Arquivo da tag: alimentação saudável

Os benefícios de uma dieta baseada em proteína vegetal

Hoje em dia as pessoas estão cada vez mais cultivando o hábito de dar a devida atenção a sua alimentação. Por isso é importante estar atento, por exemplo, ao tipo de proteína consumida, um elemento importante para uma dieta saudável. Sendo assim, especificamente a proteína vegetal vem contando com estudos que comprovam o quão benéfico esse tipo de alimento pode ser para uma saúde de qualidade. Para saber mais, confira abaixo os sete benefícios de uma dieta baseada em proteína não animal.

-Prevenção de doenças cardiovasculares

coração bibiana

De acordo com uma recente revisão do Colégio Americano de Cardiologia, uma alimentação baseada em vegetais integrais contribui não só para a prevenção de doenças cardiovasculares, como também pode interromper e reverter a progressão dessas condições, que são a principal causa de morte no mundo.

-Não é difícil ter acesso a esse tipo de alimento

castanha do brasil

Muitos alimentos vegetais são ricos em proteínas, um claro exemplo disso são as leguminosas, os cereais integrais, algumas frutas, verduras, legumes e as sementes oleaginosas como linhaça, gergelim e castanha-do-pará e de caju. Além disso, para quem tem restrições alimentares e/ou quer um produto prático e de qualidade, é possível encontrar as proteínas vegetais em forma de suplemento.

sunwarrior2 apolloandluna
Sunwarrior – Foto: ApolloAndLuna

No Brasil, a proteína Sunwarrior está começando a ganhar destaque por ser extraída do grão de arroz integral germinado e fermentado e é comprovadamente mais nutritiva, quando comparada a outros cereais. O alimento é também hipoalergênico, sem conservantes, livre de soja, sem lactose, sem glúten e não contém substâncias transgênicas.

-Essencial para o público vegano

mulher frutas alimentos FreeGreatPicture 3

A proteína vegetal seja in natura ou na forma de suplementos como a Sunwarrior, é uma dica valiosa para a alimentação do público vegano. Uma porção (scoop) de 21 gramas desse tipo de alimento oferece, em média, 17 gramas de proteínas e 80 calorias.

-Músculos mais fortes

musculação mulher academia pixabay scottwebb
Foto: Scott Webb/Pixabay

As proteínas vegetais conseguem agir no crescimento, desenvolvimento e na reparação muscular. Por esse motivo, muitos atletas e esportistas acrescentam o alimento em sua dieta para auxiliar na boa performance física.

-Organismo equilibrado

vegetais jerzy gorecky
Foto: Jerzy Gorecki

As proteínas de origem vegetal possuem aminoácidos e outros nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo. Além disso, elas são digeridas com mais facilidade e, no caso das 100% naturais, não há em sua composição aditivos químicos – substâncias que são prejudiciais à saúde.

-Impactos mínimos ao meio ambiente

meio ambiente
Foto: Cohdra/Morguefile

A produção das proteínas vegetais utiliza uma quantidade menor de recursos do meio ambiente, comparada à fabricação de outros produtos. Esse é um aspecto importante em meio a um contexto em que a sustentabilidade se faz mais do que nunca necessária.

-Pressão arterial sob controle

hipertensão pressão

O alimento vegetal possui baixo índice de gorduras e é livre de colesterol, por isso seu consumo pode auxiliar a regular a pressão arterial. Algumas pesquisas, inclusive, atestam que os aminoácidos presentes nas proteínas vegetais podem ajudar a prevenir a hipertensão, uma condição grave que afeta a qualidade de vida de muitas pessoas.

Fonte: Sunwarrior Brasil

 

 

Cacau é o novo queridinho das dietas nesta estação

Conheça os benefícios que o consumo regular do fruto pode trazer para a sua saúde e boa forma

No inverno, devido às baixas temperaturas, muitas vezes acompanhadas por aquela chuvinha constante que diminui ainda mais a sensação térmica, os programas ao ar livre ou fora de casa ficam comprometidos. As pessoas migram de lugares abertos para ambientes fechados e aconchegantes que proporcionam maior conforto e abrigo do frio. Consequentemente os cardápios também sofrem alterações, dando lugar a pratos quentes e mais encorpados, que aumentam a sensação de bem-estar. Entre eles estão os derivados de cacau, que figuram no topo da lista dos alimentos que são a cara da estação, afinal quem resiste a um belo fondue de frutas ou um chocolate quente bem cremoso?

O fato é que essas delícias típicas podem colocar em risco a boa forma, por isso muitos tentam evitá-las. No entanto, o que boa parte das pessoas ainda não sabe é que é possível saborear esses quitutes de maneira saudável e sem prejudicar a dieta, especialmente quando se trata do cacau, que dá origem ao tão amado chocolate. Especialistas afirmam que o consumo do alimento, da forma correta, não só pode trazer diversos benefícios para nossa saúde como ainda é capaz de potencializar a dieta e enxugar a silhueta. O cacau, além de ser uma delícia, é considerado um dos alimentos funcionais mais poderosos.

As vantagens vão além da sensação de bem-estar

Segundo a nutricionista da Nature Center, Luciana Guerreiro, o fruto é rico em nutrientes que têm seus benefícios comprovados cientificamente: “Ele possui polifenóis e flavonoides, o primeiro elemento atua na redução da pressão arterial e também age para melhorar a saúde do coração, e o segundo trata-se de antioxidantes potentes, com ação extremamente hidratante, que age protegendo o organismo do excesso dos radicais livres – moléculas que, em grande quantidade, danificam vários tecidos corporais – e ainda previnem o envelhecimento precoce”.

De acordo com Luciana, além desses benefícios, os grãos contêm vitaminas, minerais e ainda possuem propriedades anti-inflamatórias e antialergênicas. “A polpa tem vitaminas A, B1, B2, e vitamina C, além de fibras e minerais como o magnésio, cobre, cromo, manganês, zinco ferro, fósforo e cálcio”.

O cacau carrega a fama de ser um grande aliado no combate ao mau humor e a maior vantagem atribuída ao fruto é a sensação de bem-estar gerada graças ao estímulo à produção de serotonina, mas a especialista afirma que seu efeito benéfico se estende muito além disso, confira os principais:

mulher sorrindo

Melhora o bom-humor: o fruto contém um aminoácido chamado triptofano que é responsável pela produção de serotonina, neurotransmissor ligado ao bem-estar, e ainda é fonte de dopamina, que auxilia em uma maior sensação do prazer;

Excelente para mulheres: o triptofano também ajuda na saúde feminina prevenindo corrimentos, auxiliando no aumento da lubrificação íntima e combatendo os sintomas da TPM;

pele_linda

Melhora a saúde da pele: algumas substâncias como o retinol, ácido ascórbico e vitaminas do complexo B estão presentes no cacau, por isso o alimento é utilizado em máscaras que promovem a hidratação e oxigenação da pele. A nutricionista explica que: “O ácido ascórbico auxilia na eliminação das células mortas e suaviza as linhas finas por meio da esfoliação e os antioxidantes ajudam a retardar o processo de envelhecimento da pele”;

Amigo do coração: por ser fonte de magnésio, o cacau é capaz de diminuir as chances de coágulos sanguíneos se formarem o que, consequentemente, reduz os riscos de ataques cardíacos e derrames;

Fortalece a imunidade: o alimento estimula a produção de um tipo de glóbulos brancos: os linfócitos, que agem no sistema imunológico humano, defendendo o organismo contra vírus e bactérias;

Chocolate-bom-pra-saúde

Aliado do cérebro: os flavonoides também auxiliam na prevenção de patologias como a demência, poisa síndrome está relacionada a um fluxo menor de sangue ao cérebro, e o fito nutriente trabalha justamente aumentando a circulação sanguínea e de oxigênio nessa área. “A dopamina presente no cacau também atua no controle do movimento e memória, já a feniletilamina age no sistema nervoso central, por isso ele é associado à um melhor desempenho cognitivo” – afirma a nutricionista.

Cacau e boa forma

O cacau ajuda o corpo a metabolizar o açúcar e reduzir a resistência à insulina, por isso, ele é considerado um aliado na luta contra a diabetes. Seus polifenóis contribuem para o aumento da sensibilidade ao hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue. O fruto também ajuda a regular a flora intestinal, pois flavonoides presentes em sua composição servem como alimento para as bactérias probióticas, que beneficiam o funcionamento do intestino.

Além disso, estudos apontam que o consumo de derivados do cacau antes e depois dos exercícios físicos pode aliviar o desgaste muscular e as dores, contribuindo também no processo de regeneração muscular e ainda melhora a oxigenação nessa área durante o treino, aumentando a performance, por ser um potente vasodilatador.

cacau AlexandreHenryAlves
Foto: Alexandre Henry Alves

Consagrado pelo chocolate

O cacau é a principal matéria-prima de um dos doces mais amados no Brasil e no mundo. É difícil encontrar quem não aprecie o quitute, no entanto, para aproveitar os seus benefícios, o chocolate deve apresentar uma boa concentração do fruto, além disso, para conservar o efeito dos seus nutrientes é preciso ficar atento aos outros componentes da fórmula.

De acordo com a lei para ser comercializado como chocolate o alimento deve conter no mínimo 25% de cacau em sua composição, mas isso não o qualifica entre os melhores para a saúde e dieta, pois, os 75% restantes geralmente são compostos por leite integral, açúcar, aditivos, gordura hidrogenada e outras substancias químicas.

A nutricionista explica que o ideal é optar por versões com um percentual de cacau maior, pois, quanto mais elevada for a quantidade do fruto maior será o potencial nutritivo do alimento. “Não adianta consumir um chocolate rico em açúcar, ele vai gerar um pico de açúcar no sangue e logo, do hormônio Insulina, gerando mais fome, compulsão e a temida gordurinha abdominal”, diz a nutricionista.

Outra dica da especialista é evitar o chocolate diet: “Ele é indicado somente para quem tem diabetes por não conter açúcar, mas para quem não possui a doença ele não é uma boa opção, pois contém a química de um adoçante de qualidade ruim e também pode gerar pico de Insulina, somente pelo sabor doce que ele contém. O consumo recomendado para um cardápio saudável deve girar em torno de 30 gramas da guloseima por dia, mas procure sempre os chocolates com percentual de cacau acima de 60% e com xilitol ou stevia, adoçantes mais naturais, quando usados”.

Veja os diferentes tipos e suas características

chocolate amargo pixabay

50%: Indicado para quem quer começar a degustar um chocolate com maior qualidade. Nesse percentual é possível sentir um gosto diferenciado e uma acidez mais intensa;
60%: Essa versão apresenta um traço amargo mais acentuado e maior índice de retrogosto –lembrança do gosto que permanece na boca após o consumo do alimento;
75%: Esta faixa de concentração de cacau apresenta um equilíbrio entre o prazer do sabor e a qualidade do produto. Seu gosto é intenso e marcante.
85%: Nesta versão o sabor intenso e amargo remete ao café preto e sua textura derrete de forma bem lenta na boca. Não contém adição de açúcar.
99%: É um dos mais difíceis de ser encontrado no mercado e possui um sabor salgado, porém é o que apresenta maior concentração de flavonoides.

Outras versões do cacau

Há outros subprodutos do cacau para o consumo, como sua polpa, suco, geleia, destilados finos e sorvete. Ao contrário do que acontece com a formulação do chocolate que, além do fruto, recebe vários outros ingredientes que o tornam gorduroso e calórico, alguns itens, como a polpa e o cacau em pó, se mostram uma alternativa mais atraente para quem deseja potencializar a dieta e manter a boa forma, aproveitando ao máximo todos os nutrientes do alimento.

cacau

Utilizado nas mais variadas receitas, a versão em pó é livre da adição de açúcar e é altamente recomendada como substituta para os tradicionais achocolatados consumidos com frequência no café da manhã. A especialista ainda afirma que o cacau em pó pode agregar sabor e saúde à diversos preparos: “Pode ser polvilhado em cima do iogurte ou de frutas como a banana, por exemplo, sem a necessidade de adoçar, ou usado na preparação de bolos, cookies, panquecas, shakes e vitaminas. Outra opção é preparar o chocolate quente, que é a cara do inverno, com o chocolate em pó em leites vegetais como leite de castanhas, de amêndoas e de coco. Como o sabor dessa versão é mais forte e marcante, não é preciso utilizar muito, a quantidade vai depender da receita e do paladar”, finaliza

Fonte: Nature Center

 

Alimentação viva é saborosa e favorece a cura; veja receitas

Os benefícios da alimentação viva ou crua já são alvo de muitas pesquisas e teses, pois esta forma de se alimentar propõe um novo relacionamento com a comida. ”

A alimentação viva ou crua assegura uma verdadeira faxina no tubo digestivo, levando embora, junto com as fezes e demais formas de excreção, uma grande quantidade de toxinas e resíduos, proporcionando alívio e leveza”, afirma o especialista em Medicina Tradicional Chinesa e Chef Detox Internacional Elias Pereira.

Ele conta que os alimentos in natura e frescos são dotados de propriedades despoluidoras, depurativas e desintoxicantes. Dentro da alimentação viva, até podem ser aquecidos, porém, até a temperatura de 42 graus para não prejudicar as enzimas nutricionais dos alimentos.

O terapeuta explica que a forma de preparação dos alimentos vivos é criativa, rápida e é possível servir refeições curativas para toda a família em pouco tempo. Ele ainda acrescenta que essa alimentação é muito saborosa, basta ter as receitas que hoje estão disponibilizadas facilmente e também se informar mais sobre o assunto. Além de refeições para o almoço e jantar, essa alimentação inclui sobremesas, muitos doces, sucos e shakes, tudo preparado com alimentos frescos.

“Infelizmente, o hábito de incluir e consumir alimentos vivos tem diminuído nos últimos anos, frente aos produtos industrializados, de rápida preparação, por serem acessíveis e, até mesmo, por alguns serem econômicos. Porém, essa forma de se alimentar com produtos industrializados repletos de conservantes e saborizantes vicia o paladar e está longe de ser saudável”, diz Pereira.

E ele completa: “O consumo da dieta viva traz concentrações significativas de macronutrientes e micronutrientes, o que proporciona aporte nutricional adequado. Alimentos como tomate cru, verduras, suco de limão, legumes, grãos e sementes germinados, quando consumidos da forma correta, atendem todas as tabelas nutricionais e ainda trazem saúde e vitalidade”.

Em 2006, o pesquisador Lenka J. Zajic realizou um estudo sobre a dieta de alimentos crus com 500 participantes consumidores destes alimentos. O estudo demonstrou que as pessoas que comiam alimentos crus (80% a 90% do prato) apresentaram melhorias significativas no índices de imunidade e na digestão, diminuíram ou extinguiram as alergias e doenças e baixaram o peso. Outros benefícios constatados em vários estudos é a qualidade de vida obtida com o aumento da energia física, mais equilíbrio e bem-estar emocional e mental.

“Não parece haver dúvida de que, pelo menos inicialmente, comer uma dieta rica em alimentos crus pode reduzir ou curar muitos problemas de saúde”, afirmou Zajic.

Torta de Chocolate com Frutas Vermelhas.png
Torta de chocolate com frutas vermelhas

Dieta crua dá mais energia

Estudos apontam que a alimentação crua – ou comida viva – aumenta a energia, já que os alimentos crus contêm enzimas que ajudam o corpo a fragmentar o alimento. Existem algumas razões para essa conclusão e uma delas é que o corpo não precisa gastar tanta energia para digerir o alimento cru, enquanto ocorre o contrário com o alimento submetido às altas temperaturas.

Entre os adeptos da  crudoterapia ou “alimentação viva” pesquisados, a resistência cardiovascular melhorou em cerca de 67%. Ocorreu também um aumento exponencial nos níveis de energia, de 31% para 88%, desde a mudança para a dieta com alimentos crus. Os participantes da pesquisa relataram níveis de energia “bons” ou “excelentes”.

“Cada um de nós tem cerca de 75 trilhões de células no corpo. Cada uma depende de enzimas, que são proteínas de vida, para funcionar de forma eficiente. Sem enzimas, todas as reações químicas do corpo são afetadas. Todos os tecidos, músculos, ossos, órgãos e células são executados por auxílio de enzimas, a natureza, por meio da alimentação viva, abastece o corpo de enzimas protetoras e regeneradoras, que controlam todo o sistema oxidante”, explica Pereira.

Para ele, a causa de muitas doenças está diretamente ligada com a dieta, uma revisão de 264 estudos científicos descobriu que comer vegetais ajuda a proteger contra cancro de estômago, esôfago, pulmão, boca, garganta, útero, pâncreas e cólon, e quanto mais porções ingeridas, melhor. O maior benefício vem da ingestão de vegetais crus e de preferência orgânicos: cenoura, alho, cebola, verduras de variedades crucíferas como: brócolis, couve, agrião, nabo, repolho verde e roxo, entre outros.

Além do câncer, para Pereira, outras patologias poderiam ser evitadas e até mesmo curadas com a ingestão da dieta viva, como, por exemplo, pressão alta, tumores em geral, obesidade e depressão, entre outras. Alguns dos benefícios que a alimentação viva proporciona são: maior disposição física; qualidade do sono; entusiasmo em viver; redução de apetite para alimentos de difícil digestão e maior sensação de bem-estar.

Elias Pereira

Elias Pereira tem 36 anos, é quiroprata e especialista em Medicina Tradicional Chinesa. Formado em 2002, é referência internacional em desintoxicação e cura de doenças crônicas por meio de mudanças nos padrões alimentares, mentais e emocionais. Atua também como chef, ensinando culinária saudável baseada em pesquisas realizadas principalmente em dietas curativas do câncer.

Estudou com russos e croatas mais de 300 tipos de tratamentos para reversão de doenças por meio da alimentação e mudanças em padrões de pensamentos. É palestrante do tema alimentação curativa, escritor, professor, autor do livro digital “Meu Verdadeiro Detox” e compartilha conhecimentos sobre alimentação e estilo de vida verdadeiramente saudáveis no site e na Fanpage.

Confira algumas receitas:

Pudim de Figo com Abacaxi e Calda de Ameixa

PUDIM DE FIGO.png

Ingredientes
• 1kg de figos frescos picados
• ½ abacaxi cortado em cubinhos com o centro
• ½ xícara de óleo de coco
• Suco de 1 limão
• 1 xícara de ameixa seca sem caroço
• 1 copo de água de coco verde

Modo de preparo
Molde a base, picando e amassando os figos em uma forma de aro removível. No liquidificador, junte o abacaxi em cubinhos com o suco de um limão e o
óleo de coco, bata bem e coloque por cima da base de figos. Leve ao freezer por uma hora. Minutos antes de servir, desenforme, bata a água de coco com as ameixas no liquidificador e coloque por cima sem coar. Sirva em seguida.

Macarrão Pappardelle de Legumes com Molho de Nozes

Macarrão papardelle

Um prato leve de ‘massa’ feito com tiras de abobrinha e cenoura temperadas com molho cremoso. A adição de manjericão e azeitonas cria um prato no mais puro estilo mediterrâneo com baixas calorias.

Ingredientes
Massa:
• 2 abobrinhas
• 2 cenouras descascadas
• Sal rosa do Himalaia a gosto
• Azeitonas a gosto
• Manjericão a gosto
• Pimenta do reino a gosto

Creme de Nozes:
• 1 pimentão vermelho picado
• 1 pedaço de alho poró
• 6 tomates secos picados
• 1 punhado de nozes
• 2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
• 1 limão
• Sal rosa do Himalaia a gosto

Modo de preparo
Para o molho, bata tudo no liquidificador até ficar homogêneo. Acrescente um pouco de água, se necessário. Com um descascador de legumes, corte as abobrinhas e as cenouras em tiras finas no sentido do comprimento. Coloque-as numa tigela e polvilhe o sal rosa. Junte as azeitonas e molho suficiente para cobrir a ‘massa’. Espalhe o manjericão por cima e tempere com pimenta do reino a gosto.

Canelole de Abobrinha com Queijo de Girassol e Amêndoas ao Molho Vermelho

canelones

Ingredientes
1 abobrinha cortada em fatias longitudinais
1 xícara (chá) de sementes de girassol sem casca, deixadas de molho por 12 horas em água filtrada
1\2 xícara (chá) de amêndoas cruas, deixadas de molho por 12 horas em água filtrada
Orégano a gosto
1 limão
Sal rosa do Himalaia
1 tomate
Manjericão roxo fresco a gosto
Pimenta caiena em pó
Pimenta vermelha em pó

Modo de preparo
Coloque no liquidificador o tomate com meio limão, uma pitada de pimenta caiena, uma pitada de pimenta vermelha, sal rosa e as folhas de manjericão roxo fresco. Bata tudo e depois reserve. Este molho servirá para regar o canelone no final. Em seguida, bata no liquidificador as sementes de girassol, a outra metade do limão, um pouco de orégano e uma pitada de sal rosa. Com esse queijo, recheie a abobrinha, enrole e prenda com um palito, regue com molho vermelho e sirva.

Leite de Amêndoas

leite de amendoas.JPG

Ingredientes
1 xícara (chá) de amêndoas inteiras com pele
Água filtrada suficiente para deixar de molho
3 xícaras (chá) de água filtrada ou água de coco verde

Modo de preparo
Cubra as amêndoas com água e deixe de molho durante uma noite. No dia seguinte, escorra as amêndoas. Jogue a água fora e enxágue-as ligeiramente. Coloque as amêndoas e a água limpa no liquidificador e bata durante um minuto na velocidade máxima. É importante que as amêndoas fiquem bem trituradas, por isso o mais indicado é um liquidificador potente. Cubra uma vasilha de plástico ou vidro funda com o tecido que será usado como coador (o melhor é o voil). Despeje o leite sobre o tecido e junte as pontas pra formar uma trouxa tomando cuidado para o líquido não escapar pelas bordas. Com uma mão, torça ligeiramente as pontas enquanto a outra espreme a trouxa até extrair todo o líquido.

Suco Antioxidante de Uva com Beterraba

suco de uva beterraba pinterest
Imagem meramente ilustrativa – Pinterest

Ingredientes
1 beterraba pequena
1 xícara (chá) de uva
1 copo de água de coco verde

Modo de preparar
Bata todos os ingredientes e tome em seguida.

 

Boa alimentação pode ajudar no combate a vírus e bactérias

A importância de cuidar da saúde todo mundo já conhece, porém, cada vez mais, os recursos para tais cuidados vem aumentando, deixando as pessoas mais bem informadas e apresentando novas alternativas e cuidados com a saúde, alimentação e o próprio bem-estar.

Uma alimentação saudável, por exemplo, ajuda a aumentar a imunidade do corpo contra vários tipos de vírus e bactérias, pois o estilo de vida que cada indivíduo tem influência na maneira pela qual seu corpo opta reagir quando se depara com alguma anormalidade.

De acordo com Fred Chao, a medicina oriental explica que os sintomas que uma doença apresenta são problemas internos, mostrando que o corpo apresenta uma baixa imunidade. “Doença é alarme, se você quer acabar com o sintoma é só se alimentar bem, pois assim a imunidade do seu organismo vai ficar mais forte, ajudando a combater vírus e bactérias”.

Para a ideologia macrobiótica, a alimentação, respiração, movimentação e pensamento são pilares que ajudam a cuidar da saúde do ser humano, o auxiliando, principalmente, a dar um equilíbrio entre corpo, mente e alma.

Além dos cuidados com alimentação, praticar exercícios físicos, ter boas noites de sono e levar uma vida menos estressante são fundamentais para ajudar no aumento de imunidade do corpo. E por isso, o principal objetivo da alimentação macrobiótica é auxiliar as pessoas a terem um estilo de vida preventivo. “Se você se preparar antecipadamente para o que pode acontecer, quando enfrentar um problema, terá condições de transformá-lo de tal forma que não adoeça ou fique emocionalmente descontrolado”, argumenta Chao.

alho limão

A ingestão correta de alimentos e líquidos pode ajudar o organismo a combater melhor qualquer tipo de problema que o corpo venha a apresentar. Quando cometemos excessos, por exemplo, é fácil notar que ficamos cansados facilmente, com mais sono, mais apetite, sensação de estufamento, entre outros sintomas. E é por isso que cuidar da alimentação é a melhor forma de cuidar da saúde. É algo que está ao alcance de todas as pessoas e que ajuda o corpo a reagir melhor contra qualquer sintoma ruim que possa surgir.

Clorofila

O Centro de Autoeducação Vitalícia trabalha com todas as necessidades do indivíduo. Por meio da culinária macrobiótica e as atividades físicas que preparam o corpo para receber nutrientes e boas vibrações, compõem-se uma estrutura ideal, preparada para as rotinas do ser humano. Como já dizia Hipócrates, o pai da medicina, “faça do seu alimento o seu remédio”. E é nesta frase que se resume a ideologia do Centro de Autoeducação Vitalícia.

O principal objetivo da micromacrobiótica é proporcionar um estilo de vida preventivo, lidando com as quatro funções independentes de cada indivíduo: a alimentação, movimentação, respiração e o pensamento. O mais importante é saber controlar estas quatro atividades, assim, você terá o controle da própria vida e do próprio destino.

medications-cure-tablets-pharmacy-50994

Em relação ao espaço, no restaurante Clorofila os clientes podem desfrutar de uma loja de produtos naturais, uma padaria, um mercado de frutas e verduras orgânicos e claro, o buffet de comida saudável e refeições macrobiótica. Além disso, o Clorofila oferece aulas de ioga e ritmoprática, consultas e um belo e agradável jardim.

Restaurante Clorofila: Rua Saldanha Marinho, 1110, Centro. – Curitiba – PR -Horário de funcionamento: das 9 às 18h30.

 

Dia Nacional de Combate ao Colesterol: saiba mais o assunto

Cardiologista do HCor explica diferenças entre colesterol bom e ruim

Total, HDL e LDL. Entenda o que significa cada uma, qual sua importância e como mantê-los em níveis controlados para evitar doenças cardiovasculares graves

O colesterol vem sendo estudado e combatido há décadas. Embora seja importante para várias funções do organismo, em excesso, ele pode provocar a obstrução de vasos sanguíneos no coração, cérebro e sistema circulatório. O problema é que, sem um exame de sangue, fundamental para identificar se há risco de doenças cardíacas, é impossível saber se o colesterol está ou não alterado. Por isso, manter uma dieta equilibrada, praticar exercícios físicos e controlar o peso são ótimas medidas para manter o colesterol total, bom (HDL) e ruim (LDL) dentro dos índices recomendados. Mas você realmente sabe a diferença entre eles?

Em prol do Dia Nacional de Combate ao Colesterol, comemorado nesta terça-feira, 8 de agosto, o Prof. Dr. Antonio Carlos Chagas, cardiologista do HCor – Hospital do Coração, explica as principais diferenças entre os tipos de colesterol e orienta como controlá-los.

Colesterol, o que é?
O colesterol é um tipo de gordura encontrada no organismo. Ele é usado para produzir alguns hormônios, como vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras. Mais da metade do colesterol é produzido pelo próprio organismo. Já a porção restante é proveniente da dieta. Trata-se de um dos mais importantes fatores de risco para doença cardiovascular.

HDL, o bonzinho
O papel do HDL é remover o excesso de colesterol dos tecidos, levando-o para o fígado. Estudos sugerem que um indivíduo que apresente concentrações elevadas de HDL está mais protegido contra o infarto. Chagas explicar que o HDL não se mistura ao sangue. “Ele age como um protetor evitando problemas cardíacos e aterosclerose, doença caracterizada pela formação de placas de gordura que diminui o fluxo sanguíneo e força o coração a trabalhar cada vez mais intensamente, causando problemas cardiovasculares graves”, esclarece.

LDL, o vilão
Este colesterol transporta colesterol e um pouco de triglicerídeos do fígado e do intestino para os tecidos. O LDL alto favorece a formação de placas nos vasos do coração e do cérebro, restringindo a passagem de sangue, que pode levar a um infarto ou AVC. “O acúmulo de placas de gordura nas artérias começa na infância, mas só vai se manifestar em idade avançada, ou seja, décadas mais tarde. Por isso, é importante incentivar o consumo de alimentos ricos em fibras, vegetais, frutas e verduras, cada vez mais cedo”, diz Chagas.

vegetais

Índices recomendados
Para adultos maiores de 20 anos, os valores de LDL devem estar abaixo de 100mg/dl, enquanto o HDL deve ser superior a 60mg/dl. O colesterol total, que nada mais é do que a soma de todos, não deve ultrapassar 200mg/dl.

Quando monitorado, colesterol evita problemas cardiovasculares e morte

Como foi dito, colesterol é uma gordura produzida pelo próprio corpo e essencial à saúde. Em excesso, porém, a gordura tende a se depositar nas artérias, provocar a oclusão, ou seja, o fechamento destas e a interrupção parcial ou total do fluxo de sangue, causando acidente vascular cerebral (AVC) e infarto do coração. As doenças cardiovasculares são responsáveis pela morte de milhares de pessoas no mundo. No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), esse número chega a 300 mil pessoas.

O médico Luiz Fernando Kubrusly, cirurgião cardiovascular e diretor clínico do Hospital VITA, em Curitiba, alerta que deve ser evitada a ingestão de gorduras saturadas (animais) em excesso. Além disso, “a terapia medicamentosa é a parte mais importante do tratamento, equivalendo a 70%, e os outros 30% estão relacionados à dieta e mudanças de hábitos de vida, ressalta.

Ataques cardíacos evitados

O nível de colesterol pode ser um medidor da saúde do coração, já que 50% dos ataques cardíacos podem ser evitados com o controle da substância. Kubrusly explica que o “bom” colesterol, isto é, o HDL (lipoproteína de alta densidade ou Hight Density Lipoprotein, em inglês), deve estar acima de 50 mg/dl, e o “ruim”, o LDL (lipoproteína de baixa densidade) – um dos principais fatores de risco à saúde do coração, assim como hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, obesidade e sedentarismo – abaixo de 100 mg/dl. Segundo ele, esses valores podem ser diferentes para pacientes que já apresentam a doença ou problemas cardíacos. “Caso haja histórico familiar de doenças coronarianas, o índice deve estar ainda mais baixo que esses valores”, frisa Kubrusly.

Hábitos saudáveis ajudam a baixar o colesterol

Uma dieta rica em fibras propicia a diminuição da absorção de colesterol com alimentos ricos em flavonoides, como o chocolate amargo, chá verde e o vinho tinto (um cálice = 140 ml ao dia). Recomenda-se também a prática regular de atividades físicas. Os exercícios devem ser realizados em uma média de 120 a 150 minutos semanais, divididos da forma que mais se adapte às necessidades da vida da pessoa.

chá verde

Ao contrário do que muitos pensam, o colesterol não tem a ver com obesidade, uma pessoa obesa com IMC elevado pode ou não ter colesterol alto, assim como uma pessoa magra pode ou não ter. “Pessoas que têm hipercolesterolemia, ou seja, genética de colesterol elevado, têm que monitorar os níveis da substância, realizar a cada três ou quatro meses exames, e ter acompanhamento profissional, com médico ou nutricionista”, evidencia Kubrusly.

Suplementação com ômega 3

O ômega 3 é um tipo de gordura benéfica que não é fabricada no organismo. Por isso, necessita ser ingerida. Kubrusly relata que é um anti-inflamatório potente que protege os vasos. Quem possui colesterol alto, e mesmo as pessoas que não têm o problema, devem consumir via dieta (salmão, peixes de água fria, abacate, nozes e linhaça). Caso o indivíduo não tenha uma alimentação adequada, indica-se a suplementação por meio de cápsulas (indicado ingerir 1g ao dia).

abacate

Fontes: HCor e Hospital Vita

 

Chef ensina a fazer tortinha saudável com abacate

Fruta é rica em ômega 9 e ajuda a aumentar o bom colesterol

Considerado por muitos como vilão por ser altamente calórico e gorduroso, o abacate ganha espaço em preparos culinários que passam longe da tradicional combinação abacate, limão e açúcar. A chef da Fevitto Integrais, Fernanda Rossi, explica que o alimento pode ser usado em doces e salgados.

“A fruta pode ser usada para incrementar molhos, saladas, mousses, bolos, aperitivos, smoothies, além do que a sua imaginação permitir”, diz a chef.

Apesar de seu alto valor calórico, 170 kcal em 100 gramas, é um alimento bastante interessante para ser incluído na dieta por suas propriedades antioxidantes e seu alto teor de fibras. O abacate é rico em ômega 9, um dos únicos complexos que conseguem aumentar significativamente e comprovadamente o colesterol bom (HDL).

abacate 1

Ele também é fonte de gorduras monoinsaturadas, considerada a gordura “do bem”, que ajuda na saciedade; além de ser praticamente isento de carboidratos e sem colesterol. E se você quer variar e experimentar um novo prato com a fruta, conheça a opção saudável que a Chef Fernanda Rossi, da Fevitto Integrais, desenvolveu: Tortinhas fit de abacate e cacau.

Tortinha fit de abacate e cacau

Ingredientes da massa
– 1 xíc. tâmaras
– 1 xíc. nozes
– 1 xíc. coco ralado
– 1 colher (chá) essência de baunilha
– 2 paus de canela

Modo de preparo
Cobrir as tâmaras com água quente, acrescentar a baunilha e a canela. Deixar hidratando por uma hora. Reservar o líquido da hidratação das tâmaras, descartando os paus de canela. Bater em um processador as tâmaras até virar um creme homogêneo, acrescentar as nozes e o coco ralado. Processar bem, até virar uma massa homogênea que não grude nas mãos. Dividir a massa em 6 porções e cobrir o fundo e as laterais de 6 forminhas de fundo removível. Reservar.

Ingredientes creme
– 1 abacate grande maduro
– 4 colheres (sopa) açúcar demerara
– 2 colheres (sopa) cacau em pó
– 1 colher (chá) essência de baunilha
– ½ xícara da água da hidratação das tâmaras.

Modo de preparo recheio
Bater no processador o açúcar demerara com a água das tâmaras. Em seguida acrescentar o abacate, a essência de baunilha e o cacau. Processar até ficar uma pasta homogênea, sem pedaços de abacate. Encher as forminhas, que já estão com a massa, com este creme e levar para gelar por pelo menos 4 horas. Após este período, desenformar com cuidado e decorar a gosto (sugestões: morangos frescos, uvas sem sementes, nozes e lascas de coco fresco).

tortinha_abacate2.jpg

Fonte: Fevitto

 

 

Fibras: por que este nutriente é essencial para nossa vida? – por Viviane Kim*

Em algum momento você já ouviu algo relacionado a fibras, mas talvez não tenha percebido o quanto elas são importantes na nossa alimentação. Conhecido por ser um tipo de carboidrato que não pode ser digerido pelo nosso organismo, esse nutriente tem papel fundamental na nossa saúde e na melhora do funcionamento intestinal.

Em alguns alimentos podemos encontrar dois tipos de fibras, as solúveis e as insolúveis, que são divididas pela sua capacidade de reter ou não a água. As fibras solúveis são aquelas que absorvem água, aumentando o seu volume e formando uma espécie de gel. Um exemplo bastante conhecido é a semente de chia, muito utilizada nas dietas para perda de peso, que ao contato com água aumenta em até doze vezes seu volume, dando sensação de saciedade.

linhaça

Já as fibras insolúveis são importantes para o funcionamento intestinal, pois elas permanecem intactas passando por todo intestino. Sua função é facilitar os movimentos peristálticos e ajudar na eliminação de fezes. Um exemplo de alimento rico em fibra insolúvel é a semente de linhaça, que auxilia na defesa do organismo e o retardo do envelhecimento das células, protegendo a pele e ajudando na prevenção de doenças como câncer e problemas cardíacos. As duas fibras são bastante poderosas e trazem diversos benefícios à saúde, como o controle da glicemia, redução dos níveis de colesterol, tratamento da celulite e manutenção da beleza da pele.

Segundo a American Diet Association, organização de profissionais de alimentação e nutrição, devemos consumir uma quantidade média entre 25 e 30 gramas de fibras diariamente. Pode não parecer, mas podemos encontra-las facilmente em alimentos como grãos, cereais, verduras, frutas, legumes em geral, leguminosas (feijão, grão de bico, lentilha, soja e ervilha), castanhas (amêndoas, amendoim, nozes e pistache) e sementes (de abóbora, chia, linhaça, entre outras). Lembrando que o consumo dos nutrientes acima precisa ser equilibrado e acompanhado de água.

Fibre-rich foods

Para finalizar, vale destacar que caso a fibra seja consumida em maior quantidade, é importante aumentar também o consumo de água, pois elas dão volume para as fezes e sem o consumo adequado de líquidos, elas ficam ressecadas e o intestino não funciona adequadamente.

*Viviane Kim, nutricionista da Liv Up, startup de alimentação saudável que traz para o mercado um mix de refeições, unindo praticidade com sabor de comida feita na hora e com o melhor custo

 

Secretaria dá dicas de alimentação saudável no inverno

O mês de agosto está recheado de dicas saudáveis para o Inverno, que serão disponibilizadas nas mídias sociais “Alimentação Saudável” e “Saudável e Barato” no Facebook, Youtube, Twitter e Instagram, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro).

No inverno, o organismo gasta mais energia para elevar a temperatura do nosso corpo. É por isso que sentimos mais fome. Desta maneira, a Secretaria traz opções saudáveis e nutritivas a serem consumidas nesta estação.

Um dos temas abordados nas redes será a seção “Legumi nossas: leguminosas para o inverno”, que apresentará postagens com informações nutricionais do grão de bico, lentilha e feijões branco, preto e carioca. “São ingredientes nutritivos e combinam muito bem em pratos quentes, como sopas e caldos”, comentou a nutricionista Milene Gonçalves, diretora do Centro de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Cesans), da Codeagro.

sopa.jpg

A programação também traz dois vídeos de receitas saborosas, como a sopa cremosa de alho poró no pão e a sopa de cenoura com gengibre e quinoa. Além disso, a equipe de nutricionistas da Secretaria preparou um artigo sobre alimentação no Inverno, que será divulgado nas redes sociais.

Os internautas também poderão votar na Enquete da Semana, na qual serão apresentadas duas opções de receitas quentes para o inverno.

Para José Valverde Machado Filho, titular da Codeagro, a campanha é uma iniciativa para orientar a população a se alimentar de forma prazerosa e saudável em todas as estações do ano. “Oferecer alternativas mais saudáveis e nutritivas para a sociedade contribui para a elaboração de políticas públicas de segurança alimentar mais eficientes, conforme nos orientam o secretário Arnaldo Jardim e o governador Geraldo Alckmin”, destacou.

Por: Myrela Santana da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Os melhores azeites para um jantar perfeito

Se você está pensando em preparar um belo jantar em casa, fique sabendo de uma coisa: ao contrário do que muitas marcas falam por aí, o sabor de um prato não depende apenas de uma pitada de amor e boa vontade (apesar de serem ingredientes importantíssimos), mas sim de um bom toque de azeite, especialmente se for espanhol.

Veja o infográfico, se inspire na seleção de azeites e garanta que o seu jantar seja mais temperado e saboroso:

 

Os-Melhores-Azeites-Para-Um-Jantar-Perfeito1.pngOs-Melhores-Azeites-Para-Um-Jantar-Perfeito2

Os-Melhores-Azeites-Para-Um-Jantar-Perfeito3

Informações: Os Azeites de Espanha

Aplicativo permite que usuários comprem direto de produtores rurais

No final de 2013, surgia em Curitiba o BeVeg, aplicativo que inovou ao permitir que os usuários pudessem encontrar estabelecimentos gastronômicos com boas opções vegetarianas e veganas. Agora, após o sucesso em todo o país, o BeVeg, idealizado por Vivian Schmitz e Tom Barros, passou por uma importante atualização e oferece a função delivery.

O aplicativo, disponível gratuitamente no Google Play e na Apple Store, permite que, além de pedir comida, os usuários façam a feira e o mercado sem sair de casa, tendo contato direto, por exemplo, com produtores de hortifrútis orgânicos. Outra facilidade é poder receber em casa quitutes de produtores locais, como salgadinhos e bolos.

BeVeg

“O BeVeg surgiu para unir consciência e tecnologia, facilitando e incentivando a escolha pelo vegetarianismo por meio de um aplicativo que localiza opções veg por ordem de proximidade do usuário. Além disso, a opção delivery possibilita que o usuário faça pedidos online para entregas em domicílio”, detalha Vivian Schmitz, que lembra que a ferramenta é ideal, também, para quem apenas simpatiza com o estilo de vida e gostaria de adotá-lo, mas não sabe onde encontrar boas opções.

O crescimento do BeVeg coincide com crescimento do número de vegetarianos no Brasil. Segundo dados publicados pelo Ibope/2012, o país conta com mais de 15 milhões de vegetarianos. As maiores concentrações são encontradas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente com mais de 792 mil e 632 mil. Curitiba, cidade de origem do BeVeg, aparece com mais de 194 mil vegetarianos. De acordo com pesquisa do Ipsos Group, também de 2012, 28% da população brasileira quer consumir menos carne.

Vivian Schmitz e Tom Barros
Vivian Schmitz e Tom Barros

 

“Com o passar dos anos, vemos consumidores cada vez mais antenados, realmente preocupados com a alimentação e, logicamente, com os problemas gerados pelo mercado mundial de produção de carnes. Pesquisas recentes demonstram que o mercado vegetariano tem passado por uma expansão constante, e é cada vez maior o número de pessoas que optaram pelo vegetarianismo e estão sedentos por opções de consumo”, explica Tom Barros.

Feira em casa

Mais do que oferecer empreendimentos gastronômicos e refeições prontas, após sua última atualização o BeVeg sentiu que tinha chegado o momento de trabalhar novas opções e serviços. Na nova aba “Feira”, que acaba de ser adicionada na ferramenta, o usuário encontra empórios e produtores locais que comercializam, entre outros, frutas, orgânicos, hortifrútis, sucos, especiarias, sementes e grãos. Assim como os outros serviços, os resultados aparecem por ordem de proximidade.

orgânicos 1ProdutorCenouraFrutas

“Muita gente reclamava da dificuldade de encontrar produtos especiais frescos, como por exemplo os orgânicos, que geralmente só eram encontrados em mercados e com valores elevados. Com essa parceria com pequenos empórios e produtores locais, conseguimos oferecer uma ferramenta que, acima de tudo, levará saúde para a casa dos brasileiros”, completa Tom.

Informações: BeVeg