Arquivo da tag: pets

Evento de adoção de cães e gatos em São Caetano do Sul (SP)

Amanhã, dia 11 de agosto, a Cobasi em parceria com a ONG Opam irá realizar um evento de adoção de cães e gatos nas dependências da loja localizada na Alameda Caulim, 125, Bairro Cerâmica, São Caetano do Sul.

O evento acontece das 13 às 19 horas e para adotar um dos animais é necessário ser maior de 18 anos, portar o documento de identidade, ler e assinar o termo de adoção. Todos os animais disponíveis para adoção estão castrados, vacinados e vermifugados.

Este evento acontecerá dois sábados por mês, no mesmo horário por tempo indeterminado. A ação faz parte das medidas de incentivo a adoção da Cobasi que tem dois centros de adoções na cidade de São Paulo em parceria com ONGs locais e realização de eventos de adoção em parceria com instituições de proteção animal em diferentes cidades do Brasil.

gato e cachorro pixabay
Pixabay

Evento de adoção de cães e gatos
Realização: Cobasi e Opam
Local: Cobasi São Caetano do Sul – na Alameda Caulim, 125, Bairro Cerâmica, São Caetano do Sul – SP
Datas: 11 e 25 de agosto; 8 e 22 de setembro; 13 e 27 de outubro; 10 e 24 de novembro; 8 e 22 de dezembro
Horário: das 13h às 19h

Anúncios

Colesterol também é preocupação para a saúde dos pets

A elevação do índice de colesterol no organismo também é uma preocupação para a saúde dos pets. No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, celebrado hoje, 8 de agosto, para ajudar na conscientização do problema, a veterinária da Petz Patrícia Pontes alerta sobre o risco e a importância de identificar e controlar os seus níveis entre os cães e gatos.

“Nos pets, o colesterol é avaliado junto com os triglicerídeos, e o aumento dos dois pode trazer vários problemas ao organismo, como a resistência insulínica, aterosclerose, podendo também estar associado à obesidade”, afirma Patrícia.

O nível elevado pode ser um indicador de doenças hormonais ou metabólicas, como diabetes, hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo e doenças renais, podendo trazer risco de provocar problemas na retina e córneas dos pets. Diferentemente dos humanos, o infarto do miocárdio não seria uma complicação dos níveis altos de colesterol e triglicérides, devido ao tipo de vascularização.

Cuidados

Schnauzer é a raça mais predisposta a desenvolver a hiperlipidemia e hipercolesterolemia sem associação com outras doenças. “Quando existe aumento de colesterol e triglicerídeos, o veterinário precisa primeiro investigar doenças hormonais e/ou metabólicas e, quando essas causas forem descartadas, pode-se considerar a hiperlipidemia idiopática, conhecida também como dislipidemia primária”, avalia a veterinária.

Cinco dicas para combater o colesterol nos pets

cachorro bulldog petisco
Pixabay

1 – Evitar petiscos a toda hora, pois eles são ricos em gorduras.

2 – Dieta rica em fibras e pobre em gorduras, com rações adequadas para reduzir o colesterol. Mas sempre com a indicação do veterinário.

cachorro e gato brincando
Foto: Warren Photographic

3 – Estimular exercícios e atividades físicas, como passeios e brincadeiras, porque ajudam a gastar energia e a queimar gordura, o que acaba utilizando o colesterol em excesso no organismo para isso, além de prevenir o diabetes.

4 – Realizar exames periódicos, incluindo o colesterol e triglicérides ao check-up sanguíneo.

veterinario-gato-1-770x490

5 – Dependendo dos níveis séricos de hiperlipidemia, é necessário uso de medicamentos para controle, sempre com acompanhamento do médico veterinário.

Fonte: Petz

Presentes para os pais de bichos

A Snooze, marca de design para pets, sugere produtos para o Dia dos Pais… de bichos. São peças minimalistas, que podem compor a decoração da casa de forma elegante e agradar o tutor e o pet.

A empresa afirma que nasceu para transformar em beleza a relação que temos com os nossos bichos. A ideia surgiu dentro de casa mesmo, entre conversas, latidos e miados em família. Juntamos a vontade de dar aos pets o conforto e a qualidade que eles merecem com o orgulho de ter em casa produtos bonitos por fora e por dentro. “Sentimos prazer em oferecer o melhor para quem nos faz tão bem e queremos dividir isso com mais pessoas e mais bichos”.

Confira algumas peças:

snooze1snooze2

Informações: Snooze Design

 

Bazar Pet em Curitiba agita fim de semana com atrações para toda família

Dentre atividades, evento conta com a presença de influencers pets, avaliação nutricional pet, mostra de cães de competição e feira de adoção

Nos dias 4 e 5 de agosto (sábado e domingo), das 10 às 18 horas, acontece o 1º Bazar Pet, promovido pelo pet center HiperZoo. Com entrada gratuita, o evento tem como objetivo mesclar opções de entretenimento para as famílias e seus pets com a oferta de atividades diferenciadas. Além disso, o bazar conta com a exposição de diversas marcas, que trazem produtos para alimentação, saúde, higiene, limpeza e acessórios com valores diferenciados.

Na agenda, estão confirmados aulões de adestramento, feira de adoção e um camarim de transformação pet. Segundo a sócio-proprietária do HiperZoo, Patricia Maeoka, a proposta de levar um groomer especializado vai permitir que os participantes conheçam diversas opções de cortes, hidratação e até tinturas especializadas para animais.

Shih tzu dog grooming

“Um grommer cuida da higiene, mas também ajuda a deixar os pets com aquele visual mais ‘fofo’ ”, adiciona Patricia. Outra novidade é a apresentação de cães de beleza realizada por Alvaro Binotto, com a presença de cachorros das raças Lulu da Pomerânia, Scottish Terrier, Pastor Alemão, Airedale Terrier e Mastim Espanhol. “Para nós, todos os cães são belos. Mas as competições caninas destacam os animais que possuem características conforme o padrão da Organização Canina Mundial, além de avaliar o comportamento e a postura”, explica a sócio-proprietária.

Portrait two Pomeranian dog
Cães da raça Lulu da Pomerânia

A preocupação com a saúde animal também faz parte do cronograma do Bazar Pet: os animais presentes contam com avaliações nutricionais, coordenadas pela médica veterinária Karoline Vanelli, e a de saúde bucal, realizadas pela médica veterinária Mara Rúbia Mayorka.

O evento também traz um espaço para o Instituto Cão Companheiro, que vai recrutar famílias socializadoras para cães de assistência, e também um espaço com food trucks, garantindo diversas opções de lanches para os participantes.

Influencers são embaixadores do Bazar Pet

A influencer e produtora de conteúdo Jéssica Belcost, conhecida pelo canal no YouTube, é uma das presenças confirmadas no primeiro dia do evento, junto com uma recém-adotada SRD. Já o segundo dia terá a presença de Zico Lamour e Guguzinho, do Boa da Pan.

Até o momento, estão confirmados os seguintes influencers pets, que vão levar mais charme e animar o Bazar Pet: a Golden Retriever Polenta (@polenta_golden), os gatos Oliver e Maui (@gatocuritibano), o Samoieda Leo (@leocapablanca), a Beagle Lily (@lilyzuda), os Border Collies Nalu, Charlie e Amora (@nalu.charlie.amora), a Buldogue Francês Lola (@lolabuldogue) e os animais do Exotic World (@exoticworld), além do apoio do Dicas de Curitiba (@dicasdecuritiba).

gato e cachorro adoção3

Bazar Pet Hiperzoo
Quando: 4 e 5 de agosto (sábado e domingo), das 10h às 18h
Entrada: gratuita

4 de agosto
10h às 11h – Aulão de adestramento – Necessidades no lugar certo
11h às 17h – Feira de adoção
13h às 17h – Camarim de Transformação Pet
14h às 18h – Apresentação de Cães de Beleza de Alvaro Binotto
15h às 16h – Palestra de enriquecimento ambiental
15h às 18h – Presença da influencer Jéssica Belcost
17h às 18h – Desfile de Moda Animal
10h às 18h – Avaliação nutricional e bucal

5 de agosto
10h às 11h – Aulão de adestramento – Filhotes
11h às 17h – Feira de adoção
13h às 17h – Camarim de Transformação Pet de Alvaro Binotto
14h às 18h – Apresentação de Cães de Beleza
15h às 16h – Palestra de enriquecimento ambiental
15h às 17h – Presença de Zico Lamour e Guguzinho (Boa da Pan)
17h às 18h – Desfile de Moda Animal
10h às 18h – Avaliação nutricional e bucal

HiperZoo – Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba/PR

Os benefícios que os cães de apoio emocional proporcionam

O uso de animais como terapeutas é cada vez mais comum para o tratamento alternativo de doenças como depressão e ansiedade

Os apaixonados por animais relatam com facilidade os benefícios da convivência diária com os pets. Por isso, cada vez mais, eles são utilizados para auxiliar no tratamento de diversas doenças. Estudos científicos realizados ao redor do mundo indicam que a presença dos cães no ambiente eleva os níveis de endorfina e diminui o estresse e a ansiedade dos humanos.

Com base nesse comportamento, os cães de apoio emocional vêm ganhando cada vez mais destaque entre as terapias alternativas para o tratamento de doenças como depressão, síndrome do pânico, câncer, entre outras.

Os animais terapeutas podem atuar em diversas frentes, entre as principais atividades está a terapia e a educação assistida. Em ambos os casos, o objetivo é que o pet traga benefícios para a saúde física e emocional dos humanos com quem interagem.

“Para realizar esse trabalho, o animal precisa receber um treinamento especial. Além disso, ele precisa ser sociável, ter um temperamento tranquilo e estar saudável. O cão é o animal mais utilizado para este tipo de trabalho, pois ele se adapta com mais facilidade as situações como adestramento e transporte”, explica a médica-veterinária e Gerente de Produtos da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec.

Após o treino, os cães estão aptos para atuar em terapias assistidas por animais (TAA), que visam ajudar e proporcionar bem-estar durante o tratamento de doenças. A TAA pode ser utilizada como idosos em lares de repousos, pessoas com deficiências mentais ou problemas de aprendizagem, crianças e adultos com problemas de adaptação social, entre outros.

mulher com cachorro carinho.jpg

Na Terapia Assistida por Animais, os pets trabalham com uma equipe multidisciplinar, formada por fisioterapeutas, psicólogos, adestradores, entre outros profissionais. O objetivo da ação é estimular a melhoria e bem-estar dos pacientes em tratamento por meio do desenvolvimento de uma relação afetiva com o animal.

O treino oferecido aos animais irá depender da função que será exercida. Entre os tipos de serviços estão: cão guia, cão ouvinte, cão de alerta, cão de serviço, cão terapeuta, cão de serviço psiquiátrico, cão de alerta de alergia e cão de serviço militar.

Pêlo Próximo

Tendo como missão proporcionar bem-estar para os animais e seus tutores, a Ceva Saúde Animal fechou uma parceria com a Pêlo Próximo, ONG carioca fundada em 2010, que une uma equipe multidisciplinar para realizar Terapia, Atividades e Educação Assistida por Animais, atuando junto a instituições, hospitais e centros de saúde do Rio de Janeiro, promovendo a interação entre seres humanos e animais com o objetivo de proporcionar benefícios terapêuticos.

cachorro pelo próximo.jpg

“Nossa principal missão é proporcionar bem-estar para os animais, por isso, ao conhecer o importante trabalho realizado pela Pêlo Próximo, decidimos atuar como parceiros fornecendo Fiprolex e Canex para os cães e gatos do projeto durante o ano de 2018. Assim, os pets que trabalham com a missão de ajudar no tratamento dos humanos ficarão protegidos contra pulgas, carrapatos e verminoses”, conta Priscila

Fonte: Ceva Saúde Animal

Sedentarismo e falta de informação são as principais causas da obesidade em pets

A maior proximidade dos animais de companhia com seus tutores vem contribuindo para o avanço da obesidade entre os pets. Apesar da falta de dados oficiais sobre a doença, a estimativa é que pelo menos 20% dos cães no Brasil estejam acima do peso recomendado. Em países desenvolvidos, o excesso de peso já é considerado o segundo problema de saúde mais comum entre os felinos.

Neste contexto, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) faz um alerta aos tutores quanto aos cuidados necessários para manter a saúde e o bem-estar dos animais.

Assim como nos humanos, a falta de atividade física e o consumo de calorias em excesso estão entre as principais causas da obesidade em cães e gatos. Animais castrados e de idade mais avançada são os que têm maior propensão a engordar, pois possuem menor necessidade energética, já que tendem a ser menos ativos.

Algumas raças caninas são também mais predispostas à obesidade, como Labrador, Beagle, Teckel, Basset Hound, São Bernardo, Cocker Spaniel, Golden Retriever, dentre outras. Da mesma forma, os gatos machos e castrados são os mais suscetíveis ao aumento de peso.

Alimentação equilibrada

Apesar da aparência de um gato ou cão mais rechonchudo agradar alguns tutores, o excesso de gordura aumenta os riscos de o animal desenvolver patologias graves, como diabetes, doenças cardiorrespiratórias e ortopédicas, além de diminuir a sua expectativa de vida em aproximadamente dois anos. Sendo assim, os cuidados com a alimentação são fundamentais.

Além da quantidade e da qualidade, o teor de energia do alimento é um fator importante para ser avaliado, explica o médico-veterinário Yves Miceli de Carvalho, presidente da Comissão Técnica de Nutrição Animal do CRMV-SP. “A falta de informação pode contribuir para que ocorram equívocos no manejo nutricional por parte do dono”, observa.

Como muitos tutores desconhecem a quantidade ideal de alimento que o animal deve consumir por dia, é importante contar com a orientação de um profissional médico-veterinário. “A quantidade recomendada nas embalagens é baseada no cálculo de energia média que o animal necessita para se manter saudável, de acordo com seu peso, idade e atividade. A margem de segurança desta recomendação é de 20% para mais ou para menos”, explica Carvalho.

cachorro obeso

Após a castração ocorre a queda dos hormônios sexuais que promovem gasto energético metabólico. Por isso, animais castrados devem ter uma dieta com baixa densidade calórica, não necessariamente comer em menor quantidade, como informa o Prof. Fabrício Lorenzini, Coordenador do Programa de Residência Médico-Veterinária do Hospital Veterinário da Universidade Anhembi Morumbi. “Quanto menos calórico for o alimento, maior volume poderá ser oferecido.”

Para manter ou voltar ao peso ideal, normalmente o cão ou gato deve ser submetido a uma dieta específica. De acordo com o médico-veterinário Yves Miceli de Carvalho, existem alimentos com calorias reduzidas (light) – indicados para animais com tendência a engordar – e também os alimentos que estimulam o emagrecimento. “São alimentos distintos e que necessitam de um acompanhamento profissional”, diz.

É necessário que o animal passe pela avaliação de um médico-veterinário e que seja diagnosticado o percentual de sobrepeso, que pode ser de 15 a 20%, de 20 a 30% e acima de 30%, índice já considerado como indicativo de obesidade mórbida. “Após determinar esse percentual, o médico-veterinário irá orientar a conduta nutricional a ser aplicada e o tempo do tratamento” reforça o presidente da Comissão Técnica de Nutrição Animal do CRMV-SP.

Acima, pug antes e depois de um tratamento para emagrecer

O médico-veterinário irá estipular o peso ideal, calcular a necessidade calórica diária do animal e, consequentemente, a quantidade em gramas da ração específica que o animal deverá ingerir por dia, para que ocorra a perda de peso de forma saudável. “Também é fundamental que o animal seja estimulado a praticar atividade física. São indicados passeios, no caso de cães, e brincadeiras, para cães e gatos”, complementa a médica-veterinária Profª Drª Viviani De Marco, Presidente da Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária (ABEV) e docente do Curso de Mestrado Strictu Senso em Medicina Veterinária da Universidade Santo Amaro (Unisa/SP).

A avaliação do médico-veterinário inclui uma boa inspeção visual e palpação do animal, levando em consideração o acúmulo de gordura sobre as costelas, na região abdominal e na base da cauda. “Cães com peso ideal devem ter as costelas facilmente palpáveis, com discreta camada de gordura, contorno lateral visível, cintura aparente e proporcional”, diz Viviani.

A professora informa também que há um sistema de escore utilizado nos consultórios que avalia a condição corpórea e estima a porcentagem de gordura e massa magra do indivíduo. “O sistema vai do 1 ao 9, sendo que o escore 5 significa o peso ideal. Desta forma, fica fácil para o tutor do animal reconhecer o problema.”

Comportamento animal e humano

Os tutores devem ter como prioridade atender as necessidades do pet no que diz respeito à manutenção da sua saúde e bem-estar. Agrados são bem-vindos desde que não haja excessos na oferta de ração ou petiscos, por isso é preciso resistir à tentação de dar o alimento toda vez que o animal pede.

Mesmo domesticados e vivendo em ambientes urbanos, os animais trazem em sua genética comportamentos da vida selvagem, como associar o alimento à sobrevivência. Mas, de acordo com o Prof. Fabrício Lorenzini, os animais também respondem as táticas de condicionamento e, desta forma, podem entender o alimento como um reforço positivo ou negativo, validando ou não sua atitude. “Nesta linha de raciocínio, o alimento pode, sim, representar afeto ou situação de prazer ao pet”, salienta.

Síndrome de Cushing

O excesso de calorias não é o único fator da obesidade, como lembra Viviani, que também é responsável pelo Serviço de Endocrinologia de Cães e Gatos e sócia-proprietária da NAYA Especialidades, em Campo Belo (SP). “É importante que o tutor do animal procure um médico-veterinário para uma avaliação clínica completa e realização de exames laboratoriais para investigar possíveis alterações metabólicas, como hiperglicemia, hiperlipidemia, alterações hepáticas, mensuração da PA e distúrbios hormonais” orienta.

O aumento de peso, sobretudo nos cães, também pode estar relacionado à Síndrome de Cushing. “Trata-se de uma condição clínica caracterizada por concentrações persistentemente elevadas de cortisol na corrente sanguínea”, explica Viviani.

gato_obeso_2016718113740

Os principais sintomas do excesso de cortisol incluem: aumento do apetite, aumento da sede, aumento da frequência e do volume urinário, atrofia e fraqueza muscular, cansaço fácil, ofegância e diversas alterações dermatológicas. “A obesidade na Síndrome de Cushing é tipicamente central ou abdominal, e o animal adquire um abdômen abaulado e distendido”, esclarece.

Esta doença pode ser causada por um tumor na hipófise, um tumor na glândula adrenal ou pelo uso abusivo e crônico de glicocorticoide, utilizado como forma de terapia para várias doenças. Para que a síndrome possa ser diagnosticada e tratada adequadamente, um médico-veterinário deve ser consultado.

Fonte: CRMV-SP

Pets também precisam de cuidados com a saúde oral

Assim como nós precisamos ter cuidados com a saúde oral, cães e gatos também necessitam de cuidados que incluem higienização bucal e consultas regulares ao odontologista veterinário. Com isso, são evitados problemas como doenças periodontais e mau hálito. Para alertar os tutores sobre os cuidados que devem ser observados, a Virbac, empresa multinacional francesa dedicada exclusivamente à saúde animal, promove uma campanha sobre saúde oral dos pets, durante o mês de maio.

Entre as ações estão a divulgação de vídeos nas redes sociais da marca, como Instagram e Facebook , ciclo de palestras no aplicativo Vetsmart e abordagens específicas da equipe Virbac junto aos médicos veterinários.

O problema bucal mais comum em cães e gatos é a doença periodontal. Definida como a inflamação de estruturas como gengiva, ligamento periodontal, cemento e/ou osso alveolar, apresenta diversos graus de intensidade e tem como principal causa a placa bacteriana.

“No início, a placa pode provocar uma leve inflamação da gengiva, a gengivite que, se não for tratada, pode evoluir para uma periodontite grave, com reabsorção do osso alveolar e perda de dentes. Além disso, o acúmulo de bactérias pode cair na corrente sanguínea e levar a alterações sistêmicas”, alerta Ricardo Cabral, médico veterinário da Virbac. Nesses casos, a doença é irreversível.

Examining mouth and tongue of Red Tabby female cat, Glenda
Warren Photographic

Outro problema comum é o mau hálito, provocado pelo aumento do número de bactérias que causam o cheiro desagradável. Nessas situações, é recomendado o uso de xilitol, um tipo de açúcar que, quando misturado com a água, pode ser consumido pelo pet e ajuda a controlar o crescimento das bactérias.

“Porém, a medida é apenas paliativa, exigindo a adoção de higienização oral mais completa, com escovação e visitas periódicas ao médico veterinário especialista”, afirma Cabral. De acordo com ele, outras causas da halitose, como também o problema é conhecido, são alterações gástricas e endócrinas. Por isso, se o problema persistir, é fundamental procurar a avaliação de um médico veterinário.

Como escovar

Cabral explica que a escovação deve ser diária, pois as bactérias presentes na boca do animal podem se multiplicar e formar uma placa. Mas, como nem sempre isso é possível, ele recomenda que a higienização seja feita, no mínimo, uma vez por semana.

cachorro escova dentes

O mercado oferece diversas opções de escovas de dentes específicas para cães e gatos, com cerdas anatômicas e cabo mais alongado. Podem também ser utilizadas dedeiras de silicone ou gaze e, com os dedos, percorrer toda a superfície dental dos animais. “A pasta dental deve ser exclusivamente de uso veterinário, pois os cremes dentais humanos são ricos em flúor e sabões que, quando engolidos pelos animais, podem provocar problemas de saúde”, alerta.

Muitos tutores substituem a escovação dando petiscos para o seu pet. Segundo Cabral, é preciso ficar atento ao tipo de produto utilizado. “Petiscos resistentes, em formatos específicos, têm abrasividade que ajuda na remoção da placa bacteriana. No entanto, dependendo da textura e do tamanho, ele pode não ser resistente o suficiente para causar esta abrasividade e, o que é pior, acaba se acumulando nos dentes. Além disso, podem ser muito calóricos, prejudicando programas de perda e manutenção de peso de cães obesos”, explica.

O que usar na higiene bucal

aquadent.jpg

A Virbac oferece uma linha completa de produtos para cuidar da saúde bucal dos animais, composta por enxaguante, pasta dental e tiras mastigáveis. O Aquadent é indicado para controlar o mau hálito, dificultando a organização e proliferação das bactérias que formam a placa. A base de xilitol, o produto deve ser misturado com a água que será consumida pelo pet – 5 ml de produto a cada meio litro de água, que deve ser trocada a cada 24 horas.

pasta dental virbac.jpg

Para a escovação, a opção é a CET Pasta Enzimática, que auxilia no controle da placa bacteriana que origina o tártaro.

veggie dent.png

E, para os dias em que não for possível realizar a escovação, o tutor poderá dar ao seu cão as tiras mastigáveis CET Veggie Dent. Especialmente desenhadas para proporcionar ação mecânica de limpeza, são altamente palatáveis e contêm em sua fórmula proteína de soja e farelo de milho, o que torna o produto saudável e saboroso.

Informações: Virbac

Saiba como evitar doenças que afetam os olhos dos pets

Além da conjuntivite comum na época de tempo seco, veterinária da Petz explica sobre a importância do diagnóstico precoce para problemas como glaucoma e catarata, que podem cegar

Tropeçar e bater em objetos, olhos vermelhos e lacrimejantes, aumento de secreção, piscar compulsivamente e dores na região ocular são sinais de que alguma coisa não está bem com os pets. A veterinária Natalie Rodrigues, especialista em oftalmologia da Petz, explica que além da conjuntivite, comum nesta época de tempo seco, doenças graves como o glaucoma e catarata também afetam os pets. Por isso, a consulta veterinária todos os anos é essencial para a prevenção e o diagnóstico precoce.

“O glaucoma é a doença mais séria, porque normalmente o dono só consegue perceber quando o pet já está cego. Na maioria das vezes é uma doença dolorida na sua fase aguda e precisa ser diagnosticada e medicada o quanto antes. A catarata também pode cegar, porém na maioria das vezes, é resolvida com a cirurgia e o animal pode recuperar totalmente a visão. O quanto antes diagnosticada, melhor o sucesso da cirurgia”, afirma Natalie.

gato no veterinario pixabay

Para o diagnóstico de uma doença ocular, o veterinário oftalmologista precisa examinar e fazer todos os testes: teste de fluoresceína, teste de schirmer, fundo do olho, pressão ocular. Os tratamentos são vários, depende do problema que o pet apresenta. Muitas doenças são tratadas com antibióticos, lágrimas artificiais, outras com procedimentos cirúrgicos.

Entre as raças mais propícias a terem problemas estão as braquicefálicas, de focinho achatado, como pug, shih tzu e buldogues, por apresentarem o bulbo ocular maior e a órbita mais rasa.

Prevenção

Além da visita ao veterinário oftalmologista duas vezes ao ano, Natalie orienta o uso de xampu específico só na cabeça, para não arder os olhos. E quando for passear de carro, não deixar que o pet fique com a cabeça para fora da janela, assim evita um ressecamento da córnea e as úlceras. Manter os pelos ao redor dos olhos limpos e curtos, ou se forem longos, manter de forma que não entrem dentro dos olhos.

gato no veterinario colirio

Outra dica é acostumar desde cedo a limpeza dos olhos com gaze e água filtrada ou soro fisiológico. Assim, caso um dia precise usar colírio ou pomada, o pet já está adaptado com a manipulação nessa região.

As doenças oculares nos pets

1 – Úlceras de córnea são feridas que ocorrem por trauma, bactérias e fungos.

2 – Ceratoconjuntivite seca (CCS) é uma doença ocular comum em cães, caracterizada pela deficiência da parte aquosa do filme lacrimal, na qual resulta em ressecamento, inflamação da conjuntiva e até pigmentação da córnea.

veterinario olho oftalmo

3 – Distiquíase são cílios que nascem em lugar que não deveriam existir (rima palpebral) e podem ficar em contato com a córnea.

4 – Entrópio – inversão das pálpebras, que ficam em contato com a córnea, podendo causar úlceras.

5 – Glaucoma é uma neuropatia óptica que pode ocorrer o aumento da pressão intraocular.

6 – Catarata é a opacidade do cristalino, ou seja, da lente do olho que pode comprometer a visão.

gato coçando os olhos warren photographic
Foto: Warren Photographic

7 – Conjuntivite – com o tempo seco, os olhos dos pets podem ficar mais vermelhos, lacrimejar e coçar. Isso pode fazer com que eles tentem aliviar a coceira com as patinhas, provocando lesões ou até levar bactérias para os olhos, causando a infecção chamada de conjuntivite.

Fonte: Petz

Problemas respiratórios em pets: atendimentos aumentam 60% em clínica

Olá, escrevo antes da matéria para avisar que criei um novo blog para tratar apenas dos temas pets, animais de estimação, natureza, meio ambiente, comportamento: Se meu pet falasse. Estou postando esses assuntos por lá também. Portanto, se gosta desses temas, comece a seguir o novo espaço clicando aqui. Os demais assuntos continuam aqui. Obrigada.

Sem previsão de chuva para os próximos dias, a baixa umidade do ar deve prevalecer, afetando também a saúde de cães e gatos. Nesta época do ano, as clínicas da Petz registram aumento de cerca de 60% nos problemas respiratórios e oculares, para atendimentos ambulatoriais, inalação, oxigenioterapia e emergências. Assim como as pessoas, os pets apresentam sintomas como coceiras nos olhos, boca seca, cansaço, dificuldade para respirar e desidratação.

“Os bichinhos com focinho curto ou achatado, como o shi-tzu, o pug e os bulldogs, que já apresentam dificuldade para respirar, acabam tendo o problema agravado, assim como os filhotes em geral”, afirma a veterinária Karina Mussolino, gerente de clínicas da Petz. Para evitar que eles tenham qualquer mal por causa do ar seco, Karina orienta a tomar alguns cuidados.

Alterações que podem ocorrer:

. Os pets podem ficar mais ofegantes e sofrer de crise respiratória com ar seco. O ideal é evitar caminhadas longas e brincadeiras muito ativas nesses dias, principalmente das 10h às 16h.

veterinarian dogs

. Aumenta o risco de contrair a traqueobronquite canina ou a rinotraqueite felina. Caso não sejam tratados adequadamente, esses transtornos podem levar a complicações e até a uma pneumonia.

. Pets de focinho curto ou achatados (braquicefálicos): com maior dificuldade de respiração e predisposição para esses problemas e, assim como filhotes, podem ter aumento de secreção nasal e até contrair gripe.

gato coçando os olhos warren photographic
Foto: Warren Photographic

. Os olhos dos pets podem ficar mais vermelhos, lacrimejar e coçar. Isso pode fazer com que eles tentem aliviar a coceira com as patinhas, provocando lesões ou até levar bactérias para os olhos, causando a infecção chamada de conjuntivite.

Como amenizar os efeitos do clima

1 – Fique atento à alimentação, se o pet está se comendo bem, se continua ativo e brincando.

2 – Leve sempre recipientes de água para os passeios. Em casa, troque a água várias vezes ao dia.

umidificador 2

3 – Deixe toalhas molhadas ou bacias com água próximas aos locais de descanso. Umidificadores de ar também são recomendados.

4 – Diminua quantidade de exercícios, principalmente entre 10h e 16h.

5 – Faça hidratação com produtos específicos para pets.

AeroDawg cachorro inalação
Foto: AeroDawg

6 – A inalação pode e deve ser feita somente com soro fisiológico para animais com problemas respiratórios durante fases de tempo seco, pois umidifica as vias aéreas e facilita a respiração.

7 – A limpeza dos olhos deve ser feita com solução fisiológica, passando o algodão delicadamente.

8 – Mantenha a vacinação contra a gripe em dia, assim como todas as outras, além do reforço anual.

gato inalação

9 – Fique atento a qualquer sinal de tosse, secreção nasal e ocular e dificuldade respiratória grave.

10 – Leve o pet para um check-up e diagnóstico precoce de alterações respiratórias.

Fonte: Petz

The Body Shop realiza ato contra testes em animais no domingo na Paulista

The Body Shop, em parceria com a Ampara Animal, promove um ato público seguido de caminhada na Avenida Paulista, no dia 29 de julho, domingo, a favor da proibição de testes em animais na indústria cosmética.

A concentração do ato será no Masp a partir das 11 horas, e a caminhada, que terá como ponto final o Hotel Ibis na Consolação, está prevista para iniciar às 12 horas.

testes

cruelty4

No ponto final do ato haverá feira de adoção de pets promovida pela Ampara Animal, além da confecção de pinturas de arte urbana com as artistas Amanda Pankill e Cleo Moreira, que apresentam como principal identidade visual o grafitti. As pinturas serão leiloadas e o valor arrecadado será direcionado à ONG.

Assine a petição

Além de chamar atenção para a causa, a ação também tem como objetivo angariar assinaturas para a campanha Forever Against Animal Testing (Para Sempre Contra testes em Animais), lançada pela The Body Shop em parceria com a Cruelty Free Internacional. A iniciativa consiste em um abaixo assinado, cuja meta é coletar 8 milhões de assinaturas globalmente.

O documento será submetido à ONU ainda este ano e a expectativa é banir, até 2020, testes em animais com finalidade cosmética em produtos e ingredientes em todo o mundo. A petição online pode ser assinada clicando aqui.

caminhada ampara body

Serviço:
Local: Concentração no vão do MASP
Endereço: Av. Paulista, 1578 – Bela Vista
Dia: 29 de julho
Horário: das 11h às 13h