Arquivo da tag: alimentação saudável

Proteína da ervilha é nova opção para vegetarianos e veganos

Apesar do Brasil ainda ser um dos grandes consumidores de carne, o número de adeptos do vegetarianismo e do flexitarianismo, dieta que apenas reduz a ingestão de alimentos derivados de animais, não para de crescer. Segundo o estudo Alimentação Saudável – Tendências 2017, realizado pela Mintel – fornecedora global de pesquisa de mercado, 37% dos entrevistados tentam limitar a quantidade de carne consumida. Diante desse cenário, produtos à base de vegetais ganham espaço como alternativas mais saudáveis.

No caso dos alimentos sem proteína animal, elaborados em grande escala pelas indústrias, os insumos que substituem a carne são, geralmente, derivados da soja. Para atender às expectativas de consumidores que buscam variações em seus cardápios, o setor alimentício passou a pesquisar fontes alternativas à proteína de soja. O avanço dos estudos resultou no desenvolvimento de concentrados proteicos à base de ervilha.

“Enxergamos uma lacuna no mercado brasileiro, uma vez que, notamos haver apenas opções com proteína de soja disponíveis nas prateleiras do país, o que nos fez investir em pesquisa para entender como deveria ser esse novo produto. Foram dois anos de estudos e testes até chegarmos nessa alternativa inovadora para substituição da carne animal”, explica David Oliveira, diretor de marketing da Superbom, empresa que lançou recentemente uma nova linha de substitutos feita com proteína da ervilha.

Benefícios da ervilha

ervilha dmedina
Foto: D.Medina/Morguefile

Segundo Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, a ervilha é uma das melhores fontes proteicas do universo vegetal. “Muitos associam proteína apenas às fontes animais, e esquecem que existe uma gama de outros alimentos cheios dessa propriedade, como é o caso dessa leguminosa, que além de conter quase o dobro de proteínas da maioria dos vegetais, também possui muitas outras vantagens nutricionais, como auxílio na prevenção da diabetes, no fortalecimento dos ossos e na digestão”.

A ervilha é rica em arginina, um aminoácido que melhora a circulação sanguínea, reduz o risco de arteriosclerose, ataques cardíacos, diminui o colesterol ruim, previne hipertensão, entre outros benefícios. É constituída de carboidratos complexos, ou seja, sua absorção é mais lenta, não causa picos de insulina, o que resulta em níveis menores de glicemia no sangue.

Outra característica importante do tipo de carboidrato presente nesse vegetal é que a saciedade dura mais tempo. Em outras palavras, essa leguminosa e sua proteína, que pode ser isolada, são opções funcionais nas dietas para manutenção ou perda moderada de peso. Além de possuir uma quantidade considerável de amido resistente, cujas propriedades assemelham-se às fibras, fator relevante para o controle de glicose.

“As fibras alimentares também estão presentes na ervilha. Elas não só contribuem para a redução dos níveis de colesterol no sangue e melhoram a glicemia em pacientes com diabetes, como auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares, AVC’s e doenças vasculares periféricas, se consumidas regularmente”, finaliza a especialista.

Sugestões de Produtos

Linha de proteínas à base de ervilha

superbom 1.jpg

A nova linha de proteínas congeladas e resfriadas da Superbom é mais moderna e muito saborosa. Ao todo, são dez opções ovolactovegetarinas, como linguiças, salsichas, mortadelas, mini empanados, hambúrgueres e o Filé de Frango em pedaços, e três produtos para o público vegano: Miniempanado multigrãos sabor legumes, Burguer de quinoa e Steak multigrãos sabor legumes. Todos contam com a proteína isolada da ervilha.

Fonte: Superbom

Anúncios

Pinheiros ganha o primeiro Café Le Manjue

Referência em gastronomia saudável com uso de ingredientes orgânicos, Pinheiros ganhou o primeiro Café Le Manjue em abril. Localizado no Civi-co, um co-working voltado para empreendedores cívico-sociais, cujos projetos geram transformações positivas para sociedade, o novo espaço serve criações assinadas pelo chef Renato Caleffi, que desde 2007 está à frente do restaurante.

O menu do café Le Manjue traz receitas exclusivas, como a Coxinha Fit, preparada com mandioca orgânica, frango natural, cúrcuma, farinha de arroz e flocos de amaranto (R$ 10,00); o Kibe de Painço, feito com cereal ancestral, limão, biomassa de banana verde, tomate, cebola, azeite, hortelã e especiarias (R$13,00); oTostex de Pesto de manjericão, muçarela de búfala e geleia de tomate (R$ 19,50); e a Torta de palmito com azeitonas e tomate, que leva massa de grão de bico, tahine com recheio de creme de palmito, leite de castanha de caju e biomassa de banana verde (R$20,00).

www.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bruwww.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bruwww.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bru

Há ainda pratos já conhecidos do público, como a Cestinha de frango thai, cuja porção é formada por 6 cestinhas de massa de harumaki assada com recheio de frango moído, pimenta, milho, leite de coco, shoyu e mascavo (R$ 20,00) e a Salada com de folhas e legumes da estação orgânica salpicada de sementes, muçarela de búfala e molho de mostarda dijon, vinagre de maçã e azeite,servida com acompanhamento de escolha do cliente (R$ 36,00). Entre os doces, os bolos que fazem sucesso na matriz, aparecem em versões naked (sem coberturas e acompanhamentos) e os sabores variam diariamente.

www.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Bruwww.tbfoto.com.br
LE MANJUE - SP/SP - 22/02/2018
Foto: Tadeu Brunelli
ATENCAO: Toda foto deve ser publicada com o credito do autor, na sua integra sem cortes ou modificacoes, de acordo com a Lei Nº 9.610 de 19/02/1998.

Para completar, a casa firmou parcerias com fornecedores de excelência. O pão de queijo (R$ 6,00), por exemplo, é da Quem Quer Pão 75 e é feito a partir de queijo curado e polvilhos mineiros, enquanto o café espresso é orgânico, fruto de uma parceria com a Três Corações; e o café coado é assinado pelo Café Dom Viçoso, que criará diferentes blends para a casa mensalmente.

As bebidas, aliás, merecem uma atenção à parte. Destacam-se na carta o Capunache, feito com café, leite de castanha de caju, creme de chocolate e canela (R$ 12,00) e o Chai Latte, com leite de castanha de caju, chá preto, especiarias. Receitas tradicionais, como Machiatto (R$ 5,50 / R$ 8,50) e Cappuccino (R$ 8,50), podem ser feitas com leite integral ou leite de castanhas. Aqueles em busca de refrescância também encontram sucos de frutas orgânicas prensadas a frio (R$ 13,00), kombuchas assinadas pelo próprio Le Manjue, criadas com a Puro Verde Sucos (R$ 15, 00) e a cerveja UMA, de autoria própria, artesanal, sem glúten e com capim-limão (R$ 16,00).

Assim como o restaurante que lhe deu origem, o Café Le Manjue tem projeto arquitetônico assinado pela arquiteta Flávia Machado, especialista em construções sustentáveis. Nessa empreitada, temperos e outras plantas aparecem suspensas, enquanto o mobiliário privilegiou fornecedores da região.

Le Manjue: Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 445 – Pinheiros – Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 9 às 19 horas

 

Mitos e verdades sobre o ômega 3

Todos os peixes são ricos em ômega 3? Gestantes precisam incluí-lo na dieta? A alimentação consegue suprir as necessidades do nutriente? Confira as respostas para essas e outras dúvidas

Quando se fala em gordura, é comum associá-la a algo negativo, como a gordura corporal, problemas no coração e obesidade. Aliás, gordura é um nome genérico usado em referência aos lipídeos, nutrientes essenciais para manutenção do bom funcionamento do organismo, devendo fazer parte do cardápio.

Por isso, vale conhecer os tipos de gordura e escolher as mais benéficas. Os ácidos graxos poli-insaturados da série ômega 3, por exemplo, auxiliam na saúde do coração, além de serem importantes durante a gravidez.

A gerente nutricionista do Núcleo Médico Científico do Aché Laboratórios Farmacêuticos, Anna Lacerda, esclarece os principais benefícios dessa “gordura do bem” e explica alguns mitos sobre o nutriente, ajudando a compreender a importância de inseri-lo na dieta alimentar.

Existe mais de um tipo de ômega 3?

Verdade: os principais representantes do ômega 3 são: ácido docosahexaenoico (DHA), ácido eicosapentaenoico (EPA) e ácido alfa-linolênico (ALA).

Todos os peixes são ricos em ômega 3?

salmão selvagem do pacífico - pixabay
Pixabay

Mito: a concentração de ômega 3 varia de acordo com a temperatura da água onde os peixes marinhos habitam. Aqueles que vivem em ambientes frios tendem a acumular mais gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, principalmente ômega 3, como o arenque, a sardinha, o salmão e o atum, entre outros.

O organismo humano não consegue produzir ômega 3?

Verdade: necessários em determinados processos biológicos, os ácidos graxos da série Ômega 3 devem ser adquiridos por meio da dieta alimentar, uma vez que os seres humanos não são capazes de produzi-los. Aliás, eles são denominados essenciais justamente por isso.

O único benefício do ômega 3 é a saúde cardiovascular?

eletrocardiograma saude coração pixabay

Mito: o principal benefício desse ácido graxo está relacionado ao coração, atuando na redução de triglicerídeos. Porém, por conter EPA e DHA, ele também está associado à melhora da sensibilidade à insulina e risco de diabetes tipo 2; ajuda no tratamento da depressão, aumentando a produção de serotonina, dopamina e noradrenalina; e ameniza os sintomas da artrite reumatoide, bloqueando as enzimas responsáveis pela inflamação.

Gestantes precisam incluir o ômega 3 na dieta?

Verdade: além de contribuir na redução do risco de nascimento de crianças prematuras e abaixo do peso, o ácido graxo participa na formação de neurônios, no crescimento e desenvolvimento do cérebro e no fortalecimento da retina dos bebês. Isso ocorre graças ao DHA, um dos representantes da série ômega 3.

A alimentação consegue suprir as necessidades de ômega 3?

mulher comendo peixe.jpg

Mito: o consumo de peixes pela população brasileira é baixo, atingindo em média, cerca de 9 kg/habitante/ano, sendo que a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura e a Organização Mundial da Saúde recomendam 12 kg/habitante/ano. Além disso, nem todos os peixes contêm as mesmas quantidades de ômega 3: de acordo com um estudo publicado pelos Arquivos Brasileiros de Cardiologia, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, os peixes brasileiros e o salmão de cativeiro apresentam baixos teores dessa gordura. Portanto, a suplementação torna-se necessária para atingir os níveis ideais de ômega 3 no organismo, aproveitando todos os seus benefícios para a saúde. Vale destacar que especialistas recomendam o consumo de até 1 g de ômega 3 ao dia.

Todas as suplementações de ômega 3 são iguais?

Mito: a concentração adequada de ômega 3 (DHA e EPA) nos suplementos é importante para que se consuma a quantidade ideal do nutriente. No entanto, como a concentração nos suplementos disponíveis no mercado brasileiro varia, é preciso estar atento à quantidade de DHA e EPA na formulação de uma única cápsula. Por isso, não deixe de ler as informações nas embalagens e lembre-se de que é preciso tomar a suplementação diariamente.

Suplementações

Proepa Uni é um nutracêutico com 90% de ômega 3 concentrado EPA (500 mg) e DHA (400 mg) em apenas uma cápsula gelatinosa ao dia, auxiliando na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos.

proepa uni

Já Proepa Gesta possui concentração de DHA de 250 mg atendendo a recomendação do nutriente para as gestantes. Sua administração é recomendada também durante a amamentação, já que o nutriente será ingerido pelo bebê por meio do leite, e para mulheres que planejam engravidar, para que possam ter reservas adequadas do nutriente.

O consumo de ácidos graxos ômega 3 auxilia na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos, desde que associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Fonte: Aché

 

Saiba quais são os alimentos que ajudam no ganho de massa muscular

Segundo nutricionista do Clinic Check-up do HCor, adotar uma dieta equilibrada melhora o preparo físico e ainda ajuda o corpo a se recuperar depois da prática de musculação e na preservação dos músculos

A prática de atividade física é essencial para quem quer perder peso e ter um estilo de vida mais saudável. Mas engana-se quem acredita que o resultado pode ser obtido, apenas, ao se exercitar, e descuidar da alimentação. Uma dieta equilibrada faz toda a diferença. Estar bem nutrido é essencial para garantir o máximo de aproveitamento da malhação.

É importante ter em mente que sem uma alimentação adequada, o organismo não tem energia para praticar a atividade. “Alimentar-se corretamente antes e depois dos exercícios ajuda na redução da fadiga, na preservação e ganho de massa muscular, na recuperação do organismo como um todo, elevando a eficácia do treino, além de potencializar a perda de gordura extra”, informa Maria Fernanda D’Ottavio, nutricionista do Clinic Check-up do HCor – Hospital do Coração. “É importante frisar que a alimentação atua de forma diferente para cada pessoa. A única regra é que a dieta deve ser leve e balanceada”, completa.

Mas afinal, o que comer antes e depois dos treinos para garantir ganho de massa e melhor rendimento? Confira alguns dos nutrientes mais relevantes para uma boa performance e resultados nos exercícios.

mulher bebendo água ibbl

Água: a hidratação é um fator importante para o desempenho da atividade física. É fundamental se manter hidratado antes, durante e depois do treino. Por isso, tenha uma garrafinha sempre à disposição para evitar a desidratação e o comprometimento do desempenho físico.

biscoito_integral_de_gergelim_com_linhaça_recepedia

Carboidrato: quanto maior a intensidade dos exercícios, maior será a participação dos carboidratos como fornecedores de energia. Para uma melhor performance, é essencial consumi-los no pré-treino. Eles são ótimos também no pós-treino, pois ajudam a otimizar a recuperação muscular. Batata doce, pães e biscoitos integrais são boas fontes de energia.

café

Cafeína: apesar da contraditória eficácia da utilização de cafeína, essa substância é conhecida como por potencializar o desempenho físico, quando ingerida antes do treino. No entanto, é importante frisar que em excesso pode causar efeitos colaterais e prejudicar a saúde. Além do café, é possível encontrar quantidades significativas de cafeína no chá preto e no chá verde, por exemplo.

separated-egg-white-and-yolk ovo

Proteína: é considerada essencial no reparo de micro lesões musculares decorrentes da prática esportiva e para o ganho de massa muscular. Exercícios de força exigem maior consumo de proteína, mas a ingestão excessiva não garante aumento adicional de massa magra. Boas fontes alimentares são: frango, carne vermelha (cortes magros, como patinho e músculo), peixe e ovos.

lombo-de-peixe-grelhado-ao-molho-de-peixe-acompanhado-de-tagliolini-de-rucula-na-manteiga-e-salvia_03bx

Creatina: especialmente para praticantes de exercícios de força e potência, a creatina é associada ao aumento da massa magra, à melhora da recuperação e ao retardo do processo de fadiga, o que permite maior carga de treinamento e adaptações. São facilmente encontradas em carnes magras e peixes.

Fonte: HCor

 

Dez alimentos antienvelhecimento que vão além da beleza

A pele bonita e brilhante começa com a forma como comemos, mas esses alimentos antienvelhecimento também podem ajudar com mais do que isso.

Quando nós embalamos nossa dieta com alimentos vibrantes carregados com antioxidantes, gorduras saudáveis, água e nutrientes essenciais, nosso corpo mostra apreciação por meio de seu maior órgão: nossa pele. Afinal de contas, a pele costuma ser a primeira parte do nosso corpo a mostrar problemas internos, e há muito o que loções, cremes, máscaras e soros podem fazer antes de precisarmos dar uma olhada no que está nos alimentando.

Pesquisadores concluíram que comer frutas e legumes é a maneira mais segura e saudável de combater a pele sem brilho e as linhas finas. Pronta para brilhar? Aqui estão 10 dos melhores alimentos antienvelhecimento para nutrir seu corpo para um brilho que vem de dentro.

1. Agrião

agriao

Os benefícios do agrião para a saúde não decepcionam. Este nutriente verde frondoso hidratante e denso é uma excelente fonte de:

cálcio
potássio
manganês
fósforo
vitaminas A, C, K, B-1 e B-2

Agrião age como um antisséptico interno da pele, aumenta a circulação e entrega minerais para todas as células do corpo, resultando em maior oxigenação da pele. Embalado com vitaminas A e C, os antioxidantes presentes no agrião podem neutralizar os radicais livres nocivos, ajudando a manter linhas finas e rugas afastadas.

Para experimentar: adicione um punhado desse verde saboroso à sua salada hoje para obter uma pele brilhante e melhorar a saúde em geral.

2. Pimentão vermelho

pimentao vermelho pixabay
Pixabay

Pimentões vermelhos são carregados com antioxidantes que reinam supremos quando se trata de antienvelhecimento. Além de seu alto teor de vitamina C – o que é bom para a produção de colágeno – os pimentões vermelhos contêm poderosos antioxidantes chamados carotenoides. Estes são pigmentos vegetais responsáveis pelas cores vermelho, amarelo e laranja que você vê em muitas frutas e vegetais. Eles têm uma variedade de propriedades anti-inflamatórias e podem ajudar a proteger a pele dos danos causados pelo sol, poluição e toxinas ambientais.

Para experimentar: corte os pimentões e mergulhe-os em homus como um lanche, adicione-os em uma salada crua ou cozinhe-os em uma frigideira.

3. Mamão

mamaão papaia xenia2

Este superalimento delicioso é rico em uma variedade de antioxidantes, vitaminas e minerais que podem ajudar a melhorar a elasticidade da pele e minimizar a aparência de linhas finas e rugas:

vitaminas A, C, K e E
cálcio
potássio
magnésio
fósforo
vitaminas do complexo B

A ampla gama de antioxidantes no mamão ajuda a combater os danos dos radicais livres e pode atrasar os sinais de envelhecimento. O mamão também contém uma enzima chamada papaína, que proporciona benefícios adicionais contra o envelhecimento, trabalhando como um dos melhores agentes anti-inflamatórios da natureza. Também é encontrado em muitos produtos esfoliantes. Então, sim, comer mamão (ou usar produtos contendo papaína) pode ajudar seu corpo a eliminar células mortas da pele, deixando você com uma pele brilhante e vibrante!

Para experimentar: regue o suco de limão fresco sobre um prato grande de mamão como parte de seu café da manhã ou faça uma máscara de mamão em casa para a sua próxima noite.

4. Mirtilos

blueberries

Mirtilos são ricos em vitaminas A e C, bem como de um antioxidante antienvelhecimento chamado antocianina, que dá aos mirtilos sua cor azul profunda e bonita. Esses poderosos antioxidantes podem ajudar a proteger a pele contra danos causados pelo sol, estresse e poluição, moderando a resposta inflamatória e evitando a perda de colágeno.

Para experimentar: jogue essa deliciosa fruta com baixo teor de açúcar em um smoothie matinal ou em uma tigela com outras frutas, e deixe-a fornecer um punch embelezador.

5. Brócolis

brocolis

O brócolis é uma potência anti-inflamatória e antienvelhecimento repleta de:

vitaminas C e K
uma variedade de antioxidantes
fibra
folato
luteína
cálcio

Seu corpo precisa de vitamina C para a produção de colágeno, a principal proteína da pele que lhe dá força e elasticidade.

Para experimentar: você pode comer brócolis cru para um lanche rápido, mas se você tiver tempo, cozinhe-o delicadamente no vapor antes de comer. De aperitivo grelhado a molho de pesto, cozinhar brócolis realmente ajuda a liberar mais benefícios à saúde do seu corpo.

6. Espinafre

espinafre

O espinafre é super-hidratante e repleto de antioxidantes que ajudam a oxigenar e repor todo o corpo. Também é rico em:

vitaminas A, C, E e K
magnésio
ferro heme à base de plantas
luteína

O alto teor de vitamina C desta versátil folhagem verde aumenta a produção de colágeno para manter a pele firme e macia. Mas isso não é tudo. A vitamina A que ela fornece pode resultar em um cabelo forte e brilhante, enquanto a vitamina K ajuda a reduzir a inflamação nas células.

Para experimentar: adicione punhados de espinafre a um smoothie, salada ou refogado. Mais ideias? Chips de espinafre e hambúrgueres de queijo com espinafre.

7. Nozes

nozes

Muitas nozes (especialmente amêndoas) são ótimas fontes de vitamina E, que pode ajudar a reparar o tecido e reter a umidade da pele, além de proteger a pele dos raios UV prejudiciais. As nozes ainda contêm ácidos graxos ômega-3 anti-inflamatórios que podem ajudar a:

fortalecer membranas celulares da pele
proteger contra danos causados pelo sol
dar à pele um brilho bonito preservando sua barreira natural de óleo

Para experimentar: polvilhe uma mistura de nozes em cima de suas saladas, ou coma um punhado como um lanche. Não remova a pele, pois estudos mostram que 50% ou mais dos antioxidantes são perdidos sem a pele.

8. Abacate

abacate szafirek
Foto: Szafirek/Morguefile

Abacates são ricos em ácidos graxos que combatem a inflamação e promovem uma pele macia e suave. Eles também contêm uma variedade de nutrientes essenciais que podem prevenir os efeitos negativos do envelhecimento, incluindo:

vitaminas K, C, E e A
Vitaminas do complexo B
potássio

O alto teor de vitamina A nos abacates pode nos ajudar a liberar as células mortas da pele, deixando-nos com uma pele linda e brilhante. Seu conteúdo de carotenoides também pode auxiliar no bloqueio de toxinas e danos causados pelos raios do sol e também ajudar a proteger contra o câncer de pele.

Para experimentar: jogue um pouco de abacate em uma salada, batido ou apenas coma com uma colher. Você também pode tentar topicamente como uma incrível máscara hidratante para combater a inflamação, reduzir a vermelhidão e ajudar a prevenir rugas!

9. Batata-doce

batata doce szafirek
Foto: Szafirek/Morguefile

A cor laranja da batata-doce vem de um antioxidante chamado betacaroteno que é convertido em vitamina A, que pode ajudar a restaurar a elasticidade da pele, promover a renovação celular e, finalmente, contribuir para a pele macia e jovem. Esta deliciosa raiz vegetal também é uma grande fonte de vitaminas C e E – ambas podem proteger nossa pele dos radicais livres nocivos e manter nossa pele radiante.

Para experimentar: prepare torradas de batata-doce, que deixarão o seu café da manhã ou lanche como nenhum outro.

10. Sementes de romã

roma-cafe-fernando
Foto: Café Fernando

Romã tem sido usada há séculos como fruta medicinal curativa. Com bastante vitamina C e uma variedade de antioxidantes potentes, romãs podem proteger nosso corpo dos danos dos radicais livres e reduzir os níveis de inflamação em nosso sistema. Também contêm um composto chamado punicalagina, que pode ajudar a preservar o colágeno na pele, retardando os sinais de envelhecimento.

Para experimentar: polvilhe essas pequenas e doces joias em uma salada de nozes e espinafre para um tratamento antienvelhecimento!

Inunde seu corpo com nutrientes poderosos

mulher-comendo-saladaactivelife

Nutrindo-nos com esses alimentos antienvelhecimento, podemos ganhar combustível para aparentar e sentir o nosso melhor. Se você está procurando por mais opções deliciosas para experimentar, escolha frutas e legumes em cores profundas. Os tons ricos são geralmente um sinal de habilidades mais fortes para lutar contra radicais e para manter a pele saudável e vibrante. Quanto mais cores você colocar no seu prato, melhor. É hora de desacelerar os sinais de envelhecimento e realmente brilhar de dentro para fora.

Fonte: Health Line

Como fazer uma pipoca mais saudável para acompanhar os jogos da Copa

Dicas de como fazer uma pipoca mais saudável para os jogos da Copa
Conheça receitas para manter a dieta balanceada e saiba também quais são os benefícios do milho

Os jogos da Copa do Mundo estão chegando e nada melhor do que reunir a família e amigos para assistir à Seleção de Tite em busca do hexacampeonato. São diversos os petiscos escolhidos para acompanhar o mais importante campeonato mundial, muitas vezes, porém, eles são gordurosos e com muito sódio que, aliados ao refrigerante e à cerveja, podem se tornar verdadeiras bombas para o corpo.

Pensando nisso, nutricionistas do GetNinjas, maior plataforma de contratação de serviços do Brasil, separaram algumas dicas para preparar pipoca de forma saudável e saborosa. Elas também explicam quais são os benefícios do milho. Confira:

Benefícios para saúde

milho pipoca pixabay
Pixabay

Segundo a nutricionista Clara Gameiro, o grão de milho é fonte de vitaminas do complexo B, manganês, magnésio e fibras, presentes principalmente na casca, sendo um bom aliado para o funcionamento intestinal. Além disso, o milho também é rico em polifenóis, que são ótimos agentes antioxidantes no combate aos radicais livres, extremamente importantes na prevenção de doenças.

“A pipoca ajuda a regular o nível de açúcar sanguíneo, sendo uma ótima aliada para os diabéticos”, explica a nutricionista Myleide Barbosa. “As fibras também agem contribuindo no controle dos níveis de LDL conhecido por ser o “colesterol ruim”, com isso ajudando na saúde cardiovascular”, completa Clara.

Dicas para o consumo saudável

pipoca 2 pexels.jpg
Pexels

Tanto o milho quanto a pipoca são, por si só, bons para o organismo, mas, muitas vezes, são inseridos ingredientes como bacon, queijo e manteiga para dar um sabor a mais, tornando o petisco mais gorduroso e calórico.”Não há como substituirmos o bacon e falar que será igual, mas existem alguns molhos fitness e temperos sem sódio que remetem ao sabor do bacon, além do próprio bacon vegano. Portanto, se aventure a experimentar para criar hábitos mais saudáveis”, ensina a nutricionista Bárbara Ramirez.

Já Myleide chama atenção para quem faz uso excessivo de sal e temperos prontos na pipoca. A nutricionista recomenda evitar esses tipos de condimentos. “O ideal é não usar nenhum tempero pronto para salgar, deve-se usar o sal in natura mesmo. O segredo é o equilíbrio, aprender a dosar a quantidade de sal. Há também opções de sal com teor reduzido de sódio”, explica Myleide. Outra dica da profissional é substituir o óleo de cozinha por um fio de azeite de oliva extravirgem, além de se atentar ao excesso no consumo. “Apesar de a pipoca ser pouco calórica, possui apenas 46 kcal em 1 xícara de chá, devemos evitar consumir em excesso.”

Abaixo, as profissionais indicam duas receitas para o consumo saudável da pipoca., Aprimeira é para quem quer evitar gorduras e a segunda traz alternativas para condimentos mais saudáveis:

Receita de Pipoca Fit

pipoca delgraphica
Imagem meramente ilustrativa- Foto: Delgraphica

Num refratário próprio para micro-ondas coloque ½ xícara (chá) de milho para pipoca, ¼ xícara (chá) de água, sal a gosto e mexa com uma colher. Cubra o refratário com papel filme e coloque no micro-ondas. Retire o refratário , descarte o papel filme e sirva a pipoca salgada imediatamente.

Receita de Pipoca funcional

pipoca com curcuma pixabay kengrunke0
Imagem meramente ilustrativa – Foto: KenGrunke0/Pixabay

A preparação é enriquecida com elementos como cúrcuma ou açafrão (anti – inflamatório), páprica doce e gengibre (termogênica), curry que é um mix de temperos ou da mesma forma um mix de ervas.

Fonte: GetNinjas

 

Alimentos que causam inchaço (e como substituí-los)

Inchaço é quando sua barriga parece intumescida ou aumentada depois das refeições.Geralmente isso é causado por gases ou outros problemas digestivos. Inchaço é algo muito comum. Cerca de 16% a 30% das pessoas dizem que o experimentam regularmente.

Embora o inchaço possa ser um sintoma de uma condição médica grave, geralmente é causado por algo presente na dieta. Abaixo estão 13 alimentos que podem causar inchaço, juntamente com sugestões sobre o que comer em vez disso. 

É importante frisar que as pessoas frequentemente confundem “inchaço” com “retenção líquida”, que envolve quantidades aumentadas de fluido no corpo. Preste atenção ao seu problema para encontrar a solução correta.

1. Feijão

Feijão é um tipo de leguminosa. Contém grandes quantidades de proteína e carboidratos saudáveis. Os feijões também são muito ricos em fibras, além de várias vitaminas e minerais. No entanto, a maioria dos grãos contém açúcares chamados alfagalactosídeos, que pertencem a um grupo de carboidratos chamados FODMAPs.
Os FODMAPs (oligo-, di-, mono-sacarídeos e polióis fermentáveis) são carboidratos de cadeia curta que escapam da digestão e são fermentados pelas bactérias intestinais no cólon. O gás é um subproduto desse processo.

Para pessoas saudáveis, os FODMAPs simplesmente fornecem combustível para as bactérias digestivas benéficas e não causam nenhum problema. No entanto, para indivíduos com síndrome do intestino irritável, outro tipo de gás é formado durante o processo de fermentação. Isso pode causar grande desconforto, com sintomas como inchaço, flatulência, cólicas e diarreia. Deixá-lo de molho é uma boa maneira de reduzir os FODMAPs nos beans. Mudar a água da imersão várias vezes também pode ajudar.

O que comer em vez disso: alguns tipos de feijão são mais fáceis no sistema digestivo. Feijão carioca e feijão preto podem ser mais digeríveis, especialmente após ficarem de molho. Você também pode substituir o feijão por grãos, carne ou quinoa.

2. Lentilhas

Lentilhas também são leguminosas. Elas contêm grandes quantidades de proteínas, fibras e carboidratos saudáveis, além de minerais como ferro, cobre e manganês. Por causa de seu alto teor de fibra, podem causar inchaço em indivíduos sensíveis. Isto é especialmente verdadeiro para pessoas que não estão acostumadas a comer muita fibra. Como feijões, também contêm FODMAPs. Estes açúcares podem contribuir para a produção excessiva de gás e inchaço.No entanto, deixando-as de molho ou lavando-as várias vezes antes de comê-las pode torná-las muito mais fáceis de serem digeridas pelo sistema digestivo.

O que comer em vez disso: lentilhas de cor clara são geralmente mais baixas em fibras do que as mais escuras, e podem, portanto, causar menos inchaço, especialmente após o molho

3. Bebidas Carbonatadas, como refrigerantes

Bebidas carbonatadas são outra causa muito comum de inchaço. Essas bebidas contêm quantidades elevadas de um gás, o dióxido de carbono. Quando você bebe uma dessas bebidas, acaba engolindo grandes quantidades desse gás. Alguns gases ficam presos no sistema digestivo, o que pode causar inchaço desconfortável e até cólicas.

O que beber em vez disso: água pura é sempre melhor. Outras alternativas saudáveis incluem café, chá e água com sabor de frutas.

4. Trigo

O trigo tem sido altamente controverso nos últimos anos, principalmente porque contém uma proteína chamada glúten. Apesar da controvérsia, o trigo ainda é amplamente consumido. É ingrediente da maioria dos pães, massas, tortilhas e pizzas, bem como produtos de panificação como bolos, biscoitos, panquecas e waffles. Para pessoas com doença celíaca ou sensibilidade ao glúten, o trigo causa grandes problemas digestivos. Isso inclui inchaço, gases, diarreia e dor de estômago.O trigo também é uma fonte importante de FODMAPs que podem causar problemas digestivos em muitas pessoas.

O que comer em vez disso: existem muitas alternativas ao trigo, como aveia pura, quinoa, trigo mourisco, farinha de amêndoa e farinha de coco.

5. Brócolis e outros vegetais crucíferos

A família de vegetais crucíferos inclui brócolis, couve-flor, couve, couve de bruxelas e vários outros. Estes são muito saudáveis, contendo muitos nutrientes essenciais como fibra, vitamina C, vitamina K, ferro e potássio. No entanto, eles também contêm FODMAPs, por isso podem causar inchaço em algumas pessoas. Cozinhar vegetais crucíferos pode torná-los mais fáceis de digerir.

O que comer em vez disso: existem muitas alternativas possíveis, incluindo espinafre, pepino, alface, batata doce e abobrinha.

6. Cebola

As cebolas são vegetais de bulbo subterrâneos com um sabor único e poderoso. Raramente são comidas inteiras, mas são populares em refeições cozidas, acompanhamentos e saladas. Apesar de serem consumidas em pequenas quantidades, as cebolas são uma das principais fontes alimentares de frutanos, fibras solúveis que podem causar inchaço. Além disso, algumas pessoas são sensíveis ou intolerantes a outros compostos em cebolas, especialmente nas versões cruas. Portanto, cebolas são uma causa conhecida de inchaço e outros desconfortos digestivos. Cozinhá-las pode reduzir esses efeitos digestivos.

O que comer em vez disso: tente usar ervas frescas ou especiarias como uma alternativa. 

7. Cevada

Cereal comumente consumido, muito nutritivo, pois é rico em fibras e contém grandes quantidades de vitaminas e minerais como molibdênio, manganês e selênio. Por causa de seu alto teor de fibra, a cevada integral pode causar inchaço em pessoas que não estão acostumadas a comer muita fibra. Além disso, contém glúten. Isso pode causar problemas para pessoas que são intolerantes.

O que comer em vez disso: cevada refinada, como cevadinha, que pode ser melhor tolerada. A cevada também pode ser substituída por outros grãos ou pseudocereais como aveia, arroz integral, quinoa ou trigo sarraceno. 

8. Centeio

O centeio é um cereal que está relacionado ao trigo.É muito nutritivo e uma excelente fonte de fibras, manganês, fósforo, cobre e vitaminas B. No entanto, também contém glúten, uma proteína que muitas pessoas são sensíveis ou intolerantes. Por causa de seu alto teor de fibra e glúten, pode ser uma das principais causas de inchaço em indivíduos sensíveis.

O que comer em vez disso: outros grãos ou pseudocereais, incluindo aveia, arroz integral, trigo mourisco ou quinoa. 

9. Produtos Lácteos

Laticínios são altamente nutritivos, bem como excelentes fontes de proteína e cálcio. Há muitos produtos lácteos disponíveis, incluindo leite, queijo, cream cheese, iogurte e manteiga. No entanto, cerca de 75% da população mundial não consegue decompor a lactose, o açúcar encontrado no leite, condição conhecida como intolerância à lactose. Se você é intolerante à lactose, laticínios podem causar grandes problemas digestivos. Os sintomas incluem inchaço, gases, cólicas e diarreia. 

O que comer em vez disso: pessoas que são intolerantes à lactose às vezes podem manipular creme e manteiga, ou laticínios fermentados como iogurte. Produtos lácteos sem lactose também estão disponíveis. Outras alternativas ao leite normal incluem leite de coco, amêndoa, soja ou arroz. 

10. Maçã

As maçãs estão entre as frutas mais populares do mundo. São ricas em fibras, vitamina C e antioxidantes, e têm sido associados a uma série de benefícios para a saúde. Porém, também são conhecidas por causar inchaço e outros problemas digestivos para algumas pessoas. Os culpados são a frutose (que é um FODMAP) e o alto teor de fibras. A frutose e a fibra podem ser ambas fermentadas no intestino grosso e podem causar gases e inchaço. Maçãs cozidas podem ser mais fáceis de digerir do que as frescas.

O que comer em vez disso: outras frutas, como bananas, mirtilos, toranjas, tangerinas, laranjas ou morangos. 

11. Alho

 O alho é incrivelmente popular, tanto para dar sabor quanto como um remédio para a saúde. Como as cebolas, o alho contém frutanos, que são FODMAPs que podem causar inchaço. Alergia ou intolerância a outros compostos encontrados no alho também é bastante comum, com sintomas como inchaço, arrotos e gases. No entanto, cozinhar o alho pode reduzir esses efeitos.

O que comer em vez disso: tente usar outras ervas e especiarias em sua cozinha, como tomilho, salsa, cebolinha ou manjericão.

12. Açúcar de álcool

 Açúcares de álcool são usados para substituir o açúcar em alimentos sem açúcar e gomas de mascar. Tipos comuns incluem xilitol, sorbitol e manitol. Eles também são FODMAPs e tendem a causar problemas digestivos, uma vez que atingem o intestino grosso inalterado, onde as bactérias se alimentam deles. Consumir grandes quantidades de açúcar de álcool pode causar problemas digestivos, como inchaço, gases e diarréia.

O que comer em vez disso: Eritritol é também um álcool de açúcar, mas é mais fácil na digestão do que os mencionados acima. A estévia também é uma alternativa saudável ao açúcar e aos álcoois de açúcar.

13. Cerveja

 
Todo mundo já ouviu falar do termo “barriga de cerveja”. Refere-se não só ao aumento da gordura da barriga, mas também ao inchaço causado pelo consumo de cerveja.

A cerveja é uma bebida carbonatada feita a partir de fontes de carboidratos fermentáveis, como cevada, milho, trigo e arroz, juntamente com algumas leveduras e água. Portanto, contém tanto gás (dióxido de carbono) quanto carboidratos fermentáveis, duas causas bem conhecidas de inchaço. Os grãos usados para preparar a cerveja também contêm glúten.

O que beber em vez disso: a água é sempre a melhor bebida, mas se você está procurando alternativas alcoólicas, em seguida, vinho tinto, vinho branco ou aguardente podem causar menos inchaço.

Outras maneiras de reduzir o inchaço

barriga inchada gezonderleven

O inchaço é um problema muito comum, mas muitas vezes pode ser resolvido com alterações relativamente simples. Existem várias estratégias que podem ajudar a reduzir o inchaço, descritas neste artigo. Se você tem problemas digestivos persistentes, então você pode querer considerar uma dieta de baixo FODMAP. Pode ser incrivelmente eficaz, não apenas por inchaço, mas também por outros problemas digestivos. No entanto, certifique-se de também consultar um médico para descartar uma condição médica potencialmente grave.

Guarde para você

Se tiver problemas com inchaço, então as chances são de que um alimento nesta lista seja o culpado é muito grande. Dito isto, não há razão para evitar todos esses alimentos, apenas os que causam problemas pessoais. Se você achar que um determinado alimento constantemente o deixa inchado, simplesmente evite-o. Nenhum alimento vale tanto sofrimento.

Fonte: Health Line: artigo nutricional baseado em evidências de especialistas da Authority Nutrition (EUA)

 

Benefícios do vegetarianismo e veganismo atraem cada vez mais brasileiros

Preocupados com a relação entre dieta e saúde, os brasileiros estão mais interessados em levar uma vida mais leve e isso tem, de certa forma, atraído mais consumidores para causas sustentáveis – é o que revela uma pesquisa realizada recentemente pelo portal Use Orgânico –especializado em “cosméticos verdes”.

No levantamento, a empresa descobriu que, embora poucos brasileiros se declarem vegetarianos ou veganos, a grande maioria se diz simpatizante de causas como a defesa dos animas e do meio ambiente, questões que levam muitos deles a repensarem suas formas de consumo, seja de alimentos ou de cosméticos.

Mas, essa tendência não é motivada apenas pelo “engajamento social”, na realidade, a maioria desses indivíduos está mais preocupada com o impacto que determinadas escolhas possam ter na saúde e, na busca por alternativas mais qualificadas, acabam incorporando, ainda que parcialmente, práticas desses movimentos na dieta e no estilo de vida.

Saúde: o maior motivador

alimentação-saciedade
Foto: Shutterstock

Segundo a pesquisa, que ouviu mais de 1.500 participantes de todas as regiões do país, 47% dos brasileiros acreditam que um estilo de vida saudável consiste, principalmente, numa dieta balanceada, que priorize ingredientes naturais. E não se trata só de dieta: um produto com o apelo “natural” também é muito mais atraente para este público.

Segundo a Use Orgânico, é justamente essa concepção que pode explicar outro dado peculiar: embora 82% dos participantes se declarem onívoros, ou seja, consumidores de alimentos e produtos de origem animal, 65% se diz simpatizante de movimentos como o vegetarianismo, o veganismo e o consumo consciente. Para a empresa, ainda que algumas dessas filosofias preconizem mudanças que vão além da dieta, são os benefícios proporcionados por uma alimentação mais natural que levam os consumidores a se interessarem por produtos de origem orgânica e/ou exclusivamente vegetal.

Benefícios de uma alimentação mais “verde”

maça fita metrica peso

Sem entrar no mérito filosófico de cada movimento, adotar uma dieta vegetariana ou vegana pode, de fato, trazer inúmeros benefícios à saúde – é o que afirma o nutrólogo Pedro Vieira de Goes Neto. Segundo o especialista “Diversos estudos já apontam que dietas que priorizam o consumo de vegetais diminuem consideravelmente o risco de doenças, especialmente as cardíacas. E não se trata unicamente da exclusão da carne: mesmo os indivíduos que consomem proteína animal com frequência moderada percebem melhorias consideráveis no organismo quando passam a investir num cardápio mais verde e natural”.

Para Neto, é comum que as pessoas se tornem mais “abertas” a esses movimentos quando precisam rever a dieta e acabam descobrindo o quanto os vegetais podem influenciar positivamente no peso e na saúde.

Controle do colesterol: um dos fatores que fazem a alimentação vegetariana tão benéfica é o alto teor de fibras dos vegetais. Por natureza, as fibras ajudam a reduzir a absorção de colesterol no organismo, o que diminui também o risco de doenças coronárias e vasculares.

Prevenção e controle do diabetes: outro ponto positivo de uma alimentação rica em vegetais, especialmente de hortaliças e legumes frescos, é que as fibras também retardam a digestão, o que faz com que a liberação de glicose e de insulina seja mais controlada. Esse tipo de alimentação é favorável tanto na prevenção quanto no tratamento da diabetes.

Melhor digestão: para muitas pessoas, consumir laticínios e proteínas animais pode gerar grande desconforto intestinal. Isso porque, além de provocarem mais alergias e intolerâncias alimentares, esses alimentos são, por natureza, difíceis de serem digeridos. Justamente por essa razão, indivíduos que se alimentam majoritariamente de vegetais percebem uma melhora significativa na digestão e, até mesmo, no humor.

Conscientização maior: seja por questões de saúde ou filosóficas (como o bem-estar animal, por exemplo) pessoas que priorizam ou seguem unicamente uma dieta vegetariana costumam procurar mais informações sobre os alimentos. “Esses indivíduos precisam diversificar e até combinar vegetais para alcançar o aporte de proteínas necessárias para o organismo. Por isso, acabam se preocupando mais com a qualidade e procedência do que comem.” – afirma Neto.

Longevidade: frutas, legumes e verduras não são apenas as principais fontes de vitaminas da natureza, os vegetais também são famosos por suas propriedades antioxidantes. Essa característica faz com que a dieta vegetariana combata, naturalmente, o envelhecimento precoce. Isso porque essas moléculas neutralizam a ação dos radicais livres – substâncias ligadas ao surgimento de quadros inflamatórios no organismo e de diversas doenças crônicas.

Orgânicos: um passo além

frutas mercado

Essa conscientização com a dieta também explica a boa reputação dos orgânicos no país. Segundo a pesquisa, 64% dos brasileiros acreditam, mesmo que jamais tenham consumido, que produtos de origem orgânica são melhores que os convencionais. Essa percepção vem, justamente, de outra preocupação crescente: a utilização de agrotóxicos e conservantes no cultivo e no processamento dos alimentos. Por não utilizarem essas e outras substâncias prejudiciais em toda cadeia de produção, os orgânicos são bem vistos pela maioria da população e podem representar tanto um pontapé inicial para um novo estilo de vida, quanto um passo além para quem já segue o vegetarianismo.

Mais do que o cardápio

Em tempos nos quais a indústria da beleza explora massivamente o apelo natural – uma característica valorizada por 48% dos brasileiros – procurar por produtos orgânicos é uma garantia de não levar “gato por lebre”. Isso porque um produto que usa, em sua fórmula, um ingrediente natural, nem sempre é mais saudável ou atende os princípios do veganismo.

cosmeticos naturais veganicos organicos

Já os cosméticos e maquiagens orgânicas possuem maior transparência a respeito da fórmula e do uso, ou não, de itens de origem animal. Esses cosméticos possuem, inclusive, informações claras que facilitam a vida daqueles que querem alternativas veganas, livre de agrotóxicos e naturais. Dentre os adeptos dessa classe de cosméticos, a maior motivação é, justamente, o favorecimento da saúde. Veja os benefícios:

Menor risco de alergia: boa parte do que passamos sobre a pele é absorvido pelo organismo, o que, no caso dos cosméticos convencionais, pode ser um desencadeante de alergias. Como as fórmulas orgânicas seguem regras específicas quanto ao uso de ingredientes e boa parte deles são de origem natural, o risco de alguma reação cutânea é reduzida.

Mais eficazes: nosso corpo se adapta melhor aos ativos naturais do que aos sintéticos. Isso porque nossa pele e couro cabeludo precisam dos nutrientes presentes nos vegetais para se manter saudáveis. Isso significa que cosméticos orgânicos podem promover uma hidratação mais intensa e favorecer, naturalmente, diversos aspectos de beleza.

Mais saudáveis: menos agressivos, são melhor aproveitados pelo organismo e previnem contra o ressecamento e descamação da pele. Mas, o mais relevante é que por excluir os conservantes, agrotóxicos e metais pesados comumente presentes nos produtos convencionais, os orgânicos evitam o acúmulo de substâncias nocivas no organismo, compostos que, a longo prazo, podem causar grandes prejuízos à saúde. É justamente por isso que, independente do engajamento, cada vez mais pessoas aderem aos cosméticos orgânicos.

Mudança planejada

Para finalizar, Neto aconselha que quem deseja abraçar algum desses estilos de vida procure, antes de tudo, orientação “Qualquer pessoa, consuma carne ou não, precisa procurar um médico regularmente para saber seu estado nutricional, especialmente se deseja fazer mudanças profundas na alimentação. Para que a dieta realmente proporcione mais saúde e não cause prejuízos à nutrição, é fundamental ter acompanhamento médico.”

Fonte: Use Orgânico

Quatro dicas para manter o peso durante os jogos do mundial

Reunir os amigos e família para assistir aos jogos do mundial é sinônimo de diversão, mas também de muita comida. É possível, no entanto, fazer escolhas boas e incluir outros bons hábitos durante o período para que não haja prejuízos depois da competição.

treino corrida inverno

=Mantenha a rotina da atividade física: a nutricionista Marisa Resende Coutinho da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo recomenda a prática regular de atividade física, tanto nos dias de jogo – em que se sabe que haverá um consumo maior de comidas calóricas – como nos outros dias comuns.

mulher comendo maçã public domain pictures
Foto: PublicDomainPictures

=Coma algo saudável antes de encontrar os amigos: se vai ver o jogo junto com os amigos, não chegue lá com fome, já que a chance de exagerar nos petiscos calóricos é maior. Se alimentar com alguma coisa saudável ajuda a controlar a fome e a fazer melhores escolhas.

mulher bebendo agua pixabay
Pixabay

=Hidrate-se com água: bebidas açucaradas, como refrigerantes ou sucos industrializados contêm calorias em excesso e não agregam nutrientes importantes ao corpo. Durante os jogos prefira a água, sempre.

cafe-da-manha

=Não fuja do café da manhã: a primeira refeição do dia é importante para que não se exagere nas próximas. Quem pula o café da manhã tem mais chances de comer mais ao longo do dia, e isso vale na hora de saber parar com os petiscos durante o jogo.

Fonte: Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo 

 

Pesquisa: como brasileiros se informam sobre nutrição em tempos de fake news

Levantamento exclusivo realizado para a Nestlé mostra os canais de comunicação mais acessados, o nível de confiança e de checagem da informação veiculada sobre alimentação

Como os brasileiros se informam sobre nutrição em meio a um bombardeio de conteúdo, dicas e informações disseminadas em tempo real pela internet? Para entender essa busca por conhecimento, a área de Inteligência e Pesquisa de Mercado da Editora Abril realizou um levantamento exclusivo com 500 participantes em todo o País, publicado na edição de junho da Revista BIO, publicação especializada da Nestlé, dirigida a nutricionistas, com o objetivo de disseminar informações científicas sobre Nutrição aos profissionais de saúde.

Sixty-and-Me mulher computador

A pesquisa mapeou, por exemplo, quais são as principais fontes de informação sobre alimentação saudável. O resultado chama a atenção, já que 51% dos entrevistados afirmou que tem no YouTube o meio de comunicação de referência de conteúdo sobre o tema. Em seguida, estão os sites especializados, com 50% da preferência dos participantes; acompanhados pela televisão (43%), sites de notícias (41%), Facebook (41%), revistas (38%), Instagram (32%), blogs (31%), jornais (22%), WhatsApp (20%) e rádio (11%).

Checagem da informação

Um dos temas mais relevantes que a pesquisa abordou – e que tem sido pauta de debates, matérias e inúmeras discussões na internet e no dia a dia – é sobre como as pessoas filtram as informações disseminadas pela internet, especificamente nas redes sociais. O levantamento mostra que 46% dos entrevistados disseram que sempre checam as fontes e a veracidade das notícias sobre alimentação nas redes; 45% checam às vezes e 9% afirmaram nunca checar.

A pesquisa levantou, ainda, o nível de confiança das pessoas nas notícias sobre alimentação veiculadas e/ou postadas em diversos meios de comunicação. Em uma escala de 0 a 10, a lista é liderada por blogs e perfis de profissionais de saúde, com nota média de 7,2; depois aparecem as reportagens publicadas pela imprensa em jornais, revistas, sites, TV e rádio, com média de 6,3 – na última posição está o WhatsApp, com nota 3,2.

Alimentação saudável

O tipo de fonte varia também conforme a pauta. Quando se fala em dieta e emagrecimento, por exemplo, a pesquisa mostra que 32% dos entrevistados têm no nutricionista a principal fonte de informação sobre o assunto; seguido por sites especializados (16%); médico (15%); redes sociais (12%) e blogueiros/youtubers (7%). Se o assunto é alimentação infantil, o contexto é parecido, com o nutricionista em primeiro lugar como principal fonte de informação, com 21% da preferência dos entrevistados, seguido pelos sites especializados (19%) e o médico (18%).

alimentação saudável

Vale destacar, também, os dados quanto ao nível de preocupação com a alimentação saudável dos entrevistados. As respostas indicam que 42% das pessoas se consideram um pouco preocupadas com o tema; enquanto 44% se dizem preocupadas e 14% muito preocupadas. Os resultados completos podem ser conferidos na revista BIO de junho.

A publicação é distribuída pela Nestlé para mais de 30 mil nutricionistas e especialistas da área de saúde com o objetivo de promover educação, atualização e conscientização sobre temas ligados a alimentação e saúde, contribuindo para disseminar o propósito da companhia de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável.

Fonte: Nestlé