Arquivo da tag: literatura

Livro traz receitas capazes de melhorar qualidade de vida de portador de autismo

Além de sugerir o preparo de diversos pratos, lançamento da Buzz Editora reúne histórias de amor e esperança envolvendo pais e filhos

Fundado em 2012, em Barra do Piraí (RJ), o projeto social Casa de Brincar tem como um de seus grandes atrativos as oficinas Cozinha sem Glúten, destinadas a uma causa muito nobre: ensinar familiares de crianças e jovens portadores de autismo a criar receitas que melhorem a qualidade de vida de seus filhos. O resultado dessas oficinas, certamente, vai muito além da descoberta de novos pratos e é responsável pelo surgimento de inúmeras histórias de amor e esperança.

Histórias essas que acabam de ser reunidas pela Buzz Editora no livro “Sem glúten, contém afeto”, de Carla Müller de Carvalho, uma das fundadoras das oficinas e também mãe de um menino portador de autismo.

“A ideia de escrever a obra nasceu da necessidade de ajudar as pessoas que cozinham para essas pessoas tão especiais. Mas não é apenas um livro de receitas, é um livro que traz momentos de intensa conexão vividos por um grupo de colaboradores, mães e filhos durante os encontros da Cozinha sem Glúten conta a autora.

Além de oferecer diversas combinações de nutrientes e enriquecer as receitas do cotidiano, a obra sugere um retorno aos quitutes caseiros como alternativa ao consumo excessivo de alimentos industrializados.

Mas qual é a relação entre o autismo e o glúten? “Há alguns anos, mães e pais de portadores de autismo em todo o mundo vêm experimentando novos regimes alimentares, que contribuem para um apaziguamento do comportamento. E os que mais apresentam benefícios são os sem glúten e lactose”, explica.

Ao longo de 176 páginas, os leitores encontram imagens de alimentos que dão água na boca e fotos emocionantes de momentos íntimos entre portadores de autismo e familiares. “Por isso, esse é um livro com gostinho de lar, de memórias, de incluir e aproximar todos ao redor de uma mesa repleta de amor e sabor. Com as receitas, o leitor pode se nutrir de mais leveza, saúde e força para construir um futuro cheio de possibilidades, sem restrições”, finaliza Carla.

bd2cb5_b56828048dc944b885bcb02a4a1fdc18-mv2.png

Serviço:
Título: “Sem glúten, contém afeto”
Autor: Carla Müller de Carvalho
Selo: Buzz Editora
Páginas: 176
Preço: R$ 59,90

Anúncios

Meu novo livro: O Fantasma do Rock

A maioria dos seguidores do blog deve saber que eu sou jornalista, porém, também já escrevi livros como ghostwriter (quando seu nome não aparece, pois você escreve para alguém que tem a história/ideia, mas não sabe ou terá tempo de escrever) e um outro de contos com mais duas pessoas. Nós o bancamos e a edição foi pequena. Hoje, só tenho um exemplar.

Há três anos comecei a escrever um romance de ficção. Agora, só meu. Escrevia quando conseguia um tempo, por isso, demorou mais do que eu desejava. Em seguida, revisei e demorei – de novo – um pouco para registrá-lo, o que é importante para evitar plágios, por exemplo. E a maioria das editoras exige isso para avaliar a obra.

E eu enviei para algumas editoras, claro, pois quem não sonha em ver sua obra em grandes livrarias? O que só é possível quando uma editora está por trás para distribuir. Como não tive nenhum retorno, a não ser de algumas que se ofereciam para imprimir, mas comigo bancando, o que eu não tenho condições neste momento, resolvi publicá-lo em versão digital na Amazon.

yin yang gatos.jpg

O tema? Bem, o título já entrega algumas coisas: O Fantasma do Rock. A trama mostra um vocalista de banda de rock que é encontrado morto e o ambiente e as condições levam a crer que ele tenha sofrido uma overdose. Porém, seu espírito não parte. Assim, ele acaba ficando “preso” em sua casa e tem a chance de descobrir o que as pessoas pensavam dele realmente ao ouvir suas conversas e comentários.

Graças a um casal de gatos, com o tempo, as pessoas mais próximas percebem que “ele continua” por por lá e, de alguma forma, buscam um jeito de se comunicar. Enquanto isso, ele relembra sua história com várias mulheres, a perda do filho, as mortes de pessoas queridas e seu relacionamento com os demais integrantes da banda.

É um livro para quem gosta de cultura pop, com muita, mas muita citação musical, e outras cinematográficas. Cada capítulo e subcapítulo traz como título o nome de alguma canção de rock. A história também tem alguns toques de espiritismo, apesar de eu não seguir essa religião. Portanto, espero não ter cometido alguma heresia.

o fantasma do rock.jpg

O Fantasma do Rock está à venda na Amazon e se você se interessar, clique aqui e irá para a página do site correspondente. 

Meu novo livro, O Fantasma do Rock, está à venda no site Amazon

A maioria dos seguidores do blog deve saber que eu sou jornalista, porém, também já escrevi livros como ghostwriter (quando seu nome não aparece, pois você escreve para alguém que tem a história/ideia, mas não sabe ou terá tempo de escrever) e um outro de contos com mais duas pessoas. Nós o bancamos e a edição foi pequena. Hoje, só tenho um exemplar.

Há três anos comecei a escrever um romance de ficção. Agora, só meu. Escrevia quando conseguia um tempo, por isso, demorou mais do que eu desejava. Em seguida, revisei e demorei – de novo – um pouco para registrá-lo, o que é importante para evitar plágios, por exemplo. E a maioria das editoras exige isso para avaliar a obra.

E eu enviei para algumas editoras, claro, pois quem não sonha em ver sua obra em grandes livrarias? O que só é possível quando uma editora está por trás para distribuir. Como não tive nenhum retorno, a não ser de algumas que se ofereciam para imprimir, mas comigo bancando, o que eu não tenho condições neste momento, resolvi publicá-lo em versão digital na Amazon.

yin yang gatos.jpg

O tema? Bem, o título já entrega algumas coisas: O Fantasma do Rock. A trama mostra um vocalista de banda de rock que é encontrado morto e o ambiente e as condições levam a crer que ele tenha sofrido uma overdose. Porém, seu espírito não parte. Assim, ele acaba ficando “preso” em sua casa e tem a chance de descobrir o que as pessoas pensavam dele realmente ao ouvir suas conversas e comentários.

Graças a um casal de gatos, com o tempo, as pessoas mais próximas percebem que “ele continua” por por lá e, de alguma forma, buscam um jeito de se comunicar. Enquanto isso, ele relembra sua história com várias mulheres, a perda do filho, as mortes de pessoas queridas e seu relacionamento com os demais integrantes da banda.

É um livro para quem gosta de cultura pop, com muita, mas muita citação musical, e outras cinematográficas. Cada capítulo e subcapítulo traz como título o nome de alguma canção de rock. A história também tem alguns toques de espiritismo, apesar de eu não seguir essa religião. Portanto, espero não ter cometido alguma heresia.

o fantasma do rock.jpg

O Fantasma do Rock está à venda na Amazon e se você se interessar, clique aqui e irá para a página do site correspondente. 

 

 

 

Livro para quem quer conhecer mais sobre o universo dos vinhos

Os restaurantes, bares, adegas e estabelecimentos especializados na enogastronomia foram os que mais sofreram nas duas crises econômicas que atingiram o país desde 2010 e é o último setor a recuperar-se mas, já aponta a retomada no crescimento.

No Brasil, a alimentação fora do lar representa 33% dos gastos com alimentos e bebidas e levou todo setor de food service a movimentar por volta de R$ 300 bilhões em 2015. Esse número está crescendo, mesmo com a crise. Enquanto um americano compromete cerca de 40% de sua renda disponível com alimentos e bebidas, no Brasil ainda há espaço para crescer. Isso explica o fato de as classes A e B consumirem mais fora do lar e apresentarem expectativas elevadas. À medida que houver mais renda disponível nas classes C, D, E, o setor crescerá mais.

Como as pessoas acabam cortando gastos e viajando menos nos fins de semana, isso acaba tendo uma compensação no lazer gastronômico em suas cidades. A boa notícia, é que análises indicam que este ano poderá registrar uma recuperação que retorne aos patamares de 2013.

E neste mesmo sentido dos bares, restaurantes e delicatessen, o mercado de bebidas está surfando na onda de retomada do crescimento econômico. O mercado de vinhos e cervejas especiais prepara-se para o caloroso verão que já começa a ser esperado.

Uma das melhores datas para o mercado de vinhos, outono e inverno, esquentou a venda dos vinhos tintos, sobretudo os produzidos por nossos vizinhos sul-americanos – Argentina e Chile. Agora no verão, é a vez dos vinhos brancos e rosés, conhecidamente os mais refrescantes e festivos.

“São chamados de vinhos festeiros pois, agradam aso paladares por seu frescor, notas herbais de boca e muito florais no aroma”, destaca o sommelier Danilo Bueno – profissional especializado em vinhos finos.

“Mas, vender e comprar vinhos é uma verdadeira arte. O profissional que trabalha com o mercado de vinhos tem de conhecer a geografia de diversas regiões vinícolas, conhecer a interferência do tempo e do terreno na nutrição da uva, os processos de vinificação e também as características dos principais enólogos (profissional que faz o vinho) que institui a sua ‘assinatura’ em cada vinho que fabrica. Cada país tem uma identidade em termos de uva e metodologia de vinificação”, destaca o sommelier.

Danilo

Autor de um livro voltado a quem quer saber mais sobre vinhos – “O Céu de Baco – Uma viagem aos prazeres do vinho” -, Danilo vê com bons olhos o aquecimento do mercado e trabalho que busca por estes profissionais especializados. Depois de muitos anos de retração, este mercado, que é conhecido por suas altas remunerações, precisará encontrar pessoas que tenham conhecimento apurado em vinhos e cervejas especiais, principalmente porque o fim de ano é reconhecidamente uma das melhores datas para a venda destes artigos, sempre presentes em festas familiares, celebrações, formaturas e nos festejos de virada de ano.

“A melhor maneira de se preparar para este mercado é estudando e para estudar, deve-se ler muito e beber muito vinho. O aprendizado gustativo dá-se pela experiência em provar-se diversos rótulos, de muitas regiões viníferas e ler livros e revistas especializadas”, finaliza Danilo.

Não há exigência de formação para atuar nesta área. Seja o interessado engenheiro ou garçom, todos têm espaço para tornarem-se um sommelier e trabalhar no mercado gastronômico. O investimento para formação é relativamente baixo se comparado com outras profissões mas, a chegada no topo, depende unicamente pela dedicação do profissional e por sua paixão na área do atendimento. O bom profissional é rapidamente recompensado por seu talento.

Ficou interessada(o)? Leia o livro de Bueno, quem sabe você também pode enveredar por este delicioso mundo dos vinhos.

capadanilo

Livro: “O Céu de Baco – Um a viagem aos prazeres do vinho”
Editora: Baraúna
Autor: Danilo Bueno
Ano: 2012
Páginas: 129
Preço: R$ 31,00

Livro Ághata Borralheira & Amigos fala de respeito e amor aos animais

O livro “Ághata Borralheira & Amigos tocando corações” (lançado em julho) aborda várias questões relacionadas aos animais, mas de forma suave, com o objetivo de atingir o coração de adultos e crianças. São três histórias inspiradas em clássicos infanto-juvenis, mas com uma roupagem totalmente diferente para abordar questões como diversidade, inclusão e solidariedade, tendo como protagonista uma gatinha preta.

Na primeira história, da Cinderela, por exemplo, a carruagem não é puxada por cavalos em respeito a esses animais. A segunda, “Ághata no País das Maravilhas”, procura chamar a atenção para o preconceito contra animais pretos e deficientes, abandono, maus-tratos, vivissecção e animais de circo, entre outras situações. Todos os personagens dessa história são reais e exemplos de superação.

Dois deles são estrangeiros e famosos: a cadelinha Chi Chi (que foi resgatada de um restaurante asiático e, por ter ficado muito tempo com as pernas amarradas, perdeu metade delas – vide foto) e o gatinho Blake que foi adotado de um abrigo quando estava prestes a ser morto na câmara de gás – ambos dos Estados Unidos.

chi chi
A cachorra Chi Chi

A terceira história é “Ághata de Botas, Luvinhas e Echarpe Brancas” traz as características físicas da Ághata.

Aghata Borralheira
Agatha

O livro é uma edição independente e está à venda por R$ 50 (incluindo taxa do correio para qualquer lugar do Brasil) apenas pelo Facebook.

Sebastian e AmeliePacocaBarto

dianna
A gatinha Dianna

Ághata Borralheira, como vive na cozinha, também cria receitas veganas com abóboras (marca registrada da Cinderela), assim algumas delas constam na obra. O livro também traz páginas para colorir e um outro destaque é a seção com sites e redes sociais de ONGs cujos animais participaram do livro. Assim, quem simpatizou com algum dos bichinhos pode ajudar na causa que eles defendem.

Livro Aghata.png

Sobre a autora

Fátima Chuecco é jornalista ambientalista, atuante na causa animal e colaboradora eventual da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais. Ághata é sua gata, assim como Dianna e a Rebecca Selvagem que também estão na obra. Defensora dos animais desde pequena, também é autora dos livros “MI-AU BOOK – Um livro pet-solidário” e “MI-AU BOOK & Cia”.

 

Soraya Abuchaim: autora pulou do blog para literatura de terror e suspense

Conhecida como “Dark Queen”, ela faz laboratórios e cursos especializados para desenvolver suas obras com mais veracidade

A escritora Soraya Abuchaim é natural de Vinhedo, no interior de São Paulo, e descobriu seu dom para a escrita quando tinha um blog para simplesmente postar seus contos. Deste hobby nasceu uma profissão, que embora ainda não seja a sua grande fonte de renda, é a sua maior conquista.

Prestes a fazer 34 anos, ela já acumula alguns anos de escrita, com livros que navegam entre o terror e o suspense, gêneros que ela considera suas grandes paixões. Tanto que não se vê desenvolvendo alguma coisa fora disto, com exceção de algo fantasioso, mas que ainda envolvesse temas relacionados ao que ela ama explorar.

“Minha carreira começou de repente. Eu tive um conto – ‘O vizinho suspeito’ – lançado em uma antologia chamada ‘Horas Sombrias’ (Andross) e depois consegui publicar o thriller psicológico ‘Até eu te possuir’ (Editoria Ella). Esse suspense conta a história de Johanna, uma mulher que perdeu tudo na vida e, quando achava que os caminhos estavam se abrindo, se envolve com um homem que guarda um segredo mortal”, explica.

Com muitos elogios recebidos pela crítica nesta primeira obra lançado na Bienal do Livro de SP em 2016, sua confiança aumentou e hoje já agrega mais nomes para o seu currículo como autora. “Há o ‘A Vila dos Pecados’, já lançados fisicamente, e ‘Maldito Seja’, na versão e-book, além de diversos contos, como ‘Madrugada Macabra’, ‘Forasteiro’, ‘Cotidiano’, entre outros, sempre percorrendo entre o terror e o suspense, para prender o leitor do início ao fim”.

Soraya Abuchaim com uma fã_Bienal do Livro de SP
Soraya (de preto) posa ao lado de uma fã durante a Bienal do Livro de SP

Para levar informações diferenciadas e até mesmo se basear em histórias reais, a escritora “Dark Queen” (ou Rainha Dark) utiliza métodos parecidos com os feitos por atores e atrizes antes de encarnarem um papel, conhecidos como laboratórios. “Recentemente, fiz um curso sobre mentes criminosas, para me ajudar na criação dos personagens. Mergulho de cabeça no tema, pois o leitor quer ser surpreendido. Também faço muita pesquisa e, se necessário, converso com pessoas que entendam da área de abrangência. Isto aconteceu no ‘A Vila dos Pecados’, em que diversos especialistas me deram dicas sobre o funcionamento da Igreja Católica”, complementa.

O que é essencial para um livro ser sucesso na Era Digital?

Soraya é categórica ao afirmar que a identidade do autor é primordial na produção. E, segundo ela, é um dos grandes diferenciais que destacam um escritor do outro. Com um público de leitores mais maduros, balanceado entre homens e mulheres, ela aponta a linguagem adequada como algo que faz com que ela se caracterize. “Eu, por exemplo, sou mais adepta ao estilo da escrita mais elaborada. Gosto mesmo de explorar nosso vocabulário. E busco, sempre que dá, fazer os finais das minhas histórias abertos, para fugir dos clichês”.

Quanto ao mundo cibernético como uma nova maneira de leitura, ela acredita que saber explorar esses nichos seja a melhor saída. “Acho que hoje o autor tem de pensar nas duas formas, os e-books e o impresso. As plataformas virtuais são de suma importância, mas ainda há muito público para o livro físico. O importante é que o autor esteja acessível para todas as possibilidades”.

A antologia “Insanidade” vem aí

Soraya foi a autora escolhida para organizar a antologia “Insanidade”, onde terão 22 contos, 20 selecionados por ela e os demais de Glau Kemp e Jhefferson Passos, escritores famosos no mundo do terror.

Com lançamento entre setembro em outubro desse ano, pela Editora Skull, a obra ainda está em fase da escolha do material, no qual a Dark Queen também terá a sua participação. Porém, ela ainda não revela o tema. “Só posso dizer que terá muito sangue”, finaliza.

Conheça mais sobre o trabalho da Dark Queen nesse bate-bola:

Soraya Abuchaim1

– No cenário geral, como anda a Literatura Brasileira?
Soraya Abuchaim – Embora ainda sofra preconceito, principalmente por parte dos mais jovens, tem conquistado o seu espaço. Hoje, posso dizer que temos no Brasil muitos autores excelentes, que não deixam nada a desejar para os estrangeiros tão aclamados pela crítica mundial. É só uma questão de tempo para ganharmos cada vez mais espaço.

– Muitos dos livros mais vendidos são de autoajuda ou de especialistas, como Augusto Cury, que ficou em primeiro lugar com o livro “Ansiedade” como um dos mais vendidos durante muito tempo. Em sua opinião, qual o motivo disso?
Soraya Abuchaim – Acredito que as pessoas procuram livros que possam trazer um bem-estar que, muitas vezes, elas não têm conseguido na vida agitada que levamos hoje em dia. Claro que isso é apenas uma hipótese, mas percebo que quanto mais nos ligamos às redes sociais, menos contatos físicos temos. E isso acarreta uma série de comportamentos que acabam levando as pessoas, consciente ou inconscientemente, a buscar ajuda nesse tipo de leitura (ou mesmo outros tipos de auxílio, claro).

– O que você sente de diferente dos livros de hoje se comparados aos clássicos da nossa Literatura?
Soraya Abuchaim – Tudo (Risos). Na verdade, embora hoje tenhamos muitos autores que explorem histórias mais profundas e com linguagem rebuscada, a nossa literatura está se adaptando à mente dos jovens, que são nossos leitores em potencial. Ouço muito de adolescentes a denominação “chata” ao se referirem aos clássicos. Isso não espelha minha opinião, já que simplesmente amo a nossa literatura mais antiga. Mas nós, como escritores contemporâneos, temos de entender o que nosso público deseja, para, assim, podermos suprir essa carência literária. Uma coisa é fato: muitos estudantes acabam se “traumatizando” com clássicos que são obrigados a lerem na escola e acham que toda literatura é assim (não são palavras minhas, mas sim coisas que já ouvi de adultos que hoje não gostam de ler). Os autores modernos estão aí para mostrar que ler pode, sim, ser prazeroso. Os clássicos são uma segunda etapa para quem começa a gostar de ler.

– O que um livro físico precisa ter para atrair leitores nessa época em que muitos, principalmente as gerações Y e Z, estão condicionados à leitura em aparatos tecnológicos?
Soraya Abuchaim – Acho que os livros físicos perderam sim um pouco de espaço na leitura de hoje, mas ainda há muito público para eles. Em primeiro lugar, o livro precisa ser bonito, daqueles que valem a pena ter na estante. Depois, um papel para leitura confortável e a letra em tamanho adequado ajudam muito, porque muitos leitores digitais se adaptam para dar mais conforto à leitura. O escritor de hoje precisa ter em mente que há público para as duas formas de leitura. Há quem venda mais livro digital, outros vendem muitos livros físicos. Mas volta a ressaltar: é imprescindível que o autor conheça seu público e explore novos leitores cada vez mais, valendo-se de tantas formas de leitura maravilhosas que temos hoje.

– Quais são os quesitos essenciais para um livro de suspense ou terror fazer sucesso?
Soraya Abuchaim – Trazer elementos que deixem o leitor com medo, com expectativa pós-suspense e, por que não, nojo também. São as formas clássicas do terror e do horror. O público que gosta desse gênero estava muito tímido há alguns anos, embora houvesse muitos blogs e sites especializados. Então, surgiu a editora DarkSide, que foca apenas nesse nicho e foi a felicidade dos amantes de suspense e terror. Agora, os autores nacionais desse gênero estão aparecendo e, com a gente, nossos leitores. O bacana é trazer leitores também para o lado negro (risos). Sempre fico feliz quando alguém me fala que nunca tinha lido um suspense ou terror e adorou a leitura por ter lido algo de minha autoria.

– Como um escritor cria a sua identidade, em meio a tantas outras obras disponíveis no mercado?
Soraya Abuchaim – É um conjunto de itens: a identidade começa quando o autor escolhe escrever o gênero que ama, não apenas escrever o que dá dinheiro. A linguagem utilizada é importante, assim como o estilo da narrativa, porque acaba se tornando como uma assinatura. Apostar nas redes sociais e na sua imagem perante os leitores também é importante. Eu fui dar uma entrevista esses tempos atrás e quase coloquei uma blusa cor de rosa. Depois pensei: “Caramba, escritora de terror pelo menos deve aparecer de preto”. Temos de nos atentar a isso também. É, portanto, a criação de uma identidade literária aliada à visual. Outra coisa é a forma como o escritor trata e corresponde aos leitores também, que é essencial. Nada de estrelismo, porque não somos nada sem aqueles que nos leem. Devemos estender tapete vermelho para cada leitor e parceiro.

Livro a Vila dos Pecados

– Por fim, você tem o sonho de ver um dos seus livros virar um filme? Se sim, qual deles e por quê?
Soraya Abuchaim – Sim, com certeza! Eu escolheria A Vila dos Pecados. Além de trazer muito suspense e elementos de terror, foi uma vila fictícia, criada por mim, e a história se passa no final do século XIX. Eu vejo essa história linda nas telonas, para aterrorizar muitos espectadores. De tudo que já escrevi até hoje, tenho um carinho especial por esse livro.

Para saber mais: Soraya Abuchaim

Editora Novo Século lança Kerata – O colecionador de cérebros

A obra retrata a história de Kerata, um dos serial killers mais procurados do mundo, que é vítima de um desejo peculiar: matar pessoas com talentos específicos e colecionar seus cérebros

Amanhã, 29 de julho, às 15 horas, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, a Novo Século Grupo Editorial lança pelo selo Talentos da Literatura Brasileira, Kerata – O colecionador de cérebros, da publicitária Juliana Duarte.

Kerata, nome dado pela imprensa a um dos serial killers mais procurados do mundo, é um neurocientista, vítima de um desejo peculiar: matar pessoas com talentos específicos e colecionar seus cérebros.

Contudo, nesta incomum e intrincada trama, o leitor mergulha no desenvolvimento dessa mente doentia, na história da família de Kerata e na vida de diversos personagens que rodeiam e influenciam, direta e indiretamente, no desdobramento de sua personalidade cruel.

Presente e passado se entrecruzam de modo surpreendente; segredos perturbadores vêm à tona. Com isso, o leitor é condicionado a se questionar e a, quem sabe, compreender: como nasce um serial killer?

A autora

Juliana R. S. Duarte nasceu em setembro de 1987. Tornou-se redatora publicitária, atuando em grupos internacionais de propaganda. É poeta, compositora e violinista. Seu primeiro livro foi escrito aos sete anos de idade.

660956_kerata-o-colecionador-de-cerebros-766611_l1_636318192617452000

Título Kerata – O colecionador de cérebros
Autor – Juliana R. S. Duarte
Categoria Ficção – Literatura brasileira; Suspense; Ficção Policial.
Nº de Páginas 416
Formato 14×21
Acabamento Brochura
Preço R$ 39,90

Lançamento 
Data: 29 de julho de 2017
Horário: 15h
Local: Livraria Cultura – Conjunto Nacional
Endereço: Av. Paulista, 2073, Térreo

Público da Flip 2017 tem café passado na hora

Espaço da marca na Casa Folha serve sete tipos de café, por conta da Melitta

Tomar um bom café rodeado por boas conversas literárias. É com essa proposta que a marca Melitta recebe os visitantes da Casa Folha, na Flip (Festa Literária Internacional de Paraty) 2017, com uma variedade de cafés passados na hora. Entre 26 e 30 de julho, baristas da Melitta vão garantir ao público o máximo prazer do café.

Os participantes das mesas literárias podem ficar à vontade para escolher a quantidade e os sabores que quiserem. No cardápio, o variado portfólio da Melitta, que tem diversos produtos capazes de agradar a qualquer tipo de paladar: Tradicional, Extraforte, Especial, Descafeinado e os cafés superiores da linha Regiões Brasileiras – Mogiana, Sul de Minas e Cerrado. Também estão na lista bebidas como cappuccino, mocaccino e macchiato.

“Essa iniciativa tem a intenção de levar o aconchego do café aos bons momentos literários proporcionados pela Flip. Afinal, não tem combinação melhor do que café e literatura”, destaca Ricardo Andrade, gerente de marketing da divisão de Cafés da Melitta.

A parceria da marca é com a Casa Folha, que fica na rua do Comércio nº 8, no Centro Histórico. As dez mesas literárias do espaço serão gratuitas e acontecerão de quinta (27/7) a domingo (30/7). Na programação, conversas com escritores, tradutores e personalidades, com mediação de profissionais do jornal.

melitta

Serviço
Espaço Melitta na Casa Folha
Endereço: Rua do Comércio nº 8 – Centro Histórico – Paraty (RJ)
Data: 26 a 30 de julho de 2017
Horário: de quinta-feira a sábado, das 9 às 23 horas; domingo, das 9 às 17 horas

Serviço de Informação Melitta 0800 140203

 

Produtos inspirados em Game of Thrones trazem o clima da série para casa

Faltam poucas horas para a estreia da nova temporada de Game of Thrones. Muita ansiedade envolvida. E para você que é totalmente apaixonado pela série, que tal decorar a casa se inspirando nos ambientes que aparecem nos vários reinos e continentes da trama?

Veja aqui uma seleção de produtos e projetos com inspiração em Game Of Thrones. São móveis e utilitários da Todos Arquitetura, Anastassiadis Arquitetos, Celina Dias, Riachuelo Moda Casa e Imaginarium. Confira:

Estúdio do Nômade projeto Todos Arquitetura para a Casa Cor SP 2017

todos.png

Mobiliário desenvolvido pela arquiteta Patricia Anastassiadis para a Artefacto

anasta

Produtos exclusivos Celina Dias

celina dias

Riachuelo Casa

riachuelo

Imaginarium

imaginarium

Prepare-se para o retorno da série mais amada da televisão

Se você é como eu, superfã de Game of Thrones e está naquela ansiedade, já que estamos na semana da estreia da mais que aguardada sétima temporada, que tal entrar no clima para receber de volta os personagens tão queridos?

Veja uma seleção especial de itens inspirados na série e nos livros. Entre os produtos em destaque estão canecas, roupas e games para os fãs entrarem no clima e se prepararem para os novos episódios da saga. Para acompanhar a série no estilo “winter is coming”, canecas e garrafas ‘mágicas’ mudam a estampa de acordo com a temperatura da bebida, já os casacos de moletom “The Lord” aquecem a estação.

Itens como cadernos, mochilas, livros, capinhas de celular, aparador de copos e jogos temáticos também fazem parte do especial. Confira alguns itens selecionados:

AMERICANAS.COM

winter is coming

Caneca Game Of Thrones – Winter Is Coming R$ 29,99

sansa

Boneco Funko Pop Game of Thrones Sansa Stark R$ 99,90

white walker

White Walker – Miniatura Game Of Thrones – Dark Horse R$ 173,90

almogada game

Almofada Game Of Thrones – Targaryen Vermelha R$ 40,00

body bebe

Body Bebê Game of Thrones Casa Baratheon R$ 52,99

SHOPTIME

almofada game

Almofada Game Of Thrones R$ 99,99

almofada danerys

Almofada Game of Thrones Danerys Face 45x45cm R$ 54,99

almofada winter

Almofada Game of Thrones Winter is Coming 45x45cm R$ 54,99

almofada winter2

Almofada Game of Thrones Stark Winter is Coming 45x45cm R$ 54,99

capa iphone

Capa para Iphone R$ 83,00

SUBMARINO

copo game

 

Caneca Térmica Para Carro Game Of Thrones Escudos R$ 59,90

caneca magica

Caneca Mágica Game Of Thrones Casas Iii R$ 54,90

 

caneca brasões
Kit 4 Canecas Game Of Thrones Brasões R$ 128,00

moletom game

Moletom Game Of Thrones The Lord R$ 99,90

livro game
Livro – Game of Thrones: Um Guia Pop-up de Westeros R$ 100,02

mochila game

Mochila Escolar Tilibra Game Of Thrones Luxo 140236 R$ 202,99

bluray game

Blu-Ray Game Of Thrones: 1ª a 6ª A. temporada Completa R$ 449,99

jogo porta copos
Jogo De Porta-Copos (Bolachas) Game Of Thrones (Got) R$ 59,00

porta celular torno
Porta Celular Guerra Dos Tronos Game Of Thrones R$ 29,90

caderno game

Caderno Espiral Capa Dura Universitário Game Of Thrones 96 Folhas – Tilibra R$ 19,90