Arquivo da categoria: Tratamento

Jato de plasma: nova técnica movimenta clínicas de estética

Tratamento ajuda a eliminar manchas, rugas, estrias e cicatrizes, além de remover a pigmentação de sobrancelhas

O desejo de milhares de pessoas de ter uma pele perfeita está cada vez mais acessível. Uma nova tecnologia desenvolvida na Europa, por exemplo, está revolucionando centros de estética, o tratamento por jato de plasma já é considerado um dos queridinhos de quem acompanha de perto as novidades da área.

“Esse tratamento tem feito muito sucesso nos centros de estética porque tem uma aplicação muito rápida e, em apenas duas sessões, já é possível notar resultados. Nos últimos meses tivemos um aumento na procura, principalmente por clientes que querem realizar a remoção da micropigmentação de sobrancelhas”, comenta a esteticista Daniela Lopez.

O procedimento também é indicado para quem quer eliminar rugas, varizes, pintas, marcas de expressão, reconstrução de pálpebra, olheiras, estrias e até clareamento de pequenas tatuagens. “A aplicação é um pouco dolorida, mas sem cortes e sem pontos, tudo muito simples. A pessoa pode passar pelo tratamento e voltar ao trabalho no mesmo dia, por exemplo. Os valores variam de R$ 150,00 a R$ 280,00 por sessão. O número de sessões varia de acordo com a necessidade do cliente”, diz Daniela.

JATO-DE-PLASMA-MINIATURA
Foto meramente ilustrativa

O aparelho utilizado se parece com uma caneta que produz uma descarga de plasma, aplicada a 2 cm de distancia do local. Para minimizar o incômodo, é aplicada uma pomada anestésica cerca de meia hora antes do procedimento. Já a duração da aplicação varia entre 10 e 40 minutos e depende do tamanho da área.

“A tecnologia tem sido fundamental para aprimorarmos os tratamentos de estética. A cada dia surgem novas técnicas que possibilitam que os pacientes tenham resultados cada vez mais próximos da perfeição que desejam”, finaliza Daniela, que também é proprietária da empresa Organic Peel.

Fonte: Organic Peel

 

Anúncios

Leishmaniose tem tratamento que evita eutanásia de cães

Medicamento desenvolvido pelo laboratório francês Virbac também impede que o animal seja transmissor da doença

Diante do surto de leishmaniose constatado em diversas regiões do país, principalmente no Sul e Sudeste, o laboratório francês Virbac, especialista em saúde animal, alerta a população para a possibilidade real de tratamento da doença, sem que o cão precise ser sacrificado – termo popular para eutanásia.

Ainda pouco difundido no Brasil, o tratamento é feito com a administração do único medicamento capaz de conter o avanço da doença. O produto, desenvolvido pela Virbac, teve a comercialização aprovada pelos ministérios da Saúde e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento em 2016.

A falta de informação leva a resultados catastróficos. “Muitos animais são levados à eutanásia sem que o tutor do cão sequer seja informado da possibilidade de tratamento”, avalia Ricardo Cabral, veterinário da Virbac. A questão se torna ainda mais dramática na medida em que, sem o devido tratamento, o animal infectado pode transmitir leishmaniose a humanos, uma doença que pode levar à morte em até 90% dos casos.

Outro grave problema do país é a ausência de dados oficiais sobre a leishmaniose na maioria dos municípios. Os animais são levados à eutanásia, sem que o poder público seja informado. “Assim, um bairro, uma cidade, ou toda uma região pode estar sendo gravemente impactada pelo avanço da doença, sem que a população saiba dos riscos a que está exposta”, afirma o veterinário da Virbac.

O medicamento só pode ser adquirido mediante a prescrição de um veterinário e deve administrado em uma dose diária única de 2 mg/kg durante 28 dias consecutivos. Os animais devem ser reavaliados a cada quatro meses, pois, embora não sejam infectantes, permanecem parasitados pelo resto da vida. Essa reavaliação indicará se há necessidade de um novo ciclo de tratamento.

A miltefosina, princípio ativo do remédio, age na membrana do parasita, provocando sua morte e evitando sua reprodução. “A transmissão ocorre quando as fêmeas do mosquito palha picam cães ou outros animais infectados e depois picam o homem”, explica Cabral.

cachorro leishmanione virbac.jpg

Até a aprovação do medicamento, a recomendação para cães diagnosticados com leishmaniose era a eutanásia. Agora, com o uso do medicamento, o animal poderá obter a cura clínica e epidemiológica, reduzindo significativamente a quantidade de parasitas em seu organismo e, com isso, deixar de ser transmissor da doença.

É importante lembrar que o tratamento dos cães é apenas uma medida necessária para a prevenção da leishmaniose dentro de um conjunto de outras ações. O combate à proliferação do mosquito é fundamental para reduzirmos o número de casos da doença. Isso pode ser feito com a aplicação de medidas simples, que vão desde o uso de repelentes até a limpeza dos quintais e da casa, como retirada das frutas em decomposição, do material orgânico e das folhas que caem das árvores.

Fonte: Virbac

The Spa é uma opção de refúgio urbano em São Paulo

Trânsito intenso, longas jornadas de trabalho, assuntos familiares, correria… Na confusão do dia a dia das cidades grandes, poucas vezes é possível parar para relaxar, descansar e cuidar de si mesmo. É por isso que vem crescendo a procura por espaços específicos para isso. No coração de São Paulo, no Itaim Bibi, o The Spa se destaca como um dos melhores spas urbanos do país, ideal para cuidar do corpo e da mente.

The Spa oferece infraestrutura de excelência e serviços variados para atender as necessidades especiais individualmente. Desde massagens relaxantes e procedimentos estéticos até tratamentos para alívios de dores e inchaços.

O ponto alto são os pacotes “Day Spa” que reúnem diversos serviços orientados para total satisfação do cliente. Existem pacotes individuais, para casais, gestantes, homens e para presentear alguém especial. Eles incluem vestuário para banho e amenidades, como roupões, chinelos, shampoos,sabonetes e refeições leves entre os procedimentos.

PROCEDIMENTOS-15PROCEDIMENTOS-144PROCEDIMENTOS-147

Conheça alguns dos serviços:

Shiatsu

Técnica terapêutica originária da medicina tradicional oriental. Aplica-se por meio de pressão dos dedos, mãos e cotovelos sobre pontos vitais do corpo e ajuda a equilibrar as energias “yin” e “yang” do corpo. Tem como objetivo reestruturar a harmonia entre emoção e razão, buscando uma cura natural e progressiva. Indicado para pessoas com dores de cabeça em geral, tensões musculares e posturais, dores nas costas( escoliose, lordose), artrite, artrose, reumatismo e/ou dores nas articulações, disfunções respiratórias como asma, bronquites, estresse, fadiga, alopecia, melhora significativa no retorno sanguíneo, fibrose, fibromialgia, lombalgia entre outros. É recomendado para considerável melhora o tratamento inicial de no mínimo 5 sessões. Cada sessão dura 55 minutos.

Criolipólise – congelamento da gordura localizada

É um procedimento não-invasivo que utiliza tecnologia de resfriamento para eliminar a gordura de áreas específicas, sem cortes ou cirurgia. A criolipólise não é um tratamento para sobrepeso ou obesidade. Ela é indicada para pessoa que tenham acúmulo de gordura localizada em algumas regiões do corpo. A duração do procedimento é em torno de 60 minutos por região e podem ser feitas até 6 áreas no mesmo dia. A sessão gera resultados durante três meses. Depois desse intervalo, é possível avaliar a necessidade de realização mais sessões na mesma região, dependendo de cada caso. Há a necessidade de um intervalo de 60 dias para realizar uma nova aplicação.

Por que fazer a criolipólise no The spa?
Porque nossa avaliação é personalizada e temos protocolos exclusivos de pré e pós crio para potencializar o resultado da aplicação de criolipólise.

Drenagem Linfática para gestantes

A drenagem linfática é uma técnica que, por meio da massagem manual, direciona o excesso de líquidos para os gânglios linfáticos. Há duas posições na drenagem linfática em gestantes: de barriga para cima e deitada de lado. É focada na região das pernas e não é realizada na região de barriga.  Ajuda a relaxar, diminui os inchaços típicos da gravidez, melhora a oxigenação dos tecidos, estimula a circulação, a lactação e a dessensibilização das mamas, preparando-as para a amamentação, previne e combate varizes e sensação de pernas cansadas e previne um aumento da celulite e estrias.
Indicada para gestantes com retenção de líquido, problemas circulatórios, para prevenir o agravamento dos graus da celulite, melhorar a hidratação da pele prevenindo estrias, auxiliar nas tensões musculares principalmente na região de lombar. As sessões podem ser iniciadas a partir do terceiro mês, cerca de duas vezes por semana. Em casos de edemas exacerbados, a gestante poderá fazer todos os dias. Cada sessão dura 55 minutos.

Massagem Jet Lag

PROCEDIMENTOS-245

O Jet Lag é uma fadiga de viagem que ocorre após longas horas no avião e a massagem foi criada para aliviar os desconfortos causados por essa descompensação. Qualquer pessoa que sofra alguma alteração em seu relógio biológico, por causa de uma modificação no fuso horário, poderá fazer esse tipo de massagem. Proporciona sensação de descanso, relaxamento, equilíbrio e revitalização. O tratamento é realizado com movimentos terapêuticos, relaxantes e drenantes no corpo interno, finalizando com uma liberação dos músculos da face e uma drenagem facial.
Ideal após longas viagens e também para pessoas que exercem trabalho noturno ou em turnos. A sessão dura 55 minutos.

DAY SPA 02DAY SPA 05spa hairPROCEDIMENTOS-112the spa1

Informações: The Spa

 

 

Estudos mostram que transferir um embrião pode ter mais resultado que dois

Novo exame imunológico na reprodução assistida pode melhorar as chances de sucesso nos tratamentos, diminuir as chances de abortos, evitar a restrição de crescimento do bebê durante a gestação e até a pré-eclâmpsia. Esse exame demonstra que, para alguns casos, transferir um único embrião para o útero pode ser melhor do que dois. Menos é mais.

A pior frustração para aqueles que se submetem a um tratamento de fertilização assistida é quando o procedimento não dá certo. Isso porque muitos passam por uma verdadeira via sacra. No início havia um otimismo, e até o medo de uma gestação múltipla como consequência dos tratamentos, mas, de repente o receio passa a ser algo de menor importância. E ele é trocado pela ousadia de acreditar que, quanto maior o número de embriões transferidos para o útero, maior será a chance de um resultado positivo.

Já não importa mais o risco: 1, 2, 3 e até mais. Isto passa a não ter mais relevância. O que importa é estar grávida, seja lá de quantos bebês for. Aí pode estar o engano: acreditar que quanto maior o número de embriões transferidos, maior será a chance de engravidar. “Agora, com esse novo exame, o conceito de quanto mais embriões transferidos, maior chance de engravidar, poderá se inverter. Em algumas situações específicas, quando houver mais do que um embrião dentro do útero, poderá ser iniciada uma reação imunológica de rejeição”, explica o médico Arnaldo Cambiaghi, diretor do Centro de Reprodução Humana do IPGO.

KIR e HLA-C

pesquisa estudo microscopio testes ciencia pixabay
Pixabay

Este novo exame de sangue, que tem o nome de KIR – HLA-C (KIR = Killer Immunoglobulin-like Receptors e HLA-C = Human Leucocyte Antigen – Antígenos Leucocitários Humanos), pode ajudar a melhorar os resultados nos tratamentos de fertilização assistida. Ao definir que a transferência de um único embrião para o útero oferece melhores chances de um resultado positivo e de uma gravidez com menos riscos do que quando transferimos dois embriões, por exemplo.

Isso se baseia no fato de que todas as mulheres têm, no útero, células imunológicas (chamadas NK) com receptores capazes de reconhecer o embrião quando este chega ao útero materno. Esses receptores, KIR, se dividem em três grandes grupos genéticos (KIR AA, KIR AB e KIR BB) e têm função inibitória ou estimulatória sobre as células NK e importância fundamental na implantação dos embriões, na formação da placenta e, consequentemente, no próprio desenvolvimento da gestação.

“No passado, acreditava-se que todas as células NK (natural killer = células assassinas), tinham capacidade extremamente citotóxica, ou seja, de matar células estranhas ao organismo, como, por exemplo, as tumorais ou infectadas por vírus. Nos últimos anos, observou-se que existe outro tipo de célula NK no útero com outra função: liberar substâncias imunomoduladoras que estimulam a invasão das células trofoblásticas (do embrião) no endométrio de forma adequada, sendo importante para garantir a implantação e formação adequada da placenta”, esclarece Cambiaghi.

A ausência das células NK pode causar falhas de implantação e, por uma formação deficiente da placenta, abortos, restrição de crescimento do bebê e pré-eclâmpsia. A ação dessas células, tão importantes para uma gestação normal, depende de uma perfeita interação imunológica entre uma molécula da superfície das células do embrião (chamada HLA-C) e os receptores KIR das células NK uterinas.

Todo ser humano dispõe de antígenos nas células denominados HLA que distinguem os antígenos do próprio organismo dos estranhos. As células HLA representam a “marca registrada” de cada indivíduo, a “impressão digital” única, que pode ter uma similaridade maior ou menor com duas pessoas.

O antígeno HLA é uma denominação genética que, nos casos de transplantes de órgãos, tem o objetivo de avaliar o doador ideal para determinado paciente. Os antígenos são divididos em tipos: classe I (A, B e C), classe II (DR, DP, DQ) e outras. Os antígenos HLA estão presentes em todas as células do corpo humano e coordenam a resposta imunológica do nosso organismo não só nos transplantes, mas também em diversas doenças e reações a medicamentos, estimulando a formação de células de defesa, os leucócitos. O antígeno do embrião é o HLA-C.

“Como o embrião é composto de 50% de material genético paterno e 50% de material genético materno, ele tem as moléculas HLA-C materna e paterna. As células NK reconhecem o HLA-C estranho ao seu organismo, ou seja, o HLA de origem paterna. Entretanto, quando a célula NK reconhece este HLA compatível, ela não induz à rejeição, como nos transplantes, mas libera citocinas importantes para gestação”, explica o ginecologista Rogério Leão, membro da equipe médica do IPGO.

O HLA-C do embrião pode ser de dois tipos: C1 e C2. A molécula C1 interfere pouco na atividade da célula NK, então pouco afeta a gestação. Já a C2 tem uma ação muito maior sobre os receptores KIR, sendo, então, mais importante para a gestação. Entretanto, sua ação vai depender do tipo de receptor KIR. Este é determinado por um grupo de genes (haplotipo) que pode ser definido como grupo A, quando gera receptores somente com atividade de inibição; ou grupo B, quando gera algum receptor com atividade estimulatória. Assim, a mãe pode ser AA, AB ou BB (pois tem um haplotipo herdado do pai e um da mãe).

Novos estudos

embrião3 - pixabay.png
Pixabay

Cambiaghi acrescenta: “Novos estudos, realizados na Espanha pela equipe liderada pela médica Diana Alecsandru, imunologista da clínica IVI Madri, revelaram, entre outras coisas, que a união dos receptores KIR AA com antígeno HLA-C2 paterno é uma combinação de risco para o ser humano. Isso porque o HLA-C2 possui uma forte ação sobre os receptores KIR AA, que têm função inibitória sobre as células NK protetoras que se tornam inativas”.

Isso, portanto, dificulta a implantação e formação da placenta de forma adequada, levando às complicações já descritas. Quando dois embriões são transferidos, a situação se agrava, pois há estímulo HLA-C2 paterno de mais de um embrião, bloqueando, no caso de KIR AA, ainda mais essa ação protetora.

Para evitar essas complicações, pode-se avaliar o KIR da mulher e o HLA-C paterno do marido, por meio de exames de sangue. No exame do KIR, avalia-se se a mulher é KIR AA, AB ou BB. No caso do HLA, considerando que herdamos um HLA-C do pai e um da mãe, o marido poderá ser C1C1, C1C2 ou C2C2. Se for C1C1, o embrião gerado terá sempre HLA paterno C1. Se C2C2, sempre o embrião terá C2. E se o marido for C1C2, os embriões formados têm 50% de chances de terem HLA paterno C1 e 50% de chances de terem C2.

Quando a mulher é AB ou BB, não há risco, podendo-se transferir quantos embriões forem indicados. O mesmo ocorre quando o homem é C1C1. Já nos casos da mulher KIR AA e o marido C2C2, há um risco aumentado de complicações se dois embriões forem transferidos, sendo indicado transferir somente um por vez”, explica Leão. E complementa: “No caso da mulher KIR AA com marido C1C2, como há uma chance de 50% de cada embrião ter C2 paterno, aconselha-se também transferir somente um embrião”.

Fontes:

Arnaldo Schizzi Cambiaghi é diretor do Centro de reprodução humana do IPGO, ginecologista-obstetra especialista em medicina reprodutiva. Membro-titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica, da European Society of Human Reproductive Medicine. Formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa casa de São Paulo e pós-graduado pela AAGL, Illinois, EUA em Advance Laparoscopic Surgery. Também é autor de diversos livros.

Rogério Leão é membro da equipe do IPGO e Médico Assistente na área de Ginecologia do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM/ UNICAMP). Graduado pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Residente em Ginecologia e Obstetrícia, no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM/ UNICAMP). Especializado em Endoscopia Ginecológica , pelo Hospital Pérola Byington (São Paulo –SP) e em Infertilidade Conjugal , pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (São Paulo –SP). Mestre em Ciências Médicas pelo Departamento de Tocoginecologia da FCM / Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

 

Spa do Renaissance Hotel: renovado e com tratamentos veganos, orgânicos e naturais

Experiências sensoriais, terapias exclusivas, produtos veganos e orgânicos são algumas das novidades do The Spa at Renaissance, refúgio urbano dedicado ao bem-estar. Localizado no Renaissance São Paulo Hotel, as instalações e o menu de tratamentos foram cuidadosamente redesenhados com o objetivo de aproximar a natureza da agitada vida urbana, trabalhando corpo, mente e alma de forma conjunta, em busca de equilíbrio e bem-estar.

A escolha de novos produtos, voltados para o conceito de vida natural e consumo sustentável, ajuda a estimular o crescimento de micro produtores e a reforçar o novo conceito do SPA. Dentre as marcas disponíveis estão a Simple Organic, que conta com produtos de beleza e maquiagem 100% orgânicas, a Souvie, com cosméticos orgânicos totalmente naturais e certificados, produzidos na própria fazenda no interior de São Paulo e a Terral, que produz sabonetes e hidratantes com óleos orgânicos, manteigas e extratos vegetais.

“O menu foi totalmente renovado e conta com terapias exclusivas desenhadas em conjunto com a experiente equipe de terapeutas do SPA”, conta Grasiela Piccirillo, gerente do Spa e Fitness do hotel. “O spa oferece agora banhos de imersão relaxantes, energizantes e revitalizantes com sais, óleos essenciais e ervas naturais colhidas diretamente do nosso jardim”, completa.

reinassance spa

Dentre as terapias, um dos destaques é o The Spa Experience, que utiliza produtos totalmente orgânicos e veganos e possui o abacate como base. Óleo de coco, murumuru, melado de cana e açúcar são utilizados em conjunto em uma esfoliação por todo o corpo, que proporciona hidratação profunda e emoliência, conferindo luminosidade, maciez e elasticidade à pele. Para finalizar, o cliente recebe uma massagem nutritiva e relaxante.

Outro destaque do menu é o Ritual das Pindas. Originária das antigas terapias orientais, as pindas chinesas levam sais e ervas medicinais que contém propriedades tanto relaxantes como estimulantes. Proporcionam relaxamento físico e mental, elevação do estado de consciência, aumentam a concentração e a conexão com o interior, favorecendo o equilíbrio energético. A terapia é realizada alternando manobras relaxantes com o uso das pindas, seguida de uma esfoliação com sais e ervas medicinais e finalizada com um banho de ofurô.

Outra novidade foram as três novas massagens assinadas pela terapeuta Renata França que foram incluídas no menu. Além disso, seis jornadas, que são opções de Day SPA, foram criadas para proporcionar uma experiência sensorial completa. A Jornada Detox, por exemplo, inclui ritual de chegada com chá quente composto por um blend de ervas relaxantes e, na sequência, o tratamento corporal Rain Forest Body Wrap, que consiste em uma esfoliação com sais do Himalaia, aplicação de argila nativa da Amazônia, seguida por drenagem linfática. A jornada inclui ainda tratamento facial Détoxifiant Visage by Mary Cohr e suco detox. Trata-se de uma jornada completa de desintoxicação, regeneração, nutrição e conexão com a natureza.

reinassance 2

O The Spa está localizado em um andar wellness, composto por um completo e moderno fitness center (um dos maiores da América Latina dentro de hotel), piscina climatizada e o Bytes, espaço com um conceito de “comida de verdade”, com opções saudáveis, veganas, vegetarianas, sem lactose, gluten free, sugar free etc. O novo menu, assinado pela chef healthy lifestyle Rafaella Ramalho em parceria com o chef executivo do hotel Gayber Silveira, traz um buffet completo de café da manhã e almoço, além de sobremesas deliciosas feitas com frutas frescas, xylitol – um açúcar natural extraído da beterraba – e sem o uso de conservantes. “O brigadeiro funcional e o bolo de pote de matcha são os doces mais pedidos do Bytes. Smoothies, sucos energizantes, suchás e açaís também fazem parte do nosso novo cardápio, que agrada quem busca uma vida mais saudável”, afirma Silveira.

Renaissance São Paulo Hotel – Alameda Santos, 2.233 – Jardins – São Paulo – SP

Suplemento auxilia no tratamento de síndrome que causa infertilidade nas mulheres

A Síndrome do Ovário Policístico, também conhecida pela sigla SOP, é uma desordem endócrina que atinge cerca de 15% das mulheres em idade reprodutiva em todo o mundo e é uma das principais causadoras da infertilidade. “Durante o processo de ovulação, é normal o aparecimento de cistos, que fazem parte do funcionamento dos ovários e desaparecem a cada ciclo menstrual.

A SOP interfere neste processo de ovulação devido ao desequilíbrio hormonal, fazendo com que estes cistos permaneçam ali e modifiquem a estrutura ovariana, tornando o órgão até três vezes maior que o tamanho normal”, explica a farmacêutica Luisa Saldanha, diretora técnica da Pharmapele.

Segundo a especialista, as causas da SOP ainda não são totalmente conhecidas. Porém, acredita-se que alguns fatores como a genética e, principalmente, a resistência insulínica tem relação com a origem do distúrbio, pois levam ao desequilíbrio hormonal.

“Os sintomas variam de pessoa para pessoa, assim como a gravidade da doença. A falta de ovulação, a menstruação anormal e altos níveis de hormônios masculinos são os principais sinais da síndrome. Porém, outros sintomas como o aumento de pelos no rosto, seios e abdômen, a formação de acne e o ganho de peso também podem indicar a presença do distúrbio”, afirma. “Além disso, em casos mais graves, podem surgir complicações a longo prazo como diabetes, doenças cardiovasculares e câncer do endométrio.”

ventre barriga mulher

O diagnóstico da síndrome dos ovários policísticos é feito por meio de exames clínicos e laboratoriais como o ultrassom ginecológico e a verificação dos níveis de hormônios através do exame de sangue. Já para o tratamento da SOP, manter uma dieta leve e balanceada acompanhada da prática de exercícios físicos é fundamental para a melhora da resistência insulínica, fertilidade e a regulagem da ovulação.

“A parte medicamentosa do tratamento consiste no controle dos sintomas e complicações. Por isso, são receitados anticoncepcionais para regular o ciclo menstrual, indutores de menstruação para ajudar no processo de ovulação, hipoglicemiantes para controlar a resistência insulínica, além de medicamentos para reverter o quadro de infertilidade”, destaca a farmacêutica.

Recentemente, estudos descobriram que uma molécula que nosso corpo produz a partir da glicose chamada de inositol também pode melhorar os sintomas associados com a síndrome dos ovários policísticos, especialmente os inositóis Mio-inositol (MI) e D-Chiro Inositol (DCI).

“Baixos níveis de DCI foram observados em pessoas com resistência à insulina e SOP, dando suporte a teoria de que estes pacientes experimentam uma severa desregulação do metabolismo de inositol. Por isso, a administração de ambas as isoformas do inositol é um tratamento simples e seguro que age sobre a modulação da insulina, melhorando assim a função ovulatória e diminuindo as concentrações de andrógenos”, explica a especialista.

remedio
Pixabay

De acordo com Luisa Saldanha, outros ativos também podem ser suplementados junto com o tratamento medicamentoso convencional para otimiza-lo e diminuir a ocorrência de efeitos colaterais. Por exemplo, a suplementação da Coenzima Q10 reduz o stress oxidativo e melhora a ovulação. Já o Extrato de feno-grego (50%) favorece a redução dos cistos e o retorno do ciclo menstrual normal.

“É importante que antes de tomar qualquer medicamento você consulte um médico. Cabe a ele a avaliação do melhor tratamento, levando sempre em conta fatores como os sintomas, as complicações e a pretensão da paciente de engravidar ou não”, finaliza.

Fonte: Pharmapele é uma rede de farmácias de manipulação, com 30 anos de experiência em medicamentos personalizados e cosméticos de tratamento

Clínica alia procedimentos estéticos e acompanhamento nutricional

A clínica Emagresse, unidade Bosque da Saúde, oferece um novo conceito na prestação de serviços na área de estética e da beleza, na zona Sul da cidade de São Paulo. Com equipamentos de alta tecnologia que possibilitam melhora e eficácia dos procedimentos estéticos em diversas partes do corpo. O diferencial é que os tratamentos são completos, com acompanhamento nutricional, ou seja, transformam os clientes por meio da qualidade de vida.

A EmagreSee dispõe de tratamentos corporais e faciais exclusivos e alia tecnologia com a qualificação de profissionais para obter sucesso nos resultados. São mais de 30 procedimentos oferecidos pela clínica, entre eles a carboxiterapia, enzimas, lipocavitação, microvasos, além das terapias combinadas e tratamentos específicos para estrias, flacidez e celulite.

Celulite 1

O nome EmagreSee também surgiu deste pensamento de transformação. É a combinação da palavra emagrecimento com outra, em inglês, see, que faz referência ao “ver”, neste caso, se ver magro ou magra.

A clínica é comandada pela advogada Ana Elisa Cervantes, que enxergou um mercado promissor no setor da estética, deixando de lado sua carreira. A empresária e seu marido apostaram nessa franquia pela metodologia de tratamento clínico eficaz, pois, como foi dito, são procedimentos aliados a um programa nutricional exclusivo de emagrecimento.

“Sempre fui apaixonada por nutrição e por influenciar pessoas a se manterem saudáveis. A EmagreSee é o casamento perfeito no qual a estética se alia a este processo de emagrecimento e a um estilo de vida. É um sonho que estou realizando”, explica a empresária.

É importante lembrar, ainda, que o setor beleza/estética está na contramão da economia do país, ou seja, uma área que desconhece a palavra crise. O balanço consolidado do setor de franquias em 2017, apurado na Pesquisa de Desempenho realizada pela ABF – Associação Brasileira de Franchising, confirmou o crescimento de 8% da receita, fechando o ano com um faturamento de R$ 160 bilhões.

emagresse

EmagreSee –  Avenida do Cursino, 1274 – Bosque da Saúde

Saiba como funciona o tratamento para depressão

Tristeza profunda, angústia, falta de energia e perda de interesse em atividades cotidianas são os principais sintomas da depressão. Quando essas alterações de humor são persistentes, a qualidade de vida e a capacidade produtiva de uma pessoa ficam comprometidas, podendo afetar a execução de tarefas do dia a dia, a relação com amigos e familiares e, em casos mais graves, a vontade de viver.

Além dos sintomas citados, há outros sinais que devem ser levados em conta na hora de buscar um tratamento para depressão. Entre eles estão desesperança, pessimismo, irritabilidade e problemas físicos, como aumento ou diminuição de sono, de apetite e de libido; ganho ou perda de peso anormal; dores no corpo e de cabeça; alterações gastrointestinais e falta de concentração, atenção e memória.

“É importante diferenciar a tristeza da depressão de períodos de tristeza que ocorrem em algumas fases da vida, como por exemplo durante o luto ou por fatores estressores de forma geral. Existe uma tristeza que pode ser normal, e a tristeza patológica. Na depressão, a tristeza tem duração de pelo menos duas semanas, está presente na maior parte do dia e permanece durante vários dias. Paralisa, e não gera reflexão. Pode tirar a perspectiva de futuro e a alegria de fazer coisas que a pessoa sentia prazer em realizar antes – é o que chamamos de anedonia”, afirma Luana Harada, psiquiatra do Hospital Santa Mônica.

Ela completa: “É como ficar preso dentro da sua própria angústia e não ter mais esperança de melhorar. A visão fica mais pessimista, o sentimento de culpa e inferioridade ficam mais intensos. Dentro de um estado de tristeza intensa e persistente, sem sentir prazer em viver, sem perspectiva de futuro e marcada desesperança, temos que ficar atentos ao risco de suicídio que um episódio depressivo pode gerar”,

O transtorno depressivo pode ser causado pela interação de diversos fatores biológicos, psicológicos e ambientais, ou ser um efeito secundário do uso de medicamentos indicados para curar outras doenças ou do abuso de drogas e bebidas alcoólicas, por exemplo, sendo necessário um diagnóstico diferenciado. Eventos traumáticos, baixa autoestima, histórico familiar da doença e vulnerabilidade social também são fatores de risco.

De acordo com estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 350 milhões de pessoas de diferentes idades em todo o mundo sofrem com essa doença, no Brasil afeta aproximadamente 11,5 milhões de brasileiros. Apesar de ser mais comum entre as mulheres, a depressão masculina também é expressiva e deve ser cuidada com a mesma atenção.

Diante da importância desse tema, separamos algumas questões para explicar e sanar as principais dúvidas sobre o tratamento para depressão.

depressão

Quando procurar ajuda?

O diagnóstico precoce da depressão é um dos fatores que mais contribuem para o sucesso do tratamento e para o controle da doença. Existem casos em que os sintomas se confundem com os de outras enfermidades, por isso, é importante reconhecer que há algo errado e procurar ajuda de especialistas o mais rápido possível, principalmente quando o estado depressivo demora a passar e começa a refletir em outros aspectos da vida.

Ao fazer uma avaliação completa e detalhada, a equipe de profissionais conseguirá distinguir se os sintomas são patológicos, transitórios ou decorrentes de outros problemas médicos e neurológicos, indicando o tratamento mais adequado para o nível da doença, que pode ser leve, moderado ou grave.

Algumas pessoas têm receio em procurar um tratamento especializado, pois acreditam que ficarão isoladas e sofrerão preconceito. Em consequência disso, tentam curar a depressão de formas variadas, se automedicando ou recorrendo ao consumo de drogas ilícitas e álcool, o que pode levar à piora significativa da doença e até mesmo à dependência química.

Buscar informações sobre a doença, conhecer as opções de tratamento e receber orientação profissional são as melhores formas de reverter um quadro depressivo. Outra questão essencial em todo o processo é compartilhar os problemas e contar com o apoio de parentes e amigos próximos.

Por que tratar a depressão é importante?

A depressão é uma doença incapacitante, que prejudica diversas áreas da vida do paciente, inclusive profissional, amorosa e familiar. Um paciente com um episódio depressivo leve, por exemplo, pode ter dificuldade em realizar tarefas simples e diárias; quem apresenta um quadro moderado está mais propenso a abandonar o trabalho, as responsabilidades domésticas e as atividades sociais; já aquele que apresenta episódio depressivo grave pode ter crises profundas e pensamentos suicidas frequentes.

Quando diagnosticada corretamente, a depressão deve ser tratada de maneira séria e completa, com o objetivo de amenizar os sintomas, evitar a cronificação da doença, minimizar as recaídas e aumentar a qualidade de vida do paciente. Interromper o tratamento quando há alguma melhora logo no início pode levar a consequências negativas no futuro. Assim, seguir com as orientações pelo tempo determinado pelos profissionais é fundamental para o controle do transtorno.

mulher sessão terapia psicologa

Qual tratamento é o mais indicado?

O melhor tratamento para depressão é aquele elaborado de forma personalizada para atender às necessidades de cada paciente. Para isso, uma equipe multidisciplinar deve ser consultada a fim de analisar as especificidades dos sintomas, acompanhar os resultados e modificar as estratégias ao longo do tempo caso seja necessário.
Ainda que não sejam universais, alguns tratamentos são mais recomendados por sua eficácia comprovada. Confira abaixo:

Psicoterapia

Em alguns casos leves, a psicoterapia pode ser suficiente para controlar e melhorar os sintomas da depressão. Existem diferentes abordagens psicoterapêuticas, tais como a terapia ocupacional, a terapia em grupo, a psicanálise, a terapia cognitivo-comportamental, entre outras. O método escolhido pode variar de acordo com os sintomas, a personalidade do paciente e a confiança no terapeuta.

De modo geral, as psicoterapias auxiliam o paciente a se conhecer melhor e a identificar seus pensamentos e comportamentos negativos de forma a buscar novas formas de lidar com os conflitos e as relações interpessoais. Esse tipo de tratamento também é indicado para os episódios depressivos moderados e graves, mas normalmente é feito em conjunto com o uso de medicamentos.

Medicamentos

Há uma grande variedade de medicamentos indicados para o tratamento da depressão, que agem de maneiras diferentes no organismo para controlar a doença. Todos devem ser administrados sob orientação médica devido a possíveis efeitos colaterais e interação com outros remédios.

Os antidepressivos são os mais conhecidos e atuam diretamente no sistema nervoso, normalizando os fluxos de neurotransmissores como a serotonina, a noradrenalina e a dopamina. O tratamento para depressão também pode incluir ansiolíticos – utilizados para diminuir a ansiedade – e antipsicóticos – indicados em casos de perturbações psicóticas.

“Os antidepressivos serão escolhidos de acordo com perfil de efeito colateral de cada medicação e discussão destes efeitos com o paciente; quais doenças clínicas (por ex. diabetes, hipertensão) e medicações em uso (uma vez que pode existir interação medicamentosa); o uso prévio de antidepressivo que paciente possa ter feito (prevendo a chance de resposta ou não à medicação escolhida) ”, afirma Luana Harada.

A psiquiatra reforça “é importante frisar que o antidepressivo não tem melhora imediata, levando pelo menos 14 dias para iniciar o seu efeito, e também inicialmente pode piorar sintomas ansiosos – é uma informação que passo aos pacientes para não descontinuar o uso da medicação, caso os efeitos adversos sejam tolerados, e também há medicações usadas no início do tratamento que ajudam o desconforto no início do tratamento”. O uso da medicação tem que ser contínuo durante o tratamento, existem medicações que causam desconforto caso não sejam tomadas diariamente e também atrapalham a resposta terapêutica, podendo até piorar sintomas ansiosos e depressivos.

Para saber mais sobre depressão, visite o site Tratamento da Depressão do Hospital Santa Mônica, clicando aqui.

 

Ozonioterapia é uma das novas práticas de medicina complementar adotadas pelo SUS

A Ozonioterapia é uma técnica que utiliza a mistura de gases medicinais, oxigênio e ozônio, com o objetivo de tratar doenças graves como câncer, dores e inflamações crônicas (hérnia de disco), infecções variadas (hepatites e herpes), além de feridas, queimaduras e problemas vasculares em que haja redução do fluxo sanguíneo.

A terapia com o “Ozônio Medicinal” é natural, tem poucas contraindicações e efeitos secundários mínimos, se realizada corretamente. O procedimento é simples, seguro e de baixo custo o que é uma vantagem quando aplicado na rede pública de saúde por causa da redução drástica nos gastos com medicamentos.

A aplicação do ozônio medicinal pode ser feita por meio do gás retido dentro de bolsas plásticas para tratamento de feridas; com água ou óleo ozonizado para facilitar a cicatrização; injetado na forma de gás por via subcutânea, intra-articular e nas cavidades naturais (reto, bexiga, vagina) e até mesmo misturado aos líquidos biológicos, com o objetivo de melhorar a oxigenação e a função do sistema imunológico.

“Mais recentemente, vem surgindo novas aplicações da Ozonioterapia e seu uso está sendo ampliado para o tratamento de autismo, derrames cerebrais isquêmicos, esclerose múltipla e como terapia de suporte no tratamento de tumores malignos”, acrescenta a presidente da Aboz – Associação Brasileira de Ozonioterapia, Maria Emília Gadelha Serra, uma das maiores especialistas brasileiras no assunto.

A Ozonioterapia é utilizada na Alemanha desde a 1ª. Guerra Mundial, país onde os seguros de saúde remuneram os procedimentos desde a década de 1980. Os sistemas públicos de saúde da China, Rússia, Espanha, Portugal, Grécia e Cuba também disponibilizam a técnica para a população há várias décadas. “Nos países em que o uso medicinal do ozônio é reconhecido, houve redução de 27% no consumo total de antibióticos e de 22% no consumo de analgésicos opioides e não opioides”, explica a médica.

ozonioterapia thessvelonismos
Foto: Thessvelonismos

A Aboz é membro atuante da Federação Mundial de Ozonioterapia (World Federation of Ozone Therapy – WFOT) e vem trabalhando há mais de uma década para que a técnica esteja disponível no Sistema Único de Saúde brasileiro. Emília enumera as possibilidades e ganhos que teriam os pacientes do SUS com a implantação da Ozonioterapia no Brasil:

1. Diminuição do tempo de recuperação dos pacientes afetados por doenças em que a Ozonioterapia é eficaz;

2. Diminuição da morbidade de diversas doenças, com ganho na qualidade de vida -redução de até 80% da taxa de amputação de membros de pacientes com gangrena diabética (Calderon, Universidade Haifa – Israel), com consequente resultado na manutenção da autoestima destes pacientes e melhora da qualidade de vida e da aptidão ao trabalho, reduzindo as taxas de invalidez e aposentadoria;

3. Redução do custo do tratamento de várias doenças crônicas – redução de até 90% dos custos no tratamento de feridas crônicas em membros inferiores e gangrenas diabéticas (Menendez, Centro de Investigaciones Del Ozono – Cuba), em função da velocidade de cicatrização mais rápida e consequente diminuição do tempo de internação;

4. Diminuição na compra de medicamentos de alto custo, por aumentar a eficácia dos mesmos – estimativa de redução em até 30% do Custo do SUS pela introdução do uso do ozônio medicinal em outras patologias previstas em protocolos com experiência internacional (hepatites crônicas e hérnias de disco, por exemplo);

5. Diminuição no número de procedimentos de alta complexidade associados ao uso de equipamentos cirúrgicos de alta tecnologia;

6. Redução de internações recorrentes e desnecessárias, principalmente em pacientes com feridas crônicas;

7. Redução no número de pacientes internados devido às infecções oportunistas, hospitalares e dos efeitos colaterais;

8. Diminuição nos deslocamentos domiciliares;

ozone-therapy-treatment-for-breast-cancer
Insira uma legenda

9. Reabilitação precoce do indivíduo, que pode retornar às suas atividades laborais e demais atividades da vida diária com menor custo sócio familiar, em especial os pacientes afetados por dores crônicas;

10. Diminuição dos efeitos colaterais associados à quimioterapia e radioterapia.

Fonte: Aboz