Arquivo da tag: cachorro

Diarreia e pelagem sem brilho são alguns sintomas causados pelos vermes em cães

Assim como os seres humanos, os cães são suscetíveis aos parasitas internos, mais conhecidos como vermes. Há diferentes tipos, sendo os mais comuns os intestinais. Eles são transmitidos pela água, pelos alimentos, pelo contato com fezes e outros animais, entre outras formas de contágio.

Ricardo Cabral, veterinário da Virbac, primeiro laboratório dedicado exclusivamente à saúde animal, elenca algumas dúvidas sobre o tema:

– Quais são os sintomas em cães?

cachorro doente abatido deitado

São vários. Diarreia, emagrecimento progressivo, crescimento tardio, barriga inchada, fezes com consistência mole, e às vezes com sangue, além de anemia. Há outros sintomas, mas esses são os mais comuns.

– Cães de todas as idades podem ser contaminados?

cachorro pug.png

As infecções parasitárias acometem cães de todas as idades, mas usualmente são mais prevalentes em filhotes. Alguns parasitas são transmitidos durante a gestação e/ ou amamentação, caso a mãe tenha vermes.

– Como é feito o diagnóstico?

cachorro veterinário consulta pixabay
Pixabay

O animal deve ser levado ao veterinário para que seja realizado um exame de fezes, que detecta a presença de vermes. Após o resultado, o profissional estará apto a indicar o tratamento.

– É possível fazer algo para prevenir os vermes?

cachorro remedio the spruce
Foto: The Spruce

Sim. A vermifugação deve ser feita periodicamente. Em geral, os veterinários recomendam de três em três meses. Para o verme do coração é recomendada uma dose a cada mês. Outras precauções: higienizar com frequência os locais onde ficam os animais, sempre fazendo uso de produtos adequados, e não permitir o contato destes com fezes de outros animais, o que pode acontecer durante passeios em locais públicos, por exemplo.

– O ser humano pode ser contaminado?

depositphotos mulher cama dor doente
Depositphotos

Sim. A doença é considerada uma zoonose quando é transmitida de animais para seres humanos. A infecção humana ocorre principalmente pela ingestão de ovos larvados presentes no solo poluído, em objetos do animal e em mãos contaminadas com fezes.

– Quais são os tipos mais comuns de vermes?

protozoarios microbios dbutlerdidit pixabay
Ilustração: Dbutlerdidit/Pixabay

Cães podem ser parasitados por diversas espécies de vermes redondos (nematoides) e chatos (cestoides). Os animais também podem ser contaminados por protozoários (giárdia).

Opção de vermífugo

endogard.jpg

O Endogard é um vermífugo que elimina todos os parasitas internos e previne contra o verme do coração, o Dirofilária. É palatável, pode ser administrado a filhotes a partir da segunda semana de idade e cadelas gestantes. Auxilia também na prevenção de zoonoses.

Fonte: Virbac

Anúncios

Para 91% dos gestores em RH, animais no trabalho intensificam lealdade de funcionários

Pet Anjo, plataforma de serviços pet, dá dicas de como fazer um escritório pet friendly

Os bichinhos têm ganhado espaço em lugares públicos e isso não é novidade, mas a permissão em locais de trabalho ainda deixa muitas empresas receosas. Uma pesquisa realizada pela Banfield, rede de hospitais norte americana, revela que 91% dos diretores de Recursos Humanos apoiam a atividade e dizem que os funcionários podem se tornar mais leais diante na presença do amigo peludo.

O levantamento também revela que 82% dos funcionários são a favor dos pets no ambiente corporativo. Além desses dados, o estudo também mostra os benefícios: 86% afirmam redução do estresse e 67% identificaram aumento na produtividade.

“Com todas essas impressões positivas, a ideia é incentivar organizações a adotarem essa prática, já que podem ser aplicadas uma vez por mês, a cada quinze dias, uma vez por semana ou diariamente. A decisão depende do perfil da empresa”, diz Carolina Rocha, médica veterinária especialista em comportamento animal e fundadora da Pet Anjo, plataforma de serviços pet como dogwalker, pet sitter e hospedagem familiar. Ela separou algumas dicas para ajudar as empresas a se tornarem pet friendly.

=Obter o apoio dos diretores e funcionários;

=Avaliar os cães e seus temperamentos e utilizar coleiras codificadas com cores que indiquem o comportamento daquele cão, por exemplo, verde para animais que permitem qualquer interação e vermelho para animais tímidos. Lembrando que não é recomendado cães agressivos nos locais de trabalho;

=Treinar os funcionários para saberem o que significa cada cor da coleira;

cachorro bebendo agua gelo ibtimes
Foto: Ibtimes

=Garantir um espaço com água fresca para o animal e caminhadas regularmente, como na hora do almoço e café;

=Colocar regras para latidos, corridas e brincadeiras que atrapalhem o funcionamento dos serviços;

sherman pet
Foto: Sherman Filmes Ópticos do Brasil

=Deixar claro quem é o responsável do animal.

Carolina ainda comenta como os bichos auxiliam na interação entre os colegas de trabalho. “É muito mais fácil se aproximar de alguém quando ele está com um animal, além disso, os níveis de fofoca podem diminuir já que eles passam a falar mais dos cães do que das pessoas”, explica.

Fonte: Pet Anjo

Petz lança hotel e day care exclusivos para cães

A rede de pet shop oferece serviço de hospedagem diferenciado do mercado, com atividades inovadoras todos os dias, para divertir e exercitar os pets

Pensando no bem-estar durante as férias, a Petz inaugurou os serviços de hotel e day care exclusivos para cachorros. As novidades são oferecidas na loja mais moderna da rede de pet shop em São Paulo, na avenida Dr. Ricardo Jafet, na zona sul da capital.

Para quem for viajar a destinos inadequados para os bichinhos, ou ficará em locais onde eles não são permitidos, o Petz Hotel é uma alternativa. Com capacidade para hospedar até 50 cães, oferece 20 quartos individuais bem confortáveis, onde os pets da mesma família podem dormir juntos, e se preferir há o quarto coletivo, onde os cães que frequentam o Day Care podem usufruir dessa comodidade.

Já o day care, ou dia de creche, é opção para quem não quer deixar o cão sozinho durante o dia em casa. O serviço tem capacidade para receber até 50 cães por dia e, caso o tutor precise, pode também deixá-lo para dormir.

Relatório por whatsApp

Petz - hotel entrada3Petz - hotel cãozinho

Os hóspedes são acompanhados 24 horas por monitores técnicos que desenvolvem as atividades e zelam pelo seu bem-estar. Com profissionais especializados acompanhando o tempo todo, eles nunca ficam sozinhos. Os quartos são monitorados por câmeras individuais pela equipe técnica da Petz. Para que o tutor acompanhe o dia do pet, são enviados três relatórios diariamente por WhatsApp, com fotos, vídeos e descrição das atividades desenvolvidas.

Atividades

Petz - hote salaPetz - cães brincando4

Durante a estadia no hotel ou day care, os pets participam de atividades para se exercitar e desenvolver a socialização, com enriquecimento ambiental e uma área de playground especial para eles. Enriquecer o ambiente é torná-lo saudável e rico em estímulos, para proporcionar liberdade aos cães, assim eles demonstram e desenvolvem seus comportamentos naturais, além de aprender por meio do reforço positivo, imitação e habituação aos comportamentos desejados.

Petz - hotel quartinhosPetz hotal quartos3Petz - hotel endtrada

Petz Hotel e o Day Care
Endereço: Dr. Ricardo Jafet, 1.750, Vila Mariana, em São Paulo
Telefone: (11) 2181-7495
Horário de funcionamento da loja: 24 horas

Vida social: seu cachorro precisa de uma

Ter uma vida social é extremamente saudável para o seu pet! Entenda a importância da socialização dos cães e por que o seu pet também deve ser sociável

Quando pensamos em vida social, normalmente associamos o termo ao dia a dia dos humanos, que envolve programas de lazer com a família, com os amigos ou com os colegas do trabalho. Já parou para pensar que o seu peludo também precisa conhecer pessoas e lugares novos, além de fazer amigos de quatro patas?

Diversos profissionais da área, como médicos veterinários e especialistas no estudo do comportamento animal, afirmam sobre a importância de investir na socialização dos cachorros.

Independentemente de serem adultos ou filhotes, a socialização é uma maneira muito importante de garantir que o pet terá reações adequadas em diferentes situações.

A socialização dos animais de estimação permite que os pets reajam com menos agressividade ou medo quando se depararem com situações que não são habituais, como encontrar pessoas ou animais desconhecidos, e até mesmo estar em ambientes que lhe são estranhos.

dog cachorro cão
Você com certeza já deve ter visto alguns pets que aparentam muita agressividade em passeios quando veem outros cães, que não podem ficar próximos a crianças ou a idosos, e, em muitas vezes, não ficam tranquilos se estão longe de seus tutores. Isso não quer dizer que o cachorro seja bravo ou tenha uma personalidade ruim, apenas quer dizer que é necessário dedicar mais tempo à sua socialização.

Lembre-se sempre que, quando um cachorro é socializado de maneira correta, diversos problemas de comportamento, como os citados acima, podem ser evitados com mais facilidade. Além disso, um cão sociável será mais tranquilo, confiante e relaxado. A socialização é essencial para que o peludo cresça sem medos.

O período de socialização pode parecer longo e complicado no começo, mas é extremamente efetivo e pode garantir uma vida muito mais saudável para o seu cãozinho. Afinal, isso garantirá muitos momentos de diversão em longo prazo para o pet, como se divertir com outros cachorros em parques, cachorródromos, viagens, entre tantas outras opções para agitar sua vida social.

Existem diversas maneiras de socializar um cão, seja ele filhote ou adulto. Confira abaixo as nossas dicas de socialização de cachorros e como elas farão a diferença no comportamento do seu melhor amigo de quatro patas!

Permita que seu cãozinho se relacione com outras pessoas e animais

cachorros-petfinder
Foto: Petfinder

Estar próximo a diferentes pessoas e animais é extremamente importante para garantir que seu pet cresça saudável, sem medos ou comportamentos agressivos.

Se o seu cãozinho ainda for filhote e não tiver tomado as vacinas necessárias para sair de casa, peça que amigos e familiares visitem a sua casa. Desta maneira, seu pet já será exposto a indivíduos com diferentes comportamentos e terá menos reações imprevisíveis no futuro, pois se acostumará às pessoas.

A partir do momento em que seu cãozinho estiver com a caderneta de vacinação atualizada, tente introduzir o contato com outros cães. Convide amigos e parentes que tenham cachorros sociáveis e dóceis para interagir com o seu pet.

Pode ser que, em um primeiro momento, o cachorro estranhe a presença de outro animal em seu território. Mas deixe que os cães se entendam e incentive comportamentos como brincadeiras e carinhos entre os pets.

Leve o peludo para conhecer ambientes diferentes

cachorros brinquedo brincando pixabay

A partir do momento em que seu pet estiver autorizado a sair de casa para passear, programe-se para fazer caminhadas longas e por locais diferentes diariamente. Misture caminhos com diferentes estímulos, como um grande fluxo de pessoas e outros animais, árvores, praças, entre outros.

Também é importante que o seu bicho de estimação se familiarize com carros, ônibus, caminhões e motos – são veículos barulhentos e que podem assustar um cão que não se adapte a esses sons.

Permita que seu cão explore cada um desses ambientes. Deixe-o cheirar o chão, os postes e as árvores, por exemplo. Ele também pode interagir com cães que estejam dentro de outras casas, assim já entenderá que eles não representam ameaças.

O objetivo é que ele entenda que não precisa ter medo de ambientes diferentes de sua casa.

Tenha calma e paciência, principalmente se tiver um cão adulto

A socialização de um cão é uma tarefa complicada, principalmente se ele já for adulto. Mesmo assim, não se esqueça que não é impossível – mas pode levar um pouco mais de tempo.

Tenha calma e respeite o tempo do seu cãozinho. Desta forma, ele se sentirá seguro e irá adquirir mais confiança com o passar do tempo.

Invista em reforço positivo

adestramento cachorro cão

Se você perceber que o seu animal de estimação está desenvolvendo um bom comportamento quando colocado em contato com pessoas, animais e ambientes diferentes, dê um prêmio! Ofereça um petisco, um carinho. Desta maneira, ele irá associar este comportamento a algo positivo.

Construa uma vida social para o seu cachorro!

luz camera burger pet friendly
Reprodução Facebook Luz, Câmera, Ação!

Ao perceber que a socialização está dando certo, que tal deixar seu cãozinho ainda mais feliz? Inclua o animal em sua rotina e considere locais pet friendly, como cafés e restaurantes, onde ele poderá interagir com outras pessoas e animais. Além disso, programe-se para levá-lo a praças, parques e cachorródromos, por exemplo, onde ele poderá brincar livremente com outros peludos.

Se necessário, procure ajuda profissional

cão-obediente11 cachorro adestramento

Se você perceber que as dicas acima não estão surtindo o efeito esperado, não hesite em procurar ajuda profissional. Um bom adestrador poderá oferecer a orientação necessária, assim como um médico veterinário em SP.

Fonte: VetQuality

As vantagens de adotar um cão adulto

Especialistas em adestramento falam sobre adaptação ao novo lar e facilidades no cuidado com o pet

No Brasil existem mais de 30 milhões de animais abandonados. Destes, 20 milhões são cães, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A boa notícia é que, em São Paulo, os filhotes que chegam ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da prefeitura são adotados quase que imediatamente. Porém, adultos e velhinhos não têm a mesma sorte e a fila de espera por uma nova família não para de crescer.

cachorro abandonado na rua

Douglas Gouvea e Michelle Araújo, proprietários da Doug Walker e adestradores que atendem pelo GetNinjas, maior plataforma de contratação de serviços do Brasil, explicam que existem diversas vantagens em escolher um cão adulto para cuidar.

“Os cães adultos são muito companheiros e ficam muito gratos quando ganham um novo lar”, diz Douglas. “Eles vão agradecer por toda a vida.”

Segundo os especialistas, quando o pet adotado é adulto, ele costuma dar menos trabalho de adaptação do que se for um filhote. O cão recém-nascido, ao ser desmamado, passa vários dias chorando pela falta da mãe. O novo dono precisará de muita paciência e carinho. Além disso, eles ainda estão em fase de aprendizagem e não sabem onde fazer as necessidades.

cachorro lindo

É preciso ter bastante tempo disponível para ensinar as boas maneiras e também separar um tempo para brincar e gastar a energia do filhote. Afinal, são bebês e não sabem direito como se comportar. Já um cão adulto não tem tanta energia e está mais acostumado a passar um tempo sozinho e ainda aprende muito rápido o lugar de fazer as necessidades. Na maioria das vezes, eles mesmos procuram pelo local ideal.

Outra grande vantagem de adotar um animal adulto é que já é possível saber qual será o tamanho real dele. Muitas vezes, quando o cão não tem raça definida, não há como estimar exatamente o porte que um filhotinho terá quando crescer. Essa preocupação não existe quando o cão já está formado o que auxilia na avaliação das condições dos tutores e se está de acordo com o espaço físico da casa.

O temperamento de um cão adulto também já está formado. Quando for procurar uma instituição ou um protetor dos animais para adotar um pet, o indicado é conversar com as pessoas que passam tempo com os bichinhos e explicar sobre horários, condições, espaço e tempo que terá para ficar com o pet para encontrar o animal que melhor adequará.

criança com cachorro

Por exemplo, se tiver criança pequena em casa, o melhor é um animal mais calmo.  Se o tutor trabalhar fora e precisar já nos primeiros dias ficar muitas horas longe do cachorrinho, o mais indicado é levar um cão adulto para casa. “Os filhotes precisam de cuidado intensivo nos primeiros meses já os adultos logo se adaptam e esperam o novo dono com o rabinho abanando”, diz Michelle. “A adoção de um cão adulto é uma ótima escolha e a adaptação é super rápida.”

Fonte: GetNinjas

Curitiba: WhataFuck troca hambúrguer e chope por ração de cachorro

No evento solidário, os curitibanos poderão trocar 1kg de ração por um hambúrguer ou um chope e ainda contribuir com a causa

Neste domingo, dia 11 de novembro, vai rolar a segunda edição da Feira de Adoção WhataFuck, na hamburgueria WhataFuck localizada no Shopping Hauer. O evento, que será realizado das 12 às 17 horas, terá uma promoção bem especial: 1kg de ração de cachorro poderá ser trocado por um hambúrguer ou um chope. Cada pessoa poderá trocar até 3kg de ração e as doações serão destinadas para o Projeto Ajudei, uma organização que procura proporcionar uma vida digna aos animais por meio de resgate de maus tratos e realocação com novas famílias.

carne

A rede WhataFuck se engajou na causa dos cachorros abandonados e vai fazer uma ação para que todos possam expressar seu amor pelos pets, e também possam sair de lá com um bichinho para chamar de seu. Por meio do Projeto Ajudei, dezenas de cachorros estarão disponíveis para adoção durante o evento. Na primeira edição da Feira de Adoção WhataFuck, realizada no ano passado, oito cãezinhos ganharam um novo lar e foram doados mais de 700 kg de ração.

guilherme_daniel WhataFuck
Os sócios da Eede WhataFuck, Guilherme Requião e Daniel Mocellin

“Não existe nada mais democrático do que a rua. Há mais de três anos atuando neste espaço tão popular, aprendemos que precisamos sempre inovar para atender a demanda do nosso público. Dessa vez vamos focar no público pet, em tirar os cachorros das ruas e dar um lar e vida digna para eles. Muitos clientes nossos têm pets e são engajados com a causa, que faz parte da nossa agenda desde o ano passado. Na segunda edição da nossa feira de adoção, vamos tentar chamar mais gente para fazer parte do movimento doando ração e adotar os cachorros que precisam de um lar” explica Daniel Mocellin, sócio fundador da rede WhataFuck.

Feira de Adoção

Feira de Adoção WhataFuck
Data: domingo, dia 11 de novembro
Local: loja WhataFuck no Shopping Hauer
Endereço: Rua Coronel Dulcídio Nº 775 – Curitiba
Horário: das 12h às 17h

 

Cuidados para um cão adotado se adaptar ao novo lar

Antes de adotar um animalzinho é preciso se atentar aos cuidados que ele deverá receber para se acostumar com o ambiente da casa; adestrador e especialista em comportamento animal Cleber Santos lista dicas

Adotar um animal de estimação está cada vez mais comum. Com o crescimento das redes sociais nos últimos anos, as divulgações de criadouros que maltratam animais de raça vem chamando a atenção daqueles que atuam em defesa dos animais, e conscientizando a população. Atualmente no Brasil, 67% das pessoas que têm um pet o adotaram, de acordo com uma recente pesquisa realizada pela Opinion Box.

Com o aumento da demanda, os canis e ONGs que abrigam animais vêm apostando em campanhas de adoção e promovendo feiras de exposição em pontos estratégicos para facilitar que os animais encontrem um lar. E, por mais que as instituições ofereçam suporte para os bichinhos enquanto não encontram seus donos, é comum que anteriormente tenham sofrido maus tratos enquanto estavam na rua e, consequentemente, tenham alguns traumas.

O especialista em comportamento animal Cleber Santos, proprietário da ComportPet, explica que além de proporcionar um lar saudável, também é preciso ficar atento ao comportamento do cão, e procurar maneiras de confortá-lo. “O tutor que adota um animal tem que ter consciência de que precisará investir em cuidados dobrados para que ele se sinta seguro e feliz”.

Abaixo, ele lista dicas para que o cão adotado se adapte ao novo local:

Leve seu cão ao veterinário

Cão_veterinário

Essa é a primeira medida que deve ser tomada. O veterinário irá examinar o animal e passar o melhor tratamento, caso ele tenha alguma doença. “Pulgas e carrapatos são bastante comuns em cachorros que são encontrados na rua. Já os adotados diretamente de canis, geralmente se encontram em melhores condições, pois já receberam os primeiros cuidados depois de achados. Mesmo assim, levar para um veterinário avaliar a saúde do cão é essencial”.

Quando o pet vem da rua, o dono também irá perceber que ele precisará passar por um processo de higiene, como banho e tosa. “A vacinação também é um fator importante, pois nem todos os canis a mantêm em dia. Além disso, o veterinário poderá estimar qual a idade aproximada do cãozinho”, completa.

Invista em adestramento

adestramento cachorro cão

Sofrer maus-tratos não é o único problema que os cachorros passam na rua ou em lares anteriores não saudáveis. Em muitos casos, o cão também não recebeu um bom treinamento da pessoa que o abandonou, e pode chegar à casa do novo tutor com comportamentos inadequados.

“Quando o cachorro é novinho, é mais fácil ensinar os comandos para ele, mas pelo fato de muitos cachorros adotados serem adultos ou idosos, investir no trabalho de um adestrador profissional é muito importante para que ele se adapte com facilidade”, explica Cleber.

“É importante ressaltar que os primeiros dias do pet em casa são determinantes para os próximos anos, principalmente quando falamos dos filhotes”, completa.

Proporcione um ambiente seguro

cachorro para adoçao

O ambiente em que o cão vai viver depois de adotado deve estar seguro para recebê-lo. É fundamental retirar do alcance do animal materiais e objetos que possam fazer mal a ele, como produtos de limpeza, perfumes, objetos cortantes, e outros. Se o ambiente for aberto, também será necessário incluir toldos ou casinhas para que o animal possa se proteger do sol, frio e chuva.

“Quem mora em apartamento deve instalar redes de proteção para manter os pets fora de perigo. As redes trazem segurança para o cão correr e brincar por todo o ambiente, sem risco de acidentes”, complementa o especialista.

Compre utensílios para o animal

cachorro com brinquedo

Para o cachorro se sentir mais feliz, ainda mais em casos que tenha desenvolvido traumas da época que morava na rua, é interessante que o novo tutor compre alguns brinquedos/objetos como caminha, roupas, brinquedos e ossos, para que ele se distraia e consiga esquecer o que passou.

“Quando pegamos um cachorro para criar, além da atenção e do carinho, devemos ter consciência de que ele poderá viver durante 10 a 15 anos. Ou seja, é uma grande responsabilidade. Por isso, é válido investir, desde o início, em acessórios que proporcionem bem estar e qualidade de vida ao animal. Outra dica é pesquisar e conversar com o veterinário para definir qual tipo de ração é mais adequada para o cão, dependendo do porte, raça, idade”, finaliza.

Sobre Cleber Santos

cleber santos

Especialista em comportamento animal, atua como adestrador de cães há 12 anos, quando cuidava do canil de treinamento durante o serviço militar. Trabalhou para grandes canis do interior de São Paulo, treinando cães de policiais de todo o Brasil. Além da experiência profissional, fez diversos cursos, estágios e especializações, inclusive em outros países – Canadá, Estados Unidos, Argentina, Chile e Alemanha. Desde 2010, está também à frente da ComportPet, centro que oferece consultoria comportamental, adestramento e serviços de hotelaria e creche, além de atendimento veterinário, estética animal e terapias alternativas para pets, como a musicoterapia. É um dos únicos profissionais do Brasil que também adestra gatos, e vem sendo requisitado como adestrador de pets de famosos, entre eles o DJ Alok.

Cobasi realiza evento de adoção de cães em parceria com a Uipa de Jundiaí

A partir de sábado, 3 de novembro, a Cobasi, em parceria com a ONG Uipa Jundiaí, irá realizar um evento de adoção de cães nas dependências da loja localizada na Ponte de Campinas, Jundiaí – SP.

O evento ocorrerá aos sábados, das 10 às 14 horas. Para adotar é necessário ser maior de 18 anos, portar o documento de identidade, ler e assinar o termo de adoção. Todos os animais disponíveis para adoção estão castrados, vacinados e vermifugados.

Esse projeto faz parte das ações de incentivo a adoção da Cobasi que realiza eventos em parceria com instituições de proteção animal em diferentes cidades do Brasil.

cachorro triste adoção

Evento de adoção de cães
Realização: Cobasi e ONG UIPA Jundiaí
Data: A partir de 3 de novembro (todos os sábados)
Horário: das 10h às 14h
Local: Cobasi Jundiaí
Endereço: Rua José Amato, 150, Ponte de Campinas, Jundiaí – SP

 

Câncer em pets: como prevenir e tratar

Nos meses de outubro e novembro há uma intensa mobilização da sociedade na luta contra o câncer. Mas a conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce não vale apenas para os seres humanos. O câncer exige atenção e cuidados especiais também com os pets.

As neoplasias estão entre as principais causas de morte de animais domésticos. Dentre os tumores mais frequentes atualmente estão os de glândula mamária, os de pele e os relacionados com o sistema hematopoiético (ligados ao sistema imunológico), conforme explica o médico-veterinário oncologista Dr. Rodrigo Ubukata, membro do Grupo de Trabalho em Quimioterapia Veterinária do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP).

Além de fatores genéticos e moleculares, o ambiente no qual o animal está inserido, o contato com substâncias tóxicas, as alterações do sistema imunológico e os processos inflamatórios crônicos podem ser fatores desencadeantes do câncer. “Hoje sabemos que o câncer é uma doença multifatorial e ainda é muito difícil determinar o que leva cada paciente a desenvolver a doença” diz Ubukata.

veterinario-gato-1-770x490

Medidas de prevenção podem e devem ser adotadas pelos tutores. Isso inclui avaliações periódicas com um médico-veterinário, mesmo que o animal aparente estar saudável. “Conforme os animais vão ficando mais velhos é importante intensificar as visitas clínicas”, orienta Rodrigo Ubukata. Ele ressalta ainda que a castração precoce de cadelas e gatas é um dos métodos mais eficazes para reduzir a incidência de tumores mamários, bem como de tumores venéreos transmissíveis (TVT) tanto em machos quanto em fêmeas.

Os tutores devem ficar atentos a qualquer anormalidade, como presença de nódulos, feridas que não cicatrizam, sangramentos, odores estranhos, dificuldades para urinar ou evacuar, tosses/espirros sem causas aparentes, emagrecimento, perda de apetite, etc. Esses sintomas são comuns a várias doenças, inclusive ao câncer.

O diagnóstico varia de acordo com as suspeitas e com o tipo do tumor. De um modo geral, envolve entrevista médica-veterinária (anamnese), exames físicos, exames laboratoriais (de sangue, de urina, citologias, bioquímicos etc) e exames de imagem (radiografias, ultrassonografias, tomografias computadorizada e ressonâncias magnéticas). “Exames histopatológicos, imunoistoquímicos e moleculares normalmente são necessários para conclusão do diagnóstico”, observa Ubukata.

Tratamentos cada vez mais eficazes e com menos efeitos colaterais

cachorro negro

A partir do diagnóstico, é possível identificar o tipo de câncer e, então, definir o melhor tratamento para o animal. Segundo Rodrigo Ubukata “nenhum tratamento é igual ao outro, pois os tumores variam entre si e também entre os pacientes, de acordo com o estágio da doença e sua manifestação.”

A terapêutica se desenvolveu bastante nos últimos anos. Dentre os avanços, Ubukata cita as novas técnicas e modalidades cirúrgicas e anestésicas, que oferecem resultados melhores e diminuem os riscos aos pacientes; as novas quimioterapias antineoplásicas; as radioterapias (aceleradores lineares), que estão cada vez mais eficientes; as terapias alvo e a imunoterapia com substâncias que promovem a estimulação do sistema imunológico.

Com a mudança da relação homem-animal, as pessoas estão mais sensibilizadas e motivadas a tratarem seus pets que hoje são considerados parte da família. “Nessa minha trajetória de quase 20 anos dedicados exclusivamente à Oncologia Veterinária já vi muitos tutores fazerem de tudo pelos seus animais, até irem para outros países para fazer tratamentos que não existiam aqui ou venderem seus bens para custear determinada terapêutica”, relata Ubukata.

Fonte: CRMV-SP

 

Life by Vivara lança coleção My Pet, My Life

A Life by Vivara, tradicionalmente conhecida pela pulseira que coleciona momentos
especiais através de pingentes, criou uma linha inovadora, descolada e fashion voltada para pets. Agora o seu cão também pode levar com ele os momentos divertidos que vocês passam juntos.

A coleção My Pet, My Life, possui seis opções de coleiras e guias em diferentes
tamanhos em couro, nas cores da Vivara, salmão e café. Para enfeitar seu melhor
amigo a marca desenvolveu trinta e cinco berloques em prata com variadas raças
como Jack Russell, Golden Retriever, Bulldog francês, Border Collie e Poodle, e
desenhos que remetem ao universo canino para colecionar e combinar.

As peças estão disponíveis nas lojas Vivara, quiosques e no e-commerce da marca, com preços a partir de R$ 120,00 os pingentes, R$200,00 as guias e coleiras a partir de R$ 350,00.