Arquivo da categoria: pets

Pet center promove eventos para garantir o Natal para animais

Encontros de adoção e café colonial pretendem auxiliar ONGs neste fim de ano

As empresas estão indo além de seu papel de gerar negócios e fomentar o mercado para contribuir com a sociedade também nas questões sociais. Com iniciativas próprias ou apoiando ONGs, a ideia é atuar para reduzir os problemas sociais em diversos setores, inclusive no segmento pet.

É o caso do HiperZoo, megapet center de Curitiba. “A responsabilidade social é um dos pilares de nosso negócio. Realizamos diversas ações como forma de colaborar com a sociedade e promover um futuro melhor para todos”, comenta Patrícia Maeoka, sócia-proprietária do HiperZoo.

Uma das formas que o HiperZoo encontrou para contribuir à causa é realizar encontros de adoção em seu espaço, o que aumenta a visibilidade das ONGs de proteção animal, tendo em vista o grande volume de público e as divulgações proporcionadas pela empresa. “Os encontros ampliam o número de adoções. Já chegamos a doar 19 animais somente em um dia”, revela Helena Lemos Coelho, uma das fundadoras da ONG Beco da Esperança.

Os números são mesmo expressivos: foram realizados 45 encontros de adoção de cães e gatos somente no primeiro ano de atuação do HiperZoo, o que resultou em mais de 300 animais que ganharam um novo lar. Além disso, a ONG visualizou um aumento no volume de doações. “Os clientes têm mais facilidade para doar, pois nos entregam rações e sachês durante os encontros. Eles também colaboram comprando nossos produtos, outra fonte de renda”, completa a protetora.

O Beco da Esperança surgiu em 2006 com a união das protetoras Helena Lemos Coelho e Maria Lúcia Pascoto Verdério. Ambas já tinham muita experiência com resgate e cuidado de animais, quando decidiram unir esforços para arrecadar fundos e manter um abrigo. Atualmente, a ONG realiza bingos, vende produtos próprios, realiza um bazar permanente de usados e conta, ainda, com apadrinhamento – quando um responsável banca as despesas de um bichinho. Mas, junto com a aumento da arrecadação, cresceu também o número de animais abandonados no Beco da Esperança.

Hoje, são mais de 500 gatos e 120 cães, que demandam tratamento veterinário, castração, vermífugos, exames de saúde, rações ou alimentos úmidos, o que gera um custo elevado de manutenção. Diariamente, somente os animais adultos consomem em torno de 85 kg de ração – isso sem contar com a alimentação e cuidados especiais para filhotes, idosos e doentes.

Para colaborar ainda mais com o trabalho do Beco da Esperança, o HiperZoo, a Associação Felina Brasil Sul (Felisul) e a marca de rações Royal Canin uniram-se para promover o Café com Esperança, um evento realizado no Café Colonial Piegel, no bairro Ahú, cuja renda dos ingressos será destinada à ONG. “Uma tarde gostosa em um café colonial é uma forma que encontramos para engajar o público à causa, ao mesmo tempo em que ele ainda vivencia um momento agradável. Assim, todos saem ganhando, mas principalmente os animais”, comenta Patrícia.

E a ação vem mesmo num momento importante. Segundo Helena, as colaborações entre os meses de dezembro e março caem consideravelmente devido às férias e custos com impostos e colégios no início do ano. E, para piorar o cenário, é o período em que acontece o maior volume de abandono de animais, quando muitos saem em férias e simplesmente deixam seus animais nas ruas. Irresponsabilidade de muitos e mais compromisso para aqueles que não suportam ver o sofrimento animal. “Achamos a iniciativa do café colonial excelente. Certamente vai nos ajudar muito”, comemora Helena. O café colonial será realizado no domingo (26), das 16 às 19 horas, e os ingressos podem ser adquiridos com o Beco da Esperança.

casal de gatos

Levando um novo amigo para casa

A estudante de medicina veterinária, Gabrieli Bochelof, já participou dos eventos de adoção promovidos pelo HiperZoo e levou para a casa o Bisteca, um gato resgatado pelo Beco da Esperança. “Sempre tive bichos e adoro. Opto pela adoção pois é uma forma de ajudar um animalzinho que está em um abrigo e que, muitas vezes, já passou por experiências difíceis”, comenta a estudante. Quem quiser seguir o exemplo de Gabrieli e adotar um novo membro para a família, pode aproveitar os encontros de adoção de cães e gatos que acontecem em novembro no pet center.

Hoje (18), o encontro será em parceria com o Beco da Esperança; já no dia 25, com a ONG Amigo Animal. Para adotar um pet, o interessado deve ter mais de 21 anos, responder a uma entrevista sobre os motivos de adoção, aceitar receber a visita de um voluntário da ONG participante e apresentar RG, CPF e comprovante de endereço para assinar o termo de adoção. Para quem deseja ter um gato como animal de estimação, ainda é necessário ter caixa de transporte e telas de proteção nas janelas de casa.

Oportunidades para fazer um fim de ano mais feliz para os animais não faltam. Uma contribuição ou uma adoção pode ser aquele presente que vai fazer com que os bichinhos também tenham um ótimo Natal.

Serviço

Encontro de Adoção com Beco da Esperança
Quando: sábado, 18 de novembro, das 10h às 17h
Encontro de Adoção com Amigo Animal
Quando: sábado, 25 de novembro, das 10h às 17h
Local: HiperZoo – Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba/PR

beco.jpg

Café com Esperança em prol da ONG Beco da Esperança
Quando: domingo, 26 de novembro, das 16h às 19h
Local: Café Colonial Piegel – Av. Anita Garibaldi, 548 – Ahú

Contribuição: Adulto R$ 55,00. Crianças de 0 a 5 anos não pagam e, a partir de 6 anos, R$ 35,00

Aquisição com a ONG Beco da Esperança – Helena – Cel.: 41-99660.5444 ou com Dani 41-99661.8691

hiper zoo.jpg

Fonte: HiperZoo

Anúncios

Visita pet leva carinho, alegria e saúde a idosos

Convivência com cães traz benefícios para os idosos, como a melhora no sistema imunológico, no humor e na disposição, além de ser prazerosa para os bichinhos também

Um simples carinho em um pet já provoca um efeito imediato no organismo humano. Segundo estudos, essa interação traz benefícios à saúde física e emocional das pessoas, como a redução da pressão arterial, o controle da hipertensão e do estresse. Para deixar a vida dos idosos mais alegre, a Cora Residencial Senior, a maior rede de instituições de longa permanência para idosos da América Latina, recebe todo mês em suas unidades a visita dos pets da Cão Cidadão.

“Hoje sabemos que o animal de estimação melhora vários aspectos da saúde do idoso. Os ganhos são percebidos no humor, na memória, na socialização e até mesmo no melhor controle de doenças crônicas como a pressão alta e o diabetes. A literatura médica mostra que idosos que têm contato com animais são mais funcionais e independentes, o que reforça a importância dessa relação tão especial”, afirma Rodrigo César Schiocchet da Costa, geriatra da Cora Residencial Senior.

coraipirangacaes35__bx

“Eles enchem o coração da gente de alegria e são uma companhia sincera, dão carinho e não pedem retorno.”, conta a dona Neuza Antoniazzi, residente da Cora Ipiranga. Ela e os amigos costumam formar uma roda para receber, brincar, jogar bolinhas e dar petiscos aos pets.

Cuidados

Para a companhia dos bichos, não há contraindicação. Precisa só tomar alguns cuidados, por exemplo, se a pessoa tem uma doença respiratória um pouco mais avançada, às vezes, o pelo pode desencadear uma alergia, um acesso de tosse. Outra coisa é que, como idoso tem a pele mais frágil, as unhas dos animais precisam estar sempre aparadas para não arranhar. As vantagens desse contato não são apenas para as pessoas. Os cães que participam adoram receber carinho e a interação acaba sendo prazerosa para eles também.

coraipirangacaes34__bx

Os benefícios
1 – Motiva a convivência social e dribla o isolamento.
2 – Contato com os pets diminui os batimentos cardíacos e a pressão arterial.
3 – Ajuda a combater o estresse e depressão.
4 – Estimula a atividade física, com passeios ou brincadeiras.
5 – Traz alegria e faz companhia.
6 – Desperta boas memórias e ajuda os idosos afetivamente.
7 – Melhora do humor devido à liberação de endorfina que provoca relaxamento, sensação de conforto, calmaria e ânimo.
8 – Fortalece o sistema imunológico.

cora_d_neuza2__bx

Cora Residencial

Endereços
Higienópolis – Rua Marquês de Itu, 816
Campo Belo – Rua Demóstenes, 748
Chácara Santo Antônio – Rua Alexandre Dumas, 2.510
Ipiranga – Rua Antônio Marcondes, 427
Jardins – Rua Leôncio de Carvalho, 98
Tatuapé – Rua Azevedo Soares, 21
Villa Lobos – Rua Professora Helena Moura Lacerda, 131

 

Saiba como as úlceras de córnea podem afetar a saúde dos pets

Doença pode ser grave e ficar atento aos sintomas é essencial para evitar o seu avanço

Úlcera de córnea, muito conhecida por afetar a saúde de pessoas, também pode prejudicar a saúde dos animais de estimação. São machucados na superfície dos olhos e pode variar em termos de gravidade. Por isso, a avaliação de um veterinário que atue na área de oftalmologia é essencial.

Identificar se o pet está com problemas nos olhos pode ser simples, segundo Adriana Lima Teixeira, parceira da Comac (Comissão de Animais de Companhia), do Sindan (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal) e responsável pelo Serviço de Oftalmologia do Provet – SP.

“A dor é o principal sintoma e se traduz por olho fechado, na maioria dos animais afetados. Outros sintomas importantes incluem olhos com a conjuntiva avermelhada, a córnea opaca, piscar numa frequência maior que o normal e depressão na superfície ocular como se houvesse um ‘buraquinho’”, explica a veterinária.

pexels cachorro shi tzu
Pexels

Descobrir a doença no início é fundamental para impedir que a situação cause danos severos e até mesmo irreversíveis, por isso, ao menor sinal de alteração no comportamento do pet, o tutor deve levar seu animal de estimação para uma avaliação com seu veterinário de confiança. Para uma avaliação adequada dos olhos se faz necessário um exame com auxílio de lâmpada de fenda, corantes especiais e caso, julgue necessário, o veterinário poderá realizar coleta de material para um diagnóstico mais preciso.

Há pets mais propensos a desenvolver a úlcera de córnea ou doenças oculares como os de raças braquicefálicas, que são os animais com o focinho achatado como Shih Tzu, Boxer e certas raças de gatos. Os fatores são diversos, mas conformação palpebral e doenças oftálmicas são mais comuns.

“Algumas úlceras vão requerer apenas tratamento médico enquanto outras necessitarão também de procedimento cirúrgico, algumas vezes, de emergência, como no caso dos olhos perfurados ou de úlceras profundas quando existe uma chance de evoluir para perfuração ocular”, completa a especialista.

Se não for diagnosticada e tratada rapidamente, a lesão pode ser a porta de entrada para outras contaminações e gerar infecção generalizada do olho, evoluir para septicemia (contaminação da corrente sanguínea) e colocar em risco a vida do pet.

gato olhos fechados

A prevenção é sempre a melhor forma de evitar doenças oculares, como por exemplo, olho seco, catarata, glaucoma, e não apenas as úlceras de córnea. Manter a higiene do pet em dia, tosar para evitar que os pelos tenham contato direto com os olhos, usar shampoos neutros para não irritar os olhos são medidas importantes. O uso de lubrificantes, quando indicado pelo oftalmologista, também está entre as práticas que ajudam a deixar essa doença o mais longe possível.

Fonte: Comac

Cosméticos inovadores com fórmulas naturais para cães e gatos

Desenvolvidos para limpar e hidratar de forma profunda, os produtos apostam no equilíbrio entre os ingredientes para não agredir a saúde dos pets e evitar manchas provocadas pela ‘lágrima ácida’.

Criada a partir de ingredientes naturais e com a preocupação de não agredir a saúde dos animais, a linha de cosméticos e alimentos Pet de Luz foi desenvolvida por Leila Mazza para o cuidado de seus próprios animais. Proprietária de um canil, ela buscou especialização e usou a observação dos resultados em seus pets para combinar os diversos componentes até chegar a uma fórmula equilibrada, que limpa e hidrata profundamente, contribuindo para aumentar a qualidade de vida dos bichinhos.

“Precisava de produtos que ajudassem meus animais a terem pelos mais macios e bonitos, mas que não fizessem mal para a pele ou a saúde deles. Comecei testando as fórmulas em mim, usando para lavar meus cabelos e percebi que o resultado era muito satisfatório. Então, passei a usar nos meus pets e, com o passar do tempo, partimos para a produção industrial, em larga escala”, explica Leila, cinófila registrada pelo FCI (Federação de Cinofilia Internacional), ressaltando que os produtos Pet de Luz, inclusive são utilizados e comercializados por vários pet shops espalhados pelo país.

Os produtos da linha Pet de Luz apresentam uma composição ativa de vitaminas e extratos vegetais, rica em nutrientes, em fórmula revolucionária, simples e natural, desenvolvida para higienizar de forma eficiente, sem comprometer o bem-estar dos animais, melhorando sua qualidade de vida.

ponto de luz.png

Pioneiro no mercado pet brasileiro, o Shampoo Divino aposta na substituição do Lauril por ingredientes naturais para proporcionar brilho e limpeza profunda na derme e pelagem, sem causar ardência ou agredir os olhinhos dos animais. Com fórmula à base de cocoamidopropril betaína e óleo de coco, é totalmente adstringente, eliminando a oleosidade da pele e do pelo.

Rico em extratos vegetais e vitaminas, o Condicionador Divino proporciona brilho e hidratação intensa na derme e pelagem, agindo também para intensificar a cor dos pelos. Apresenta Pantenol, vitamina E, vitamina A, óleo de coco, extrato vegetais, ceramidas e queratina em sua composição.

pote_farinha_mock.jpg

Criado para ser consumido junto com a ração, o Pozinho de Luz traz uma mistura de cereais, como: farinha de arroz, farinha de aveia, farinha de linhaça dourada, farelo de trigo e dolomita. Os ingredientes, naturais, são ricos em nutrientes e auxiliam na manutenção do bem-estar e saúde dos animais.

Todos os cosméticos Pet de Luz têm fórmulas desenvolvidas com pH muito próximo ao pH animal, entre 5.5 e 6.5, para manterem o equilíbrio da saúde dos pets, sem agressão ao organismo. Sendo assim, o uso do Shampoo e Condicionador Divino, em conjunto com o Pozinho de Luz, auxilia também na diminuição da incidência de lágrima ácida nos animais, uma situação bastante recorrente entre os bichinhos, inclusive ajudando a clarear áreas que já foram afetadas pelo problema.

Informações: Pet de Luz

Como prevenir e identificar o câncer de próstata nos pets

Veterinária da Petz fala da importância do check-up na prevenção da doença que vem crescendo com o aumento da expectativa de vida

A campanha Novembro Azul alerta sobre os perigos do câncer de próstata nos homens, mas é importante também para a prevenção do problema nos pets. Assim como nos humanos, a idade avançada é o principal fator de risco.

“Por isso, as medidas preventivas são fundamentais para os cães e gatos, que envelhecem mais rápido que os homens. A doença costuma aparecer com mais frequência em bichinhos com idade acima de seis anos”, afirma a veterinária Karina Mussolino, gerente do setor de clínicas da Petz.

cao idoso cachorro

Ela explica que a castração é o procedimento mais eficiente para evitar o surgimento do câncer em pets e que pode diminuir a incidência do problema em até 90%. “O processo, quando feito nos bichinhos ainda pequenos, impede a produção excessiva de hormônios. Com isso, não ocorre o desenvolvimento do tecido prostático, evitando assim o crescimento da próstata e a formação de tumores (próstata e testículo)”, esclarece.

Mas a melhor forma de prevenção é o check-up regular dos pets, seja para orientar sobre a realização da castração ou para o diagnóstico precoce da doença. “O toque retal do pet durante o exame físico, geralmente, já é o suficiente para detectar a presença do problema; que é confirmado pela realização de um ultrassom mais específico”, orienta Karina.

Portanto, antes mesmo que apareçam os sinais é fundamental fazer as visitas de rotina ao veterinário e manter avaliações, exames e vacinas em dia.

gato rosto pexels

Confira os principais sinais da doença

1 – O aumento da quantidade de vezes que o pet faz xixi, com gotejamento;

2 – Presença de pus ou sangue na urina;

3 – Dor;

4 – Constipação;

5 – Perda de peso;

6 – Apatia;

7 – Dificuldade para defecar, urinar ou andar.

gato e cachorro 2

Fonte: Petz

Santo André sedia feira de adoção animal

Neste sábado (11 de novembro) às 9 horas, o Colégio Singular, por meio da ESPA – Equipe Singulariana de Proteção Animal, e a OAB Santo André promoverão mais uma edição da Feira de Adoção de Animais. A entrada é gratuita, aberta à comunidade e acontecerá no estacionamento da OAB / Santo André (Avenida Portugal, 233 – Centro).

Para adotar é necessário ser maior de 18 anos, ter a concordância de toda a família e levar comprovante de endereço. Nesse dia, os interessados na adoção também receberão informações sobre guarda responsável e orientações jurídicas.

adoção

A ESPA é um projeto educacional inserido na programação pedagógica do Singular que visa ensinar aos alunos a importância da guarda responsável, com abordagens diferenciadas de acordo com a faixa etária. A Equipe também promove ao longo do ano diversas campanhas de arrecadação de ração, arroz, vasilhas, casinhas, medicamentos, entre outros itens. Toda a doação recebida é encaminhada para ONGs e cuidadores de animais da região do Grande ABC.

Novo rolo adesivo conta com imagens de cães e gatos

Para que os petlovers encontrem facilmente o produto no PDV, o novo rótulo conta com imagens ilustrativas de cães e gatos

Os bichos de estimação são responsáveis pela alegria dos lares em que vivem. A maioria dos petlovers afirma que a felicidade com que seus “filhos” lhes recepcionam na volta de uma viagem ou até mesmo depois de um dia de trabalho é inexplicável. São pulos, lambidas, abraços e chamegos de tirar o fôlego.

Pensando nessa relação de carinho e cuidado, a Scotch-BriteMR desenvolveu uma nova embalagem para o Rolo Adesivo com o intuito de homenagear e facilitar a identificação do produto no momento da compra. O produto rolo adesivo já é conhecido no mercado e auxilia na remoção prática e fácil de pelos, fiapos e até poeira de tecidos em geral.

Para Emerson Mota, gerente de marca para Divisão de Cuidados com o Lar da 3M do Brasil, a ideia da nova embalagem é uma maneira de otimizar ainda mais o tempo dos petlovers. “A proposta do produto é otimizar o tempo e a eficácia do momento de limpeza do lar. Com a nova embalagem, pretendemos fazer também com que o consumidor encontre o produto mais rapidamente”, explica Mota.

Rolo Adesivo Scotch-Brite

Desenvolvido pela 3M para remover pó, pelos, cabelos e fiapos de tecidos em geral, o Rolo Adesivo Scotch-Brite é prático e eficaz. Com cabo reutilizável, o produto contém folhas adesivas de alta performance e com picote, que garantem um rápido e eficiente retoque em vestuário, estofados, tapetes e roupas de cama.

rolopet_topo

A versão regular (produto de 100 mm x 3,1 m com 20 folhas) possui refil e é encontrada no mercado brasileiro pelos preços sugeridos de R$ 19,00 a R$ 14,90.

Informações: 3M

Você está em dia com a saúde bucal do seu pet?

 

A higiene bucal é essencial para manter a boa saúde dos animais de estimação, além de evitar o mau hálito e manter os dentes fortes e protegidos, também previne doenças mais sérias

Não é só de banho e pelos bem cuidados que vive um pet. Para ter uma vida saudável é muito importante também incluir na rotina de cuidados, desde cedo quando ainda filhotes, o hábito da escovação dos dentes que irá ajudar na prevenção de diversas doenças.

Doenças bucais, frequentes em gatos e cachorros, podem apresentar diversas infecções que requerem tratamento de um veterinário. Retenção de dentes de leite, fraturas dentárias, de mandíbula e câncer, por exemplo, são alguns dos problemas que podem aparecer ao longo dos anos.

A halitose (doença periodental), alteração do hálito que afeta 4 entre 5 animais adultos, aparece quando falta frequência na escovação dentária e pode ser um alerta de que algo não vai bem. Segundo o parceiro da Comac (Comissão de Animais de Companhia do Sindan – Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), o médico veterinário especializado em odontologia veterinária Marco Antonio Leon diz que “A halitose não chega a ser uma doença, mas sim um sintoma de que algo está errado na boca”. E completa: ”A halitose não é transmissível e é o principal aliado do dentista veterinário para o diagnóstico”.

gato boca aberta dente pitsch685 pixabay
Foto: Pitsch685/Pixabay

Dr. Leon afirma ainda que um erro muito comum é tratar o sintoma e não a doença. Não adianta usar gel, espumas, líquidos ou nos piores casos, antibióticos, porque tais atitudes irão apenas inibir a halitose e não curar a causa real que está por trás desse problema.

Uma das dúvidas mais frequente é sobre se a alimentação pode causar problemas orais ou dentários. De acordo com o Dr. Leon, “não importa se o paciente come alimento caseiro, ração seca ou alimento úmido, a chance de desenvolver doença periodontal, acúmulo de tártaro e gengivite é a mesma. A doença periodontal começa com acúmulo de placa bacteriana sobre os dentes e esta película aderida deve ser removida na escovação dentária diária. O tipo de alimentação não tem quase nenhuma influencia sobre este processo”.

O tratamento indicado pelo veterinário é dividido em dois momentos. O primeiro é acontece em casa, quando o tutor deve ser o responsável pela limpeza dos dentes seja com uso das cerdas de uma escova indicada para animais ou com uma gaze enrolada no dedo. Essa escovação pode ser feita uma vez ao dia.

Um segundo momento é com a ajuda de um médico veterinário especializado no assunto para realizar uma limpeza dentária profissional que inclua raspagem e polimento dentário, radiografias, extrações etc. Segundo o veterinário, o ideal é levar o pet para avaliações anuais.

cachorro.jpg

Ficar atento e cuidar bem dos dentes do pet promovem qualidade de vida e bem estar animal.

Fonte: Comissão de Animais de Companhia do Sindan – Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal

 

60% dos tutores não se planejaram financeiramente para ter um pet

14% dos tutores estão com o nome sujo por causa de compras para pets e 20% gastam mais do que o orçamento permite neste tipo de compra. Com a economia do país ainda em recuperação, 23% diminuíram as compras desse segmento em 2017

Os gastos mensais com animais de estimação podem ser muito altos dependendo dos produtos e serviços que os tutores proporcionam aos pets, mas se não houver planejamento financeiro, pode acabar extrapolando o orçamento e trazendo dores de cabeça.

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais com internautas que possuem ou são responsáveis financeiros por um animal de estimação mostra que 60% dos entrevistados não se planejaram financeiramente para a aquisição do animal de estimação e 20% gastam mais do que o orçamento permite com compras direcionadas a ele.

Os principais motivos que levam a extrapolar o orçamento são acreditar que o animal merece (30%) e a sensação de felicidade que uma compra para o animal proporciona (24%). Dentre os tutores de animais 35% esbanjam nos gastos com alimentos sem se importar com o impacto no orçamento, 22% com serviços de pet shop e 20% com brinquedos. Entre aqueles que não controlam mensalmente os gastos com o animal (26%), as principais razões são o fato de não achar importante ou necessário (37%) e a falta de hábito/disciplina para controlar gastos de forma geral (26%).

pet shop

14% estão com o nome sujo por causa de compras para pets

O levantamento revela que 31% já deixaram de adquirir algo de seu uso ou de pagar alguma conta para poder comprar alguma coisa para o seu Pet e 37% para pagar tratamento de saúde para o PET. Já a maioria (71%) nunca deixou de guardar dinheiro para si ou para a família por causa do animal de estimação.

No lado oposto ao planejamento de gastos estão os consumidores que ficam como nome sujo por causa de compras com produtos e serviços relacionados a pets (14%), sendo que 8% estão nessa situação por causa de um gasto urgente com a saúde do animal – cerca de 73% já tiveram gastos imprevistos com seu animal de estimação, principalmente com doenças (54%) e 44% já comprometeram seu orçamento ou fizeram dívidas para cuidar da saúde do seu animal. Outros 50% nunca passaram por essa situação, mas afirmam que se passassem fariam o mesmo pelo seu Pet.

Entre os que extrapolaram o orçamento e fizeram dívidas, 47% não estavam preparados para estes gastos e pagaram no cartão de crédito (33%) ou fizeram um empréstimo com amigos/parentes (8%).

Para o educador financeiro do Meu Bolso Feliz, José Vignoli, existe um risco em se deixar levar pelo aspecto emocional: “Justamente por ser uma relação de carinho e cuidado, é normal a pessoa querer dar o melhor para o pet, sem se preocupar com valores financeiros. Mas os gastos precisam ser controlados mensalmente, assim como qualquer outra despesa da casa, para não chegar a comprometer o orçamento”, explica. “Uma dica é evitar idas não planejadas ao pet shop e fazer uma lista antes de sair de casa, pensando em adquirir apenas o necessário. Outro ponto importante é formar uma reserva financeira para estar preparado em casos de emergência.”

Sixty-and-Me mulher computador

A maioria costuma pesquisar preços antes de comprar produtos e serviços

A pesquisa mostra que não são todos os donos de animais de estimação que não se planejam: 19% planejaram-se parcialmente, levando em conta alguns custos e 17% analisaram se podiam arcar com os custos para criar o animal. A grande maioria (90%) afirma que o gasto dos últimos três meses com seus pets está dentro do orçamento e 69% dizem que costumam controlar os gastos relacionados ao animal.

Oito em cada dez entrevistados (81%) também costumam pesquisar preços antes de comprar produtos e serviços para seu animal de estimação e 38% costumam economizar em coisas para si mesmo para poder comprar o que há de melhor para seu animal de estimação.

Impacto da crise: 23% diminuíram as compras para pets em 2017

Ainda que o faturamento do mercado pet no Brasil tenha crescido ao longo do ano passado, na comparação com 2015, o setor não parece totalmente imune à crise econômica. A pesquisa mostra que neste ano 46% compraram a mesma quantidade de produtos para seus animais comparando com 2016, 23% diminuíram o volume de compras – sendo que 33% tinham como objetivo economizar e 30% tiveram queda na renda – e 25% aumentaram os gastos.

A maioria (75%) afirma ter reorganizado os gastos com seus animais de estimação a fim de manter o orçamento em dia, sendo que 29% têm comprado somente produtos essenciais ao pet, 23% reduziram as idas ao pet shop e 19% as idas ao veterinário.

cachorro cofrinho

 

Os principais itens relacionados ao animal de estimação que sofreram cortes ou redução no consumo devido à crise são rações mais caras (23%), brinquedos (20%), banho em pet shop (18%) e serviços de pet shop (16%) – 55% cortaram os gastos considerando os itens menos importantes para o dia a dia do animal, enquanto outros 27% cortaram os produtos ou serviços mais caros.

“É visível que os efeitos da recessão, em maior ou menor grau, já alcançaram também o mercado de produtos e serviços pet. A tendência natural é que parte dos consumidores adote medidas de contenção, sobretudo eliminando gastos supérfluos, como muitos já vêm fazendo em relação a outros itens de consumo cotidianos”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. “Isso, por sua vez, poderá impactar o resultado final das vendas do setor ao final deste ano. O tamanho deste impacto, contudo, ainda é incerto e dependerá do desempenho da economia nos próximos meses”, conclui.

pets cachorro gato

Metodologia

Em um primeiro levantamento foram ouvidas 796 consumidores com o objetivo de identificar o percentual de entrevistados que possuem animais de estimação. Em seguida, um novo levantamento foi realizado com 610 casos para identificar as características das pessoas que têm animal de estimação. Resultando, uma margem de erro no geral de 3,5 p.p para o primeiro levantamento e 4,0 p.p para o segundo levantamento. Em ambos os casos trabalhou-se com um intervalo de confiança a 95%.

Para acessar a pesquisa completa, clique aqui.

Fonte: SPC Brasil

Mudanças: confira dicas para ajudar o pet a se adaptar às novidades

Quem possui bichos de estimação em casa, sabe bem que eles costumam ser tão sensíveis quanto nós. Quando ocorre uma mudança, portanto, é natural que precise existir um processo de adaptação, já que muitas vezes nossos companheiros sofrem com as as mudanças que um processo como esse traz para a sua rotina.

No infográfico abaixo, criado pelo Guarda Móveis Copacabana, você poderá conferir algumas dicas e conselhos a respeito de como ajudar o seu bichinho a se adaptar melhor à nova casa. Confira:

Seu-bichinho-não-se-adaptou-à-nova-casa-Aprenda-como-acostumá-lo 1Seu-bichinho-não-se-adaptou-à-nova-casa-Aprenda-como-acostumá-lo 2Seu-bichinho-não-se-adaptou-à-nova-casa-Aprenda-como-acostumá-lo 3Seu-bichinho-não-se-adaptou-à-nova-casa-Aprenda-como-acostumá-lo 4