Arquivo da tag: alimentação saudável

Pesquisadora da USP produz chocolate funcional com probióticos

Alimento com lactobacilos vivos melhora funções intestinais e reduz risco de doenças como o câncer de cólon

Por Ivanir Ferreira – Editorias: Ciências da Saúde

chocolate pixabay
O chocolate é uma alternativa aos produtos lácteos (iogurte, leite fermentado, sorvetes e cremes) que não podem ser consumidos por pessoas com intolerância à lactose, alérgicos ou com restrição de proteína animal – Foto: Pixabay – CC

Novo chocolate funcional, produzido na USP, contém micro-organismos vivos que conferem mais benefícios à saúde humana. Além das propriedades antioxidantes presentes no cacau, os probióticos melhoram as funções gastrointestinais, reduzem o risco de constipação e a possibilidade de desenvolvimento de várias doenças como o câncer de cólon. A pesquisa, que foi feita na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) da USP, traz novas alternativas para o mercado de alimentos. O chocolate meio amargo poderá substituir os produtos lácteos encontrados nos supermercados que não podem ser consumidos por pessoas com intolerância à lactose, alérgicos ou com restrição de proteína animal.

Os probióticos aplicados ao chocolate foram o Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium animalis, semelhantes aos presentes naturalmente no organismo humano, mas que ao longo da vida vão se perdendo pelo consumo de alguns alimentos industrializados que afetam a flora intestinal, como o açúcar, abusos de medicamentos e o estresse. Os micro-organismos têm um papel fundamental no fortalecimento do sistema imunológico e estão associados ao combate de doenças gastrointestinais, redução da biossíntese do colesterol, inibição de células cancerígenas e possuem atividade antimicrobiana contra a Helicobacter pylori e diversos fungos. A ingestão regular e em quantidade adequada de probióticos restaura a flora intestinal e repovoa o organismo de bactérias boas.

particulas
Partículas lipídicas com os probióticos encapsulados – Foto: Arquivo pessoal da pesquisadora

Os lactobacilos são mais comumente encontrados em iogurte, sucos, sorvetes e cremes porque os produtos lácteos são boas matrizes para veiculação dos micro-organismos. O grande desafio da pesquisa foi encontrar uma forma de incorporar os bioativos em outros produtos que os mantivessem vivos, explica a engenheira de alimentos, Marluci Palazzolli da Silva, autora do mestrado que deu origem ao chocolate funcional.

Em laboratório, Marluci dividiu o processo de incorporação dos probióticos no chocolate meio amargo em duas etapas: na primeira, microencapsulou os probióticos com gordura vegetal por um método chamado spray chilling, onde a mistura de probióticos e a gordura vegetal aquecida foi atomizada a frio produzindo partículas lipídicas. O objetivo foi proteger os micro-organismos do contato com o oxigênio, com a umidade e demais ingredientes do chocolate; na segunda etapa, a pesquisadora preparou amostras de chocolate sem a encapsulamento dos micro-organismos. As amostras de chocolate foram produzidas em parceria com o Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolate do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital).

Em ambos os processos, segundo a pesquisadora, tiveram resultados positivos em relação à possibilidade de o chocolate meio amargo ser uma matriz alimentícia aceitável para a incorporação dos probióticos. Porém, a técnica que utilizou spray chilling se mostrou mais eficiente porque a digestão da gordura, que neste caso encapsulou os bioativos, ocorreu no intestino, onde os micro-organismos efetivamente possuem melhor ação. Nos dois processos, os micro-organismos sobreviveram, havendo, inclusive, a manutenção da quantidade de bactérias.

Depois de pronto, o chocolate foi avaliado por cem provadores para comprovar a aceitação do produto que teve nota acima de sete em uma escala de nove pontos. Perguntado aos voluntários se comprariam o chocolate funcional quando estivesse no mercado, cerca de 75% demonstraram intenção de compra.

Segundo a pesquisadora, considerando a boa aceitação do chocolate, a manutenção da viabilidade dos probióticos e o efeito antioxidante pela presença dos compostos fenólicos no cacau, os resultados da pesquisa indicaram o potencial do produto para a diversificação dos alimentos probióticos disponíveis no mercado, conclui.

marluci
Marluci Palazzolli da Silva, autora do estudo que deu origem ao novo chocolate funcional – Foto: Arquivo pessoal da pesquisadora

A dissertação Desenvolvimento e caracterização de chocolate meio amargo contendo micro-organismo probiótico na forma livre e encapsulada que resultou no chocolate funcional foi defendida por Marluci Palazzolli da Silva, sob orientação da professora Carmem Sílvia Favaro Trindade, na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) da USP.

Fonte: Jornal da USP

 

Anúncios

Dez alimentos que devem ser abolidos em 2018

Se emagrecer está entre as principais metas de 2018, a nutróloga Ana Luisa Vilela – médica especialista em emagrecimento da capital paulista – foi além e separou uma lista com os dez alimentos que devem ser riscados da lista do supermercado. Ela conta que esses dez itens não servem apenas para entrar em 2018 com mais saúde, mas também colabora para evitar alguma doenças e ainda perder de maneira bem mais simples do que se imagina.

Tirando alguns alimentos que são ricos em sódio, gorduras e calorias vazias, a médica afirma que é possível melhor muito a qualidade de vida. Confira a lista:

salame pixabay
Pixabay

1- Embutidos e defumados: são ricos em sais e gorduras podem induzir doenças no trato gastrointestinal se consumidos em excesso;

sal-refinado

2- Sal de adição: colabora para a retenção de líquidos e é o inimigo de quem tem pressão alta e problemas cardíacos;

Balas Caramelizadas

3- Corantes sintéticos: são normalmente encontrados em alimentos com pigmento forte industrializado como balas sucos em pó podem causar alergias graves.

batata frita

4- Frituras em óleo: o óleo oxidado usado em frituras e um veneno para nosso colesterol aumentando muito o risco de distúrbios cardiovasculares;

salsicha e embutidos pixabay
Pixabay

5- Salsicha: é um alimento rico em gorduras, corantes e possui baixa qualidade. Se for consumir, dê preferência então para as salsichas artesanais com alimentos selecionados;

fast food

6- Biscoitos industrializados, margarina e sanduíches fast food: são ricos em gorduras e carnes processaras muito calóricos estimulam o comer rápido são macios deixando o ato de mastigar em segundo plano. O biscoitos são recheados com recheios artificiais ricos em gorduras açúcares e corantes e você nunca come um só, o que aumenta ainda mais a ingesta de gorduras ruins e calorias e induz as crianças a só comerem besteiras deixando de lado os bons alimentos como frutas e legumes.

macarrao instantaneo
Pixabay

 

7- Macarrão instantâneo: alimento que já vem industrializado pré frito, rico em sal e gorduras e calorias e com baixa ingesta de nutrientes. São famosos por serem uma opção barata e rápida porém pouco saudável.

sugar

8- Açúcar branco: além de serem calorias vazias, engorda, aumenta o risco de diabetes quando consumidos em grande quantidade.

balas

9- Balas e Marshmallow: ricos em gorduras, aumentam o ganho de peso e são calorias sem nenhum nutriente. Também pioram a qualidade dos dentes.

carne de porco gordura pixabay
Pixabay

10- Gordura visível em carnes de origem animal: mesmo sabendo a delícia que é um torresmo ou aquela gordurinha da picanha, ou a pele crocante do frango, todas são maléficas para a saúde. É melhor investir em carnes magras como filé de frango ou peixes e sempre tirar aquelas gordurinhas visíveis. Esses excessos prejudicam o bom funcionamento do coração.

Fonte: Ana Luisa Vilela é graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Itajubá – MG, especialista pelo Instituto Garrido de Obesidade e Gastroenterologia (Beneficência Portuguesa de São Paulo) e pós graduada em Nutrição Médica pelo Instituto GANEP de Nutrição Humana também na Beneficência Portuguesa de São Paulo e estágio concluído pelo Hospital das Clinicas de São Paulo – HCFMUSP. Hoje, está à frente da rede da Clínica Slim Form a melhorar a autoestima de seus pacientes com sobrepeso com tratamentos personalizados que aliam beleza e saúde.

Férias de verão: nutricionista dá dicas de alimentação saudável para crianças

Verão pede alimentos leves e ricos em água. Tentar manter a rotina na hora da alimentação, mesmo em período de férias escolares, é um desafio que os pais devem enfrentar. Prestando um pouco de atenção no prato, dá para aproveitar o clima quente ao máximo, com muita energia

Como alimentar as crianças na época mais quente do ano? Os cuidados com a alimentação dos pequenos neste período é tão importante quanto a qualidade do sono e a prática de atividade física. Durante o verão, as crianças costumam brincar mais do que o normal, e elas gastam mais energia e aproveitam cada instante dessa estação. Mas há um detalhe do qual os pais não podem descuidar: a alimentação dos pequenos, pois os resultados podem ser prejudiciais.

De acordo com a nutricionista da Cardiopediatria do HCor (Hospital do Coração), Natane Souza, com as férias de verão, é possível realizar vários passeios e, a tão sonhada viagem de férias. Seja qual for o passeio, ou até em casa, é muito importante que os pais se preocupem com a alimentação de seus filhos, pois durante o verão há a elevação da temperatura do ambiente e, consequentemente, elevação da temperatura corporal.

Quando a temperatura do nosso corpo aumenta, aumenta também a transpiração, que tem como objetivo resfriar o corpo, mantendo-o na temperatura adequada para o seu funcionamento. O problema é que ao transpirarmos, água e sais minerais são perdidos com o suor, o que poderá ocasionar um quadro de desidratação.

menina criança praia boné píxabay
Pixabay

“A desidratação ocorre quando o corpo tem menos água do que necessita, e geralmente vem acompanhada de sintomas como boca seca, fraqueza, tontura, dores de cabeça, urina escura e escassa. A desidratação pode trazer muitas complicações, principalmente para crianças, por isso é muito importante tomar alguns cuidados com a alimentação dos nossos filhos nesta época do ano, a fim de prevenirmos esse quadro”, explica a nutricionista do HCor.

No dia em que a programação dos pequenos incluir passeios longos, o almoço sempre fica para mais tarde. Então, a dica é levar um lanchinho na bolsa para enganar a fome, por exemplo, uma fruta. E, na hora do almoço, não deixe a criança abusar na quantidade e a estimule para que mastigue bem a comida.

Hidratar os pequenos, sempre!

menina tomando suco criança pixabay
Pixabay

Durante o dia, vale a pena oferecer muito líquido para hidratar as crianças. Use e abuse de água e sucos naturais. Água de coco é uma ótima alternativa para eliminar os refrigerantes e refrescos em pó do cardápio. “Evite oferecer alimentos e guloseimas a todo o instante para as crianças. Estipule um intervalo de três a quatro horas entre as refeições. No caso da criança acordar mais tarde, não faça do almoço sua primeira refeição. É importante ingerir algum alimento leve antes (frutas ou suco natural) e depois siga o fracionamento adequado de três a quatro horas”, sugere Natane Souza.

Em geral, o verão pede alimentos leves e ricos em água. Tentar manter a rotina na hora da alimentação, mesmo em período de férias escolares, é um desafio que os pais devem enfrentar. Prestando um pouco de atenção no prato, dá para aproveitar o clima quente ao máximo, com muita energia e sem ficar doente.

salada-de-fruta-pinterest
Pinterest

A refeição dos pequenos será fora de casa? Leve frutas em uma bolsa térmica: uvas, maçã, pera, banana, laranja, melão e manga, pois além de hidratarem, fornecem vitaminas, minerais e energia na forma de frutose. Para maior praticidade, deixe as frutas já picadas. Também podem ser levados biscoitos (doces ou salgados) à base de farinhas integrais, bolo caseiro simples (embalados fatia a fatia, se já for levar cortado), minissanduíches com queijo branco ou pastas de ricota e sucos naturais.

“A dica é ler o rótulo para evitar aqueles com grande quantidade de açúcar e corantes. O primeiro ingrediente que aparece no rótulo geralmente é o está presente em maior quantidade, então fuja do açúcar”, recomenda.

milho alvimann
Foto: Alvimann/Morguefile

Se for comprar algo de última hora para dar à criança, prefira milho cozido, picolés de fruta, sucos e água de coco. Lembre-se também de evitar os alimentos vendidos na praia, como cachorro quente, sanduíches e preparações em geral que tenham maionese e camarão, além de salada de frutas, sucos que não sejam industrializados, entre outros. Há grande risco de contaminação no consumo desses produtos, desencadeando uma intoxicação alimentar na criança”, alerta a nutricionista.

Cuidados com os alimentos industrializados

Evite que seu filho beba refrigerante e outras bebidas gaseificadas, pois elas favorecem a desidratação e a eliminação de sais minerais pela urina. Prefira as comidas feitas em casa, mas se durante o passeio resolver comer fora, evite frituras e comidas muito gordurosas. Evite alimentos processados, enlatados, congelados e condimentados.

fast food

“Muita atenção com os alimentos preparados em barraquinhas na praia ou em lanchonetes móveis, pois estes alimentos podem ficar expostos ao sol e estragarem com maior rapidez. No almoço e jantar prefira um cardápio mais leve, com verduras e legumes, prato principal assado ou grelhado que garantem uma digestão fácil e maior disponibilidade de nutrientes. Não esqueça dos alimentos que nos dão energia, que são aqueles fonte de carboidratos como massas, arroz, feijão, batatas etc”, aconselha a nutricionista do HCor.

Frutas, verduras e legumes bem fresquinhos

alimentação
Foto: SDRandCo/Morguefile

Consuma à vontade legumes, verduras e frutas, por serem opções para a obtenção de energia de forma leve e saudável, além de terem vitaminas e minerais, importantes para a prática de exercícios. “As saladas devem ser temperadas com azeite, vinagre e limão. Também é importante lembrar que a maionese pode ser perigosa nessa época do ano, pois contêm ovos crus que aumentam risco de contaminação, e favorecem a ocorrência de diarreia. Seguindo todos os cuidados com a alimentação dos pequenos, com certeza os dias de folga serão recheados de alegria, saúde e muita disposição”, finaliza.

Alguns mitos e verdades sobre alimentação

Você sabe o que realmente faz bem para o seu organismo? Descubra os hábitos e alimentos que jogam a favor da sua saúde

No verão as pessoas começam a dar uma atenção especial no cardápio e inserir novos “hábitos saudáveis” no dia a dia. Mas nem tudo é o que parece. Carolina Mantelli, endocrinologista e especialista em metabologia, revela alguns mitos e verdades sobre os alimentos e como utilizá-los ao seu favor.

Chá verde é bom para digestão

chá verde japones tradicional louça pixabay
Pixabay

Verdade. Apesar de bom para digestão, o ideal é consumi-lo no meio da manhã ou depois de praticar atividades físicas, pois ajuda a eliminar as toxinas. Mate, chá preto e café devem ser evitados após o almoço e jantar, pois o consumo de cafeína logo após as refeições pode atrapalhar na absorção de alguns nutrientes (ex: cálcio, ferro, cobre, zinco e vitaminas). Além disso, acaba relaxando a musculatura que trabalha impedindo que os alimentos passem do estômago para o esôfago, o que pode acabar resultando num refluxo.

Ingerir líquido durante a refeição engorda

jantar almoço comida vinho mulher

Mito. O hábito não engorda, mas causa aumento do abdômen, ocupando o espaço da comida e, consequentemente, distendendo o estômago. O ideal é consumir no máximo até 100ml de água somente para auxiliar na digestão e ajudar na deglutição dos alimentos. Mais que isso, o excesso de líquido começa a atrapalhar o processo de absorção de nutrientes.

Azeite é saudável;

tomate azeite alimentação alimentos

Verdade. Ele ajuda a aumentar o colesterol bom, o HDL. Porém, não pode ser levado ao fogo, pois se transforma em gordura saturada.

Legumes sem casca são mais saudáveis;

alimentos

Mito. O ideal é fazer a higienização corretamente e cozinhar com casa para conservar as vitaminas, utilizando o mínimo de água possível. Para aproveitar todas as vitaminas e proteínas, use essa água para preparar arroz, feijão, lentilha e macarrão. Dica: utilizar iodo para retirar o agrotóxico da casca dos legumes e verduras.

Caminhar após as refeições ajuda na digestão;

andar caminhar

Mito. A caminhada logo após as refeições dificulta a absorção dos nutrientes no organismo, pode também causar refluxo ácido e indigestão. Depois de meia hora, uma voltinha está liberada, o que será bom para potencializar o metabolismo e queimar algumas calorias extras, além de auxiliar um sono mais rápido e profundo.

Beber muita água emagrece;

mulher bebendo agua pixabay
pixabay

Verdade. Durante toda dieta para perda de gordura (emagrecimento) ocorre um aumento da acidez do sangue devido à intensa quebra da gordura em energia. Sendo assim, a ingestão de muita água ameniza os sintomas decorrentes dessa acidez, como cefaleia, náuseas, enjoos, favorecendo todo este processo. Mesmo porque, o sangue ácido é extremamente maléfico e nos deixa abertos às doenças.

Fazer exercício físico em jejum ajuda a perder peso;

exercicio academia

Mito. Ao acordar, a quantidade de glicose e proteínas no sangue esta baixa devido ao jejum prolongado durante o sono. Ao exercitar sem se alimentar, o corpo vai quebrar massa muscular para produzir energia, gerando a glicose necessária para movimentar-se e manter o cérebro ativo, portanto, vai haver a perda da massa muscular, mas não da gordura. Além de sentir dor de cabeça, náuseas, enjoos e fraqueza, que vão impedir de se exercitar por um tempo adequado.

Substituir as refeições principais, como café da manhã, almoço e jantar, por sucos e chás traz benefícios;

suco-melancia

Mito. Sucos e chás não têm as quantidades adequadas de proteínas, vitaminas, sais minerais e fibras que os alimentos sólidos das refeições possuem, além de não produzirem saciedade, pois são de rápida digestão podendo provocar perda de massa muscular e problemas de saúde por falta de nutrientes.

Para elaborar uma dieta balanceada e que seja adequada ao seu organismo, procure sempre um auxílio médico.

Fonte: Carolina Mantelli é médica, pós-graduada em Endocrinologia e Metabologia. Possui título de médica perito pela Universidade de São Paulo e conhecimentos específicos em metafísica e desenvolvimento mental, procurando tratar o ser humano como um todo

 

Alimentação saudável diminui transtornos causados pela menopausa

A menopausa consiste em um estado hipoestrogênico (pobre em estrógeno), e que pode afetar adversamente o cérebro, o esqueleto, a pele e os sistemas cardiovasculares e genitourinários, resultando no aumento da severidade e da frequência dos sintomas climatéricos, impactando de forma negativa a produtividade e a qualidade de vida das mulheres.

Um dos sintomas mais conhecidos, o fogacho, por exemplo, é uma sensação subjetiva de calor associada aos sinais de vasodilatação cutânea e queda subsequente da temperatura corporal. Sudoreses diurnas e noturnas, rubor, cansaço, palpitações, ansiedade, irritabilidade e, até mesmo, transtorno do pânico podem acompanhar esse transtorno.

Mas a nutricionista Sabina Donatelli traz uma boa notícia para o universo feminino. Segundo a especialista, os sintomas desagradáveis podem ser amenizados por meio de uma alimentação saudável.

“Tudo que contém açúcar e farinha tem que ser evitado. A alimentação deve ter 65% verduras, legumes e frutas, ou seja, o que sai da terra e os outros 35% devem ser direcionados para carnes, proteínas, gorduras e o tal carboidrato, proveniente de mandioca, cará, inhame e batata-doce são muito mais indicados do que os oriundos dos grãos “, afirma.

legumes frutas organicos

Seguindo essa conduta de consumo, é possível ter uma menopausa sem transtornos. Sabina também afirma que álcool e todo tipo de xenobióticos, como remédios, temperos artificiais, refrigerantes e alimentos industrializados de maneira geral e embutidos não são bem-vindos. “Inclua nesta lista pizza, pão, bolachinhas e macarrão”, aconselha.

É comum neste período a obesidade se manifestar. Caso isso ocorra, recomenda-se promover uma mudança radical, consciente e aliada a uma dieta consistente. Caso a mulher já possua hábitos saudáveis, mesmo não estando próxima da menopausa, vai passar pelo processo sem sofrimento.

“Com um índice de massa corportal dentro do padrão, praticantes regulares de atividade física e com baixa ingestão de açúcares e xenobióticos são candidatas naturais a não sofrerem tanto quando chegam a este período delicado. O recomendável é começar a se preocupar com este assunto a partir dos 35 anos, independente se é mãe ou não”, avalia a nutricionista.

Mesmo que alguns suplementos ou hormônios possam auxiliar nesta jornada, a resposta para o bem-estar ainda está na alimentação saudável. ” Os alimentos ajudam, quando não, resolvem. Conheço mulheres que simplesmente passaram pela menopausa sem ressecamento vaginal. Trata-se de um desafio e requer maturidade diante de si, da vida, do próprio corpo e das outras pessoas”, destaca Sabina.

Mudar hábitos significa escolher o caminho mais difícil. Mas, em contrapartida, é por meio desse novo olhar que se chega a uma velhice muito mais saudável e com disposição sem precedentes.

A nutricionista separou cinco alimentos que devem ser consumidos e que conduzem para uma menopausa saudável. “Aspargos, cogumelos, beterraba, abacate e derivados de soja são excelentes opções”, conclui.

Fonte: Sabina Donatelli é formada e pós-graduada em Nutrição, a profissional alia seus conhecimentos da escola clássica com estudos da fitoterapia e dietoterapia oriental, como a chinesa e a indiana

Pesquisa AccorHotels: mulheres têm mais interesse por alimentação saudável

A descoberta de uma consumidora mais seletiva e atenta à alimentação saudável é um dos principais destaques de pesquisa realizada pela AccorHotels, líder mundial em viagens e estilo de vida. A consulta reuniu mais de 4.600 respostas de hóspedes mulheres sobre bem-estar em 25 marcas da rede.

O estudo colheu impressões entre junho e julho de 2017 e 93% das participantes são brasileiras. Com perfil de 25 a 50 anos, majoritariamente, as mulheres entrevistadas indicam que as mudanças relacionadas à saúde já transpassam o dia a dia.

“Percebemos que, cada vez mais, nossas hóspedes querem manter os hábitos saudáveis adquiridos na rotina diária, como alimentação mais equilibrada e exercícios físicos, também nos momentos de viagens a trabalho ou lazer”, explica Magda Kiehl, SVP Jurídica e de Riscos AccorHotels América do Sul e líder do WAAG (Women at AccorHotels Generation) na região.

No âmbito alimentar, 81% das mulheres entrevistadas preferem refeições balanceadas. Já o interesse por encontrar opções orgânicas no restaurante é de 53%. Na mesma linha, as hóspedes também indicam que, na suíte, gostariam de encontrar frutas (68%), iogurte (62%), itens detox (27%) e chá verde (24%).

A pesquisa também apurou que, em viagens solitárias, 69% das clientes participantes da pesquisa tendem fazer suas refeições no próprio hotel, seja no restaurante ou usufruindo do room service. Motivo pelo qual a AccorHotels prioriza o contínuo investimento no setor de Alimentos & Bebidas.

Pesquisa AccorHotels - alimentação saudável.png

“Na AccorHotels, acreditamos que seja fundamental ouvir nossos hóspedes e entender suas necessidades para proporcionar o melhor atendimento possível”, explica Magda. “Temos o objetivo de fortalecer o equilíbrio de gênero dentro dos nossos hotéis, seja para o público interno ou externo. Exemplo disso é a nossa iniciativa WAAG, que contribui para a representatividade feminina em nossa empresa”, finaliza a executiva.

O WAAG visa construir uma realidade mais humana e igualitária para todos. No Brasil, as mulheres representaram, em 2016, 56% da força de trabalho da AccorHotels e 51% dos cargos de chefia e/ou gerência. A AccorHotels também promove, por meio do WAAG, o programa de Mentoring – para as colaboradoras das sedes e dos hotéis da AccorHotels na América do Sul que une mentores (gestores) e mentoradas (mulheres em cargos de chefias com potencial de crescimento) para incentivar a gestão igualitária.

Fonte: AccorHotels

Dicas simples de alimentação para o verão

De acordo com o personal Jhonatan Vital, em média, um adulto precisa tomar no mínimo dois litros de água por dia, e no calor, essa quantidade aumenta para três litros

Estamos no verão e as altas temperaturas dominam as cidades. Diante disso, é normal que alguns hábitos alimentares sofram alterações no dia a dia de cada pessoa.

Nesta época do ano, as pessoas costumam perder muito líquido e sais minerais, porém a vantagem é que o calor favorece a ingestão de mais líquidos e alimentos mais leves. Mas não espere sentir sede para tomar água, por exemplo. A partir do momento que você sente a necessidade de beber alguma coisa, já é um sinal de desidratação. Por isso, é importante consumir alguma bebida, seja água, água de coco ou suco a cada hora.

O personal trainer Jhonatan Vital, da Acqua Academia, localizada no bairro da Mooca, conta que, é necessário consumir dois litros de água. “Em média, um adulto precisa tomar no mínimo dois litros de água por dia. No calor, essa quantidade já aumenta para três litros, pois a água é responsável para regular a temperatura do corpo humano, além de nutrir, ajudar no oxigênio e nas células”, explica.

Água bebendo casal

O personal ainda ressalta a importância de se alimentar bastante de saladas e legumes durante a refeição. “Ao final de cada café da manhã, almoço e janta, o ideal é comer uma fruta de sobremesa, pois é refrescante e ajuda na absorção do que você ingeriu anteriormente”.

mulher frutas alimentos FreeGreatPicture 3

Agora, para se alimentar bem nessa época, uma última dica muito relevante é o cuidado com a preparação desses alimentos. Por exemplo: lave bem as frutas e verduras antes de comer. Devido ao alto calor, a proliferação de bactérias torna-se maior e com grande possibilidade de contaminação dos alimentos.

lavando verdura health hub
Health Hub

Siga as dicas e tenha um ótimo verão.

Fonte: Acqua Academia

Alimentos antioxidantes auxiliam no combate ao câncer

De acordo com o British Journal of Cancer, 45% dos casos de câncer em homens e 40% dos casos em mulheres poderiam ser evitados se adotados hábitos alimentares saudáveis

Mesmo em pleno século XXI ainda há muitos tabus em relação ao câncer. Para alguns, a doença é relacionada ao destino, para outros é uma questão de predisposição genética. O que o estudo publicado na edição de dezembro de 2011 do British Journal of Cancer constatou foi que 45% dos casos de câncer em homens e 40% dos casos em mulheres poderiam ser evitados se adotados hábitos saudáveis.

Segundo Lucas Penchel, médico, nutrólogo e diretor da Clínica Penchel, dentre os hábitos que auxiliam na prevenção ao câncer, a alimentação rica em alimentos antioxidantes desponta como a mais eficaz e prática. “Uma dieta com grandes concentrações de vitaminas A, C e E, betacaroteno, selênio ou zinco é capaz de diminuir notavelmente as chances de um indivíduo desenvolver um câncer, por exemplo”, explica.

antioxidantes alimentares tabela.png

As substâncias antioxidantes atrasam ou impedem as ações dos radicais livres – moléculas instáveis e reativas que podem causar doenças degenerativas e, até mesmo, câncer. Por serem produzidas em pequena quantidade pelo organismo, inserir uma dose farta na dieta através da alimentação é a forma mais indicada pelos especialistas.

frutas e cápsulas

“Alimentos de origem animal, frutas cítricas, vegetais verdes, cereais e grãos são as fontes com maior abundância de antioxidantes. Aproveitando o período das festividades de final de ano, invista em aves, carnes ou frutos do mar, amêndoas, nozes, castanha-do-pará, frutas cítricas, uva, morango e damasco”, indica Lucas.

Alimentos antioxidantes.jpg

Fonte: Lucas Penchel é Médico Generalista (Unifenas – BH); membro do International Colleges for the Advancement of Nutrology; membro da American Society for Nutrition; membro da Sociedade Brasileira de Fisiologia; membro da Associação Brasileira de Medicina Antienvelhecimento; membro da Sociedade Brasileira de Nutrologia; membro da Associação Brasileira do Estudo sobre Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso)

Menu verão Quaker com aveia, o supergrão

Desenvolvido pela chef Morena Leite, cardápio da flagship da marca é leve, colorido e tem tudo a ver com a estação mais quente do ano

Ano novo, endereço novo: com cardápio renovado, Quaker The Oatery está em Trancoso (BA) desde o fim de dezembro com novas receitas desenvolvidas pela chef Morena Leite, com o toque especial da aveia no preparo. As criações da chef e sócia do Grupo Sagrado (Capim Santo e Santinho) têm as cores fortes e os sabores leves do verão, e são um convite ao público para curtir a estação com o sabor da brasilidade gastronômica de Morena Leite aliada aos benefícios do supergrão.

Versátil, a aveia agrega leveza e valor nutricional às preparações do cardápio de Quaker The Oatery em Trancoso. O supergrão é rico em fibras, nutriente fundamental para o bom funcionamento do corpo humano, que, no verão, pode ser sobrecarregado por conta do calor excessivo e das escolhas alimentares.

As aveiocas – releituras das tapiocas, mas feitas com aveia – de Quaker The Oatery têm massas em quatro versões diferentes: tradicional, beterraba, cenoura e folhas verdes, todas recheadas com queijo branco, coalho e requeijão; ou com ovos mexidos e cogumelos trufados. Entre as opções de sanduíches estão pratos leves como o pão de cereais com tomate confit e muçarela de búfala, e o hambúrguer de camarão, servido no pão de capim de santo, com chips de banana da terra como acompanhamento.

Além de receitas com o conceito de late lunch que vão bem do café da manhã ao jantar, o menu conta com entradas, como o ceviche de peixe com cenoura, gengibre e abacaxi, e pratos principais, como a clássica e colorida moqueca de frutos do mar – na versão com pirão de aveia. Uma das estrelas da casa é a galete de tapioca com aveia e atum selado. Entre as sobremesas, destaque para a torta de tâmaras com castanhas, sem glúten e lactose, que é decorada com frutas do dia, como figos frescos.

Além dos pratos que serão servidos o dia todo, o menu de Quaker The Oatery em Trancoso conta com sucos, smoothies, bebidas sem álcool quentes e frias, e drinks variados. Os pães da casa feitos com aveia e utilizados em algumas das receitas, também estão disponíveis para venda no local em nove sabores diferentes.

Aveia, o supergrão

Trazer a aveia em divers  as receitas facilita o consumo desse grão que tem superioridade nutricional em relação a outros cereais presentes no consumo diário dos brasileiros, como: o arroz e o trigo, pois as quantidades da fibra betaglucano e proteína na aveia são maiores do que em outros cereais.

• Uma porção de 30g de aveia contém aproximadamente 5g de proteína, o que representa cerca de 10% da recomendação diária.
• A aveia contém aproximadamente 3,2g de fibra por porção de 30g, mais de 10% da recomendação diária.
• Βetaglucano é um tipo de fibra solúvel que desempenha um papel fundamental nos benefícios da aveia para a saúde.
• Os cereais mais consumidos da América Latina são milho, trigo, arroz e aveia. Entre estes, a aveia é o único grão contendo Betaglucano.

Confira o cardápio completo:

Bowls

Açaí com banana e granola
Iogurte batido com hortelã e granola rosa
Creme de papaya com banana e coco

Aveiocas

pratos_The Oatery_Quaker_Trancoso_Bahia_Foto Leo Feltran_ dezembro 2017

Massas – natural\ beterraba\ clorofila  cenoura
Queijo branco, coalho e requeijão
Ovos mexidos com cogumelos trufados

Sanduíches

(75).jpg

Pão de cereais com tomate confit e mussarela de búfala

pratos_The Oatery_Quaker_Trancoso_Bahia_Foto Leo Feltran_ dezembro 2017
Hambúrguer de camarão servido no pão de capim santo

Belisquete

Pão de queijo integral
Tartine com abacate e salmão defumado
Croquete de frutos do mar com vinagrete
Pastel de carne seca com abóbora

Entradas

(50).jpg

Ceviche de peixe com cenoura, gengibre e abacaxi
Ceviche de peixe com pupunha e coco
Ceviche de lagosta com biribiri
Salada verde com queijo de cabra
Tabule de aveia

Pratos

Risoto de grãos com alcachofra
Raviole recheado com queijo branco servido com molho de tomate rustico
Legumes ao forno (abobora, couve flor, vagem, cenoura) com pastas (hommus, beterraba, berinjela)

pratos_The Oatery_Quaker_Trancoso_Bahia_Foto Leo Feltran_ dezembro 2017
Galete de tapioca negra com aveia e atum selado (foto)
Salmão grelhado com salada de erva doce
Moqueca de frutos do mar com pirão de aveia
Picadinho de filé mignon com farofa de banana e pure de raizes

Doçuras

pratos_The Oatery_Quaker_Trancoso_Bahia_Foto Leo Feltran_ dezembro 2017

Torta de tâmara com castanhas
Torta de maçã com castanha-do-pará
Torta de cacau com cupuaçu
Torta de coco com baba de moça
Brownie de chocolate
Creme brullé de jaca

Sucos detox e termogênicos para desinchar e queimar calorias

As ceias de fim de ano são repletas de alimentos que muitas vezes são calóricos, com grande concentração de açúcar, gorduras, sódio e outros ingredientes que nos fazem ficar um pouco inchados.

Pensando nisso, a nutricionista da Grings Alimentos Saudáveis, Marília Zielinski, dá algumas dicas de receitas de bebidas que auxiliam a reduzir o inchaço e também opções termogênicas para ajudar na queima das calorias extras, que acabam nos deixando com uns quilinhos a mais depois da comilança. Confira as sugestões da nutricionista:

Suco Diurético e Detox

smoothie verde suco pixabay

Ingredientes
200ml (1 copo) de água de coco
Suco de 1 limão
1 colher de chá de Matcha Gourmet Grings
1 colher de sopa rasa de Açúcar Demerara Grings (ou adoçante)
1 pedra de gelo

Preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador e tome ainda gelado.

Suco Verde

smoothie verde espinafre pepino suco puxabay

Ingredientes
1 1 /2 xícara de água gelada
1 pé pequeno de alface americana
1 punhado de espinafre
1 pera
1 maçã
3 caules de aipo
½ ramo de coentro
½ ramo de salsa
1 banana
Suco de limão
1 colher de sobremesa de Matcha Gourmet Grings

Preparo
Acrescente a água no liquidificar e coloque os ingredientes aos poucos, sempre misturando-os. A salsa e o coentro devem ser os últimos a serem adicionados. Ao final, acrescente gelo a gosto e se desejar, adoçante.

Refresco Termogênico

smoothie verde couve suco pixabay

Ingredientes
1 colher de chá rasa de Matcha Gourmet Grings
1 colher de chá rasa de gengibre picado ou em pó
1 xícara de chá de abacaxi em cubos
2 pedras de gelo
1 xícara de chá de água

Preparo
Dilua o Matcha em 50ml de água morna. Em um liquidificador ou mix bata o abacaxi com a água e o gelo. Acrescente o Matcha e o gengibre e bata até misturar bem.

Fonte: Grings Alimentos Saudáveis

Fotos meramente ilustrativas/Pixabay