Arquivo da categoria: pet

Crescer com animais pode tornar uma pessoa mais resiliente quando adulta

Uma educação rural com muito contato com animais pode garantir o sistema imunológico e a resiliência mental ao estresse de forma mais eficaz do que a criação em uma cidade e sem animais de estimação.

Essa foi a conclusão de uma pesquisa liderada por profissionais da Universidade de Ulm na Alemanha e agora publicada na revista PNAS. Esse estudo não é de forma alguma o primeiro a propor que crescer em ambientes urbanos sem diversidade de micróbios pode prejudicar a saúde física.

A esse respeito, acrescenta-se à crescente evidência em apoio às teorias que se desenvolveram a partir da “hipótese da higiene”. Porém, o estudo é o primeiro a sugerir que um risco maior de transtornos psiquiátricos – provavelmente devido a uma “resposta imunológica exagerada” – pode ser outra consequência inesperada do crescimento em um ambiente com menos oportunidades de interagir com uma variedade de micróbios.

“Já foi muito bem documentado”, diz Christopher A. Lowry, coautor do estudo, professor de fisiologia integrativa na Universidade do Colorado em Boulder, que “a exposição a animais e ambientes rurais durante o desenvolvimento físico é benéfica em termos de redução de riscos de asma e alergias mais tarde na vida “.

No entanto, ele acrescenta que seu estudo também “avança a conversa mostrando pela primeira vez em humanos que essas mesmas exposições provavelmente são importantes também para a saúde mental”.

Perdendo contato com micróbios coevoluídos

quarto hotel poluição cama computador

A existência humana está se tornando cada vez mais urbanizada. Em 1950, apenas um terço da população mundial vivia nas cidades. Em 2014, esse número subiu para 54% e deverá aumentar para 66% até 2050.

A ideia de que o aumento da urbanização e as mudanças no estilo de vida que o acompanham pode aumentar o risco de certas doenças, devido à redução da interação com uma variedade de micróbios, decorre da hipótese da higiene.

A teoria tem suas raízes em uma pesquisa de 30 anos que sugere que uma taxa mais baixa de infecção entre crianças pequenas foi o motivo pelo qual as taxas de asma e doenças relacionadas à alergia aumentaram no século XX. No entanto, tornou-se evidente que a interação com os micróbios ultrapassa esse escopo original, e até mesmo foi sugerido que o termo hipótese de higiene é um equívoco e deve ser abandonado.

Em seu estudo, o autor sênior Stefan O. Reber, professor de psicossomática molecular na Universidade de Ulm, e sua equipe usam o termo “velhos amigos” para se referir aos micróbios que coevoluíram com os humanos.

Lowry e colegas discutiram anteriormente como “a perda progressiva do contato com organismos com os quais coevoluímos” pode ser a culpado por “grande parte do fracasso da regulação de respostas imunes inflamatórias inapropriadas” visto em muitos habitantes urbanos modernos e habitantes de nações mais ricas.

Estudo testou homens com vários níveis de educação

cachorro homem beagle

O novo estudo investiga ainda mais esse elo comparando as respostas relacionadas ao estresse em adultos jovens que foram criados em ambientes rurais, onde tiveram muito contato com animais com pessoas criadas em áreas urbanas “na ausência de animais de estimação”.

Os investigadores inscreveram 40 voluntários masculinos saudáveis com idades entre 20 e 40 anos residentes na Alemanha. Metade tinha sido criada em fazendas onde eles frequentemente lidavam com animais, e a outra metade tinha sido criada em ambientes urbanos sem animais de estimação.

Para criar a condição de estresse, todos os participantes completaram duas tarefas. Na primeira, fizeram uma apresentação para uma audiência que não mostrou reação, e então, eles tiveram que resolver um problema de matemática difícil sob pressão de tempo. Os voluntários deram amostras de sangue e saliva 5 minutos antes do teste, e novamente 15, 60, 90 e 120 minutos depois.

“Resposta imunitária exagerada”

Os resultados mostraram que os homens jovens criados em cidades sem animais de estimação tiveram um “aumento pronunciado” nos níveis de “células mononucleares do sangue periférico”. Essas células formam uma grande parte do sistema imunológico.

Enquanto isso, membros do grupo educados na cidade também tiveram níveis mais altos de interleucina 6 e níveis “suprimidos” de interleucina 10. A interleucina 6 é um composto que promove a inflamação, enquanto a interleucina 10 é um composto que reduz a inflamação.

Lowry diz que esses resultados mostraram que “as pessoas que cresceram em um ambiente urbano tiveram uma indução muito exagerada da resposta imune inflamatória ao estressor, o que persistiu durante o período de duas horas”.

O que surpreendeu os pesquisadores foi que, embora seus corpos parecessem ter uma resposta mais sensível ao estresse, os homens criados em cidades e sem animal de estimação relataram sentimentos mais baixos de estresse do que seus colegas que foram criados em fazendas.

Lowry compara a “reação inflamatória exagerada” dos homens criados na cidade a “um gigante adormecido que eles desconhecem completamente”.

Contato com animais pode ser fator chave

homem brincando com gato

Ao discutir suas descobertas, os autores mencionaram pesquisas anteriores que mostraram que a forma como nosso sistema imunológico responde ao estresse é moldada na infância por nossas interações com os micróbios.

Outros estudos sugeriram que uma resposta amplificada à inflamação está ligada a uma taxa mais alta de transtorno de estresse pós-traumático e depressão mais tarde. Eles também discutem como a presença ou a ausência de animais pode ser um fator importante nos resultados.

Eles observam como outros pesquisadores descobriram que “agricultura altamente industrializada com baixo contato com animais de fazenda” está mais ligada a condições relacionadas à desregulação imunológica – como asma e alergias – do que “agricultura tradicional com contato regular com animais de fazenda”.

Isso sugeriria, eles explicam, que o “efeito protetor” – de uma educação rural com animais em comparação a uma criação na cidade sem animais – venha mais provavelmente  do contato com animais do que a diferença entre os estilos de vida rural e urbana.

‘Tenha um animal de estimação e passe um tempo na natureza’

homem e cachorro docg
Foto: Docg

Os pesquisadores agora querem repetir o estudo com grupos maiores – tanto homens quanto mulheres – e com educação mais variada, a fim de desvendar os efeitos do contato com animais e do grau de urbanização.

Eles também reconhecem que o estudo não levou em conta outros fatores que podem afetar a exposição infantil à variedade de micróbios. Esses incluem, por exemplo, o tipo de parto ao nascer, a amamentação em comparação com a alimentação de outra forma, o uso de antibióticos e dietas.

Enquanto isso, os pesquisadores sugerem que os moradores da cidade se tornem um “animal de estimação peludo”, passem um tempo na natureza e comam alimentos que são “ricos em bactérias saudáveis”. Além de adotarem um animal de estimação.

“Muitas pesquisas ainda precisam ser feitas. Mas parece que gastar o máximo de tempo possível, de preferência durante a educação, em ambientes que oferecem uma ampla gama de exposições microbianas, tem muitos efeitos benéficos” afirmou o professor Stefan O. Reber.

Fonte: MedicalNewsToday

Anúncios

Cuidados para um cão adotado se adaptar ao novo lar

Antes de adotar um animalzinho é preciso se atentar aos cuidados que ele deverá receber para se acostumar com o ambiente da casa; adestrador e especialista em comportamento animal Cleber Santos lista dicas

Adotar um animal de estimação está cada vez mais comum. Com o crescimento das redes sociais nos últimos anos, as divulgações de criadouros que maltratam animais de raça vem chamando a atenção daqueles que atuam em defesa dos animais, e conscientizando a população. Atualmente no Brasil, 67% das pessoas que têm um pet o adotaram, de acordo com uma recente pesquisa realizada pela Opinion Box.

Com o aumento da demanda, os canis e ONGs que abrigam animais vêm apostando em campanhas de adoção e promovendo feiras de exposição em pontos estratégicos para facilitar que os animais encontrem um lar. E, por mais que as instituições ofereçam suporte para os bichinhos enquanto não encontram seus donos, é comum que anteriormente tenham sofrido maus tratos enquanto estavam na rua e, consequentemente, tenham alguns traumas.

O especialista em comportamento animal Cleber Santos, proprietário da ComportPet, explica que além de proporcionar um lar saudável, também é preciso ficar atento ao comportamento do cão, e procurar maneiras de confortá-lo. “O tutor que adota um animal tem que ter consciência de que precisará investir em cuidados dobrados para que ele se sinta seguro e feliz”.

Abaixo, ele lista dicas para que o cão adotado se adapte ao novo local:

Leve seu cão ao veterinário

Cão_veterinário

Essa é a primeira medida que deve ser tomada. O veterinário irá examinar o animal e passar o melhor tratamento, caso ele tenha alguma doença. “Pulgas e carrapatos são bastante comuns em cachorros que são encontrados na rua. Já os adotados diretamente de canis, geralmente se encontram em melhores condições, pois já receberam os primeiros cuidados depois de achados. Mesmo assim, levar para um veterinário avaliar a saúde do cão é essencial”.

Quando o pet vem da rua, o dono também irá perceber que ele precisará passar por um processo de higiene, como banho e tosa. “A vacinação também é um fator importante, pois nem todos os canis a mantêm em dia. Além disso, o veterinário poderá estimar qual a idade aproximada do cãozinho”, completa.

Invista em adestramento

adestramento cachorro cão

Sofrer maus-tratos não é o único problema que os cachorros passam na rua ou em lares anteriores não saudáveis. Em muitos casos, o cão também não recebeu um bom treinamento da pessoa que o abandonou, e pode chegar à casa do novo tutor com comportamentos inadequados.

“Quando o cachorro é novinho, é mais fácil ensinar os comandos para ele, mas pelo fato de muitos cachorros adotados serem adultos ou idosos, investir no trabalho de um adestrador profissional é muito importante para que ele se adapte com facilidade”, explica Cleber.

“É importante ressaltar que os primeiros dias do pet em casa são determinantes para os próximos anos, principalmente quando falamos dos filhotes”, completa.

Proporcione um ambiente seguro

cachorro para adoçao

O ambiente em que o cão vai viver depois de adotado deve estar seguro para recebê-lo. É fundamental retirar do alcance do animal materiais e objetos que possam fazer mal a ele, como produtos de limpeza, perfumes, objetos cortantes, e outros. Se o ambiente for aberto, também será necessário incluir toldos ou casinhas para que o animal possa se proteger do sol, frio e chuva.

“Quem mora em apartamento deve instalar redes de proteção para manter os pets fora de perigo. As redes trazem segurança para o cão correr e brincar por todo o ambiente, sem risco de acidentes”, complementa o especialista.

Compre utensílios para o animal

cachorro com brinquedo

Para o cachorro se sentir mais feliz, ainda mais em casos que tenha desenvolvido traumas da época que morava na rua, é interessante que o novo tutor compre alguns brinquedos/objetos como caminha, roupas, brinquedos e ossos, para que ele se distraia e consiga esquecer o que passou.

“Quando pegamos um cachorro para criar, além da atenção e do carinho, devemos ter consciência de que ele poderá viver durante 10 a 15 anos. Ou seja, é uma grande responsabilidade. Por isso, é válido investir, desde o início, em acessórios que proporcionem bem estar e qualidade de vida ao animal. Outra dica é pesquisar e conversar com o veterinário para definir qual tipo de ração é mais adequada para o cão, dependendo do porte, raça, idade”, finaliza.

Sobre Cleber Santos

cleber santos

Especialista em comportamento animal, atua como adestrador de cães há 12 anos, quando cuidava do canil de treinamento durante o serviço militar. Trabalhou para grandes canis do interior de São Paulo, treinando cães de policiais de todo o Brasil. Além da experiência profissional, fez diversos cursos, estágios e especializações, inclusive em outros países – Canadá, Estados Unidos, Argentina, Chile e Alemanha. Desde 2010, está também à frente da ComportPet, centro que oferece consultoria comportamental, adestramento e serviços de hotelaria e creche, além de atendimento veterinário, estética animal e terapias alternativas para pets, como a musicoterapia. É um dos únicos profissionais do Brasil que também adestra gatos, e vem sendo requisitado como adestrador de pets de famosos, entre eles o DJ Alok.

Cobasi realiza evento de adoção de cães em parceria com a Uipa de Jundiaí

A partir de sábado, 3 de novembro, a Cobasi, em parceria com a ONG Uipa Jundiaí, irá realizar um evento de adoção de cães nas dependências da loja localizada na Ponte de Campinas, Jundiaí – SP.

O evento ocorrerá aos sábados, das 10 às 14 horas. Para adotar é necessário ser maior de 18 anos, portar o documento de identidade, ler e assinar o termo de adoção. Todos os animais disponíveis para adoção estão castrados, vacinados e vermifugados.

Esse projeto faz parte das ações de incentivo a adoção da Cobasi que realiza eventos em parceria com instituições de proteção animal em diferentes cidades do Brasil.

cachorro triste adoção

Evento de adoção de cães
Realização: Cobasi e ONG UIPA Jundiaí
Data: A partir de 3 de novembro (todos os sábados)
Horário: das 10h às 14h
Local: Cobasi Jundiaí
Endereço: Rua José Amato, 150, Ponte de Campinas, Jundiaí – SP

 

Whiskas lança primeira Escola de Gatinhos

Projeto traz série de vídeos e está disponível no canal da marca no YouTube

Já pensou se, ao adotar um filhote, fosse possível mandá-lo a uma sala de aula para aprender tudo sobre alimentação, saúde e comportamento de um gato? Este foi o ponto de partida de Whiskas para criar a Escola de Gatinhos, uma série de vídeos que tem como objetivo orientar os tutores nesta fase inicial da vida do felino.

Os filmes abordam de maneira lúdica temas importantes sobre os bichanos, que surgiram a partir dos questionamentos mais buscados na internet acerca dos felinos. Por exemplo, para manter o ambiente mais higiênico e seguro para a saúde e bem-estar do próprio pet, um dos vídeos mostra como ensinar o filhote a usar a caixa de areia. Já outro traz um guia completo sobre castração, contando os detalhes e benefícios do procedimento.

argila gato

“Queremos incentivar os novos tutores e pessoas interessadas em ter um pet a conhecerem mais sobre o universo dos felinos, gerando diversos conteúdos sobre comportamento, saúde, nutrição, até as rotinas e cuidados que um gateiro tem que ter para manter seu bichano saudável e feliz”, conta Roberto Valdrighi, Gerente de Marketing de Whiskas.

O projeto, já lançado no continente Europeu e no México, foi produzido no Reino Unido pela AMV BBDO em Londres, em parceria com o Google e Mediacom, e dá continuidade ao posicionamento “Alimente a Curiosidade”, que procura inspirar as pessoas a cultivarem a curiosidade natural de seus gatos.

mesa gato

Os vídeos estão disponíveis na página de Whiskas no YouTube.

Fonte: Whiskas

Entenda os sinais clínicos mais comuns da osteoartrite em cães

Tratamento inclui desde cirurgia (se for o caso), terapia nutricional, controle de peso, uso de medicamentos, e reabilitação (fisioterapia, acupuntura)

As pessoas estão cada vez mais envolvidas com os seus animais de estimação. São eles que trazem alegria, amor e lealdade para a rotina do ser humano. Com isso, o desejo de que permaneçam por muitos anos como membros do convívio familiar, só aumenta.

Então, para preservarmos ainda mais a saúde dos animais, os cuidados devem ser acompanhados de perto e, na identificação de qualquer sinal de desconforto, devemos procurar imediatamente um bom profissional.

Um dos sinais clínicos de alerta para os tutores de cães é notar se o animal vem apresentando resistência em caminhar, correr, subir escadas ou brincar. Alguns animais podem mostrar algum tipo de agressividade quando o tutor encosta na área acometida devido ao inchaço das articulações. Quando isso ocorre, pode ser um quadro de osteoartrite e somente o médico-veterinário poderá diagnosticar e avaliar qual o melhor tratamento. O tratamento geralmente é multifatorial e a maioria dos pacientes vão responder bem com a combinação de tratamento cirúrgico (se for o caso), terapia nutricional, controle de peso, uso de medicamentos e reabilitação.

A doença é conhecida por não ter cura e atingir todos os cães, sendo que as raças de pequeno porte representam 27% dos casos. De caráter inflamatório e crônico, ela é caracterizada por ser lentamente progressiva, degenerativa e por debilitar o animal. Além disso, pode afetar qualquer articulação desde joelhos e quadris até coluna vertebral. Fatores como idade, obesidade, doenças articulares anteriores ou traumas articulares podem gerar uma inflamação e desencadear a doença.

cachorro doente

Papel da nutrição

A alimentação é um dos principais fatores para auxiliar nos casos de osteoartrite. “O objetivo do manejo nutricional é ofertar nutrientes que contribuam para a saúde das articulações e que auxiliem na manutenção do peso. Animais que apresentem obesidade ou sobrepeso é recomendado instituir junto com o médico-veterinário um programa de perda de peso”, comenta a médica-Veterinária da Hill’s Pet Nutrition, Sandra Nogueira.

Portanto, seguir o guia de recomendação e fazer retornos regulares ao médico-veterinário é essencial para garantir o peso ideal e avaliar a progressão da doença.

Fonte: Hill’s Pet Nutrition

 

Life by Vivara lança coleção My Pet, My Life

A Life by Vivara, tradicionalmente conhecida pela pulseira que coleciona momentos
especiais através de pingentes, criou uma linha inovadora, descolada e fashion voltada para pets. Agora o seu cão também pode levar com ele os momentos divertidos que vocês passam juntos.

A coleção My Pet, My Life, possui seis opções de coleiras e guias em diferentes
tamanhos em couro, nas cores da Vivara, salmão e café. Para enfeitar seu melhor
amigo a marca desenvolveu trinta e cinco berloques em prata com variadas raças
como Jack Russell, Golden Retriever, Bulldog francês, Border Collie e Poodle, e
desenhos que remetem ao universo canino para colecionar e combinar.

As peças estão disponíveis nas lojas Vivara, quiosques e no e-commerce da marca, com preços a partir de R$ 120,00 os pingentes, R$200,00 as guias e coleiras a partir de R$ 350,00.

Rio de Janeiro: Festival Gastromix terá cardápio especial para pets

Festival Gastronomix, evento que une música, cultura e gastronomia, completa dez anos e chega pela primeira vez ao Rio de Janeiro nos dias 20 e 21 de outubro, trazendo ao público a oportunidade de experimentar receitas de 15 renomados chefs locais e de outras regiões brasileiras a preços acessíveis. Além disso, o festival, que acontecerá no VillageMall, reservou um cardápio especial para os pets, que serão muito bem-vindos no evento.

O buffet canino artesanal será servido pela NutripetisCão e foi especialmente desenvolvido por um veterinário e pela nutricionista Érica Rodrigues. Serão usados ingredientes selecionados, 100% naturais, sem glúten, sem lactose, sem conservantes, sem corantes e funcionais. Não há uso de trigo, apenas farinhas sem glúten e óleos saudáveis, como óleo de coco e azeite extravirgem.

espaço pets.jpg

O cardápio envolve:
· bolos artesanais com fígado, cenoura e óleo de coco
· cupcakes de banana e coco, com cobertura natural

· Biscoitos Naturais
-banana e canela
-maçã e linhaça
-cenoura e manjericão

· Salgados saudáveis:
-Cãoxinhas de frango e cenoura
-Aumôndegas de Carne
-Bolinhas de abobrinha e frango
-Croquetes de tilápia e linhaça dourada

O menu será oferecido de forma gratuita no espaço destinado aos pets. O festival destaca também uma programação musical e cultural, com bandas e DJs selecionados pela curadoria do Blue Note Rio, e atividades voltadas para o público infantil conduzidas pelo Muralzinho de Ideias.

Na edição carioca, estarão presentes os chefs:

§ Daniela Martins (Lá em Casa – Belém)
§ Felipe Rameh (Bento – Belo Horizonte)
§ Francesco Carli (Francesco Carli Consultoria – Rio de Janeiro)
§ Frédéric Monnier (Frédéric Monnier Consultoria – Rio de Janeiro)
§ João Diamante (JD – Rio de Janeiro)
§ Luciano Boseggia (Ristorante Olivetto – Rio de Janeiro)
§ Marcos Sodré (Sawasdee Bistrô – Rio de Janeiro)
§ Mônica Rangel (Gosto com Gosto – Visconde de Mauá)
§ Pablo Pavón e Bárbara Verzola (Soeta – Vitória)
§ Pedro de Artagão (Irajá – Rio de Janeiro)
§ Roland Villard (Roland Villard Consultoria – Rio de Janeiro)
§ Silvana Bianchi (Silvana Bianchi Consultoria – Rio de Janeiro)
§ Simone Bert (Wanchako – Maceió)
§ Tsuyoshi Murakami (MU/Murakami – São Paulo)
§ Vitor Generoso (Divina Gula – Maceió)

Sobre o Gastronomix:
O tradicional festival nasceu em Curitiba, em 2008, com curadoria do chef Celso Freire. Em dez anos, já passou por Florianópolis e Foz do Iguaçu, reunindo mais de 100 mil pessoas e 200 chefs renomados. No Rio de Janeiro, ele tem realização da CSM Golden Goal, empresa de gestão, marketing esportivo e entretenimento, e da PARNAXX, empresa especializada em desenvolvimento de ativos criativos.
Patrocinado por Multiplan, Melitta, Ministério da Cultura, Prefeitura do RJ, Secretaria Municipal de Cultura e Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Lei do ISS), o Gastronomix conta também com o apoio Booking.com, Norsul e Claro. A Sadia, Cerveja Terezópolis e Blue Note Rio também fazem parte do evento como parceiros. A fornecedora da louça oficial será a Oxford Porcelanas.

gastromix.jpg

Gastronomix Rio de Janeiro 2018
Data: 20 e 21 de outubro de 2018
Horário: de 13h às 22h (Sábado) e de 13h às 21h (Domingo)
Curadoria de Chefs: Celso Freire Gastronomia
Curadoria de Palco: Blue Note Rio
Local: Estacionamento aberto do Shopping VillageMall (Piso L1 – Esplanada)
15 chefs de renome nacional, sendo 8 chefs radicados no Rio de Janeiro e 7 chefs de outras regiões do país.
Evento Kids e Pet Friendly com programações exclusivas

Zoetis oferece soluções sem corticoides para tratar osteoartrite canina

Doença causa dores intensas e limita movimentos dos animais. Medicamentos sem corticoides como Trocoxil e Rimadyl são indicados para o tratamento

A osteoartrite, chamada tecnicamente de Doença Articular Degenerativa (DAD), é um problema progressivo, crônico e de evolução lenta. Acomete cães de todas as raças e idades, embora estejam mais predispostos à doença os animais mais idosos, com sobrepeso ou de raças grandes como, por exemplo, labradores e golden retrievers.

“A DAD é um distúrbio que causa inflamação e degeneração da cartilagem das articulações. Os principais sintomas apresentados pelos cães são: dor ao andar ou ao praticar exercícios como correr ou pular, dificuldade para se levantar e para subir escadas, mancar ao andar, rigidez nas articulações posteriores, dor ao toque e perda gradativa dos movimentos”, afirma Alexandre Merlo, médico veterinário e Gerente Técnico e de Pesquisa Aplicada de Animais de Companhia da Zoetis.

O problema pode ser silencioso nas fases iniciais, durante as quais os animais praticamente não demonstram qualquer sinal de dor ou apresentam sintomas leves, como claudicação esporádica e certa limitação de movimentos. Em estágios mais avançados, o animal pode não conseguir sequer andar em trajetos curtos, muitas vezes ficando deitado a maior parte do dia, afirma o especialista.

cachorro-doente

Tratamento e prevenção

A doença não tem cura, mas é possível manter a qualidade de vida por meio de tratamento medicamentoso, controle de peso, alimentação adequada, exercícios moderados e fisioterapia.

Os medicamentos mais indicados são os anti-inflamatórios não-esteroidais, pois os corticoides podem causar efeitos adversos nos cães, tais como respiração ofegante, aumento da produção de urina, além de sede e fome excessivas. Os anti-inflamatórios não esteroidais reduzem a dor combatendo a inflamação, permitindo ao animal voltar à vida normal. Essa característica de controle da dor, além da segurança, diferencia os anti-inflamatórios não-esteroidais dos corticoides.

A Zoetis tem duas soluções anti-inflamatórias sem corticoides para casos de osteoartrite canina. “O Trocoxil é um comprimido que age por um mês. A primeira e a segunda administração precisam ocorrer no intervalo de 14 dias. Depois disso, a dose é mensal”, explica o especialista.

Já o Rimadyl é um comprimido mastigável de administração diária, ministrado pelos tutores. Os médicos veterinários contam também com a sua versão injetável, usada quando os animais chegam ao consultório com dores agudas, para alívio imediato. “Depois deste atendimento, os tutores podem continuar o tratamento em casa com o mesmo princípio ativo”, esclarece.

cachorro-deitado-doente

A osteoartrite pode ser evitada por meio de exercícios e alimentação adequada, de forma que o animal se mantenha com peso adequado.O tipo de piso do lar também pode influenciar o aparecimento da doença. “Pisos muito lisos podem fazer os cães escorregarem demais e desenvolverem distúrbios articulares”, alerta Merlo.

Fonte: Zoetis

Cães poderão doar sangue em encontro de raças no Golden Square Shopping

Centro de compras pet friendly promove encontro de cães da raça pug e incentiva doação de sangue

O Golden Square Shopping promove mais um Encontro de Raças neste domingo, 14 de outubro, e promete reunir uma turminha da pesada com cães da raça pug, a partir das 14 horas. O encontro tem como objetivo incentivar também a doação de sangue pet.

O encontro é realizado em parceria com o Grupo Pug Amigos de São Paulo e ABCD e tem enfoque social para arrecadar ração para ajudar pugs resgatados. Fundado por Sônia Blanco, o grupo organiza encontros para trocas de experiências e trabalhos sociais, como auxílio a cães abandonados e vítimas de maus-tratos.

Além do encontro, os donos de pets poderão conhecer um pouco mais sobre a leishmaniose visceral canina com palestra de Marli Pó, da campanha “Diga Não à Leishmaniose”, que irá falar sobre a segunda doença que mais mata no mundo e os cães são as maiores vítimas.

Doação de sangue

Pouco conhecida, a doação de sangue animal é feita de forma cuidadosa, obedece a critérios rígidos e é indolor. Coordenada pelo Sanimvet, primeiro Banco de Sangue Veterinário da América Latina a utilizar uma unidade móvel de coleta, a doação será das 10 às 17 horas na van que estará na Praça Externa do Golden, ao lado da entrada do shopping.

Para ser considerado doador, o cachorro precisa pesar pelo menos 25 kg e ter idade entre um e sete anos, ser saudável, sem doenças infecciosas, ser vacinado e desparasitado, não tomar medicamento, não ser obeso. No caso da fêmea, a cadela não pode estar prenhe e nem no cio. Os tutores podem ficar tranquilos que não existem riscos na doação. O Sanimvet disponibiliza ainda os resultados dos exames, ou seja, o animalzinho solidário ganha um check-up completo já com o exame para a leishmaniose também.

A transfusão de sangue em animais acontece em casos emergenciais, como acidentes ofídicos, atropelamentos, doenças transmitidas pelo carrapato, insuficiência renal, pancreatite, intoxicação, coagulopatias (incluem distúrbios de coagulação e hemorragia) anemias por ocorrência da leishmaniose.

Doação de sangue Golden

Para doar, é necessário fazer um agendamento prévio via telefone (11) 3644-8805 ou (11) 9 6335-0307, falar com Adriana ou Amanda.

cães de raça

Encontro de Raças
Data: Domingo, 14 de outubro
Horário: Doação de sangue, das 10 às 18 horas, e Encontro de Pugs, das 14 às 18 horas
Local: Espaço Pet – Golden Square Shopping
Endereço: Avenida Kennedy, 700/São Bernardo do Campo, São Paulo, Piso L1
Entrada gratuita

Dove é certificada como cruelty free

Selo foi concedido pela Peta e é válido em todos os produtos da marca

Dove anuncia que acaba de conquistar sua certificação global pela Peta – People for the Ethical Treatment of Animals – como sendo uma marca cruelty free, ou seja, que não faz testes em animais em toda a cadeia de fabricação de seus produtos. A partir do início de 2019, o selo de cruelte free passa a fazer parte da comunicação e das embalagens dos produtos Dove.

“Por mais de 30 anos usamos abordagens não-animais para avaliar a segurança de nossos produtos e ingredientes. E, após Dove anunciar uma política que proíbe qualquer teste deste teor em todo o mundo, estamos muito satisfeitos em dizer que nossos produtos agora carregam o selo ‘livre de crueldade’ da PETA. Essa é mais uma forma de garantir aos consumidores que a marca não faz testes em animais”, explica Sophie Galvani, vice-presidente de Dove Global.

Dove Peta Brazil Body Wash Pack

A obtenção do selo cruelty free é um reconhecimento importante do compromisso de Dove em não apenas em cuidar da pele e dos cabelos de mulheres, homens e bebês, mas também em zelar pelo planeta e por todos os envolvidos, incluindo animais.

“Mais do que nunca, as pessoas querem, e merecem, clareza sobre a produção e composição dos produtos que usam e admiram. O selo Peta para Dove é parte disso, além de ser também um passo importante para inspirar outras marcas a atuarem sobre a questão dos testes em animais em toda a indústria de cuidados pessoais e beleza”, diz a Galvani.

De acordo com Kathy Guillermo, vice-presidente sênior da Peta, “a organização tem o prazer de certificar uma marca de cuidados pessoais globalmente reconhecida, como Dove, como livre de teste em animais. Sabemos que os consumidores apreciarão o compromisso de Dove de terminar permanentemente estes testes em todo o mundo e, embora ainda haja muito a ser feito, esperamos que essa conquista inspire outras empresas e marcas de beleza a seguirem o exemplo”.

Essa conquista é só o início de um compromisso ainda maior da Unilever, dona da marca, que confirma apoio à proibição mundial de testes em animais para cosméticos. “Esse método foi proibido na Europa desde 2013, e esperamos que a adoção global acelere a aceitação regulamentar de abordagens alternativas e, assim, remova requisitos para testes em animais para cosméticos em qualquer parte do mundo”, comenta David Blanchard, diretor de P&D da Unilever.

crueltyfreelogo_cmyk_3-1418696.jpg.ulenscale.2048x960

O trabalho da companhia sobre alternativas a este método e seu objetivo de promover a adoção de cruelty free também foi reconhecido pela Peta, que passa a listar a Unilever como uma “empresa que trabalha para a mudança regulatória”. Ou seja, indica que a companhia não tem a prática de realizar testes em animais para suas demais marcas, exceto em países que seja exigido por lei.

Como parte de seu acordo de apoiar a causa, a Unilever também fará parceria com a Humane Society International (HSI), organização global de proteção animal, para reforçar a iniciativa #BeCrueltyFree, cujo objetivo é divulgar reformas legislativas no mercado de beleza, proibindo testes em animais. Para isso, a Unilever ajudará no desenvolvimento de ferramentas que serão utilizadas em tomadas de decisões sobre segurança de produtos, usando métodos nos quais esses testes não sejam necessários.

“Estamos muito esperançosos de que, por meio da colaboração entre empresas, ONGs e órgãos regulatórios, em breve será possível avaliar a segurança de todos os produtos e cosméticos, sem qualquer necessidade de testes em animais”, concluiu Blanchard.