nossa alimentação por pelo menos duas vezes na semana”.

No Brasil, a ingestão de pescados é pequena no restante do ano após a Páscoa, com menos de metade da população consumindo peixe. Este público se concentra mais ao Norte do Brasil, já que os pre ços são compatíveis com outros tipos de carne.

Veja abaixo as dicas da Codeagro sobre o pescado:

peixe

– Os peixes mais baratos na Páscoa são: linguado, cação, namorado, olhete, pacu, pintado, sardinha, truta e tainha.

– Se preferir o peixe fresco, sempre pegue no fim das compras, para manter a temperatura e prestar atenção em suas escamas, se estão brilhantes, e em seu odor, que deve ser suave.

pescado gov

– O peixe fresco e o peixe congelado contêm os mesmos nutrientes se mantidos em temperaturas adequadas a cada tipo.

– Na hora da compra do peixe congelado prestar atenção a sua situação. Não compre se estiver com água acumulada ou cristais de gelo, pois pode significar que houve o descongelamento, prejudicando sua qualidade.

bacalhau salgado

– Na hora da compra do bacalhau, prestar a atenção nas condições da embalagem, na validade e no odor. Manter na geladeira até sua preparação.

– A validade de qualquer peixe fresco, se for congelar, é de três meses.

– Na hora do descongelamento, sempre descongelar dentro da geladeira, pois fora pode desenvolver micro-organismos deteriorantes.

– Retire o couro/pele antes de cozinhar. Todos os nutrientes do peixe estão dentro da carne.

manjericao crative commons
Foto: CreativeCommons

– Evitar temperos industrializados. Use os naturais como a salsinha, manjericão, coentro, louro etc.

– Quando preparados, consumir dentro de, no máximo, 48 horas, se mantido na geladeira.

Por Mariana Chagas – Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

 

 

 

Dez fatos curiosos sobre o tradicional bacalhau português

O bacalhau no Brasil é consumido geralmente em épocas específicas do ano, como Páscoa e Natal, mas em Portugal esse peixe é parte fundamental das refeições. Para conhecer melhor sobre esse símbolo da gastronomia lusitana, separamos algumas curiosidades incríveis desse prato tão cobiçado.

1 – O alimento da descoberta do novo mundo

Bacalhau exposto em uma típica mercearia portuguesa Créditos_ Divulgação

Como não existiam métodos de refrigeração da comida, o bacalhau se tornou parte fundamental das grandes embarcações, pois com os métodos de secagem e salga, o peixe era conservado por um longo período de tempo.

2 – Não existe somente um tipo de bacalhau

Gadus morhua, o tipo mais tradicional e mais consumido_ Créditos Divulgação

“Bacalhau” é na realidade o nome popular para o Gadus morhua, o tipo mais tradicional e mais consumido. Porém, esse processo de desidratação também pode ser feito com o saithe, o zarbo e o ling. Características como sabor, textura e preço variam entre eles.

3 – Altamente nutritivo

Posta de bacalhau ao forno_ Créditos_ Emanuele Siracusa Photography

Ao contrário do que muitos possam pensar, esse tipo de peixe é muito nutritivo e de fácil digestão. Rico em fósforo, cálcio, zinco, potássio e magnésio, é um alimento saudável que pode ser consumido sem culpa. O óleo extraído do fígado do animal também é abundante em vitaminas A e D.

4 – Considerado o “Fiel Amigo” português

bacalhau com batatas pixabay

Em Portugal, ele é considerado o “Fiel Amigo”. Esse ditado popular vem de tempos antigos, pois a iguaria é parte essencial da culinária lusitana. Assim como o arroz com feijão está presente na mesa dos brasileiros, o bacalhau é o verdadeiro rei nas refeições das famílias portuguesas.

5 – Ílhavo: a “capital do bacalhau”

museu-vista-alegre-1-832x468
Museu Vista Alegre

A cidade de Ílhavo, localizada na região do Centro de Portugal, tem uma forte ligação com o alimento. Situada próxima do oceano, a pesca sempre fez parte das atividades e o bacalhau tornou-se intrínseco na cultura e costumes. O prato é tão popular que a cidade dispõe de dois museus que contam sua incrível história.

6 – Um museu dedicado ao bacalhau

ilhavo-museu-maritimo-1.jpg

E falando em museus, o Museu Marítimo de Ílhavo, com o seu famoso Aquário de Bacalhaus, é um ponto de parada obrigatória para todos aqueles que queiram conhecer a verdadeira epopeia da pesca desse nobre animal.

7 – Mais de 1001 maneiras de preparo

Diversas formas de apresentação do bacalhau_ Créditos_ Divulgação

Dizem que existem 1001 maneiras de preparar essa iguaria, e Ílhavo é o lugar ideal para conhecê-las. O “Bacalhau assado lascado, à moda de Ílhavo” e o “Arroz de espinhas de bacalhau” são alguns exemplos peculiares e saborosos. No verão, é comum consumi-lo cru em saladas.

8 – Festival do Bacalhau

Receita com bacalhau e frutos do mar _ Créditos_ Emanuele Siracusa Photography

Em agosto acontece esse evento, em Ílhavo, que visa promover a gastronomia tradicional da região entre os mais jovens. Desde 2008, turistas e moradores podem aproveitar diversas atrações musicais, palestras e deliciosos pratos preparados especialmente para a celebração.

9 – Portugal é o maior importador de bacalhau da Noruega

Bacalhau Domes de Sá _ Créditos Divulgação

Por ser um peixe de água fria, é mais comum encontrá-lo na costa de países assim como Noruega e Canadá. Isso fez com que Portugal se destacasse por ser o maior importador do animal do país nórdico.

10 – Os melhores locais para comprar

bacalhau salgado.jpg

Engana-se quem acha que o melhor local para comprar o bacalhau são as peixarias. Os melhores locais para adquirir bacalhau de qualidade são as mercearias ou, em grandes supermercados, a sessão de comidas “salgadas”. Os portugueses são mestres na arte de salgar os alimentos para sua preservação desde a época das grandes navegações.

Fonte: Turismo de Portugal

Passo a passo de receita de salmão com café e mel

Salmão é o tipo de prato que agrada o ano todo e a maioria das pessoas gosta. Em dias de clima mais quente, ele combina ainda mais com o paladar. A experiência gastronômica com o peixe, dica do Café Brasileiro, é incrementar a receita com molho à base de café e mel. Que tal? O preparo é simples e prático. Os ingredientes são:

Salmão
1 posta de salmão
Sal e pimenta a gosto
1 xícara (chá) de Café Brasileiro coado
1 colher (sopa) de mel

Arroz
1 xícara (chá) de arroz japonês
2 xícaras (chá) de água
1/2 xícara de vinagre de arroz
2 colheres de sopa de saquê
1 colher de sopa de açúcar
1 pitada de sal

salmão com café

Modo de preparo

Peixe: tempere o Salmão com pimenta e sal, e leve ao fogo em uma frigideira com azeite para grelhar. Separadamente, em uma panela, adicione o mel e o Cefé Brasileiro coado, misture até que reduza em aproximadamente 30%. Coloque o molho por cima do salmão e sirva com o arroz.

Arroz: lave várias vezes até ficar completamente limpo. Em seguida, leve ao fogo o arroz com água fria e uma pitada de sal, deixe cozinhar por 10 minutos. Desligue o fogo e acrescente o vinagre, o saque e o açúcar.

salmão com café 2

Fonte: Café Brasileiro