Arquivo da tag: peixe

Páscoa e vinhos: uma combinação perfeita

Saiba como harmonizar pratos típicos do feriado com vinhos selecionados

Páscoa é um dos feriados favoritos do ano para reunir a família em torno de uma bela mesa para o almoço. Os pratos típicos a base de frutos do mar e o celebrado chocolate pedem bons vinhos para a harmonização perfeita durante a refeição. Cada vez mais difundidos no Brasil, os vinhos passaram a fazer parte das mais variadas comemorações.

A mais famosa e aclamada opção na mesa dos brasileiros durante a Páscoa é o Bacalhau à Gomes de Sá, versão da receita onde o peixe é acompanhado por batatas, ovos e azeitonas. A harmonização perfeita para o prato é um vinho branco, seco e com boa acidez.

Verão_ Vinho branco

Uma excelente escolha é o Pionero Mundi, rótulo espanhol da vinícola Viña Almirante, feito com a emblemática uva Albariño tradicional da região Rías Baixas. “O Pionero Mundi traz complexidade nos aromas e no paladar, e isso é o resultado do contato das cascas da uva com o líquido”, explica Nicole Negrão Gomes, sommelière da Garage Vinhos, loja conceito da Bodegas Wine na cidade de Curitiba.

vinho taça rose.jpg

O Risoto de Camarão é um dos principais acompanhamentos escolhidos para compor a mesa durante o almoço do feriado. A receita prática e saborosa harmoniza muito bem com vinhos brancos e rosé. “O BIS Rosé, rótulo da vinícola portuguesa Encostas de Estremoz, é leve, frutado e com um bom final e acompanha perfeitamente um risoto de camarão, bem como saladas e mariscos”, complementa a especialista.

vinho tinto

Como não poderia faltar, a troca de chocolates é o momento mais aguardado da Páscoa e muito se engana quem acha que bons vinhos não fazem parte desse momento. Para Nicole, o Insensato, vinho tinto da Bodegas D. Mateos, harmoniza perfeitamente com chocolates amargos. “O rótulo é saboroso, com taninos macios, frutado e elegante. Além disso, ele harmoniza muito bem com um mix de queijos curados”, completa a especialista.

Fonte: Garage Vinhos

Little Tokyo traz tendências da cozinha japonesa para São Caetano do Sul

Restaurante localizado no ParkShoppingSãoCaetano reformula menu e apresenta pratos com proposta fusion, além de opções vegetarianas

O Little Tokyo traz uma proposta contemporânea de gastronomia japonesa em seu novo menu, já disponível na unidade do ParkShoppingSãoCaetano, em São Caetano do Sul. Inspirado pela cultura de Tóquio e mesclando técnicas orientais e ocidentais, o cardápio revela ingredientes sofisticados, frescos e cheios de novos sabores.

Entre as principais novidades estão o arroz crocante com tartar de salmão e azeite trufado; uramaki de camarão a milanesa e maionese spicy, e o tempurá de folha de shissô, uma erva aromática usada na China e Japão, com tartar de salmão ou atum.

O novo menu conta também com pratos vegetarianos para atender cada vez mais os clientes que não abrem mão da gastronomia japonesa, mas não comem peixes ou carnes. Entre as opções está o domburi vegetariano de moyashi e cogumelo shitake e o uramaki vegetariano, composto por uma fina fatia de avocado, arroz gohan e recheado com shimeji, farinha panko e cream cheese, entre outros pratos, entradas e acompanhamentos.

“Chegamos nesse cardápio para atender com mais qualidade e opções os nossos clientes. O Little Tokyo trabalha apenas no sistema a la carte e traz ingredientes de primeira linha, peixes frescos, muito sabor e opções com valores acessíveis”, conta Chen Rue sócio-proprietário do restaurante. A inspiração da cozinha fusion vem de grandes mestres, como o chef japonês Nobuyuki Matsuhisa, e de pesquisas por restaurantes ao redor do mundo.

Festivais Little Tokyo

www.tbfoto.com.br
LITTLE TOKYO - SP/SP - 16/10/2018
Foto: Tadeuwww.tbfoto.com.br
LITTLE TOKYO - SP/SP - 16/10/2018
Foto: Tadeuwww.tbfoto.com.br
LITTLE TOKYO - SP/SP - 26/03/2018
Foto: Tadeu

Além dos diversos pratos disponíveis, o Little Tokyo oferece três opções de festivais: Individual, Completo e Especial – esse último serve duas pessoas. Na escolha de um dos festivais, o cliente consome os principais pratos da casa, algumas novidades do cardápio, além dos tradicionais shimeji, sushis e temakis. As opções dentro de cada festival são variadas, fartas e servem como ótima opção para quem quer comer muito bem, com variedade e ótimo preço.

Bebidas e Sobremesas

www.tbfoto.com.br
LITTLE TOKYO - SP/SP - 18/10/2018
Foto: Tadeu
O cardápio de bebidas do Little Tokyo é amplo. Os clientes podem escolher entre água, refrigerantes, sucos e o chá verde gelado aromatizado com essências e também frutas frescas, destaque na categoria sem álcool. Cervejas, caipirinhas de frutas com vodka ou saquê (nacionais e importados), ou cachaça, além de doses de diversas variedades de bebidas. Para os clientes que não abrem mão de um doce após a refeição, o restaurante conta com deliciosas sobremesas: o Volcano, Petit Gateau, Harumaki de Nutella e sorvetes completam o cardápio da casa.

Little Tokyo – ParkShoppingSãoCaetano – Alameda Terracota, 545, 1002, 1002 / 1002A / 1003 – Cerâmica, São Caetano do Sul – Horário de funcionamento: de segundas a sexta-feira: almoço das 12h às 15h / jantar 18h às 22h30. Sábados e feriados – das 12h às 23h. Domingo – das 12h às 21h30

Confira receita de tilápia no cartucho

A chef Ana Spengler, da Smart, desenvolveu um prato especial e de fácil preparo: Tilápia no cartucho. Além de prática, a receita é extremamente saudável e saborosa, ideal para quem precisa de uma refeição leve e proteica.

Tilápia no cartucho

Ingredientes
– 1 filet de tilápia
– 4 tomates cereja
– 1/2 talo de alho poró
– 1 batata salsa
– azeite
– Tempero para Frutos do Mar Smart
– Sal Marinho Smart

Preparo
Temperar o peixe com tempero para Frutos do Mar Smart e reservar por 15 minutos. Descascar a batata e cortar em cubos. Temperar a batata com o Sal Marinho e cozinhar em água, deixando ao dente. Em uma folha de papel manteiga, coloque as batatas, o alho poró cortado em rodelas e o peixe. Sobre o peixe, coloque os tomatinhos e regue com um fio de azeite. Dobre o papel formando um cartucho e leve ao forno preaquecido em 180°C por 25 minutos. Sirva o cartucho no prato e abra na hora do consumo.

tilapianocartucho.png

Sugestão: servir com limão.

Porção: 1 pessoa.

Fonte: Smart Alimentos

 

Taj Bar apresenta novo menu aos amantes da culinária japonesa

Taj Bar Curitiba apresenta um novo cardápio de sushi com elementos para deixar o menu ainda melhor. A casa é muito conhecida por sua inspiração na gastronomia asiática e trará muitas novidades este ano.

O chef Edson Suzuki trabalhou elementos sofisticados para o novo menu do Taj, criado com base em um estudo da população curitibana. Vieiras, azeite e salsa trufada, derivados das trufas negras são alguns dos novos ingredientes utilizados para incrementar os pratos e deixá-los mais aromáticos.

São diversas opções como carpaccio de polvo, feito com fatias finas de polvo com molho de azeitonas negras, tomate seco, azeite de oliva, limão siciliano, pangrattato e flor de sal; e o Asama Masago, composto por fatias de salmão recheado com camarão, kanikama e cream cheese, finalizado com salsa tartufada, ovas de masago e cebolete. O chef Suzuki ainda apresenta o Niguiri Especial do Chef, um combinado com seis tipos de sushi (Niguiri de Unagui, Vieira Masago, St. Peter Lemon, Tako Olivo e Truffle Tamago).

taj1taj2taj3taj4taj5taj6

O cardápio de pratos quentes também ganhou atualizações. De acordo com o chef Bruno Heller Mylla, a atualização do menu tem como principal objetivo dar ênfase às técnicas, montagem e roupagem contemporânea, além de permanecer com a influência asiática, agregando novas culturas. Dumplings tostados de carne de porco com molho ponzu, o Steak Truffled Risotto (um risoto de cubos de mignon com mix de cogumelos ao perfume de azeite de trufas) e Pistachio Crème Brûleé são alguns dos novos e saborosos pratos ofertados pela casa.

Taj Bar – Rua Bispo Dom José, 2302, Batel – Curitiba-Paraná. Aberto todos os dias, das 17h30 às 02h

Coqueiro entra no segmento gourmet com filés de sardinha e atum

Desde outubro, os consumidores de Coqueiro encontram novidades nas gôndolas. A marca ampliou o portfólio no segmento gourmet, e apresenta quatro novas variedades: filé de sardinha com azeite, filé de sardinha com azeitonas verdes, filé de atum em azeite extravirgem, e filé de atum em azeite com alcaparras.

Com produção artesanal a linha aposta no azeite para enriquecer ainda mais o sabor dos filés, e traz inovação ao mercado com as versões de alcaparras (filé de atum) e azeitonas verdes (filé de sardinha). Ricos em ômega 3, vitamina D e fonte de proteínas, os filés de sardinha não possuem pele nem espinhas e os de atum vêm de um corte especial do lombo.

O processo de produção, assim como em todos os outros produtos da marca, garante segurança alimentar por meio de cocção em altas temperaturas. Com isso, tanto o atum, quanto a sardinha conservam seus nutrientes e apresentam maior durabilidade sem a necessidade de conservantes.

Preços sugeridos:

File_de_atum_com_Azeite_Coqueiro_125gFile_de_Sardinha_com_Azeite_azeitona verde

Filés de Sardinha (125g) – R$ 6,90

File_de_Sardinha_com_Azeite_Coqueiro_125g (3)File_de_atum_com_Azeite_alcaparras Coqueiro_125g (4)

Filés de Atum (125g) – R$ 9,70

Informações: Coqueiro

Salmão é o peixe queridinho dos brasileiros, aponta pesquisa

Mas, apesar dos índices positivos, o consumo de pescados no país ainda está longe do ideal para a saúde

De iguaria sofisticada à uma opção de proteína saudável recorrente no prato de quem aprecia um bom peixe, o salmão ganhou notoriedade nas ultimas décadas e deixou de ser uma exclusividade dos restaurantes japoneses. Já é possível encontrá-lo facilmente em qualquer buffet a quilo ou, até mesmo, na mesa de quem arrisca uma receita com o ingrediente.

Sua popularidade no Brasil pode ser atribuída a vários fatores, afinal, existem diversas formas de preparo, das mais difíceis às mais fáceis, inclusive aquelas em que o peixe é apreciado fresco, sem cozimento. Além disso, seu sabor agrada, até mesmo, os paladares mais exigentes, e ainda há todos os seus benefícios nutricionais.

Com tantas qualidades fica difícil resistir não é mesmo? É por isso que o salmão lidera a preferência, quando se trata de pescados. Segundo um estudo exclusivo, realizado pela Banca do Ramon, um dos empórios mais tradicionais do Mercado Municipal de São Paulo, o nobre peixe sai na frente dos nacionais e vem conquistando cada vez mais espaço no cardápio brasileiro. No entanto, mesmo diante da demanda crescente por pescados, o consumo ainda está muito abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 12 quilos por ano.

Índices animadores

salmão

O levantamento “Do essencial ao Gourmet”, que ouviu 1.360 pessoas de todas as regiões do país a fim de obter uma perspectiva da relação dos brasileiros com a alimentação e seus hábitos de consumo, constatou que apenas 12% dos consumidores excluem essa proteína da dieta. De acordo com a pesquisa, o consumo de pescados está em alta: boa parte dos entrevistados costuma comer peixe até duas vezes por mês, enquanto 31% consome de três a quatro vezes e 16% o faz acima de cinco vezes no mesmo período.

Os dados revelam ainda que o peixe mais consumido é o salmão, que lidera o ranking com 53,5% de preferência. O nobre atum vem logo atrás, em segundo lugar (23,2%) e ganha da popular sardinha (17,5%); e a cavalinha ocupa a última posição, apontada por apenas 5,8% dos entrevistados como o peixe consumido com mais frequência.

Mercado brasileiro

salmao assado

Embora o Brasil possua um alto potencial de produção, o consumo ainda está abaixo da média recomendada para a saúde, estipulada em 12kg ao ano pela OMS. De acordo com dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO/ONU), o consumo brasileiro é inferior a 10kg/hab/ano, enquanto a média mundial gira em torno de 20kg per capita anualmente.

Isso se deve, em partes, à produção nacional que, apesar do bom desempenho, ainda não consegue atender toda a demanda. Por isso, o país exporta cerca de US$1,3 milhões em peixes todo os anos, principalmente de países como Chile, Argentina e China. Entre as variedades estão o panga vietnã, a merluza, o polaka do Alasca e o salmão, que vem especialmente de nossos vizinhos chilenos.

Além disso, embora o mercado nacional venha atingindo números expressivos, as vendas ainda enfrentam momentos de pico. A Semana Santa é a melhor época para o setor e representa 30% do total de vendas do ano, seguida pelo Natal, que chega a somar até 15%.

Geração saúde

salmao

Segundo a nutricionista Juliana Tomandl, o salmão é considerado um dos peixes mais benéficos à saúde e sua popularização se deve, especialmente, a esse motivo: “É claro que o crescimento da cadeia produtiva e a ampla divulgação contribuíram para o brasileiro ter mais acesso à proteína. Mas, atualmente, as pessoas estão mais conscientes em relação aos produtos ingeridos e procuram opções de boa qualidade. É aí que o peixe se destaca, pois, entre as proteínas animais, ele sai na frente, como um alimento extremamente saudável e nutritivo” – explica a consultora da Banca do Ramon.

Para a especialista o aumento da longevidade trouxe uma preocupação maior com a saúde e levantou o debate sobre consumo consciente, culminando em uma geração que deseja mais qualidade de vida, aliando os benefícios nutricionais e o sabor, e, nesse quesito, o salmão cumpre bem o seu papel. Tomandl explica que, além da proteína, a carne do salmão é rica em ômega 3, um ácidos graxo poli-insaturado que garante o funcionamento adequado do nosso organismo.

“Trata-se de uma gordura essencial, ou seja, não é produzida pelo nosso organismo, por isso ela precisa ser fornecida ao corpo através da alimentação para garantir o funcionamento de dois órgãos extremamente importantes do corpo humano: o coração e o cérebro. Ele combate o colesterol ruim, é anti-inflamatório, atua na manutenção das membranas celulares e do sistema nervoso central. E ainda contribui com a redução de triglicérides e o aumento do colesterol bom (HDL). Mas não para por aí, pois a carne do peixe ainda contém vitaminas A, D, E e do complexo B, magnésio e ferro” – afirma a nutricionista.

Origem e qualidade

Poucas pessoas sabem, mas o queridinho dos mares é originário, na verdade, de água doce. O salmão nasce nas cabeceiras dos rios e permanece por lá durante seus primeiros 18 meses de vida, enquanto completa seu ciclo juvenil. Durante esse período o metabolismo do peixe sofre alterações que modificam sua aparência e o tornam capaz de viver em alto mar. Além disso, ele memoriza os odores do lugar onde nasceu. Já no oceano o salmão termina seu desenvolvimento e passa a maior parte da vida adulta, regressando para seu local de nascimento nos períodos de procriação para a desova.

A composição do salmão, assim como suas propriedades nutricionais, é determinada de acordo com sua alimentação quando adulto. Ele vive em águas profundas e gélidas do oceano atlântico e pacífico e sua dieta consiste em pequenos peixes, crustáceos e algas. No entanto, mais da metade do consumo mundial do peixe procede de fazendas subaquáticas e as principais zonas de produção são: norte da Europa, Canadá, Chile, e Estados Unidos.

Salmão_queridinho_Brasileiros

De acordo com a nutricionista aquele ditado “você é o que você come” é ideal para definir o peixe: “todos os nutrientes, inclusive o ômega 3 e sua famosa cor rosada, são obtidos através da sua alimentação no habitat natural. O salmão criado em cativeiro, consequentemente, não tem a mesma composição corporal do animal selvagem, mas isso não significa que a qualidade seja inferior. As rações utilizadas na salmonicultura são muito boas e possibilitam que o peixe sintetize os nutrientes necessários” – explica a especialista.

Além disso, a popularização do salmão aconteceu graças ao aumento da criação do peixe em cativeiro, que aumentou a oferta e diminuiu os custos, ajudando a preservar os estoques naturais de salmão para que o peixe não entre em extinção.

Fonte: Banca do Ramon

Sirène Fish & Chips chega em São Paulo

Ambiente jovem, cardápio enxuto e clima de praia resumem o Sirène, bar nascido e criado em Curitiba (PR). A marca, que significa “sereia” em francês, é referência em streetfood, segmento líder no mercado de entretenimento da cidade. Dois anos depois da inauguração da primeira unidade, na Rua Trajano Reis, o Sirène já conta com três unidades em Curitiba, e agora está explorando novos horizontes Brasil afora. Em julho, o Sirène abriu sua primeira franquia em São Paulo, capital.

Fábio Arazaki, responsável pela unidade de São Paulo, foi cativado pela temática. “Na primeira vez que ouvi falar do bar, precisei ir ao local para experimentar. Depois de pedir o primeiro Fish & Chips com chope, não consegui mais parar”, conta. O empresário é nascido em Londrina, no interior do Paraná, e nunca trabalhou com gastronomia, mas aposta na força e no formato. “Sempre quis me arriscar no mercado paulista e acredito que a aceitação do público em São Paulo será tão boa quanto em Curitiba”, torce o dono da primeira franquia Sirène da Avenida Paulista, coração da cidade.

No cardápio, chopes artesanais e o prato inglês carro-chefe da casa, o cone de Fish & Chips. “Não é um Fish & Chips qualquer, é o melhor que você vai comer na sua vida!”, conta Afonso, um dos sócios criadores da marca. O local serve a porção para comer “de pé”, deixando o cliente livre para curtir a noite com os amigos sem ficar preso a uma mesa. O cone tem dois tamanhos para saciar a fome ou a vontade, e também pode ser escolhida com apenas uma opção, só fish ou só chips. Para acompanhar, são duas opções de molho, maionese da casa ou tártaro. Além do atrativo gastronômico, o Sirène tem a marca própria de vestuário e acessórios.

Fish & Chips Sirène.jpg

Como surgiu o melhor Fish & Chips 

Unidos pela direção das unidades da marca e pela amizade de longa data – Afonso Neto, Raphael Umbelino e Alexandre Lopes se conheceram na infância, enquanto que Lucas Muller e Afonso se identificaram na faculdade –, os sócios abriram o negócio depois de muito planejamento, enquanto ainda se mantinham com outras profissões. “Analisamos a tendência do movimento do street food em Curitiba e notamos uma oportunidade. Quisemos inovar ao trazer o Fish & Chips para seu lugar original, a rua, pensando que este prato chegou ao Brasil em um formato mais gourmet”, explica Raphael.

Inspirado em um pub belga que serve o mesmo prato, o Sirène acabou sendo assim nomeado para referenciar o estabelecimento europeu e a personalidade dos sócios, amantes da natureza e do surf. “Estamos cada vez mais buscando profissionalizar para que possamos crescer muito e com qualidade, pensando sempre nos nossos clientes”, declara Alexandre.

E o crescimento não foi mera coincidência. “Muitos clientes perguntavam o que deveriam fazer para investir na marca”, explica Afonso, surpreso com a recepção do público empreendedor. Segundo ele foi necessário um ano inteiro de estudos para montar o sistema de franquias, agora disponível em três formatos: Express, Pocket e Standard, todos com um prazo de retorno de investimento em 12 e 24 meses. “Quando vimos que a marca tinha potencial, contratamos uma empresa de SP para nos ajudar a montar um modelo de franquia. No primeiro mês que anunciamos já foram vendidas três unidades”, revela, orgulhoso.

sirene.jpg

Sirène Paulista – Av. Paulista, 575 – Bela Vista – São Paulo (SP). Horário de atendimento: segunda a sábado: das 11h às 23h. Domingos: das 12 às 19 horas

Festival da Tainha na Ceagesp agita a capital em agosto

Pelo terceiro ano consecutivo, a Ceagesp é o palco de mais um Festival da Tainha. Durante todos os finais de semana do mês de agosto, o paulistano tem a oportunidade de se deliciar com a tradicional tainha na brasa, estrela dos grandes festivais que acontecem nessa época do ano em vários pontos do litoral brasileiro.

Nesta edição, o Festival conta novamente com a participação especial de Noé, 68, pescador e cozinheiro especializado, e sua equipe, vindos diretamente de Imbé-Tramandaí (RS).

A tainha é um peixe muito conhecido e uma ótima fonte de proteínas, vitamina B12 e fósforo. Também é uma forte aliada na prevenção de doenças cardiovasculares, devido à alta concentração do ômega 3.

Na Ceagesp são comercializadas 750 toneladas mensais do pescado, movimentando R$ 4,5 milhões. Nesta edição do festival os organizadores esperam vender 6 toneladas de tainha na brasa.

Por ser muito comum nessa época do ano, o peixe torna-se o centro das atenções atraindo milhares de fãs do prato. Por R$ 59,90, é servida a tainha na brasa preparada à moda de Tramandaí com acompanhamentos servindo generosamente duas pessoas.

Tendas venderão complementos como batata frita e porções de iscas, camarão, pastel, além de sobremesas e bebidas.

A festa também tem seu caráter social, pois parte da renda obtida será revertida à Associação Nossa Turma, entidade que atende crianças e adolescentes das comunidades ao redor da Ceagesp.

tainha

Festival da Tainha na Ceagesp
Finais de semana do mês de agosto 
Sábados, das 12h às 21h e aos domingos, das 12h às 18h.
Entrada pelo portão 15 da Rua Xavier Kraus (entrada exclusiva)
Entrada franca e estacionamento com taxa única de R$ 10,00.

Aproveite a época de liquidações para renovar os acessórios

Várias marcas estão fazendo liquidação, uma ótima chance de renovar acessórios como sapatos, botas, sandálias, scarpins e bolsas, por exemplo.  Confira algumas sugestões abaixo.

Shoestock

A marca preparou uma seleção de produtos com descontos de até 50%. O destaque fica por conta de peças como a Bota Couro Montaria, um modelo clássico de inverno, de R$ 499,99 por R$ 299,99. Para as mais práticas, a Bolsa Shoestock Backpack Emy apresenta design minimalista, e de R$ 249,99 sai por R$ 129,99. Outro must-have é o Scarpin Couro Shoestock Salto Alto, que sugere um charme atual aos looks femininos e fica de R$ 229,99 por R$ 99,99. Os preços especiais ficam até o final de julho, ou até durarem os estoques. A seleção de produtos especiais está disponível tanto na loja física, quanto no e-commerce da marca, com entregas para todo o Brasil.

 

Arezzo

As lojas Arezzo de todo o Brasil contam com descontos progressivos em peças selecionadas da coleção de Inverno 2018. São botas, mules, sapatilhas e bolsas entre os itens da liquidação, sendo que 1 par: 30% de desconto; 2 pares com 40%; 3 pares com 50%; e bolsas com 30%.

 

Bléque: peças com até 50% de desconto

Bléque, marca de acessórios que aposta na utilização de matérias-primas renováveis, está com peças da coleção inverno 18 com até 50% de desconto. No mix de calçados em promoção, são botas, scarpins, loafers, sandálias e tênis, com opções de cores em todos os modelos. As bolsas também entram em liquidação, como por exemplo, a Bolsa Iolanda, com 50% off, nas cores: Branca, Mascavo (caramelo) ou Melão (amarelo). A liquidação ocorre no e-commerce da marca até dia 29 de julho.

Mitos e verdades sobre o ômega 3

Todos os peixes são ricos em ômega 3? Gestantes precisam incluí-lo na dieta? A alimentação consegue suprir as necessidades do nutriente? Confira as respostas para essas e outras dúvidas

Quando se fala em gordura, é comum associá-la a algo negativo, como a gordura corporal, problemas no coração e obesidade. Aliás, gordura é um nome genérico usado em referência aos lipídeos, nutrientes essenciais para manutenção do bom funcionamento do organismo, devendo fazer parte do cardápio.

Por isso, vale conhecer os tipos de gordura e escolher as mais benéficas. Os ácidos graxos poli-insaturados da série ômega 3, por exemplo, auxiliam na saúde do coração, além de serem importantes durante a gravidez.

A gerente nutricionista do Núcleo Médico Científico do Aché Laboratórios Farmacêuticos, Anna Lacerda, esclarece os principais benefícios dessa “gordura do bem” e explica alguns mitos sobre o nutriente, ajudando a compreender a importância de inseri-lo na dieta alimentar.

Existe mais de um tipo de ômega 3?

Verdade: os principais representantes do ômega 3 são: ácido docosahexaenoico (DHA), ácido eicosapentaenoico (EPA) e ácido alfa-linolênico (ALA).

Todos os peixes são ricos em ômega 3?

salmão selvagem do pacífico - pixabay
Pixabay

Mito: a concentração de ômega 3 varia de acordo com a temperatura da água onde os peixes marinhos habitam. Aqueles que vivem em ambientes frios tendem a acumular mais gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, principalmente ômega 3, como o arenque, a sardinha, o salmão e o atum, entre outros.

O organismo humano não consegue produzir ômega 3?

Verdade: necessários em determinados processos biológicos, os ácidos graxos da série Ômega 3 devem ser adquiridos por meio da dieta alimentar, uma vez que os seres humanos não são capazes de produzi-los. Aliás, eles são denominados essenciais justamente por isso.

O único benefício do ômega 3 é a saúde cardiovascular?

eletrocardiograma saude coração pixabay

Mito: o principal benefício desse ácido graxo está relacionado ao coração, atuando na redução de triglicerídeos. Porém, por conter EPA e DHA, ele também está associado à melhora da sensibilidade à insulina e risco de diabetes tipo 2; ajuda no tratamento da depressão, aumentando a produção de serotonina, dopamina e noradrenalina; e ameniza os sintomas da artrite reumatoide, bloqueando as enzimas responsáveis pela inflamação.

Gestantes precisam incluir o ômega 3 na dieta?

Verdade: além de contribuir na redução do risco de nascimento de crianças prematuras e abaixo do peso, o ácido graxo participa na formação de neurônios, no crescimento e desenvolvimento do cérebro e no fortalecimento da retina dos bebês. Isso ocorre graças ao DHA, um dos representantes da série ômega 3.

A alimentação consegue suprir as necessidades de ômega 3?

mulher comendo peixe.jpg

Mito: o consumo de peixes pela população brasileira é baixo, atingindo em média, cerca de 9 kg/habitante/ano, sendo que a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura e a Organização Mundial da Saúde recomendam 12 kg/habitante/ano. Além disso, nem todos os peixes contêm as mesmas quantidades de ômega 3: de acordo com um estudo publicado pelos Arquivos Brasileiros de Cardiologia, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, os peixes brasileiros e o salmão de cativeiro apresentam baixos teores dessa gordura. Portanto, a suplementação torna-se necessária para atingir os níveis ideais de ômega 3 no organismo, aproveitando todos os seus benefícios para a saúde. Vale destacar que especialistas recomendam o consumo de até 1 g de ômega 3 ao dia.

Todas as suplementações de ômega 3 são iguais?

Mito: a concentração adequada de ômega 3 (DHA e EPA) nos suplementos é importante para que se consuma a quantidade ideal do nutriente. No entanto, como a concentração nos suplementos disponíveis no mercado brasileiro varia, é preciso estar atento à quantidade de DHA e EPA na formulação de uma única cápsula. Por isso, não deixe de ler as informações nas embalagens e lembre-se de que é preciso tomar a suplementação diariamente.

Suplementações

Proepa Uni é um nutracêutico com 90% de ômega 3 concentrado EPA (500 mg) e DHA (400 mg) em apenas uma cápsula gelatinosa ao dia, auxiliando na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos.

proepa uni

Já Proepa Gesta possui concentração de DHA de 250 mg atendendo a recomendação do nutriente para as gestantes. Sua administração é recomendada também durante a amamentação, já que o nutriente será ingerido pelo bebê por meio do leite, e para mulheres que planejam engravidar, para que possam ter reservas adequadas do nutriente.

O consumo de ácidos graxos ômega 3 auxilia na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos, desde que associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Fonte: Aché