Arquivo da tag: animais

Especial Mês das Mães: mitos e verdades sobre a gestação de cadelas e gatas

Amor de mãe é incondicional. Instintivamente, desde o nascimento dos filhos, ela zela por eles, alimentando-os, protegendo-os, dando carinho. É assim entre os homens e no mundo animal. Cadelas e gatas também cuidam dos seus filhotes até o momento em que eles estão preparados para enfrentar a vida sozinhos. Em homenagem ao Mês das Mães, confira um especial sobre “Gestação Pet”, com orientações e informações preciosas para os tutores.

O médico-veterinário Luciano Granemann e Silva, proprietário da Clínica e Hospital Veterinário 24h Cão.Com, de Florianópolis (SC), comenta sobre cada uma das fases, desde o planejamento do acasalamento até a hora do parto. Confira a entrevista completa abaixo.

No caso de uma gestação planejada, que cuidados os tutores devem ter antes do acasalamento?
Luciano Granemann e Silva: Procurar escolher o macho com antecedência, informando-se sobre seu estado de saúde e histórico familiar e considerando suas características físicas e comportamentais. O vermífugo e as vacinas da fêmea devem estar em dia. O uso de suplementos vitamínicos pode aumentar a viabilidade de um número maior de filhotes, mas seu uso deve ser orientado por um médico-veterinário.

Como saber quando a fêmea está no cio?
LGS: Nas cadelas ele acontece em média a cada seis meses e é precedido por um sangramento que dura cerca de oito dias. Já nas gatas, pode ocorrer a cada 45 dias durante a estação quente. Elas demonstram se esfregando nas pessoas, sendo mais ativas e vocalizando com maior frequência.

Quais os principais sintomas de gravidez em cadelas e gatas?
LGS: De modo geral, podemos dizer que as fêmeas prenhas ficam mais amáveis, carentes e cuidadosas. As principais mudanças físicas são: mamas maiores, abdômen mais baixo, perda de massa corporal, apesar do ganho de peso.

Sable Border Collie bitch, Honey, nearly full term carrying twelve pups
Foto: Warren Photographic

Que cuidados os tutores devem ter com as fêmeas prenhas?
LGS: O ideal é que a alimentação, desde o momento do cio, seja trocada para uma de filhote, que é hipercalórica. Ela pode ser oferecida à vontade, pois a tendência é que o animal perca massa muscular para gerar energia e nutrição para os filhotes. É importante também realizar alguns exames: análise da proteína B, com 14 dias de gestação, e ultrassom, a partir do 25º dia. Eles são necessários para não ter nenhuma surpresa desagradável na hora do parto.

O que é normal e o que não é normal durante a gestação de um pet?
LGS: O animal deve se mostrar tranquilo, calmo, se alimentar bem, fazer suas necessidades fisiológicas. A partir do 25º dia, as alterações corporais ficam mais evidentes: barriga mais pendular, as mamas crescem, a vulva também pode aumentar de volume, a fome fica maior.

Fêmeas que apresentam algum problema de saúde podem engravidar sem riscos?
LGS: Depende. Se a fêmea tem algum problema que pode ser transmitido para os filhotes, mesmo ela sendo capaz de engravidar, não recomendamos. A mesma orientação nos casos de: pets com mais idade; problemas de saúde graves, como cardíaco e hormonal; ou alterações no útero, ovário e mamas. Animais muito pequenos encontram complicações para desenvolver a gestação até o final. Os buldogues franceses têm muita dificuldade em dar à luz sozinhos. De qualquer forma, em todos os casos sempre indico a orientação de um médico-veterinário.

Pregnant tabby cat 4 days before giving birth to 8 kittens
Foto: Warren Photographic

Como os tutores devem se preparar para o momento do parto de seu pet?
LGS: O parto da cadela ocorre em torno de 63 dias e o da gata de 58. Normalmente, no dia do parto, ou no que o antecede, a fêmea muda de comportamento de repente. Tende a buscar um local mais isolado, se alimentar menos e beber mais água. Nesse momento, aconselhamos que os tutores fiquem por perto para auxiliar em algo que for necessário. No caso das cadelas, alguns dias antes pode ocorrer um corrimento significativo, que é normal no final da gestação, a partir do 50º/55º dia.

Em que situações é preciso chamar um veterinário?
LGS: Depois do nascimento do primeiro filhote, o intervalo entre os próximos geralmente é de cerca de 30 minutos. Pode demorar até seis horas, mas imagina o desconforto para a mãe. Se o tempo entre os nascimentos estiver muito longo, é aconselhável chamar um médico-veterinário para avaliar e auxiliar no parto. O ideal é que ele seja feito em casa, para evitar o estresse da cadela e dos filhotes. Mesmo nos casos em que é necessário deslocar os animais para a clínica, em cesarianas ou partos assistidos, eles retornam para seus lares em seguida.

É comum fazer cesárea em pets?
LGS: A maioria dos animais ganha seus filhotes de parto natural. Quase todos os clientes da minha clínica optam pelo parto assistido em casa, com a orientação prévia de um médico-veterinário ou no momento, por telefone. Ele acontece sem grandes dificuldades. Mas nos casos em que a fêmea está fazendo muita força, ou parou de fazer força, é indicado que um profissional verifique se há dilatação, avaliando se é preciso que ele intervenha ou realize uma cesárea.

cachorra e filhotes
Foto: Mel Schmitz/Morguefile

Quais os principais cuidados pós-parto com a fêmea e com os filhotes?
LGS: Eu costumo dizer que temos que dar atenção para a mãe e deixar a mãe dar atenção aos filhotes. Ela tem que ficar num ambiente tranquilo, de temperatura amena, nem muito quente e nem muito frio. Os filhotes, de preferência, devem ficar isolados do chão, em uma caminha, colchonete ou mesmo um papelão. Nos primeiros dias, a cadela estará atenta a tudo. O que os tutores tem que fazer basicamente é fornecer água e comida à vontade para a mãe.

Algum cuidado especial com o umbigo?
LGS: Sim, ele deve ser higienizado diariamente com iodo ou outra solução específica para essa finalidade. Cada filhote tem uma placenta, que é comida pela mãe assim que ele nasce. Com isso, o cordão umbilical se rompe e sangra um pouco. A fêmea lambe para poder estancar, mas há casos em que é preciso amarrar a ponta, cerca de dois dedos de distância da barriga.

Na fase de aleitamento, o que o tutor deve prestar atenção?
LGS: Verificar se os filhotes estão mamando adequadamente, se têm tamanho parecido, se algum não está tendo acesso à mamada, se estão quietos e dormindo a maior parte do tempo. Não é normal uma ninhada, ou um filhote, que chora o tempo todo. O ideal é que todos tenham um comportamento parecido. O contrário pode ser sinal de algum problema.

Quais as vantagens de ter um plano de saúde para as fêmeas cujos tutores planejam acasalar?
LGS: Quem quer cuidar bem do seu pet, costuma frequentar a clínica pelo menos duas vezes por ano. Nesses casos, o plano de saúde é uma proposta bastante econômica e segura, mesmo que não tenham o intuito de cruzá-la. O plano de saúde para pets inclui exames durante a gestação e concede descontos em outros, além de assistir a fêmea desde a fase de planejamento, com orientações importantes, até o momento do parto. Os filhotes também se beneficiam do plano, assistindo-os até a primeira vacina.

Existe diferença entre a gestação de uma cadela e de uma gata?
LGS: A parte inicial da gestação é semelhante, mas o restante é bem diferente. O parto da gata acontece antes do da cadela, que geralmente tem um número maior de filhotes. O parto da gata quase sempre é tranquilo, é muito raro uma cesariana, só quando existe um problema muito grave. Ela geralmente cuida de tudo sozinha, é difícil conseguir assistir o parto de uma gata. É preciso proporcionar um lugar dentro de casa onde ela se sinta muito segura, pois se tiver oportunidade, vai dar cria fora, o que pode dificultar os tutores cuidar da mãe e dos filhotes. Em relação à alimentação, os mesmos cuidados com a das cadelas prenhas vale para as gatas.

gata amamentando filhotes warren
Foto; Warren Photographic

Quem adota um pet muitas vezes desconhece o histórico do animal. Como o tutor consegue identificar se ele já teve filhotes?
LGS: Normalmente animais adotados, especialmente em ONGs, vêm castrados, contudo alguns sinais podem denunciar que a fêmea já teve filhotes, sendo o principal o estado das mamas. Quando mais flácidas, demonstram que houve amamentação.

Fonte: Clínica e Hospital Veterinário 24h Cão.Com

Anúncios

Curitiba: Pousadog oferece adestramento no ambiente familiar

Animais de estimação, atualmente, são considerados membros da família. Prova disso é o tratamento dedicado a eles preza pelo bem-estar e conforto diários. A necessidade de zelar e proteger os pets é um grande impulsionador desse segmento de mercado. Segundo dados da Fecomercio-SP, mesmo em um ano de crise, que foi 2016, esse segmento aumentou seu faturamento em 4,9%, batendo os R$ 18,9 bilhões de faturamento.

A boa aceitação pelos consumidores é uma tendência que reforça tanto o setor de serviços, como banho e tosa, hospedagem, adestramento, cuidados com a saúde, quanto o varejo. Um dos fatores que justifica o forte crescimento do setor, identificado pelos pesquisadores da Fecomercio-SP, é o envolvimento emocional entre o tutor e seu animal de estimação. Esse fator coloca os gastos com animais de estimação no topo do conjunto de gastos da família e o que acaba protegendo o setor de ser impacto pela crise econômica.

Com foco nesse mercado promissor, muitos profissionais têm reposicionado uma carreira sólida em outro setor para atender a demanda do mercado pet. Esse é o caso da administradora Thais Costa. Com passagens pelo mercado financeiro, operadoras de telefonia e por laboratórios financeiros, Thais encontrou no segmento uma forma de se reinventar e se reconectar com o trabalho, atuando como adestradora.

“Foi um longo caminho até conseguir abandonar o mundo corporativo para empreender em um mercado até então desconhecido para mim. A saída foi buscar muita informação e capacitação por meio de cursos realizados dentro e fora do Brasil”, conta. Depois de muitas horas de treinamento e tendo passado pelos cursos de renomados especialistas em adestramento de cães e gatos, como o mexicano radicado nos Estados Unidos, Cesar Millan e Alexandre Rossi, o Dr. Pet, Thais criou uma metodologia própria de adestramento.

“A metodologia de adestramento da Pousadog é baseada no aprendizado por meio do reforço positivo, sem dor, coação, medo ou castigos. Os cães e gatos são estimulados a atingirem suas potencialidades individuais, para melhorar sua comunicação com seus tutores, aumentando a autoestima e melhorando problemas comportamentais muitas vezes complexos”, explica a adestradora.

pousadog2

Hoje, o principal serviço da Pousadog é o adestramento no ambiente familiar. O processo de adestramento começa por uma espécie coach canino, no qual são avaliados pontos importantes da vida do cão e da rotina dos tutores. Após o diagnóstico, os tutores ficam com a tarefa de colocar em prática as orientações dessa primeira visita.

“Só começamos o adestramento, efetivamente, cerca de 10 a 15 dias depois, se os tutores conseguirem colocar pelo menos 50% das nossas orientações em prática. Essa foi a forma que encontramos de engajar toda a família no aprendizado do animal, garantindo um melhor retorno a expectativa dos envolvidos no processo”, destaca Thais.

Sobre a Pousadog

pousadog3cachorro

Foi criada em setembro de 2013 com o objetivo original de ser uma pousada para hospedagem de cães, em Campo Magro-PR. Porém, com o mercado aquecido, Thais Costa, logo percebeu que havia um nicho de mercado para atuar como adestradora no ambiente familiar e consultora de bem-estar canino. “Hoje devido à escassez de mão de obra qualificada e por questões burocráticas não hospedamos mais cães. Agora, o foco da Pousadog é ser uma consultoria para donos de hotéis, hospedagem familiar, pet shops, banho e tosa, passeadores e cuidadores eventuais que primem pela excelência no atendimento de seus clientes”, explica Thais. “Em nossos encontros de consultoria falamos sobre modelo de negócios, contratos e a relação entre empreendedores da área pet e seus clientes, os caninos e os humanos”, finaliza a adestradora.

Sobre Thais Costa

Residente em Curitiba, Thais Costa atua como adestradora de cães e gatos desde 2014. Para complementar a sua formação e desenvolver um método de adestramento próprio frequentou diversos cursos e palestras dentro e fora do país. Além disso, a adestradora também já participou de alguns filmes, preparando cães e gatos para atuarem.

A seguir um breve currículo da formação profissional da adestradora 

pousadog

Adestramento inteligente – Alexandre Rossi Dr. Pet. Fundamentos de treinamento canino – Tudo de cão. Planejando e organizando um treino canino – Denise Falck,Treinadora Comportamental. Calming Signals: A base da linguagem canina – Zootecnista Sara Favinha – Tudo de cão. Como introduzir um cão em uma casa multiespécie – CRMV João Telhado- Papo Cão. Adestramento: O Equilíbrio dos reforços positivos – Rodrigo Marques. Como preparar cães para o convívio em sociedade – Educadora Canina Emanuelle Moraes. Treinamento de Faro, atividade física e mental para cães – Rogério Sandoval Cão positivo. Cão terapeuta – Fátima Neves Psicóloga clínica e adestradora- Inataa. Como funciona um Daycare e Hotel sem baias e gaiolas – Raquel Rama Dogresort. Terapia floral para animais domésticos – Bioflorais. Banho e Tosa para cães (Fundamentos)- Johnatan Skolimoski. Agility- Palestra com Dan Wroblewski – Adestrador, veterinário e especialista em Comportamento. Influência de alimentos no comportamento Canino – Silvia Angélico – Cachorro Verde. Como se tornar um Dog Walker Profissional – Carolina Rocha – Joinville. Profissionalização de Day Care – Eduardo Scandiussi – SP. Treino de comportamento complexo – Papo cão – Joinville.  Animal Training – my way – Ethology Intitute Portugal Dr. Roger Abrantes. Cesar Way training – Achieving Balnce e harmony – Florida

Informações: Pousadog

 

 

Ila Franco, mãe dos animais abandonados

Em 40 anos de trabalho, a protetora contabiliza 100 mil esterilizações, 15 mil animais resgatados, 14 mil pets adotados, construção da primeira clínica veterinária e Unidade Móvel de Esterilização e Educação em uma comunidade carente, e aprovação de lei que acabou com a prática de animais em circo

Dizem que em coração de mãe sempre cabe mais um. No de Ila Franco, americana que trabalha em prol dos animais há mais de 40 anos, sendo 20 deles no Brasil à frente da Aila (Aliança Internacional do Animal), cabem sempre mais 100, 200, 1000. O trabalho dela e de sua equipe impressiona pelos resultados: mais de 100 mil esterilizações filantrópicas, 15 mil animais resgatados, adoção responsável de 14 mil pets, construção da pioneira Unidade Móvel de Esterilização e Educação no Brasil, que rodou o país e fixou posto de atendimento na comunidade de Paraisópolis, onde Ila percebeu a necessidade de construir a primeira clínica veterinária em uma comunidade carente.

Ela também esteve à frente da aprovação da lei nº 14.014, de 30 de junho de 2005, responsável por abolir animais em circos em vários municípios e estados brasileiros.

Em um país como o Brasil, que tem mais de 30 milhões de animais abandonados, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), sendo 10 milhões de gatos e 20 milhões de cachorros, o trabalho de resgate, acolhimento, vacinação, vermifugação, esterilização, adoção responsável e conscientização é fundamental para melhorar a saúde pública o bem social.

IMG_2478Ila Franco_artigo Calçada dos Bichos

Também estão na lista da mãe dos animais abandonados socorrer os nossos melhores amigos em estado mais grave, vítimas de mutilação, atropelamento, violência sexual, incêndios e abandono em situações extremas. Para Ila, um coração tem a mesma função em qualquer corpo. Por isso, ela faz questão de dedicar sua vida ao bem-estar animal, cuidando dos nossos fieis companheiros e acolhendo-os em um espaço próprio de mais de 120 mil m², com ambientes para brincadeiras, lazer, alimentação, atendimento veterinário e muito amor.

Sobre a Aila (Aliança internacional do Animal)

Ila Franco trabalha focada na vida plena e segura dos animais há mais de 40 anos. Em 1999, ela fundou a Aila (Aliança Internacional do Animal) aqui no Brasil, uma entidade filantrópica não governamental, sem fins lucrativos, que tem como objetivo defender o bem-estar animal por meio de ações educativas junto às comunidades, oferecendo formação humana voltada ao respeito à vida em todas as suas manifestações.

A organização resgata animais vítimas de maus-tratos e oferece todo o suporte necessário para reinseri-los à sociedade. Os pets acolhidos recebem tratamento clínico, são vermifugados, vacinados, esterilizados, alimentados, cuidados com amor e preparados para adoções responsáveis. A Aliança Internacional do Animal e seus parceiros acreditam que os animais, assim como os seres humanos, têm direito à liberdade e à vida digna. Por isso, julgam inaceitável, sob quaisquer circunstâncias, a crueldade entre ambas as espécies.

Atualmente, a instituição abriga em torno de 1.100 animais, entre cães e gatos. Eles são acomodados em núcleos distintos, todos localizados em um espaço de 6 alqueires, divididos de acordo conforme sua personalidade, idade, conduta e saúde. Quando são acolhidos pela Aila, passam por uma triagem com veterinários. Depois, são acomodados de acordo com suas necessidades físicas e emocionais, com casas suspensas de madeira e alvenaria em tamanhos confortáveis aos cachorros. Protegidos do frio e da chuva, eles ainda contam com lagos para se refrescar em dias de calor intenso, móveis para descansar, brinquedos, água limpa, alimentação saudável e equilibrada, espaço abundante para se exercitar, natureza farta e muito amor e atenção.

IMG_2567IMG_2564IMG_2561

Assim como os cães, os gatos ficam em um local amplo só para eles, divididos de acordo com o quadro de saúde de cada um, com todos os acessórios necessários para seu conforto.

Acompanhe um pouco da história da Aila assistindo ao vídeo institucional aqui.

Para saber mais, acesse o site da ONG clicando aqui.

Joias mostram total sinergia entre mães e filhos

Para o Dia das Mães, a joalheria apresenta linha que reforça a conexão entre mãe e filho. Tem algo mais forte? Inspirada nessa relação, a Maxior apresenta a icônica coleção Filhotes, para o Dia das Mães. O ponto de partida foi o vínculo intenso e complexo entre mãe e filho.

Com cerca de 40 peças, a linha traz joias em formato de pássaros, gatos, cachorros e ursos. Os símbolos escolhidos representam a relação de amor entre a mãe e seus filhos.

A coleção é desenvolvida inteiramente em ouro 18K, nas opções amarelo ou branco. Entre colares, pingentes, brincos e anéis, também existem as versões cravejadas com diamantes, ou apenas em ouro. Um presente único para uma relação tão especial.

cachorra e filhotescolar passarosgata e filhotesursinha

Informações: Maxior

Aplicativo ajuda a encontrar pets que fugiram de casa

Disponível desde janeiro para IOS e Android, o app Petworking possibilita encontrar animais de estimação perdidos e, também, facilita a adoção

Quem mora em casa e tem um bichinho passa por uma preocupação constante: a de o animal fugir em busca de comida, diversão e companhia de outros animais. Gatos podem passar dias longe do lar, sem que se saiba onde e como estão. Cachorros têm mais dificuldade de encontrar o caminho de volta para casa e podem ser tomados como um animal de rua, quando possuem tutores à sua espera.

petworking2

Essa aflição é solucionada de uma forma simples: por meio do aplicativo Petworking, fundado pelo administrador Helder Klaar. A ideia veio da observação do empresário que notou que muitos usuários das redes sociais postavam sobre animais perdidos.

“Se eu perdi meu cachorro e uma pessoa que mora a dez quadras de mim não me conhece, como vai saber que é meu pet?”, indagou Helder. E foi assim que concebeu o app em julho do ano passado, para que todos os donos de animais se ajudem numa rede solidária específica para isso.

petworking4

O aplicativo, que também conta com a sociedade do empresário Paulo Joanello, é simples de utilizar: os donos criam perfis dos seus animais com informações detalhadas das suas características físicas e comportamentais. Assim, em caso de perda ou sumiço, a comunidade Petworking, numa ação em rede, ajuda a encontrar os bichinhos desaparecidos.

petworking3

Outro benefício do app, é que a plataforma faz uma ponte entre quem tem um bichinho para doar e quem quer adotar. O aplicativo também indica pet shops, clínicas 24h, adestradores e hotéis parceiros localizados perto do usuário, tudo para facilitar a vida de quem ama e cuida do seu bichinho.

petworking1

Informações: Petworking – Para baixar no Google Play (Android) clique aqui.

Vacinas indispensáveis para proteger pets e tutores

Imunização preserva não apenas a saúde dos animais, mas toda a família de doenças que podem ser transmitidas por eles para os humanos

Nos últimos anos, os animais de estimação conquistaram mais espaço dentro de casa e passaram a ser vistos como membros da família. Essa mudança de comportamento gerou mais proximidade e afeto, mas também mais responsabilidades. Além de reforçar os cuidados com a higiene dos pets e com a limpeza da casa, os tutores precisam ficar mais atentos à saúde deles, o que inclui as vacinas. Doenças como raiva, giardíase e leptospirose, por exemplo, podem ser contraídas por animais e transmitidas para os seus donos. Respeitar o calendário de vacinação é a forma mais eficaz de prevenção, protegendo os pets e a família.

Nessa época do ano, o grande alerta é para a imunização contra a gripe, tanto em humanos quanto em cães, para que o organismo tenha tempo de produzir anticorpos até a chegada do inverno, estação do ano onde a incidência da doença é maior. Porém, existem outras vacinas importantes para garantir a saúde de cães e gatos.

Vacinacao_caocom_1_amplocom

Segundo o médico-veterinário Luciano Granemann e Silva, proprietário da Clínica e Hospital Veterinário 24h Cão.Com, elas são classificadas em “obrigatórias” e “recomendadas”. O calendário de vacinação que orienta os médicos-veterinários no Brasil segue o protocolo do Comitê Latino Americano de Vacunologia em Animales de Compañia (Colavac), de 2016, publicado naquele ano na Revista Clínica Veterinária, Ano XXI, número 124, setembro/outubro.

“A antirrábica e a polivalente, que imuniza os animais contra sete doenças consideradas graves, são as duas obrigatórias desse calendário, tanto para cães quanto para gatos, e devem ser aplicadas no primeiro ano de vida, conforme orientação do fabricante, e depois ter reforços anuais”, afirma. Já, a contra a gripe, embora não obrigatória, está entre as recomendadas para preservar a saúde e o bem-estar dos cães. Os gatos, entretanto, não necessitam dessa imunização.

Outras três que fortalecem o controle de doenças infecciosas nos pets são: giárdia, Leishmaniose e ProHeart, sendo esta para prevenir o Dirofilaria immitis, verme do coração. “É preciso estar atento a incidências, surtos e outras manifestações de determinadas doenças na região onde o animal vive, o que consequentemente o expõe a um maior risco”, aconselha.

Segundo Luciano, “em 18 anos de profissão, não houve um registro sequer de doenças infectocontagiosas em animais imunizados anualmente na clínica”. Em 2017, a clínica Cão.Com aplicou 1.573 doses, sendo 191 contra a gripe. Para 2018, a expectativa é um aumento de 20% devido a maior conscientização dos tutores quanto a importância da prevenção.

Fotovacina_Amplocom

Vacinas éticas

Luciano alerta para os cuidados na hora de escolher o estabelecimento onde a substância é administrada. A sugestão é que seja sempre aplicada por um médico-veterinário. Outro ponto importante é o tipo. “Nós só aplicamos vacinas éticas, que são inovadoras, produzidas por laboratórios de ponta que as estudam a fundo e publicam artigos sobre elas. Elas são vendidas apenas para médicos-veterinários, o que confere maior segurança aos tutores e seus pets”, explica.

É importante também se informar sobre a forma como são armazenadas. “São organismos vivos muito sensíveis a variações. A indicação dos laboratórios é que sejam conservadas entre 2ºC e 6ºC e que não fiquem mais do que 30 minutos fora dessa condição”, afirma Luciano. A Cão.Com tem duas geladeiras específicas para o armazenamento de vacinas biológicas.

Fonte: Cão.Com – Rua Madre Benvenuta,1.642, Santa Mônica / Travessa Stodieck, 52, Centro – Florianópolis. 
.

 

Gripe de outono também afeta os pets

Dica do veterinário da Petz é manter a vacinação em dia e deixar os pets sempre bem hidratados para evitar a queda da imunidade

Os bichinhos de estimação também sentem a mudança no clima e, com ela, o aumento da propensão às gripes. As principais doenças que os atingem nesta época são a traqueobronquite infecciosa canina, no caso dos cães, e a rinotraqueite, nos gatos. Ambas são transmitidas por vírus, em contato com algum pet doente, principalmente em passeios na rua e nos parques.

O veterinário Felipe Chaguri, da Petz, afirma que a imunização é a melhor forma de proteger os pets: “Nos cães, deve ser aplicada a vacina de gripe canina e, nos gatos, a múltipla felina. As duas dão proteção contra essas doenças, mas devem ter uma dose de reforço todos os anos”.

Sinais e tratamento

cachorro doente 2

Nos cães, os sintomas da traqueobronquite ou tosse dos canis aparecem com tosse seca, secreção nasal, espirros e febre. Já os gatos apresentam secreção nasal, secreção ocular amarelada ou esverdeada, espirros, febre e falta de apetite, em casos mais graves.

Os dois casos são tratados com antibióticos e tratamento da imunidade, além de serem realizados exames como hemograma e raio X de tórax, pois os problemas podem evoluir para uma doença mais grave, como pneumonia, se não forem tratados adequadamente.

Como evitar

Além da vacinação em dia e das visitas periódicas ao veterinário, é importante também ter alguns cuidados para manter a imunidade do pet em alta. ”No outono e inverno, vale colocar umidificadores pela casa por causa do ar seco; evitar passeios em dias muito frios ou logo após o banho; colocar mais potes de água pelos ambientes para aumentar a oferta de hidratação; dar alimentos úmidos como sachês específicos e cobertores para o pet ficar sempre aquecido”, explica o veterinário.

Silver tabby cat Zelda sneezing
Foto: Warren Photographic

Outras alterações que podem ocorrer nesta época:

• Conjuntivite: com o ar mais seco, os olhos dos animais podem ficar vermelhos, lacrimejar e coçar. Com isso, eles podem tentar aliviar a coceira com as patinhas, causando lesões ou até levando bactérias para os olhos. O que provoca a infecção chamada de conjuntivite. Animais de focinho mais curto tem mais incidência de conjuntivite. Para aliviar esses sinais, a limpeza dos olhos deve ser feita com algodão e água bem delicadamente. Mas é importante procurar um médico veterinário para que os sinais não persistam ou piorem.

• Problemas respiratórios: alguns pets podem ficar ofegantes e sofrer de crise respiratória nos dias secos. O ideal é evitar caminhadas longas e brincadeiras muito ativas nesses dias.

• Bichinhos de focinho bem curto ou achatados (braquicefálicos) têm dificuldade de respiração e maior predisposição para esses problemas, assim como filhotes e os pets mais idosos.

Fonte: Petz

Animais de estimação se beneficiam da acupuntura

A terapia alternativa tem sido a chave para o alívio de dores e possível cura de doenças

Assim como ocorre com os humanos, a acupuntura tem ajudado a tratar e amenizar as dores de muitos cães e gatos. Essa terapia alternativa pode ser usada para qualquer tipo de patologia, porém, a grande demanda consiste em discopatias, neuropatias, doenças dermatológicas e controle de dores, e é indicada para animais de qualquer idade ou sexo.

A médica veterinária acupunturista do Grupo Vet Popular, Bárbara Maria de Freitas Scalea, explica que a acupuntura consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo para obter efeito terapêutico. “Essas agulhas provocam estímulos que levam o organismo a uma resposta, causando a cura de certas doenças, ou, ao menos, o controle da mesma, determinando um quadro de bem-estar físico e emocional e psíquico”.

A especialista ressalta que é uma terapia que pode ser usada em qualquer animal e que o período de tratamento varia de acordo com a patologia, estado geral do animal e o tempo de lesão. “Lembrando que a acupuntura é uma terapia alternativa que não substitui nenhum outro tratamento, ela é usada de forma complementar aos tratamentos clínicos”, alerta a médica veterinária.

Bárbara conta que a técnica milenar da acupuntura vem ganhando muitos adeptos e cases de sucesso, além de ser a chave para o alívio de dores e possível cura de doenças.

billy cachorro acupuntura.png

“Para o paciente Billy, com doença do disco intervertebral em região cervical, realizamos, em média, 15 sessões. Hoje, o Billy está ótimo, sem sequelas e sem qualquer tipo de dor. Nosso paciente tem uma vida saudável e bem-estar para viver mais e melhor”.

A médica veterinária acupunturista do Grupo Vet Popular destaca que a sessão de acupuntura deve ser realizada em local apropriado, com materiais devidamente higienizados e esterilizados.

Fonte: Grupo Vet Popular

Cobasi recebe exposição de quadros pet da artista plástica Jaqueline Schcolnic

Evento acontece na unidade Villa Lobos, dia 14 de abril, a partir das 11 horas

No sábado, 14 de abril, das 11 às 16 horas, a Cobasi Villa Lobos, localizada na Rua Manuel Velasco 90, recebe a exposição de quadros pet da artista plástica Jaqueline Schcolnic.

A mostra reúne 6 pinturas de tinta acrílica sobre tela, com cores vibrantes retratando cães, gatos e aves. A inspiração para as pinturas vem das fotografias dos animais.

Jaqueline é formada em artes plástica e atua há anos como adestradora de cães, em 2017 resolveu juntar suas duas paixões, arte e animais, e começou a criar suas obras.

Os quadros expostos estarão à venda ao público. Para conhecer as obras, visite o site da artista clicando aqui.

Alguns dos quadros da artista plástica Jaqueline Schcolnic que serão expostos no evento:

gatoararacachorro

Serviço:
Exposição de Quadros Pet
Data: 14 de abril
Horário: 11h às 16h
Local: Cobasi Villa Lobos
Endereço: Rua Manuel Velasco, 90, Vila Leopoldina, São Paulo – SP
Evento gratuito. Sujeito a lotação. Classificação livre

 

The Body Shop e Ampara Animal se unem em defesa da proibição de testes em animais

Marca inglesa de produtos naturais encampa campanha global para acabar com a prática em todo o mundo

The Body Shop, rede inglesa de cosméticos naturais, acaba de unir forças com a Ampara Animal, Oscip brasileira de proteção animal, em prol da campanha Forever Against Animal Testing (Para Sempre Contra teste em Animais), que consiste em um abaixo assinado global liderado pela marca para ser submetido à Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo é banir, até 2020, testes em animais com finalidade cosmética em produtos e ingredientes em todo o mundo.

A parceria entre as organizações prevê uma série de ações conjuntas para ampliar a conscientização em relação aos testes em animais na indústria cosmética, além de angariar assinaturas para o abaixo assinado e chamar atenção para a causa da proteção animal no Brasil.

cruelty4

“Além do apoio global da Cruelty Free International, ter no Brasil a Ampara Animal trabalhando conosco é uma enorme conquista. Certamente, a causa ganhará ainda mais força para conseguirmos chamar atenção da importância da aprovação de uma lei nacional contra testes em animais, além de coletar todas as assinaturas necessárias para levarmos essa petição até a ONU”, diz Karina Meyer, Diretora de marketing da The Body Shop Brasil.

A campanha Para Sempre Contra teste em Animais teve início em maio de 2017 com a meta de coletar 8 milhões de assinaturas. A expectativa é influenciar a legislação dos 189 países signatários da ONU, levando em consideração que 80% de todo o mundo não tem leis que proíbam os testes em animais na indústria cosmética, inclusive o Brasil.

Até agora, foram coletadas mais de 5 milhões de assinaturas no mundo e o Brasil está entre os 10 países que mais contribuíram.

cruelty2

“A Aliança entre The Body Shop e Ampara Animal veio para fortalecer o movimento contra os testes em animais na indústria cosmética. Com essa união alcançaremos resultados mais expressivos neste objetivo em comum, um mundo mais ético e justo, não somente para os animais, mas para todos nós”, explica Juliana Camargo, presidente da Ampara Animal.

No ano passado, o foco da iniciativa foi conscientizar e derrubar mitos em torno dos testes em animais e das alternativas disponíveis no mercado para substituir a prática. Em 2018, a meta é atingir os 8 milhões de assinaturas e apresentar o documento à ONU, para que seja convocada uma convenção internacional sobre a proibição de testes com finalidade cosmética em animais.

Finalmente, em 2019, com a ajuda da ONU, o objetivo é promover aproximação com governos e agências internacionais para criar a lei. No Brasil, as assinaturas vêm sendo coletadas nos 120 pontos de venda da marca e pelo site.

Sobre a The Body Shop

cruelty free

Fundada em 1976 por Anita Roddick em Brighton, na Inglaterra, a The Body Shop é uma marca global de beleza. A The Body Shop pretende fazer uma diferença positiva no mundo, oferecendo produtos de alta qualidade e inspiração natural, produzidos de forma ética e sustentável. A The Body Shop foi pioneira na filosofia de que o negócio pode ser uma força para o bem e, depois de ser adquirida pela L’Oréal em 2006, está ampliando sua visão. A The Body Shop tem mais de 3.000 lojas em mais de 60 países. No Brasil desde outubro de 2014 a marca conta com 120 pontos de vendas espalhados por todo o Brasil.

The Body Shop e a luta contra teste em animais

The Body Shop foi a primeira marca internacional de beleza a fazer campanha contra a prática de testes com animais para fins cosméticos em 1989, conduzindo a uma proibição à escala europeia de testes em animais em 2013. A campanha, realizada em parceria com Cruelty Free International, teve 1 milhão de assinaturas coletadas e desencadeou progressos significativos em toda a região da Ásia-Pacífico.obre a Ampara Animal

Sobre a Ampara Animal

novo-logotipo-oficial-_-Ampara-Animal.png

Organização sem fins lucrativos fundada em agosto de 2010, por um grupo de mulheres com um objetivo em comum: conscientizar a sociedade e transformar a dura realidade de cães e gatos rejeitados e abandonados no Brasil. Engajada nos projetos da causa a animal a instituição conta com time de colaboradores e voluntários que participam e vivenciam os projetos sociais. Suas campanhas são estreladas com amor e dedicação por artistas e artistas que doam seu tempo e sua imagem em prol dos animais desamparados.

Em parceria com clínicas veterinárias, a instituição cuida da saúde de animaizinhos carentes e abandonados, e promove eventos de adoção para que cães e gatos tenham a chance de encontrar um lar repleto de amor e proteção. Sete anos de atuação que somam-se meio milhão de animais amparados com medicamento, ração, vacina, tratamento veterinário, campanhas de adoção e castração. Mais de 240 ONGs e protetores independentes cadastrados que são beneficiados em sistema de rodízio. Em 2016 a Ampara Animal ampliou sua atuação para o seguimento de animais Silvestres.

Sobre a Cruelty Free International

cruelty-free-grey820

Cruelty Free International é uma das mais antigas e respeitadas organizações de proteção animal do mundo. Considerada como uma autoridade em questões de testes em animais e convocada por governos, jornalistas, empresas e órgãos oficiais para aconselhamento ou opinião de especialistas, foi a primeira grande organização sem fins lucrativos a fazer campanha contra os testes em animais com fins cosméticos nos anos 70. Liderando a campanha de 20 anos para proibir cosméticos cruéis na UE, ela tem influenciado proibições em países como Índia, Nova Zelândia e Coréia do Sul.