Arquivo da tag: restaurante

Tanit: cozinha mediterrânea autoral com alma catalã

Cozinha mediterrânea autoral com alma catalã. Esta é a proposta do Tanit, restaurante do chef Oscar Bosch aberto em 2016 na Rua Oscar Freire, nos Jardins, e batizado com o nome de uma deusa fenícia muito cultuada no litoral balear. Nascido na Catalunha, Bosch teve o primeiro contato com a gastronomia no restaurante de seu pai, Can Bosch, na cidade de Cambrils, dono uma estrela Michelin há mais de 30 anos.

Antes de chegar ao Brasil, em 2010, ele trabalhou em três dos mais consagrados restaurantes do mundo: o El Bulli, o El Celler de Can Roca e o belga Hof van Cleve. Depois de prestar algumas consultorias e de abrir um serviço de catering, o chef inaugurou em abril de 2016 seu primeiro restaurante próprio, com ambiente bem iluminado e agradável varanda, que remetem ao clima de Barcelona, Formentera e Ibiza.

Nele, são servidas criações inspiradas nas experiências do chef e releituras modernas de receitas tradicionais, executadas com precisão e bem apresentadas. Para acompanhá-las, drinques autorais, como as diferentes versões de gin tônica e o clericot, que casam bem com as tapas da espera.

A casa elevou o padrão da cozinha espanhola na cidade, sendo indicada como Bib Gourmand pelo Guia Michelin em 2017 e 2018. Bosch foi premiado ainda como Chef do ano pela Veja SP Comer e Beber 2017/2018 e também pela revista Quem Acontece 2017, Chef Revelação pela revista Gosto e eleito como Rising Star da gastronomia pela revista GQ.

Dois anos depois…

Nestes dois anos de Tanit, Bosch consolidou sua cozinha autoral com alma catalã. O reconhecimento veio tanto da crítica especializada, quanto do público: a casa foi premiada por diversas publicações e vive cheia, mesmo no início da semana. Por entender que o público já compreendeu os princípios de sua cozinha, Oscar agora apresenta novidades no menu com mais liberdade criativa, apostando em receitas cheias de técnica e texturas.

Abre as novidades uma nova croqueta – hit da casa, atualmente servido em outras cinco versões. Sua primeira croqueta do mar, de tinta de lula recheada com o próprio molusco, foi criada por causa de um desafio proposto pelo chef nas redes sociais do restaurante, que resultou em mais de 200 sugestões dadas pelos clientes. Depois de muitos testes, Bosch chegou à vencedora, que é finalizada por aioli de coentro.

crocante de arroz negro.png
Crocante de Arroz Negro
Arroz Negro_Tanit_Lucas Terribili-34
Arroz Negro – Foto: Lucas Terribili

 

Tanit_Lucas Terribili-27
Cordeiro – Foto: Lucas Terribili

Ainda na seção “tapitas” do menu surge um inventivo crocante de arroz negro que é coberto por guacamole, camarão empanado em panko e molho picante. Na seção “para compartilhar”, o ajoblanco dá lugar às vieiras com creme de ervilha, jamon ibérico e pralinè de avelã, que combina o doce da castanha com o da vieira e investe em ingredientes típicos espanhóis. Nos principais, o chef reinventa seu cordeiro, agora preparado com paleta cozida lentamente à baixa temperatura, desfiada e enformada, acompanhada de fregola sarda, bok-choi (acelga chinesa) e pasta de berinjela doce.

pera tanit.jpg

Última das criações do cardápio, a torta de chocolate com caramelo e flor de sal foi desenvolvida pela chef pâtissière Bia Bosch que, atendendo aos pedidos dos fãs de chocolate, incluiu outra em preparo frio com o ingrediente – já que o coulant, assado na hora, é um dos doces mais pedidos na casa. Outro clássico, a Pera Tanit, agora aparece com nova roupagem: cortada em pequenos cubos depois de ser cozida com especiarias no vinho Moscatel e é acompanhada creme de mascarpone ao limão siciliano, crocantes de pain d’épice e sorvete de vanilla.

Tanit_Lucas Terribili-5_bx
Foto: Lucas Terribili

Tanit: Rua Oscar Freire, 145, Jardins, São Paulo. Horário de funcionamento: de 3ª e 4ª, das 12h às 15h e das 19h30 às 23h305; 6ª, das 12h às 15h e das 19h30 às 24h. Sábado, das 12h30 às 16h30 e das 19h30 às 240h. Domingo, das 12h30 às 16h30.

Salvar

Anúncios

Para famílias inteiras: restaurantes para comemorar o Dia das Crianças

Ao receber famílias com crianças pequenas, é imprescindível que o restaurante esteja preparado para atender as vontades tanto dos adultos quanto das crianças. O primeiro passo para recepcionar os pais e seus filhos adequadamente é disponibilizar um menu infantil, que atrai as crianças pela aparência e sabor e conquista os pais pela qualidade.

Para o Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro, confira alguns restaurantes perfeitos para celebrar a data enquanto a família inteira desfruta de pratos irresistíveis.

jamile.jpg

O Jamile manteve sua excelência no sabor do cardápio infantil. Um dos sucessos é o “Tagliatelli branco na manteiga com iscas de mignon” (R$ 32), que pode levar molho branco ou vermelho, de acordo com a preferência dos pequenos. Outros pedidos são o “Peixe com purê de batata” (R$ 34) e “Escalope com batata frita” (R$ 36).

la macca.png

O La Macca, conhecido por apresentar o melhor da cozinha clássica italiana, conta com um menu kids com pratos tão saborosos quanto os do cardápio normal. Não há criança que não goste do “Penne Pomodoro com Filezinho Grelhado” (R$ 49) ou do “Filé Grelhado com Batatas Fritas” (R$ 49).

jangada.png

O especialista em peixes e frutos do mar Jangada, além do menu infantil, apresenta um espaço kids com brinquedos e monitorias para as crianças se divertirem enquanto os pais relaxam. Após toda a brincadeira, a garotada pode desfrutar de versões adaptadas das receitas do restaurante, como a “Tilapinha” (R$ 29,90), “Filézinho” (R$ 31,90) e “Spaghetinho” (R$ 31,90).

nez bistro.jpg

O tradicional restaurante Nez Bistrô também conta com pratos infantis deliciosos, como o “Escalope de filé” (R$ 57) e o “Filé de robalo grelhado” (R$ 57). Ambos levam dois acompanhamentos, os pequenos podem escolher entre purê, batata frita, linguini e arroz branco. Na parte de sobremesas, destaque para a “Panelinha de brigadeiro” (R$ 27), uma sopa morna de brigadeiro com farofa crocante.

espaço d.png

Para fechar o Dia das Crianças com chave de ouro, nada melhor que presentear os filhos com sobremesas deliciosas preparadas na cozinha afetiva do Espaço D Gastronomia. Para os amantes de chocolate, o pedido é o doce “Texturas de chocolate” (R$ 18), feito com brownie de chocolate belga, sorvete de chocolate e farofa crocante de chocolate. Ainda é possível escolher entre uma variedade de sobremesas feitas na casa, como o “Chocola D” (R$ 18), Cookie Sandwich (R$ 18) e “Mini fondue de chocolate” (R$ 18). Caso os pais prefiram um prato menos calórico, o “Crumble de maçã” é um dos sucessos da casa produzido sem adição de açúcar.

Endereços:

Jamile – Rua Treze de Maio, 647, Bixiga (SP). Horário de funcionamento: segunda a quinta – das 12h às 15h e das 20h às 24h / sexta – das 12h às 15h e das 20h à 1h / sábado – das 12h às 16h e das 20h à 1h / domingo – das 12h às 17h

La Macca – Rua Haddock Lobo, 1589, Cerqueira César (SP). Horário de funcionamento: segunda a quinta – das 12h às 16h e das 19h às 23h30 / sexta a domingo – 12h às 22h30

Jangada Shopping ABC – piso 1 (Av. Pereira Barreto, 42, Vila Gilda, Santo André). Horário de funcionamento: segunda a quinta – das 11h30 às 22h30 / sexta e sábado – das 11h30 às 23h / domingo e feriado – das 11h30 às 22h

Nez Bistrô – Praça de Casa Forte, 314, Casa Forte, Recife. Horário de funcionamento:  almoço – sexta e sábado, das 12h às 15h / domingo, das 12h às 16h. Jantar – segunda a quinta, das 18h30 às 23h30 / sexta e sábado das 19h às 24h30 / domingo: das 19h às 23h30

Espaço D Gastronomia Rua Leopoldo Couto de Magalhães Junior, 733, Itaim Bibi (SP). Horário de funcionamento:  segunda a sexta – das 9h às 20h / Sábado – das 11h às 17h

Kosushi oferece finalização de sushis com caviar

Perfeito para incrementar seus sushis, comer puro ou, ainda, levar para casa

O Kosushi trouxe uma novidade aos amantes do caviar que agora podem complementar seus sushis e tartar de bluefin toro com a iguaria. O restaurante japonês, que tem 30 anos de história e estrela do Guia Michelin em 2015, 2016, 2017 e 2018, oferece uma charmosa latinha (15g) – vendida à parte – para quem quiser dar um toque especial no sabor de cada preparo, saborear puro, compartilhar com os amigos ou até levar para casa.

“O gosto do caviar envolvido é único. Não tem nenhuma ova que faça essa perfeita harmonização e explosão do sabor”, comenta o sushiman e sócio do Kosushi, George Koshoji.

kosushi caviar

Kosushi: Rua Viradouro, nº 139 • Itaim Almoço: de segunda a sexta-feira, das 12 às 15 horas. Jantar: de segunda-feira a sábado, das 19h30 à 00h00; domingo, das 19 horas à 0h. Bar: diariamente, a partir das 18 horas

Taco em dobro no Taco Day

Após o sucesso da última edição, neste ano o Taco Day, promovido pelo Taco Bell, rede californiana com cardápio inspirado na culinária mexicana, terá uma programação estendida em todas as lojas do país com “Taco em Dobro”.

Taco Day é a data mais aguardada pelos taco lovers e celebrado globalmente hoje, 4 de outubro, mas, pela primeira vez no Brasil, a comemoração contará com a versão de taco mais saborosa e disponível durante quatro dias.

Taco Bell_Crunchy Taco Supreme_Taco Day_1

Para esta edição que começa nesta quinta-feira (4) e vai até domingo (7), quem comprar o Crunchy Taco Supreme ganhará outro igual no ato da compra. Entre os campeões de vendas no mundo, o taco vem recheado de uma proteína, sendo beef (carne moída), steak (filé em tiras) ou frango, além de sour cream, alface, queijo prato ralado e tomate. Para vegetarianos, ainda existe a opção com feijão no lugar da proteína.

Taco Bell_Ação Taco Day

O Crunchy Taco Supreme varia de R$ 9,50 a R$ 11,50, de acordo com a proteína escolhida, e pode ser encontrado em todas as lojas da rede. Para localizar o restaurante mais próximo, acesse o site clicando aqui.

 

Varanda é atração do Restaurant Week Premium

O restaurante Varanda participa, até 21 de outubro, do maior festival gastronômico da América Latina – o Restaurant Week Premium que, nesta edição, tem como tema “Menus de Sucesso”, no qual os chefs revisitam as receitas mais vendidas ao longo da trajetória do festival e apresentam os carros-chefes da casa.

“Por isso, incluímos pratos que marcaram a história do Varanda para compor o menu, como o Arroz Biro-Biro e a Farofa da Varanda, e cortes como o Bife de Chorizo e Coração de Picanha”, explica Fábio Lazzarini, chef executivo da rede, que apresenta dois diferentes menus, servidos no almoço e jantar.

Almoço

Bife de Chorizo com farofa da Varanda
Bife de chorizo com farofa Varanda

Para o almoço, o menu do Varanda inclui como opções de entradas a linguiça aperitiva ou o dadinho de queijo coalho. Entre os pratos principais, são cinco opções que incluem carnes e peixes: top sirloin; bife de chorizo com a farofa da Varanda; peixe do dia com purê de batatas; filé de frango com legumes ou risoto. O menu, que é servido nas unidades Jardins e Faria Lima, de segunda a sábado, não inclui bebidas ou serviço e custa R$ 68,00 por pessoa.

Jantar

Bombom de alcatra com arroz biro biro
Bombom de alcatra com arroz Biro-Biro

Para o jantar, as sugestões de entrada são a Costela de Porco à baixa temperatura ao Molho Barbecue ou Dadinho de Queijo Coalho. As opções de pratos principais são: Bombom da Alcatra; Coração de Picanha com Arroz Biro-Biro; Arroz Carreteiro com Pequi; Filé de fanho com legumes; ou, Risoto. O menu custa R$ 89,00 e é servido nas unidades Jardins (segunda a sábado); Faria Lima (terça a sábado) e JK (segunda a domingo), e não inclui bebidas ou serviço.

No almoço e no jantar, as opções de sobremesas são pudim; frutas da estação; creme de papaya; sorvete ou mousse de chocolate.

Reservas podem ser feitas antecipadamente pelo e-mail contato@varagrill.com.br.

Endereços
– Varanda Jardins: General Mena Barreto, 793
– Varanda JK: Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041
– Varanda Faria Lima: Prudente Correia, 432

São Paulo ganha primeiro restaurante ítalo-japonês das Américas

Com conceito inovador, restaurante inaugura no país a mistura inusitada de culinária japonesa com trufas

O Brasil acaba de ganhar o primeiro restaurante ítalo-japonês das Américas, o Tartuferia Giapponese, com cozinha contemporânea que promete sacudir o mercado gastronômico brasileiro. A nova casa abriu as portas com conceito ousado, superinovador e uma culinária única, que mistura a clássica cozinha japonesa com a italiana, trazendo como protagonista a maior iguaria do universo gastronômico: as trufas que são consideradas os diamantes da alta gastronomia mundial.

À frente da empreitada os empresários Lalo Zanini e Rafael Hidaka, que traz na bagagem uma estrela Michelin conquistada quando foi chef do renomado Mee, no Belmond Copacabana Palace. Em mais um passo importante na sua carreira, pela primeira vez Hidaka assume o outro lado do balcão como restauranteur da nova casa em par com Zanini, com quem concebeu o projeto e cuida da operação do negócio. Hidaka também assina o cardápio, cuja cozinha é pilotada pelo Chef Joaquim Laborde.

Alguns destaques do menu são o Beef Tataki, carpaccio de ancho selado servido com momiji oroshi e chips de alho, lâminas de trufa negra e molho ponzu; o Giapponese Kinoko Buns, mix de cogumelos japoneses, salsa de trufas negras servidos com pão japonês a vapor; o especial Ebi Wonton, massa crocante recheado com camarão servido com geleia de pimenta com trufas negras; e, por fim, o Giapponese Tuna Tartar que consiste em atum cortado na ponta da faca em cubos, servido com abacate, quinoa, pepino japonês e chips de batata doce ao molho Giapponese.

Beef_Tataki_-_Carpaccio_de_Ancho_selado_servido_com_momiji_oroshi_e_chips_de_alho__laminas_de_Trufa_Negra_e_molho_Ponzu_R_36Zarigani_Lagostim_R_28unid
TgiaponeseGyoza_de_Pato_-_Gyoza_de_Pato_confitado_servido_com_Molho_Hoisim_e_alho_negro_com_trufas_R_46Ebi_Wonton_-_Massa_crocante_recheado_com_camarao_servido_com_Geleia_de_pimenta_com_trufas_negras_R_36Giapponese_Kinoko_Buns_-_Mix_de_cogumelos_japoneses__salsa_de_trufas_negras_servidos_com_Pao_Japones_a_vapor_R_32Matcha_Tiramisu_-_A_nossa_versao_de_Tiramisu_de_Matcha_acompanhado_de_sorvete_de_cafe_R_35

A nova Casa do Grupo 8+, que comanda também o Tartuferia San Paolo e Mondo Gastronomico, o último capitaneado pelo renomado Chef Salvatore Loi, está no coração dos jardins e nasce sob a proposta de defender o melhor jeito brasileiro de ser japonês, com pratos contemporâneos, que mantém a tradição de duas culinárias clássicas muito apreciadas no país.

Tartuferia Giapponese – Alameda Lorena, 1892 – Jardim Paulista – São Paulo – SP.
Horário de funcionamento: terça a quinta, das 12 às 15 horas e das 19 às 23 horas; sexta e sábado das 12 às 15 horas e das 19 às 24; e domingo das 12 às 17 horas

Pizza Amora Mio é novidade na Família Presto

Depois de lançar no Dia da Pizza (10 de julho) a Miele Mio, que contém entre as especiarias queijo brie, linguiça artesanal e mel, a casa lançou em agosto mais um sabor, Amora Mio. A novidade do cardápio, assim como o outro lançamento recente, fica por tempo limitado e é preparada com geleia de amora, bacon artesanal e também queijo brie (R$ 74,00).

O sabor que combina doce e salgado, poderá ser degustada no salão da pizza ou também em casa, solicitando por delivery, a partir de 9 de agosto. Atualmente, a casa atende por delivery os bairros Aclimação, Liberdade, Cambuci, Vila Mariana, Paraíso e Ipiranga.

amora mio.jpg

Família Presto: Rua Esmeralda, 39 – Aclimação, São Paulo

Navegando pela cozinha portuguesa em Belo Horizonte

A paixão pela cozinha veio da influência dos pais e sempre foi uma prática constante na vida de Cristóvão Laruça. O chef português nascido na Costa de Caparica, uma vila de pescadores a 15 km de Lisboa, se considera um cozinheiro autodidata, e é um representante da legítima culinária lusitana em Minas Gerais.

Cristóvão Laruça - Credito Bs Fotografias
Foto: Bs Fotografias

Ele se aventurou por diferentes áreas antes de se estabelecer na gastronomia. Chegou ao Brasil em 2004, como arquiteto. Entre os anos de 2006 e 2007, se enveredou no ramo de hotelaria quando teve uma pousada em Salvador, Bahia. Fez o seu mestrado na área de design e sustentabilidade em Pirenópolis, Goiás. Mas o amor pelas panelas sempre o levou na direção da cozinha, onde preparava pratos típicos de seu país para amigos.

Em 2014, já morando em Casa Branca, Brumadinho, recebeu a proposta de assumir o restaurante do condomínio em que vivia. Foi quando montou o Restaurante Caravela, que virou mais que um lugar de experimentações do chef, um destino para pessoas que buscavam um local especial para passar o dia. Em janeiro de 2017, fechou as portas e reinaugurou o estabelecimento em um novo lugar, desta vez na capital mineira em agosto do mesmo ano.

Cataplana à moda de Goa - Victor Schwaner
Foto: Victor Schwaner

Desde então, o restaurante funciona no foyer do Museu Histórico Abílio Barreto, rodeado pelo paisagismo e jardins do complexo arquitetônico que mergulha na história de BH. Dedicado à comida portuguesa moderna, Cristóvão Laruça mostra, no Restaurante Caravela, que a culinária de seu país vai muito além do bacalhau e batatas. Com alma atlântica, o estabelecimento apresenta como uma das especialidades da casa, as cataplanas, peculiares panelas portuguesas feitas de cobre, em que são preparadas receitas típicas como polvo, camarão, bacalhau, bochechas de porco, entre outros.

Bacalhau à lagareiro- Victor Schwaner
Foto: Victor Schwaner

O utensílio, precursor das panelas de pressão modernas, proporciona uma confecção saudável dos alimentos, uma vez que permite reduzir calorias e gorduras nas suas receitas a partir do seu sistema de cozimento hermético a vapor, evitando também a perda dos aromas dos alimentos, garantindo um pleno e excelente sabor.

O espaço conta ainda com uma carta de vinhos exclusivamente portugueses, acumulando mais de cem rótulos que vão desde os tintos, brancos, verdes, roses e espumantes aos licores, com valores variando de R$ 65,00 a R$ 400,00.

Mas nem só da alta gastronomia portuguesa é composto o cardápio de Cristóvão Laruça. Também é possível degustar os pratos do chef no Tasca Lusitana, que fica no Mercado da Boca, primeiro food hall do estado que reúne restaurantes e chefs renomados em um modelo de espaço inspirados em grandes mercados internacionais.

A operação se dedica à forte cultura de boteco, que no país europeu são chamados de “tascas”, e encontrados praticamente em todas as esquinas das cidades. Nele, o público poderá conhecer uma gastronomia tradicional portuguesa carregada de saberes e sabores que vem desde os tempos em que Portugal ainda era Lusitânia, com petiscos, como os peixinhos da horta, e comidas do dia a dia dos portugueses.

Bochehcas de Porco - Victor Schwaner
Foto: Victor Schwaner

Entre eles cortes de porco, como as bochechas, polvo, cogumelos, e uma das opções mais queridas pelo público: o tradicional pastelzinho de Belém. Inaugurado em março deste ano, o Tasca Lusitana já se destaca entre os favoritos do público, sendo consagrado como a operação de maior rentabilidade no primeiro mês de funcionamento do espaço.

Restaurante Caravela – Av. Prudente de Morais 202, Cidade Jardim, Belo Horizonte – MG. Horário de funcionamento: terça a quinta das 11h30 às 14h. Sexta das 11h às 16h.  Sábado e domingo: das 12h as 16h30. Quarta a sábado 17h as 23h30.

Tasca Lusitana – Mercado da Boca – Av. Toronto, 156 – Jardim Canadá, Nova Lima – MG. Horário de funcionamento: quinta das 18h às 23h. Sexta e sábado das 12h às 24h. Domingo das 11h às 19h.

 

Vista Ibirapuera no rooftop do MAC: para ver e para comer

Toda grande cidade merece ter um bom restaurante com aquela vista especial para a sua melhor paisagem, não é? Agora, São Paulo pode dizer que tem um espaço assim, para a gente “comer com os olhos”, mas não só com eles: o Vista Restaurante está na cobertura do prédio projetado por Oscar Niemeyer nos anos 50 e que hoje abriga o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC–USP).

Lá do alto, é possível ter uma incrível visão panorâmica do verde do Parque Ibirapuera, do Obelisco dos Heróis da Revolução de 32, do Pavilhão da Bienal, da Oca, do Auditório Ibirapuera, do Instituto Biológico e do skyline da metrópole.

O restaurante faz parte de um complexo gastronômico Vista Ibirapuera que ocupa vários espaços do Museu. No mezanino funciona o Vista Café, que de terça a domingo, durante o dia, serve comidinhas saudáveis, e no almoço do meio dia até às 16 horas tem o Convescote – sugestão completa com três opções de entrada, prato principal e sobremesa (R$ 35 a R$ 55 –vegetariana, carne ou peixes/frutos do mar).

Aos domingos, o Vista Café oferece um delicioso brunch. No rooftop fica o Vista Restaurante, o Bar Obelisco e, com inauguração prevista para o próximo semestre, o Bar do Mar, um raw bar com foco em frutos do mar. Essa iniciativa toda é capitaneada pelo grupo Indústria de Entretenimento, de Leo Sanchez, Eduardo Papel, Jairo Chansky, Walace Giuzio e Felipe Bellim, que também são os proprietários de outros empreendimentos na cidade, como o bar Rey Castro, o pub The Sailor e a lanchonete e steakhouse Sailor Burger.

Vista restaurante _ fotos Rubens Kato  (3).jpg

Além de pinturas de Picasso, Tarsila, Kandinsky, DiCavalcanti e Modigliani, esculturas de Alexander Calder, Maria Martins e Henry Moore e instalações de Joseph Beuys e Leda Catunda, o museu agora também atrai visitantes interessados em conhecer as deliciosas obras de arte comestíveis criadas pelo talentoso chef paranaense Marcelo Corrêa Bastos, conhecido pela qualidade e pela criatividade das receitas que serve desde 2012 em seu outro restaurante paulistano, o Jiquitaia. Ele se associou aos empresários do grupo Indústria de Entretenimento e atua como sócio e coordenador da parte gastronômica de todo o complexo Vista Ibirapuera.

Vista restaurante _ chef Marcelo Correa Bastos _ foto Rubens Kato

“O Vista é um restaurante de comida brasileira. Dispenso o rótulo de comida brasileira contemporânea porque meu trabalho é muito calcado nas tradições. Mas não é por isso que eu me privo de fazer releituras de pratos típicos e incluir toques autorais em clássicos da culinária brasileira”, avisa Bastos que, aos 36 anos, tem como mantra a simplicidade, o respeito aos ingredientes e o rigor na execução das receitas.

Vista restaurante _ Quiabos grelhados, maionese de dendê e farofa de camarão seco _ fotos Rubens Kato (3)
Quiabos grelhados, maionese de dendê e farofa de camarão seco
Vista restaurante _ Arroz de frutos do mar _ fotos Rubens Kato 4
Arroz de frutos do mar 

Exemplos de pratos “intocados” são a moqueca capixaba de peixe e camarão, e a feijoada exclusiva dos almoços de sábado (R$ 85) e a leitoa à pururuca dos almoços de domingo (R$ 120 – 2 pessoas), sugestões especiais além do nosso cardápio. Outras receitas foram aprimoradas, como pato no tucupi (R$ 99): ele é composto pelas carnes da ave (um magret mal passado e uma coxa confitada) servidas sobre um leito de verduras refogadas (jambu, chicória, agrião, coentro e espinafre) e, à parte, uma molheira com o tucupi para cada cliente adicionar de acordo com a sua preferência.

Lula à dorê com maionese de limão cravo _ foto Rubens Kato (2)
Lula à dorê com maionese de limão cravo
Vista restaurante _ Tempurá de cambuquira com milho verde e jiquitaia _ fotos Rubens Kato (2)
Tempurá de cambuquira com milho verde e jiquitaia
Cheeseburger da casa _ foto Rubens Kato (1)
Cheeseburger da casa

Boas pedidas do cardápio são também a copa lombo suína com redução de caldo de suã, batatas doces e hortaliças (R$ 68). Para quem não quer nada com proteína animal, Marcelo criou os raviólis de milho verde em caldo de legumes (R$ 62), com massa feita unicamente de farinha e água.

Para os que quiserem apenas beliscar, o cardápio oferece gostosos petiscos, ideais para serem compartilhados, como as croquetas de pupunha com maionese de pimenta de cheiro (R$ 29), os bolinhos de siri com salada de ervas frescas (R$ 31) e o tempurá de cambuquira (broto de chuchu, abóbora ou abobrinha) com milho verde e pimenta jiquitaia (R$ 29).

De sobremesa, o chef desenvolveu sugestões como a terrine de chocolate com calda de caramelo e compota de laranjinha kinkan (R$ 25), a torta de caramelo com sorvete de castanha do Pará (R$ 28) e a pavlova com curd de limão e sorvete do cambuci (R$ 25).

A carta de drinques é assinada pelo mixologista baiano Laércio Silva, conhecido como Zulu, campeão do World Class Diageo Brasil em 2014, integrante do júri que elege os 50 melhores bares do mundo e especialista na utilização de ingredientes genuinamente brasileiros nas receitas de seus coquetéis autorais.

Laércio Zulu _ foto Rubens Kato

“A proposta aqui no Vista é que a coquetelaria siga os moldes da gastronomia, com brasilidade, simplicidade e esmero. Desenvolvi drinques inspirado nas minhas raízes regionais, colocando em destaque elementos como a cachaça e frutas como o umbu e o cambuci”, conta Zulu, que já participou de cursos sobre irish whiskeys na Irlanda, de workshops sobre gins na Inglaterra e ainda produz uma linha exclusiva de bitters artesanais.

Fiz da Terrinha_ foto Rubens Kato (2)
Fiz da Terrinha
Casca Grossa _ foto Rubens Kato (3)
Casca Grossa

Para o bar do Vista, ele criou seis drinques, entre eles o Sertanejim (que mistura cachaça Leblon, pitaya vermelha, mix de especiarias, suco de limão e mel, finalizado com chips de mandioca e um coquinho de licuri – R$ 28,90), o Mangadinha (feito com gim, purê de manga, cardamomo, água gaseificada, suco de limão, laranja Bahia e um raminho de endro dill – R$ 31,90) e o Umbu Sour, elaborado com cachaça Leblon, compota de umbu, clara de ovo e suco de limão (R$ 29,90).

Para quem preferir bebidas sem álcool, as sugestões da casa são os sucos de frutas também bem brasileirinhas (R$ 12, cada), como o de maracujá com manga, o de acerola com laranja, o de caju, o de cajá, o de graviola e o de cupuaçu.

Para emoldurar todas essas gostosuras, o projeto arquitetônico foi desenvolvido por Felipe Protti, do atelier Prototyp&. Sem fazer grandes intervenções e respeitando a obra original de Niemeyer, Felipe buscou elementos dos anos 50 e 60, aplicando influências e proporções vintage, explorando acabamentos e tecnologias atuais, agregando referências modernas e com identidade bem brasileira.

Dessa forma, o restaurante, o lounge e o bar receberam cadeiras, mesas, luminárias e acessórios desenhados por Felipe, que criou ambientes neutros e elegantes, com tons de branco e off-white. Nas paredes e nos pisos, usou ladrilhos hidráulicos com volumetria, conduziu iluminação indireta e separou os diferentes recintos com uma parede de elementos vazados. “O resultado disso tudo foi o surgimento de um novo e surpreendente espaço para a cidade”, celebra o arquiteto.

O Vista Ibirapuera ocupa todo 8º andar do Museu – uma cobertura com mais de 2.400 m² de área. Só o terraço tem mais de 1.400 m², e é ideal para confraternizações, casamentos e eventos corporativos.

Resumindo, a proposta do Vista Ibirapuera não é ser um local para a pessoa simplesmente “comer com os olhos”. Ele foi concebido para ser uma evolução do mero cartão postal, do lugar-pavê: é pra ver, pra comer, pra beber, eventualmente pra dançar e – sempre – para você se divertir e curtir bons momentos num ambiente muito mais do que apenas bonito e agradável.

Fotos: Rubens Kato

Vista restaurante _ fotos Rubens Kato (1)

Vista Ibirapuera: Avenida Pedro Álvares Cabral, 1.301, Ibirapuera. Acesso pelo portão principal do Museu de Arte Contemporânea (MAC-USP). Horários de funcionamento:

Restaurante Vista – terça a sábado – das 19h às 24h. Almoço sábado –  das 12h às 16h. Almoço sábado – das 12h às 16h. Almoço domingo e feriado – 12h às 17h
Bar Obelisco – terça a sábado, das 18h às 2h
Vista Café – terça a sexta, das 10h30 às 18h, sábado e domingo, das 10h às 18h

Henrique Fogaça cria novos pratos para o Jamile

O chef Henrique Fogaça criou novas receitas para o menu do Jamile, restaurante que fica no Bixiga. No total, são sete principais, uma entrada e três sobremesas. Seguindo a premissa da casa, os pratos são contemporâneos e contemplados com ingredientes brasileiros.

A nova entrada é um mix de folhas com salmão curado, azeite e creme azedo. Dentre os principais, destaque para a barriga de porco assada com purê de abóbora, páprica e picles de erva doces e carré de cordeiro ao molho de vinho do Porto e couscous marroquino. Para os vegetarianos, a nova opção é a berinjela assada com missô, mix de cogumelos e ervilha torta.

Pensando nos fãs de hambúrguer, o chef incluiu duas novas receitas; uma com cupim e costela bovina (com cheddar inglês, crispy de Parma e picles de rabanete) e a outra à base de grão de bico (com lentinha e tahine, queijo gruyère, rúcula, maionese de dill e bacon vegano). Ambas as opções podem ser acompanhadas com fritas ou batata rústica ou salada.

Nas sobremesas, vale ressaltar a cheesecake com calda de maracujá e especiarias e o pudim de café com caramelo e sorvete de leite, além dos tradicionais churros com doce de leite.

Novos pratos Jamile:

salmão salada.jpg

– Mix de folhas, salmão curado, azeite e creme azedo (R$ 32);
– Barriga de porco assada com purê de abóbora, páprica e picles de erva doce (R$ 75);
– Carré de cordeiro ao molho de vinho do Porto com couscous marroquino (R$ 97);
– Hambúrguer de cupim e costela bovina com cheddar inglês, crispy de Parma e picles de rabanete (R$ 48);
– Hambúrguer de grão de bico com lentilha e tahine, queijo gruyère, rúcula, maionese de dill e bacon vegano (R$ 47);
– Risoto de cogumelos com azeite e couve crocante (R$ 70);

berinjela
– Berinjela assada no missô com mix de cogumelos e ervilha torta (R$ 63);
– Cheesecake com calda de maracujá e especiarias (R$ 25);

pudim de chocolate.png
– Pudim de café com caramelo e sorvete de leite (R$ 21);
– Churros com doce de leite (R$ 28).

Jamile Restaurante – Rua Treze de Maio, 647 – Bixiga – Horário de funcionamento: almoço – segunda à sexta: das 12h às 15h. Sábado: das 12h às 16h. Domingo: das 12h às 17h. Jantar: segunda:  das 20h às 23h45. Terça à quinta: das 20h às 24h. Sexta e Sábado: das 20h à 1h.