Arquivo da categoria: pets

Como cuidar do seu pet na primavera

Mudanças de estação requerem maior cuidado com os cães e gatos

O inverno mal se despediu este ano. O calor chegou antecipando a primavera e deixando o clima seco e mais quente que o normal nesse período, mudanças que afetam a saúde das pessoas e também dos animais.

Para cuidar melhor do seu cão ou gato nessa primavera, confira as dicas da médica veterinária do HiperZoo, megastore pet de Curitiba, Jaqueline Silveira, e da farmacêutica Sandra Schuster da docg., primeira empresa de vendas diretas de produtos para pets.

1 – Pele e pelagem

docg

Mudanças de estação significam troca da pelagem. Quedas de pelos em maior quantidade são normais, desde que não apresentem falhas ou sinais mais graves. “Com a troca de pelos a pele fica mais sensível podendo desencadear, com maior facilidade, eritemas (vermelhidão), pústulas (infecção bacteriana secundária), prurido (coceira) ou outros sinais dermatológicos mais graves. Nesses casos deve-se consultar um médico veterinário imediatamente”, indica a veterinária Jaqueline.
Outra dica importante é realizar a escovação adequada.

A indicação é escovar os cães e gatos no mínimo três vezes por semana, principalmente os animais de pelos longos. Assim, evita-se que os pelos embolem e retira-se o excesso de resíduos da pelagem. Segundo a veterinária, existem escovas adequadas ao tipo e comprimento dos pelos e também aquelas que prometem retirar os sub pelos mortos, evitando assim que a pelagem embole e fazendo com a pele respire melhor.

Essa época do ano também pode ajudar a ressecar a pele e deixar os pelos dos pets mais opacos. Nesses casos pode-se fazer o uso de suplementos e produtos tópicos, além de aumentar a frequência de hidratações no banho. Para recuperar a hidratação dos pelos, os pets ganharam recentemente produtos semelhantes aos dos humanos, como leave-in e ampolas. “Desenvolvemos produtos que trazem resultados rápidos e são práticos de utilizar”, comenta a farmacêutica Sandra Schuster. O leave-in é composto por vitamina E, queratina e D-pantenol, que promovem a hidratação e restauração dos pelos. E a ampola fortalece, dá brilho e restaura as pontas duplas.

 – Banho e tosa

gato banho

As tosas também ajudam a refrescar os pets, mas deve-se atentar ao que é indicado para cada raça e cuidar para não deixar a pele do animal muito exposta, afinal a principal função dos pelos é justamente proteger a pele contra as agressões do clima e da exposição solar. Uma dica, segundo Jaqueline, é caprichar na tosa higiênica e estendê-la até o peito do animal. Dessa forma ele consegue se refrescar, principalmente quando se acomoda em superfícies mais frias.

Já para o banho, a dica é investir em produtos específicos para o tipo de pelo do animal. “Deve-se pensar no banho não apenas com o objetivo de limpeza, mas também de proporcionar hidratação, cuidado e prevenção de acordo com a pelagem do animal”, recomenda Sandra. “Cães com oleosidade excessiva ou pele com muitas dobras, por exemplo, requerem produtos específicos para evitar doenças dermatológicas futuras e prolongar os benefícios do banho. Assim como nós utilizamos produtos de acordo com nossas características, os pets merecem esse mesmo cuidado”, complementa.

3 – Proteção solar

cachorro entre floress

Algumas raças são mais sensíveis à exposição solar, como as de pelos curtos e pele branca. Os locais mais afetados são focinhos e orelhas, mas alguns pets são tão sensíveis que devem utilizar protetor na barriga e regiões com pouco pelo e, ainda, evitar o sol nos períodos mais intensos, para não correrem o risco de desenvolver lesões de queimadura solar e até mesmo melanoma (câncer de pele). Nesses casos, recomenda-se o uso do protetor solar veterinário, encontrado comercialmente pronto, com FPS 15 e 30, ou manipulado conforme prescrição.

4 – Ectoparasitas

gato coceira

Os ovos dos ectoparasitas (pulgas, carrapatos, piolhos, moscas e mosquitos) eclodem nas épocas do ano mais quentes, fazendo com que as larvas precisem se alimentar para seu desenvolvimento e reprodução. Para proteger os pets devemos utilizar antipulgas e carrapaticidas durante o ano todo, mas o cuidado deve ser redobrado nos períodos de maior calor, afinal além do incômodo com coceiras, os ectoparasitas transmitem doenças e podem causar alergias como a dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP).

“Há uma grande diversidade de produtos no mercado veterinário, que variam conforme princípio ativo, forma de aplicação, tempo de duração e preço”, informa Jaqueline. Também é importante utilizar produtos de limpeza específicos para a casa e locais preferidos dos pets, como caminha, sofá, tapetes e poltronas.

5 – Doenças e vacinação

cachorro vacina doglistener
Foto: Doglistener

A combinação calor e chuva, comum na primavera, contribui para a proliferação de doenças como a Leptospirose, uma doença bacteriana transmitida para os cães de forma direta, através do contato com o vetor – o rato e sua urina contaminada – e de forma indireta, através de tecidos, alimentos e água contaminados. Essa bactéria penetra a pele, em mucosas ou lesões, ou ainda pode ser inalada. É uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida para os humanos, e os cães podem ser transmissores mesmo não apresentando sinais clínicos.

A principal forma de prevenção se faz com a vacinação anual, ou semestral em locais de maior incidência e presença de ratos. As vacinas múltiplas para cães, como óctupla e déctupla apresentam proteção contra alguns sorovares (tipos) de leptospiras presentes no Brasil. Além disso é muito importante a higienização dos quintais e locais onde ficam os pets. “O principal cuidado é não deixar ração ou alimentos disponíveis nos canis e quintais, pois é essa a principal forma de contato do cão com o rato ou sua urina. Os ratos são atraídos pelo alimento e costumam urinar no local”, alerta Jaqueline. “O ideal é fornecer o alimento em horários específicos e retirar os pratos, mesmo que o pet não tenha ingerido tudo. Inclusive, a exposição da ração ao sol faz com essa fermente e, a posterior ingestão, pode causar problemas gástricos ao cão”, complementa.

Já a espécie felina é considerada resistente à infecção pois, mesmo quando entram em contato com a bactéria, não desenvolvem a doença. São raros os relatos de gatos positivos a Leptospirose, por isso não é necessária a imunização desses animais contra as leptospiras.

6 – Passeios

cachorro com flores

Segundo a veterinária, deve-se evitar passear com os pets nos horários mais quentes do dia, das 10 às 16 horas, pois dessa forma reduz-se os riscos de queimaduras nos coxins (almofadinhas das patas), desidratação, queimaduras solares na pele, dificuldades respiratórias e de troca de calor. Cães e gatos não possuem glândulas sudoríparas, fazem a troca de calor apenas via coxins, focinho e língua, por isso sofrem muito mais com os efeitos das altas temperaturas que os humanos.

As raças braquicefálicas (com focinhos achatados), como Pug, Shih Tzu, Pequinês, Buldogue Francês, Buldogue Inglês, Boston Terrier, Boxer, Dogue de Bordeaux e Persa, precisam de um cuidado ainda maior, pois a troca de calor é ainda mais dificultada pela sua anatomia.

Durante as caminhadas é indicado, além do uso do protetor solar, a utilização de sapatinhos e, até mesmo, bonés. Além disso, é necessário o uso de hidratantes veterinários específicos após o passeio, principalmente nas áreas dos coxins e focinho. “Essa também foi uma preocupação da docg. ao desenvolver sua linha de produtos”, esclarece a farmacêutica Sandra Schuster. “Criamos um creme para patas com D-pantenol e glicerídeos de soja que está fazendo sucesso”, revela.

hidratante pet

Com essas dicas seu pet estará pronto para enfrentar a primavera e se preparar para o verão.

cachorro e gato

Fontes: docg. e HiperZoo

Anúncios

Petz promove megaevento de adoção de cães e gatos

Com 40 bichinhos da ONG Cão sem Dono, o encontro será neste sábado e domingo, das 10h às 17h, na unidade Ipiranga da rede de pet shop

A Petz e a ONG Cão Sem Dono vão promover neste fim de semana um grande evento de adoção com 40 cães e gatos que buscam um novo lar. A ação será realizada no sábado (23) e domingo (24), das 10 às 17 horas, na Petz Ipiranga.

Todos os bichinhos têm certificado de saúde, atestando que são vermifugados, vacinados e castrados. Além disso, veterinários da ONG vão prestar toda a assistência necessária durante os eventos. Os pets ficarão em uma área específica da unidade, onde poderão interagir e conquistar os clientes que visitam a loja.

Campanha

A rede de pet shop estimula que animais resgatados das ruas ganhem um lar por meio do projeto Adote Petz. Em parceria com 18 ONGs, a empresa já registrou 3.521 adoções em suas lojas em 2017. A Petz também lançou uma campanha publicitária para incentivar a adoção. Criada pela Ogilvy Brasil, a ação “Ame de Novo” mostra que o amor de cão ou gato é para sempre.

evento de adoção Totó
Este é o Totó. Ele está procurando um lar para chamar de seu…
evento de adoção Broomer
Este é o Broomer… ele é ou não muito simpático?
evento de adoção Filhote
Este fofo é o Filhote. Ele procura uma família bem legal para fazer parte
evento de adoção Kim
Este é o Kim. Ele promete que vai alegrar muito quem o adotar
evendo de adoção Pimpão
Este é o Pimpão. Ele está olhando bem para os seus olhos e pedindo: “me leva”…

Serviço
Megaevento de adoção da Petz e ONG Cão Sem Dono
Data: 23 e 24 de setembro, das 10 às 17 horas
Local: Av. Presidente Tancredo Neves, 600, Ipiranga, zona sul de São Paulo; Telefone: (11) 5069-2669 / 2181-7315

 

Curitiba: eventos sobre lhasa apso e shih tzu e adoção de pets no fim de semana

Eventos das raças lhasa apso e shih tzu, palestras sobre saúde animal, desfiles e encontro de adoção de cães e gatos prometem agitar o fim de semana

Quem não se encanta com a beleza dos cães da raça lhasa apso e shih tzu? Pois esses pequenos peludos de origem tibetana, muitas vezes confundidos por sua aparência parecida, são mesmo encantadores e prometem animar Curitiba neste fim de semana. Eles estarão em mais dois eventos promovidos pelo pet center HiperZoo. No sábado (23) acontece o 1º Encontro Lhasa Apso e no domingo (24) o 1º Encontro Shih Tzu.

“Os eventos de raças têm sido um sucesso e reunido cada vez mais tutores. É uma oportunidade única para as pessoas que adoram a mesma raça interagirem e trocarem experiências”, revela Patrícia Maeoka, sócia-proprietária do HiperZoo. “Também contamos com a presença de pets famosos nas redes sociais, o que alegra ainda mais os encontros”, completa.

Outra atração dos eventos será o desfile de cães promovido pela marca Jingles Moda pet, que acontece no sábado e domingo às 15h. Durante o desfile, aberto a todos os clientes, uma comissão julgadora seleciona o cachorro mais parecido com o tutor, o mais fashion e o mais simpático. Ainda no domingo, os participantes podem aproveitar a variedade gastronômica dos foods trucks presentes no evento.

Para quem não resiste à personalidade forte, sensível e afetuosa do desconfiado Lhasa Apso ou ao charme do meigo, companheiro e simpático Shih Tzu, a programação está garantida. A entrada para os encontros é gratuita e os cães também podem se divertir num espaço seguro para eles com direito a piscina de bolinhas.

Saúde Animal

E o fim de semana não é só de diversão, mas também de aprender como cuidar dos animais de estimação. Para isso, o pet center promove duas palestras sobre saúde canina. No sábado o tema será a Leishmaniose, uma das doenças que mais afeta os cães no Brasil, e que pode causar problemas dermatológicos, crescimento anormal das unhas, emagrecimento progressivo, anorexia e pode, até mesmo, levar o animal a óbito, dependendo das complicações.

Já no domingo, os assuntos serão as verminoses e seus riscos. Embora seja uma patologia muito comum em pets, a verminose pode causar sérios problemas e chegar a colocar a vida do animal em risco. Anemia, vômito, diarreia, convulsões, pneumonias, emagrecimento, menor absorção e digestão de nutrientes, perda de sangue e proteínas são alguns dos danos causados pelos vermes. Por isso conhecimento e prevenção são tão importantes.

“Outra proposta da nossa loja é oferecer conhecimento aos clientes, por isso buscamos trazer especialistas nos mais diversos temas para um bate-papo. Adestramento, comportamento animal e saúde são os mais solicitados”, comenta Patrícia.

Encontro de Adoção

cachorro e gato adoção.jpg

E ainda, quem quiser, pode aproveitar o fim de semana para adotar um cão ou gato. No sábado (23) acontece mais um encontro de adoção com a ONG Amigo Animal e Beco da Esperança. Para adotar um pet, o interessado deve ter mais de 21 anos, responder a uma entrevista sobre os motivos de adoção, aceitar receber a visita de um voluntário da ONG participante e apresentar RG, CPF e comprovante de endereço para assinar o termo de adoção. Para quem deseja ter um gato como animal de estimação é necessário ter caixa de transporte e possuir telas de proteção nas janelas de casa.

Serviço

Encontro de Adoção com Amigo Animal e Beco da Esperança
Quando: sábado, 23 de setembro das 10h às 17h

Famille de Lhassa apso cte  cte diffrents

Encontro de Lhasa Apso HiperZoo
Quando: sábado, 23 de setembro, das 12h às 17h
Entrada: gratuita

Palestra “Leishmaniose não tem cura. Saiba como prevenir”, com a médica veterinária Priscila Pereira
Quando: sábado, 23 de setembro, às 14h
Entrada: gratuita

Desfile de cães HiperZoo e Jingles Pet
Quando: sábado, 23 de setembro, às 15h
Inscrição: gratuita durante o evento

Shih tzu dog portrait at studio

Encontro de Shih Tzu HiperZoo e Food Trucks
Quando: domingo, 24 de setembro, das 12h às 17h
Entrada: gratuita

Palestra “Verminoses e seus riscos”, com a médica veterinária Ana Caroline Garcia
Quando: domingo, 24 de setembro, às 14h
Entrada: gratuita

Desfile de cães HiperZoo e Jingles Pet
Quando: domingo, 24 de setembro, às 15h
Inscrição: gratuita durante o evento

HiperZoo – Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba/PR

 

Seu pet sente dores? Entenda como funciona a Fisioterapia Veterinária

A Fisioterapia Veterinária engloba várias técnicas de manipulação, aparelhos (agentes físicos) e exercícios terapêuticos que tem como objetivo restabelecer alguma função do corpo, como alterações musculares, articulares, ósseas e neurológicas.

Ela é indicada quando um bichinho passa por cirurgia ortopédica, para acelerar a recuperação da área afetada, ou também quando o animal tem dor ou perda muscular por uma doença crônica, como a artrose da displasia coxofemoral, por exemplo.

Existem os casos ainda em que é indicada para animais com hérnia de disco ou alterações na coluna, onde a fisio auxilia na dor e estimula a parte neurológica, por meio de exercícios terapêuticos.

Todos os animais podem aproveitar os benefícios dessa prática, inclusive os atletas, para melhorar o desempenho, ou obesos, para auxiliar na perda de peso.

A fisioterapia é muito mais do que só estímulo corporal, ela também atua na mente e desenvolvimento dos bichinhos, ajudando a tornar suas vidas mais felizes.

Esta é a nova especialidade oferecida pelo BadiLab Diagnósticos Veterinários, que fica na Água Branca, em São Paulo.

fisioterapia badilab.png

Fonte: BadiLab

 

 

Terceira edição da Au Audi Caraigá une conscientização e muita diversão

Durante o evento, doações de brinquedos, roupas e comidas serão destinados aos moradores de rua e seus cães

***Cães celebridades marcarão presença no evento***

Um dos eventos mais esperados da rede de concessionárias Caraigá chega a seu terceiro ano. O Au Audi se tornou uma verdadeira festa para tutores e pets e, na terceira edição, eles poderão curtir muitas atividades, como: customização do novo Audi Q5 com caneta posca, gravação de plaquinhas de identificação, dog walkers, área de entretenimento para pets, espaços de conveniência para donos, food truck, foto recordação, degustação de petiscos e brindes.

O apelo de inclusão social está à frente do Au Audi Caraigá, que receberá doações de brinquedos, roupas e comidas para os pets e ainda objetos de higiene pessoal que será entregue aos atendidos pelo projeto Moradores de Rua e Seus Cães. Projeto este, que reúne periodicamente voluntários que atendem este público, oferecendo doações e até mesmo vacina para os cães. Além disso, o coordenador do MRSC, Eduardo LePoro estará presente com suas ótimas fotografias sobre o tema, durante todo o evento.

Outra grande atração será o desfile de cães-guias, que será promovido pelo Instituto IRIS, da advogada Thais Martinez. O Instituto oferece treinamento para cães especiais que são doados para deficientes visuais após o término de todo o processo de treinamento. Hoje, o Instituto IRIS tem aproximadamente uma lista de espera de mais de 3 mil deficientes visuais que aguardam por um cão-guia. Atualmente, o custo para a formação de um cão-guia é de aproximadamente R$ 40 mil.

A entrada será franca e aberta para o público em geral. Lembrando que todo tipo de doação citada acima é muito bem-vinda.

asas170912_155218.png

Data: 23 de setembro, sábado.
Horário: das 10h às 17h.
Local: Caraigá Audi Center Jardins – Rua Colômbia, 659

Informações: Tel.: (11) 3896-6000

Fonte: Caraigá

 

Cães, gatos e a hora do banho

Até mesmo na estação mais quente do ano alguns cuidados precisam ser tomados durante o banho de cães e gatos. O médico veterinário da Max Cat e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado dá algumas dicas, confira:

gato banho molhado

Banho: o ideal é que no verão os animais sejam banhados de 15 em 15 dias – mesmo que seja refrescante, o excesso de banho retira a proteção natural da pele, expondo-o mais facilmente a alergias, fungos e doenças dermatológicas. Atenção também para não molhar os ouvidos do pet, coloque algodão para evitar umidade.

gato tomando banho pinterest

Temperatura da água: nada de banhos frios, mesmo em dias quentes, a temperatura da água deve ser morna para fria. Realize o banho num lugar sem vento e, de preferência, num dia de sol.

cachorro-banho-star-grooming

Raças peludas: cães e gatos com pelos longos podem tomar banho uma vez por semana no verão e precisam ser secos cuidadosamente.

escovando cachorro

Escovação dos pelos: escove o pet regularmente, isso ajuda muito na saúde da pele, pois remove as células mortas e mantém a pelagem sempre bonita.

Hora do Banho cachorro gato pets

Secar: use uma toalha felpuda; no caso de animais peludos, utilize um secador, mas deixe o aparelho distante da pele do animal para evitar queimaduras. Cuide das dobrinhas: em cães como os da raça sharpei, passe um óleo específico para evitar umidade entre as rugas. Os ouvidos também precisam de atenção, durante o banho coloque um pouco de algodão no ouvido do animal para ajudar a não entrar água.

Fonte: Total Alimentos

 

Limpeza com produtos ecológicos protege saúde dos pets

Pensar em limpeza de casa e estofados é sinônimo de lembrar sobre alergia de produtos químicos. Essa realidade não se inclui apenas para nós, mas também aos animais de estimação. Sendo assim, a Natureza & Limpeza com ajuda de uma especialista em limpeza ecológica, desenvolveu a linha Premiumpet, na qual a higienização e impermeabilização dos estofados são realizadas com o animal dentro de casa.

A empresa colabora para a durabilidade dos estofados que são utilizados pela família constantemente e estão sempre sujeitos à uma mancha de café que cai ou até mesmo às necessidades físicas dos pets. “Muitas vezes o xixi dos pets escapa no sofá ou muitos fazem deles um vaso sanitário. Além disso, os bichinhos também usam os estofados como guardanapo, limpando a boca após tomar água ou comer ração, o que deixa gordura no móvel. Por isso, a limpeza e impermeabilização colaboram tanto para a casa como para o cuidado dos animais”, explica a sócia proprietária do Natureza & Limpeza, Ana Paula Barcena.

Além disso, para conviver com animais de estimação é preciso ter cuidado redobrado, basta um farelo de comida, um odor mais atrativo ou uma textura que chame a atenção que eles já estão lambendo, cheirando e rolando em cima. O perigo se encontra quando usamos produtos químicos para a limpeza, que muitas vezes geram alergias, irritações ou até riscos mais sérios para os nossos pets.

cachorros no sofá

“Quando utilizamos produtos ecológicos estamos contribuindo não apenas para a natureza, mas para o bem-estar do cliente. Isso envolve além da nossa saúde a dos pets também, que podem correr pela casa sem preocupação de contrair irritações na pele ou algo pior”, comenta a equipe do Natureza & Limpeza.

Por isso toda a linha utilizada é ecológica, colaborando na saúde dos moradores, inclusive animais de estimação. Os clientes ganham recibos personalizados com o nome do pet proprietário e um banho para o seu animal de estimação na contratação de uma lavagem de sofá.

Fonte: Natureza & Limpeza

 

 

Brinquedos que mantêm os pets ativos, saudáveis e sem estresse

Brincar faz bem à saúde dos pets. Além da diversão, os brinquedos estimulam as atividades cerebrais e mantêm os bichinhos de estimação ativos, saudáveis e felizes. A dica é da veterinária Flávia Cruz, coordenadora técnica da Petz: “Antigamente, era só a bolinha de tênis. Hoje, existe uma gama enorme de brinquedos, com variadas funções, como os interativos, por exemplo, que distraem os pets, principalmente, nos momentos em que eles ficam sozinhos”.

Com cores, formas, texturas e até sabores diferentes, os produtos atraem a atenção dos cães e gatos, auxiliando para que eles deixem de pegar os objetos da casa. “Mas é importante escolher brinquedos adequados para cada idade, peso e tamanho dos bichinhos”, orienta a veterinária. “Nunca dar uma bolinha pequena, por exemplo, para um cão grande, pois ele pode engasgar”, orienta a veterinária. Veja a seguir as dicas de Flávia para manter o bem-estar dos pets:

Os tipos de brinquedos:

1 – Interativos

brinquedo

São aqueles com buraquinhos para colocar petiscos ou bolinhas de ração. Quando o pet brinca, os petiscos são liberados. Estimulam o raciocínio, além de distrair e aliviar o estresse e a ansiedade dos que ficam muito tempo sozinhos. Mas é preciso ter cuidado para não exagerar na dose de ração e petiscos, para manter a dieta em dia.

2 – Caça

Tabby cat, Tiger Lily, playing with a toy catnip mouse
Warren Photographic

Para os gatos, o ideal são aqueles que simulam a “caça”, com barulho, para correr atrás, brigar e ficar mordiscando.

3 – Esconde-esconde

cachorro e gato brincando
Warren Photographic

Esconder os brinquedos pela casa para que os pets os encontrem estimula as atividades cerebrais e deixa a brincadeira mais interessante.

4 – Gastar energia

Sable-and-white Border Collie Lark, catching a Frisbee
Warren Photographic

Frisbee e bolinha são ótimos para fazer exercícios e ajudar a gastar energia, principalmente para as raças mais ativas. Eles estimulam o pet a correr atrás e a devolver ao tutor.

5 – Saúde bucal

Ginger cat, Benedict, 15 months old, playing with a mouse toy
Warren Photographic

Com corda, nylon ou borracha, existem brinquedos produzidos para auxiliar na limpeza dos dentes, ao mesmo tempo que satisfazem a necessidade de mastigação e distraem os pets. O ato de mastigar também alivia o estresse, mas não substitui a escovação diária.

Fonte: Petz

 

61% veem animais de estimação como membro da família

Pesquisa feita com internautas pelo SPC Brasil mostra que alimentação saudável, saúde e conforto para dormir são principais cuidados; apenas 8% associam seus animais de estimação à despesas financeiras e 46% dão preferência a lugares que permitem a presença de gatos ou cachorros

Alimentação saudável, cuidados com a saúde, bem-estar físico e mimos de todo tipo. Foi-se o tempo em que a expressão ‘vida de cão’ era usada como sentido negativo. Uma pesquisa inédita realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais com internautas que possuem ou são responsáveis financeiros por um animal de estimação revela que 61% dos entrevistados consideram seus pets como um membro da família. E para cuidar do bem-estar desses companheiros, eles gastam, em média, R$ 189,00 todos os meses, cifra que aumenta para R$ 224,00 entre os consumidores das classes A e B. Para quem recebe até dois salários mínimos, esse valor pode representar até 10% da renda familiar.

O levantamento revela ainda que um terço (33%) dos donos de pets admite que na hora das compras sempre opta por itens que vão além do básico e 21% nunca deixam de comprar algo para seus animais de estimação por falta de dinheiro.

No total, 76% dos brasileiros com acesso à internet possuem animação de estimação, sendo que os mais comuns são os cachorros (79%), gatos (42%) e pássaros (17%). Completam o ranking os peixes (13%), tartarugas (6%) e roedores (5%), como coelhos, camundongos, furões e porquinhos da índia.

convite_animal_planet3

52% dos entrevistados compram ração premium, 37% dos animais de estimação sempre tomam banho em pet shop e 13% fazem tratamentos estéticos com frequência

De acordo com a pesquisa, os produtos e serviços mais adquiridos no dia a dia para cuidados com cães ou gatos são as rações (88%), seguidas dos xampus e condicionadores (57%), petiscos (52%), medicamentos e vitaminas (50%) e brinquedos (44%). Com perfil mais exigente, mais da metade (52%) dos entrevistados disse que só alimenta seus animais de estimação com rações da linha premium, que são mais adequadas para o porte e raça de seus pets, sobretudo os entrevistados das classes A e B (62%). Há ainda 21% de tutores entrevistados que oferecem comida natural, feitas exclusivamente para os cães e gatos.

Considerando os produtos e serviços utilizados com mais frequência, a lista é liderada pelas vacinas (63%), idas ao veterinário (44%) e banhos em pet shop (37%). Outros serviços realizados constantemente e que merecem destaque são os tratamentos estéticos (13%), gastos com passeadores de cachorros (13%), tratamentos dentários (9%), tratamentos contra obesidade (8%), acompanhamento comportamental (8%), adestramento (7%) e idas a creches (7%).

Indagados sobre produtos e serviços que gostariam de adquirir, mas não o fazem por falta de condições financeiras, a pesquisa revela que planos de saúde (33%), serviços de spa (23%), assinaturas mensais de caixas com brinquedos (20%) e idas frequentes ao veterinário (20%) são os mais citados.

Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, o tratamento humanizado dos pets é uma tendência que abre inúmeras oportunidades de negócios e evidencia a força de um mercado bilionário que já é realidade e deve se diferenciar ainda mais nos próximos anos. “A composição da cesta de compras dos donos de animais de estimação está mudando. É cada vez maior a demanda por cuidados especializados, além de produtos que atendem às características específicas dos animais. Moda e estética, alimentação saudável, hospedagem, atendimento em casa, exercícios físicos e saúde comportamental são algumas das áreas que deverão se desenvolver intensamente nos próximos anos”, afirma Pellizzaro Junior.

cachorro gato laptop
Pixabay

41% participam de eventos e comunidades do universo pet; cuidados com a saúde do animal é fonte de atenção de 79% dos entrevistados

A troca de experiências assume um papel fundamental entre os entrevistados: 41% dos donos de pets participam de eventos e comunidades ligadas ao universo pet, seja por meio de redes sociais (29%) ou encontros presenciais (10%). Além disso, 93% dos entrevistados assumem o hábito de procurar informações sobre os produtos e serviços que adquirem para seus pets, sendo que as referências mais comuns são com o veterinário de confiança (61%), sites especializados (47%), amigos ou familiares (32%) e redes sociais (32%).

As pequenas lojas de bairro especializadas em produtos para animais (53%) despontam entre os locais onde os consumidores mais fazem compras, mas 20% optam pelas grandes redes de pet shops. Os supermercados são citados por 16% da amostra. Para definir o local de compra, são levados em consideração principalmente o preço (59%), qualidade dos produtos e serviços (49%) e a confiança no estabelecimento (44%). As compras à vista predominam, seja em dinheiro (42%) ou no cartão de débito (20%). Já o cartão de crédito é usado por 34% desses consumidores.

Em sintonia com a importância que os tutores dão ao bem-estar de seus animais de estimação, quase a totalidade (99%) dos entrevistados garante cuidar de alguma forma da saúde de seus pets, sendo que 63% zelam pela higiene, como banho e tosa e 58% mantém os exames periódicos e as vacinas em dia. Há, ainda, 55% que evitam oferecer alimentos não recomendados como doces e itens gordurosos e 51% que procuram dar uma alimentação balanceada.

De acordo com os entrevistados, as principais prioridades para quem tem um animal de estimação como cão, gato ou roedor, é proporcionar alimentação saudável (79%) aos pets, além de cuidados com a saúde (79%) e confortos para dormir (58%) – neste último caso, 23% dos entrevistados disseram que o pet costuma dormir no mesmo quarto que o dono. Os passeios (55%), atividades físicas (47%) e banhos em casa (46%) também são lembrados, indicando que a disposição dos donos vai além de meramente garantir comida e abrigo para seus companheiros.

luz camera burger pet friendly
Reprodução Facebook Luz, Câmera, Ação!

Apenas 8% associam seus pets a gastos financeiros e 46% dão preferência a lugares que permitem presença de pets

A pesquisa demonstra que os tutores não veem seus animais de estimação como mera fonte de despesas ou mais uma dentre tantas responsabilidades no dia a dia. Tanto que, apenas 8% dos entrevistados associam seus animais de estimação a gastos financeiros e somente 2% o veem como sinônimo de problemas ou dores de cabeça. Os principais sentimentos despertados entre os entrevistados são amor (61%), alegria (61%), companheirismo (59%) e amizade (52%). Há ainda 21% que veem seus pets como o guardião da casa. Para os entrevistados, os aspectos negativos de se ter um pet são não ter com quem deixá-lo quando viajam (53%) e a sujeira em casa (47%).

A dimensão afetiva ainda ganha outros contornos. Muitos gostariam de integrar seus animais de estimação a outras esferas da vida cotidiana que vão além de suas residências. Seis em cada dez (62%) entrevistados sentem falta de espaços públicos que permitam a permanência de pets, como restaurantes, lojas, shopping centers etc. Além disso, uma parcela expressiva afirma dar preferência a lugares onde a presença dos animais é permitida (46%).

Dia da AdoCao4

Adoção foi escolha de quatro em cada dez donos de pets, mas 32% compraram animal de estimação

Sobre o perfil dos internautas donos de animais de estimação, a pesquisa mostra um relativo equilíbrio: 50% são mulheres contra 50% de homens; 54% pertencem às classes C, D e E e 46% às classes A e B. A maioria tem entre 25 e 44 anos (58%) e mora em casas (77%). Os que moram em apartamentos somam 23% da amostra e 82% cuidam pessoalmente de seu pet.

Pouco mais da metade estão com seus animais de estimação há mais de cinco anos (55%). Os que ganharam seus pets de presente são 45% da amostra, mas também se pode notar uma proporção similar (42%) que resolveu adotar um animal. Neste último caso, 27% adotaram quando viram o animal abandonado ou perdido na rua e 13% recorreram a uma instituição especializada. Os que compraram o animal de estimação somam 32% da amostra.

Dentre os que compraram seus pets ao invés de optarem pela adoção, as principais justificativas são o desejo de ter uma raça específica (61%), saber as características de antemão (16%) e por não encontrarem um animal para adoção que se adequasse ao perfil procurado (9%). Por outro lado, 45% dos que adotaram tomaram essa decisão por não concordarem com a venda de animais.

gato e cachorro amigos

Metodologia

Em um primeiro levantamento foram ouvidas 796 consumidores com o objetivo de identificar o percentual de entrevistados que possuem animais de estimação. Em seguida, um novo levantamento foi realizado com 610 casos para identificar as características das pessoas que têm animal de estimação. Resultando, uma margem de erro no geral de 3,5 p.p para o primeiro levantamento e 4,0 p.p para o segundo levantamento. Em ambos os casos trabalhou-se com um intervalo de confiança a 95%.

Se quiser ver a íntegra da pesquisa, clique aqui.

Fonte: SPC Brasil

Alimentação vegetariana sem supervisão para pets pode causar doenças graves

Uma nova tendência no mundo pet tem chamado atenção de veterinários: a alimentação vegetariana para cães e gatos. Muitos tutores têm estendido seu estilo de alimentação para os animais e, de acordo com a professora de Medicina Veterinária da Unime, Aline Quintela, a mudança da dieta dos pets precisa ser acompanhada por um médico veterinário ou nutrólogo de animais, para que as exigências nutricionais sejam supridas e evite problemas mais graves.

“Qualquer alteração na alimentação de cães e gatos deve ser lenta e gradual. Cães e gatos que são submetidos a uma dieta vegetariana demonstram precocemente sinais de deficiência nutricional, como pelos opacos e quebradiços e menor disposição para brincadeiras e exercícios. Com o passar do tempo, estes animais podem demonstrar sinais clínicos mais graves, como anemia, hipoproteinemia e edema de membros”, alerta Aline.

cachorro simple dog comida

Ainda de acordo com a médica veterinária, que também é professora de Clínica Médica de Pequenos Animais, Oftalmologia Veterinária e Reprodução Animal na Unime, alimentação ideal para oferecer aos animais deve ser balanceada e de qualidade, já que cães e gatos foram ‘fabricados’ para uma dieta rica em carnes. Fibras vegetais devem fazer parte da dieta, mas jamais como componente exclusivo ou principal. “Temos muitas rações comerciais disponíveis no mercado que são completas”, afirma.

Para os tutores que pretendem fazer a transição de ração e alimentos processados para a alimentação natural, a especialista faz mais um alerta: “jamais retire ou substitua ingredientes sem orientação profissional. O acompanhamento clínico e a realização de exames são essenciais, pelo menos semestralmente”.

gato comendo legumes

A especialista complementa que, se a opção do tutor for a dieta caseira, esta deve ser prescrita por um médico veterinário: “A prescrição é baseada no estilo de vida do cão ou gato. Se é sedentário ou faz exercícios, se é castrado, se vive sozinho, dentre outras características, e deve conter os nutrientes essenciais a sua boa nutrição. O tutor deve ter em mente que, apesar de ser mais natural por não conter corantes e conservantes e ser mais atrativa para os animais, a dieta caseira tem que ser preparada diariamente, o que demanda tempo para comprar ingredientes e preparar a refeição. O preço costuma ser mais alto e há necessidade de suplementação com vitaminas, além de ser necessário acompanhamento veterinário constante”.

Fonte: Unime