Arquivo da categoria: vinhos

Como abrir e armazenar o vinho em casa

Sommelier ensina a cuidar do vinho em casa e afirma: “não é preciso ter uma adega climatizada”

Adega climatizada, taças sofisticadas e preços altos são coisas que não precisam estar associadas ao vinho. O sommelier Rodrigo Bertin, criador do projeto Vinho Mais, explica que armazenar vinho em casa pode ser muito mais simples e barato. “Tem gente que acha que precisa de adega climatizada, mas isso é um mito”, explica.

Antes de explicar sobre a melhor forma de manter as garrafas de vinho em casa, Bertin conta que a temperatura ideal varia de 6ºC para vinhos brancos ou rosé a 15ºC para vinhos tintos. “Os tintos com uvas Pinot Noir, Merlot ou Gamay, menos encorpados, podem ser consumidos com um pouco menos de temperatura”, conta.

Um cantinho escuro para guardar

O sommelier ensina que as garrafas de vinho devem ser armazenadas em um local arejado e sem oscilação de temperatura: “O mais importante é deixá-las em local que não receba muita luz natural ou artificial, justamente para evitar que esquentem”. Aqui, vale a regra de ouro conhecida pela maioria das pessoas: manter as garrafas deitadas. “É importante que a rolha fique sempre úmida para não ressecar e se desmanchar quando for aberta”, destaca o especialista.

rack vinho8

Os cuidados mais específicos com o vinho devem ocorrer depois que a garrafa foi aberta. “Antes mesmo de abrir, caso ela tenha sido armazenada à temperatura ambiente, é importante levar à geladeira”, explica o especialista. “O vinho tinto se resfria o suficiente após 20 minutos na geladeira, mas o vinho branco, rosé ou espumante pode permanecer por uma hora refrigerando, ou então 20 a 30 minutos no congelador, com muito cuidado para que não congele”, ensina.

Depois do brinde

É depois de retirar a rolha que surgem as dúvidas. “Muita gente acha que o vinho não pode ser armazenado depois de aberto e que a garrafa deve ser completamente consumida, mas isso não é verdade”, explica Bertin, aliviando para aqueles que não querem desperdício, mas também não desejam beber demais.

“O problema é que muita gente acha que a garrafa vai sobreviver por mais de uma semana, sendo que ele vai oxidar neste tempo”, alerta. “O vinho não estraga de um dia para o outro, mas não dura tanto”.

vinho

Após abrir a garrafa e consumir uma ou duas taças, Rodrigo Bertin sugere recolocar a garrafa na geladeira, desta vez em pé. “O segredo é reduzir ao máximo a superfície de contato do vinho com o oxigênio, para não oxidar tão rápido”, explica, justificando que a garrafa deitada aumentaria o contato do líquido com o ar. Se isso for feito, a bebida permanece boa para consumo por mais dois ou três dias. “Os mais alcoólicos e encorpados duram mais que os leves”, explica.

Dois segredos para o vinho durar mais

Se esses poucos dias não são suficientes, o sommelier ensina dois truques que podem aumentar a vida útil da bebida. “O primeiro é passar o vinho restante da garrafa grande, de 750ml, para uma menor, de 375ml, e guardar na geladeira da mesma forma, em pé e com a rolha bem colocada”. Assim, o processo de oxidação será retardado por mais um ou dois dias.

bomba de vácuo walmart

A tática mais eficiente, no entanto, é utilizar uma bomba a vácuo para reduzir ao máximo o contato do vinho com o ar externo. “É um acessório fácil de ser encontrado que funciona como uma tampa especial para a garrafa”. O sommelier destaca que os vinhos mais encorpados permanecem bons para consumo por mais uma semana se for utilizada a bomba a vácuo. “Considere cinco ou seis dias em caso dos vinhos mais suaves e menos alcoólicos”.

 

Anúncios

Receita de waffle vegetariano com harmonização de vinhos

A Wine.com.br ensina a fazer uma receita deliciosa e, ainda por cima, indica dois vinhos para harmonizar. Confira abaixo:

Waffle vegetariano

Ingredientes para o waffle

• 3 ovos (claras e gemas separadas)
• 2 colheres (sopa) de manteiga derretida, em temperatura ambiente
• 1 colher (sopa) de açúcar refinado
• 1 xícara (chá) de farinha de trigo
• 1 xícara (chá) de leite
• 1 colher (sobremesa) de fermento químico em pó
• Sal e pimenta-do-reino a gosto
• Noz-moscada a gosto
• Manteiga para untar

Ingredientes para o recheio

• 300 g de tofu escorrido*
• 100 g de tomate seco escorrido e picado
• 100 g de tomate seco inteiro e escorrido
• 1 cebola-roxa cortada em fatias
• 150 g de queijo cheddar fatiado
• Azeite, manteiga, sal e pimenta-do-reino a gosto
• Folhas de manjericão
• Gergelim branco torrado e gergelim preto torrado a gosto
• Broto de trevo a gosto

Preparo do Waffle

1. Bata as claras em neve.
2. Em um liquidificador, coloque as gemas, a manteiga, o açúcar, a farinha de trigo, o leite, o fermento e os temperos.
3. Bata até virar uma mistura homogênea.
4. Com uma colher, misture a massa às claras em neve.
5. Deixe a massa descansar na geladeira por 30 minutos.
6. Unte com manteiga o aparelho de waffle.
7. Despeje a massa e deixe até dourar dos dois lados.
8. Assim que retirar o waffle do aparelho, coloque o queijo cheddar por cima para que ele derreta.
9. Depois, é só colocar o recheio, seguindo o passo a passo a seguir.

Preparo do recheio

1. Refogue a cebola na manteiga, com sal e pimenta-do-reino, apenas o suficiente para tirar a acidez.
2. Misture o tofu com o tomate seco picado, as folhas de manjericão, o gergelim, o azeite, o sal e um pouco de pimenta-do-reino.
3. Monte os sanduíches, usando os waffles como se fossem os pães, e recheando com a mistura de tofu, a cebola, o tomate seco inteiro e o broto de trevo.
*Dica: pressione o tofu inteiro entre as mãos para escorrer bem o soro.

wine_waffle vegetariano-ed

Rendimento: 4 porções. Preparo: 45 minutos + tempo de descanso. Nível de dificuldade: baixo.

Harmoniza com:

wine_waffle vegetariano_GENIO ESPAÑOL D.O.P

Genio Español D.O.P. Jumilla Garnacha 2016
O tomate seco da receita combina com o sabor frutado do vinho. Este tinto possui um peso no paladar que é compatível com o prato.

wine_waffle vegetariano_ALTIVO CLASSIC MENDOZA

Altivo Classic Mendoza Cabernet Sauvignon 2016
A boa acidez deste tinto é ideal para equilibrar a untuosidade do queijo e da manteiga. As folhas de manjericão do prato combinam com as notas vegetais do vinho.

Fonte: Wine.com.br

Vinho: alguns mitos e verdades

Degustar uma boa taça de vinho é quase um ritual, seja para enófilos ou apreciadores ocasionais da bebida. No entanto, muitas dúvidas ainda pairam sobre suas qualidades, formas de apreciar e benefícios. Por isso, Joca Ururahy, sócio-fundador da House of Wine, desvenda alguns mitos e verdades sobre a bebida.

1- Vinho é bom para a saúde bucal?mulher bebendo vinho
Verdade. A bebida é boa para dentes e gengiva ajudando a combater as bactérias da boca que podem causar cáries e doenças periodontais.

2- Uma taça de vinho por dia faz bem para a saúde?

Red wine and viticulture
Foto: FreeFoodPhotos

Verdade. Estudos comprovam que o consumo de uma taça de vinho por dia traz inúmeros benefícios como melhora da função cardíaca, prevenção para complicações cardiovasculares, auxílio na estimulação da circulação sanguínea, o que mantém a pele mais elástica e vitaminada, além de reduzir a obesidade e o sobrepeso ao envelhecer. Isso se deve por conta do Resveratrol, que é uma fitoalexina, encontrada em maior quantidade em vinhos tintos. Esse antioxidante natural, presente no vinho, tem como propriedade neutralizar os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento que seria a oxidação das células da pele. Mas vale lembrar que a diferença entre o veneno e o remédio é a dose, portanto, é recomendado moderação.

3- Os melhores vinhos são os mais caros?

vinhos concha
Concha y Toro

Parcialmente verdade. Não necessariamente. O valor da bebida se deve por conta da adega ou produtor que criou o vinho, ou seja, quanto mais prêmios e notoriedade maior o preço da garrafa. Também encarece o vinho o investimento realizado no processo de fabricação, como os de guarda, que utilizam barrica de carvalho de primeiro uso para sua fabricação. No entanto, existem vinhos mais baratos produzidos por produtores não tão conhecidos, com processos inovadores, que agreguem técnica no processo de envelhecimento, que conseguem ser tão qualificados quanto os mais caros.

4- Vinhos que contêm no rótulo “Colheita Selecionada”, “Seleção Especial”, “Reserva” ou que estão em garrafas pesadas são melhores?

terrazas-de-los-andes-reserva-malbec-mendoza-argentina-10623228
Mito. Tanto no caso da garrafa quanto no caso das mensagens do rótulo são utilizadas mais como chamariz para atrair o público do que propriamente um indicador da qualidade da bebida. O que acontece é que, especialmente no caso do peso, ela pode ser considerada uma estratégia de marketing para mostrar um produto visualmente mais atrativo, passar uma nomenclatura que faça o público reconhecer o produto ou política de produção com aquele estilo de garrafa. Sobre o rótulo, na verdade, ele difere de País para País, onde possuem denominação de origem mas uma legislação que difere, como no caso Chile onde o vinho tem que passar tantos meses em barrica para envelhecer.

5- Países quentes não produzem vinho?

vinhedo
Mito. O que a uva precisa mesmo é de amplitude térmica, dias quentes e noites frias para ficar boa. Brasil, Israel e Marrocos são alguns dos locais que colocam fim a esse mito. O grande diferencial é a produção em terras áridas que precisam de uma boa irrigação para dar bons vinhos.

6- Os melhores vinhos estão vedados em rolha de cortiça?

saca rolha
Parcialmente verdade. É inegável que abrir uma garrafa de rolha de cortiça é quase um ritual sagrado para os enófilos, mas isso não significa que os vinhos vedados desta forma são melhores. Os produtores de vinho buscaram alternativas que não interferissem na qualidade e que fosse sustentável, no caso, a tampa de rosca (screwcap). Um dos motivos é o TCA (tricloroanisol) um defeito que ocorre nas rolhas de cortiça quando atacadas por um fungo que provoca aromas desagradáveis na bebida. No entanto, estudos comprovam que a tampa de rosca (screwcap) possui vedamento melhor que a rolha, por isso, é mais recomendada para vinhos mais jovens, para consumo rápido. Já a rolha é mais indicada para vinhos mais envelhecidos por conta da micro-oxigenação, que faz a bebida evoluir.

7- Vinho branco é produzido com recursos de outras uvas, além da branca?

vinho branco
Verdade. A bebida pode ser produzida com uvas tintas, isso porque, a parte da uva que dá cor ao vinho é a casca. Basta no processo de maceração quando é extraído o suco da fruta, que é incolor, a casca não ficar em contato com o líquido e o resultado será um vinho branco.

8- Qualquer vinho pode ser envelhecido?

enoturismo esporão_adegas_caves
Mito. A frase “Quanto mais velho melhor” nem sempre pode ser aplicada. Atualmente, são poucos os vinhos que se aprimoram com o tempo na adega, a maioria deve ser consumida de dois a cinco anos. Os pilares para um bom envelhecimento são os taninos, acidez e a fruta. Normalmente, são os vinhos tintos de grandes vinícolas ou os Premium que ganham qualidades com o tempo.

9- Vinho tinto deve ser ingerido em temperatura ambiente?

vinho tinto taças shutterstock
Mito. Cada vinho tem sua temperatura ideal, portanto, não existe uma regra. Uma sugestão é quanto mais fresco mais gelado deve ser servido, assim como, ingeri-lo na temperatura ambiente se for mais encorpado. A indicação é consumir espumantes de 4° a 6°, brancos de 8° a 10° e tintos 15° a 18°.

10- A melhor forma de armazenar um vinho é por meio de caves?

adega
Mito. O importante ao armazenar um vinho é não ter incidência de sol, além de o local não ter grandes variações de temperatura e umidade. A alternativa para quem busca ter a bebida em casa são as adegas que podem ser das mais simples até as mais elaboradas. No caso, algumas funcionam como reguladores de temperatura externa, as do tipo “geladeira” com regulagem mais precisa e termostato mais fiel e as que fazem controle de temperatura e umidade, mais indicada para os vinhos chamados de guarda, auxiliando a rolha a ficar em condições apropriadas para manter o líquido perfeito ao longo dos anos.

11. O vinho pode ser falsificado?

PORTA_GARRAFA_VACUVIN_TRANSPARENTE160530_143253
Verdade. O vinho pode ser adulterado de duas formas, por meio da re-rotulagem, que consiste em tirar o rótulo de um vinho de renome e colocar em um outro qualquer com uma garrafa similar, e por reciclagem, que é manter toda a identidade de um vinho de qualidade (garrafa, rótulo) apenas preenchendo a mesma com um líquido de qualidade inferior.

 

 

Timo Cucina oferece taça de vinho para acompanhar a pizza aos domingos

Para os clientes que, a partir das 17h, pedirem qualquer sabor de pizza, ganharão uma taça de vinho

Desde o século XVI, a pizza é apreciada na corte de Nápoles e se popularizou pelo mundo, criando diversas versões e sabores, mas o mais tradicional é sempre uma massa bem feita, com um molho de tomate caseiro, com recheio à escolha. Sendo assim, o Timo Cucina, restaurante de origem italiana, não podia deixar de criar sua massa.

No restaurante, localizado no rooftop do Jardim Pamplona Shopping, são feitas pizzas individuais – como em Napoli, com massa italiana, assadas em forno a lenha, mais leves e finas, todas com coberturas especiais, como carpaccio e funghi, entre outros.

As pizzas podem ser pedidas diariamente e em qualquer horário, mas aos domingos, a partir das 17h, os clientes que pedirem qualquer sabor, terão como cortesia uma taça do vinho italiana Barbera La Quercia, que harmoniza perfeitamente com a massa. Conheça os sete sabores disponíveis:

Fichi Molho de tomate italiano, figo assado no forno a lenha, brie, prosciutto e rúcula.jpg

Fichi (R$ 39,00) Molho de tomate italiano, figo assado no forno a lenha, brie, prosciutto e rúcula.

Timo (R$ 39,00) Molho de tomate italiano, queijo de cabra, cogumelos, tomilho limão e tomatinhos

Funghi (R$ 39,00) Molho de tomate italiano, mozzarella de búfala, cogumelos assados e parmesão.

Zucchini (R$ 37,00) Molho de tomate italiano, abobrinha grelhada, brie, parmesão e manjericão.

Margherita (R$ 33,00) Molho de tomate italiano, Mozzarella de búfala, manjericão, parmesão e tomatinhos.

www.brunodelima.com

Salsiccia (R$ 37,00) Molho de tomate italiano, linguiça artesanal, mozzarella de búfala e parmesão.

Carpaccio Pizza Massa de pizza coberta com carpaccio de filetto.jpg

Carpaccio Pizza (R$ 37,00) Massa de pizza coberta com carpaccio de filetto.

Timo Cucina: Rooftop (4º andar) do Jardim Pamplona Shopping – Rua Pamplona, 1704, Jardim Paulista – Horário de Funcionamento: Segunda a quinta: 11h30 às 23h. Sextas e sábados: 11h30 às 24h -Domingo: 12h às 22h

 

Grand Hyatt Rio apresenta vinhos do Velho Mundo no Grand Hyatt Wine Club

Conhecidos pela qualidade na produção, os vinhos do Velho Mundo (Portugal, Espanha, França, Itália e Grécia) serão destaque na primeira edição de 2018 do Grand Hyatt Wine Club. O evento, que acontece hoje, 5 de abril, a partir das 19 horas, conta com um buffet de antepastos e estações quentes para acompanhar a degustação à vontade de vinhos.

Estão confirmadas as participações das importadoras Winebrands, Inovini, Mistral, Grand Cru, Edouro, Worldwine e Decanter, apresentando rótulos como Ribeiro Santo Tinto (Portugal), Mirandelle Lurton Bordeaux (França), Le Sorbole Toscana Rosso (Itália), Ophicus Cava (Espanha) e até vinhos de Israel, como o Golan Hights Tinto.

vinho champanhe

Os ingressos individuais podem ser adquiridos no site por R$ 130,00.

As próximas edições do Grand Hyatt Wine Club já estão com as datas e temas definidos:

5/04/2018 – Vinhos do Velho Mundo
24/05/2018 – Vinhos da América do Sul
26/07/2018 – Vinhos de guarda/maduros
27/09/2018 – Vinhos Brancos , Rosés e Leves
29/11/2018 – Espumantes e Champagne

Informações: Grand Hyatt 

Saiba como harmonizar vinhos com os mais diversos tipos de chocolate

De acordo com Natália Cacioli, sommelière da Evino, o segredo é escolher vinhos que consigam dar conta do açúcar

Não se pode negar que o chocolate é considerado um alimento tradicional durante o período de Páscoa. Branco, ao leite, meio amargo, não importa! É difícil resistir a uma série de variedades e sabores. Mas, de acordo com Natália Cacioli, sommelière da Evino, existe um acompanhamento que pode deixá-lo ainda melhor: vinho. “Se separados, vinho e chocolate são deliciosos, por que juntos seria diferente?”, pontua a especialista.

red-wine-chocolate-image
Pinterest

Vale lembrar que a combinação requer alguns cuidados importantes, mas desde que feita corretamente, seu sucesso é garantido. “Como chocolate é doce, o segredo é escolher vinhos que consigam dar conta desse açúcar. Com todos os tipos, vinhos doces – como Porto – dão sempre certo”, explica.

Confira abaixo algumas dicas da sommelière para harmonizações ideais com os mais diversos tipos de chocolate:

· Chocolate ao leite

784_vinho_do_porto_messias_tawny_750ml_1
Esse estilo de chocolate mais doce pede também um vinho doce e aromático. Um exemplo clássico é o Vinho do Porto, o famoso vinho fortificado português. Ainda entre os fortificados, outras opções são Banyuls, da França ou Pedro Ximenez, da Espanha. Esses vinhos são feitos com adição de aguardente vínica (daí o nome “fortificado”) e são considerados mais alcoólicos e doces.

· Chocolate meio-amargo e amargo

shiraz
Vinhos doces também harmonizam com essas opções. Mas, com esse tipo de chocolate, menos doce, é possível testar outras possibilidades de harmonização. Vinhos secos como os portugueses do Douro, Shiraz, Merlot e tintos italianos feitos com o método appassimento vão garantir uma experiência diferente e muito agradável.

· Chocolate branco

colheita-tardia
Espumantes doces e aromáticos, como Moscatel, além dos chamados vinhos “colheita tardia” – método em que as uvas ficam no pé por mais tempo para desidratar e concentrar açúcares e, como resultado, obter um vinho doce – são ótimas pedidas.

Fonte: (evino)

Sommelier dá dicas de harmonização para a Páscoa

Um dos pratos mais emblemáticos da Páscoa é o bacalhau. Versátil, o peixe dessalgado pode ser combinado a diversos ingredientes e para cada receita, um vinho diferente. E para ajudar na escolha, o sommelier executivo da Grand Cru, Massimo Leoncini, elegeu os melhores vinhos para nessa harmonização.

“O bacalhau é melhor harmonizado com um vinho branco. Dependendo dos ingredientes, variamos a potência do vinho entre leves e encorpados. Para quem não abre mão de um bom vinho tinto, dá para apreciar o prato com uma opção mais leve”, explica Leoncini.

Veja abaixo as sugestões:

Bacalhau

333623_774996_grand_cru___meio_queijo_douro_tinto_2014

Bacalhau à moda portuguesa
A receita leva bacalhau dessalgado com batatas, cebola, alho, ovo e azeitona. A sugestão é o Meio Queijo Douro Tinto 2014 (R$ 69,00)

333623_774990_grand_cru___van_zellers_alentejano_tinto_2015__r_64_

Bacalhau confit
A receita é feita com lombo de bacalhau dessalgado em confit de azeite, acompanhada por tomate, cebola e ervas frescas. A escolha é o Van Zellers Alentejano Tinto 2015 (R$ 64,00).

333623_774995_grand_cru___adega_guimarA_es_vinho_verde__r_59_

Bacalhau à lagareiro
A receita é feita com a posta de bacalhau passada em ovo e farinha e cozido. Normalmente acompanha batatas aos murros, cebola e brócolis. A sugestão é o Adega Guimarães Vinho Verde (R$ 59,00)

333623_774992_grand_cru___van_zellers_douro_branco_2015__r_99_
Bacalhau às natas
A receita é feita com bacalhau dessalgado com batatas cortadas em pequenos cubos fritas, cebola e ervas frescas e finalizada no molho bechamel, natas, farinha de pão e queijo ralado. Para esse prato, o melhor é o Van Zellers Douro Branco 2015 (R$ 99,00).

333623_774994_grand_cru___churchilla__s_estate_douro_branco_2016__r_123_

Bacalhau à brás
A receita é feita com bacalhau dessalgado, cebola, alho, azeite, ervas frescas, ovo e finalizada com batata palha. A sugestão é o Churchill’s Estate Douro Branco 2016 (R$ 123,00).

Chocolate

“Para harmonizar o chocolate, é preciso prestar atenção na quantidade de gordura proveniente da manteiga de cacau e do leite. Para equilibrar essa balança, precisamos de um Vinho do Porto ou de sobremesa que seja encorpado, ou seja, um vinho que tenha força para quebrar a gordura no paladar” ressalta Massimo. Veja abaixo os vinhos escolhidos.

333623_774993_grand_cru___vinho_do_porto_tinto_churchill_s_ruby_reserva__r_134_

Chocolate ao leite
Vinho do Porto Tinto Churchill’s Ruby Reserva (R$ 134,00)

333623_774989_grand_cru___san_marzano_passito_11_filari_primitivo_manduria_dolce_2014

Chocolate meio amargo
Vinho Tinto San Marzano Passito 11 Filari Primitivo Manduria Dolce 2014 500 Ml (R$ 149,00)

333623_774997_grand_cru___vinho_do_porto_tinto_churchill_s_tawny_10_anos

Chocolate amargo
Vinho Do Porto Tinto Churchill’s Tawny 10 Anos 500 Ml (R$ 259,00)

333623_774991_grand_cru___vinho_do_porto_branco_churchill_s_dry_white_10_anos

Chocolate branco
Vinho Do Porto Branco Churchill’s Dry White 10 Anos 500 Ml (R$ 189,00)

Fonte: Grand Cru

Harmonização com bacalhau: vinho branco ou tinto?*

Primeiramente, saiba que você não é o único que tem esta dúvida, esse peixe, que tem estrutura firme e sabor persistente, confunde, principalmente por ter vários tipos e níveis de qualidade.

Em geral, por se tratar de um peixe com sabor e aromas intensos, os vinhos assumem uma posição intermediária entre não se sobrepor ao bacalhau e se posicionar no momento da degustação.

Os vinhos brancos são mais refrescantes e leves, nesse caso a intensidade do bacalhau compromete a degustação do vinho, já os taninos dos tintos, em sua versão mais encorpada, travam uma batalha como o sal do peixe, e se sobrepõem ao sabor. Vale lembrar que existem centenas de receitas de bacalhau ensopado e receitas que levam muito molho. Elas combinam com os vinhos brancos jovens. Já receitas que levam mais sal casam com os taninos dos tintos.

bacalhau com vinho branco

Portanto, antes de definir o tipo de vinho é importante saber a receita que será preparada. Assim, além de aproveitar o bacalhau didaticamente como teste em suas diversas composições, o vinho posteriormente escolhido pode servir de aprendizado e construção de um conceito, determinando uma combinação de prato e bebida.

*Fábio Goes é enólogo

 

Dicas de presentes e vinhos para harmonizar com cardápio da Páscoa e chocolate

A World Wine apresenta sugestões de vinhos que vão ajudar a compor as mesas de Páscoa e harmonizar com os diferentes pratos típicos da época, incluindo o chocolate. Para acertar na hora de combiná-los, o sommelier da World Wine, André Zangerolamo, ensina que “a harmonização é a combinação entre os sabores dos alimentos e características do vinho, buscando como resultado, uma experiência agradável ao paladar”. Há também opções de presentes e promoções especiais para a data. Confira algumas dicas práticas com sugestões de rótulos:

Rocim Branco 2015

Bacalhau à Gomes de Sá –  prato português leve, com temperos tradicionais como alho, cebolas, salsa e azeitonas, combina com o frescor dos vinhos branco, como Herdade do Rocim Branco, do Alentejo, Portugal, 2016 – R$ 116,00, que tem aromas de frutas brancas e notas cítricas.

aluzé

Bacalhau com natas –  receita preparada com molho bechamel e gratinada ao forno harmoniza com vinhos maduros de aromas de frutas vermelhas, como o Aluzé DOC 2012, Douro, Portugal – R$ 121,00, que tem sabor frutado, sedoso, elegante e boa estrutura e frescor.

la vieille

Quiche de Cogumelos – prato que harmoniza com vinhos frescos como os do Vale do Rhône. A indicação é o La Vielle Ferme Rouge, França, 2016 – R$ 77,00. Possui sabor de frutas vermelhas frescas, como morangos e cerejas, notas defumadas e toques de especiarias doces. Seu final de boca é frutado, longo e fino.

Rendez Vous Sauvignon Blanc 2015

Quiche de Alho Poró – pede vinhos cítricos como o Premier Rendez – Vous Sauvignon Blanc 2016, Sudoeste, França – R$ 60,00. Esse vinho tem aroma de frutas cítricas, como maçã verde e grapefruit, frutas brancas, como peras e maçãs, além de notas herbáceas e toques vegetais. Seu final de boca é agradável.

carm douro

Rosbife – para acompanhar esse prato, a sugestão é o vinho Carm Tinto, Douro, Portugal, 2014 – R$ 99,00, um grande exemplar da região do Douro que harmoniza bem com carnes vermelhas. Apresenta sabores de frutas vermelhas e negras, notas defumadas, toques de especiarias e médio corpo, com taninos finos e sedosos. Seu final de boca é fresco e elegante.

Rocim Tinto 2013

Cordeiro – as receitas feitas com essa carne nobre pedem vinhos tintos como o Herdade do Rocim Tinto, Alentejo, Portugal, 2014 – R$ 133,00. Frutas vermelhas e pretas maduras se mesclam a notas de chocolate e especiarias, com taninos maduros e excelente frescor, revelando grande complexidade aromática e final de boca elegante.

quinta da falorca

Carne assada com legumes – para acompanhar, a pedida é um vinho de médio corpo, como o Quinta da Falorca 2012, Dão, Portugal – R$ 120,00. Esse vinho possui sabor de frutas vermelhas maduras, como cerejas e framboesas, notas florais e terrosos, além de toques mentolados e de especiarias, com final de boca fresco, mineral e equilibrado.

terra rossa

Filé mignon com molho à base de vinho tinto – a opção são os vinhos com uvas avermelhadas. A indicação é o Terra Rossa Primitivo di Manduria, Puglia, Itália, 2014 – R$ 267,00. Produzido com videiras de 40 a 60 anos, passa por 12 meses de carvalho proporcionando toques aromáticos de especiarias, e traz no sabor nuances de doçura.

Krohn Senador Tawny

Chocolate – a sugestão para harmonizar é o Porto Krohn Senador Tawmy, Porto, Portugal – R$ 94,00. Seu aroma de frutas vermelhas maduras, notas de especiarias e toques defumados, harmoniza perfeitamente com sobremesas. Seu final de boca possui leve doçura, com final persistente e agradável.

Além dessas dicas, a World Wine preparou promoções especiais. Na compra de dois vinhos uruguaios Garzón Reserva Albarino 2016 (R$ 106,00), que harmoniza muito bem com receitas que levam bacalhau, o cliente ganha uma garrafa do azeite de Oliva Extra Virgem “Colinas de Garzón”, 500 ml.

valpolicella

Já na compra do vinho italiano da Zenato, o Valpolicella Clássico Superiore DOC 2014 (R$ 150,00), o presente é uma taça Spiegelau Zenato. Ótima opção de presente!

Esqueça a gourmetização: Winet lança nova edição do curso básico de vinhos

Mais do que uma bebida para consumo, o vinho tornou-se uma experiência gastronômica acessível para todos

Os enófilos de carteirinha não são mais os únicos que podem apreciar um bom vinho harmonizado com o prato certo. Déco Rossi, consultor e especialista em vinhos da Winet, ministra em São Paulo mais uma edição do Curso de Introdução ao Vinho. Déco é um dos mais renomados especialistas em vinhos do país. Estuda no Instituto inglês Wine & Spirit Education Trust, concluindo o nível IV em 2018.

Composto por três aulas, Déco abordará com objetividade e fácil linguagem sobre as curiosidades gerais no mundo do fermentado, passando pelo serviço do vinho, técnicas de degustação, principais uvas, produção, princípios de harmonização e conhecimentos sobre os maiores países produtores da bebida.

O objetivo principal do curso é desmitificar a complexidade dos estudos do vinho e introduzir o tema para quem tem pouco ou nenhum conhecimento técnico sobre a bebida. Não há regras, as aulas podem ser frequentadas tanto para aqueles que já bebem e querem aprofundar o conhecimento.

vinho-tributos-consumo

O curso terá início no dia 10 de abril, seguido pelos dias 17 e 24 de abril. As aulas vão ser realizadas no Wine Brasil, localizado no bairro Vila Olímpia, zona sul de São Paulo, com o valor de R$ 660,00.

Mais informações sobre o curso:
Curso de Introdução ao Vinho – Winet
*Datas: dias 10, 17 e 24 de abril.
Horário: 19h às 22h.
Endereço: Wine Brasil – Rua Lourenço Marques, 59 – Vila Olímpia, São Paulo/SP.
Valor: R$ 660,00 ou 2x de R$ 330,00.
Inscrições no e-mail: cursos@winetclub.com.br

*As datas foram alteradas após a publicação da nota. Estas acima são as atuais.