Arquivo da categoria: animais

Como cuidar do seu pet na primavera

Mudanças de estação requerem maior cuidado com os cães e gatos

O inverno mal se despediu este ano. O calor chegou antecipando a primavera e deixando o clima seco e mais quente que o normal nesse período, mudanças que afetam a saúde das pessoas e também dos animais.

Para cuidar melhor do seu cão ou gato nessa primavera, confira as dicas da médica veterinária do HiperZoo, megastore pet de Curitiba, Jaqueline Silveira, e da farmacêutica Sandra Schuster da docg., primeira empresa de vendas diretas de produtos para pets.

1 – Pele e pelagem

docg

Mudanças de estação significam troca da pelagem. Quedas de pelos em maior quantidade são normais, desde que não apresentem falhas ou sinais mais graves. “Com a troca de pelos a pele fica mais sensível podendo desencadear, com maior facilidade, eritemas (vermelhidão), pústulas (infecção bacteriana secundária), prurido (coceira) ou outros sinais dermatológicos mais graves. Nesses casos deve-se consultar um médico veterinário imediatamente”, indica a veterinária Jaqueline.
Outra dica importante é realizar a escovação adequada.

A indicação é escovar os cães e gatos no mínimo três vezes por semana, principalmente os animais de pelos longos. Assim, evita-se que os pelos embolem e retira-se o excesso de resíduos da pelagem. Segundo a veterinária, existem escovas adequadas ao tipo e comprimento dos pelos e também aquelas que prometem retirar os sub pelos mortos, evitando assim que a pelagem embole e fazendo com a pele respire melhor.

Essa época do ano também pode ajudar a ressecar a pele e deixar os pelos dos pets mais opacos. Nesses casos pode-se fazer o uso de suplementos e produtos tópicos, além de aumentar a frequência de hidratações no banho. Para recuperar a hidratação dos pelos, os pets ganharam recentemente produtos semelhantes aos dos humanos, como leave-in e ampolas. “Desenvolvemos produtos que trazem resultados rápidos e são práticos de utilizar”, comenta a farmacêutica Sandra Schuster. O leave-in é composto por vitamina E, queratina e D-pantenol, que promovem a hidratação e restauração dos pelos. E a ampola fortalece, dá brilho e restaura as pontas duplas.

 – Banho e tosa

gato banho

As tosas também ajudam a refrescar os pets, mas deve-se atentar ao que é indicado para cada raça e cuidar para não deixar a pele do animal muito exposta, afinal a principal função dos pelos é justamente proteger a pele contra as agressões do clima e da exposição solar. Uma dica, segundo Jaqueline, é caprichar na tosa higiênica e estendê-la até o peito do animal. Dessa forma ele consegue se refrescar, principalmente quando se acomoda em superfícies mais frias.

Já para o banho, a dica é investir em produtos específicos para o tipo de pelo do animal. “Deve-se pensar no banho não apenas com o objetivo de limpeza, mas também de proporcionar hidratação, cuidado e prevenção de acordo com a pelagem do animal”, recomenda Sandra. “Cães com oleosidade excessiva ou pele com muitas dobras, por exemplo, requerem produtos específicos para evitar doenças dermatológicas futuras e prolongar os benefícios do banho. Assim como nós utilizamos produtos de acordo com nossas características, os pets merecem esse mesmo cuidado”, complementa.

3 – Proteção solar

cachorro entre floress

Algumas raças são mais sensíveis à exposição solar, como as de pelos curtos e pele branca. Os locais mais afetados são focinhos e orelhas, mas alguns pets são tão sensíveis que devem utilizar protetor na barriga e regiões com pouco pelo e, ainda, evitar o sol nos períodos mais intensos, para não correrem o risco de desenvolver lesões de queimadura solar e até mesmo melanoma (câncer de pele). Nesses casos, recomenda-se o uso do protetor solar veterinário, encontrado comercialmente pronto, com FPS 15 e 30, ou manipulado conforme prescrição.

4 – Ectoparasitas

gato coceira

Os ovos dos ectoparasitas (pulgas, carrapatos, piolhos, moscas e mosquitos) eclodem nas épocas do ano mais quentes, fazendo com que as larvas precisem se alimentar para seu desenvolvimento e reprodução. Para proteger os pets devemos utilizar antipulgas e carrapaticidas durante o ano todo, mas o cuidado deve ser redobrado nos períodos de maior calor, afinal além do incômodo com coceiras, os ectoparasitas transmitem doenças e podem causar alergias como a dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP).

“Há uma grande diversidade de produtos no mercado veterinário, que variam conforme princípio ativo, forma de aplicação, tempo de duração e preço”, informa Jaqueline. Também é importante utilizar produtos de limpeza específicos para a casa e locais preferidos dos pets, como caminha, sofá, tapetes e poltronas.

5 – Doenças e vacinação

cachorro vacina doglistener
Foto: Doglistener

A combinação calor e chuva, comum na primavera, contribui para a proliferação de doenças como a Leptospirose, uma doença bacteriana transmitida para os cães de forma direta, através do contato com o vetor – o rato e sua urina contaminada – e de forma indireta, através de tecidos, alimentos e água contaminados. Essa bactéria penetra a pele, em mucosas ou lesões, ou ainda pode ser inalada. É uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida para os humanos, e os cães podem ser transmissores mesmo não apresentando sinais clínicos.

A principal forma de prevenção se faz com a vacinação anual, ou semestral em locais de maior incidência e presença de ratos. As vacinas múltiplas para cães, como óctupla e déctupla apresentam proteção contra alguns sorovares (tipos) de leptospiras presentes no Brasil. Além disso é muito importante a higienização dos quintais e locais onde ficam os pets. “O principal cuidado é não deixar ração ou alimentos disponíveis nos canis e quintais, pois é essa a principal forma de contato do cão com o rato ou sua urina. Os ratos são atraídos pelo alimento e costumam urinar no local”, alerta Jaqueline. “O ideal é fornecer o alimento em horários específicos e retirar os pratos, mesmo que o pet não tenha ingerido tudo. Inclusive, a exposição da ração ao sol faz com essa fermente e, a posterior ingestão, pode causar problemas gástricos ao cão”, complementa.

Já a espécie felina é considerada resistente à infecção pois, mesmo quando entram em contato com a bactéria, não desenvolvem a doença. São raros os relatos de gatos positivos a Leptospirose, por isso não é necessária a imunização desses animais contra as leptospiras.

6 – Passeios

cachorro com flores

Segundo a veterinária, deve-se evitar passear com os pets nos horários mais quentes do dia, das 10 às 16 horas, pois dessa forma reduz-se os riscos de queimaduras nos coxins (almofadinhas das patas), desidratação, queimaduras solares na pele, dificuldades respiratórias e de troca de calor. Cães e gatos não possuem glândulas sudoríparas, fazem a troca de calor apenas via coxins, focinho e língua, por isso sofrem muito mais com os efeitos das altas temperaturas que os humanos.

As raças braquicefálicas (com focinhos achatados), como Pug, Shih Tzu, Pequinês, Buldogue Francês, Buldogue Inglês, Boston Terrier, Boxer, Dogue de Bordeaux e Persa, precisam de um cuidado ainda maior, pois a troca de calor é ainda mais dificultada pela sua anatomia.

Durante as caminhadas é indicado, além do uso do protetor solar, a utilização de sapatinhos e, até mesmo, bonés. Além disso, é necessário o uso de hidratantes veterinários específicos após o passeio, principalmente nas áreas dos coxins e focinho. “Essa também foi uma preocupação da docg. ao desenvolver sua linha de produtos”, esclarece a farmacêutica Sandra Schuster. “Criamos um creme para patas com D-pantenol e glicerídeos de soja que está fazendo sucesso”, revela.

hidratante pet

Com essas dicas seu pet estará pronto para enfrentar a primavera e se preparar para o verão.

cachorro e gato

Fontes: docg. e HiperZoo

Anúncios

Seu pet sente dores? Entenda como funciona a Fisioterapia Veterinária

A Fisioterapia Veterinária engloba várias técnicas de manipulação, aparelhos (agentes físicos) e exercícios terapêuticos que tem como objetivo restabelecer alguma função do corpo, como alterações musculares, articulares, ósseas e neurológicas.

Ela é indicada quando um bichinho passa por cirurgia ortopédica, para acelerar a recuperação da área afetada, ou também quando o animal tem dor ou perda muscular por uma doença crônica, como a artrose da displasia coxofemoral, por exemplo.

Existem os casos ainda em que é indicada para animais com hérnia de disco ou alterações na coluna, onde a fisio auxilia na dor e estimula a parte neurológica, por meio de exercícios terapêuticos.

Todos os animais podem aproveitar os benefícios dessa prática, inclusive os atletas, para melhorar o desempenho, ou obesos, para auxiliar na perda de peso.

A fisioterapia é muito mais do que só estímulo corporal, ela também atua na mente e desenvolvimento dos bichinhos, ajudando a tornar suas vidas mais felizes.

Esta é a nova especialidade oferecida pelo BadiLab Diagnósticos Veterinários, que fica na Água Branca, em São Paulo.

fisioterapia badilab.png

Fonte: BadiLab

 

 

Limpeza com produtos ecológicos protege saúde dos pets

Pensar em limpeza de casa e estofados é sinônimo de lembrar sobre alergia de produtos químicos. Essa realidade não se inclui apenas para nós, mas também aos animais de estimação. Sendo assim, a Natureza & Limpeza com ajuda de uma especialista em limpeza ecológica, desenvolveu a linha Premiumpet, na qual a higienização e impermeabilização dos estofados são realizadas com o animal dentro de casa.

A empresa colabora para a durabilidade dos estofados que são utilizados pela família constantemente e estão sempre sujeitos à uma mancha de café que cai ou até mesmo às necessidades físicas dos pets. “Muitas vezes o xixi dos pets escapa no sofá ou muitos fazem deles um vaso sanitário. Além disso, os bichinhos também usam os estofados como guardanapo, limpando a boca após tomar água ou comer ração, o que deixa gordura no móvel. Por isso, a limpeza e impermeabilização colaboram tanto para a casa como para o cuidado dos animais”, explica a sócia proprietária do Natureza & Limpeza, Ana Paula Barcena.

Além disso, para conviver com animais de estimação é preciso ter cuidado redobrado, basta um farelo de comida, um odor mais atrativo ou uma textura que chame a atenção que eles já estão lambendo, cheirando e rolando em cima. O perigo se encontra quando usamos produtos químicos para a limpeza, que muitas vezes geram alergias, irritações ou até riscos mais sérios para os nossos pets.

cachorros no sofá

“Quando utilizamos produtos ecológicos estamos contribuindo não apenas para a natureza, mas para o bem-estar do cliente. Isso envolve além da nossa saúde a dos pets também, que podem correr pela casa sem preocupação de contrair irritações na pele ou algo pior”, comenta a equipe do Natureza & Limpeza.

Por isso toda a linha utilizada é ecológica, colaborando na saúde dos moradores, inclusive animais de estimação. Os clientes ganham recibos personalizados com o nome do pet proprietário e um banho para o seu animal de estimação na contratação de uma lavagem de sofá.

Fonte: Natureza & Limpeza

 

 

61% veem animais de estimação como membro da família

Pesquisa feita com internautas pelo SPC Brasil mostra que alimentação saudável, saúde e conforto para dormir são principais cuidados; apenas 8% associam seus animais de estimação à despesas financeiras e 46% dão preferência a lugares que permitem a presença de gatos ou cachorros

Alimentação saudável, cuidados com a saúde, bem-estar físico e mimos de todo tipo. Foi-se o tempo em que a expressão ‘vida de cão’ era usada como sentido negativo. Uma pesquisa inédita realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais com internautas que possuem ou são responsáveis financeiros por um animal de estimação revela que 61% dos entrevistados consideram seus pets como um membro da família. E para cuidar do bem-estar desses companheiros, eles gastam, em média, R$ 189,00 todos os meses, cifra que aumenta para R$ 224,00 entre os consumidores das classes A e B. Para quem recebe até dois salários mínimos, esse valor pode representar até 10% da renda familiar.

O levantamento revela ainda que um terço (33%) dos donos de pets admite que na hora das compras sempre opta por itens que vão além do básico e 21% nunca deixam de comprar algo para seus animais de estimação por falta de dinheiro.

No total, 76% dos brasileiros com acesso à internet possuem animação de estimação, sendo que os mais comuns são os cachorros (79%), gatos (42%) e pássaros (17%). Completam o ranking os peixes (13%), tartarugas (6%) e roedores (5%), como coelhos, camundongos, furões e porquinhos da índia.

convite_animal_planet3

52% dos entrevistados compram ração premium, 37% dos animais de estimação sempre tomam banho em pet shop e 13% fazem tratamentos estéticos com frequência

De acordo com a pesquisa, os produtos e serviços mais adquiridos no dia a dia para cuidados com cães ou gatos são as rações (88%), seguidas dos xampus e condicionadores (57%), petiscos (52%), medicamentos e vitaminas (50%) e brinquedos (44%). Com perfil mais exigente, mais da metade (52%) dos entrevistados disse que só alimenta seus animais de estimação com rações da linha premium, que são mais adequadas para o porte e raça de seus pets, sobretudo os entrevistados das classes A e B (62%). Há ainda 21% de tutores entrevistados que oferecem comida natural, feitas exclusivamente para os cães e gatos.

Considerando os produtos e serviços utilizados com mais frequência, a lista é liderada pelas vacinas (63%), idas ao veterinário (44%) e banhos em pet shop (37%). Outros serviços realizados constantemente e que merecem destaque são os tratamentos estéticos (13%), gastos com passeadores de cachorros (13%), tratamentos dentários (9%), tratamentos contra obesidade (8%), acompanhamento comportamental (8%), adestramento (7%) e idas a creches (7%).

Indagados sobre produtos e serviços que gostariam de adquirir, mas não o fazem por falta de condições financeiras, a pesquisa revela que planos de saúde (33%), serviços de spa (23%), assinaturas mensais de caixas com brinquedos (20%) e idas frequentes ao veterinário (20%) são os mais citados.

Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, o tratamento humanizado dos pets é uma tendência que abre inúmeras oportunidades de negócios e evidencia a força de um mercado bilionário que já é realidade e deve se diferenciar ainda mais nos próximos anos. “A composição da cesta de compras dos donos de animais de estimação está mudando. É cada vez maior a demanda por cuidados especializados, além de produtos que atendem às características específicas dos animais. Moda e estética, alimentação saudável, hospedagem, atendimento em casa, exercícios físicos e saúde comportamental são algumas das áreas que deverão se desenvolver intensamente nos próximos anos”, afirma Pellizzaro Junior.

cachorro gato laptop
Pixabay

41% participam de eventos e comunidades do universo pet; cuidados com a saúde do animal é fonte de atenção de 79% dos entrevistados

A troca de experiências assume um papel fundamental entre os entrevistados: 41% dos donos de pets participam de eventos e comunidades ligadas ao universo pet, seja por meio de redes sociais (29%) ou encontros presenciais (10%). Além disso, 93% dos entrevistados assumem o hábito de procurar informações sobre os produtos e serviços que adquirem para seus pets, sendo que as referências mais comuns são com o veterinário de confiança (61%), sites especializados (47%), amigos ou familiares (32%) e redes sociais (32%).

As pequenas lojas de bairro especializadas em produtos para animais (53%) despontam entre os locais onde os consumidores mais fazem compras, mas 20% optam pelas grandes redes de pet shops. Os supermercados são citados por 16% da amostra. Para definir o local de compra, são levados em consideração principalmente o preço (59%), qualidade dos produtos e serviços (49%) e a confiança no estabelecimento (44%). As compras à vista predominam, seja em dinheiro (42%) ou no cartão de débito (20%). Já o cartão de crédito é usado por 34% desses consumidores.

Em sintonia com a importância que os tutores dão ao bem-estar de seus animais de estimação, quase a totalidade (99%) dos entrevistados garante cuidar de alguma forma da saúde de seus pets, sendo que 63% zelam pela higiene, como banho e tosa e 58% mantém os exames periódicos e as vacinas em dia. Há, ainda, 55% que evitam oferecer alimentos não recomendados como doces e itens gordurosos e 51% que procuram dar uma alimentação balanceada.

De acordo com os entrevistados, as principais prioridades para quem tem um animal de estimação como cão, gato ou roedor, é proporcionar alimentação saudável (79%) aos pets, além de cuidados com a saúde (79%) e confortos para dormir (58%) – neste último caso, 23% dos entrevistados disseram que o pet costuma dormir no mesmo quarto que o dono. Os passeios (55%), atividades físicas (47%) e banhos em casa (46%) também são lembrados, indicando que a disposição dos donos vai além de meramente garantir comida e abrigo para seus companheiros.

luz camera burger pet friendly
Reprodução Facebook Luz, Câmera, Ação!

Apenas 8% associam seus pets a gastos financeiros e 46% dão preferência a lugares que permitem presença de pets

A pesquisa demonstra que os tutores não veem seus animais de estimação como mera fonte de despesas ou mais uma dentre tantas responsabilidades no dia a dia. Tanto que, apenas 8% dos entrevistados associam seus animais de estimação a gastos financeiros e somente 2% o veem como sinônimo de problemas ou dores de cabeça. Os principais sentimentos despertados entre os entrevistados são amor (61%), alegria (61%), companheirismo (59%) e amizade (52%). Há ainda 21% que veem seus pets como o guardião da casa. Para os entrevistados, os aspectos negativos de se ter um pet são não ter com quem deixá-lo quando viajam (53%) e a sujeira em casa (47%).

A dimensão afetiva ainda ganha outros contornos. Muitos gostariam de integrar seus animais de estimação a outras esferas da vida cotidiana que vão além de suas residências. Seis em cada dez (62%) entrevistados sentem falta de espaços públicos que permitam a permanência de pets, como restaurantes, lojas, shopping centers etc. Além disso, uma parcela expressiva afirma dar preferência a lugares onde a presença dos animais é permitida (46%).

Dia da AdoCao4

Adoção foi escolha de quatro em cada dez donos de pets, mas 32% compraram animal de estimação

Sobre o perfil dos internautas donos de animais de estimação, a pesquisa mostra um relativo equilíbrio: 50% são mulheres contra 50% de homens; 54% pertencem às classes C, D e E e 46% às classes A e B. A maioria tem entre 25 e 44 anos (58%) e mora em casas (77%). Os que moram em apartamentos somam 23% da amostra e 82% cuidam pessoalmente de seu pet.

Pouco mais da metade estão com seus animais de estimação há mais de cinco anos (55%). Os que ganharam seus pets de presente são 45% da amostra, mas também se pode notar uma proporção similar (42%) que resolveu adotar um animal. Neste último caso, 27% adotaram quando viram o animal abandonado ou perdido na rua e 13% recorreram a uma instituição especializada. Os que compraram o animal de estimação somam 32% da amostra.

Dentre os que compraram seus pets ao invés de optarem pela adoção, as principais justificativas são o desejo de ter uma raça específica (61%), saber as características de antemão (16%) e por não encontrarem um animal para adoção que se adequasse ao perfil procurado (9%). Por outro lado, 45% dos que adotaram tomaram essa decisão por não concordarem com a venda de animais.

gato e cachorro amigos

Metodologia

Em um primeiro levantamento foram ouvidas 796 consumidores com o objetivo de identificar o percentual de entrevistados que possuem animais de estimação. Em seguida, um novo levantamento foi realizado com 610 casos para identificar as características das pessoas que têm animal de estimação. Resultando, uma margem de erro no geral de 3,5 p.p para o primeiro levantamento e 4,0 p.p para o segundo levantamento. Em ambos os casos trabalhou-se com um intervalo de confiança a 95%.

Se quiser ver a íntegra da pesquisa, clique aqui.

Fonte: SPC Brasil

Curitiba tem fim de semana com programação especial para pet lovers

HiperZoo promove mostra de gatos no sábado (16) e encontro de Spitz Alemão no domingo (17)

Em 2013 eles já eram mais de 22,1 milhões, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Inteligentes, misteriosos e muito atraentes, os gatos vêm conquistando cada vez mais espaço nos lares brasileiros. Por isso, com o objetivo de reunir os cat lovers curitibanos, o HiperZoo promove, neste sábado (16), a 2ª Mostra de Gatos em parceria com o Clube do Gato do Paraná e a marca de rações Premier.

A primeira edição do evento, realizada em fevereiro deste ano, reuniu mais de 2.000 visitantes que puderam conhecer os mais belos felinos dos criadores que compõem o Clube do Gato do Paraná, uma instituição filiada a The Internacional Cat Association (TICA) que tem como objetivos providenciar o registro de filhotes, promover encontros e mostras. Nessa edição, os visitantes poderão ver de perto as raças Persa, Maine Coon, Exótico, Himalaio, American Shorthair, Ragdoll e Sphynx.

“O objetivo dessa mostra é aproximar o público dos principais criadores de gatos do nosso estado, para que possam esclarecer suas dúvidas e conhecer as características dessas raças tão encantadoras”, explica Patrícia Maeoka, sócia-proprietária do HiperZoo.

A raça Sphynx, por exemplo, é muito conhecida por parecer não possuir pelos, na verdade possuem uma pequena pelugem, mas poucas pessoas sabem o quanto esses felinos são inteligentes, curiosos e muito carinhosos.

Afetuosos também são os gatos da raça Ragdoll, tanto que são indicados para o convívio com crianças. Com pelagem longa, porte grande e lindos olhos azuis, a raça ganhou o nome de “boneca de pano” como referência a sua capacidade de relaxar quando está no colo.

gato ragdoll
Gato da raça ragdoll

Outro gigante que estará presente é o Maine Coon, famoso pelo seu porte, eterno comportamento de filhote, inteligência e temperamento extremamente doce e carinhoso. Um macho adulto castrado pode chegar a pesar até 10kg (sem ser obeso) e a medir 1,20m.

maine-coon-baby-and-mom
Foto: mainecoon.org

Já o atlético American Shorthair possui pelos curtos, temperamento quieto e destaca-se pela longevidade, saúde e docilidade com crianças e cães. O Persa também promete atrair o olhar dos visitantes por sua pelagem longa e focinho curto que conferem um ar doce a esta raça quieta, educada e que adora a companhia dos seus tutores.

american shorthair on green artificial grass

Outras duas raças muito parecidas com o persa são o Exótico e o Himalaio. O primeiro tem o focinho como do persa, porém os pelos são curtos e com aspecto de pelúcia. Seu temperamento é carinhoso, alegre e brincalhão. O Exótico ficou muito famoso devido ao personagem Garfield. Já o Himalaio, uma raça criada a partir do cruzamento do Persa com o Siamês, adora brincadeiras e estímulos. Possui os olhos azuis e tem a pelagem longa mas na coloração do gato siamês, a colourpoint.

No mesmo dia também serão realizadas duas palestras dirigidas aos tutores de gatos. A primeira, sobre cuidados na nutrição dos gatos, acontece às 14h e será ministrada pela médica veterinária Amanda Cristina Reguim de Paulo. A segunda palestra, realizada pelo adestrador Rafael Wisneski, acontece às 15h e apresentará o tema “Adequando o ambiente e a rotina para ter um gato feliz”. A entrada para as duas palestras é gratuita. Para apreciar a mostra basta doar 1kg de ração. Cada quilo de ração dá direito a 4 ingressos e as doações serão encaminhadas para a ONG Amigo Animal.

Encontro de Spitz Alemão

Fluffy Cute White Pomeranian Spitz Dog Standing, Curiously Looking isolated

Já no domingo (17) as estrelas serão os cães da raça Spitz Alemão. Trata-se do 1º Encontro de Spitz Alemão no HiperZoo, um evento que contará com espaço seguro para os cães brincarem livremente e uma piscina de bolinhas. Para os tutores, diversos food trucks participarão do evento garantindo a diversão gastronômica.

O Spitz Alemão é conhecido por seu temperamento brincalhão, ativo, inteligente, curioso e aventureiro. É muito apegado ao tutor e à família, porém essa fofura de pequeno porte e pelagem muito macia, que mais parece um bichinho de pelúcia, não é muito chegado a estranhos. É um cão com instinto protetor muito forte e sempre tenta proteger seus tutores de outros cães e pessoas desconhecidas. Por isso é muito importante socializá-lo desde filhote.

Para falar sobre o comportamento do Spitz Alemão, o pet center convidou o adestrador Rafael Wisneski, que ministrará a palestra “Os principais problemas de comportamento do Spitz e como resolvê-los” a partir das 15h. A entrada também é gratuita.

Serviço
2ª Mostra de Gatos no HiperZoo
Quando: sábado, 16 de setembro, das 10h às 16h
Entrada: 1kg de ração – 4 ingressos para a mostra

Palestra “Cuidados na nutrição dos gatos”, com a médica veterinária Amanda Cristina Reguim de Paulo
Quando: sábado, 16 de setembro, às 14h
Entrada: gratuita

Palestra “Adequando o ambiente e a rotina para ter um gato feliz”, com o adestrador Rafael Wisneski
Quando: sábado, 16 de setembro, às 15h
Entrada: gratuita

Encontro de Spitz Alemão
Quando: domingo, 17 de setembro, das 12h às 18h
Entrada: gratuita

Palestra “Os principais problemas de comportamento do Spitz e como resolvê-los”, com o adestrador Rafael Wisneski
Quando: domingo, 17 de setembro, às 15h
Entrada: gratuita

hiper

Hiperzoo – Rua Desembargador Westphalen, 3.448 – Curitiba/PR

 

 

 

Sudeste e nordeste são as regiões que mais contratam Assistência Pet

Para quem tem um bicho de estimação, cuidar da saúde do pet é essencial para evitar maiores surpresas e gastos. Contar com os serviços de uma assistência especializada em serviços pet é uma alternativa para quem quer garantir o cuidado na hora certa para o bichinho.

Segundo um levantamento da Ikê Assistência, empresa de serviços de assistência 24 horas, o sudeste e o nordeste do país estão entre as regiões que mais utiliza o serviço. Somente a região sudeste concentra 68% dos atendimentos, enquanto o nordeste soma 12%. Ainda segundo o levantamento realizado pela empresa na base dos usuários dos serviços da Ikê, os perfis que mais consomem o serviço de assistência pet são os clientes das classes B e C.

O serviço, que existe desde 2012, sofreu um leve crescimento de utilização no último ano. Somente em 2017, a empresa registrou um aumento de 13%. “As pessoas estão vendo na assistência uma oportunidade de cuidar melhor dos seus pets, por isso, acabam contratando mais a assistência especializada”, comenta Sibele Caneloi, gerente de negócios da Ikê Assistência.

gato e cachorro 2.png

Segundo Sibele, o serviço mais utilizado na assistência pet é a marcação de consultas. “A assistência pet pode ser adquirida tanto como seguro residencial ou como assistência individual. Cobrimos funerais, consultas, exames e cirurgias, mas isso depende do produto montado pelo cliente”, afirma.

Entre os demais serviços oferecidos pelo pacote estão o agendamento de consultas, aplicação de vacinas, envio de ração, leva e traz para pet e internações.

Informações: Ikê Assistência

 

Pets: cursos gratuitos sobre comportamento animal e acidentes domésticos

Com duas opções de horários, evento conta com a presença do especialista Rapha Aleixo

Amanhã, 14 de setembro, a Strix Clínica Veterinária Especializada realiza mais um evento gratuito para conscientização e cuidados com cães e gatos. O tema deste mês será dividido em duas aulas diferentes: a primeira, sobre acidentes domésticos, será ministrado por Amanda Carvalho, às 13 horas.

Às 20 horas, o adestrador e especialista em comportamento animal, Rapha Aleixo, da DogLion e parceiro da Strix, falará sobre comportamento animal, alguns dos perigos que animais com problema de comportamento correm e como melhorar a qualidade de vida dos pets.

Quem tem um animal de estimação como parte da família sabe que os cuidados nunca devem cessar e que para evitar acidentes a atenção sobre eles deve ser constante. Assim como com crianças, os tutores devem estar sempre atentos às bagunças e aventuras dos pets, que estão sempre em busca de novas maneiras para se divertir. É justamente este comportamento ativo e curioso dos animais que tornam os cuidados tão necessários já que qualquer momento sozinho em casa é uma oportunidade para explorar territórios desconhecidos e, em grande parte das vezes, proibidos – o que podem causar acidentes desde os mais corriqueiros até os mais graves e fatais.

cachorro e gato brincando pixabay

Alguns dos problemas de comportamento dos animais incluem agressividade indevida, puxar a coleira, destruir e comer objetos dentro de casa, e muitos destes podem causar sérios problemas de saúde ou acidentes para os pets.

Saber como evitar estes comportamentos e estes acidentes com os animais domésticos deve ser uma prioridade nas casas que abrigam qualquer integrante de quatro patas, garantindo o bem-estar e segurança do pet e de toda a família.

Na aula sobre comportamento será mostrado como lidar com alguns problemas dos pets como destruição de móveis e objetos dentro de casa, latido constante, agressividade com outros animais e mesmo com humanos e dificuldades na hora do passeio, entre outros.

Na aula sobre acidentes domésticos, os principais assuntos que serão tratados são:

Cuidados com filhotes

Um dos acidentes domésticos mais comuns é aquele caracterizado como “corpo estranho”. Pelo comportamento curioso e explorador de filhotes, eles tendem a investigar objetos que, em alguns casos, podem ser facilmente engolidos como, moedas, brincos, peças de brinquedos infantis. Esse tipo de ocorrência pode gerar uma série de lesões no estômago e intestino dos animais e, em casos mais graves, pode ser necessária intervenção cirúrgica.

filhotes

Intoxicações

Estas podem ocorrer por produtos de limpeza, tintas ou quaisquer produtos em que o animal tenha acesso. Algumas plantas também são toxicas e comprometem a saúde do pet; fornecimento de medicações humanas ou em doses acima do recomendado para o animal.

Diversos outros acidentes podem ocorrer no ambiente doméstico, caso não tomadas as medidas adequadas, que incluem desde mudanças em domicílio, educação do pet e, em alguns casos, intervenção de especialista.

Sobre os palestrantes

Amanda Carvalho é médica veterinária formada pela Universidade Anhembi Morumbi em 2007 e fez residência em clínica cirúrgica pela mesma universidade, terminando em 2011. Fez ainda o curso de pós-graduação com gestão de negócios com ênfase em Marketing pela ESPM.

Rapha Aleixo é amante dos animais, teve uma passagem por treinamento de cavalos para apresentações quando ainda pequeno. Com o passar do tempo, se formou em Publicidade e Propaganda, mas não contente com a profissão escolhida resolveu largar tudo para fazer o que realmente sempre amou: treinar e adestrar animais. Porém dessa vez o foco foi voltado aos cães, a partir disso se especializou, montou a Dog Lion pensando em melhorar a relação homem x cão e dar boa qualidade de vida aos cães.

A Dog Lion oferece hoje serviços para soluções caninas, como adestramento, consultas comportamentais e hospedagem canina. Rapha também faz parte da Unidade K9 Centro de formação de cães, treinadores e condutores de cães. Condutor de Cães de Busca na empresa Busca Pet Brasil, e diretor, formador e condutor de cães K9 atuando efetivamente na Canix Corp.

gato cachorro estetoscopio.png

Curso “Acidentes Domésticos e comportamento animal”
Data: 14 de setembro de 2017
Horários: 13h – Acidentes domésticos / 20h – Comportamento animal
Valor: Gratuito mediante reserva antecipada
Capacidade: 15 pessoas por horário
Endereço: Av. Professor Vicente Ráo, 1275 – Jardim Petrópolis

Informações: Clínica Strix

Amor a quatro patas

A interação com animais estimação auxilia na promoção de relacionamentos e é importante para a saúde mental

A maior feira de exposição de animais da América Latina, a 40ª Expointer, que terminou no início deste mês em Esteio, no Rio Grande do Sul, colocou em destaque a relação do humano com seus animais de estimação.

Quem habitualmente frequenta esse tipo de evento sabe do carinho e apreço que os tutores têm pelos animais. Mas essa relação vai muito além e impacta no desenvolvimento pessoal e na saúde mental. “Na infância, por exemplo, os animais de estimação auxiliam na promoção dos relacionamentos, cuidados, limites e desenvolvimento de empatia”, explica Michael Zanchet, psicólogo do Kurotel – Centro Médico e Spa de Longevidade de Gramado.

cachorro feliz

A interação com animais de estimação, independentemente da espécie, é capaz de promover importantes benefícios à saúde mental. “Um exemplo é quando você chega em casa e seu cão ou gato está à sua espera na porta, solicitando carinho ou um passeio. Isso repercute emocionalmente no seu dono de forma positiva”, revela o especialista, incluindo todo o tipo de espécie nessa interação.

cavalo
Pixabay

Segundo Zanchet, animais como o cavalo, muito utilizados em exibições como a Expointer, denotam potência, exuberância, uma figura de poder: “O cavalo dá a sensação, para quem monta, de sentir-se livre e dominado ao mesmo tempo”. Além disso, eles são muito utilizados na equoterapia, método terapêutico e educacional, que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar com o objetivo de promover o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de necessidade especiais ou com alguma deficiência.

mulher e gato

Seja como for, o animal, apesar de não falar, expressa lealdade ao seu tutor e sempre está no aguardo do carinho, da brincadeira e da chegada dessa pessoa. Recurso saudavelmente utilizado por quem mora sozinho, casais que vêm seu ninho vazio, aqueles que optam em não ter filhos, os animais também são auxiliares no processo de luto e nos conflitos pessoais.

Fonte: Kurotel 

Pets: irmãos de quatro patas

Muito mais de que amigos: a relação entre filhos e pets envolve amor, carinho, atenção e dedicação, equiparando-se ao amor de irmão

Este mês comemora-se o Dia do Irmão (05) e a data reforça a mudança de comportamento dos lares brasileiros em, cada vez mais, humanizar o relacionamento com os pets. Prova disso é a crescente preocupação e demanda de seus tutores com a saúde, o bem-estar, a alimentação e o emocional de seus filhos, sejam eles crianças, cachorros, gatos ou outros animais de estimação.

A DrogaVET aproveita a data para informar as vantagens da relação entre os pets e as crianças que, quando são filhos únicos, encontram na convivência com os bichinhos, um sentimento de irmandade e cumplicidade. “A chegada de um pet nos lares é muito benéfica para o desenvolvimento social, emocional e físico das crianças. As brincadeiras e interações, por exemplo, trazem melhorias nas habilidades motoras dos pequenos. Além disso, inserir o filho nos cuidados diários com os animais é uma forma de ensinar valores importantes, como: responsabilidade, respeito e afeto”, afirma a farmacêutica da DrogaVET, Daiane Kasecker.

Nesse contexto, a especialista afirma que a saúde tanto das crianças, como dos animais deve ser uma preocupação constante, para evitar a transmissão de possíveis doenças para as crianças e não agravar o quadro clínico do animal. “Para melhor convivência é importante que tanto os peludos quanto as crianças estejam com as vacinas e check-ups em dia”, afirma a especialista.

No caso de algo mais sério, como a internação ou mesmo o falecimento do pet, os pais devem ser honestos com as crianças e explicar o que está ocorrendo. “Omitir as informações pode causar traumas, pois a relação de ambos, em geral, é muito próxima”, pontua Kasecker.

criança com cachorro

Do outro lado, nos casos em que a criança se ausentar por um longo período, seja por viagens escolares ou férias, os bichinhos também podem sofrer com a falta do companheiro humano, apresentando sintomas de doenças, como, por exemplo, depressão e estresse. Brincadeiras, passeios e interações com os cães podem fazer com que eles sofram menos com a ausência dos pequenos.

A farmacêutica ainda alerta que a chegada de um bichinho após o nascimento do filho pode assustar a criança, fazendo com ela desenvolva, por exemplo, cinofobia, fobia de cães caracterizada por tremores, sudorese excessiva, crises de choro e aceleração cardíaca, independendo da raça ou tamanho do cão.

gato com menina criança

O contrário também pode ocorrer, quando o pet é surpreendido pelo nascimento de um bebê, causando insegurança e estresse. “Em ambas as situações é importante que os tutores iniciem o convívio entre animais e crianças aos poucos, para que todos se sintam seguros na presença um do outro”, alerta a especialista informando também que ao levar todos esses cuidados em consideração, os tutores podem ter a certeza de que o animal será a melhor companhia que a criança poderá ter, compartilhando experiências, brincadeiras e passeios com o irmão de quatro patas.

Fonte: DrogaVET

Dicas de como aproximar cães e gatos

A maioria dos cães, especialmente os mais jovens, prefere brincar com outros animais ao invés de atacá-los. Embora alguns considerem cães e gatos como inimigos naturais, há muitos casos nos quais eles se tornam grandes amigos.

Permitir a esses animais estabelecer limites seguros, limitar o acesso entre eles e trabalhar em etapas para controlar a agressão do seu cão são as chaves para impedir um cão de atacar um gato. Listamos abaixo seis passos:

filhote gato e cachorro

-Apresente o cão para o gato bem cedo — quando ainda são filhotes, se possível. Dê aos animas a oportunidade de se conhecerem na sua presença, independente da idade do cachorro. Permita ao gato gradualmente ficar à vontade perto do cão, o que o tornará menos propenso a atacar.

-A castração pode ser útil na redução do comportamento agressivo em relação aos gatos e também a outros cães.

mulher cachorro passeio caminhada

-Passeie com seu cão com frequência e brinque o máximo possível para manter os níveis de energia do cão mais baixos quando ele interagir com o gato mais tarde.

-Leve o cão para um treinamento de obediência realizado por um treinador profissional. Estabeleça uma série de comandos a serem seguidos pelo cão, assim, mesmo que haja um ataque iminente, você estará preparado para impedi-lo com as vozes de comando praticadas.

menina com gato e cachorro

-Fique no ambiente quando os animais estiverem juntos. Repreenda o animal a qualquer sinal de agressão. Sinais de agressão incluem mostrar os dentes, rosnar e assumir uma postura rígida.

gato-no-sofa

-Mantenha áreas separadas em sua casa para cada animal, se possível. Mantenha-os separados sempre que você não estiver por perto para monitorá-los. Deixe os cobertorzinhos ou caminhas de um animal com o outro em áreas separadas, assim eles se acostumam com o cheiro um do outro.

cachorro e gato comendo.png

Dicas e Alertas: nunca tente separar fisicamente uma briga entre seu cão e seu gato, pois você pode ser acidentalmente arranhado ou mordido.

Fonte: Marcello Machado, médico veterinário da Max e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos