Arquivo da categoria: Tratamento

Fios mais longos com tratamentos na Superlua Azul de Sangue

Até 6 de fevereiro, o SpaDios oferece protocolos capilares naturais regidos pela mudança da lua que estimulam o metabolismo e potencializam o crescimento em até 1,8 cm em 28 dias

Para quem sonha em ter cabelos mais compridos e saudáveis, aproveitar o período de maior influência da lua na Terra pode fazer a diferença. Essa é a filosofia do SpaDios, salão especializado em tratamentos capilares naturais e que oferecerá protocolos especialmente voltados para o crescimento das madeixas até 6 de fevereiro em todas em suas unidades em São Paulo, Rio de Janeiro e Goiânia.

Idealizado pelas sócias-fundadoras do salão e hair-specialists Renata Souza e Déia Dios, o Day Moon começou na quarta-feira (31), quando o céu ficou como não se via há 150 anos por conta da Superlua. O fenômeno, que já aconteceu no começo do mês, surge agora mais potencializado pelo eclipse lunar, uma Lua de Sangue e uma Lua Azul.

“Fazemos um estudo detalhado para saber o período em que a Lua estará com sua maior força para montar o calendário que privilegiará os tratamentos voltados para essa finalidade”, conta Renata Souza sobre o menu de tratamentos, que inclui Bordado ou Corte para remoção de pontas duplas e ressecadas sem alterar o comprimento do cabelo, Laser a Frio e Multivitaminas, que agem na a desobstrução do couro cabeludo, no estímulo da circulação sanguínea e na remoção das pontas duplas e secas, evitando que os fios quebrem ou enfraqueçam, entre outros.

Tudo acontece por conta das marés, que ficam mais revoltas nesse período e, como tudo o que é líquido acaba sendo influenciado na Lua Cheia, o corpo não é diferente, visto que é composto por 70% de água. Entre as técnicas oferecidas pelo salão com essa finalidade estão os protocolos de Para comprovar os resultados, é feita uma “marquinha” semelhante a uma mecha de reflexo bem próxima à raiz para medir o quanto os fios cresceram. Em média, o crescimento é de 1,8cm em 28 dias: 80% a mais que em dias fora da influência da Lua Cheia.

Entre as famosas que são adeptas do Day Moon no SpaDios estão Marina Ruy Barbosa, Cleo Pires, Fernanda Souza, Giovanna Antonelli, Mariana Ximenes, entre outras. Veja, abaixo, os tratamentos preferidos por cada uma delas:

marina ruy.jpg

Marina Ruy Barbosa – entre os segredos das madeixas ruivas e longas está o Bordado, técnica de corte que consiste em revitalizar os fios e remover as pontas duplas, secas e danificadas, uma a uma. Sem alterar o corte e o comprimento, os cabelos ficam mais fortes para o crescimento.

mariana ximenes

Mariana Ximenes – luz de Quartzo é ao preferido da atriz. “Trata-se de uma sucção realizada no couro cabeludo por meio de ventosas, que aumentam a irrigação do bulbo capilar, ajudando a desobstruir o folículo piloso através de leves movimentos, proporcionando o fortalecimento e o nascimento de novos fios”, destaca Déia Dios.

cleo píres

Cleo Pires – o Detox Capilar é o eleito da atriz, já que ele é o responsável por eliminar o excesso de resíduos de xampu, finalizadores, poluição (que não saem com a lavagem comum), comprometendo a respiração do bulbo capilar e, consequentemente, crescer. Uma boa limpeza permite que ele cresça mais resistente.

fernanda souza.jpg

Fernanda Souza – o recurso do Laser a Frio é o adotado pela atriz para acelerar o processo de crescimento dos fios. Esse aparelho estimula a circulação local através da luz e de um leve estímulo de choque. A ação acontece na papila capilar (onde os fios são gerados), consequentemente, esses estímulos ajudam muito no crescimento e nascimento de novos fios.

giovanna antonnelli.jpg

Giovanna Antonelli – responsável por garantir o brilho, maciez e nutrição das madeixas da atriz, a Infusão Capilar consiste na aplicação de um blend de ervas personalizadas para a remoção profunda de células mortas, resíduos de produtos e oleosidade excessiva, que dificultam o nascimento de novos fios.

 

Informações: SpaDios

Anúncios

Cor da arcada dentária pode interferir em resultado de procedimento

Uma mesma pessoa pode apresentar variações de cor na arcada dentária, podendo interferir no resultado do procedimento estético; Conselho Regional de Odontologia de São Paulo explica melhor a seguir

O clareamento dentário está entre os procedimentos estéticos mais procurados nas clínicas e consultórios odontológicos. Porém, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) alerta que um sorriso mais claro depende de muitas variáveis, entre elas a cor original dos dentes. Sendo assim, duas pessoas podem se submeter ao mesmo tratamento, mas dificilmente obterão resultados idênticos.

A cor dos dentes – que pode ser influenciada por agentes externos ao longo da vida – é determinada pela dentina, tecido dental interno do elemento dental. Por cima vem o esmalte, transparente e translúcido. É nele que estão as moléculas de pigmento.

Cada dente de uma mesma pessoa ainda pode apresentar coloração diferente. Isso porque dependendo da região do dente, e diante da quantidade de esmalte sobre a dentina poderemos ter alteração da matriz (cor original do dente).

Os dentes incisivos, em geral são mais claros, enquanto os caninos e molares são mais escuros. Além disso, a tonalidade dos dentes da arcada de cima nem sempre é a mesma da debaixo.

Para identificar a coloração do dente do paciente o cirurgião-dentista pode utilizar uma escala ou o espectrofotômetro que mede a luz absorvida, transmitida ou refletida pelo dente. As tonalidades variam e vão do amarronzado ao cinza rosado.

Por isso, ao submeter-se a um procedimento de clareamento, é importante que o paciente tenha ciência de que o branco total, de forma igualitária em toda a arcada, pode ser muito difícil.

Sendo assim a dica é conversar com o cirurgião-dentista, esclarecendo todas as dúvidas previamente, além é claro de seguir a risca as orientações profissionais.

Hábitos que prejudicam a saúde e a estética

Além do procedimento estético de clareamento é importante ter atenção com alguns hábitos cotidianos para manter a saúde e a beleza do sorriso.

mulher escovando dentes
Foto: JanFidler/Morguefile

Não escovar os dentes – utilizando a pasta de dente com flúor, escova e fio dental – após as refeições, pode influenciar na coloração. Principalmente quando há ingestão excessiva de alimentos como café, do vinho, chá preto e etc.

cigarro queimando gde
Banco de imagens/Google

Outro vilão para o sorriso é o tabagismo. O cigarro conta com muitas substâncias tóxicas e entre elas estão a nicotina e o alcatrão que impregnam nos dentes, deixando-os amarelados.

Mesmo evitando todos esses maus hábitos é imprescindível consultar um profissional com regularidade e somente, após avaliação do mesmo se submeter a procedimentos odontológicos. Lembrando que receitas caseiras e a automedicação podem ser um perigo para a saúde.

dia do dentista mulher

Fonte: CROSP 

Dez mitos e verdades sobre a aplicação de botox

O Botox é um daqueles assuntos que costumam gerar um amplo debate entre as pessoas. Isso ocorre porque a maioria delas já ouviu falar dele, porém poucas sabem o que é essa substância e de que forma ela verdadeiramente funciona.

Pensando nessas questões, a Sadeb Clínica Médica preparou um infográfico no qual fala sobre os 10 principais mitos e verdades a respeito da aplicação da toxina botulínica. Confira:

1-Os-10-mitos-e-verdades-sobre-a-aplicação-do-botox.png

2-Os-10-mitos-e-verdades-sobre-a-aplicação-do-botox3-Os-10-mitos-e-verdades-sobre-a-aplicação-do-botox4-Os-10-mitos-e-verdades-sobre-a-aplicação-do-botox5-Os-10-mitos-e-verdades-sobre-a-aplicação-do-botox6-Os-10-mitos-e-verdades-sobre-a-aplicação-do-botox

 

Novo tratamento melhora resultados da fertilização in vitro em mulheres maduras

Novo protocolo com uso prolongado do hormônio de crescimento (GH) nas pacientes com mais de 40 anos e baixa reserva ovariana, apresentado em congresso, aumenta chances de gravidez

Mulheres que tiveram falhas em várias tentativas de tratamentos de fertilização in vitro (FIV) se enquadram na categoria de más respondedoras. Para o ginecologista e especialista em reprodução humana, Arnaldo Cambiaghi, diretor do centro de reprodução humana do Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia (IPGO), pacientes com risco de má resposta devem ser identificadas pelos médicos antes de iniciar um ciclo de FIV. “O IPGO usa testes de reserva ovariana para avaliar a resposta esperada aos medicamentos estimulantes”, afirma. Para a avaliação são recomendados os seguintes exames:

-Análises de sangue de hormônioantimulleriano (AMH)
-Exames de sangue no dia 3 do ciclo para avaliação do FSH, LH e estradiol
-Contagem de folículos antrais por ultrassom

Esses testes identificarão a maioria das pacientes más respondedoras antes que comecemos o tratamento de FIV. Identificar o problema com antecedência nos permite uma oportunidade de fazer algo para melhorar a resposta (e o resultado) na primeira tentativa de FIV.

“A definição de uma má respondedora é variável, mas a idéia básica é que são pacientes que respondem com poucos óvulos maduros aos protocolos habituais de estimulação ovariana, o que significa menos óvulos recuperados, resultandoem menor número de embriões e uma chance menor de se ter um bebê”, admite Cambiaghi.

Um exemplo: mulheres com menos de 35 anos dão uma média de 12 óvulos em um tratamento de FIV, no entanto, as más respondedoras só produziriam cerca de 1 a 4 óvulos. As chances de sucesso nos tratamentos de FIV são muito dependentes de duas variáveis ​​- a quantidade e a qualidade dos óvulos.

“Portanto, se pudéssemos chegar a um tratamento que ajudasse as más respondedoras a produzir mais óvulos e de melhor qualidade, ou ambos, seríamos capazes de melhorar positivamente a chance de se ter um bebê. Vários tipos de protocolos de suplementação têm sido usados ​​para tentar melhorar os resultados para essas pacientes, e a maioria deles é estimulador das mitocôndrias”, conta o médico.

As mitocôndrias

O estudo “Mitochondria, Growth Hormone and Embryo Quality: a New Perspective of IVF (Mitocôndria, hormônio de crescimento e qualidade do embrião: uma nova perspectiva da FIV)” foi apresentado pela médica Xiao-Yan Liang (do Reproductive Medicine Research Center – 6th Affiliated Hospital of Sun Yat University – China) durante o 9th Annual Assited Reproductive Technology World Congress, em Nova York, no final de outubro deste ano e deixou a plateia interessada no tema.

As mitocôndrias são organelas situadas no citoplasma das células (fora do núcleo). Desempenham um papel essencial na capacidade celular de produzir ATP (adenosina trifosfato), que é a unidade básica de energia utilizada pelo nosso corpo para manter as funções vitais.

Aproximadamente 90% de toda a energia do corpo é produzida pelas mitocôndrias. Em algumas células, há apenas algumas mitocôndrias, enquanto em outras há milhares. Se não fossem as mitocôndrias, não haveria vida; elas são as estruturas energéticas centrais da célula. Com o passar dos anos, ou mesmo em uma fase mais precoce da vida da mulher, a quantidade de mitocôndrias diminui ou se tornam menos funcionais, provocando diminuição do ATP e um provável envelhecimento dos óvulos.

Essa diminuição leva a um prejuízo da divisão dos cromossomos e a um aumento de malformações fetais, comuns nas mulheres com mais idade. O conteúdo de DNA mitocondrial (mtDNA) dos óvulos é crucial para o resultado da fertilização e pode explicar alguns casos de falha de fertilização.

Vários tipos de protocolos de suplementação têm sido usados para estimular as mitocôndrias como a Coenzima Q10, o Resveratrol, a L-carnitina e o ácido alfalipoico. Outra possibilidade é o uso do hormônio do crescimento.

Como funciona o novo protocolo com hormônio de crescimento

O hormônio de crescimento (GH)

O hormônio GH (GrowthHormone–Hormônio do Crescimento) é sintetizado pela hipófise e, como o próprio significado sugere, é responsável pelo controle do crescimento do ser humano. Devido à sua função, passou a ser empregado em técnicas de reprodução assistida, principalmente em casos de pacientes com baixa reserva ovariana ou “más respondedoras”. O GH age no organismo todo, promovendo o crescimento e o desenvolvimento de todas as células do corpo humano. Estudos realizados constantemente ao longo dos últimos anos têm apontado o hormônio GH como um grande influenciador da função ovariana.

“Vários estudos mostram taxas de sucesso de FIV significativamente melhores nas pacientes que adicionaram este hormônio ao tratamento de estimulação aumentando significativamente as chances de uma gravidez e onascimentode um bebê”, explica Cambiaghi.

O mecanismo pelo qual o hormônio de crescimento (GH) pode melhorar as taxas de sucesso da fertilização in vitro não está claro. No entanto, com base em estudos em animais e humanos, tem sido demonstrado que este hormônio está envolvido na produção de hormônios esteroides no ovário e no desenvolvimento de folículos ovarianos, aumento significativo na expressão dos receptores dos hormônios FSH e LH nas células da granulosa e aumento significativo da função mitocondrial.Estudos têm demonstrado que, em ratinhos, quando está faltando o receptor e a proteína de ligação do hormônio de crescimento, há uma redução significativa no desenvolvimento de folículos ovarianos.

Cambiaghi completa: “Outros estudos têm demonstrado taxas melhores de gravidez e nascidos vivos com FIV após a suplementação do hormônio do crescimento em pacientes más respondedoras. No entanto, é importante deixar claro que essa suplementação não é um tratamento mágico, pois muitas mulheres que usam este hormônio ainda terão tentativas infrutíferas de FIV”.

FIV.png

Como o GH auxilia em tratamentos de Reprodução Assistida?

O hormônio GH atua por meio da estimulação da somatomedina C, ou IGF-1 (fator de crescimento de insulina I). É encontrado em vários tecidos e também nos folículos ovarianos, porém, de acordo com estudos, a quantidade desse hormônio é menor em mulheres que apresentam baixa reserva ovariana. Logo, conclui-se que a redução do IGF-1 altera as funções celulares de mulheres com idade avançada ou acometidas pela Insuficiência Ovariana Prematura.

Partindo desse princípio, pesquisas recentes demonstraram que mulheres com baixa contagem de óvulos que tiveram o hormônio GH adicionado ao protocolo de estimulação ovariana tiveram uma melhor resposta folicular. O uso do hormônio GH pode, ainda, aprimorar a qualidade dos óvulos, proporcionando embriões de melhor qualidade e, consequentemente, aumentando as taxas de gravidez. Entretanto, interfere pouco na quantidade de óvulos gerados na indução da ovulação.

Cambiaghi diz que existem duas razões para esse resultado:

· A administração do hormônio GH durante a estimulação ovariana gera uma melhor resposta das gonadotrofinas (medicações, normalmente injetáveis, utilizadas durante a indução ovariana), por meio da regulação dos receptores de FSH (hormônio folículo estimulante).

· O hormônio do crescimento no óvulo reforça a atividade mitocondrial.

Assim, há comprovação de que os óvulos de mulheres acometidas por baixa reserva ovariana são de melhor qualidade e com mitocôndrias mais funcionais quando recebem hormônio GH. Isso tem incentivado muitos países a já adotarem o uso do hormônio do crescimento em tratamentos de reprodução assistida para mulheres na mesma situação.

Protocolos de aplicação do GH

· Esquema curto – Esquema tradicional de aplicação do GH

Os protocolos são variáveis. As doses mais eficazes do hormônio do crescimento e a duração ainda não foram esclarecidas. Até a atualidade, os estudos publicados utilizam doses entre 4mg – 24mg, administradas diariamente ou a cada dois dias, utilizadas durante os primeiros dias de estimulação ou para toda a fase de estimulação. Alguns ensaios clínicos têm demonstrado a sua efetividade quando combinados a protocolos tradicionais de indução de ovulação em mulheres com reserva ovariana diminuída, pois melhoram a função ovariana e aumentam as taxas de gravidez, mas não aumentam a produção de óvulos.

· O novo protocolo – Esquema longo

Um novo protocolo pode oferecer melhores resultados: o Esquema Longo do GH. O hormônio GH é iniciado em uma fase precoce, antes da estimulação ovariana e estimulando precocemente as mitocôndrias dos óvulos.

Por que o esquema longo?

Ovogênese e foliculogênese: processo no qual ocorre a formação dos óvulos e tem início antes do nascimento da mulher, ou seja, durante o seu desenvolvimento embrionário, ainda dentro do útero, mais ou menos no terceiro mês de sua vida intrauterina, e continuam se desenvolvendo na fase infantil, na puberdade e na fase adulta até a menopausa. Durante toda a vida da mulher, alguns óvulos evoluem para a maturidade e se mostram adequados para serem fecundados e gerar bebês saudáveis, e muitos outros não. Estes se perdem, não evoluem e se tornam atrésicos (degenerados). Portanto, a formação final do óvulo para ser fertilizado passa por vários estágios que se iniciaram na fase inicial em que a mulher está ainda no útero de sua mãe (fase embrionária): folículo primordial, folículo primário, folículo secundário; e outra final, que se inicia 85 dias antes da ovulação: folículo preantral, folículo antral precoce e folículo antral.

Após passar por esses estágios de desenvolvimento, os folículos seguem para uma fase final de recrutamento que se inicia logo após a menstruação, na qual 15-20 folículos são selecionados, entram na fase de crescimento, mas somente um é selecionado para a maturação final. Nos ciclos induzidos, como é o caso dos programas de fertilização, mais óvulos são selecionados. Portanto, devemos correlacionar as fases da foliculogênese até o folículo preovulatório da seguinte forma: crescimento folicular – 65 dias, recrutamento e seleção – 10 dias e maturação final – 10 dias.

ilustração ipgo

O Protocolo Longo

Este protocolo baseia-se na ideia que a maioria dos estudos até hoje publicados mostra que o protocolo curto, que aplica o GH exclusivamente no período concomitante à estimulação ovariana, não é aplicado no período mais importante, quando os folículos ainda são pequenos e são mais receptivos aos efeitos proliferativos do IGF-1 (ovogênese e folículogênese). Neste novo protocolo, os pesquisadores colocam a hipótese de que ao iniciar o GH, pelo menos 6 semanas antes do início da fertilização, a produção de óvulos poderia aumentar e melhorar ainda mais as chances de gravidez.

O objetivo deste protocolo é melhorar a resposta ovariana à estimulação das gonadotrofinas para FIV pela adição do hormônio de crescimento humano durante o estágio inicial do desenvolvimento do folículo. Essa hipótese baseia-se em observações prévias de efeitos do hormônio do crescimento em folículos pequenos e do fato de que estudos anteriores utilizaram o GH somente durante a própria indução da ovulação. Portanto, a aplicação do GH pode ser mais efetiva se for administrada pelo menos 6-8 semanas antes do início do ciclo de FIV, visando os pequenos folículos em crescimento.

A aplicação do GH inicia-se 60 dias antes da data provável da captação dos óvulos. Isto é, antes do início do ciclo menstrual anterior ao ciclo que será induzido.

Importante: por se tratar de um tratamento prolongado com medicação injetável (60 dias), é recomendado que seja indicado sob a luz de critérios rigorosos.

Fonte: Arnaldo Schizzi Cambiaghi é diretor do Centro de reprodução humana do IPGO, ginecologista-obstetra especialista em medicina reprodutiva. Membro-titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica, da European Society of Human Reproductive Medicine. Formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa casa de São Paulo e pós-graduado pela AAGL, Illinois, EUA em Advance Laparoscopic Surgery. Também é autor de diversos livros na área médica.

Ozonioterapia é opção de tratamento natural para os pets

Novo recurso terapêutico utilizado no Centro Veterinário da Petz auxilia no combate a várias doenças, na reabilitação, cicatrização de feridas, infecções e na dor crônica

Você já ouviu falar que o gás ozônio tem ação terapêutica? Esse gás que faz parte da atmosfera é aplicado também em tratamentos de saúde. Aqui no Brasil ele é aprovado para fins veterinários e tem sido utilizado como alternativa contra a dor, inflamações e no combate a várias doenças. No Centro Veterinário da Petz, esse recurso terapêutico é um complemento a tratamentos clínicos, para promover o bem-estar e a qualidade de vida dos pets.

O que é

“Com ação antibacteriana, anti-inflamatória e antiviral, é uma terapia complementar que, além de aliviar a dor, ajuda no controle de inflamações, acelera o processo de cicatrização e ativa os sistemas de antioxidantes e imunológico, entre outros benefícios”, afirma a veterinária Marcela Michilato, do Centro Veterinário da Petz.

A sessão de ozonioterapia demora de dez a 20 minutos e não precisa de sedação. Um equipamento converte moléculas de oxigênio em gás ozônio, que é captado por meio de uma seringa conectada ao aparelho. A aplicação pode ser feita de várias formas: insuflação (retal), endovenosa, intramuscular, intra-articular e sub-cutânea. A quantidade de ozônio é controlada e existem protocolos veterinários para cada caso.

ozonoterapia county animal clinic
Foto: County Animal Clinic

Indicações

Ao reagir no organismo, o ozônio ativa as substâncias antioxidantes e promove uma grande liberação de oxigênio para as células, estimulando o sistema imunológico e o metabolismo. “Por causa de sua ação antimicrobiana, ele é indicado para casos de parvovirose, por exemplo, pois combate a doença de uma forma mais rápida, além de servir também como prevenção para outras enfermidades”, explica Marcela.

Ela orienta ainda que esse recurso pode ser combinado com outras terapias, mas que não deve substituir os tratamentos tradicionais. E só deve ser aplicado com profissionais certificados. Além das doenças infectocontagiosas, sua aplicação é indicada para problemas de coluna, musculares, artrite, artrose, displasia coxofemoral, dermatites, doenças neurológicas e no pós operatório de diversas cirurgias para alívio de dor. “No caso de tumores, ele ajuda a diminuir o tamanho, aumentando a expectativa de vida desses pacientes”, diz a veterinária.

ozone-treatment-animal-hospital-of-lake-mary
Foto: Animal Hospital of Lake Mary

Serviço

Petz Centro Veterinário 24h
Av. Pacaembu, 1.140, Pacaembu – São Paulo
Telefone: (11) 2181-7480 / (11) 2609-2519
Horário de funcionamento: segunda a domingo – 24h

Petz Marginal Tietê 24h
Av. Presidente Castelo Branco, 1.795, Pari – São Paulo
Telefone: (11) 2181-7380
Horário de funcionamento: segunda a domingo – 24h

Informações: Petz

FIV: pesquisa revela que obesidade dificulta gravidez e causa mais abortos

Além das taxas de gestação bem menores, as pacientes obesas que se submeteram à fertilização in vitro apresentaram taxas de abortamento quase cinco vezes maiores se comparadas com as mulheres com peso normal

O impacto da obesidade nos resultados dos tratamentos fertilização in vitro. Esse foi o tema do estudo, realizado em Brasília, com pacientes com média de idade entre 34 e 37 anos, que se submeteram a ciclos de fertilização in vitro entre janeiro de 2014 e dezembro de 2016. No total, o estudo envolveu 567 ciclos de fertilização in vitro.

O objetivo foi avaliar a influência do Índice de Massa Corpórea (IMC) nos resultados da FIV. O estudo constatou que há uma diminuição progressiva nas taxas de gestação e um aumento progressivo nas taxas de abortamento de acordo com o aumento do IMC. A outra conclusão é que as pacientes obesas e com sobrepeso devem reduzir o peso antes de submeter-se a uma FIV.

A pesquisa, realizada pelos ginecologistas e especialistas em Reprodução Humana, Vinicius Medina Lopes, Jean Pierre Barguil Brasileiro e Natália Zavattiero, do Instituto Verhum, em Brasília, concluiu que a possibilidade de engravidar diminui quando a mulher sofre de obesidade e, ao mesmo tempo, quando ela consegue engravidar as chances de uma aborto aumentam.

“A recomendação para as mulheres com obesidade ou sobrepeso que vão iniciar um tratamento para engravidar é que elas percam peso antes”, explica o médico Vinicius Medina Lopes, diretor do Instituto Verhum e um dos responsáveis pela pesquisa. “A obesidade causa irregularidade nos ciclos menstruais, diminuição de ciclos ovulatórios e compromete a capacidade reprodutiva. Por isso, a mulher que deseja ter filhos e está acima do peso deve buscar orientação médica e nutricional antes de iniciar o tratamento”, esclarece o médico Jean Pierre Barguil Brasileiro, diretor do Instituto Verhum e também responsável pela pesquisa.

“Mais da metade da população brasileira, que reside nas capitais, está acima do peso e essa realidade tem contribuído para reduzir a taxa de fecundidade no país”, afirma o Lopes.

diocesePhoenix-catholic-in-vitro-fertilization

Dados do Estudo

No estudo, as mulheres com peso normal que se submeteram ao tratamento de fertilização apresentaram uma taxa de gravidez de 54,8%. Esse índice entre as mulheres com sobrepeso ficou em 45,9%. Já as mulheres obesas tiveram apenas 40,9% de taxa de gravidez nos ciclos de fertilização in vitro realizados.

Nas mulheres com peso normal, as taxas de abortamento espontâneo ficaram em torno de 13,8%. Dentre as mulheres com sobrepeso, o índice ficou em 17,8%. Já nas pacientes obesas, essas taxas foram de 66,6%.

Uma pessoa com Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30 é considerada obesa. O IMC é calculado dividindo-se o peso da pessoa em quilos por sua altura ao quadrado. Para a realização da pesquisa, as pacientes foram divididas em três grupos de acordo com seu IMC. Um dos grupos era de pacientes com IMC menor ou igual a 25, ou seja, com o peso normal; o outro era formado por pacientes com sobrepeso e IMC entre 26 e 30. O terceiro grupo era de pacientes com IMC superior a 30, aquelas que sofrem de obesidade.

Obesidade e infertilidade feminina

mulher gordinha obesa pixabay
Pixabay

A obesidade e o sobrepeso causam diversas consequências para a saúde. Uma delas é a infertilidade. O excesso de peso afeta o processo de ovulação. A produção de estrogênio, hormônio sexual feminino, está associada à gordura corporal e o seu excesso no organismo causa um desequilíbrio hormonal e diminui as chances de engravidar naturalmente.

O excesso de peso também diminui as chances de obter resultados positivos nos tratamentos envolvendo as técnicas de reprodução humana assistida. As probabilidades de insucesso no tratamento e na gravidez aumentam significativamente em pacientes obesos.

Além de causar infertilidade, elevar as taxas de aborto e aumentar os riscos da gravidez, a obesidade pode causar complicações sérias, colocando a vida da mãe e do bebê em risco durante e após o parto. Mulheres obesas apresentam um risco muito maior de partos prematuros, hipertensão arterial, diabetes relacionada à gestação e pré-eclâmpsia. Essas mulheres também apresentam, com mais frequência, infecções de feridas cirúrgicas e complicações anestésicas.

Fonte: Instituto Verhum

Procedimento não invasivo melhora a flacidez e harmonização facial

Denominado Thermi Smooth, o tratamento utiliza o controle de temperatura na aplicação da radiofrequência para harmonizar pontos estratégicos do rosto e melhorar a flacidez da região dos olhos, boca e áreas menores

Fantasma que assombra dez entre dez mulheres, a flacidez faz parte do processo natural de envelhecimento da pele por conta da perda de colágeno, uma vez que depois dos 30 anos o corpo não produz mais essa proteína. Daí a importância de pensar em sua prevenção antes que o problema apareça.

Apesar da dificuldade em combater esse mal, a ciência nos dá uma “mãozinha” e não para de evoluir ao trazer tratamentos simples e eficazes. Já existem tratamentos não cirúrgicos que ajudam na produção do colágeno e na sustentação de pontos específicos da face.

O mais novo deles chama-se Thermi Smooth, uma aplicação de radiofrequência monopolar não invasiva que pode ser realizada na região dos olhos, boca e áreas menores para prevenir e melhorar a flacidez dessas áreas delicadas. Ele não apenas combate a flacidez por si só, mas também pode ser usado para harmonizar os traços do rosto, aplicando em pontos de sustentação da face e resultando em um aparência mais equilibrada, jovem e natural.

“A aplicação do Thermi Smooth é pontual e funciona por meio da emissão de calor controlada. Sendo assim, o médico pode chegar a uma temperatura mais alta que outros aparelhos sem incomodar o paciente, obtendo resultados melhores para tratamento de áreas menores, como olhos, boca, sobrancelha”, afirma a dermatologista Aurea Lopes, .

A médica acrescenta que esse tratamento não tem downtime, ou seja, tempo de recuperação e, por isso, as pessoas podem continuar suas atividades normalmente após o tratamento. “Para manter o resultado são necessárias algumas sessões e manutenção das mesmas a cada três meses e isso ocorre porque o rejuvenescimento é progressivo e cumulativo”, explica.

thermi
1ª Imagem: antes do tratamento; 2ª imagem: duas semanas após o primeiro procedimento; 3ª imagem: três semanas após o segundo procedimento – Foto: Thermi Smooth

Diferente das demais radiofrequências existentes no mercado, a monopolar tem sido muito usada para rejuvenescimento de face e corpo desde 2003. Essa técnica apresenta resultados satisfatórios, pois permite a entrega de energia térmica na derme profunda, sem danos epidérmicos ou neurovasculares.

Assim, o aquecimento da derme promove três diferentes respostas terapêuticas:
· Contração imediata de colágeno
· Remodelação imediata de colágeno
· Estímulo de neocolagênese em longo prazo

Radiofrequência por controle de temperatura: uma entrega mais homogênea e eficaz de resultados

O Thermi Smooth tem como principal diferencial a utilização da radiofrequência monopolar com controle de temperatura, estimulando a produção de colágeno para a harmonização e rejuvenescimento do rosto de forma natural.

O Thermi Smooth é realizado por meio de um aplicador cuja amplitude de tratamento pode ser realizado de 35ºC a 47°C. “A emissão de energia é controlada, isso significa que regulamos a temperatura máxima da aplicação de forma igual durante todo o período do tratamento, o que torna o procedimento mais eficaz, seguro e confortável ao paciente”.

Segundo a dermatologista, o tratamento possui resultados garantidos porque o aquecimento significativo da derme promove a contração imediata do colágeno logo no primeiro momento, e em seguida, a sua remodelação é imediata. Em longo prazo, há um estímulo da produção de novas fibras de colágeno (neocolagênese).

thermi smooth
Imagens: Thermi Smooth

Além disso, esse equipamento permite tratar também cicatriz de acne, flacidez ao redor dos olhos, pálpebras e melhorar a textura da pele. Os resultados podem ser observados logo após a primeira aplicação. Tanto é verdade que já existe o famoso ‘tratamento party’ com esse aparelho, em que a pessoa faz o procedimento antes de ir para uma festa e tem um excelente resultado imediato de rejuvenescimento. Logo após a segunda sessão, já é possível observar uma melhora surpreendente.

Fonte: MedSystems

Embolização de miomas: alternativa para mulheres que não querem perder o útero

Os miomas uterinos são nódulos benignos que acometem o útero, podem aparecer e crescer como um ou múltiplos nódulos. Dependendo do número e localização dos miomas, eles podem levar à infertilidade (quando se trata de infertilidade, diversos fatores devem ser investigados também).

O tratamento pode ser medicamentoso e/ou cirúrgico, sendo a embolização dos miomas uterinos um dos procedimentos menos invasivos, pois interrompe o fluxo sanguíneo para os miomas e desta maneira faz com eles diminuam e parem de provocar hemorragias menstruais. Como a embolização é um tratamento minimamente invasivo, em alguns casos, substitui a retirada de todo o útero (histerectomia).

Denis Szejnfeld, Cirurgião Endovascular do Hospital Certa em São Paulo, explica que algumas mulheres podem ter miomas e serem completamente assintomáticas. Dependendo do número, tamanho e localização dos nódulos, a paciente pode apresentar sintomas geralmente relacionados à menstruação e à fertilidade. “As pacientes, quando sintomáticas, geralmente apresentam menstruações com grande volume de sangue e/ou menstruações que duram muitos dias. Isto trazer desconforto e até anemia”, completa o especialista.

O tratamento pode ser medicamentoso com administração de hormônios ou bloqueadores de hormônios com o intuito de bloquear o estímulo hormonal e fazer com que os miomas parem de crescer ou que, ainda, o sangramento intenso seja controlado. Colocação de DIU e por meio de tratamento cirúrgico: a retirada total do útero que se chama histerectomia e a retirada apenas dos miomas chamada miomectomia.

A embolização de miomas uterinos é uma técnica minimamente invasiva que consiste em interromper o fluxo sanguíneo fazendo com que eles diminuam e parem de provocar hemorragias menstruais. É um procedimento minimamente invasivo que consiste em uma punção na região da virilha seguido de inserção de um fino cateter que vai até a região dos miomas.

cama mulher sono dormir pixabay dieter robbins
Foto: Dieter Robbins/Pixabay

Por meio do cateter são injetadas partículas (pequenas bolinhas) que ocluem a irrigação de sangue para os miomas. Assim, os miomas regridem e deixam de causar sintomas. Nos primeiros dias após a embolização é comum sentir algumas cólicas e dor na pelve que são controladas com alguns analgésicos e anti-inflamatórios específicos. Geralmente, a paciente permanece em observação de 12 a 24 horas após o procedimento.

Denis explica que em alguns casos a paciente pode apresentar múltiplos nódulos ou, ainda, nódulos cuja retirada cirúrgica seja bastante complexa, com risco de perda do útero durante a cirurgia. Nesses casos, a embolização está indicada para tratar os miomas sem risco de perda do útero, especialmente em pacientes que ainda tenham desejo reprodutivo.

Fonte: Denis Szejnfeld possui graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Realizou residência em Radiologia e Diagnóstico por Imagem na Unifesp/EPM e especialização em radiologia intervencionista e cirurgia endovascular pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é colaborador assistente do setor de radiologia intervencionista vascular da Universidade Federal de São Paulo, coordenador da radiologia cardiovascular – Clínica Cura, diretor médico do CERTA – Hospital-Dia, preceptor da residência de radiologia e diagnostico por imagem do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual e Complexo Hospitalar do Mandaqui

 

Lush lança tratamentos de óleos quentes para cabelo e couro cabeludo

Os novos tratamentos de óleos quentes para cabelos e couros cabeludos chegaram para facilitar a vida de todas nós. Isso porque, em apenas 20 minutos, eles hidratam, fortificam e deixam um resultado maravilhoso

Quando se trata de óleos essenciais, esses tratamentos de óleo quente são perfeitos. Recheados de sucos de fruta e repletos de óleos essenciais prometem deixar o dia mais luxuoso.

E se os cabelos maravilhosos ficassem prontos em apenas 20 minutos? Melhor ainda, e se você pudesse se divertir com uma experiência de salão de beleza no conforto de sua própria casa?

O que são os tratamentos de óleo quente?

Inspirados nos indulgentes palitinhos de chocolate quente Belga, os tratamentos de óleo quente darão um toque de requinte para uma noite aconchegante em casa. Cinco diferentes tratamentos te esperam, com opções para cabelos sedentos (damaged) até para quem ama um volume (yuge). Você pode escolher a quantidade de água que coloca de acordo com as necessidades do seu cabelo, o que os torna bem flexíveis. Obter o efeito desejado nunca foi tão fácil.

Diferente de muitos tratamentos capilares, esses óleos quentes foram feitos para serem usados antes do shampoo, antes de molhar os cabelos, como o cientista e inventor de cosméticos Lush, Daniel Campbell, explica: “Ao usar os tratamentos nos cabelos secos você não dilui o produto, e todos os maravilhosos óleos essenciais e frutas frescas podem penetrar profundamente nos fios”. Um divino mix de ervas e flores, que ao se adicionar água, criam luxuosas infusões para cabelos naturais maravilhosos.

Para aqueles que se preocupam com o meio ambiente, os produtos são pelados (sem embalagens). Kirstie Maclean, designer de marca, explica: “Essencialmente nós queríamos dispensar as embalagens desnecessárias, e com isso, criamos ícones ilustrando o “Passo a Passo” de como usar, que transcende as barreiras de idioma. Esses ícones são impressos digitalmente nos palitos de madeira do produto, fazendo com que eles sejam simples de usar, ao mesmo tempo que diminuímos o número de embalagens. ”

Qual o problema?

damaged_hot_oil_treatment_stick

Adorne seu cabelo com uma coroa de opulentos óleos naturais para madeixas saudáveis. Os ricos óleos de oliva, abacate e amêndoas irão revestir, proteger e fortalecer cada fio elevando os níveis de proteína e vitaminas.

Um tratamento de óleo quente reparador. Damaged é perfeito para quando seu cabelo precisar de uma dose extra de amor. O óleo de oliva envolve os fios para manter a umidade e melhorar a elasticidade e resistência à tração do cabelo, e também previne futuros danos, enquanto umas pitadas de sal marinho deixam suas madeixas mais maleáveis.

Dependendo do quão sedento seu cabelo está, você pode customizar a consistência do tratamento. Daniel Campbell disse: “A coisa mais legal do Damaged é que além de conter óleos de oliva, amêndoas e abacate, você pode deixa-lo mais fino ou mais concentrado. “ Uma consistência mais diluída é perfeita para cabelos finos que absorvem com mais facilidade, enquanto uma consistência mais encorpada é melhor para cabelos que precisam de um empurrãozinho extra para se aproveitar da hidratação. O Damaged é perfeito se você procura cabelos suaves e leves, mas que ainda têm um pouco de volume.

Um bom dia para seus cabelos

Quando você quiser que seu cabelo seja o evento principal, o tratamento de óleo quente Marilyn fará com que ele fique com um brilho digno de cinema.

O açafrão e a camomila dão um toque de sensualidade para os fios, tonalizando cabelos loiros, e os deixando de cair o queixo. A camomila desidratada e cortada cria uma rica infusão calmante e iluminadora, enquanto o pó de linhaça se transforma em um gel condicionante livre de óleos, que reveste cada fio de cabelo, dando um brilho acetinado.

Por conter ervas cortadas, e não em pó, os efeitos dos tratamentos são potencializados; como Daniel Campbell explica: “Nós colocamos todas as ervas que tinham na versão líquida do Marilyn em um moedor de café, e trituramos um pouco. Por não serem em pó, as ervas retêm mais nutrientes e sua microflora fica intacta, e quando colocamos água, elas se reidratam, criando uma incrível infusão para os cabelos. Açafrão, linhaça e camomila possuem efeitos benéficos principalmente para cabelos loiros, deixando-os iluminados”.

E tem mais, um toque de suco de limão orgânico, deixará os fios deslumbrantes, encorajando as cutilas dos fios a manterem fechadas, e refletindo mais luz, enquanto a proteica soja dá força aos cabelos. Você não precisa necessariamente ser loiro para se beneficiar deste calmante e iluminador tratamento.

Recomendações médicas

Imagine-se entrando por uma pesada porta feita de madeira de um antigo boticário, um homem com barba arrastando algumas caixas guardadas, e te dando esta receita feita à mão para seu couro cabeludo, e então, o homem desaparece como num passe de mágica. Ok, isso pode ser um pouco exagerado, mas o terroso e restaurador Hair Doctor é recheado de requintados ingredientes naturais que ajudarão a acalmar os couros cabeludos mais problemáticos.

O musgo irlandês forma um generoso gel condicionante que irá revestir os cabelos, enquanto o alecrim balanceia o couro cabeludo. A hortelã pimenta ajuda a estimular os folículos capilares. A treinadora de produto e marca Aleksandra Herbich explica: “A hortelã pimenta estimula a circulação sanguínea no couro cabeludo, e isso faz que a quantidade de nutrientes dos folículos capilares aumente. Isso ajuda o crescimento de cabelos, e com um couro cabeludo calmo a queda de cabelo diminui”.

A absorvente argila; Terra de Fuller limpa ativamente os cabelos e couro cabeludo, enquanto a levedura dá um efeito probiótico e ajuda a acalmar qualquer irritação. A rica e amaciante lanolina, o hidratante óleo de coco e a proteica soja, acalmam e deixam as madeixas soberbamente suaves, enquanto a henna vermelha ajuda com o brilho. Um couro cabeludo saudável significa cabelos saudáveis.

Gostamos de volume

Coloque uma música para tocar e aumente o volume com o Yuge, um tratamento de óleo quente refrescante repleto de hortelã pimenta. Para quem tem os cabelos finos e gosta de um certo volume, este tratamento possui óleos essenciais e ervas frescas em abundância que ajudarão a conseguir um volume dos sonhos.

O rico xarope de agave azul incha as cutículas do cabelo, deixando-os mais cheios e encorpados ao mesmo tempo que hidrata. O leve óleo de jojoba balanceia a produção de sebo, garantindo que suas madeixas permaneçam suaves e esvoaçantes, hidratando os cabelos e o couro cabeludo para uma juba de dar inveja. A hortelã pimenta desidratada cria uma infusão estimulante para o couro cabeludo quando a agua é adicionada, impulsionando os folículos capilares e incentivando o crescimento. Uma generosa pitada de sal marinho, que é rico em minerais, faz com que você fique com volume, ele irá empurrar as cutículas de cabelo para que pareçam mais pesadas. Grite ‘ahoy’ e dê um olá para cabelos do mar!

Novinho em folha

Dê uma apimentada nas coisas com o New, um aromático tratamento capilar com um perfume herbal e amadeirado. Esse tratamento contém óleo de folha de canela, um antimicrobiano e antibacteriano natural, que aumenta a circulação de sangue no couro cabeludo, ajudando a acelerar o ciclo de crescimento dos cabelos.

A infusão de urtiga e hortelã pimenta também encorajam o crescimento enquanto removem o excesso de óleos, deixando os fios mais iluminados. Quente e frio ao mesmo tempo; os óleos de canela e louro aquecem, enquanto o mentol gela e refresca, o verde absoluto de alecrim balanceia e alivia couros cabeludos que não estão em harmonia. O azeite de oliva ajudará com a elasticidade dos fios, juntamente com o apimentado óleo de cravo da índia que condiciona e reduz a queda de cabelos. Finalmente, o óleo de jojoba oferece uma dose extra de hidratação. Cabelos fortes começam na raiz, então mantenha a raíz saudável para cabelos resistentes e brilhantes!

Está aí, o poder de ter cabelos esplêndidos está na palma de suas mãos, escolha a melhor opção para você e tenha cabelos de parar o trânsito. São supersimples de usar, descubra aqui.

Trate seus cabelos de um jeito super especial, com esses práticos tratamentos de óleo quente

Tudo que você vai precisar é de uma chaleira, sua escolha de tratamento de óleo quente e uma caneca grande ou um de nossos potes pretos limpos. O que você fará enquanto seu tratamento estiver agindo é por sua conta, seja uma meditação, ou brincar com o seu animal de estimação, ou então, quem sabe, ler um livro. Por que não usar esse tempo só para você? Veja o vídeo disponível no site clicando aqui.

Esses tratamentos são melhores quando aplicados no cabelo seco para que seus fios absorvam todos os maravilhosos óleos essenciais e sucos de frutas. Todos prontos? É simples. Coloque água da chaleira na caneca ou pote preto, e adicione o ingrediente final.

Encha uma caneca com água fervente (deixando um pequeno espaço vazio até o topo) e simplesmente coloque seu tratamento de óleo quente e mexa até que ele esteja completamente dissolvido.

Deixe o tratamento esfriar um pouco, quanto mais tempo você deixar, mais espesso ele ficará. Talvez essa seja a hora perfeita para tomar uma agradável xícara de chá? Uma emulsão mais rica (com menos água) deixa o cabelo mais pesado, enquanto uma textura mais leve (com mais água) manterá a vivacidade e volume dos cabelos.

Aplique nos cabelos e deixe por aproximadamente 20 minutos, lave com shampoo e deixe suas madeixas macias e seu couro cabeludo feliz. (Usar o condicionador após o shampoo é opcional, mas devido ao fato de que os tratamentos de óleo quente contêm três vezes a quantidade de antiestático do que geralmente tem nos condicionadores convencionais, e são embalados com muitos óleos profundamente condicionados, o uso não é necessário.)

Se sobrar produto, simplesmente guarde em um pote e use novamente como um condicionador comum, ele irá durar até quatro semanas.

Yuge hot oil treatment / New hot oil treatment / Hair doctor hot oil treatment / Marilyn hot oil treatment – Preços: R$ 57,00 cada

Informações: Lush

Tratamento promete acabar com a gordura do “tchauzinho”

Método com o CoolTech destrói a célula de gordura por congelamento; equipamento tem controle eletrônico de temperatura e dois aplicadores que podem ser usados juntos, otimizando o tempo da sessão

Não importa quantos exercícios de bíceps forem feitos, aparentemente para algumas pessoas eles nunca são suficientes para esculpir os braços e acabar com a gordura do “tchauzinho”. O ideal para essa gordura insistente é investir em tecnologias como a criolipólise do CoolTech, que apresenta como diferencial o controle eletrônico de temperatura, proporcionando mais segurança e melhores resultados.

“Estudos mostraram que os melhores resultados da técnica ocorrem quando a redução de temperatura é feita de forma lenta e constante, até chegar à temperatura mínima ideal”, esclarece a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. O controle eletrônico do CoolTech permite o monitoramento da temperatura em tempo real de cada um dos dois aplicadores.

flacidez braço

Técnica —  os aplicadores são acoplados à pele e através de uma leve sucção, este procedimento garante um tratamento uniforme em toda a área. “A partir deste momento, o controle de temperatura eletrônico inicia o processo de congelamento de forma gradativa. Estudos mostram que com a formação de cristais congelados a parede da célula de gordura (adiposa) é rompida, sendo eliminadas via sistema linfático. Após o término do tratamento (ciclo), retiramos os aplicadores e fazemos uma leve massagem na região”, explica.

Sensação — a sensação de frio é localizada e o tratamento é confortável. “Após o tratamento, a superfície da pele apresenta um leve eritema (vermelhidão). Fazemos uma leve massagem na região e logo o paciente pode voltar às atividades.”

gordura braco pele morena braço.jpg

Resultados — os estudos para desenvolvimento do CoolTech apontaram para uma redução de 18% a 25% da gordura da área tratada, e o resultado é visível entre 30 e 60 dias após a primeira aplicação. Conjuntamente, sessões posteriores de radiofrequência podem ser feitas para potencializar a perda de gordura e atuar contra a flacidez.

Informações: Skintec