Arquivo da tag: vegana

La Loba é primeira empresa de moda vegana no país a receber o selo Vegan Society

Marca comemora também as conquistas dos selos PETA, CO² Neutro e EuReciclo que reforçam comprometimento da marca com valores como ética, transparência e responsabilidade socioambiental. Além de ser uma das indicada ao Prêmio EcoEra.

Com coleções em edições limitadas, a La Loba, marca pioneira na produção de bolsas veganas no Brasil, se propõe a uma nova forma de fazer moda, com peças sofisticas que unem materiais alternativos e livres de crueldade, com temáticas místicas e atemporais. E em 2018, comemora a conquistas de importantes selos que reforçam comprometimento da marca com valores como ética, transparência e responsabilidade socioambiental.

Durante mais de um ano, a La Loba passou pelo processo de avaliação para adquirir o selo de registro Vegan Society, organização que criou e registrou o termo veganismo em 1944, em Birmingham (UK), e que foi introduzida no mercado em 1990, como padrão internacionalmente reconhecido no mundo todo para produtos e serviços veganos. “Foi um processo longo e ​por tudo isso, me sinto orgulhosa e muito, mas muito feliz”, comemora Kaline.

A criadora da marca, Kaline Demarchi, explica que esse selo é essencial para o crescimento da La Loba. “Somos a primeira empresa de moda nacional a ter seus produtos registrado pela Vegan Society. Esperamos ​que este reconhecimento nos traga ainda mais força, a fim de continuarmos vivenciando e propagando o nosso sonho de ressignificar o ‘Mercado da Moda’, tornando-o mais consciente através de práticas que respeitem todo o ciclo de consumo, todas as pessoas envolvidas, e em especial os animais e o Planeta, pois estes têm sido ​os mais prejudicados pelos hábitos tão antigos e tão disseminados em nossa sociedade. Queremos mudança, e acreditamos que ela possa realmente acontecer, como já está acontecendo”.

O selo vegano está registado na Europa, EUA, Canadá, Austrália e Índia e usado no mundo inteiro em mais de dezoito mil produtos.

La Loba - Bolsa vegana saco preta estampada R$27900 www laloba com br

Outra conquista superimportante para a La Loba foi o certificado do PETA, a maior ONG em defesa dos animais no mundo, com mais de 6,4 milhões de membros e apoiadores. O selo garante que a empresa está o cumprindo várias normas para assegurar a não utilização de matéria-prima de origem animal em seus produtos. Para conquistar a certificação, a marca passou por um rigoroso processo que examina vários aspectos para comprovar que a marca é vegana e apresentar declarações de matérias-primas totalmente isentas de origem animal.

Preocupada com o processo de descarte de suas embalagens, a La Loba trará nas tags da marca o selo Eu Reciclo, que assegura que a empresa compensa no pós-consumo a quantidade de lixo produzido. Com ele estampado, o consumidor terá ciência sobre o compromisso da marca e a certeza de que está adquirindo um produto de uma marca engajada com o reaproveitamento e promoção de um destino ambientalmente adequada de resíduos, processo semelhante à compensação de carbono.

As tags que acompanham as bolsas são desenvolvidas com papel semente, para que sejam plantadas e cultivadas. As embalagens são feitas de material reciclado, em parceria com a ONG Idesam, de Manaus (AM), que confere o selo Carbono Neutro. Ao final de cada ciclo, é realizada a compensação do CO² emitido no processo de produção da marca, mediante o plantio de árvores na floresta Amazônica, beneficiando, assim, a comunidade ribeirinha da região e o meio ambiente como um todo.

majesty2 peq

“Os selos certificam ​e de certa forma reconhecem ​o nosso trabalho, ​servindo como ​um grande incentivo para que cada vez mais pessoas ​​possam conhece​-​lo e se identificar com ele. Acreditamos que além de criar produtos livres de crueldade, também devemos cuidar d​o ​Planeta, ​e foi ​por ​essa razão que, desde o início​, sempre buscamos parceiros ​conscientes ​e ​práticas capazes de gerar impactos positivos no meio em que atuamos. Plantar ​árvores no Amazonas, zerar o carbono ​emitido com a nossa atividade, reciclar nossas embalagens, criar tags com papel semente​,​ são algumas das ações que priorizamos​. E claro, fazemos ​tudo ​com muito amor​, pois acreditamos que daí vem a nossa força”, finaliza a criadora.

la loba.png

A La Loba também foi uma das marcas indicadas ao Prêmio EcoEra deste ano, idealizado pela especialista em consumo consciente Chiara Gadaleta com o objetivo de analisar os mercados de moda, beleza e design com indicadores de sustentabilidade.

Informações: La Loba

 

Anúncios

Restaurante 100% vegano abre as portas em Perdizes

That Vegan Brand – Comedoria Vegana oferece pratos, sanduíches e porções em espaço moderno e a preços justos

Comida saborosa, a preços justos e sem o uso de nenhum ingrediente de origem animal é a proposta do novo restaurante That Vegan Brand – Comedoria Vegana, que acaba de abrir as portas em Perdizes. Com um cardápio variado, passeando com desenvoltura entre pratos, sanduíches e porções, a casa surge como nova opção para veganos, vegetarianos ou para quem quer sair da rotina e provar novos sabores.

O menu é dedicado a receitas com vegetais, grãos, cogumelos e massas, e oferece opções fixas, servidas de terça a domingo, e pratos do dia. São preparos familiares e reconfortantes, com clássicos da culinária brasileira, árabe e italiana, que deixam de lado carnes, laticínios e ovos sem abrir mão do prazer de comer bem.

A casa tem capacidade para 25 pessoas em um ambiente simples e moderno e, de terça a sábado, fica aberta até a 1h, surgindo como uma boa opção para jantar até mais tarde.

O restaurante e a cozinha são comandados por Marcela Teixeira e Jux Curtis. Marcela é engenheira civil, mas cresceu entre as panelas do restaurante da família, enquanto Jux trabalhava com eventos e alimentação vegana desde 2013. Em 2017, eles uniram forças e criaram a That Vegan Brand para oferecer comida vegana em eventos pela capital. Seu carro-chefe, o Falafel Burguer, tornou-se sucesso de público e a dupla decidiu investir na abertura do próprio espaço, com cardápio ampliado.

O Falafel Burguer está no menu fixo da nova casa e vem com rúcula, tomate, pepino, cebola roxa e tahine no pão integral com gergelim (R$ 18,00). Também na seção de lanches estão o Mushroons Burguer, hambúrguer de feijão com mix de cogumelos, alface, tomate, guacamole e crostas de queijo (R$ 20,00), e o Quinoa Burguer, hambúrguer de quinoa e antepasto de berinjela, salada coleslaw e maionese de inhame em pão integral (R$ 22,00). Além dos hambúrgueres, o Choripan, versão vegana do tradicional sanduíche argentino com linguiça calabresa, vem no pão francês com molho chimichurri e salsa (R$ 18,00).

That Vegan Brand - Mushroons Burguer
Mushroons Burguer

That Vegan Brand - Quinoa Burguer

Já quem preferir uma refeição, pode optar pelo PF Vegan, servido de terça a domingo com arroz, feijão, fritas e um hambúrguer da casa (R$ 18,00), ou um dos pratos do dia. Às terças-feiras, a sugestão é o Gnocchi de Espinafre, opção sem glúten preparada com tofu defumado, tomates concassé e manjericão (R$ 24,00). O Risoto de Funghi Secchi (R$ 25,00) é preparado às quartas e a Moqueca de Palmito pupunha, acompanhada de arroz de xerém e farofa de banana (R$ 25,00), é servida sempre às sextas.

That Vegan Brand - Gnocchi de Espinafre 4
Gnocchi de Espinafre

Nos finais de semana, a casa abre para o almoço e só fecha no fim da noite. Aos sábados, a Feijoada Vegana acompanha arroz, couve e farofa (R$ 24,00) e, aos domingos, as opções são o Risoto de Linguiça ao Vinho Tinto (R$ 24,00) e a Lasagna de Berinjela, com massa tradicional e fatias de berinjela com molho caseiro à bolognese (R$ 23,00).

That Vegan Brand - Lasagna de Berinjela

Todos os dias, a seção de porções traz Batata Rústica, Onion Rings, Bolinho de Falafel e Calabresa Acebolada, boas opções para acompanhar a seleção de chopes artesanais e kombuchas. E, para encerrar, é possível escolher entre o Brownie de Chocolate, servido com uma bola de sorvete do dia (R$ 18,00), e os Churros com Doce de Leite, feito com leite de coco (R$ 15,00)

That Vegan Brand – Comedoria Vegana Rua Aimberê, 91 – Perdizes. Horário de funcionamento: terça a sexta, das 18h à 1h; sábado, das 12h à 1h; domingo das 12h às 22h

 

Domingo tem Festival de Gastronomia Vegana na Avenida Paulista

Um circuito gastronômico com falafel, samosa, cheesecake, bolos, comida árabe, do Congo, da Índia, do Japão e tantos outros locais, além dos quitutes brasileiros como a coxinha de jaca verde, sorvetes com frutas tropicais, sucos diversos e até alimentos para animais: são muitas iguarias neste festival para provar sem dor na consciência, pois apenas plantas fazem parte das preparações.

Além da alimentação no local para consumo imediato ou para viagem, como leites, manteigas e queijos todos oriundos de vegetais, haverá expositores de outros setores como cosmético, higiene, artesanato, decoração, vestuário, calçados, acessórios e itens para pets.

Um evento para toda a família, com abertura antecipada às 10h para yoga e meditação com Cláudio Duarte; das 14h às 15h30 a nutricionista vegana Andressa Roehrig Volpe palestra sobre “Os benefícios da dieta 100% vegetariana”; e para as crianças haverá às 17h narração de histórias com o tema “O Casarão das Gatas” com Marcya Harco, vegana idealizadora e organizadora do Projeto PAZ.

Marcya Harco contadora de histórias infantis
Marcya Harco contadora de histórias infantis

Em 2018 o Encontro Vegano JMA completa quatro anos, ocorrendo gratuitamente ao público pelo Estado de São Paulo, com cerca de 80 mil visitantes ao longo das edições e mais de 500 empreendedores envolvidos, tornando-se referência no Veganismo com acessibilidade a todos, onde o público conhece ser possível um estilo de vida sem nenhuma forma de violência, baseando-se na ética e respeito aos animais, aos humanos e ao planeta.

Acompanhando o crescimento do Veganismo no Brasil e no mundo, o evento reúne em sua curadoria expositores qualificados em bens e serviços veganos, ou seja, isentos de exploração animal, produzidos através de ingredientes e matéria-prima sem origem animal e também não testados em animais.

O espaço sempre conta com abertura antecipada para a atividade de yoga e meditação, e presença de ONGs e protetores de animais independentes que recebem doações de ração, medicamentos, fraldas, jornais, tapetes higiênicos, cobertores e outros itens para ajudá-los nos resgates.

cartaz

Festival de Gastronomia Vegana JMA J’adore mes amis
Av. Paulista, 735 – Clube Homs – São Paulo (próximo ao metrô Brigadeiro)
Dia 8 de abril – domingo
12h às 20h
Yoga e meditação às 10h
Entrada franca, atividades gratuitas
Programação

Restaurante 100% vegano abre as portas em Perdizes

That Vegan Brand – Comedoria Vegana oferece pratos, sanduíches e porções em espaço moderno e a preços justos

Comida saborosa, a preços justos e sem o uso de nenhum ingrediente de origem animal é a proposta do novo restaurante That Vegan Brand – Comedoria Vegana, que acaba de abrir as portas em Perdizes. Com um cardápio variado, passeando com desenvoltura entre pratos, sanduíches e porções, a casa surge como nova opção para veganos, vegetarianos ou para quem quer sair da rotina e provar novos sabores.

O menu é dedicado a receitas com vegetais, grãos, cogumelos e massas, e oferece opções fixas, servidas de terça a domingo, e pratos do dia. São preparos familiares e reconfortantes, com clássicos da culinária brasileira, árabe e italiana, que deixam de lado carnes, laticínios e ovos sem abrir mão do prazer de comer bem.

A casa tem capacidade para 25 pessoas em um ambiente simples e moderno e, de terça a sábado, fica aberta até a 1h, surgindo como uma boa opção para jantar até mais tarde.

O restaurante e a cozinha são comandados por Marcela Teixeira e Jux Curtis. Marcela é engenheira civil, mas cresceu entre as panelas do restaurante da família, enquanto Jux trabalhava com eventos e alimentação vegana desde 2013. Em 2017, eles uniram forças e criaram a That Vegan Brand para oferecer comida vegana em eventos pela capital. Seu carro-chefe, o Falafel Burguer, tornou-se sucesso de público e a dupla decidiu investir na abertura do próprio espaço, com cardápio ampliado.

That Vegan Brand - Mushroons Burguer
Mushroons Burguer

O Falafel Burguer está no menu fixo da nova casa e vem com rúcula, tomate, pepino, cebola roxa e tahine no pão integral com gergelim (R$ 18,00). Também na seção de lanches estão o Mushroons Burguer, hambúrguer de feijão com mix de cogumelos, alface, tomate, guacamole e crostas de queijo (R$ 20,00), e o Quinoa Burguer, hambúrguer de quinoa e antepasto de berinjela, salada coleslaw e maionese de inhame em pão integral (R$ 22,00). Além dos hambúrgueres, o Choripan, versão vegana do tradicional sanduíche argentino com linguiça calabresa, vem no pão francês com molho chimichurri e salsa (R$ 18,00).

That Vegan Brand - Gnocchi de Espinafre 4
Gnocchi de espinafre

Já quem preferir uma refeição, pode optar pelo PF Vegan, servido de terça a domingo com arroz, feijão, fritas e um hambúrguer da casa (R$ 18,00), ou um dos pratos do dia. Às terças-feiras, a sugestão é o Gnocchi de Espinafre, opção sem glúten preparada com tofú defumado, tomates concassé e manjericão (R$ 24,00). O Risoto de Funghi Secchi (R$ 25,00) é preparado às quartas e a Moqueca de Palmito pupunha, acompanhada de arroz de xerém e farofa de banana (R$ 25), é servida sempre às sextas.

That Vegan Brand - Lasagna de Berinjela
Lasanha de Berinjela

Nos finais de semana, a casa abre para o almoço e só fecha no fim da noite. Aos sábados, a Feijoada Vegana acompanha arroz, couve e farofa (R$ 24,00) e, aos domingos, as opções são o Risoto de Linguiça ao Vinho Tinto (R$ 24,00) e a Lasanha de Berinjela, com massa tradicional e fatias de berinjela com molho caseiro à bolognese (R$ 23,00).

Todos os dias, a seção de porções traz Batata Rústica, Onion Rings, Bolinho de Falafel e Calabresa Acebolada, boas opções para acompanhar a seleção de chopes artesanais e kombuchas. E, para encerrar, é possível escolher entre o Brownie de Chocolate, servido com uma bola de sorvete do dia (R$ 18,00), e os Churros com Doce de Leite, feito com leite de coco (R$ 15,00)

That Vegan Brand – Comedoria Vegana – Rua Aimberê, 91 – Perdizes – São Paulo – Horário de  funcionamento: terça a sexta, das 18h à 1h; sábado, das 12h à 1h; domingo das 12h às 22h

 

Sem fins lucrativos, espaço em São Paulo quer facilitar acesso a alimentos orgânicos

Baseado na economia solidária, associação de mulheres planeja espaço integrado e democrático, onde seja possível obter produtos orgânicos e veganos a preços acessíveis

Quem disse que alimentos orgânicos e produzidos de forma ética precisam ser restritos apenas à camada da população com melhor poder aquisitivo? Para provar que é possível facilitar o acesso a frutas, verduras, legumes e outros alimentos produzidos sem o uso de agrotóxicos e sem crueldade animal, uma associação sem fins lucrativos de São Paulo quer abrir um espaço onde possa oferecer preços mais baixos do que os cobrados no mercado tradicional.

O espaço, chamado de Projeto Vegânica, está sendo planejado para funcionar próximo ao metrô do Butantã, na região oeste da cidade. No país considerado o maior consumidor mundial de agrotóxicos, além de ser um lugar para se praticar uma forma diferente de consumo, mais consciente, o principal propósito da iniciativa é tornar mais democrático o consumo de produtos orgânicos, ainda inacessíveis para a maioria da população.

Segundo uma pesquisa do Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), realizada entre abril e maio de 2017, apenas 15% da população afirmou consumir alimentos orgânicos regularmente. Dos 85% que não o fazem, 41% citaram os preços como o principal motivo que impede o acesso a esses tipos de alimentos.

“Acreditamos que um mundo melhor, somos nós que fazemos. E queremos fazer a nossa parte. Por isso, estamos montando uma proposta em que todos – nós, os produtores, consumidores, os animais e o meio ambiente – são beneficiados”, explica Stela Silva, uma das idealizadoras da proposta.

Para tornar os preços mais acessíveis, o Projeto Vegânica fará parcerias com pequenos produtores, microempreendedores ou com quem tenha serviços a oferecer. A proposta é cobrar pelos produtos o mesmo preço pago a esses fornecedores (incluindo, quando houver, taxa de frete ou tributos interestaduais), acrescido de um percentual fixo para garantir a manutenção do local.

“Com esse formato, que não visa o lucro, poderemos oferecer um preço menor do que é cobrado no comércio tradicional. Queremos fortalecer a economia local, atuar em um modelo mercadão, com espaços integrados, onde cada um leva sua sacola de compras, as pessoas se encontram, conversam, as crianças brincam, e onde a sustentabilidade seja aplicada em sua totalidade”, acrescenta Stela.

Com experiência no comércio de produtos orgânicos e veganos, a empreendedora se uniu a Ilza Lima e Sílvia Sakuma e, juntas, fundaram uma associação sem fins lucrativos, o Instituto Vegânica. No começo de 2018, elas começaram a movimentar e reunir uma rede de pessoas alinhadas com conceitos como economia solidária, sustentabilidade, alimentação consciente e colaboração. A ideia é somar todo tipo de ajuda, inclusive de consumidores que poderão se beneficiar do Espaço, para colocar o projeto em prática ainda no primeiro semestre de 2018.

“Um negócio baseado apenas no lucro não faz mais sentido em um mundo tão desigual. Queremos criar conexões positivas, envolver produtores, consumidores, microempreendedores e contribuir para inspirar outras pessoas a fazerem o mesmo. Quem sabe, em um futuro próximo, cada região de São Paulo e de outras cidades Brasil afora possam ter um lugar assim”, explica Silvia Sakuma.

11ExpoVegânica_Fev2018_Divulgação

Produtos e serviços em troca de apoio

Para conseguir juntar o investimento inicial necessário para a abertura do espaço, o Projeto está oferecendo cursos, produtos e serviços em troca de apoio. Entre os cursos oferecidos estão o de produção de cosméticos naturais, de manutenção de bicicletas, de tratamento capilar sem o uso de ingredientes químicos, de produção de alimentos em pequenos espaços, de produtos de limpeza naturais, de bordado, de produção de brotos e outros.

Entre os produtos ofertados para quem apoiar o Projeto estão cestas de orgânicos, almoços veganos, kits de produtos de beleza naturais, mapas astrológicos e outros. Também estão sendo oferecidas palestras e aulas sobre alimentação saudável, minimalismo, saúde e medicina homeopática, upcycling, planejamento de uma vida sustentável, empreendedorismo feminino, yoga para adultos, gestantes e crianças, além de outros. Valores e demais informações sobre os cursos, produtos e palestras podem ser conferidos neste link.

Projeto já existe em versão itinerante

O modelo de economia do Projeto Vegânica planejado pelas três mulheres já vem sendo posto em prática com sucesso em um evento itinerante, chamado Expo Vegânica, realizado na capital paulista desde 2016. A última edição ocorreu no último dia 3 de fevereiro, no Centro Cultural Butantã.

Orgânicosdo11Vegânica_divulgação
Foto: Orgânicos vendidos na última edição do ExpoVegânica, em fevereiro de 2018. Foto: Divulgação

“Nesse formato, o Vegânica conseguiu auxiliar microempreendedores a escoarem suas produções de maneira efetiva, possibilitando preços mais acessíveis ao público que passava pelo evento. Nossa proposta é dar continuidade a esse modelo, mas agora em um local fixo, e agregando várias iniciativas voltadas para o fortalecimento de uma rede de economia solidária” destaca Stela Silva.

Além do Expo Vegânica, o Projeto chega para se unir a outras duas iniciativas já instaladas na cidade de São Paulo e que também têm o propósito de democratizar o acesso a alimentos produzidos sem agrotóxicos. São eles: o Instituto Chão, localizado na Vila Madalena, e o Instituto Feira Livre, no centro da cidade.

Informações: Projeto Vegânica

 

 

 

 

Rede Empada Brasil agora oferece versão vegana

A rede de lanchonetes Empada Brasil, presente em nove estados brasileiros, está lançando no mercado uma empada vegana com recheio de mix de cogumelos. Num primeiro momento, a novidade estará disponível apenas nas lojas do estado de São Paulo, mas pelo menos lojas do Mato Grosso e Distrito Federal já sinalizaram que pretendem oferecer o produto também.

Com 47 unidades ao todo, sendo 19 unidades no estado de São Paulo, a Empada Brasil abre-se para um novo mercado com dezenas de milhões de pessoas, somando-se a uma série de marcas que já fizeram uma inclusão bem-sucedida de opções veganas em seus cardápios – como Seletti, Brasileirinhos Delivery e Baked Potato.

Com a entrada da Empada Brasil, são agora mais de 170 lojas (de diferentes marcas) com pratos ou lanches veganos no seu cardápio lançados com o apoio do programa Opção Vegana, da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). O programa existe desde o final de 2016.

Na Empada Brasil, a preocupação com o público “veg” começou no ano passado, quando a rede lançou o seu primeiro pastel vegetariano, porém com queijo no recheio. De olho no crescimento do mercado de alimentação vegana (sem ingredientes de origem animal), ainda em 2017 a Diretora de Marketing, Gabriela Fernandes, chamou a SVB para conversar e ajudar no desenvolvimento de uma deliciosa opção totalmente vegana.

empada_brasil.png.jpeg

“Nós rapidamente percebemos que as opções ovolactovegetarianas não seriam suficiente para dar conta do que o mercado estava pedindo. Chamamos a SVB para conversar e a consultoria foi muito importante para nós acertarmos um produto vegano realmente incrível, que agradará não apenas os veganos, mas o público em geral”, contou Gabriela.

Mônica Buava, Gerente de Campanhas da SVB, explica que a franqueadora teve abertura e visão ao longo do processo. Segundo ela, a nova empada atenderá a um público múltiplo: veganos, vegetarianos, simpatizantes, entre outros. “Não é só uma questão de atender aos 5 milhões de brasileiros veganos. Uma opção vegana, quando é boa, atende bem a todos. Nós parabenizamos a Empada Brasil pela sua sensibilidade e visão de mercado ao desenvolver esse produto, no qual tivemos a satisfação de participar”.

Segundo uma pesquisa do Instituto Harris Interactive, dos EUA, 17% das refeições consumidas por consumidores não-vegetarianos já são vegetarianas – e esse número só tende a aumentar. “Ter boas opções veganas no cardápio não é mais apenas uma questão de consciência e sustentabilidade; hoje é também uma questão de sobrevivência para o mercado de food service no médio e longo prazo”, enfatizou Mônica.

Por uma questão estratégica de atingir um público ainda mais amplo, a empada foi feita sem o uso de trigo (porém não é adequada para celíacos, pois pode conter traços de glúten). A empada vegana tem uma massa feita de farinha de arroz, fécula de batata, farinha de grão de bico, polvilho doce, linhaça dourada e sal. Já no recheio, são usados cogumelos in natura de shimeji, shitake e paris, mandioca, leite de coco, cebola, alho, azeite de oliva extra virgem, azeite de dendê, gengibre, curry e sal.
 

 

Livro traz receitas simples e práticas de petiscos de boteco em versões veganas

A Editora Alaúde acaba de lançar o livro 50 Petiscos Veganos, da jornalista Katia Cardoso. Nele você encontra tudo o que precisa para montar um boteco vegano em casa. A obra reúne receitas de petiscos e comidinhas de bar, delícias que transformam qualquer encontro de amigos em um saboroso bate-papo.

Seja em um almoço descontraído aos fins de semana ou uma pausa na rotina em um bom happy hour nos botecos, os petiscos são uma paixão do brasileiro. E para agregar cada vez mais pessoas a esses momentos de confraternização com parentes e amigos, trazer opções veganas ao cardápio é uma ótima opção.

Pensando nisso, trouxemos duas receitas simples e práticas de petiscos veganos que podem deixar qualquer happy hour mais sofisticado e sustentável.

Caldinho de Abóbora com especiarias

Foto_Caldo_de_Abobora_Cesar Godoy Fotografia.png

Ingredientes
1 fio de azeite
1 talo pequeno de alho-poró
600g de abóbora japonesa, sem casca e sem sementes, cortada em pedaços
1 pedaço de gengibre, sem casca, de 5cm cortado em dois pedaços
Sal a gosto
½ colher (chá) de curry
2 anises-estrelados
1 xícara de caldo de legumes caseiro
¼ de xícara de leite de coco caseiro

Mode de preparo
Numa panela de pressão, leve ao fogo o azeite e refogue o alho-poró até ficar transparente. Junte a abóbora e mexa bem. Adicione os demais ingredientes, exceto o leite de coco. Tampe a panela e cozinhe por 15 minutos após o início da pressão. Retire do fogo e deixe a panela esfriar para abri-la. Retire os anises e descarte-os (se quiser, descarte também o gengibre para um sabor menos intenso). Ponha no liquidificador e bata bem. Transfira para uma panela e leve ao fogo por mais 5 minutos. Acrescente o leite de coco, mexa bem e deixe por mais 2 minutos para aquecer mais. Sirva decorados com um anis-estrelado.

Tempo de preparo – 25 Minutos | Rende – 6 porções

Croquete de lentilha vermelha

croquete-lentilha1_Cesar Godoy Fotografia.png

Ingredientes
2 xícaras de lentilha vermelha demolhada e cozida
1 xícara de tofu marinado
¼ de xícara de farinha de arroz
3 colheres (sopa) de azeite
Sal, pimenta vermelha e noz-moscada a gosto
Farinha de rosca a gosto para empanar

Modo de preparo
Bata no processador todos os ingredientes, exceto a farinha de rosca. Molde croquetes e passe-os ligeiramente na água. Depois, passe na farinha de rosca.
Preaqueça o forno a 180 °C e ponha os croquetes em uma assadeira forrada com papel-alumínio ligeiramente untado com azeite. Asse por 25 minutos ou até dourarem. Sirva quente.

Tempo de preparo – 40 Minutos | Rende – 14 unidades

Sobre a autora

Vegana por convicção, Katia Cardoso é uma apaixonada pela boa comida e por criar receitas sem nenhum produto de origem animal. Sempre atenta ao que consome, Katia procura elaborar suas receitas com ingredientes orgânicos e não refinados, sempre o mais saudável possível. Jornalista com mais de 20 anos de experiência, é editora de culinária e foi responsável pela edição e produção das revistas Claudia Cozinha, Delícias da Calu e Máxima, na Editora Abril, e Ana Maria, na Editora Caras.

Capa 50 petiscos veganos - alta

Título: 50 Petiscos Veganos
Editora: Alaúde
Autora: Katia Cardoso
Páginas: 136
Formato: 16 x 21 cm – brochura com orelha, miolo colorido
Preço: R$ 29,90

 

 

Cheia de Onda é a nova linha da família #todecacho Salon Line

Criada especialmente para os cabelos ondulados tipo 2, os produtos da linha controlam a oleosidade, definem e hidratam as pontas ressecadas

Cada fio tem um tipo de curvatura e para ajudar a escolher o melhor tratamento para as madeixas, a Salon Line foi pioneira em apresentar uma tabela simples para chegar ao produto ideal. O grau de curvatura são divididos em 3 categorias (tipo 2 , tipo 3 e tipo 4).

Essas variações começam no tipo 2, com as onduladas, que possuem cachos mais abertos, até o tipo 4 que são fios com ondulações mais fechadas, os crespos. Com a proposta de atender a todos os tipos de cabelo, a Salon Line acrescenta ao seu portfólio a linha Cheia de Onda, com quatro produtos para os fios tipo 2 A, B e C.

fio de cabelo.png

As onduladas terão o Shampoo Cheia de Onda {Limpeza babadeira!}, Condicionador Cheia de Onda {Xô ressecamento!}, Máscara Cheia de Onda {Brilho extraordinário!} e Creme para Pentear Cheia de Onda {Pura definição!} para ajudar nos cuidados diários dos cabelos.

A linha é mais uma proposta vegana da Salon Line que além de liberado, ou seja, produtos que não possuem silicone, petrolato, parabenos e óleo mineral na fórmula. Sua composição possui Pimenta Rosa, Vinagre de Maçã e Óleo de Banana, ativos capazes de controlar a oleosidade da raiz, hidratar os fios, e o principal, definir e fixar os cachos do cabelo tipo 2.

Conheça todos os detalhes da linha:

salon line 1

Shampoo Cheia De Onda {Limpeza babadeira!}#todecacho – 300ml – Shampoo com limpeza power na raiz, hidratação nas pontas e específico para cabelos ondulados!

Modo de usar: aplique sobre o cabelo molhado, massageando suavemente. Enxágue bem. Caso seja necessário, repita a aplicação.

Preço sugerido: R$14,90

salon line 2

Condicionador Cheia De Onda {Xô ressecamento!}#todecacho – 300ml – De um fim nas pontas ressecadas com o Condicionador Cheia De Onda

Modo de usar: após lavar os cabelos com o Shampoo, aplique o condicionador e massageie suavemente.

Preço sugerido: R$14,90

salon line 3

Creme para Pentear {Pura definição!}#todecacho – 300ml – Com o creme para pentear você mantém seus cabelos saudáveis e definidos.

Modo de usar: com os cabelos limpos e úmidos, aplique o Creme para Pentear – Cheia de Onda – {Pura definição!} mecha a mecha, uniformemente do comprimento as pontas. Desembarace os fios com um pente de dentes largos e, em seguida, amasse-os iniciando o movimento das pontas até a raiz.

Preço sugerido: R$13,90

salon line 4

Máscara – Cheia de Onda – {Brilho extraordinário!}#todecacho – 500g – Com essa máscara de hidratação as ondas ficarão iluminadas e super hidratadas.

Modo de usar: com os cabelos limpos e úmidos, aplique Máscara Cheia de Onda {Brilho extraordinário!} mecha por mecha, massageando no sentido da raiz para as pontas. Deixe agir de 3 a 5 minutos e enxágue.

Preço sugerido: R$18,90

Salon Line – SAC: (11) 4134-2727 | sac@salonline.com.br

Salgados veganos à base de mandioca e batata-doce

A Uni Alimentos oferece sua primeira linha de chips à base de mandioca e batata-doce, raízes brasileiras. Os produtos são nos sabores batata-doce natural, mandioca natural, mandioca limão com pimenta e mandioca cebola e salsa. Os snacks são totalmente veganos, sem glúten e sem gordura trans.

Apesar de parecer um produto voltado ao público mais exigente, os Chips Brasil carregam uma incrível explosão de sabor capaz de atrair os mais diversos paladares, os snacks são mais saudáveis que os habituais, trazendo à tona todos os benefícios da batata-doce e da mandioca como a vitamina B1, vitamina C, o alto valor enérgico, o carboidrato e a proteína, além de ser produzido em óleo de palma.

Os produtos Chips Brasil podem ser encontrados em super e hipermercados, hortifrútis, lojas de produtos naturais, lanchonetes, padarias, empórios e lojas de conveniências por meio do aplicativo GoFind, lá você poderá localizar o ponto de venda que comercializa Uni Alimentos mais próximos de você.

 

Informações: Uni Alimentos

 

Receitas para uma ceia vegana de Natal

A ceia de Natal não precisa ser um momento de estresse para quem é vegano ou vegetariano. Se você ainda não pensou nas receitas para o dia 24 de dezembro, veja esta sugestão com três pratos sem ingredientes de origem animal para a sua ceia.

As receitas de entrada, prato principal e sobremesa foram retiradas de livros especializados na gastronomia vegana da Editora Alaúde.

Entrada

Crostini com patê de mandioquinha, tomate seco e rúcula – Livro Herbivoraz (Julia Guedes)

crostini

Ingredientes
6 fatias de pão
1 xícara de grão-de-bico cozido
1 xícara de mandioquinhacozida
suco de ½ limão
3 colheres (sopa) de azeite
1 colher (chá) de açafrão–da-terra em pó
sal a gosto
pimenta-do-reino moída agosto
folhas de rúcula a gosto
½ xícara de tomate seco

Modo de preparo
Leve o pão ao forno para tostar levemente. Enquanto isso, coloque o grão-de-bico,a mandioquinha, o limão, o azeite e o açafrão no processador e bata até obter um creme homogêneo. Tempere com sal e pimenta a gosto. Retire o pão do forno e passe o patê nas fatias. Coloque folhas de rúcula e tomate seco por cima. Sirva imediatamente.

Rende 3 porções

Prato principal

Nhoque de Mandioquinha – Livro Tempero Alternativo (André Fronza) 

nhoque da mandioquinha

Ingredientes
6 mandioquinhas pequenas (500 g)
2 colheres (chá) de sal (10 g)
pimenta-do-reino a gosto
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
½ xícara de fécula de batata (70 g) + um pouco para moldar

Modo de preparo
Descasque e corte em pedaços as mandioquinhas. Transfira para uma panela e cubra com água. Leve ao fogo e cozinhe até ficarem macias. Escorra a água do cozimento e coloque a mandioquinha em uma tigela. Esprema com um garfo enquanto ainda está quente, até formar um purê liso. Deixe esfriar por completo para o excesso de água evaporar. Para acelerar essa etapa, você pode espalhar o purê sobre um recipiente grande. Adicione metade do sal, a pimenta-do- -reino a gosto (caso queira), o azeite de oliva e a fécula de batata. Misture tudo até obter uma bola de massa homogênea que não grude nas mãos. Se necessário, adicione mais fécula de batata.

Rende 2 porções

Sobremesa

Naked Cake de chocolate – Livro Fru-Fruta (Pati Bianco)

naked cake

Ingredientes

Massa
3 colheres (sopa) de farinha de linhaça +2 colheres (sopa) de água morna
1 xícara de farinha de trigo integral
½ xícara de cacau em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
½ colher (chá) de fermento químico em pó
¼ de colher (chá) de sal
½ xícara de leite vegetal
½ xícara de café forte morno
½ xícara de água morna
1 colher (chá) de vinagre de maçã
1 colher (chá) de extrato de baunilha caseiro (p. 141)
½ xícara + 2 colheres (sopa) de açúcar demerara
1/3 de xícara de óleo de coco derretido

Ganache
2 xícaras (300 g) de chocolate sem leite picado
1/3 de xícara de leite de aveia caseiro
1 colher (chá) de óleo de coco derretido
frutas variadas para decorar

Modo de preparo
Preaqueça o forno a 180 °C e unte duas fôrmas redondas de 15 cm de diâmetro e fundo falso. Em uma tigelinha, misture a farinha de linhaça com a água morna e reserve. Em uma tigela grande, misture todos os ingredientes secos, exceto o açúcar. Em outra tigela, misture os líquidos, o açúcar e a linhaça reservada. Despeje a mistura úmida sobre os ingredientes secos e misture com um batedor de arame até obter uma massa homogênea. Divida a massa entre as duas fôrmas e leve para assar por 50 minutos a 1 hora, ou até inserir um palito no meio e ele sair quase seco. Essa massa é bem úmida, portanto não tem problema se o palito ficar com um pouco de resíduo. Retire do forno e espere esfriar para rechear.

Enquanto isso, prepare a ganache. Derreta o chocolate em banho-maria: coloque o chocolate em uma tigela refratária, encaixe-a na boca de uma panela com um pouco de água sem deixar que a água encoste no fundo da tigela. Leve esse conjunto ao fogo baixo, mexendo o chocolate até derreter. Retire do fogo. Aqueça um pouco o leite de aveia e despeje em fio sobre o chocolate, batendo vigorosamente com um batedor de arame ou um mixer elétrico. Adicione o óleo e continue batendo, até obter um creme viscoso e brilhante. Desenforme um dos bolos e espalhe metade da ganache sobre ele. Um bico de confeiteiro e uma espátula podem ser grandes aliados neste momento! Coloque o outro bolo sobre a camada de recheio e finalize com a outra metade da ganache. Decore com as frutas de sua preferência.

Rende 12 a 15 fatias

Fonte: Editora Alaúde