Arquivo da categoria: São Paulo

Spicy oferece oficina de biscoitos decorados

Para entreter toda a família, a rede de lojas Spicy realiza, no próximo dia 21, uma oficina de biscoitos decorados em parceria com Maria de Açúcar.

O evento acontece na loja Spicy Haddock Lobo, a partir das 18h30. As inscrições podem ser realizadas pelo e-mail contato.mariacomacucar@gmail.com pelo valor de R$ 50,00.

spicy.jpg

Oficina de biscoitos decorados
Onde: Spicy – Haddock Lobo
Endereço: Rua Haddock Lobo, 746 – Jardins
Data: 21 de setembro
Horário: a partir das 18h30

Anúncios

Atendimento vascular gratuito domingo no Parque Villa-Lobos em São Paulo

São Paulo será a terceira cidade a receber o Circulando Saúde, que oferece atendimento vascular gratuito à população com médicos da especialidade. Domingo, 16 de setembro, o Parque Villa-Lobos (SP) sediará, das 9 às 14 horas, o projeto promovido pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), que este ano já passou por São Luís (MA) e Recife (PE).

A ação tem como objetivo oferecer informações a respeito das principais doenças vasculares, formas de prevenção e tratamento. Esta edição, na capital paulista, será junto ao 12º Dia Vascular de São Paulo, organizado pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular – Regional São Paulo (SBACV-SP).

O atendimento, feito por cirurgiões vasculares, residentes da especialidade, acadêmicos e alunos ligados à SBACV-SP, será em tendas de apoio. Os médicos realizarão uma triagem das principais doenças venosas e arteriais periféricas, bem como exame Doppler de onda contínua nos pacientes que apresentarem alguma alteração.

Os participantes também receberão orientações dos profissionais quanto aos sinais e sintomas dessas doenças, para ficarem alertas aos perigos de alguns comportamentos de risco e às devidas precauções a serem tomadas. Ainda poderão conferir a exposição de banners explicativos sobre trombose venosa, doença arterial periférica, aneurisma de aorta e obstrução de artérias carótidas.

Para quem estiver passeando pelo parque no dia da ação, serão distribuídas cartilhas com orientações e haverá convite para participar de uma aula de aeróbica.

“O objetivo do Circulando Saúde é aproximar a nossa especialidade da população, possibilitar que os cidadãos conheçam os fatores que mais contribuem para o desenvolvimento de doenças vasculares e oferecer atendimento com Angiologistas e Cirurgiões Vasculares a uma parcela da população que tem difícil acesso ao especialista. Esta é a terceira edição do projeto, que já passou por São Luís, Recife e até o fim do ano ainda vai contemplar mais duas cidades”, afirma o presidente da SBACV,  Roberto Sacilotto.

O Circulando Saúde tem apoio da Kendall e da FQM Farma. A próxima cidade a receber a ação será Fortaleza (CE), no dia 19 de outubro.

Causas e sintomas das principais doenças vasculares

Sedentarismo, má alimentação, cigarro, pressão alta e estresse do dia a dia são algumas das causas mais recorrentes das doenças vasculares.

As varizes são as mais comuns e estima-se que 30% da população mundial têm varizes (conforme região do mundo), afetando mais as mulheres (70%) do que os homens (30%). Os sintomas mais frequentes são: dor, cansaço e sensação de peso nas pernas, ardência, edema (inchaço), câimbras, dormência e áreas de pele inflamada com prurido (coceira).

Antes de qualquer cirurgia, em alguns casos, tenta-se o tratamento das varizes com o uso de meias elásticas, principalmente durante a gestação, e a utilização de medicamentos flebotônicos que melhoram o fluxo venoso, exercícios e emagrecimento.

Além do tratamento clínico das varizes, alguns procedimentos podem ser necessários para minimizar o problema. Escleroterapia, a famosa secagem dos vasos, procedimento este que deve ser sempre realizado por médico especialista vascular, trata-se da injeção de substâncias na forma líquida ou com mistura gasosa (mais conhecida como espuma) para desaparecimento das telangiectasias ou aranhas vasculares (vasinhos).

varizes-pernas-veias- winzy lee shuttestock
Foto: Winzy Lee/Shuttestock

Outra técnica para este tipo de doença é a utilização do laser que também pode ser realizado nos pequenos vasos. Em alguns casos pode ser realizada a aplicação de espuma ou também utilizada a técnica de ablação (queimar para secar a veia), como no uso do laser ou de fibras de radiofrequência.

“Para as varizes de médio e grosso calibre nas pessoas com sintomas de peso, cansaço e queimação a técnica cirúrgica para retirada destas veias ainda é a mais utilizada em nosso meio. A escolha da alternativa mais adequada pode variar dependendo do caso, mas sempre sob realização do médico especialista Vascular”, destaca o presidente da SBACV-SP, Marcelo Calil Burihan.

Outra doença que está se tornando mais frequente é a arterial periférica, conhecida como má circulação. A prevalência é atingir de 3 a 5% da população depois dos 50 anos e de 500 a 1.000 indivíduos por ano por milhão de habitante. Tudo isso aponta para um alerta: a isquemia de membros (amputação). Em torno de 120 a 500 casos por milhão de habitantes, dependendo da região – Consenso Mundial.

Burihan explica que o tratamento clínico é a primeira abordagem. Já o cirúrgico, com a realização de pontes utilizando-se a safena ou materiais sintéticos; e as angioplastias, desentupimento da circulação com cateteres ou com stents; devem ser reservadas para os casos mais graves. “A cessação do tabagismo, o controle rigoroso do diabetes e da dislipidemia (aumento do colesterol), a mudança do hábito alimentar e a realização de exercícios físicos regulares são essenciais para que não haja a progressão da doença”, salienta.

Circulando Saúde – 12º Dia Vascular de São Paulo
Data: 16 de setembro de 2018
Horário: Das 9 às 14 horas
Local: Parque Villa-Lobos
Endereço: Av. Professor Fonseca Rodrigues, 1025 – Pinheiros, São Paulo (SP)
Informações: (11) 5087-4888 |secretaria@sbacvsp.org.br

 

Ichi: culinária japonesa, coquetelaria e música

Ichi, palavra de origem japonesa que pode ser traduzida como o início de algo, começo ou, simplesmente, 1. Esse é o nome de uma das mais novas casas dedicadas à gastronomia japonesa em São Paulo, em endereço nos Jardins que já abrigou outro restaurante com a mesma culinária, do mesmo grupo de sócios, o UN restaurante (fechado em agosto de 2017).

Com cardápio tradicional e uma ampla carta de drinques, a casa tem funcionamento somente durante à noite, o ambiente de 240 m² é ocupado por um bar de drinques, um de sushis, o salão com mesas e um espaço para DJ. Tudo com decoração moderna e iluminação planejada, que muda de cor de acordo com o set list do DJ convidado, e que fica mais noturna com o passar da hora.

ichiichi 2

ichi 3
Fotos: Ale Virgilio

“A ideia é ser uma experiência de entretenimento completa na noite paulistana, com gastronomia, coquetelaria e música num único ambiente”, conta o empresário Denis Nicollini, à frente do novo empreendimento.

Gastronomia e coquetelaria prometem compartilhar a atenção dos clientes. A primeira tem a consultoria da chef convidada Alice Celidônio, que desenvolveu um cardápio com base tradicional e apresentação moderna, unindo as culinárias japonesa e peruana, que será executado pela equipe de profissionais da casa. Já a carta de drinques fica sob os cuidados dos especialistas Fernando Spolaor e Leonardo Massoni, que destacam entre as opções os drinques vintages, os autorais e as opções para dividir. Saquês, gin, tequila, vinhos e cervejas completam o leque.

Destaque do cardápio e da carta de drinques

Bun de salmão, tartar de salmão cru, cebolinha, abacate e maionese de wasabi
Bun de salmão, tartar de salmão cru, cebolinha, abacate e maionese de wasabi – Foto: Giuliano Agneli
shissô tempurá com spicy tuna
Shissô tempurá com spicy tuna – Foto: Giuliano Agnelli
barriga de porco e misso do ichi
Barriga de porco e missô – Foto: Giuliano Agnelli

Alguns itens de destaque da antiga casa foram mantidos, assim como o Crispy Rice (bolinho de arroz frito crocante, servido com tartar de atum / salmão temperado com creamy spicy, gochujang e cebolinha – R$ 22,00 / R$ 18,00). Entre as entradas, uma boa pedida também são as Endívias (Endívias, tartar de peixe branco, salsa de pera e trufa com molho cítrico – R$ 32,00).

Os pratos passam pelo Hamachi com salsa de pera e trufa (fatias de olhete, salsa a base de pera, trufa negra e açúcar mascavo, cebolete e finalizado com molho à base de yuzu e shoyu – R$ 34,00), o Risoto de Ouriço (Arroz, ouriço do mar e parmesão, temperados com shoyu e katsuobushi – R$ 75,00) e a Barriga de porco e missô (Barriga de porco cozida lentamente e marinada em missô servida com arroz, batata doce glaceada e acelga chinesa – R$ 45,00).

Para encerrar o jantar, a aposta pode ser no tradicional Trio de choux (Carolinas recheadas com doce de leite e nozes, caramelo, chá verde e creme pâtisserie – R$ 20,00) ou então, no Whiskey cappuccino (Crumble de café, sorvete de nata, crème brulée de café e espuma de whiskey – R$ 18,00).

Os drinques autorais contêm referências diretas da cultura milenar japonesa, com itens que remetem ao Japão místico. Entre os de assinatura está o Ahashima (R$ 32,00), que leva J.W. Double Black, Sake Ju Daiti, Norishiroppu, Daidai, Supaishina awa (espuma de gengibre com wassabi), guarnecido com katsuobushi e smoke bitter.

cherry blossom
Cherry Blossom – Foto: Giuliano Agnelli
japanese cocktail
Japanese Cocktail – Foto: Giuliano Agnelli
million dolar
Million Dollar – Foto: Giuliano Agnelli

Já os  drinques vintages apresentados são inspirados no pai da coquetelaria japonesa, o alemão Louis Eppinger, se referem a coquetéis clássicos criados em solo japonês ou com a intenção de homenagear a troca de culturas com outros países. Por exemplo, o Bamboo Cocktail (R$ 36,00), combina vinho Jerrez, Noilly Prat, orange bitter, angostura bitter e twist de limão siciliano. O Million Dollar (R$ 36,00), outra indicação de Massoni e Spolaor, leva Gin Tanqueray, Carpano Clássico, Noilly Prat, abacaxi, clara de ovo e abacaxi desidratado.

Ichi: Rua Padre João Manoel, 1.050 – Cerqueira César, São Paulo. Horário de funcionamento: terça-feira a sábado das 19:30 à 1:00. Domingo das 19h30 às 24h

Voo panorâmico de helicóptero em São Paulo: experiência ao alcance de todos

A High Class, única empresa do setor com sede no aeroporto Campo de Marte, oferece parcelamento de passeios em até 12 vezes

Você tem vontade de voar de helicóptero, mas acha que é muito caro e nem sequer pesquisou o preço? Pois saiba que com a High Class um passeio de 20 minutos pela cidade de São Paulo, em aeronave com três passageiros, sai por R$ 1.311,48 em 12 vezes, o que dá uma parcelinha de apenas R$36,43 por pessoa (à vista o voo é R$1.165,00).

Então se você vai passar férias, feriado prolongado ou somente um final de semana em uma das maiores metrópoles do mundo, ou é morador da cidade, acredite: contemplar São Paulo das alturas é uma experiência inesquecível. Longe do estresse do trânsito, com segurança e conforto, o visual da capital paulista deixa qualquer um de boca aberta seja pela manhã, à tarde ou à noite.

Durante o passeio, o helicóptero – para três, quatro ou cinco passageiros – que parte do aeroporto Campo de Marte (zona norte), voa a uma altitude de 150/200m, o que permite ver com muita clareza diversos pontos turísticos como a Estação da Luz, Terraço Itália, Catedral da Sé, Pátio do Colégio, Teatro Municipal, Museu do Ipiranga, Avenida Paulista, Parque do Ibirapuera, Estádio do Pacaembu, Cidade Universitária, Memorial da América Latina, Allianz Parque, Sambódromo, edifício Copan, Mercado Municipal e Museu Catavento.

Então, que tal reunir os amigos e curtir São Paulo de um jeito diferente? Confira abaixo os valores e você vai ver que a experiência cabe no seu bolso:

Nº PASSAGEIROS TEMPO DE VOO VALOR À VISTA VALOR TOTAL PARCELADO “PARCELINHA” POR PESSOA
03 20 MIN. R$ 1.165,00 R$ 1.311,72 R$ 36,43
03 30 MIN. R$ 1.440,00 R$ 1.621,44 R$ 45,04
04 30 MIN. R$ 1.990,00 R$ 2.240,64 R$ 46,68
05 30 MIN. R$ 2.700,00 R$ 3.040,20 R$ 50,67

E vale ficar atento a uma questão chave: a segurança. Bruno La Laina e Guilherme Gracio, sócios da High Class, explicam que para realizar um voo de helicóptero é preciso checar se ele é homologado para táxi aéreo, pois diversas companhias vendem voos em aeronaves particulares, o que é proibido, por não ter como atestar os requisitos de segurança.

esquilo___josuA_C__soares_dos_santosjet_ranger_2___josuA_C__soares_dos_santosrobinson_r44___crA_C_dito_josuA_C__soares_dos_santos

Então siga essa dica para ter essa certeza de que vai fazer seu passeio panorâmico com toda segurança: entre no site da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), digite o prefixo da aeronave e verifique se em “categoria de registro”, consta TPX. Consta? Então pode ficar tranquilo e aproveite ao máximo a sua experiência nas alturas.

High Class Passeios de Helicóptero
Endereço: Av. Olavo Fontoura 1078 – Setor C – Lote 5 – Sala 1 (Aeroporto Campo De Marte) – Santana – CEP 02012-021 – São Paulo – SP
Atendimento das 09h às 18h: (11) 3863-2061
Atendimento plantão 24h: (11) 99753-6946
Skype: hchelicopteros
Orçamentos: contato@passeiosdehelicoptero.com.br

Festival da Tainha na Ceagesp agita a capital em agosto

Pelo terceiro ano consecutivo, a Ceagesp é o palco de mais um Festival da Tainha. Durante todos os finais de semana do mês de agosto, o paulistano tem a oportunidade de se deliciar com a tradicional tainha na brasa, estrela dos grandes festivais que acontecem nessa época do ano em vários pontos do litoral brasileiro.

Nesta edição, o Festival conta novamente com a participação especial de Noé, 68, pescador e cozinheiro especializado, e sua equipe, vindos diretamente de Imbé-Tramandaí (RS).

A tainha é um peixe muito conhecido e uma ótima fonte de proteínas, vitamina B12 e fósforo. Também é uma forte aliada na prevenção de doenças cardiovasculares, devido à alta concentração do ômega 3.

Na Ceagesp são comercializadas 750 toneladas mensais do pescado, movimentando R$ 4,5 milhões. Nesta edição do festival os organizadores esperam vender 6 toneladas de tainha na brasa.

Por ser muito comum nessa época do ano, o peixe torna-se o centro das atenções atraindo milhares de fãs do prato. Por R$ 59,90, é servida a tainha na brasa preparada à moda de Tramandaí com acompanhamentos servindo generosamente duas pessoas.

Tendas venderão complementos como batata frita e porções de iscas, camarão, pastel, além de sobremesas e bebidas.

A festa também tem seu caráter social, pois parte da renda obtida será revertida à Associação Nossa Turma, entidade que atende crianças e adolescentes das comunidades ao redor da Ceagesp.

tainha

Festival da Tainha na Ceagesp
Finais de semana do mês de agosto 
Sábados, das 12h às 21h e aos domingos, das 12h às 18h.
Entrada pelo portão 15 da Rua Xavier Kraus (entrada exclusiva)
Entrada franca e estacionamento com taxa única de R$ 10,00.

Grand Cru participa do Taste of São Paulo com programação especial

Prepare a agenda, de sexta a domingo, nesta e na próxima semana, o Clube Hípico Santo Amaro receberá a 3ª edição do Taste of São Paulo. Participam desta edição 27 restaurantes e bares em instalações pop-ups, além da Grand Cru. Mais uma vez, a maior rede de lojas de vinhos do Brasil é a fornecedora oficial do evento e vai marcar presença com uma miniloja temporária, fazendo a venda dos vinhos em garrafa a partir de R$ 49,90.

Os vinhos e espumantes, vendidos no evento a preço de tabela da importadora, podem ser comprados tanto para consumo durante o evento – ao redor de todo o espaço do Taste, mas também no lounge da Grand Cru – quanto para levar para casa.

E para deixar a experiência ainda mais completa, serão oferecidas degustações gratuitas pela Adega Taste – com lugares limitados e ocupados por ordem de chegada – e harmonizações especiais pelo The Taste Residence, com ingressos vendidos separadamente por R$ 300,00.

Confira abaixo a programação:

Adega Taste
Tema: Brancos da Costa do Pacífico
Vinhos degustados: Leyda Single Vineyard Kadun Sauvignon Gris; Leyda Single Vineyard Garuma Sauvignon Blanc; Leyda Single Vineyard Falaris Hill Chardonnay.

Tema: Os três “B” do Piemonte
Vinhos degustados: Ricossa Barbera d’Asti DOCG; Ricossa Barolo DOCG; Ricossa Barbaresco DOCG

syrah.jpg

Tema: Sicília: tradição e inovação
Vinhos degustados: Barone Montalto Acquerello Nero d’Avola; Barone Montalto Acquerello Syrah; Barone Montalto Collezione di Famiglia Passivento Nero D’Ávola Terre Siciliane IGT.

Datas e horários
Sexta 17/08 e 24/08:
Das 19h às 19h30: Brancos da Costa do Pacífico
Das 21h às 21h30: Os três “B” do Piemonte
Das 22h às 22h30: Sicília: tradição e inovação

Sábado 18/08 e 25/08:
Das 14h às 14h30: Brancos da costa do Pacífico
Das 15h às 15h30: Os três “B” do Piemonte
Das 20h às 20h30: Brancos da costa do Pacífico
Das 21h às 21h30: Os três “B” do Piemonte
Das 22h às 22h30: Sicília: tradição e inovação

Domingo 19/08 e 26/08:
Das 14h às 14h30: Brancos da costa do Pacífico
Das 15h às 15h30: Os três “B” do Piemonte
Das 17h às 17h30: Sicília: tradição e inovação

Taste Residence
Sexta-feira: 17 de agosto às 20h
Sábado: 18 de agosto às 14h e 20h
Domingo: 19 de agosto às 14h

13617_0731AF5F8B2D208C

Menu – Chef Oscar Bosch – Tanit
Entrada: Polvo à galega versão Bosch
Harmonização: Oremus Mandolas Furmint

Principal: Leitão + abóbora + laranja + vanilla
Harmonização: Quinta do Mouro Zagalos Reserva

Sexta-feira: 24 de agosto às 20h
Sábado: 25 de agosto às 14h e 20h
Domingo: 26 de agosto às 14h

Menu – Chef Ana Luiza Trajano – Brasil a Gosto

Primeiro prato: Camarão crocante com creme de bobó
Harmonização: IXSIR Grand Reserve White
Principal: Fraldinha de panela com baião de dois
Harmonização: Poggio al Tesoro Mediterra Toscana IGT

Sobre o Taste Festivals

O Taste Festivals irá promover 19 festivais de restaurantes em 2018, estabelecendo um novo padrão para eventos de alimentos e bebidas em todo o mundo. Taste Festivals é de propriedade da IMG Arts & Entertainment, uma divisão de eventos e negócios da IMG Worldwide, empresa global de esportes, moda e mídia.
Data: 17 a 19 e 24 a 26 de agosto de 2017
Horários: Almoço 12h ou jantar a partir das 17h.
Local: Clube Hípico de Santo Amaro
R. Visconde de Taunay, 508 – Vila Cruzeiro, São Paulo – SP
Ingressos: à venda no site Tudus
Preço: R$ 300,00 pela sessão do almoço ou pela sessão do jantar
Clientes Santander que comprarem com o cartão Mastercard ganham 30% de desconto, válido para até 4 ingressos por CPF e sessão, além das opções de meia entrada mediante a apresentação do comprovante.

Mandioca Cozinha é novidade no centro de São Paulo

Restaurante temático explora versatilidade da mandioca e traz receitas de diferentes regiões do país, como tucupi, pirão, bobó, sagu e destilados, como a tiquira

Mandioca, inhame, aipim, macaxeira, pão da terra, rainha do Brasil. Muitos apelidos, uma só raiz. Soberana na culinária brasileira, a mandioca ganha um restaurante inteiramente dedicado a ela no centro da cidade de São Paulo. O Mandioca Cozinha, restô da chef pernambucana Madu Melo, abriu recentemente, na Vila Buarque, bairro no qual eu moro e que está se tornando o novo polo gastronômico da capital.

A casa promete explorar todas as facetas gastronômicas dessa planta 100% nacional e 100% aproveitável, com receitas caseiras, glúten free, opções veganas, uso de ingredientes sazonais e preferencialmente orgânicos e agroecológicos. Em todo o menu, carta de bebidas e até mesmo em alguns itens do décor, a mandioca é a estrela.

www.tbfoto.com.brMANDIOCA - SP/SP - 18/05/2018
Foto: Tadeu Brun
Cozido da Vó Nenzinha reúne carnes bovina e suína com legumes, pirão e arroz: receita de família no Mandioca. Foto: Tadeu Bruneli

casa trará receitas de todas as regiões do país, com os diferentes tipos de mandiocas – mansa, branca e amarela, fermentada e não-fermentada; segundo o Embrapa, são 250 tipos catalogados no Brasil – e uma dezena de variações de subprodutos e usos. Dentre eles, a farinha do Uarini (Amazonas), o tucupi amarelo (Pará), a farinha de Copioba (Bahia), a de tapioca (com massa feita na casa) e outras farinhas de diferentes cantos do país.

“Do doce ao salgado, do bar ao restaurante, do café da manhã ao jantar, a mandioca está em todas as mesas brasileiras. É um patrimônio cultural e o restaurante busca homenagear esse ingrediente tão versátil e saboroso de uma forma amigável e simples”, explica a chef e sócia Madu Melo, nascida em Recife e radicada há 10 anos em São Paulo. Formada em Marketing e tendo atuado como executiva em multinacionais e empresa de bebidas, resolveu, depois de um período sabático de viagem e pesquisas a mais de 30 países, transformar a paixão em profissão.

Foi no exterior, depois de visitar a lista dos principais restaurantes estrelados Michelin e da Restaurant, que concluiu que nada era melhor que o simples e confortante Cozido da Vó Nenzinha (ensopado de carnes bovina e suína com legumes com pirão de carne e arroz). Não por acaso, é o prato preferido da chef, receita de sua avó, cozinheira de mão cheia e sua inspiração primeira na gastronomia.

Num conceito informal e descolado, durante a semana, a casa não tem garçons e trabalhará com o conceito de autosserviço, o que impacta positivamente no preço final ao consumidor. O cliente faz o seu pedido, retira-o, leva para a mesa e recolhe sua bandeja. Aos fins de semana e feriados, a casa terá garçons, mas, durante o período de testes e de soft opening, não cobrará taxa de serviço. A proposta da casa é ter uma boa relação custo-benefício, com pratos que variam de R$ 29,90 (preço do prato do dia, no almoço executivo de segunda a sexta) a R$ 45,00.

Menu

Da folha à raiz, tudo se aproveita para formar tapiocas, beijus, farinhas, polvilhos, caldos, mingaus, bebidas fermentadas e destiladas. Mandioca significa literalmente “filha da tribo”(mani = filha, oca = local onde mora a tribo). Diz a lenda que no lugar em que morreu uma linda índia nasceu uma planta. E ela foi, assim, chamada de “Manioca”. Para os nossos primeiros habitantes, a mandioca tinha um status próximo do sagrado. Era o bem mais valioso de uma tribo. Tanto que, quando era preciso mudar a aldeia de lugar -por causa de guerras ou exaustão de terras- era costume transformar todo o mandiocal em farinha e levá-lo na viagem.

A técnica de preparar a extração da mandioca-brava (ou mandioca-amarga, por causa do ácido cianídrico) é complexa e se deve aos índios, que tiraram o seu veneno através da exposição ao sol e/ou ao cozimento por um bom tempo. Não por acaso, essa raiz branca e de casca escura já foi chamada de “rainha do Brasil”pelo historiador Luís da Câmara Cascudo e de “pão da terra” pelo padre Anchieta.

Inicialmente, funcionando apenas no horário do almoço, a casa trabalha com preços promocionais de prato do dia (R$ 29,90) e opções à la carte. Para começar, há um Caldinho do Dia, sempre com um toque de mandioca na receita, o MPM (moela de galinha com pão caseiro de mandioca e molho) e o Caribéu Pantaneiro (ensopado de mandioca e carne de sol da casa). Para quem está de olho na dieta, há uma opção de belisquete vegano e mais leve, os Beijus com Dips (barquinhas de beiju de tapioca acompanhadas de vinagrete de maxixe apimentado e homus de pinhão).

No almoço executivo, os pratos fazem um percurso gastronômico dedicado a diferentes Estados do país: às segundas, o Bobó Sem Mar (bobó vegano de castanha-de-caju com arroz de coco e farofa de dendê e talos de coentro); às terças, o Frango do Cerrado (galinhada de coxa e sobrecoxa de frango com pequi acompanhada de angu de mandioca e quiabo assado); às quartas, o Porco Sulista (corte de lombo com costela suína preparado com melado de rapadura, farofa de pinhão e abóbora assada, ao estilo dos pampas); às quintas, Mamma Brasiliana (nhoque de mandioca com legumes salteado no tucupi preto); às sextas, Cozido da Vó Nenzinha (ensopado de carnes bovina e suína com legumes acompanhado de pirão de carne e arroz branco).

www.tbfoto.com.brMANDIOCA - SP/SP - 18/05/2018
Foto: Tadeu Brun
Delícia do Uarini é feito com peixe do dia assado na folha de couve, regado com tucupi, farofa (feita com farinha da região amazônica) com pimenta cumari, castanha-do-pará e jambu. Foto: Tadeu Brunelli.

Aos sábados e feriados, a dica é a Delícia do Uarini (peixe assado na folha de couve, regado com tucupi, acompanhado de farofa de farinha do Uarini com pimenta cumari, castanha-do-pará e jambu). Como sobremesas, a chef Madu Melo traz a Tapioca Ensopada (tapioca de coco fresco ralado, ensopada no leite de coco e adoçada com mel orgânico), o Sagu Clássico (sagu de vinho tinto com creme de baunilha) e o Pudim da Casa (pudim de mandioca com toque cítrico, calda de cumaru e crocante de castanha do Pará).

Para harmonizar, carta de cervejas artesanais brasileiras, com rótulos até com mandioca na composição. É o caso da Colorado Cauim, de Ribeirão Preto, cerveja pilsen com adição de cereais, malte importado, lúpulo tcheco e mandioca. Dentre as opções sugeridas pela chef, está a Cangaço’s Kingdom (Double IPA), da Caatinga Rocks (AL), seca, longa e amarga, rica em aromas e sabores cítricos, decorrente da utilização de fortes lúpulos americanos, ideal para harmonizar com pratos marcantes e apimentados. A carta de vinhos 100% nacional foi assinada pela sommelière Camila Melo e traz opções de vinícolas de todas as regiões do país, com destaque para a Guaspari, de Espírito Santo do Pinhal (SP) e Rio Sol, de Petrolina (PE).

A carta de drinques contou com a consultoria do mixologista Rafael Vidiri (que trabalhou como chef de bar do Grupo Fasano e hoje é sócio do Quintal de Casa, em Bragança Paulista, interior do Estado). Dentre as sugestões, estão drinques com tiquira, o destilado de mandioca, como Tiquira Tônica (tiquira, água tônica, gelo, limão, hortelã e mel de abelhas nativas) e o autoral Galo do Norte (cachaças branca e de jambu e cynar), releitura do clássico Rabo de Galo. A casa só trabalha com rótulos nacionais, seja de cervejas, destilados ou vinhos.

Fonte de fibras e isenta de glúten, a mandioca é um poderoso carboidrato e oferece ainda vitamina C e minerais como o potássio, o magnésio e o cálcio. A folha de mandioca, além de ter vitaminas A, B1 e C, também contém cálcio, fósforo, proteínas, hidratos de carbono e de ferro. Não é à toa que se tornou ingrediente queridinho de esportistas e da turma glúten free, que trocou o pão pela tapioca.

Décor

mandioca ambiente
Reprodução Facebook

Revitalizada por cafés e galerias badaladas, a Vila Buarque, essa microrregião entre a Santa Cecília e a República, reúne gente moderna que curte moda, design e boa gastronomia, mas com bons preços. É nesse clima que se insere o Mandioca. O restaurante fica bem em frente à histórica Santa Casa de Medicina, no piso térreo de um simpático prédio residencial de tijolinhos. Próximo de pontos históricos importantes da cidade, como o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), da Universidade Mackenzie e de galerias como a Pilar.

Em uma área de 161 m², o arquiteto paulistano Vitor Loschavio aposta num ambiente industrial e, ao mesmo tempo, aconchegante, totalmente acessível para cadeirantes, com rampas de acesso e mesas mais largas, além da mesa comunitária. Explorando elementos como o concreto, madeira e aço, piso de cimento queimado, tubulações aparentes, o projeto traz elementos de modernidade e um toque de pop art, com um enorme mural, de 12 metros, assinado por Enivo, um dos grafiteiros mais atuantes da cidade. Haverá, ainda, exposições temporárias de artistas de todo o país, sob curadoria da chef e proprietária Madu Melo. Os objetos expostos estarão à venda nesse período, dando um toque de galeria de arte ao restaurante, que celebra a raiz de maior uso no país, a mandioca. Unanimidade do boteco pé-sujo à alta gastronomia.

Mandioca Cozinha – Rua Doutor Cesário Mota Junior, 187 – Vila Buarque – São Paulo (próximo ao metrô Santa Cecília)

 

Cantareira Norte Shopping promove feira de adoção de cães e gatos

Sucesso no Cantareira Norte Shopping, a feira de adoção pet já está com a próxima data marcada, dia 18 de agosto. O evento, que sempre reúne diversos visitantes e proporciona novas famílias aos cães e gatos, acontece no estacionamento do shopping, próximo à saída da loja Renner, das 10 às 13 horas.

Ao todo, estima-se que já foram adotados mais de 70 pets durante as ações do Cantareira Norte Shopping em 2018. “E ficamos muito felizes por colaborar para que esses animaizinhos tenham um novo lar, recebam carinho e cuidados necessários”, comenta Elizabete Henriques, gerente de marketing do empreendimento.

gato

Os pets são levados para o shopping pela ONG OXY Proteção Animal, que atua na região de Caieiras em prol de animais que sofreram maus tratos ou foram abandonados. E são entregues às suas novas famílias já vacinados, castrados e vermifugados.

Para a adoção é necessário apresentar o RG, preencher uma ficha cadastral da ONG, além de contribuir com a taxa de R$ 50,00 para que a instituição continue dando abrigo aos animais desamparados nas ruas.

Durante o evento, também são arrecadadas doações de ração ou de itens que possam ajudar a instituição nos cuidados com os cães e gatos que abriga.

cachorro e gatos amizade

Feira de adoção de cães e gatos
Data: sábado, dia 18 de agosto de 2018
Horário: das 10h às 13h
Local: estacionamento do Cantareira Norte Shopping
Endereço: Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, 11.001, Jardim Pirituba
Tem acesso a portadores de necessidades especiais

Anda promove conferência sobre direitos dos animais

A Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda), em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, irá promover a Conferência Presente e Futuro do Direito dos Animais. O evento, que faz parte das comemorações dos dez anos da Anda, contará com grandes nomes da área jurídica e será realizado nos dias 23 e 24 de agosto.

A data não foi aleatoriamente escolhida. A decisão de iniciar a conferência no dia 23 se deve ao fato de que nesta data é celebrado o Dia de Luta Contra a Injustiça, luta essa que deve ser também direcionada aos animais, que são diariamente injustiçados devido à crueldade e a exploração as quais são submetidos pelos humanos.

A conferência tem como objetivo fazer uma análise, por meio de debates, do histórico do direito animal e propor diretrizes e políticas públicas para o futuro. Serão realizadas palestras ministradas por membros do Ministério Público Federal e do Ministério Público do Estado de São Paulo, além de professores – dentre eles, a Marita Gimenez-Candela, docente responsável pela introdução do curso de Direito Animal, em 2006, na Universidade Autónoma de Barcelona, na Espanha, e membro fundador do Grupo Europeu de Estudos de Direito Animal (Egals). Após cada exposição dos palestrantes, haverá espaço para que o público presente faça perguntas.

cruelty-free-grey820

Dentre os palestrantes, está também o Procurador Regional da República de São Paulo Sérgio Monteiro Medeiros. Recentemente, Medeiros deu um parecer jurídico contrário à exportação de animais vivos (confira na íntegra clicando aqui). Medeiros afirma que a exportação de animais vivos viola a Constituição, a Lei n° 9.605/98 e Declaração Universal do Direitos dos Animais, da qual o Brasil é país signatário. “É um ato de crueldade e, portanto, deve ser proibida. Não é possível que condutas envolvendo indignidade e sofrimento de animais não humanos venham a ser justificadas, toleradas, ou até judicialmente suportadas, por razões de ordem estritamente comercial. O Brasil não merece ser apontado como inimigo da dignidade animal”, diz.

Além de Medeiros, professores doutores na área jurídica, promotores e grandes nomes da advocacia ambiental e do direito animal também irão palestrar durante a conferência, que contará ainda com o lançamento de livros. Ao final do dia 23, será lançado o livro “Abolicionismo Animal: Habeas Corpus for Great Apes”, do Pós-Doutor em Direito Heron Santana. Já no dia 24, o livro a ser lançado será o “Direito Animal e Ciências Criminais”, de diversos autores, dentre eles a advogada da Anda, Letícia Filpi, que é vice-presidente da Associação Brasileira das Advogadas e Advogados Animalistas e membro do Grupo de Estudos em Direito Animalista (Geda/USP).

A participação da Secretaria de Cultura na realização do evento se deve, segundo o secretário de Cultura, Romildo Campello, ao fato de que os temas relacionados aos direitos dos animais pertencem ao território cultural. “A cultura é elemento de ligação de pessoas, de objetivos comuns. É uma ferramenta poderosa e única em sua capacidade de sensibilizar, de mudar comportamentos e de ampliar visões de mundo. Por isso, a mudança de valores sobre a causa animal, passa e soma-se à cultura”, disse.

A fundadora da Anda, Silvana Andrade, explica que a decisão de promover a conferência tem relação com o fato da Anda ter ampliado a atuação na área jurídica com processos que são importantes para o avanço e o reconhecimento dos direitos animais. “Decidimos fazer o evento neste momento em que ações judiciais da ANDA são temas nacionais, como é o caso da exportação de animais vivos”, afirma Silvana, que diz ainda que o Brasil tem avançado e “vai avançar ainda mais em relação a essa questão do mundo judiciário”.

natureza globo vida silvestre animais

Aberta ao público e com entrada franca, a conferência será realizada na sede da secretaria, na Rua Mauá, 51, no Centro de São Paulo. Os interessados em participar devem se inscrever pelo e-mail: comcultura@sp.gov.br

Programação
23/8

Manhã
8h30 – Welcome coffee
9h00 – Apresentação do evento pelo Secretário de Cultura do Estado de SP, Romildo Campello e pela fundadora e presidente da Anda, Silvana Andrade
9h10 – Posição do MPF sobre exportação de animais vivos – Procurador Regional da República Sergio Monteiro Medeiros
09h50 – perguntas
10h00 – Sacrifício ou sacralização? Debate sobre cultura e crueldade animal – Prof. Dr. Tagore Trajano de Almeida Silva
10h40 – perguntas
10h50 – A proteção constitucional aos animais no Brasil – Prof. Dr. Werner Grau Neto
11h30 – perguntas
11h40 – O avanço da legislação em defesa dos animais ao longo da história – Prof. Dr. Daniel Braga Lourenço
12h20 – perguntas
12h30– intervalo para almoço

Tarde
13h30 – O embarque de animais vivos sob a ótica abolicionista – Dra. Leticia Filpi – Advogada da Anda
14h10 – perguntas
14h20 – Transporte de animais vivos, um crime contra a humanidade – Juíza Dra. Rosana Navega – TJRJ
15h00 – perguntas
15h10 – Direitos dos Animais como meio viabilizador dos Direitos Humanos – Dr. Francisco José Garcia Figueiredo – Presidente da Comissão de Direito Animal da OAB-PB
15h50 – perguntas
16h00 – Vedação da crueldade nos julgados do STF – PhD Fernanda Luiza Fontoura de Medeiros
16h40 – perguntas
16h50 – intervalo
17h00 – Direito Animal e Controle de Constitucionalidade – Prof. Doutor Heron Gordilho Santana
17h40 – perguntas
17h50 – O efeito backlash da Emenda Constitucional 96/2017 e a inconstitucionalidade do parágrafo 7º do artigo 225 da CF – Juíza Ana Conceição Barbuda Sanches Guimarães Ferreira
18h30 – perguntas
18h40 – encerramento do dia
19h00 – Lançamento do livro de Heron Santana – Abolicionismo Animal: Habeas Corpus for Great Apes

24/08

MANHÃ
08h30 – Welcome coffee
9h00 – A perícia como instrumento de justiça animal – Alberto Soiti Yoshida – FMVZ – USP
09h40 – perguntas
9h50 – Perícia em casos de maus-tratos aos animais – Dr. Sérvio Tulio Reis – Polícia Federal
10h30 – perguntas
10h40 – A defesa legal do direito à maternidade no berçário da Baleia Franca Austral no Brasil – Dra. Renata Fortes, advogada animalista
11h20 – perguntas
11h 30 – Bases Dogmáticas para a Construção do Direito Animal no Brasil – Prof. Dr. Vicente de Paula Ataíde Junior
12h10 – perguntas
12h20 – intervalo para almoço

TARDE
14h00 – Atuação do MP em defesa dos animais – Promotor de Justiça Laerte Levai – MPSP
14h40 – perguntas
14h50 – A necessária especialização na defesa da fauna: a experiência exitosa do Ministério Público de Minas Gerais – Promotora de Justiça Dra. Luciana Imaculada de Paula – MPMG
15h30 – perguntas
15h40 – A personalidade jurídica dos Grandes Primatas – Prof. Dr. Alfredo Migliore
16h20 – perguntas
16h30 – Habeas corpus para além dos Humanos – Juiz de Direito de SP Sandro Cavalcanti Rollo
17h10 – perguntas
17h20 – Decisões paradigmáticas no Judiciário – MPSP – Juíza de Direito Patrícia Álvares
18h00 – perguntas
18h10 – A proteção dos animais silvestres: ameaça da caça e do tráfico – Promotora de Justiça Vania Tuglio – MPSP
18h50 – perguntas
19h00 – Encerramento
19h15 – Lançamento do livro de Leticia Filpi e outros autores – Direito Animal e Ciências Criminais

17-logo-ANDA.jpg

Participantes

Alfredo Domingues Barbosa Migliore
Doutor e Mestre em Direito Civil pela Universidade de São Paulo. Pós-graduado em Direito Empresarial pela FGV. Professor da FGV Direito. Membro da Comissão de Bioética, Biotecnologia e Biodireito da OAB de São Paulo (2009-2011) e da Comissão de Direito à Vida e Biodireito (2011). Professor em diversos cursos de pós-graduação. Assistente de graduação da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo de 2003 a 2010. Professor Doutor em Direito Civil e Biodireito da FMU.

Werner Grau Neto
Doutor em Direito Tributário Ambiental (USP) e Mestre em Direito Internacional Ambiental (USP). Pós-graduado em Direito Ambiental pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. É professor convidado das seguintes instituições: FGV Direito, Escola Superior do Ministério Público, Escola Superior da Procuradoria do Estado de São Paulo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC) e do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper). Foi presidente e vice-presidente do Conselho Consultivo da The Nature Conservancy no Brasil. É membro do Conselho Consultivo da FIESP, membro da Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade e membro da Subcomissão de Mudança do Clima da OAB-SP. Coordena o Grupo de Trabalho de Defesa Animal e Saúde Pública do Instituto para o Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam). Autor de A Proteção Constitucional aos Animais no Brasil, entre outras obras e artigos publicados.

Fernanda Luiza Fontoura de Medeiros
Doutora e Pós-doutora em Direito pela UFSC. Estágio de Doutoramento na Faculdade de Direito de Coimbra (Portugal). Mestre em Direito pela PUCRS. Profª Adjunta da Faculdade de Direito da PUC-RS. Profª Permanente do Mestrado em Direito e Sociedade da Unilasalle. Presidente do Instituto Piracema – Direitos Fundamentais, Ambiente e Biotecnologias. Autora da obra Vedação de Crueldade nos Julgamentos do STF.

Daniel Braga Lourenço
Doutor em Direito pela Universidade Estácio de Sá (Unesa). Mestre em Direito pela Universidade Gama Filho (UGF). Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Direito da Faculdade de Guanambi (UniFG). Professor de Biomedicina e de Direito Ambiental da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e de Direito Ambiental da Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec). Professor convidado da FGV-Law Program (FGV) e da Pós-Graduação em Direito Ambiental Brasileiro da PUC-RJ Coordenador do Laboratório de Ética Ambiental/UFRJ-UFF e da Pós-Graduação em Direitos dos Animais das Faculdades Integradas Helio Alonso – Facha. Autor da obra Direitos dos Animais: Fundamentação e Novas Perspectivas. Possui diversos artigos publicados relacionados ao Direito Ambiental, à Ética Ambiental, Bioética e Direito dos Animais.

Sérvio Túlio Jacinto Reis
Doutor em Medicina Veterinária Legal pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Mestre em Perícias Criminais Ambientais pela Universidade Federal de Santa Catarina. Possui Especialização em Medicina Veterinária Legal. Graduado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Viçosa. Atualmente é Perito Criminal Federal (Polícia Federal). Tem experiência em Criminalística, notadamente na área de perícias de crimes ambientais contra a fauna. Fundador e Presidente da Associação Brasileira de Medicina Veterinária Legal. Fundador e Diretor da Associação Ibero-americana de Medicina e Ciências Veterinárias Forenses.

Laerte Fernando Levai
Promotor de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente – Gaema / Núcleo Paraíba do Sul. É especialista em Bioética e Mestre em Direito. Foi vice-presidente do Instituto Abolicionista Animal (IAA) e pesquisador do Laboratório de Estudos sobre a Intolerância (LEI/USP). Integra o Diversitas – Núcleo de Estudos das Diversidades, das Intolerâncias e dos Conflitos, ligado à FFLCH/USP. Membro do conselho editorial do periódico especializado Revista Brasileira de Direito Animal e da Editora Evolução, também integra o conselho deliberativo da revista eletrônica Pensata Animal. É articulista da Agência de Notícias sobre Direitos Animais (Anda). Autor do livro Direito dos Animais e dos capítulos referentes à fauna do Manual Prático da Promotoria de Justiça do Meio Ambiente (Imprensa Oficial, 2005).

Sérgio Monteiro Medeiros
Mestre em Direito pela Universidade Federal da Paraíba e graduado em Direito pela Universidade Federal do Amazonas. Atualmente é Procurador Regional da República, membro do MPF, lotado na Procuradoria Regional da República da 3ª Região. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Público, atuando principalmente em Direito Tributário e na defesa de direitos difusos e coletivos.

Heron Gordilho
Pós-Doutor pela Pace University Law School, New York, onde é professor visitante e integra a diretoria do Brazilian-American Institute for Law and Environment (Baile). Doutor em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestre em Direito pela UFBA. Mestre em Ciências Sociais pela UFBA. Consultor Ad Hoc da Capes – Interdisciplinar e Direito. Professor Associado II das Faculdades de Direito da Universidade Federal da Bahia. Professor da Universidade Católica do Salvador. Coordenador do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Direito da UFBA. Coordenador do Núcleo de Pesquisa em Direitos dos Animais, Meio Ambiente e Pós-Modernidade (Nipeda), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Direito da UFBA. Consultor Jurídico da International Union for the Conservation of Nature and Natural Resouces (IUCN). Membro fundador da Academia Latino Americana de Direito Ambiental (Alada). Fundador e ex-presidente do Instituto Abolicionista pelos Animais (IAA). Fundador, editor e coordenador da Revista Brasileira de Direito Animal. Presidente da Asociación Latinoamericana de Derecho Animal (ALDA). Membro do Conselho de Pesquisa e Extensão da UFBA. Membro da World Academy of Art & Science. Autor de diversos artigos jurídicos publicados em periódicos do Brasil e do exterior. Autor dos livros Responsabilidade Civil por Dano Moral ao Consumidor (DEL REY), Abolicionismo Animal (EVOLUÇÃO) e Direito Ambiental Pós-Moderno (JURUÁ), Animal Abolitionism: Habeas Corpus for Great Apes (EDUFBA). Professor convidado em diversas universidades estrangeiras: Pace University Law School (New York/EUA), Fordham University (New York/EUA), Williams College (Massachusetts/EUA), Universidad Autonoma de Barcelona (Barcelona/Espanha) e Faculté Aix-Marseille (Marseille/França), Faculté François Rebelais (Tours/França), Universidad Nacional de Corrientes (Correintes/ARG), Universidad Nacional de Cuyo (Mendoza/ARG). Membro do Ministério Público do Estado da Bahia, onde atua como Promotor de Justiça do Meio Ambiente na cidade do Salvador.

Rosana Navega Chaga
Pós-graduada em Direito Civil pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Juíza de Direito do Tribunal de Justiça do Estado do RJ. Titular do primeiro Jecrim (Juizado Especial Criminal) de Niterói/RJ. Ex-Defensora Pública do Estado do RJ. Parecerista voluntária da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB/RJ. Palestrante sobre temas do Direito Ambiental.

Luciana Imaculada de Paula
Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Especialista em Direito, Impacto e Recuperação Ambiental pela Fundação Gorceix (UFOP). Promotora de Justiça do Estado de Minas Gerais e Coordenadora Estadual de Defesa da Fauna do Ministério Público do Estado de Minas Gerais.

Francisco José Garcia Figueiredo
Mestre em Direito (UFPB). Presidente da Comissão de Direito Animal da OAB-PB. Coordenador do Núcleo de Extensão em Justiça Animal da UFPB. Mentor intelectual do Código de Direito e Bem-Estar Animal da Paraíba; Professor da disciplina Direito Animal da UFPB; Presidente da Comissão de Direito e Bem-Estar Animal da UFPB.

Vania Tuglio
Desde 2012, por designação do Excelentíssimo Senhor Procurador Geral da Justiça, atua no Gecap – Grupo Especial de Combate ao Parcelamento Irregular do Solo Urbano. Mestre em Direito Animal pela Universidade Autônoma de Barcelona. Diretora Acadêmica Sudeste da Escola Superior da Abrampa – Associação Brasileira do Ministério Público do Meio Ambiente. Por quatro anos atuou no Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente e Urbanismo e no Centro de Apoio Operacional das Promotorias Criminais e Execuções Penais. Coordenadora do SUD-WEN, grupo que congrega membros do Ministério Público de todos os países da América do Sul, visando implementar os termos da Cites e, portanto, combater o crime de tráfico de espécies silvestres. Articulista da Anda – Agência de Notícias de Direitos Animais. Co-autora dos livros: Direito Ambiental no STJ – Editora Del Rey – 2010; Crimes Ambientais – Comentários à Lei 9.605/98 – Editora Livraria do Advogado – 2013; Manual de Atuação Criminal Especializada – Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público do Estado de São Paulo – 2014; Somos todos animais – Editora Nova Alexandria – 2014.

Ana Conceição Guimarães Ferreira
Doutora em Direito Público pela Universidade Federal da Bahia. Mestra em Novos Direitos pela Universidade Federal da Bahia. Mestra em Família na Sociedade Contemporânea pela Universidade Católica do Salvador. Pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil da Faculdade Baiana de Direito. Pós-graduada em Relações Familiares e Contextos Sociais pela UCSAL. Pós-graduanda em Direito Canônico pala UCSal. Pós-graduada em Atividade Judicante pela EMAB/UFBA. Graduação em Direito pela Universidade Católica do Salvador em 1985. Graduação em Teologia pela Universidade Católica do Salvador, em 2010. Exerce desde o ano de 1990 o cargo de magistrada na Bahia. Desenvolve Atividade de Docência na Escola Nacional de Magistrados (Enfam) como Formadora e na Escola de Magistrados da Bahia (Emab) e Unicorp. Foi Juíza Auxiliar da Corregedoria Geral de Justiça do Estado da Bahia, responsável pelos Serviços Extrajudiciais e Juíza Assessora da vice-presidência do TJBA, responsável pela sessão de Recursos. Atualmente, exerce função judicante na 6ª Turma Recursal da Fazenda Pública em Salvador.

Sandro Cavalcanti Rollo
Juiz de Direito no Estado de São Paulo. Ex-promotor de Justiça do Estado do Tocantins. Ex-promotor de Justiça do Estado do Paraná. Mestre em processo penal pela PUC-SP. Conselheiro da Associação Juízes para a Democracia. Professor assistente da Escola Paulista da Magistratura. Coautor das seguintes obras: O projeto do novo Código de Processo Penal (2012); Magistratura Estadual. Questões Comentadas. Estratégias de Estudo (2013); Direitos Fundamentais das Pessoas em Situação de Rua (2014) (vencedor do prêmio Jabuti 2015); Temas Contemporâneos de Direito de Família (2015).

Vicente de Paula Ataíde Junior
Professor Adjunto do Departamento de Direito Civil e Processual Civil da UFPR. Professor da disciplina de Tutela Jurisdicional dos Animais da UFPR. Professor de Direito Animal da Faculdade de Pinhais-PR (FAPI). Doutor e Mestre em Direito pela UFPR. Membro da Comissão de Direito Socioambiental da Ajufe. Juiz Federal em Curitiba.

Tagore Trajano
Pós-doutor em Direito pela Pace Law School, New York/USA. Doutor e Mestre em Direito Público pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) com estágio sanduíche como Visiting Scholar na Michigan State University (MSU/USA). Professor Efetivo Adjunto “A” da Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia. Professor Pleno I do Programa de Pós-graduação em Direito da Universidade Tiradentes (Unit/SE). Professor do Programa de Pós-graduação da Universidade Católica de Salvador (UCSal/BA). Pesquisador Visitante da University ofScience and Technology of China (USTC/China). Professor Visitante da Pace Law School, Williams College e Lewis & Clark Law School. Ex-Presidente do Instituto Abolicionista pelos Animais. Professor da Pós-graduação lato sensu em Direito Ambiental da Universidade Federal da Bahia – Fundação Faculdade de Direito. Professor do II Posgrado Internacional sobre “Derechos de los Animales y Sociedad Ética del Siglo XXI – Facultad de Derecho – UNNE – Corrientes – Argentina. Membro do Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão em Direitos dos Animais, Meio Ambiente e Pós-humanismo – Nipeda. Coordenador Regional do Brazil-American Institute for Law and Environment – Baile. Editor acadêmico do site do Mestrado em Direito e Sociedade da Universidade Autônoma de Barcelona/Espanha. Realiza projetos nas áreas de Direito Público, com ênfase em Direito Ambiental e Direito Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: pós-humanismo, novas metodologias de ensino jurídico, direito comparado, bioética e sistema jurídico norte-americano. Coeditor da Revista Brasileira de Direito Animal (Salvador/BA – ISSN 1809909-2). Atualmente é Professor e Pesquisador visitante de Universidades estrangeiras, onde exerce coordenação de projetos acadêmicos. Ex-assessor da Procuradoria Cível e em projetos em Promotorias Ambientais no Ministério Público da Bahia (MPE/BA). Membro-fundador da Asociación Latinoamericana de Derecho Ambiental. Membro da Comissão de Meio Ambiente da Ordem dos Advogados do Brasil/Bahia. Advogado.

Alberto Soiti Yoshida
Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Viçosa (1992) e graduação em Direito pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (2002). Mestrado em Patologia Experimental e Comparada pela Universidade de São Paulo (2013) e mestrado em Direito pela Universidade Metropolitana de Santos (2014). Atualmente é perito criminal do Instituto de Criminalística, atuando principalmente nos seguintes temas: Direito, Criminalística, Medicina Veterinária Legal, Animais e Medicina Legal. Professor contratado para a disciplina de Medicina Legal e doutorando em Medicina Veterinária na Universidade de São Paulo.

Renata Fortes
Formada em direito pela PUC/RS, mestre em direito público pela Unisinos. Atua desde 2004 na defesa jurídica de ecossistemas ameaçados e como advogada animalista representando ONGs como o Movimento Gaúcho de Defesa Animal, Associação Torrense de Proteção aos Animais, Sea Shepherd Brasil, entre outras. É coordenadora geral da ONG União pela Vida e diretora jurídica da Acapra – Associação Catarinense de Proteção aos Animais. Palestrante em encontros nacionais e internacionais sobre o tema direitos animais.

Campanha de vacinação contra raiva começa segunda-feira (20) em São Paulo

Obrigatória para cães e gatos, vacinação é a forma mais eficaz de prevenir a doença; serão mais de 1.900 postos na cidade

A Campanha de Vacinação contra a Raiva para Cães e Gatos no município de São Paulo terá início na próxima segunda-feira (20) e se estenderá até o dia 2 de setembro. Serão mais de 1.900 postos de atendimento distribuídos pela cidade – entre fixos e volantes –, que funcionarão entre 10 e 16 horas, para vacinar os animais de estimação da população. Vale reforçar que a imunização anual é a mais eficaz e importante medida de prevenção e controle da doença.

O serviço, ofertado pela Divisão de Vigilância de Zoonoses (DVZ), da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa), órgão da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, é gratuito e obrigatório para cães e gatos, conforme a lei municipal 13.131/01. O proprietário do animal deve se atentar quanto ao transporte correto: no caso, cães na coleira e guia e gatos em caixas de transporte apropriadas (ou similar), para evitar fugas e/ou acidentes.

Todos os animais com mais de três meses devem ser vacinados, exceto os doentes (diarreia, secreção ocular ou nasal, falta de apetite, convalescentes de cirurgias ou outras enfermidades). Para cadelas prenhes, apesar de não haver contraindicação, a orientação é de que o tutor busque pela vacina fora da campanha, devido ao risco no transporte e no manejo. Bichos no cio também podem causar transtornos nos postos volantes; por isso, é indicado que se procure por um dos postos fixos de vacinação.

Sobre a doença

A raiva é uma doença transmissível, caracterizada pelo contágio direto; ou seja, pela mordida, arranhões ou lambedura de cães, gatos ou outros mamíferos, como, por exemplo, morcegos infectados.

O proprietário deverá identificar, no comprovante de vacinação, os dados do animal, como o nome e nº do Registro Geral Animal (RGA). É importante destacar que somente adultos com condições de conter os animais devem conduzi-los ao local de vacinação, para evitar possíveis transtornos.

A relação completa de postos, com local e data da vacinação, pode ser obtida clicando aqui ou pelo telefone 156.

Folhetos Postos permanentes Raiva_ALTERADO-2

Campanha de Vacinação contra a Raiva para Cães e Gatos
Data: de 20 de agosto a 2 de setembro de 2018
Horário de funcionamento dos postos: das 10h às 16h
Informações: Prefeitura/Covisa ou pelo telefone 156