Arquivo da tag: halitose

Tomar um copo d’água em jejum contribui para reduzir o mau hálito matinal

Estudo publicado no Jornal Internacional de Higiene Bucal sugere que tomar um copo d’água em jejum é um modo eficiente de reduzir o mau hálito matinal que incomoda tantas pessoas. Pesquisadores chegaram à conclusão de que tanto a água ingerida, como usada em bochecho, chega a reduzir 60% das substâncias que contribuem para essa sensação desagradável.

Na opinião de Katia Izola, professora da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), o mau hálito matinal não necessariamente está relacionado à doença halitose, mas a um acúmulo de bactérias na boca durante as horas de sono. Nesse sentido, enxaguar a boca é uma solução provisória para combater o incômodo – já que escovar bem os dentes é sempre a melhor opção.

“Aquelas pessoas que preferem tomar o café da manhã primeiro e escovar os dentes depois podem se beneficiar desse recurso de ingerir um copo d’água em jejum. Por outro lado, quem sofre de halitose não consegue se livrar facilmente do problema nem depois de escovar os dentes”, conta a médica, que acrescenta: “Em cerca de 90% dos casos, as alterações que levam à halitose se encontram na cavidade bucal, podendo ter origem, ainda, em falta de vitaminas, uso de determinados medicamentos, doenças autoimunes, doenças do aparelho digestivo, dieta inadequada e até mesmo alto nível de estresse. Por isso é tão importante relatar o problema ao cirurgião-dentista. Somente diante de um diagnóstico acertado é que o paciente poderá tratar a halitose de forma eficiente”.

2c2855a63ef9408424dde7fabd30e1bd

Depois de identificar o mau hálito, a cirurgiã-dentista diz que é comum diagnosticar inflamação gengival, infecções periodontais, próteses mal adaptadas, e até mesmo hábitos inadequados de higiene bucal. “Geralmente, ao identificar algum desses quadros, também percebemos desvios do padrão salivar. Em determinados casos, o paciente deverá seguir um tratamento tanto com o cirurgião-dentista, quanto com um médico especializado no aparelho digestório”, diz a especialista.

“Na dúvida, o paciente pode usar o próprio copo – usado de manhã para tomar água – para sentir se tem alteração anormal do hálito. Outra opção é lamber a parte interna do pulso, aguardar alguns minutos e conferir se o cheiro indica mau hálito”, finaliza.

Fonte: Profª Drª Katia Regina Izola, professora da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas)

Anúncios

Mau hálito pode afetar convívio social e causar depressão

No Dia Internacional de Combate ao Mau Hálito, saiba um pouco mais sobre o tema

O mau hálito pode ser causado por diversos motivos, como má alimentação, estresse, doenças periodontal e falta de consumo de água. O problema que atinge muitos brasileiros é sério e se não for tratado com rapidez pode causar problemas como o isolamento social e até mesmo a depressão.

O mau hálito ou halitose é um dos problemas bucais mais desagradáveis que existe e pode causar sérios problemas de convívio social. De acordo com o dentista da Odontocompany, rede de clínicas odontológicas, Paulo Zahr, isso acontece porque normalmente quem sofre de mau hálito não percebe e se alguém da família ou amigo não alertar sobre o problema, ele pode se estender por muito tempo, o que atrapalha as relações interpessoais.

“Muitas vezes as pessoas se afastam de quem possui mau hálito. E alguns pacientes que sabem da existência da halitose sentem muita vergonha e acabam se afastando do convívio social. Essa atitude pode ser muito prejudicial profissionalmente e nas relações afetivas”, conta Paulo. Segundo o dentista, em casos mais graves o paciente pode desenvolver até mesmo depressão.

De acordo com a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), 30% dos brasileiros sofrem deste mal e as causas do problema – que não é considerado uma doença, mas sim um sintoma alertando de que algo no organismo não está indo bem– são várias, chegando a mais de 60, sendo que 90% delas tem origens bucais.

A causa mais frequente de mau hálito é a diminuição no fluxo salivar. A saliva ajuda a eliminar as bactérias no intervalo entre as higienizações, deixando a boca sempre limpa. “Quando a quantidade de saliva é escassa, a boca fica seca e as bactérias responsáveis pelo mau hálito aumentam”. Zahr conta que a diversos motivos para a boca secar, como estresse, respiração pela boca, baixo consumo de água, alguns medicamentos entre outros. Outras causas comuns para a halitose são as doenças de gengiva, cárie aberta e extensa, feridas cirúrgicas e abscessos.

Abaixo o dentista lista algumas dicas de como prevenir o mau cheiro para levar a vida sem se preocupar se está com mau hálito ou não.

– Beba água: Beber bastante água ajuda a evitar o mau hálito, já que uma das principais causas para o problema é a boca seca.

– Escove sempre os dentes: Apesar do mau hálito não significar necessariamente falta de higiene, a falta de escovação pode produzir bactérias e o mau cheiro irá aparecer. Além disso, o uso do fio dental e a escovação na língua são essenciais para combater a halitose.

– Cuidado com a alimentação: Alguns alimentos, como cebola, alho, brócolis e couve podem causar o mau hálito. O que se resolve facilmente com uma boa escovação. Porém, algumas dietas podem ser prejudiciais ao hálito, como cortar totalmente o carboidrato do cardápio.

– Atente-se aos sinais: Se você acha que aquele cheiro ruim está vindo da sua boca, peça a confirmação a alguém da família ou ao um amigo próximo. Muitas vezes, quem tem o mau hálito não percebe e é necessário que terceiros apontem o problema.

– Procure um dentista: Assim que identificar o mau hálito procure um dentista. Na maioria das vezes, o problema é facilmente resolvido e evita que o paciente passe por situações desconfortáveis.

Leia mais aqui e saiba como ajudar quem tem o problema, anonimamente.

Fonte: OdontoCompany

Hoje é o Dia Internacional de Combate ao Mau Hálito; será que você tem?

Em 22 de setembro é celebrado o Dia Internacional do Combate ao Mau Hálito, problema que atinge mais de 40% dos brasileiros e causa incômodo tanto para a pessoa que o tem quanto para as outras que estão por perto.

O mau hálito (ou halitose) existe na população desde o princípio da humanidade e o maior problema para quem sofre é descobrir. Como o nariz se acostuma com o cheiro, a chamada fadiga olfatória, quem tem mau hálito não o sente, e quem sente –  namorado,  marido,  amigo-, nem sempre se sente confortável em abordar o assunto.

A data tem como objetivo conscientizar a população que o mau hálito pode ser a causa de mais de 50 doenças, entre elas distúrbios do fígado, estômago, inflamações na garganta e até mesmo estresse, e que pode ser tratado.

Para quem quer descobrir se tem halitose, o médico Salomão Carui, especialista em Halitose e Medicina do sono, e membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, apresenta algumas questões que ao serem respondidas afirmativamente podem indicar a presença do mau hálito :

– Bebo pouco líquido
– Sou fumante
– Tenho intestino preso
– Fico muitas horas sem me alimentar
– Respiro pela boca
– Costumo roncar
– Tenho diabetes
– Sinto minha boca seca com frequência
– Tenho tártaro
– Uso aparelho ortodôntico ou prótese dentária
– Minha gengiva sangra quando passo fio dental ou escovo os dentes
– Placa esbranquiçada no fundo da língua
– Às vezes percebo pequenos flocos de cor amarelada ou branca de odor desagradável expelidos da minha garganta
– Bebo bebidas alcoólicas com frequência (mais de duas vezes por semana)
– Costumo mascar chicletes ou chupar balas

Outro teste sugerido pelo especialista é passar a língua no punho, aguardar 30 segundos. Cheirar o local. Se notar um aroma desagradável e tiver assinalado dois ou mais itens é melhor perguntar a uma pessoa de confiança e procurar tratamento.

A halitose crônica que está geralmente associada a algum tipo de disfunção ou patologia, requer o tratamento com um profissional qualificado e especializado. “Uma boa notícia é que tem solução”, garante Carui.

Ah, sim, para aqueles que se sentem desconfortáveis em avisar a pessoa sobre o problema, a Associação Brasileira de Halitose disponibiliza uma mensagem anônima e gentil, com a intenção de ajudar e não passar trotes. Para quem quiser usar, entre no SOS Mau Hálito.