Arquivo da categoria: veterinário

Supercuidados indispensáveis para ter com o seu pet no verão

A época do ano mais esperada pelos seres humanos nem sempre é tão bem-vinda para os animais, especialmente os cães. No verão as altas temperaturas incomodam os peludos e é sua responsabilidade amenizar a vida dos pets.

Quando o pet está com calor, ele dá alguns sinais. Boca aberta o tempo todo, respiração ofegante, dificuldade para caminhar são comuns nessa época e algumas raças mais sensíveis podem apresentar vômitos, insolação e até mesmo câncer de pele.

Para evitar esses sintomas nos seus animais de estimação, é preciso adotar alguns cuidados:

Deixe água fresca sempre

cachorro bebendo agua

A água é a melhor forma de ajudar o seu pet nesse verão. Ela deve estar sempre à disposição do animal, portanto, se preciso, use um recipiente maior ou coloque mais de um pela casa para que ele possa se manter hidratado. Além disso, mantenha a água fresca, trocando-a com frequência.

Faça passeio em horários alternativos

A02JAA Man walking dog

As altas temperaturas podem desanimar você de sair ao ar livre, porém, é essencial persistir e continuar com a rotina de exercícios para que o pet possa liberar seus instintos naturais. Para aliviar, os passeios devem ocorrer pela manhã, antes das 10h, ou no final do dia, após 17h. Nos horários de pico de sol, o cão pode sofrer com desidratação, insolação e suas patinhas podem se queimar.

Use sapatinhos

pose-de-cao-sapatos-pretos
Foto: Raças.Org

Nos passeios, as almofadinhas das patas caninas são as que mais sofrem com os pisos quentes. O uso de sapatos para cães auxilia a preservar essa sensível parte do corpo dos cães e, ainda, vão evitar que o pet leve a sujeira da rua para dentro de casa. Importante: os sapatinhos devem ser usados apenas durante os passeios!

Dê banho frio

cachorro-banho-star-grooming

A rotina de banhos dos cães também deve ser mantida. Não é preciso aumentar a frequência durante o verão, mas a recomendação é de utilizar água morna ou fria para esse momento. Se o seu pet vai a pet shop para tomar banho, confirme qual é a temperatura da água utilizada e, se necessário, solicite o uso de água mais fria.

Fazer a tosa

cachorro-tosa-spanishwaterdog-org
Foto: swdclub.org

Além de ajudar na manutenção da higiene canina e de deixar o pet mais bonito, tosar o animal auxilia a aliviar o calor que ele sente, especialmente os cães que têm pelos longos e pesados e aqueles originários de locais frios. No entanto, o animal jamais deve ficar completamente descoberto. Nem todos os cães devem ser tosados. Os de pelo curto realizam a troca de pelos para se adaptar às temperaturas do verão enquanto que o Husky desenvolve uma condição que retarda o crescimento dos pelos posteriormente.

Faça petiscos gelados

cachorro frutas warren photographic
Foto: Warren Photographic

Os petiscos são ideias para distrair e gastar energia dos cães. Para variar o cardápio e refrescar o seu pet, coloque um pouco de ração úmida ou frutas como maçã e melancia dentro do brinquedo e leve ao congelador. O seu pet vai se deliciar como se fosse um sorvete.

Providencie um local à sombra

cachorro vinicola

O cão deve ficar preferencialmente em um local que tenha proteção contra o sol e as chuvas de verão, com acesso a um espaço aberto para que possa circular quando quiser. Se o seu pet fica no quintal ou no jardim, adapte o lugar para recebê-lo durante o verão. Dentro de casa, ele encontrará proteção.

Deixe-o sobre o piso frio

cao idoso cachorro

Ao encostar a barriga sobre o chão fresco, o animal se refresca. Portanto, libere o acesso do seu cão a locais onde os pisos são de porcelanato, cerâmica ou cimento queimado, por exemplo. No asfalto, em pedras quentes ou pisos expostos ao sol, o cão acaba sentindo mais calor e pode sofrer queimaduras.

Ventile a casinha

casinha cachorro goodshomedesign.jpg
Foto: GoodsHomeDesign

O local onde seu pet se abriga também deve estar protegido contra os efeitos da natureza. Se necessário, mova a caminha ou a casinha para um lugar à sombra e longe da chuva. Se a casinha não for arejada, faça adaptações para refrescar o pet.

Nem todo cão sabe nadar

cachorro piscina

Nos dias quentes, os seres humanos mal podem esperar para mergulhar nas águas de uma piscina ou do mar. Os cães, por outro lado, podem não gostar nada dessa experiência! Se o seu pet não estiver acostumado com o contato com a água ou se ele detesta tomar banho, as chances de ele não saber nadar e sair d’água são grandes. Os animais de focinho achatado ou de pelos abundantes, particularmente, têm mais dificuldade dentro d’água. Algumas raças são nadadoras por natureza, como os Labradores e os Golden Retrievers, e não perderão a oportunidade de cair na água. Mesmo assim, é importante que o acesso a piscina, lago e mar seja feito apenas sob a sua supervisão.

Improvise uma piscina

cachorros piscina north bay water services
Foto: North Bay Water Services

Se o animal não tem nenhum trauma à água e esse recurso não está em falta na sua região, providencie uma piscina para ele. Uma bacia de água já é o suficiente para os animais pequenos. Para os maiores, use um tanque de areia que as crianças brincam para colocar um pouco d’água.

Proteção contra parasitas

cachorro remedio the spruce
Foto: The Spruce

A incidência de pulgas e carrapatos, que podem transmitir doenças aos pets, aumenta nessa estação do ano. Portanto, é essencial que o seu cão esteja com os medicamentos ou métodos de profilaxia em dia. Além disso, evite levá-lo em locais onde esteja ocorrendo um surto de parasitas, como margens de lagos e parques.

Castre o animal

cachorro veterinário consulta pixabay
Pixabay

A castração é essencial para o controle populacional dos animais e, se o seu pet ainda não é castrado, leve-o a uma clínica veterinária e aproveite as férias verão para fazer isso. Ele precisará de repouso, cuidados e muito carinho durante a recuperação.

Fonte: Clínica Veterinária Vet Quality

 

Anúncios

Mais dicas para proteger os pets do estresse da queima de fogos

Uma das preocupações nesta época do ano para quem tem pet na família é o que fazer na hora dos fogos na passagem do ano. Com maior sensibilidade auditiva, cães e gatos sofrem com medo, desconforto e estresse provocado pelo barulho, além do risco de se machucarem, ao buscar esconderijo ou tentar escapar. Para proteger os bichinhos de estimação, a veterinária da Petz Camila Lozano da Silva dá as seguintes dicas:

gato e cachorro amigos

1 – Cães e gatos costumam se esconder nesses momentos de medo, por isso é importante deixá-los livres, não prender na coleira (em alguns casos eles podem ficar rodando em círculos e até se enforcar) e manter em espaço livre para que não se machuquem (por exemplo: áreas pequenas, portões, lanças).

hills cachorro

2 – Alguns bichinhos toleram bem o colo do dono, pois se sentem mais seguros, outros preferem buscar áreas que possam se esconder, como embaixo de móveis. Deixe o seu pet se ajeitar da melhor maneira para ele, não force situações desconfortáveis.

gato assustado escondido pinterest

3 Uma das formas de evitar transtorno é manter o pet quieto em um local fechado e silencioso, o que pode ajudá-lo a se sentir mais protegido (por exemplo: um quarto).

algodão cachorro cesar's way
Foto: Cesar’sWay

4 – Alguns pets toleram bem a colocação de algodões nos ouvidos para abafamento dos sons. Mas vale lembrar que o algodão deve colocado com cuidado e retirado imediatamente após o término dos ruídos.

cachorro com brinquedo

5 – O ideal é agir de forma natural, brincar com o pet, entretê-lo com seu brinquedo favorito, fazer festa, como se nada estivesse acontecendo.

gato com medo

6 – No caso dos gatos, é comum que sumam da vista dos donos. Se a casa ou o apartamento forem seguros, com redes nas janelas e portões fechados, deixe o bichano por lá, evite ficar chamando para não estressá-lo mais.

cat sitter

7 – Também não é recomendado deixá-los sozinhos nesta época. Em caso de viagens, é aconselhável deixá-los com parentes, vizinhos ou em hotéis especializados.

veterinario remédio cachorro andresantanams pixabay
Ilustração: AndreSantanaMS/Pixabay

 8 – Evite a automedicação, sem orientação do veterinário, pois há risco à saúde dos bichinhos.

Cuidados com o coração do pet cachorro

9 Cães e gatos que já tenham histórico de doença cardíaca devem ter cuidados especiais nessas situações. É importante que o dono converse com o veterinário.

gato no veterinario pixabay
Pixabay

10 – Caso o animal apresente qualquer tipo de alteração ou acabe se machucando de alguma forma, ele deve ser levado imediatamente a um veterinário, para ser avaliado e ter certeza que nenhuma lesão mais grave aconteceu com ele.

 

Medo pode ser minimizado com o uso de difusor de ambiente

Dezembro está terminando e, com isso, surgem as comemorações de Ano Novo. Porém, o momento de confraternização pode gerar uma série de transtornos para os pets por conta dos fogos de artifício, típicos da época.

A fobia é muito comum para os cães, que se assustam com o barulho alto e repentino do artefato. A audição sensível dos animais é uma das razões para o transtorno, pois os cães são capazes de detectar o som a uma distância quatro vezes maior do que os humanos e em apenas 6 centésimos de segundo. Além disso, eles ouvem sons em uma frequência diferente.

O medo pode ser minimizado com alguns cuidados, como criar um ambiente onde o cão se sinta à vontade e seguro. Para auxiliar os animais a lidarem com o problema, os tutores também podem apostar no Adaptil Difusor no ambiente, um análogo sintético do odor materno canino, que auxilia na adaptação dos cães em situações adversas proporcionando a sensação de segurança, conforto e bem-estar no ambiente.

Durante a amamentação, as cadelas produzem um odor específico que transmite conforto e segurança aos cães. “Com tecnologia patenteada, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o Adaptil, réplica sintética desse odor. O uso do produto no ambiente irá auxiliar os cães a se acalmarem e se sentirem mais seguros durante a queima de fogos e em outras situações desafiadoras, explica a Médica- veterinária a Gerente de Produtos da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec.

adaptil_difusor_48_ml_410_1_20170224144927.png

O difusor deve ser colocado no ambiente onde o cão ficará durante a queima de fogos. “O uso de Adaptil somado ao apoio do tutor ao pet e adaptações no ambiente durante o período irá auxiliar no bem-estar e conforto do cão frente a essa situação desafiadora. São ações simples que tornarão as festas de fim de ano muito mais agradáveis para pet e para toda família”, finaliza Priscila.

 

Festas: os perigos da intoxicação alimentar e dos fogos para os pets

O fim de ano se aproxima e junto com ele a expectativa dos detalhes das festas e confraternizações. Os preparativos são muitos e entre eles deve estar também a preocupação e os cuidados com os pets. Nesta época do ano, aumenta o número de casos de intoxicação alimentar em animais domésticos.

Muita gente pensa que vai agradar o pet dando a ele a comida do próprio prato, mas aquele ‘pedacinho’ da ceia pode ter graves consequências. Isso sem contar que, além do que está na mesa, a decoração natalina também pode representar um risco.

O médico-veterinário Rodrigo Soares Mainardi, presidente da Comissão de Clínicos de Pequenos Animais e conselheiro do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), explica que os pratos festivos, como peru, tender e pernil, por exemplo, são muito condimentados e podem ser irritantes e até tóxicos para os animais.

leftovers-dog cachorro comida

“Como a maioria dos pets é acostumada com ração, e possui uma flora gastrointestinal preparada para uma dieta de composição balanceada, uma mudança repentina na alimentação, com excesso de proteína e gordura, já é o suficiente para causar vômitos e diarreias severas”, afirma Mainardi.

Apesar de parecerem inofensivos, os tradicionais panetones, bolos, e frutas secas são perigosos para os animais de estimação. “Alimentos simples como uvas e passas predispõem o surgimento de insuficiência renal grave nos cães. Chocolate também é contraindicado devido sua alta capacidade de intoxicar os animais. A resistência individual de cada pet é que vai dizer o grau de severidade do problema, porém os animais mais sensíveis podem evoluir ao óbito”, explica o médico-veterinário.

Como evitar e identificar problemas

Para a Noite Feliz não virar um pesadelo para o seu pet, é preciso ter cuidado redobrado com os alimentos disponíveis nas mesas. Oriente seus convidados a não compartilharem os alimentos da ceia com cachorros e gatos. Caso você queira caprichar na refeição do seu pet nos dias de festa, opte por biscoitos ou snacks desenvolvidos especialmente para animais.

Outra opção é preparar um cardápio próprio para seu pet com o auxílio de seu médico- veterinário de confiança. “Muitos animais passam o réveillon internados por abusos e descuidos no Natal. A prevenção é sempre a melhor opção”, afirma Mainardi.
Se mesmo seguindo todas as dicas seu pet ingerir algum alimento inadequado, fique atento aos sintomas mais comuns de intoxicação alimentar: vômito, apatia, diarréia, dor abdominal e convulsões. Não medique sem a orientação de um profissional e procure um médico-veterinário imediatamente para iniciar o tratamento.

Fogos de artifício

Uma das coisas mais divertidas no Réveillon é celebrar a passagem em meio às tradicionais queimas de fogos. Porém, enquanto adultos e crianças se encantam, os bichos de estimação sofrem com o barulho dos fogos de artifício. Cães e gatos possuem audição mais aguçada e reagem mal devido ao som parecer ensurdecedor para eles.

Falta de ar, atordoamento, náuseas, convulsões, tentativas de fuga e, até mesmo, ataque violentos às pessoas podem ser sinais de ansiedade e medo causados pelos estrondos.

Mainardi dá algumas dicas para poupar os pets do estresse:

– Durante o dia, antes da queima dos fogos, recomenda-se sair com o pet para passear e estimular brincadeiras para gastar energia.

mulher cachorro passeio caminhada
– Vídeos de fogos de artifício podem ser usados antes das festas para o preparo prévio do animal para o que irá acontecer.cachorro medo fogos lifewith dogs
– Deixar seu pet dentro de casa, com portas e janelas fechadas, que ajudam a isolar o local dos ruídos e também para evitar fuga descontrolada.cachorro medo mother nature network
– É importante que o local que o pet fique não dê acesso a varandas e outros, pois o desespero faz com que o animal salte – principalmente no caso de gatos. Caso você tenha um pássaro, a gaiola deve ficar em um local no qual o som seja abafado.

gato assustado escondido pinterest
Pinterest

– Deixar nesse espaço tudo que o animal mais gosta, como cama, cobertas e brinquedos. Deixe a disposição também as caixas de transporte para que eles possam se refugiar nos momentos de medo.

gato na cama
– Não use guias. Eles podem ficar nervosos, correr e se enrolar, elevando o risco de enforcamento acidental. As coleiras devem ser mantidas inclusive com identificação do nome animal e telefone para contato.

coleira com tel
– Caso esteja habituado a ouvir sempre TV, rádio ou outros, deixe ligado no ambiente com o volume alto, pois isso ajuda a disfarçar o som dos fogos e a fazer com que o animal sinta familiaridade e acolhimento.

cachorro assistindo tv  dog tv.jpg
– Cachorros e gatos não devem ser postos juntos nesses momentos, pois podem se atacar, mutuamente.

gato e cachorro brigando pictures of animals
Foto: PicturesofAnimals

– Caso seu pet seja muito agressivo, consulte seu veterinário de confiança e conversem sobre a possibilidade de ministrar um calmante neste dia. Porém isso deve ser feito apenas em último caso e com acompanhamento profissional.

gato remedio– Transmita tranquilidade e carinho.

cao-gato-mulher-amante-de-animais-1346683619346_300x420

Seguindo estas dicas, seu pet sentirá menos os efeitos dos fogos e você poderá aproveitar sua festa tranquilamente.

Fonte: CRMV-SP

Saiba como as úlceras de córnea podem afetar a saúde dos pets

Doença pode ser grave e ficar atento aos sintomas é essencial para evitar o seu avanço

Úlcera de córnea, muito conhecida por afetar a saúde de pessoas, também pode prejudicar a saúde dos animais de estimação. São machucados na superfície dos olhos e pode variar em termos de gravidade. Por isso, a avaliação de um veterinário que atue na área de oftalmologia é essencial.

Identificar se o pet está com problemas nos olhos pode ser simples, segundo Adriana Lima Teixeira, parceira da Comac (Comissão de Animais de Companhia), do Sindan (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal) e responsável pelo Serviço de Oftalmologia do Provet – SP.

“A dor é o principal sintoma e se traduz por olho fechado, na maioria dos animais afetados. Outros sintomas importantes incluem olhos com a conjuntiva avermelhada, a córnea opaca, piscar numa frequência maior que o normal e depressão na superfície ocular como se houvesse um ‘buraquinho’”, explica a veterinária.

pexels cachorro shi tzu
Pexels

Descobrir a doença no início é fundamental para impedir que a situação cause danos severos e até mesmo irreversíveis, por isso, ao menor sinal de alteração no comportamento do pet, o tutor deve levar seu animal de estimação para uma avaliação com seu veterinário de confiança. Para uma avaliação adequada dos olhos se faz necessário um exame com auxílio de lâmpada de fenda, corantes especiais e caso, julgue necessário, o veterinário poderá realizar coleta de material para um diagnóstico mais preciso.

Há pets mais propensos a desenvolver a úlcera de córnea ou doenças oculares como os de raças braquicefálicas, que são os animais com o focinho achatado como Shih Tzu, Boxer e certas raças de gatos. Os fatores são diversos, mas conformação palpebral e doenças oftálmicas são mais comuns.

“Algumas úlceras vão requerer apenas tratamento médico enquanto outras necessitarão também de procedimento cirúrgico, algumas vezes, de emergência, como no caso dos olhos perfurados ou de úlceras profundas quando existe uma chance de evoluir para perfuração ocular”, completa a especialista.

Se não for diagnosticada e tratada rapidamente, a lesão pode ser a porta de entrada para outras contaminações e gerar infecção generalizada do olho, evoluir para septicemia (contaminação da corrente sanguínea) e colocar em risco a vida do pet.

gato olhos fechados

A prevenção é sempre a melhor forma de evitar doenças oculares, como por exemplo, olho seco, catarata, glaucoma, e não apenas as úlceras de córnea. Manter a higiene do pet em dia, tosar para evitar que os pelos tenham contato direto com os olhos, usar shampoos neutros para não irritar os olhos são medidas importantes. O uso de lubrificantes, quando indicado pelo oftalmologista, também está entre as práticas que ajudam a deixar essa doença o mais longe possível.

Fonte: Comac

Veterinários, tutores e pets têm seus momentos eternizados em fotos

O afeto dos tutores com seus animais de estimação tem crescido cada vez mais, transformando a relação entre eles em pleno companheirismo, amizade e entrega incondicional de amor, sejam eles gato, cachorro, ave, roedor ou, até mesmo, equino.

Pensando em uma forma de eternizar todo esse carinho, a DrogaVET promove a ação Amor Animal, na qual seu fotógrafo percorre as unidades da rede, em diferentes regiões do Brasil, para acompanhar o dia a dia de seus clientes (tutores, veterinários e pets), fotografando-os nesses momentos de pura cumplicidade.

19429308_110971819526324_5299247185152442368_n

“As fotos estão sendo publicadas em nosso Instagram e Facebook e serão impressas e entregues aos participantes, assim conseguiremos tangibilizar todo o amor que eles sentem um pelo outro, transformando aquele momento e aquela história em uma lembrança para toda a vida”, pontua a sócia-fundadora da rede, Sandra Schuster.

Para a tutora da Bellinha, a médica veterinária Janaina Vida, as fotos representam um símbolo de toda a história que envolve dedicação, amor incondicional e muito zelo. “Eu tomo conta dela e ela de mim. Minha vida é muito melhor com a Bellinha”, pontua a veterinária da DrogaVET de Curitiba.

18948113_222158891634891_5124653186862284800_n

Ao todo o fotógrafo passou por seis cidades: Curitiba, Florianópolis, Indaiatuba, São Paulo, Salvador e Brasília, fotografando mais de 100 animais. “A expectativa é darmos continuidade à ação nos próximos meses, estreitando ainda mais nosso vínculo com nossos clientes de diferentes lugares do Brasil”, finaliza Sandra Schuster.

21820514_1163826027094896_2531942169418137600_n20686760_107677556591763_8206789424336338944_n

Vacina ajuda no combate da Leishmaniose em cães

A Leishmaniose é uma zoonose com grande poder endêmico. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), anualmente cerca de 2 milhões de pessoas são contaminadas com a doença.

Porém, a enfermidade não afeta somente os humanos, os cães também podem ser infectados. A doença é transmitida para os animais por meio da picada de um flebótomo (mosquito palha) infectado. Os cães são os principais reservatórios de transmissão no ciclo urbano.

Para ajudar no controle dessa zoonose e proteger os cães, a Ceva Saúde Animal desenvolveu em parceria com a Universidade Federal do Estado de Minas Gerais (UFMG), a Leish-tec, única vacina recombinante do mercado contra a Leishmaniose.

A vacina foi desenvolvida a partir da proteína A2, classificada como um dos melhores antígenos capazes de induzir resposta imune celular porque é específica e protetora contra a Leishmania.

Presente no mercado há 10 anos, a vacina passou por uma série de estudos. “ Os estudos mostram que a Leish-Tec induz resposta protetora em 96,41% dos cães vacinados. Além disso, os animais vacinados apresentam anticorpos anti-A2, demonstrando um alto nível de proteção individual”, informa Diretor da Unidade de Negócios Pet da Ceva, Leonardo Brandão.

Por ser uma vacina recombinante, que une modernos processos de desenvolvimento e a tecnologia de DNA recombinante, a Leish-Tec apresenta uma série de vantagens, como produção de reposta imunológica altamente específica e segura, redução das reações pós-vacinais, entre outros.

Vet dog and injection

A Leish-tec é recomendada para cães a partir de 4 meses de idade, clinicamente sadios e sorologicamente negativos contra a Leishmaniose. “O animal deve ser vacinado com três doses em intervalos de 21 dias e a revacinação é anual”, finaliza Brandão.

A vacinação dos cães é uma ferramenta importante na luta contra a leishmaniose. Devemos lembrar que além da vacinação, a proteção dos cães com um produto tópico repelente contra mosquitos é de suma importância para manter esses vetores afastados. Vectra 3D é uma proteção tópica para os cães, com ação repelente de mosquitos a partir de 1 hora após a aplicação e proteção por 1 mês.

Fonte: Ceva Saúde Animal

Outubro Rosa: previna o câncer de mama em cães e gatos

Galeria de fotos com cachorros e gatos faz alerta para prevenção da doença, que também atinge o mundo animal

Prevenção do câncer de mama em cachorros e gatos também é destaque de uma campanha realizada pela Pet Model Brasil – agência de modelos pets presente no mercado nacional.

Para alertar tutores sobre a importância da prevenção do câncer de mama em cachorros e gatos, a agência preparou uma galeria de fotos com os pets e faz um alerta. “A doença é tão presente em cães e gatos quanto em humanos”, explica a médica veterinária parceira da Pet Model Brasil Carolina Rodriguez.

Em homenagem ao Outubro Rosa, a Pet Model Brasil preparou a campanha para conscientizar os tutores sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. Além disso, separou algumas informações importantes que vão ajudar na prevenção. Confira:

Você sabia?

– O câncer de mama não surge apenas em fêmeas. Mesmo que elas sejam as principais atingidas, os machos também podem sofrer com a doença.

– A doença surge, com mais frequência, em animais de 7 a 12 anos. “É importante ficar atento aos sintomas em qualquer idade, pois existem casos de cadelas, por exemplo, com menos de dois anos que sofreram com a doença”, alerta a veterinária.

cachorra outubro rosa 3

– O câncer atinge principalmente as animais de raça pura, enquanto a miscigenação presente nos pets sem raça definida diminui a chance de desenvolver a doença.

– A castração pode reduzir o risco de desenvolver câncer para até 0,5%. “Castrar é um ato de amor! Além de diminuir o grande número de animais abandonados, diminui muito o risco de câncer de mama e de suas consequências”, afirma Carolina Rodriguez.

– É mito que se deve cruzar o animal caso não seja castrado. Estudos provam que não existe correlação da procriação com a diminuição da incidência do câncer de mama.

cachorra outubro rosa 2

“Considerando que os hormônios sexuais aumentam o fator de risco, o cio acaba estimulando. Então, enquanto as cadelas têm um cio a cada seis meses em média, as gatas têm o cio estimulado pela presença do macho, ou seja, com muito mais frequência, aumentando seu risco. Quanto mais vezes ela entrar no cio, maior o risco. Por isso o aparecimento é mais comum em cadelas e gatas a partir dos nove anos de idade”, explica Carolina.

Prevenções contra a doença

Prevenir é sempre a melhor opção quando se tem um animal de estimação em casa. Abaixo, conheça algumas dicas para ajudar a cuidar do seu bichinho:

Castração precoce: castrar o animal é sinônimo de redução nas chances de desenvolvimento da doença. Por isso, o quanto antes o tutor decidir pela castração, melhor.

cachorra outubro rosa 1

Exames em casa: esteja sempre atento. A maioria dos animais gosta de receber carinho na barriga. Este momento é bom para examinar cada mama (10 nas cadelas e de 8 a 10 nas gatas) e sentindo qualquer alteração, procure imediatamente seu veterinário de confiança.

cachorra outubro rosa 4

Anticoncepcionais: não caia em recomendações que só vão prejudicar o pet. “É extremamente perigoso submeter pets, como cães e gatos, a tratamentos com bombas de hormônio”, explica Carolina.

Primeiros indícios e tratamento

gata outubro rosa

Os animais, quando estão com alguma doença, ficam acima de tudo quietos. Fique de olhos nos seguintes sintomas: caroços, inchaços na mama e ao redor, desconforto abdominal, cheiro forte e desagradável nas secreções, perda de apetite, vômito e febre.

Normalmente, o tratamento para o câncer de mama é a remoção cirúrgica da mama afetada ou de toda a cadeia de mamas, como prevenção ou consequência de metástases. Posteriormente à cirurgia, de acordo com o tipo de câncer, pode ser necessário realizar quimioterapia e/ou radioterapia.

“Com o avanço da oncologia veterinária, hoje a chance de cura é muito alta, principalmente se for diagnosticado em estágio inicial”, explica Carolina.

Fonte: Pet Model Brasil

 

Seu pet sente dores? Entenda como funciona a Fisioterapia Veterinária

A Fisioterapia Veterinária engloba várias técnicas de manipulação, aparelhos (agentes físicos) e exercícios terapêuticos que tem como objetivo restabelecer alguma função do corpo, como alterações musculares, articulares, ósseas e neurológicas.

Ela é indicada quando um bichinho passa por cirurgia ortopédica, para acelerar a recuperação da área afetada, ou também quando o animal tem dor ou perda muscular por uma doença crônica, como a artrose da displasia coxofemoral, por exemplo.

Existem os casos ainda em que é indicada para animais com hérnia de disco ou alterações na coluna, onde a fisio auxilia na dor e estimula a parte neurológica, por meio de exercícios terapêuticos.

Todos os animais podem aproveitar os benefícios dessa prática, inclusive os atletas, para melhorar o desempenho, ou obesos, para auxiliar na perda de peso.

A fisioterapia é muito mais do que só estímulo corporal, ela também atua na mente e desenvolvimento dos bichinhos, ajudando a tornar suas vidas mais felizes.

Esta é a nova especialidade oferecida pelo BadiLab Diagnósticos Veterinários, que fica na Água Branca, em São Paulo.

fisioterapia badilab.png

Fonte: BadiLab

 

 

Setembro Lilás: mês de combate e prevenção do câncer em animais

Prevenção e combate ao câncer. Nos últimos anos a doença se tornou uma das mais temidas. Segundo o INC (Instituto Nacional do Câncer) a previsão é que surjam cerca de 596 mil novos casos da doença neste ano no país, no entanto, o que muitos desconhecem é que a relação entre homens e animais vai além da amizade e afeto. E enfermidades, como o câncer, têm se tornado cada vez mais frequentes também em nossos amigos de quatro patas.

Por isso, a Fórmula Animal, especializada em oferecer medicamentos manipulados a animais em formas e sabores diferenciados, promove a ação Setembro Lilás, que tem como objetivo diminuir os diagnósticos da doença em animais, prolongando sua qualidade de vida, enfatizando aos donos a importância de levar o bichinho ao veterinário para consultas de rotina.

A novidade para a campanha 2017 é que a Fórmula Animal irá disponibilizar durante o mês de setembro cursos ao vivo em sua página do Facebook, abordando informações e novidades sobre o câncer nos animais com profissionais renomados da área veterinária para falar sobre o tema.

O calendário engloba as palestras do Dr. Paulo Jark, mestre em Clínica Médica com enfoque em Oncologia Veterinária (UNESP – Jaboticabal-SP), Professor de Clínica Médica de Pequenos Animais da Universidade Brasil e membro da Comissão Científica da Sociedade Latino Americana de Oncologia Veterinária – SLOVET, que ministra, ao vivo, o Webinar sobre Tumores Mamários, uma das principais causas de câncer nos animais, voltado para veterinários.

Durante a conferência ele irá abordar temas como causa, prevenção, tratamento adequado, substâncias mais utilizadas no tratamento desse tipo de doença, entre outros assuntos. Com o objetivo de esclarecer dúvidas, tanto para veterinários como tutores dos pets, Anderson Rodrigues, médico veterinário (Universidade Norte do Paraná) com especialização em clínica médica e cirúrgica de pequenos animais (UNOPAR) e mestre em cirurgia e anestesiologia veterinária (UNIFRAN), comanda as palestras 4 sintomas que seu pet apresenta que podem diagnosticar o câncer animal e 5 passos para prevenir o câncer no seu pet.

Por meio de transmissões, ao vivo pela fanpage da Fórmula Animal, o veterinário foca em questões sobre a doença, sintomas, além de prevenção, de maneira didática e objetiva respondendo a pergunta dos internautas.

“Temos que propagar a cultura sobre a conscientização dos riscos e da importância para evitar esse tipo de enfermidade, especialmente em pets idosos que são mais propensos a terem algum tipo de tumor de mama, pele ou linfoma. Caso seja detectado em estágio inicial, ele pode ter uma vida longa, com excelente qualidade, podendo até mesmo chegar à cura. Desta forma, esperamos mostrar para as pessoas que ainda desconhecem a importância da prevenção levem seus bichinhos para realizar check-ups, garantindo assim sua saúde”, ressalta Renata Piazera, farmacêutica da rede.

A especialista aponta ainda algumas dicas sobre como minimizar o diagnóstico nos animais:

1. Uso de protetor solar
Para prevenir um possível surgimento de câncer de pele é recomendado aplicar protetor solar, principalmente em animais de pelagem clara, como Boxer, Dogo Argentino, Bull Terrier e Pit Bull. E em gatos brancos ou albinos, além de, é claro, evitar exposições prolongadas ao sol. A ocorrência de tumores é maior em regiões que são menos pigmentadas e possuem pouco pelo, como região abdominal, orelha e focinho.

2. Realizar exames de diagnóstico em fêmeas
Recomenda-se realizar um exame de palpação de mamas em cadelas e gatas para controlar e evitar o surgimento de tumores mamários. Todas as mamas devem ser palpadas cuidadosamente, inclusive o espaço existente entre elas. Vale lembrar que as cadelas possuem cinco pares de mamas e as gatas quatro pares. Ao localizar um nódulo é necessário procurar imediatamente um veterinário de confiança para realização de exames complementares e início do tratamento.

veterinario-gato-1-770x490

3. Castração Precoce
As fêmeas castradas antes de um ano de idade têm chance reduzida de desenvolver câncer de mama na fase adulta, se comparado às fêmeas não castradas. A possibilidade de câncer de mama é praticamente zero quando a castração ocorre antes do primeiro cio. Além disso, a retirada do útero anula a chance de problemas uterinos bastante comuns em cadelas após os seis anos de idade.

4. Fique atento à dieta do animal
A falta de nutrientes significa baixo teor de antioxidantes na dieta e esses componentes são responsáveis por prevenir o aparecimento de tumores. Por isso, a recomendação é alimentar os animais com ração própria para cães e gatos de boa qualidade, rica em ômegas 3 e 6 e outros antioxidantes, evitando oferecer restos de alimentos. A obesidade também é um risco para diabetes e doenças cardíacas.

puppy-comendo cachorro

5. Cuidado na hora da reprodução*
Alguns tutores têm como hábito colocar seu bichinho para se reproduzir. Nesses casos é recomendado levar o pet ao veterinário para um check-up do sistema reprodutivo, assim como o parceiro dele. É recomendado evitar o cruzamento de animais domiciliados com animais de rua já que o contato sexual favorece o aparecimento de Tumor Venéreo Transmissível (TVT).

6. Pratique atividades físicas
Realizar atividades físicas leves ou moderadas diariamente com o animal, seja corrida ou caminhada, diminui os sintomas de estresse e o risco de desencadear o aparecimento de tumores nos órgãos.

shutterstock mulher correndo cachorro

7. Sintomas
Os sintomas variam de acordo com o tipo de tumor e o estágio da doença. Entretanto, é preciso ficar atento em relação a sinais de emagrecimento, dificuldade ao se alimentar e/ou beber, cansaço em excesso, sangramentos sem motivo aparente e problemas ao urinar e defecar. Também é preciso considerar a possibilidade de câncer quando ferimentos cutâneos ou de mucosas não cicatrizam, mesmo diante de tratamento.

gato veterinario pixabay
Foto: Pixabay

8. Tratamento
Em alguns casos, a quimioterapia é o tratamento mais eficaz já que danifica as células cancerígenas que se multiplicam rapidamente, embora, ele seja agressivo ao paciente. No entanto, dependendo do estágio da doença e do tipo de câncer ele pode ser combatido pelo meio cirúrgico ou medicamentoso. Nesse caso, é importante tomar alguns cuidados ao manusear a medicação, como a utilização de luvas para administrar o medicamento e recolhimento dos dejetos evitando contato com os compostos.

Setembro Lilás.png

Programação
Data: 14 de setembro (quinta)
Serviço – Live – 4 sintomas que seu pet apresenta que podem diagnosticar o câncer animal
Horário: 12h30
Link: https://www.facebook.com/formulanimal/
Palestrante: Dr. Anderson Rodrigues, médico veterinário.

Data: 21 de setembro (quinta)
Serviço – Live – 5 passos para prevenir o câncer no seu pet
Horário: 12h30
Link: https://www.facebook.com/formulanimal/
Palestrante: Dr. Anderson Rodrigues, médico veterinário.

Fonte: Fórmula Animal Farmácia de Manipulação Veterinária

Hospitais veterinários da UNIP atendem a preços populares em São Paulo

Com consulta por até R$ 40, os serviços variam de exames laboratoriais e de imagens a cirurgias, em quatro unidades, localizadas na capital e no interior de São Paulo. Em 2016, foram realizados 21.098 atendimentos

Aliar ensino, pesquisa e extensão à responsabilidade social é uma prática realizada, por excelência, na Universidade Paulista – UNIP. Isso acontece no oferecimento de serviços à comunidade, como os quatro hospitais veterinários no Estado de São Paulo – Capital (Rod. Anchieta, km 12), Bauru, Campinas e São José dos Campos. O atendimento não é gratuito, mas a preços populares.

Os hospitais veterinários da UNIP têm ampla e moderna estrutura para o cuidado de animais de pequeno a grande porte. As consultas, visando o atendimento clínico, laboratorial e até cirúrgico (ambulatorial), podem ser marcadas pessoalmente ou por telefone. No caso de urgências (animal com dor) e emergências (risco de morte), o dono do animal pode ir direto ao Pronto Atendimento do Hospital.

unip vet

Em 2016, foram realizados 21.098 atendimentos. A iniciativa caracteriza-se pelo uso responsável de uma prática profissional baseada em conhecimentos acadêmicos, na qual os próprios alunos fazem os atendimentos sob a orientação de coordenadores.

Como a procura é grande, dependendo do caso, pode haver fila de espera, mas todos são atendidos. Os interessados devem fazer cadastro, triagem e aguardar chamada. Exceção é feita em quadros de urgência.

Endereços:

Hospital Veterinário UNIP Anchieta (SP)
Endereço: Rua Francisco Bautista, 300 – km 12 da Via Anchieta
Dias e horários de atendimento: de 2ª a 6ª feira, das 8h às 17h.
Valor da consulta: R$ 40,00
Telefone: (11) 2332-1300

Hospital Veterinário UNIP Bauru
Endereço: Rua Luiz Levorato – Quadra 2 – Chácaras Bauruenses
Dias e horários de atendimento: de 2ª a 6ª feira, das 8h às 17h.
Valor da consulta: R$ 40,00
Telefone: (14) 3312-7000

campinas.jpg
Reprodução Facebook – Campinas

Hospital Veterinário UNIP Campinas
Endereço: Av. Comendador Enzo Ferrari, 280 – Swift
Dias e horários de atendimento: de 2ª a 6ª feira, das 8h às 17h.
Valor da consulta: R$ 30,00
Telefone: (19) 3776-4000

Hospital Veterinário UNIP São José dos Campos
Endereço: Rodovia Presidente Dutra, km 157,5 – Pista Sul
Dias e horários de atendimento: de 2ª a 6ª feira, das 8h às 17h.
Valor da consulta: R$ 30,00 (pequenos animais) e R$ 50,00 (grandes animais)
Telefone: (12) 2136-9000