Arquivo da tag: livro

Livro Flor de Sal apresenta releitura vegana e sem glúten de receitas clássicas

Autora faz parte da geração de jovens preocupados com uma alimentação saudável e consciente, e acredita que comer é um ato revolucionário

“Precisamos rever nossas escolhas, nos reconectar com a origem do que consumimos nos responsabilizar pelo impacto da sua trajetória e nos preocupar com o destino final de nossos produtos depois de utilizados. Comer é um ato político, social, histórico, geográfico, religioso, econômico e cultural e, portanto, revolucionário, sim (e muito)”

Foto de Iuri Poletti
Foto: Iuri Poletti

Idealizado por Gabi Mahamud, Flor de Sal é um verdadeiro achado para quem quer reproduzir receitas sem glúten e sem ingredientes de origem animal. A obra reúne mais de 60 sugestões que vão agradar tanto ao paladar tanto de veganos quanto de quem sofre de alguma alergia a glúten ou intolerância a ovos, leite e outros laticínios. Além disso, a autora deu preferência para ingredientes nacionais e acessíveis de forma a tornar as receitas fáceis de reproduzir por todos.

Com sugestões para todas as ocasiões, o segredo da Gabi é combinar sabor e memórias afetivas em pratos saudáveis (e algumas gordices também!). São tortas, massas, salgadinhos, doces, bolos, lanches e bebidas, além de versões vegetais de maionese, requeijão e queijo. Sempre com bom humor e simplicidade, o livro ainda traz dicas contra o desperdício e técnicas para trazer um toque contemporâneo à comidinha caseira.

Para encher o estômago e os olhos, cada capítulo é ilustrado com aquarelas desenvolvidas pela própria autora. Os leitores ainda contam com conteúdo digital que pode ser acessado por meio de QR Codes que indicam variações na receita ou mostram etapas do preparo através de imagens.

Gabi não é apenas uma ótima cozinheira, ela acredita que podemos ser agentes de transformação do mundo por meio da alimentação.

Sobre a autora

Gabi-Mahamud-Flor-de-Sal

Gabi Mahamud é arquiteta de formação, cozinheira por paixão e ativista por convicção. Quando criança, queria ser presidente e mudar o mundo; mais tarde, encontrou no urbanismo um jeito de melhorar a qualidade de vida das pessoas, mas ainda não era suficiente.

Foi na culinária que encontrou a sua vocação. Criou o blog Flor de Sal em 2016, onde compartilha receitas para uma alimentação natural e consciente, sem produtos de origem animal, preparadas com ingredientes locais e orgânicos. Dessa forma, ela ensina seus milhares de seguidores a combater o desperdício de alimentos e a ter mais consciência na hora de consumir.

A partir de então, muitas outras portas se abriram, inclusive as de um food truck cheio de boas intenções, o Good Truck. O projeto – apadrinhado pela renomada chef paranaense Manu Buffara – recolhe frutas, legumes e verduras que seriam descartados por fornecedores e prepara refeições saudáveis para pessoas carentes. Em agosto de 2017, Gabi foi convidada a apresentar o projeto no Unleash Lab, iniciativa da ONU voltada para o desenvolvimento de projetos na área da sustentabilidade, realizado em Copenhague, Dinamarca. Gabi também é membro do Global Shapers e do movimento Slow Food.

Capa_Flor de Sal.png

Título: Flor de Sal – O livro de receitas do blog para uma alimentação mais natural e consciente
Autor: Gabi Mahamud
Editora: Alaúde
Formato: 16 X 22 cm
Nº de Páginas: 144
Acabamento: brochura, miolo colorido
Preço: R$ 35,00

Anúncios

Quatro motivos para meditar no trabalho

A prática da meditação tem ganhado os escritórios do Brasil afora e quem já experimentou a técnica budista garante não largar mais, seja no ambiente de trabalho ou em casa. Os benefícios de incorporar a prática à rotina vão desde maior poder de concentração até aumento da criatividade.

Para quem deseja entender os efeitos da meditação ao cérebro, a Editora Alaúde acaba de lançar o livro “Cérebro e meditação”, obra que retrata os diálogos entre o monge francês Matthieu Ricard – considerado o homem mais feliz do mundo, segundo pesquisadores da Universidade de Wisconsin – e o neurocientista Wolf Singer, diretor do Instituto Max Planck de Pesquisa do Cérebro (Alemanha).

Singer é considerado um dos maiores especialistas mundiais no cérebro e autor de mais de 400 artigos científicos sobre neurociência. Veja abaixo a lista com motivos para iniciar a prática hoje.

Quatro motivos para meditar no trabalho

Aumenta o grau de concentração

neuromodulação cérebro

Relatório para terminar, reunião para acompanhar, projeto para desenvolver e concentração nula. A prática da meditação ajuda a se concentrar em um objetivo específico, criando um fluxo de atenção e aqueles que meditam podem manter a sua atenção durante períodos relativamente longos, conta o monge Mathieu Ricard.

Melhora o relacionamento interpessoal

mulher ocupada trabalho

Sabe aquela pessoa estourada, o famoso pavio curto? Os adeptos da prática budista desconhecem essas atitudes, isso porque eles desenvolvem o autoconhecimento e a meditação aumenta a sensibilidade em relação ao outro. Ainda de acordo com o estudo feito pelo Instituto Max-Planck (Alemanha), dirigido por Wolf Singer, os “burn-outs” são um resultado do desgaste emocional causado pela “fadiga da empatia”.

Aumenta a criatividade e produtividade

mulher trabalho

Checar o e-mail e WhatsApp a cada cinco minutos consome seu tempo, não?! A concentração alcançada durante a meditação vai aumentar não apenas a sua produtividade no escritório como também a criatividade, já que você não interromperá o processo criativo com facilidade. Ou seja, tudo terá sua hora certa para fazer.

Reduz a ansiedade

trabalho reunião equipe

A preocupação com o futuro e o próximo passo pode tornar a rotina no mínimo estressante, por isso a prática ajuda o indivíduo a se concentrar no hoje. Para Mathieu Ricard, “passamos um tempo considerável sendo vítimas de pensamentos insuportáveis, da ansiedade e da raiva (…) achamos mais fácil considerar que esse caos é “normal”, que a “natureza humana é assim”.

Sobre os autores

Matthieu Ricard é monge budista há mais de quarenta anos. Vive no Nepal, onde se dedica aos projetos humanitários da Associação Karuna-Shechen. É intérprete do dalai lama para o francês.

Wolf Singer é neurocientista, diretor emérito do Instituto de Pesquisas Cerebrais Max Planck e diretor fundador do Instituto de Estudos Avançados de Frankfurt (Alemanha).

cerebro e meditação.jpg

Cérebro e Meditação
Autores: Matthieu Ricard e Wolf Singer
Editora: Alaúde
Formato: 16 x 23 cm – brochura, orelhas, miolo P&B
Páginas: 352
Preço de capa: R$ 42,00

 

Salvar

Vegetariano há 25 anos, jornalista analisa a relação cruel entre humanos e animais

O jornalista Matthew Scully é vegetariano há 25 anos e no livro “Domínio”, que chega às livrarias este mês, pela Civilização Brasileira, narra algumas das lições que aprendeu ao longo desse tempo no que diz respeito às relações entre seres humanos e animais. Em mais de 500 páginas, e sob o subtítulo “O poder do ser humano, o sofrimento dos animais e um pedido de misericórdia”, o autor faz um apelo ao leitor ao explicar as razões pelas quais é preciso tratar os animais com mais consideração e sem crueldade.

Os argumentos de Scully são essencialmente morais – e ele defende que se perde um tanto da nossa humanidade ao não tratar os bichos com o devido respeito. Mas ele também recheia seu apelo com informações, dados e pesquisas. Para ilustrar seu discurso, ele descreve, por exemplo, o funcionamento dos “ranchos de safári”, locais onde animais são criados apenas para serem caçados – e onde paga-se muito dinheiro por essa “diversão”. Scully narra também o teor de uma das conferências anuais da Comissão Baleeira Internacional, cujo foco está em desenvolver métodos mais letais de obter “recursos marinhos vivos”.

Os trechos mais impressionantes, no entanto, são os que ele relata o cotidiano das fazendas industriais. Ali, os animais são tratados como meros produtos e podem passar a vida inteira em condições precárias de encarceramento, sem jamais chegar a ver a luz do sol ou ter contato com um ser humano. Tão assustadoras quando as descrições são algumas das declarações de administradores deste tipo de negócio, citadas pelo autor. Eles argumentam, inclusive, que os animais gostam do confinamento e que têm uma vida melhor do que se estivessem ao ar livre.

Scully cita ainda as pesquisas que detectaram emoções e temperamento em animais – como, por exemplo, as da celebrada pesquisadora Temple Grandin, cuja vida foi até transformada em minissérie – ; e as fazendas menores e orgânicas, que operam de forma mais humana em relação aos bichos.

Trechos

“Quando 250 mil pássaros estão espremidos num viveiro e incapazes até de esticar suas asas; quando mais de um milhão de porcos sobrevive em apenas uma área de chiqueiros, sem jamais pisar em algum lugar a céu aberto; quando a cada ano dez milhões de criaturas seguem para o abate sem ter contato com a menor demonstração de bondade humana – é tempo de repensar preceitos antigos e perguntar o que estamos fazendo e o que nos move.”

“Cerca de 80 milhões dos 95 milhões de porcos abatidos por ano nos Estados Unidos são da pecuária intensiva, segundo o Conselho Nacional de Produtores de Suínos. São criados em fazendas de confinamento em massa e em nenhum momento durante sua vida veem a terra de verdade ou o sol. Geneticamente modificados por máquinas, inseminados por máquinas, alimentados por máquinas, arrebanhados, monitorados, eletrocutados, golpeados, limpados, cortados e empacotados por máquinas – eles mesmos tratados como máquinas, do “nascimento ao bacon” –, essas criaturas, quando comidas, raramente foram tocadas por humanos.”

O autor

Matthew Scully é jornalista. Foi editor literário da National Review e colaborou para o New York Times, Wall Street Journal, Washington Post, Los Angeles Times, Atlantic Monthly, entre outros. Este é seu primeiro livro publicado no Brasil.

Scully

Domínio (Dominion)
Matthew Scully
Tradutora: Catharina Epprecht
Páginas: 546
Preço: R$ 79,90
Editora: Civilização Brasileira | Grupo Editorial Record

Legumes Vira-Latas: nabo, rabanete e acelga de uma maneira que você nunca viu

De vira-lata eles não têm nada. Nabo, rabanete e acelga de uma maneira que você nunca viu

Alguns legumes são desvalorizados e há quem torça o nariz para eles à mesa ou na feira. Para acabar com o estigma de vira-lata do nabo, rabanete, acelga, entre outros, a cozinheira britânica Anna Jones, autora do livro “Um jeito moderno de comer”, lançamento da Editora Alaúde, dá dicas para transformá-los em surpreendentes pratos.

livro moderno de comer

Confira abaixo as dicas para começar a incluir de uma nova maneira esses legumes na lista do supermercado.

Nabo

nabos pixabay
Pixabay

Vai bem com…
tomilho, alecrim, louro, alho, salsinha, agrião, cenouras, alho-poró, queijo cheddar, batatas, queijos azuis

– Na salada: se desejar uma salada original, corte o mininabo em fatias finas e tempere com limão siciliano e azeite.

– Na sopa: descasque e prepare uma sopa com ele, mais alho-poró, tomilho e louro, finalize com salsinha e gorgonzola.

– Assado: descasque e corte em pedaços iguais, asse com sal, pimenta-do-reino, azeite, alho e limão-siciliano por 45 minutos a 180 ˚C.

Picles: corte em fatias finas e deixe curtir com vinho branco, vinagre, sementes de erva-doce e um bom jato de mel.

*Dica: os nabos mais velhos precisam ser descascados, os mais novos podem ser comidos com casca e crus.

Acelga

acelga organic facts
Foto: Organic Facts

Vai bem com…
feijão branco, lentilha, massas, alho, tomilho, limão-siciliano, cominho, noz-moscada, vinagre, tahine, queijo parmesão

– Salteado: separe talos e folhas – salteie os talos com alho e azeite por 3 minutos, junte as folhas, tempere e sirva.

– Sopa: adicione a qualquer sopa, mais para o final do cozimento, como faria com o espinafre – os talos precisam de mais tempo do que as folhas.

– Apenas os talos: corte em pedaços de 8 cm de comprimento, branqueie por 4 minutos então tempere com 2 colheres (sopa) de tahine e suco de ½ limão-siciliano.

– Frituras: junte as folhas e talos branqueados com as sobras de purê e forme pequenos croquetes, fritando-os de ambos os lados – sirva com iogurte e limão-siciliano.

*Dica: Os talos e folhas precisam ser preparados separadamente, pois as folhas cozinham mais rapidamente

Rabanete

legumes

Vai bem com…
pão, manteiga, sal, tomilho, vinagre, gergelim, pimentadedo-de-moça, soja, sementes

– Salada: misture fatias finas de rabanetes, nabos e cenouras e tempere com limão-siciliano, endro ou cebolinha.

– Em um prato de primavera: acrescente alguns rabanetes cortados em quatro nos últimos minutos de cozimento de ervilhas, tempere com azeite e sirva com hortelã, sal e pimenta-do-reino.

– Com salada de repolho: misture-os a com uma salada de repolho, maçã e cenoura, finalize com limão e coentro.

– Utilizando as folhas: salteie as folhas com alho, sal e pimenta-do-reino e junte azeite de oliva para valorizar cada bocado.

*Dica: escolha os rabanetes menores. Eles serão mais adocicados.

Dia Mundial do Livro: livrarias oferecem descontos de até 70% nas lojas online

Saraiva, Livraria Cultura e Fnac oferecem cupons de descontos e promoções para o Dia Mundial do Livro

Hoje, dia 23 de abril, é comemorado o Dia Mundial do Livro. Para celebrar a data, livrarias e lojas online como Saraiva, Livraria Cultura e Fnac oferecem diversas promoções e brindes para os consumidores.

O Cuponomia, portal que reúne ofertas e cupons de desconto para compras no e-commerce, selecionou os principais descontos e códigos promocionais para economizar na data. De acordo com o site, no Dia Mundial do Livro, é possível encontrar livros e e-books até 70% mais baratos nas lojas online. Confira!

Livraria Cultura

A Livraria Cultura oferece um cupom exclusivo de 25% de desconto para compra de livros no site. A promoção será ativada através da aplicação do cupom na loja online, na opção de código promocional.

Fnac

A Fnac disponibiliza cupom de 30% de desconto para compra de livros, válido em todas as categorias do site.

Submarino

Em homenagem ao Dia Mundial do Livro, o Submarino oferece cupom de 20% de desconto na compra de livros. O frete é gratuito para o Sul e Sudeste nas compras acima de R$99 e para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste nas compras acima de R$139.

Saraiva

A loja online da Saraiva oferece, até o dia 23 de abril, descontos de até 70% nos livros, além de cupom com 20% de desconto extra para utilizar em livros nacionais, importados, e em boxes. Livros digitais também têm código promocional de 25% de desconto pelo site.

dia-mundial-do-livro_livros

Os cupons de desconto para o Dia Mundial do Livro estão disponíveis no site do Cuponomia. Os códigos promocionais estão sujeitos a expiração sem aviso prévio.

Fonte: Cuponomia

Autora do novo estudo da silhueta feminina faz lançamento e noite de autógrafos em SP

Obra possui conceito novo e exclusivo para vestir a silhueta feminina. Noite de autógrafos acontece na Casa do Saber, em São Paulo

Cris Bemvenutti, autora do livro “Enfim Vestida de Mim”, estará na Casa do Saber, em São Paulo, no dia 24 de abril, às 20 horas, para lançamento e noite de autógrafos. A obra, fruto de mais de quatro anos de trabalho, estuda as proporções femininas de uma nova forma: o conceito XHOVA-S8-P3. A técnica leva em conta a proporção de cada parte do corpo da mulher e também a constante busca do cérebro pelo equilíbrio visual.

Além de escritora, Cris Bemvenutti é bióloga e especialista em Anatomia de Imagem. Graduada pelo Institute of Image Consulting (Londres), ela é professora de Anatomia e Fisiologia, além de dar aulas de extensão universitária na área de imagem pessoal. Com mais de trinta anos de experiência na área, Cris já atendeu grandes empresas, como KPMG, O Boticário, Omint, TV Educativa e Patricia Bonaldi.

“Hoje encontramos diversas fórmulas prontas para vestir as mulheres, porém nenhuma delas leva em conta as correlações entre todas as dimensões do corpo e muito menos entendem como funciona a percepção de quem nos observa. Isso é fundamental para aprendermos a valorizar nossos pontos fortes e desconsiderar aquilo que não merece evidência em nosso corpo”, explica a autora.

Como funciona o conceito XHOVA-S8-P3

Apesar do nome parecer uma fórmula matemática, o modelo é mais simples do que parece. Depois de anos de estudo, Cris Bemvenutti encontrou na equação “autoconhecimento + entendimento sobre a percepção do cérebro humano” a fórmula ideal para a mulher recuperar o poder de se vestir com a sua melhor versão.

O termo XHOVA refere-se aos formatos de silhueta de acordo com as medidas horizontais (relação ombros, cintura e quadris). O S8 analisa a proporção vertical do corpo, levando em conta o tamanho da cabeça. Já o P3 analisa o perfil da mulher, trabalhando com o volume dos seios, abdômen e bumbum. “Acredito que o autoconhecimento é o princípio; o conhecimento técnico é o caminho; e a percepção é o veículo para o destino desejado: um resultado autêntico e exclusivamente seu!”.

O livro está à venda nas principais livrarias e e-commerces do país. Para saber mais, acesse.

vestida de mim.png

Enfim Vestida de Mim
Autora: Cris Bemvenutti
Páginas: 337
1ª edição
Editora: Ipsis
Valor: R$ 149,00

Sobre a noite de autógrafos
Dia: 24 de abril
Horário: 20 horas
Local: Casa do Saber
Endereço: R. Dr. Mario Ferraz, 414 – Jardim Paulistano, São Paulo
Inscrições gratuitas pelo site exclusivamente – Vagas limitadas e sujeitas à lotação do espaço.

Obra feminista-vegetariana relaciona consumo de carne com violência contra mulher

A política sexual da carne relaciona o consumo de carne e a matança de animais com a violência contra a mulher; Carol J. Adams aborda a semelhança entre o abuso de mulheres e a exploração dos animais em uma sociedade patriarcal

A Editora Alaúde lança a segunda edição, revista e ampliada, do best-seller A política sexual da carne, no qual a autora Carol J. Adams apresenta as estreitas ligações entre os movimentos sociais feministas e as práticas vegetarianas, temas que têm conquistado cada vez mais a atenção e o interesse do público em geral. Na obra, Carol mostra que, ao compreendermos a existência dos pontos de intersecção entre a forma com que as sociedades patriarcais tratam a mulher e os animais, perceberemos também que combater a violência praticada contra esses dois grupos é o único caminho para uma sociedade mais igualitária.

A nova edição traz um posfácio comemorativo do 25º aniversário de lançamento da obra com imagens de propagandas e outras ilustrações, muitas delas enviadas por antigos leitores da obra, que ajudam a sustentar a ideia defendida por Carol, à qual é impossível ficar indiferente!

O livro leva o leitor a avaliar situações comuns no dia a dia que mascaram certos preconceitos contra a mulher e contra o corpo feminino. Fazer associações entre a masculinidade e o consumo de carne e reforçar a tese de que verduras e legumes, considerados “sem graça”, seriam comida de mulher são, para Carol, formas clássicas utilizadas pela sociedade patriarcal para subjugar mulheres e animais.

Amparada por pesquisas de renomados estudiosos sobre o tema, entre eles a feminista e também vegetariana Agnes Ryan, a autora desenvolve ampla discussão sobre o que exatamente vem a ser a política sexual da carne. Segundo a estudiosa, trata-se de um comportamento que reúne todas e quaisquer atitudes que, direta ou indiretamente, animalizam mulheres e, ao mesmo tempo, sexualizam e efeminam os animais. Ainda de acordo com Carol, tal cultura também resulta na forma arrogante com a qual os homens costumam encarar sua necessidade de comer carne.

Para a autora, a dominância masculina é exatamente um dos pontos-chave das questões ligadas a um comportamento que estimula o culto à carne de forma geral. “Em todo o mundo, ser homem é algo que está ligado a identidades que os próprios homens reivindicam ou negam. Os questionamentos são diversos: como se comporta um homem ‘verdadeiro’? O que ele faz ou não? O que ele come? Há, por exemplo, um mito de que um homem ‘de verdade’ não come quiche. Não se trata de uma questão de privilégio; é uma questão de simbolismo. Em parte, a masculinidade é construída por uma cultura que incentiva o consumo de carne e pelo controle masculino em relação a outros corpos”, argumenta a autora.

Obra referência para a compreensão das influências da sociedade patriarcal no comportamento humano, A política sexual da carne instiga e provoca o leitor a refletir e a considerar que a relação entre a matança de animais e a violência contra a mulher estão mais intrinsecamente ligadas do que se imagina.

Sobre a autora

Carol J. Adams é ativista, autora também de The Pornography of Meat e Living Among Meat Eaters, inéditos no Brasil. Palestrante de renome nos Estados Unidos e na Europa, já foi convidada a falar em mais de cem universidades sobre a teoria crítica apresentada neste A política sexual da carne, em palestras atualizadas constantemente para incluir representações culturais contemporâneas.

capa a politica sexual da carne.jpg

Título: A política sexual da carne
Autor: Carol J. Adams
Editora: Alaúde
Formato: 14 x 21 cm
Nº de Páginas: 352
Acabamento: brochura
Preço: R$ 44,90

Luisa Mell lança “Como os Animais Salvaram a Minha Vida” hoje em SP

A ativista Luisa Mell lançará nesta segunda feira, 19 de março, o livro “ Como os Animais Salvaram a Minha Vida” . O livro relata, sem meias palavras, como os animais a tiraram de uma depressão profunda, sobre seu estilo de vida vegano, sua luta contra rodeios, vaquejadas, testes em animais, maus-tratos e abandono.

Luisa detalha como, ao ajudar os animais, se curou, se salvou e revela toda a sua verdade nesta obra – escrita por ela com todo seu coração, como tudo o que faz na vida.

“Esta é a história de uma mulher brasileira que, ao socorrer animais, foi sendo salva por eles”, escreve a cantora Rita Lee no prefácio.

Capa do Livro Luisa Mell.jpg

Serviço:
Dia: 19/03
Local: Livraria Saraiva do Shopping Pátio Paulista
Endereço: Rua Treze de Maio, 1947 – Loja 4011/4012 – Sala 2 – Bela Vista – São Paulo
Horário: 18 horas

Dia: 20/ 03
Local: Livraria Saraiva do New York City Center
Endereço: Av. das Américas, 5000 – Loja 103 – Piso térreo – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro
Horário: 18 horas

Salon Line lança o livro Deixa Enrolar – A história dos cachos e crespos no Brasil

Salon Line, presente no mercado de cosméticos há mais de 20 anos, lança o livro “Deixa Enrolar – A história dos cachos e crespos no Brasil”, em parceria com DBA Editora. O evento de lançamento aconteceu no dia 28 de fevereiro nomeado como Happy Hour Cultural Salon Line e contou com o pocket show de Tássia Reis, além de uma exibição especial de trechos do documentário “Fios de Alta Tensão”, produzido pela DGT Filmes e patrocinado pela marca.

Diferente do conteúdo já produzido pela Salon Line em seu site e redes sociais sobre melhores tratamentos para cada tipo de cabelo, o livro garante uma viagem no tempo que inicia nos anos 1940 até os dias atuais, resgatando os diferentes momentos da cultura, política, moda e beleza nacional e internacional que influenciaram o senso estético de cada geração no país.

Além da linha do tempo, o livro traz relatos emocionantes de mulheres em relação aos seus cabelos. As memórias não são somente de alegria, são lembranças tristes também, mas que garante aos leitores sorrisos sinceros ao acompanhar a estória e notar a construção da personalidade e a aceitação de cada entrevistada em torno do seu cabelo chegando à plenitude de se amarem do jeito que são.

deixa enrolar.jpg

Ao ler este livro, será possível reconhecer o secador antigo da avó, o penteado usado pela tia e ainda a volta de muitos estilos que fizeram e fazem a cabeça de muitas mulheres que admiramos. O livro é um encontro de amigas no salão de beleza em um sábado à tarde.

O livro está à venda no e-commerce da Salon Line por R$ 39,90. O documentário será exibido na íntegra nos principais festivais nacionais, chegando aos cinemas somente no início de 2019. O projeto da marca unificou beleza, cultura e relatos emocionantes de diferentes mulheres diante do seu próprio cabelo.

Sinopse Livro Deixa Enrolar – A história dos cachos e crespos no Brasil

Este livro conta a história dos cachos e crespos no Brasil. Dos anos 1940 até hoje, mostra como foi a evolução dos costumes e das técnicas: alisamento à quente e à frio, pente de ferro e chapinha, tintura permanente, Black Power, lisos e a volta dos crespos, conhecida como Transição Capilar. Mães que contam como cuidaram dos cabelos de suas filhas; a luta pela diversidade e pelo respeito. Enfim, histórias guardadas por muitos anos e só agora reveladas. Um livro que revela casos que nos fazem rir e chorar de emoção. Feito para você, que é linda até o último fio de cabelo.

Sinopse Curta Fios de Alta Tensão

O que o seu cabelo fala a seu respeito? Fomos para São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Belém e descobrimos histórias de resistência, conquista e superação. O cabelo revelando a diversidade étnica, etária, socioeconômica e de gênero dos brasileiros.

livro-salon-line-deixa-enrolar-a-historia-dos-cachos-e-crespos-no-brasil

Título: Deixa Enrolar – A história dos cachos e crespos no Brasil
Produção: Salon Line
Editora: DBA Editora
Ano: 2018
Especificações: Capa dura com sobrecapa | 152 páginas | Acabamento luxo
Peso: 985g
Dimensões: 23,5cm x 25 cm
Papel: Couchê 150g
Impressão: totalmente em cores (4/4)
Valor: R$ 39,90

Livro traz receitas simples e práticas de petiscos de boteco em versões veganas

A Editora Alaúde acaba de lançar o livro 50 Petiscos Veganos, da jornalista Katia Cardoso. Nele você encontra tudo o que precisa para montar um boteco vegano em casa. A obra reúne receitas de petiscos e comidinhas de bar, delícias que transformam qualquer encontro de amigos em um saboroso bate-papo.

Seja em um almoço descontraído aos fins de semana ou uma pausa na rotina em um bom happy hour nos botecos, os petiscos são uma paixão do brasileiro. E para agregar cada vez mais pessoas a esses momentos de confraternização com parentes e amigos, trazer opções veganas ao cardápio é uma ótima opção.

Pensando nisso, trouxemos duas receitas simples e práticas de petiscos veganos que podem deixar qualquer happy hour mais sofisticado e sustentável.

Caldinho de Abóbora com especiarias

Foto_Caldo_de_Abobora_Cesar Godoy Fotografia.png

Ingredientes
1 fio de azeite
1 talo pequeno de alho-poró
600g de abóbora japonesa, sem casca e sem sementes, cortada em pedaços
1 pedaço de gengibre, sem casca, de 5cm cortado em dois pedaços
Sal a gosto
½ colher (chá) de curry
2 anises-estrelados
1 xícara de caldo de legumes caseiro
¼ de xícara de leite de coco caseiro

Mode de preparo
Numa panela de pressão, leve ao fogo o azeite e refogue o alho-poró até ficar transparente. Junte a abóbora e mexa bem. Adicione os demais ingredientes, exceto o leite de coco. Tampe a panela e cozinhe por 15 minutos após o início da pressão. Retire do fogo e deixe a panela esfriar para abri-la. Retire os anises e descarte-os (se quiser, descarte também o gengibre para um sabor menos intenso). Ponha no liquidificador e bata bem. Transfira para uma panela e leve ao fogo por mais 5 minutos. Acrescente o leite de coco, mexa bem e deixe por mais 2 minutos para aquecer mais. Sirva decorados com um anis-estrelado.

Tempo de preparo – 25 Minutos | Rende – 6 porções

Croquete de lentilha vermelha

croquete-lentilha1_Cesar Godoy Fotografia.png

Ingredientes
2 xícaras de lentilha vermelha demolhada e cozida
1 xícara de tofu marinado
¼ de xícara de farinha de arroz
3 colheres (sopa) de azeite
Sal, pimenta vermelha e noz-moscada a gosto
Farinha de rosca a gosto para empanar

Modo de preparo
Bata no processador todos os ingredientes, exceto a farinha de rosca. Molde croquetes e passe-os ligeiramente na água. Depois, passe na farinha de rosca.
Preaqueça o forno a 180 °C e ponha os croquetes em uma assadeira forrada com papel-alumínio ligeiramente untado com azeite. Asse por 25 minutos ou até dourarem. Sirva quente.

Tempo de preparo – 40 Minutos | Rende – 14 unidades

Sobre a autora

Vegana por convicção, Katia Cardoso é uma apaixonada pela boa comida e por criar receitas sem nenhum produto de origem animal. Sempre atenta ao que consome, Katia procura elaborar suas receitas com ingredientes orgânicos e não refinados, sempre o mais saudável possível. Jornalista com mais de 20 anos de experiência, é editora de culinária e foi responsável pela edição e produção das revistas Claudia Cozinha, Delícias da Calu e Máxima, na Editora Abril, e Ana Maria, na Editora Caras.

Capa 50 petiscos veganos - alta

Título: 50 Petiscos Veganos
Editora: Alaúde
Autora: Katia Cardoso
Páginas: 136
Formato: 16 x 21 cm – brochura com orelha, miolo colorido
Preço: R$ 29,90