Arquivo da categoria: Câncer

Tatuador redesenha gratuitamente aréolas de mulheres que fizeram mastectomia

Depois do sucesso do último Y Rosa, tatuador Yurgan Barret passará a oferecer mais serviços às mulheres que tiveram câncer

Depois do sucesso da última edição da Iniciativa ‘Y Rosa’, oferecida gratuitamente pelo tatuador Yurgan Barret e que pretende resgatar autoestima das mulheres que tiveram câncer, o projeto voltará em seu estúdio, agora, disponibilizando mais serviços.

Em outubro, o estúdio do profissional oferecerá os seguintes serviços: Tattoo Aréola (reconstrução das aréolas por meio de tatuagem 3D para mulheres com mastectomia); micropigmentação de sobrancelhas para quem perdeu os pelinhos devido à quimioterapia; corte de cabelo para doação; presença do Instituto Vamos Viver, com venda de materiais e grupos de discussão/palestras; e exposição de fotos de mulheres que venceram o câncer.

tatuagem areola 3tatuagem areola1

“Fico feliz com o crescimento do Y Rosa e em ver outros tatuadores entrando nesse movimento de usar sua arte pra ajudar mulheres guerreiras que venceram o câncer de mama”, disse Barret.

A última edição do Y Rosa aconteceu em julho. Nela, Barret pôde oferecer o serviço de reconstrução aréolas para várias mulheres. Elen e o jornalista Matheus Rodrigues, do portal G1, que produziu uma matéria sobre o trabalho solidário do tatuador, foram homenageados na primeira edição do Jornalismo com Cidadania no Tribunal de Justiça do Rio.

tatuagem areola 2yurgan

 

Projeto ‘Y Rosa’

Data: 25 e 26 de outubro.
Endereço: Av. Alfredo Balthazar da Silveira, 520 – Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro. WhatsApp 21 97152 1303

Anúncios

Fumantes passivos têm 30% a mais de chance de desenvolver câncer de pulmão

Dados indicam que mais de 14 milhões de brasileiros inalam involuntariamente a fumaça de cigarros; Efeitos nocivos das substâncias tóxicas aumentam risco de desenvolver tumores malignos

Ontem foi o Dia Nacional de Combate ao Fumo, e é importante lembrar que o Brasil conta com cerca de 21 milhões de fumantes, o que representa 12% da população, segundo dados do Ministério da Saúde. Na fumaça há de quatro a nove mil substâncias tóxicas das quais pelo menos 70 são altamente carcinogênicas.

O câncer de pulmão costuma ser o mais associado ao indivíduo tabagista, mas ele também pode ser o responsável pelo aparecimento de cânceres na boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim e bexiga. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil deve registrar 31.270 novos casos de câncer no pulmão em 2018, sendo que a maioria deles é provocada pelo fumo.

Os fumantes passivos, aqueles que involuntariamente inalam o fumo dos fumantes ativos próximos, também estão sujeitos a enfrentar os danos do tabagismo. Pesquisas apontam que a fumaça que sai do cigarro contém cerca de três vezes mais nicotina e monóxido de carbono.

“Estar em contato, mesmo que indiretamente, com essa fumaça pode aumentar em 30% os riscos de desenvolver câncer de pulmão. E as crianças constantemente expostas têm mais predisposição a desenvolver leucemia, linfoma e tumores cerebrais”, explica Mariana Laloni, oncologista do Centro Paulista de Oncologia, unidade São Paulo do Grupo Oncoclínicas.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), há aproximadamente dois bilhões de pessoas que estão no grupo de fumantes passivos no mundo. No Brasil, estima-se que o contingente de indivíduos expostos ao problema chega a ser de 14,5 milhões – número que representa mais de 7% da população nacional. Além do aumentado risco de câncer de pulmão, de colo de útero e de câncer de pâncreas, o grupo ainda pode sofrer derrame cerebral, colite ulcerativa, alergia alimentar, asma e pneumonia. A oncologista ressalta que o risco de câncer de colo de útero chega a ser 73% maior em mulheres fumantes passivas, em comparação as mulheres não tabagistas.

medico mulher teste pulmão

Recentemente especialistas conseguiram provar que não estar em contato com a fumaça já não é o bastante para não sofrer com os malefícios. Um estudo publicado na revista Pediatrics mostrou que ambientes defumados pelo tabaco também estão repletos de partículas cancerígenas, que podem permanecer por até dois meses.

“O fumo de terceira mão, aquele cheiro forte que fica impregnado em almofadas, tapetes e cortinas, apenas para citar alguns exemplos, também representa riscos à saúde e evidencia o quanto o cigarro pode afetar o bem estar das pessoas que convivem em casa, no trabalho e em demais espaços coletivos com a fumaça gerada pelos fumantes ativos”, finaliza Laloni.

Fonte: Centro Paulista de Oncologia CPO

Conscientização do câncer de pulmão: a importância do diagnóstico precoce

Precisão na definição do tratamento e conhecimento sobre o tumor aumentam as chances de controle da doença em 70%

Agosto é o mês de conscientização sobre o câncer de pulmão, que é o segundo tipo de neoplasia mais comum no Brasil entre os homens e o quarto entre as mulheres. Em 2015, 16.930 pessoas do sexo masculino e 13.680 do sexo feminino morreram no país em decorrência da doença, segundo o SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade).

Para alertar e informar sobre a importância do diagnóstico precoce, foi criada a campanha Respire Agosto, uma realização do Instituto Lado a Lado Pela Vida com apoio das farmacêuticas AstraZeneca, Bristol-Myers Squibb e Pfizer e do laboratório Hermes Pardini. A campanha será veiculada pelas redes sociais do instituto no Facebook e pelo Instagram, que trarão informações sobre o câncer de pulmão, sintomas, prevalência, testes para identificação do tumor e tratamentos existentes. No final de cada post, haverá um link para o portal do instituto, que fornece ao internauta dados mais aprofundados sobre a enfermidade.

O foco da campanha é disseminar informações sobre este tipo de câncer, cuja incidência global pode chegar a 1.8 milhão de novos casos por ano, sendo o tumor que mais mata no mundo, com 1.6 milhão de mortes (de acordo com a Organização Mundial de Saúde – OMS¹). A iniciativa também visa a reforçar a importância do acompanhamento médico de rotina para a saúde do órgão.

Assintomática em fases iniciais, a doença pode ser diagnosticada em qualquer pessoa e em qualquer idade. A prevenção é fundamental para a redução da incidência da doença que, no Brasil, pode checar a mais de 31 mil novos casos no biênio 2018/2019², sendo 18.740 homens e 12.530 mulheres, de acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva).

As causas da doença variam entre as pessoas e podem incluir histórico familiar, hábitos como tabagismo e estilo de vida. O excesso de exposição à poluição do ar e fatores genéticos, por exemplo, também são fatores de risco³.

O diagnóstico precoce é o principal indicador para a escolha do tratamento e para o sucesso da terapêutica empregada, como explica o médico oncologista, membro do Comitê Científico do Instituto Lado a Lado pela Vida e pesquisador da Northwestern University de Chicago, Marcelo Cruz. “O processo para o diagnóstico da doença é o primeiro passo para o controle do câncer. Hoje, o paciente pode ser submetido à análise do genoma do tumor, que identificará o tipo e as terapias que se adequam ao caso. Os estágios iniciais apresentarão mais resultados positivos no combate ao tumor”.

Por meio da análise do genoma é possível identificar biomarcadores que podem ser utilizados como parâmetros biológicos e que determinam, por exemplo, o tipo da doença e quais as opções terapêuticas mais eficazes para um determinado indivíduo. O médico ainda explica que a indicação correta do tratamento amplia as chances de resultados efetivos. “O câncer de pulmão tem variações e cada caso deve ser tratado com unicidade, o que nos exige tratamentos personalizados. A medicina de precisão eleva as chances de controle da doença para 70%, isso aliado à qualidade de vida para o paciente, com menos efeitos colaterais e resultados em taxas de sobrevida”

raio x pulmão torax toubibe pixabay
Pixabay

.

Para tratar a doença, estão disponíveis no país terapias como: quimioterapia, radioterapia, cirurgia, remoção por radiofrequência, terapia-alvo e a imunoterapia.

“A medicina de precisão avaliará qual é o tratamento certo para o paciente, de acordo com o estadiamento do câncer de pulmão, no momento em que poderá apresentar resultados mais satisfatórios”, conclui o oncologista.

A campanha reforça a relevância do diagnóstico rápido e alerta a população de que o câncer de pulmão cresce anualmente entre indivíduos não fumantes. “Atualmente, 20% dos casos registrados são diagnosticados em indivíduos que nunca fumaram, sendo que, na década de 1990, esse índice variava entre 5% e 8%”, ressalta Marlene Oliveira, presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida.

Fique atento aos sintomas

O câncer de pulmão pode ter origens e evoluções diferentes, porém os sinais são os mesmos. O paciente que apresenta sintomas constantes, como tosse, falta de ar, dor no peito, cansaço e rouquidão, ou que tenha histórico familiar deve procurar um médico e solicitar o diagnóstico4.

Radiografia do câncer de pulmão no Brasil

Pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha em 20165 avaliou a percepção da população brasileira a respeito do câncer de pulmão e revelou que 76% dos entrevistados nunca conversaram com um médico sobre a doença. Entre as 2.044 pessoas ouvidas, em cerca de 130 municípios do país, houve a confirmação de que 17% não sabiam o que fazer para reduzir riscos e não desenvolver a enfermidade, demonstrando o quanto o câncer de pulmão é pouco compreendido pela população. Desse universo, 39% não se preocupavam com a doença, pois não eram fumantes.

Sobre o Instituto Lado a Lado Pela Vida

Há dez anos o Instituto Lado a Lado pela Vida tem se dedicado a levar informação sobre saúde e conscientizar sobre a importância da mudança de hábitos para a adoção de um estilo de vida mais saudável, focado na prevenção. Fazemos isso por meio de nossas Campanhas e Pilares, atuando em todo o Brasil.

3 em cada 4 pacientes com câncer de bexiga são ou foram fumantes

Tabagismo é o principal fator de risco para o desenvolvimento da doença

Na semana em que se celebra o Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto, a Secretaria de Estado da Saúde faz um alerta importante sobre a relação do cigarro com o câncer de bexiga.

Levantamento inédito feito pelo departamento de urologia do Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo, unidade da pasta gerenciada em parceria com a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, indica que 73% dos pacientes diagnosticados com câncer de bexiga na unidade foram ou ainda são fumantes.

Entre as 1.130 cirurgias realizadas no hospital para retirada deste tipo de tumor desde 2013, 854 foram feitas em homens e 276 em mulheres. No total, 823 pacientes relataram ter o vício, sendo 657 do gênero masculino e 169, feminino.

Segundo a literatura médica, o câncer de bexiga é o segundo tumor do trato urinário mais frequente depois do que acomete a próstata, afetando tanto homens quanto mulheres. A principal causa é o tabagismo. De acordo com Cláudio Murta, coordenador do departamento urologia do Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini, os homens têm mais propensão a ter a bexiga afetada pelo tumor do que as mulheres, devido a fatores genéticos ou hormonais, por exemplo. Porém, em ambos os casos, a maioria das pessoas ainda sofre com a falta de informação.

o-cigarro-pode-levar-a-infertilidade

“Esses pacientes chegam ao nosso hospital sem ter ideia de que o hábito de fumar pode prejudicar outras áreas além do pulmão. São substâncias que causam alteração celular. Elas saem do sistema respiratório, vão para corrente sanguínea, são filtradas pelos rins e se depositam na bexiga, onde acontece a transformação chamada ‘maligna”, explica. Na unidade, o tratamento consiste na remoção do tumor por meio de raspagem da bexiga e, em casos mais graves, a retirada do órgão, com tratamento e acompanhamento posterior.

Especialistas acreditam que fatores como exposição a alguns produtos químicos industriais, não beber líquidos em quantidade suficiente, idade, infecções, questões genéticas e histórico familiar colaboram para o surgimento deste tipo de câncer, mas que o tabagismo atualmente é a maior causa do desenvolvimento da doença. “Por isso, podemos afirmar que, sem sombra de dúvidas, a principal prevenção contra o câncer de bexiga é não fumar ou parar com este hábito”, finaliza Murta.

Sobre o hospital

O Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini é o primeiro centro público de saúde especializado em transplantes de órgãos e tecidos no Brasil. Seu departamento de urologia realizou no último ano mais de 40 mil consultas e cerca de 4.500 cirurgias.

A unidade fica no Jardim Paulista, zona sul da capital, e atende de forma referenciada pacientes encaminhados pelos municípios, via central de vagas estadual.

Fonte: Assessoria de Imprensa do  Hospital Euryclides de Jesus Zerbini

 

Agosto é o mês que lembra sobre a importância da prevenção do linfoma

A campanha do mês de agosto para a luta contra o linfoma remete à cor do laço verde-claro. Linfoma é o termo usado para designar vários tipos de cânceres com origem nos linfonodos, os gânglios do sistema linfático.

Os gânglios linfáticos estão espalhados por todo o corpo, e possuem a importante função na defesa do organismo contra infecções. Os linfomas podem ser divididos em não-Hodgkin e de Hodgkin. A distinção entre eles é feita por meio de biópsia.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil, estimam-se 5.370 novos casos de linfoma não-Hodgkin para o sexo masculino e 4.810 para o sexo feminino, a cada ano do biênio 2018/2019. Para ambos os sexos, é a 11ª neoplasia mais frequente entre todos os cânceres, que correspondem a um risco estimado de 5,19 casos novos a cada 100 mil homens, e 4,55 para cada 100 mil mulheres.

Segundo o hematologista do hospital Felício Rocho, Guilherme Muzzi, a doença pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum entre 50 e 65 anos, para o linfoma não-Hodgkin. Já no linfoma de Hodgkin, existem dois picos de incidência maior, sendo o primeiro de 20 a 30 anos e o segundo entre 50 e 60 anos.

A perda de peso e do apetite, sudorese noturna, aumento dos gânglios linfáticos, fadiga, fraqueza são alguns dos sintomas mais comuns da doença. O aumento dos gânglios linfáticos (íngua) pode ser facilmente observado pelas pessoas, pois se localizam frequentemente no pescoço, axilas, clavícula ou virilha. Entretanto, na maior parte das vezes essa alteração está mais relacionada a infecções do que com o linfoma propriamente dito.

mulher garganta pescoço tireoide

Além de exames periódicos e acompanhamento médico, é importante que todas as pessoas mantenham hábitos de vida saudáveis, para diminuir ao máximo a chance de chegar a desenvolver um câncer.

Muzzi ressalta que a prevenção do câncer é fundamental, não apenas para diminuir os riscos de uma pessoa chegar a desenvolvê-lo, mas também para que a doença possa ser diagnosticada em fase precoce, aumentando as chances de cura e sobrevida do paciente.

Fonte: Hospital Felício Rocho

Alimentação é fundamental para prevenir casos de câncer

País deve registrar 600 mil casos até 2019; nutricionista sugere aumentar o consumo de frutas e verduras, de preferência orgânicos, e evitar carboidratos e carnes

Entre os anos de 2018 e 2019, o Brasil deve registrar nada menos que 600 mil novos casos de câncer. A projeção é do Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (Inca) e integra a pesquisa “Estimativa 2018 de Incidência de Câncer no Brasil”. O câncer de pele é o tipo mais frequente (165 mil), seguido pelo câncer de próstata (68 mil), para homens, e de mama (59 mil), para as mulheres. Terão grande incidência também o câncer de intestino (19 mil), de pulmão (18 mil) e o de colo de útero (16 mil).

O perfil dos afetados, bem como a distribuição da doença no país, varia. Nas regiões Sul e Sudeste, por exemplo, são mais frequentes os tumores de intestino. Já no Nordeste e Norte, os homens sofrem mais com o câncer de estômago e as mulheres, com o de colo de útero. As causas do câncer também são diversas e, muitas vezes, relacionadas à genética. Mas vêm crescendo, nos últimos tempos, estudos que mostram a ligação entre seu aparecimento e a qualidade da alimentação dos afetados.

Essas pesquisas tiveram início nos anos 1980, com os britânicos Richard Doll e Richard Peto, que mostraram que cerca de 30% das ocorrências da doença em todo o mundo estariam relacionadas a dietas inadequadas.

Consumir frutas e verduras é fundamental

frutas legumes

Os fitoquímicos, compostos vegetais que têm efeito benéfico na saúde ou papel ativo na melhora do estado de pessoas com enfermidades, desempenham um papel fundamental nessa dieta preventiva. Eles podem ser obtidos na forma de chás, café, verduras e frutas, de preferência com casca.

“O consumo diário de três porções de cada um destes alimentos, de preferência orgânicos, é interessante. Até mesmo se estiverem com aparência e tamanhos não muito atrativos, já que mais fitoquímicos são produzidos quando os vegetais sofrem ‘agressões’, como alta exposição ao frio, aos raios solares e a pragas”, explica o nutricionista Bernardo Starling.

Ele lembra ainda que, para fumantes, o uso dos fitoquímicos deve ser maior. “Para essas pessoas, a ingestão diária de frutas é ainda mais importante. Além disto, na maioria das vezes, consomem grande quantidade de café e bebidas quentes, o que pode potencializar o câncer de esôfago. Porém, o café se mostra protetor em várias outras situações, por isso é fundamental observar este consumo”, alerta.

Coma fibras

muesli fibras pixabay
Pixabay

A ingestão de fibras se apresenta como um dos principais fatores na prevenção dos canceres do trato gastrointestinal e o consumo, de acordo com o nutricionista, deve ser próximo a 25g/dia.

Evite o açúcar

shutterstock sem acucar
Shutterstock

Além de aumentar a ingestão de gengibre, própolis, mel e suco com vegetais, o especialista sugere evitar o açúcar nas bebidas quentes, já que ele pode prejudicar a ação dos fitoquímicos, pela modificação da estrutura molecular destas substâncias.

O consumo de açúcar (na forma de carboidrato) no dia a dia também deve ser observado. “Este tem aumentado drasticamente desde o surgimento do plantio de cana, saindo de dois quilos anuais per capita para 25 quilos. Assim, a ingestão de carboidratos, como a de gordura saturada, deve ser limitada durante o dia a dia. Quando buscamos usar alimentos naturais e na forma in natura, como as frutas, legumes e cereais, iremos conseguir ter todos benefícios, consumir fitoquímicos, pouco carboidrato e pouca gordura saturada”, orienta o profissional.

Controle o consumo de carne

carne nao

Starling reforça que o consumo de carne deve ser consciente. “Carnes com ‘casquinhas’ ou crostas apresentam substâncias classificadas como hidrocarbonetos policíclicos e aminas heterocíclicas, que se dão a partir de reações potencializadas pelo calor. Elas realmente apresentam um potencial carcinogênico alto e por isto devem ser ingeridos com moderação”, finaliza.

Fonte: Bernardo Starling é formado em Nutrição, especialista em Nutrição Ortomolecular e Nutrigenômica, Mestre em Bioquímica pela UFPR. Em suas áreas de conhecimento estão a Fisiologia, a Bioquímica e a Biologia Molecular. Professor e pesquisador, o profissional mantém ainda um consultório, onde presta atendimento nutricional

Inverno não dispensa protetor solar

Atualmente, segundo dados do INCA, o câncer de pele é os mais prevalentes entre a população brasileira, correspondendo a 30% de todos os diagnósticos de tumores malignos

Os cânceres de pele são os mais incidentes no Brasil, representando cerca de 30% de todos os casos da doença – um número que chega a 165 mil novos casos por ano, segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer). Por isso, o verão é marcado por intensas campanhas de conscientização sobre a doença, mas isso não significa que as estações mais frias do ano não representam risco para a pele.

Em geral, as pessoas tendem a relacionar o câncer de pele exclusivamente ao melanoma. Contudo, 95% dos casos de tumores cutâneos identificados no Brasil são classificados como não melanoma, um índice que está diretamente relacionado à constante exposição à radiação ultravioleta (UV) do sol. O sol durante o inverno, apesar de parecer mais “fraco”, continua emitindo radiação, que possui um efeito cumulativo na pele.

medico examinando pele

De acordo com Bernardo Garicochea, oncologista e especialista em genética da unidade do Grupo Oncoclínicas em São Paulo – Centro Paulista de Oncologia (CPO) -, é importante a avaliação frequente de um dermatologista para acompanhamento das lesões cutâneas. “As alterações a serem avaliadas como suspeitas são o que qualificamos como ‘ABCD’- Assimetria, Bordas irregulares, Cor e Diâmetro. A análise da mudança nas características destas lesões é de extrema importância para um diagnóstico precoce”.

Evitar a exposição excessiva e constante aos raios solares sem a proteção adequada é a melhor medida – e isso vale desde a infância. Vale lembrar que, mesmo áreas não expostas diretamente ao sol e menos visíveis – como o couro cabeludo – podem apresentar manchas suspeitas.

Imunoterapia e o melanoma

O melanoma é o tipo de câncer que apresenta o maior número de mutações genéticas no DNA do tumor. Essas mutações podem confundir o sistema imunológico do paciente e dificultar a ação de terapias tradicionais. Por isso, a imunoterapia é uma das grandes aliadas no tratamento da doença.

protetor-solar-333

“A Imunoterapia é o tratamento que promove a estimulação do sistema imunológico por meio do uso de substâncias modificadoras da resposta biológica. Em resumo, trata-se de um grupo de drogas que, ao invés de mirar o câncer, ajuda as nossas defesas a detectá-lo e agredi-lo”, explica Garicochea. De acordo com ele, 3% dos melanomas são hereditários. O especialista do Grupo Oncoclínicas indica alguns pontos de atenção que podem indicar propensão à doença:

=Pessoas que possuem uma grande quantidade de pintas escuras espalhadas pelo corpo;
=Incidência de melanoma em algum parente muito jovem (menos de 35 anos);
=Mais de dois casos de melanoma na família (em qualquer idade).

Fonte: Centro Paulista de Oncologia – CPO

Grupo Lunelli renova parceria com Move4Cancer em nova campanha

O Grupo Lunelli, com as marcas Lez a Lez, Lunender e Hangar33, é parceiro do Move4Cancer – movimento social que apoia o Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho (ICAVC) e tem o objetivo de conscientizar a sociedade da necessidade de fazer a prevenção primária de diversos tipos de câncer.

Para apoiar a causa, o Grupo Lunelli desenvolveu camisetas exclusivas com o logo do movimento – quatro setas vermelhas, símbolo internacional da luta contra o câncer. As peças femininas poderão ser encontradas no site Lunender e as masculinas no Hangar33. Parte da renda dos itens será revertida para o Move4Cancer.

A mais nova campanha “Fique Bonito Por Dentro e Por Fora” é estrelada pelos artistas Gabriela Duarte, Isabella Santoni e Felipe Titto. No filme, os atores convidados explicam o que é o Move4Cancer e a importância do ICAVC, além de mostrar que a aquisição das camisetas é uma das formas de colaborar com o movimento.

Felipe TitoIsabela SantoniGabriela Duarte

Quem quiser adquirir uma camiseta e saber mais sobre o movimento pode entrar no site da Move4Cancer, clicando aqui.

Move4Câncer

O Movimento Move4Cancer foi criado em 2016 movido pelo desafio de prover os recursos necessários para vencer os diversos tipos de câncer, promovendo uma nova plataforma de arrecadação e visibilidade que garanta a contínua atuação do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – ICAVC.

Além de comercializar as camisetas, o Move4Cancer também recebe doações que são encaminhas ao ICAVC. As doações também são feitas pelo site do movimento, clicando aqui.

Instituto do Câncer Arnaldo Viera de Carvalho – ICAVC

Com 98 anos de vida, o Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – ICAVC – é uma instituição filantrópica de utilidade pública que presta assistência exclusivamente pelo SUS na área de Oncologia. Sua missão é promover a saúde e bem-estar do paciente oncológico; incentivar a pesquisa científica e qualificar profissionais da área.

A importância da alimentação na prevenção do câncer

Uma dieta rica em gorduras animais, carnes processadas e baixa ingestão de fibras, frutas frescas e vegetais pode impulsionar o surgimento da doença, principalmente no aparelho digestivo

A alimentação inadequada é responsável por cerca de 20% dos casos de câncer no país, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer). De acordo com a instituição, um em cada três casos poderia ser evitado com a adoção de dieta saudável, controle de peso e prática de atividade física. “Principalmente os casos de colorretal ou do intestino grosso”, ressalta Ulysses Ribeiro, chefe do Serviço de Cirurgia Oncológica do HCor. “É o tumor maligno mais freqüente que acomete o aparelho digestivo. Corresponde a 8% de todas as mortes por câncer no país e está no 3º lugar em incidência no mundo”, completa.

Com prevalência maior nas regiões Sudeste e Sul, o câncer de intestino atingiu em São Paulo, no ano de 2016, 28 a 36 homens por 100 mil habitantes e 25 a 33 mulheres por 100 mil habitantes. Embora as estatísticas sejam preocupantes, a boa notícia é que há como prevenir a doença, na grande maioria dos casos.

frutas figo mirtilho nectarina

“A prevenção primária se baseia numa dieta rica em fibras, composta de alimentos como frutas frescas, cereais (preferencialmente os integrais), verduras, legumes, grãos e sementes, além da prática de atividade física regular e diminuição da obesidade”, explica o cirurgião oncológico do aparelho digestivo. “Além disso, deve-se parar de fumar, evitar ou diminuir o consumo de bebidas alcoólicas, de carnes processadas e de quantidades acima de 300 gramas de carne vermelha por semana”.

Já a prevenção secundária ocorre por meio da busca ativa dos pólipos e tumores pequenos, como o teste de sangue oculto nas fezes, e a colonoscopia que é o exame endoscópico do intestino grosso. Este método permite além do diagnóstico, o tratamento com a retirada dos pólipos e/ou tumores pequenos e não profundos.

Inicialmente, este tipo de câncer pode não apresentar sintomas, fase denominada assintomática. Muitas vezes as pessoas já podem apresentar pequenas lesões na parede interna do intestino, que se parecem com elevações ou verrugas, chamadas de pólipos, e não tem quaisquer queixas.

Na maior parte dos indivíduos, os tumores ocorrem a partir destes pólipos. “Se retirarmos os pólipos, o risco de evolução para tumor diminui. Quando os tumores progridem e invadem os tecidos podem ocasionar alterações do hábito intestinal, sangramento ou dor abdominal”, alerta Ribeiro.

medico e paciente uc health
Foto: UC Health

O rastreamento na fase assintomática deve começar a partir dos 50 anos para a população geral. O procedimento cirúrgico ainda é o principal recurso para os tumores do intestino e pode ser indicado no início do tratamento, pós-quimioterapia, ou pós-radio/quimioterapia.

O método laparoscópico veio trazer as vantagens da cirurgia minimamente invasiva ao tratamento, incluindo-se menores incisões abdominais, menor tempo de recuperação, menor dor pós-operatória, maior rapidez de início da quimioterapia para pacientes que precisem e retorno mais rápido ao trabalho. “Faça os exames de rastreamento para o câncer do intestino de acordo com as orientações de seu médico. O tumor de intestino é passível de prevenção, não tenham medo”, orienta o cirurgião oncológico do HCor.

Fonte: HCor

Espaço Quadrado: liquidação e doação de peças para crianças com câncer

O Espaço Quadrado, galeria de arte, moda e design, promove pela primeira vez uma liquidação em parceria com o hospital Ação Solidária Contra o Câncer Infantil (ASCCI).

A liquidação da marca oferece 40% de desconto nas peças selecionadas. Se houver a doação de uma peça de roupa para o ASCCI, o cliente ganha mais 10% de desconto nas roupas da loja. Portanto, as peças caem pela metade do preço, em troca de uma boa ação concedida.

O hospital, localizado na Rua Oscar Freire e próximo à loja, tem como missão acolher os portadores do câncer, especialmente crianças, além de sensibilizar todos a uma possibilidade de cura, criando um novo olhar: “de forma que possam ter e compartilhar de todas as oportunidades da vida e de todos os sonhos”.

Não perca a oportunidade de adquirir peças incríveis da marca, renovar seu guarda-roupa de modo acessível e, ao mesmo tempo, ser solidária com muito estilo. A liquidação vai até o dia 10 de agosto.

quadrado6quadrado5quadrado1quadrado2

quadrado4quadrado3

Espaço Quadrado – Rua Oscar Freire, 1996 – Pinheiros, SP
Ação Solidária Contra o Câncer Infantil – ASCCI – Rua Oscar Freire, 1990 – Pinheiros, SP