Arquivo da tag: alimentação

Dicas de alimentação e novidades sobre como repor o colágeno da pele

Após os 30 anos, homens e mulheres sentem a elasticidade e firmeza da pele diminuírem pouco a pouco, pois, a partir dessa idade, o corpo passa a perder colágeno gradativamente, impactando diretamente a aparência.

O colágeno é uma proteína produzida pelo nosso organismo, cuja principal função é dar firmeza, elasticidade e sustentação à pele.

colageno 1

Existem alimentos que ajudam na firmeza da pele, os chamados firmadores da pele. Muitos médicos solicitam que seus pacientes aliem uma dieta rica em reposição de colágeno com o Sculptra (ácido poli – L – lático injetável), que é um tratamento estético estimulante da produção natural do colágeno do organismo. Assim, os resultados, além de mais certeiros, tendem a ter uma duração maior e mais permanente na pele.

Abaixo seguem algumas dicas que muitos médicos especialistas indicam para seus pacientes:

Alimentação

frutas-citricas-limao-laranja

Frutas Cítricas: são ricas em vitamina C, substância indispensável para a formação de colágeno. Indicação de quatro porções ao dia.

frutas vermelhas skyangel

Frutas vermelhas: morango e a amora são exemplos de frutas vermelhas que contêm vitamina C e flavonoides que, ao trabalharem juntos, possuem ação antioxidante que combate os radicais livres e o envelhecimento do corpo humano.

linhaça

Linhaça: rica ação das fibras e ômega-3. O ideal é consumir uma colher (chá) por dia, de preferência triturada.

aveia haaijk
Foto: Haaijk/Pixabay

Aveia: é uma fonte de silício, um dos nutrientes necessários para a formação de colágeno.

peixe com açafrao jacek chabraszewski

Peixes: ricos em ômega-3 e DMAE. Comer no mínimo três vezes por semana garante uma ótima absorção das enzimas.

oleaginosas castanhas
Pixabay

Castanha, nozes e amêndoas: contêm ácidos graxos poli-insaturados importantes para a vitalidade da pele e vitamina E.

Cenoura

Abóbora, cenoura, melão e pêssego: contêm vitamina A, responsável pela regeneração da pele. Comer ½ xícara por dia, em saladas ou sucos.

chá branco pixabay

Chá Branco:  pode proteger as proteínas presentes na estrutura da pele, em especial o colágeno. A justificativa para a ocorrência de tal fato é que a bebida previne a ação de enzimas que destroem o colágeno.

Sculptra

rosto colageno

A aplicação de Sculptra, que pode ser realizado em consultório médico, consiste na aplicação de uma substância chamada ácido poli–L–láctico, um estimulante da produção natural do colágeno do organismo que melhora a flacidez e o contorno facial.

Revolucionário e reverenciado pelos médicos, dermatologistas e especialistas, o Sculptra é um bioestimulador de colágeno injetável, composto por ácido poli-L-láctico, uma substância absorvível pelo nosso organismo.

Sculptra atua de dentro para fora, suavizando os sinais do envelhecimento e melhorando a flacidez. O tratamento consiste em cerca de três sessões, com intervalo médio de 30 dias entre cada uma delas. Os resultados são graduais e começam a surgir a partir da terceira semana após a primeira sessão, sendo mais visíveis após seis meses. Devido ao exclusivo mecanismo de ação de Sculptra, os resultados são duradouros e percebidos por até 25 meses.

Fonte: retirado de Adaptado de Rebecca Fitzgerald, Danny Vleggaar. Facial volume restoration of the aging face with poly-L-lactic acid. Dermatologic Therapy, Vol. 24, 2011, 2–27.

Mas por que entre todos os tratamentos, o Sculptra é apontado como diferenciado?

sculptra

Uma pesquisa* com 383 mulheres, entre 35 e 69 anos, sobre o comportamento do consumidor de tratamentos estéticos faciais anti-idade, mostrou que os pacientes preferem resultados graduais e duradouros, ao invés de imediatos. 75% das mulheres questionadas sobre suas preferências quanto a tratamentos estéticos desejam algo gradual, com resultados que duram dois anos.

*Weinkle S, Lupo M. Attitudes, awareness, and usage of medical antiagingtreatments. Results of a patient survey. J Clin Aesthetic Dermatol. 2010;3(9):30-33.dual, com resultados que duram dois anos.

Adaptado de Brandt, Fredic S. et al. Investigator global evaluations of efficacy of injectable poly-l-lactic acid versus human collagen in the correction of nasolabial fold wrinkles. Aesthet surg j. 2011 Jul;31(5): 521-8.

Fonte: Galderma

 

Anúncios

Saiba como as frutas auxiliam na saúde dos cães

Provavelmente os tutores já pensaram em dar frutas como petisco para os cães, mas é importante lembrar que não são todas as frutas que fazem bem para seu amigo, apenas algumas possuem propriedades benéficas para a dieta dos cães.

O médico veterinário da Naturalis, Marcello Machado, explica que em hipótese alguma a alimentação do cachorro pode se basear apenas em frutas, pois ele precisa de uma nutrição balanceada com proteínas de qualidade e fibras em níveis ajustados.

“Para atender o paladar dos cães que gostam de frutas, existem rações no mercado pet como a Naturalis, que além de possuir formulação 100% natural, também conta com sabores, vitaminas, sais minerais e os nutrientes da maçã e do mamão, que são poderosos aliados para manter o cão sempre bem-alimentado e saudável”, indica.

A ração com frutas também pode ser uma ótima opção para cães que não sentem atração pela ração comum, pois a ração com frutas possui um odor diferenciado e mais atrativo para o olfato canino. “Além das frutas, Naturalis possui em sua composição verduras, carne, ingredientes integrais, e é livre de conservantes artificiais e corantes para o cão crescer com vitalidade e energia, resultando saúde e a longevidade do animal”, complementa Machado.

O médico veterinário da Naturalis apontou os benefícios da maçã e do mamão para os cães, confira:

cachorro comendo maça

Maçã para cachorro – contém vitaminas B, C e E, rica em probióticos e é uma ótima fonte de fibras para favorecer a função intestinal, possui baixo valor calórico e contribui para manter a imunidade alta e regula a glicemia dos pets.

Mamão para cachorro – assim como a maçã, é fonte de fibras e possui um sabor que agrada muito os cães. Ajuda a melhorar a digestão e possui vitaminas A e C, cálcio e potássio.

Fonte: Naturalis

Proteste alerta para alimentos falsamente saudáveis

Associação afirma que embora certos alimentos pareçam ser saudáveis, nem todos fazem bem à saúde

Anunciados como alimentos que ajudam na redução do peso, produtos industrializados, como barrinhas de cereal, peito de peru, suco de caixinha e biscoito água e sal, podem conter açúcar, sódio e gordura em excesso. Optar por esses alimentos ditos “milagrosos”, mesmo nas suas versões diet e light, pode ser um erro para o consumidor que quer emagrecer ou busca melhorar a sua alimentação.

Embora sejam práticos e aparentem ser “saudáveis”, não são todos que fazem bem à saúde. Adotar uma dieta balanceada é a melhor forma para quem quer eliminar o excesso de peso. De acordo com o Guia Alimentar da População Brasileira, a melhor opção é preferir os alimentos in natura ou minimamente processados.

Por isso, a Proteste, Associação de Consumidores, alerta os consumidores para limitar o consumo de produtos ultraprocessados apenas para situações de emergência. E, nessas situações, na hora de comprá-los, é preciso prestar atenção aos rótulos. Fique atento! A lista de ingredientes está em ordem decrescente, ou seja, o primeiro item está presente em maior quantidade.

Conheça, a seguir, os alimentos considerados “falsos saudáveis”:

Barrinha de cereal

barrinha cereais

Fáceis de carregar, muita gente acha que elas são ricas em fibras (responsáveis pelo bom funcionamento do intestino e pela saciedade), mas, na verdade, algumas trazem teores abaixo do esperado, além de serem ricas em sódio e açúcar. Em teste realizado pela Associação de Defesa do Consumidor, com barras de cereal, foram identificados conservantes que podem aumentar a quantidade de lipídios e gorduras no sangue, dificultando a absorção das vitaminas A e D pelo organismo, o que pode causar urticária e dermatite.

Sopas Instantâneas

sopa pixabay

Embora práticas, elas são pouco nutritivas e, em geral, ricas em sódio e aditivos químicos. O excesso de sódio atua como fator de risco para o desenvolvimento ou agravamento da hipertensão arterial.

Suco de caixinha

suco de laranja dvir
Foto: Dvir/Morguefile

A maioria desses produtos possui quase a mesma quantidade de açúcar dos refrigerantes. Também chamados de néctares de frutas, eles também contêm bem menos frutas do que o esperado para um suco.

Peito de peru

peito de peru .johnhenrys
Foto: John Henrys

Apesar de ser associado à alimentação saudável, o peito de peru é um embutido e, é rico em sódio e outros aditivos, como: corantes e conservantes. Uma porção de 40 g (duas fatias, em média) pode apresentar até 500 mg de sódio, o que representa 1/4 do valor diário recomendado. Além disso, o produto pode conter, de acordo com estudo realizado anteriormente pela Proteste, substâncias químicas, como nitritos e nitratos (relacionadas ao aumento do risco de câncer).

Gelatina

gelatina

É um alimento ultraprocessado e contém açúcares, conservantes, aromatizantes e corantes. Por isso, o consumo de gelatina, sobretudo entre as crianças, pode levar ao desenvolvimento de alergias, hiperatividade, déficit de atenção, asma, problemas gástricos, diversos tipos de câncer (como o de bexiga), entre outras.

Cereais matinais

muesli cereal matinal alexas fotos pixabay

Mesmo sendo uma boa fonte de energia, a maioria traz alto teor de açúcar e de sódio. Por isso, o consumo de cereais nessas versões não é recomendado para crianças e deve ser evitado pelos adultos.

Biscoitos água e sal

crackers biscoito bolacha agua e sal.jpg

Eles, em geral, combinam trigo branco, gordura hidrogenada, açúcar, sal e aditivos químicos. Usados para substituir o pão nas dietas, os biscoitos água e sal precisam ser consumidos com moderação. Há até marcas que devem ser evitadas, porque ainda trazem gordura trans (que não tem o consumo recomendado pela Organização Mundial da Saúde).

Bisnaguinhas

bisnaguinha.jpg

Presença unânime nas lancheiras infantis, elas trazem nos ingredientes farinha branca, gordura hidrogenada (relacionada com aumento de colesterol e obesidade), açúcar, sal e aditivos e, em alguns casos, até gorduras trans. Também é um alimento pobre em fibras.

Fonte: Proteste

Ter um gato é realmente simples? – por René Rodrigues Junior*

Atualmente vivemos em ambientes cada vez menores, passamos cada vez menos tempo em casa e, mesmo em meio à correria, sentimos falta da companhia de um animal de estimação. Esses bichinhos costumam ser a alegria da casa, o momento de descontração e, principalmente, o parceiro ideal para bons anos de vida juntos.

No entanto, criar um animal não é tarefa fácil. Eles exigem cuidados diversos, inclusive os gatos, que têm fama de independentes, mas possuem características bem peculiares. Por isso, é fundamental conhecer o comportamento e as necessidades destes bichinhos antes de levá-los para casa.

Primeiro, é importante saber que o felino é, por natureza, caçador; e, como tal, precisa de duas coisas: buscar seu próprio alimento e descansar. Em relação a este último item, o gato se torna um bom parceiro para pessoas que ficam fora de casa por período maiores, pois eles dormem em média 16 horas por dia. Cabe a nós, humanos, aprender a respeitar esse horário de sono e dar-lhes o sossego merecido.

comedouro e bebedouro

Por questões práticas, é muito comum deixarmos a ração sempre disponível para os gatos; e, por se tratar de um animal instintivamente caçador, é importante criar uma “dificuldade” para que ele se alimente. Um recurso interessante são os comedouros inteligentes, que se movimentam ao toque do animal e estimulam a curiosidade e o instinto selvagem. O momento das refeições torna-se, então, mais instigante e divertido.

tela pets

Segurança também é um item de extrema importância, por isso é necessário fazer algumas adaptações para receber um gato em casa. Telas de proteção, por exemplo, são fundamentais para que eles não fujam. Os gatos se adaptam bem a pequenos espaços – aliás, esse é um dos principais motivos pelos quais a popularidade desses felinos vem aumentando. Ainda assim, é preciso manter o ambiente atrativo com brinquedos e arranhadores, por exemplo, e impedir que eles vão para a rua.

gato com coleira e guia passeio petbucket.jpg

Permitir que o gato saia para dar uma voltinha não é proibido; aliás, é muito interessante que ele conheça novos ambientes. Todavia, vale ressaltar a importância de estar sempre acompanhado. Fora de casa, os animais estão suscetíveis a contrair ou desenvolver doenças sérias, como FIV (também conhecida como Aids felina) e leucemia, além da exposição a pulgas e ectoparasitas que também podem transmitir doenças aos donos – as chamadas zoonoses**.

Outra questão que merece atenção é o fato de os gatos possuírem um comportamento territorialista, e nas ruas, as brigas entre os animais são comuns. Em situações assim, o seu bichinho pode se machucar, além de estar exposto a diversas situações perigosas e, em alguns casos ainda mais tristes, não voltar para casa

mulher gato

Assim, podemos concluir que gatos também necessitam e merecem cuidados especiais. Esses bichanos adoram receber e doar amor e carinho e quando são bem-tratados, se tornam uma excelente companhia para a vida.

*René Rodrigues Junior é médico veterinário da Magnus, fabricante de alimentos para cães e gatos.

**Mantenha sempre seu animal de estimação com a vacinação em dia. 

Mindful Eating: alimentação consciente

Técnica, que alia meditação à boa alimentação e emagrecimento, propõe autoconhecimento e vivência do presente no ato da nutrição, experimentando sabores, texturas e aromas

A alimentação é um ato instintivo e caracterizado, sob o ponto de vista biológico, como a simples ingestão de nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo. Entretanto, a relação humana com a comida ultrapassa a mera satisfação de uma necessidade. “Comer virou sinônimo de deleite e emoção: traz conforto, bem-estar e, muitas vezes, até culpa”, articula o médico e nutrólogo Lucas Penchel.

Estabelecer uma relação saudável com a comida é a proposta do Mindful Eating que, em tradução livre, significa alimentação consciente. A prática – que não é uma dieta – está presente em todos os programas das técnicas meditativas orientais como o mindfulness. Este se caracteriza por estado mental de atenção plena, onde se controla a capacidade de concentração em atividades, experiências e sensações do presente.

De acordo com médico, o ato de se alimentar conscientemente é um processo educativo que, além de poder ajudar a sanar desordens alimentares como a compulsão, induz o indivíduo a fazer escolhas saudáveis que sejam prazerosas e satisfaçam suas necessidades físicas e psicológicas. Ele dá algumas dicas de Mindful Eating para quem deseja despertar o alimentar consciente:

mulher alimentação 3

. Esteja no presente: primeira fase do processo – com ou sem comida –, consiste em perceber pensamentos, sensações e sentimentos. A respiração funciona como âncora para vivenciar o agora;

ventre barriga mulher

. Entre em sintonia com seu corpo: o corpo fala por sinais. Observá-los ajuda a diferenciar a fome fisiológica da emocional. A barriga ronca ou você está ansioso? Sintonize-se com você mesmo;

comida boca garfo mulher
Pixabay

. Saboreie: perceba o aroma e a textura. Ouça os sons e diferencie sabores. A consciência do que estamos comendo consente percepções mais aguçadas que relacionam enorme prazer ao ato;

Pesquisa AccorHotels - alimentação saudável

. Viva o momento: quando for se alimentar, esteja completamente presente somente nisto. Desligue-se das distrações – celular, TV, jornal, computador, entre outros – e evite multitarefas. Isto ajuda a prestar atenção na comida;

mulher alimentação 2

. Se aceite sem julgamentos: dialogue consigo mesmo com compaixão, gentileza e ternura. Críticas ficam registradas em forma de energia negativa no corpo. Evite regras severas e dieta milagrosas. Ouça o seu corpo. O processo é gradual. Fique atento ao dia a dia e aprenderá cada vez mais os sinais que ele dá;

mindful-eating- mente alimentação.jpg

. Abra o coração e conduza as transformações: quando for abordado por pensamentos incômodos, não brigue com eles. Direcione-os, gentilmente, para a prática e o intuito de mudar sua relação com mente, corpo e alimentos.

mindful-eating

Fonte: Lucas Penchel é médico generalista (Unifenas – BH). Membro do International Colleges for the Advancement of Nutrology. Membro da American Society for Nutrition. Membro da Sociedade Brasileira de Fisiologia. Membro da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Membro da Sociedade Brasileira de Nutrologia. Membro da Associação Brasileira de Medicina Antienvelhecimento. Membro da Associação Brasileira do Estudo sobre Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso).

A ligação entre a síndrome do intestino irritável e a náusea

Síndrome do intestino irritável (SII) é uma condição crônica, ou em curso, não-inflamatória. Embora seja frequentemente comparada com doenças inflamatórias intestinais (DII), como a doença de Crohn, a SII é diferente, pois afeta apenas o cólon. A SII também não destrói tecidos.

Apesar dessas diferenças fundamentais, a SII ainda pode ser um problema devido a seus sintomas. Na verdade, de acordo com a Mayo Clinic, cerca de 1 em cada 5 adultos nos Estados Unidos experimenta o problema. A náusea está associada a essa condição. Os sintomas podem ir e vir. Quando ocorrem, podem afetar muito a qualidade de vida.

Você pode gerenciar a SII com uma combinação de tratamentos médicos e mudanças de estilo de vida, mas requer gerenciamento vitalício. Quando se trata de náuseas, também é importante determinar se é um sintoma simultâneo da síndrome ou se está relacionado a outra coisa.

Causas da náusea na SII

mulher deitada na cama dor doente

A SII não tem uma causa única. Segundo a Clínica Mayo, os principais fatores incluem:

=contrações intestinais mais fortes durante as alterações digestivas normais
=doença gastrointestinal aguda
=anormalidades no sistema gastrointestinal
=sinais anormais entre seus intestinos e cérebro

Apesar da variedade de causas da SII, muitas pessoas estão mais preocupadas com os sintomas que muitas vezes atrapalham sua qualidade de vida. Não há uma causa única de náusea relacionada à SII, mas é de fato prevalente entre os pacientes. De acordo com Lin Chang, médico e professor da UCLA, um de seus estudos de 2014 descobriu que a náusea relacionada à SII afeta cerca de 38% das mulheres e 27% dos homens. Alterações hormonais são um problema para as mulheres que têm a síndrome, que afeta principalmente as mulheres, de acordo com a Clínica Mayo.

Náusea em pessoas que têm a síndrome é frequentemente relacionada a outros sintomas comuns, como volume, dor abdominal e inchaço depois de comer. Embora nem sempre seja o caso, a náusea da SII pode ocorrer com mais frequência após certos alimentos desencadearem seus sintomas.

Certos medicamentos, como lubiprostona, também podem aumentar o risco de náusea. Outros medicamentos não indicado para a SII, mas que você pode tomar também podem causar náuseas:

=antibióticos
=antidepressivos
=aspirina
=narcóticos
=anti-inflamatórios não esteróides, como o ibuprofeno
=pílulas anticoncepcionais

Outras causas

nausea enjoo azia mulher doente md-health
Foto: MD-Health

Embora náuseas possam ocorrer na SII, seu médico pode considerar outras causas se você não exibir nenhum sintoma comum. Além disso, sua náusea pode estar relacionada a outras condições que você possa ter, como:

=doença do refluxo gastroesofágico
=azia ocasional
=enxaquecas
=dispepsia funcional

Você deve consultar imediatamente o seu médico se tiver perda de peso súbita e hemorragia retal. Esses podem ser sinais de uma doença mais grave, como câncer de cólon. Você também deve consultar o seu médico imediatamente se você tiver:

=febre alta
=dor no peito
=visão embaçada
=desmaio

Sintomas de Co-ocorrência

vomito dor doente mulher african rubiz

Quando se trata de náuseas relacionadas à SII, você também pode ter vômitos, perda de apetite e arrotos excessivos ao mesmo tempo.

Além de sintomas relacionados à náusea, você também pode experimentar outros sinais comuns de SII. Esses incluem, mas não estão limitados a:

=dor abdominal
=inchaço
=prisão de ventre
=cólicas
=diarreia
=gás

A náusea em si é mais comumente causada por gastroenterite viral. Portanto, se você sentir apenas náuseas temporariamente, pode ser parte de uma doença diferente do SII.

Tratamento médico convencional

Prescrição de medicamentos destinados exclusivamente à SII incluem alosetrona e lubiprostona. O alosetrona ajuda a regular as contrações do seu cólon e diminui a digestão. É recomendado apenas para mulheres que já experimentaram outras medicações que falharam.

A lubiprostona atua secretando fluidos em pacientes com SII com constipação crônica. Também é recomendado apenas para mulheres, mas um dos efeitos colaterais é a náusea.

Às vezes, os tratamentos para a SII não ajudam a aliviar todos os sintomas relacionados. Em outras palavras, pode ser útil tratar diretamente alguns dos problemas mais comuns. Com náusea persistente, você pode considerar medicamentos antináusea como a proclorperazina.

Medicina alternativa e mudanças no estilo de vida

Mudanças no estilo de vida também podem prevenir sintomas da SII, como náuseas. A Clínica Mayo identifica os seguintes gatilhos de sintomas:

Aumento do estresse

Quando se está muito estressado, é possível sentir sintomas mais frequentes ou agravados. Estar nervoso ou estressado pode causar náuseas em pessoas que não têm SII. Portanto, ter SII pode aumentar ainda mais esse risco. Aliviar o estresse pode ajudar.

Certos alimentos

feijao-branco
Pixabay

Os fatores desencadeantes dos alimentos podem variar, mas as escolhas alimentares geralmente aumentam os sintomas da SII. Os principais gatilhos incluem:

=álcool
=leite
=cafeína
=feijão
=gorduras
=brócolis

A eliminação de alimentos que provocam gases pode ajudar a aliviar a náusea frequente.

Remédios

A medicina alternativa pode ajudar com a náusea, mas é importante usar esses remédios com cautela. Ervas e suplementos podem interagir com medicamentos prescritos, o que pode até piorar sua condição. As seguintes opções podem ajudar com a SII e com as náuseas:

=gengibre
=óleo de menta
=probióticos
=combinações de certas ervas chinesas

Outras soluções para os sintomas da SII incluem:

acupuntura - pixabay
Pixabay

=acupuntura
=hipnoterapia
=meditação
=reflexologia
=ioga

De acordo com o Centro Nacional de Saúde Complementar e Integrativa dos EUA, as práticas mentais e corporais estão entre os tratamentos naturais mais seguros para o tratamento da SII. Embora essas abordagens possam ajudar, é importante lembrar que ainda não há evidências sólidas que as apoiem.

Panorama

Embora a própria SII não leve a complicações mais sérias, a náusea pode se tornar problemática.

Desnutrição, por exemplo, é apenas uma preocupação. Evitar sintomas como náusea pode desencorajá-lo de comer uma ampla variedade de alimentos que, de outra forma, seriam parte de uma dieta balanceada. Além disso, se a sua náusea for acompanhada por vômito, você pode não obter nutrientes suficientes.

Se a SII causar náusea, pode se encontrar alívio por meio de mudanças de estilo de vida em longo prazo. Medicamentos antináusea e alterações em seus medicamentos também podem ajudar. É importante discutir todas as suas opções com o seu gastroenterologista. Você também deve entrar em contato com seu médico se tiver SII e a náusea não melhorar.

Fonte: Health Line

Alimentação pode acelerar ou retardar o processo de envelhecimento da pele

Não é só a ingestão de gorduras, açúcares e muito sódio que está no centro da questão. Dietas restritivas, veganas e vegetarianas também podem acelerar o processo de envelhecimento da pele, como mostra Congresso Americano de Dermatologia

Provavelmente, a expressão “você é o que você come” já passou pelos seus ouvidos alguma vez na vida. Geralmente designada para repreender quem só ingere comidas altamente gordurosas ou ricas em açúcar – e que aceleram o envelhecimento da pele, essa frase deve ser vista com uma nova amplitude. Pelo menos é o que mostra o Congresso Americano de Dermatologia, realizado em fevereiro nos Estados Unidos.

“Dietas restritivas e desbalanceadas, com baixas ingestões de proteínas, vitaminas e carboidratos podem afetar negativamente a pele, na medida em que não fornece nutrientes essenciais. Por outro lado, o excesso de proteína, por exemplo é capaz de conduzir a um envelhecimento ainda mais agressivo”, conta a dermatologista Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Ela explica abaixo a importância dos macro e micronutrientes para a pele e fala sobre as dietas:

Proteínas

brasa carne 2

Biologicamente, são polímeros compostos de aminoácidos. “Eles são construtores e reparadores, então ajudam no equilíbrio da pele com relação a conferir hidratação, luminosidade e renovação celular. Sem proteínas, não conseguimos fazer síntese de colágeno e elastina, o que é vital para ter uma pele firme e combater a flacidez. Além de proteínas, ingira também Vitamina C, pois ela é essencial também para a síntese de colágeno”, afirma a médica.

Mas atenção às doses: no geral, é indicado o consumo de 20 a 30g por refeição (café da manhã, almoço e janta). “Por outro lado, o consumo excessivo de proteína pode levar a um envelhecimento mais agressivo por meio da estimulação da via mTor, que está envolvida na regulação de diversas funções celulares, mas quando altamente estimulada pode destruir as vias de reparo necessárias para a longevidade saudável”, argumenta a médica.

Além disso, o consumo abundante de proteínas sinaliza às células uma necessidade de reproduzir, diferenciar e crescer por meio de reguladores como insulina, leptina e IGF. “As células são tipicamente configuradas para crescer ou reparar danos. Com a via mTor estimulada, há um aumento nos ciclos de crescimento celular e uma inibição dos processos de reparação necessários para a longevidade saudável”, explica.

Carboidratos (açúcar)

mulher comendo doce
Foto: Pixabay

Apesar de importante para conferir energia ao corpo, o carboidrato em excesso pode interagir com as proteínas e gorduras para causar os AGEs (Agentes avançados de glicação) que alteram as estruturas e funções do colágeno e elastina, causando desordens na pele, com aparecimento de rugas, flacidez e manchas. “A glicose em excesso pode causar desregulação dos genes pró-longevidade e aumentar a concentração de methylglyoxal, um tipo de AGE”, afirma a médica.

Gorduras

abacate

O tipo de gordura é o mais importante para colher benefícios ou problemas. Elas são divididas basicamente em saturadas (encontrada principalmente em carnes vermelhas, elas aumentam o colesterol ruim) e insaturadas (de origem vegetal e peixes, diminui o colesterol ruim). “Enquanto níveis elevados de gorduras saturadas podem inibir a atividade da SIRT1 (proteína que estimula à longevidade celular) levando a uma vida útil celular reduzida, altas doses de gordura poli-insaturada podem: ativar mecanismos de reparação em células, conduzindo à longevidade; e diminuir a proporção de mau colesterol em comparação ao bom”, afirma a médica.

“E tudo isso reflete na pele, que sofre menos com os radicais livres, principalmente quando a boa gordura é usada como fonte de energia, pois ela causa menos estresse oxidativo ao corpo do que consumir carboidrato”, explica. “No caso da pele seca, a ingestão de alimentos ricos em ômegas como castanhas, abacates e azeite de oliva ajuda a formar a boa membra hidrolipídica , que vai ajudar na proteção e fortalecimento dessa pele contra os agressores ambientais, ao mesmo tempo em que também confere luminosidade”, completa a médica.

Vitaminas

frutas-citricas-limao-laranja

Micronutrientes essenciais que o organismo não consegue produzir sozinho em quantidades suficientes, as vitaminas podem ser solúveis em água ou em óleo (gordura). “Uma das mais importantes é a nicotinamida, que pode melhorar a hidratação da pele, diminuir a hiperpigmentação e ajudar no controle da acne por seu papel anti-inflamatório”, afirma a médica. Carnes magras, leveduras, leites, ovos e legumes fornecem essa vitamina, que tem importante papel no metabolismo energético e na reparação do DNA. “A Vitamina C é uma referência em antioxidantes e também deve ser consumida, e a Vitamina A é importante para a renovação celular, sendo indicada para rejuvenescimento e acne”, explica.

Minerais

cabelos longos saudaveis

Um dos mais importantes minerais para a pele é o selênio, segundo Thais. “Ele é necessário para a produção de glutationa, que ajuda a proteger contra os radicais livres, melhora a elasticidade da pele, fortalece cabelos e unhas e colabora contra infecções”, diz a médica. A castanha e a noz são grandes fontes de selênio.

Água

água

Fundamental para o transporte de nutrientes e a hidratação do organismo como um todo, a ingestão ideal de água por dia melhora a circulação com melhora expressiva na pele. “Beber bastante líquido como água e água de coco ajuda a eliminar as toxinas, diminuindo o edema e reavivando a pele”, conta.

Antioxidantes

suplemento omega 3

Micronutriente que neutraliza os radicais livres (que causam estresse oxidativo, dano celular e processos de inflamação crônica), os antioxidantes são a chave biológica para o metabolismo mitocondrial e o bom funcionamento celular. “Quando em deficiência, o organismo fica susceptível a doenças de pele e envelhecimento precoce. A ingestão de antioxidantes é uma forma inteligente de fortalecer a pele e todos os órgãos do corpo no combate aos agressores que reduzem a longevidade celular”, diz. A suplementação com Polypodium leucotomos, que contém uma série de polifenois antioxidantes, é uma das mais importantes, segundo estudos, pois a substância pode reduzir os danos solares, prevenindo o fotoenvelhecimento e diminuindo o risco de câncer de pele

Sobre dietas

pele beleza alimentação frutas mulher

Várias dietas foram analisadas durante o Congresso Americano, de forma que a dieta mediterrânea, focada em peixes, vegetais e mix de nozes, oferece uma série de benefícios para a saúde como um todo, muito em virtude das boas gorduras, das proteínas e demais nutrientes.

“Com relação às dietas vegetariana e vegana, elas precisam ser bem planejadas para fornecer os nutrientes essenciais e, principalmente, aminoácidos. Os mais comuns perdidos em dietas desse tipo são: lisina, metionina, triptofano e fenilalanina. Por isso, é necessário ficar de olho em como ingerir essas substâncias”, explica a médica.

“A lisina está disponível em lentilhas, germe do trigo e pistache; a metionina pode ser encontrada no abacate, nas nozes e aveia; o triptofano está no espinafra, aspargos e amêndoas; e a fenilalanina está presente em grãos integrais, grão de bico, amendoins e nozes”, finaliza.

Fonte: Thais Pepe é dermatologista especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, membro da Sociedade de Cirurgia Dermatológica e da Academia Americana de Dermatologia. Diretora técnica da clínica Thais Pepe, tem publicações em revistas científicas e livros, além de ser palestrante nos principais Congressos de Dermatologia

 

Bloody Hell Burger lança “Burger 4 Pet” neste sábado

Com supervisão da nutricionista Paloma Dalloz, casa que aposta em lazer para toda família, inclui no cardápio novidade adaptada para cachorros

Acontece neste sábado, 21 de abril, o lançamento do “Burger 4 Pet”, um sanduíche criado especialmente para cachorros. A Bloody Hell Burger, que é famosa por seus hambúrgueres suculentos, batatas belgas e catchups de diferentes lugares, sempre foi um espaço para receber a família inteira, incluindo os pets, mas foi a paixão por animais do sócio Maurício Toporcov que o fez ir além e criar um item no cardápio para eles.

O “Burger 4 Pet” é feito com tapioca – que substitui o pão -, uma fatia de ricota – que o deixa mais suculento -, cenoura e acém (carne sem gordura), conforme as recomendações da nutricionista Paloma Dalloz, que há dez anos atua na reabilitação alimentar de cães e gatos. Formada pela Unesa, ela sempre atuou na área de nutrição clínica, fez mestrado em medicina na área de endocrinologia na UFRJ (Universidade Federal Rio de Janeiro) e especialização em Nutrição Clínica de cães e gatos.

Segundo a especialista, “clinicamente, observo que animais que se alimentam de dieta caseira têm mais disposição e resistência imunológica. É possível formular dietas caseiras para cães e gatos com insuficiência renal ou urolitíases (cálculos urinários), diabéticos, obesos, cardiopatas, portadores de neoplasias e também formular dietas funcionais (quando usamos propriedades dos alimentos para melhorar a saúde do animal). Mas, para isto, é necessário balancear a dieta”. E foi justamente assim que Paloma chegou à fórmula exata do Burger 4 Pet.

burger 4 pet

“A minha inspiração para criar o ‘Burger 4 Pet’, veio da minha Chihuahua Guadalupe, que chamamos carinhosamente de Lupe. Queria uma opção para que nós pudéssemos aproveitar uma refeição juntos” afirma Maurício Torpocov.

O Burger 4 Pet estará disponível em duas versões: a de 25g para cães pequenos (R$ 10,00) e a de 50g para os cachorros maiores (R$ 15,00).

Lançamento do “Burger 4 Pet” na Bloody Hell Burger
Endereço: Rua Iaiá, 31 A, Itaim Bibi, Itaim Bibi, São Paulo – SP
Data: 21 de abril
Horário: A partir das 14h

Bloody Hell Burger – Rua Iaiá, 31 A, Itaim Bibi, São Paulo. Pet friendly. Horário de funcionamento: segunda a quarta, das 11h45 às 15h00. Quinta e sexta, das 11h45 às 15h e 18h30 às 22h30. Sábado, das 18h às 22h30. Domingo: fechado

Alergia alimentar pode estar relacionada à Síndrome do Intestino Irritável?

As alergias alimentares e os genes que aumentam as chances de contrair doenças alérgicas podem ter um papel na síndrome do intestino irritável de algumas pessoas (SII), sugerem dois estudos. Asma alérgica, rinite e eczema andam de mãos dadas com diarreia e reações digestivas ruins aos alimentos em certas pessoas com SII, dizem os pesquisadores.

“O pensamento é que, se você descobrir suas alergias alimentares, pode realmente melhorar a diarreia e a dor abdominal. E vemos na clínica que os pacientes se sentem melhor”, diz a pesquisadora sênior Mary Tobin, médica, alergologista da Urgência do Centro Médico Universitário em Chicago.

As descobertas de ambos os estudos foram apresentadas no Encontro Científico Anual do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia em 2015. Em um estudo, Mary  e seus colegas descobriram uma possível conexão entre rinite alérgica, asma e intestino alérgico.

Eles avaliaram 122 pessoas com SII ligadas a alergias, e 32 com SII sem alergias. Aqueles com SII associada a alergias eram mais propensos a ter diarreia como seu principal problema. E aqueles com SII e sem alergias eram mais propensos a ter a constipação como principal sintoma.

“A diarreia surge, possivelmente, a partir de reações que são semelhantes ao que ocorre com alergias alimentares”, diz a médica.

mulher gripe nariz espirro

Testes para alergias alimentares

No segundo estudo, 48 pessoas que tiveram SII com diarreia – 65% das quais relataram ter problemas de digestão depois de comer alimentos específicos – fizeram um teste para ver se a pele reagia a alérgenos alimentares, incluindo amendoim, nozes, peixe, marisco, ovos, leite, cereais, carnes, aves, frutas, verduras e legumes.

Os testes mostraram que 60% dos corpos das pessoas estavam preparados para reagir ao alimento suspeito. Dessas pessoas, 17% também tinham respostas ao gatilho, como urticária, inchaço, náuseas e vômitos abruptos e asma. Esses resultados indicam que as alergias alimentares têm um papel significativo na SII com diarreia, diz Mary, que também esteve envolvida neste estudo.

Segunda opinião

Existem “vários pontos fracos” nessa pesquisa, diz Antonio Carroccio, da Ospedale Civili Riuniti da Itália.

A ligação entre SII e ter genes que aumentam o risco de contrair certas alergias é “bem conhecida e real”, e há um papel “provável” que as alergias alimentares exercem nos sintomas semelhantes aos da SII, disse ele. “Porém, o estudo é limitado a testes cutâneos, que não podem mostrar com certeza se uma pessoa é alérgica”, completa o médico.

Carroccio, que estava envolvido em uma revisão de alergias alimentares e SII, diz que concorda que “a alergia alimentar pode ser uma possível causa da síndrome do intestino irritável”, e os médicos devem trabalhar para aliviar os sintomas de seus pacientes por meio de mudanças na dieta. Porém, o trabalho da equipe de Mary e de outros pesquisadores “ainda não provou isso”.

iStock mulher coceira alergia
Foto: iStock

No estudo que usou o teste cutâneo, “nenhuma relação direta pôde ser comprovada entre os alimentos e a síndrome do intestino irritável”, encerra.

Essas descobertas foram apresentadas em uma conferência médica. Elas devem ser consideradas preliminares, pois ainda não passaram pelo processo de “revisão por pares”, na qual especialistas externos examinam os dados antes da publicação em um periódico médico.

WebMD Health News Analisado por Arefa Cassoobhoy, MD, MPH 

Fritura pode ser consumida com moderação

Segundo especialista da Anhanguera, óleos de soja e milho são as melhores opções para a utilização

Elas são a alegria das festas e dos encontros de happy hour, mas, se consumidas com exagero podem causar problemas de saúde. A coordenadora do curso de Nutrição da Anhanguera de Niterói, Edna Freignan, oferece dicas sobre a melhor forma de inserir as frituras no cardápio. “Os alimentos fritos podem fazer parte da alimentação, mas, como tudo em excesso é prejudicial, não devem ser consumidos diariamente”, pontua.

Para que as frituras possam fazer parte do dia a dia, com prudência, é preciso apostar em versões menos prejudiciais. Os cuidados principais são com a temperatura do óleo e sua reutilização. “O óleo não deve ultrapassar a temperatura de 180 graus C e não deve ser reutilizado”, explica.

A docente esclarece ainda que óleos aquecidos por longos períodos, sob temperaturas extremamente elevadas, produzem compostos polares pela degradação dos triglicerídeos, ou seja, podem aumentar a predisposição à aterosclerose (doença inflamatória crônica) e câncer.

ovos fritos tookapic pixabay
Foto: Tookapic/Pixabay

De acordo com Edna, estudos indicam que substâncias formadas nos recipientes com óleos e gorduras usadas em frituras podem ser prejudiciais à saúde humana, principalmente com o consumo de óleos aquecidos ou oxidados (reação química provocada pelo contato do óleo com o ar, que altera os ácidos graxos insaturados do óleo). “É necessário cautela, a fritura pode ser consumida esporadicamente, e, com os cuidados necessários”, afirma.

Fonte: Faculdade Anhanguera